SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
UCRÂNIA EM EBULIÇÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS
Fernando Alcoforado*
A ocorrência da crise política na Ucrânia, com a intensificação dos protestos, é o
estopim de uma instabilidade política que marca a região há vários anos. A extinta
União Soviética da qual o território ucraniano era ligado industrializou-se por meio de
uma integração estrutural envolvendo todas as suas repúblicas, com o objetivo de
garantir uma maior estabilidade territorial. Após a queda do Muro de Berlim em 1989,
os países do leste europeu encontravam-se muito interdependentes, fato este que se
mantém ainda hoje em muitos aspectos. Atualmente, a Ucrânia depende comercial e
economicamente da Rússia, sobretudo por esta lhe fornecer gás natural, fonte de energia
primordial ao país, e por ser o principal comprador de inúmeras matérias-primas
produzidas pela economia ucraniana.
Quando a União Europeia propôs à Ucrânia assinar um tratado de livre-comércio, a
Rússia, em contrapartida, ofereceu melhor acordo econômico e que, segundo algumas
versões não confirmadas oficialmente, se o governo ucraniano não o aceitasse, ameaçou
cortar o fornecimento de gás natural e a compra dos produtos ucranianos, além de impor
restrições alfandegárias. Esse episódio acirrou ainda mais as diferenças entre os dois
principais grupos políticos ucranianos: os pró-ocidente e os pró- Rússia. A decisão do
governo ucraniano de não assinar o tratado de livre-comércio com a União Europeia foi
o estopim que deu origem às violentas manifestações que ainda estão longe de acabar. O
principal líder e organizador dos protestos é Vitali Klitschko que lidera o movimento
denominado Udar (“soco”, em tradução livre), que vem mostrando uma ampla frente de
mobilização.
Outra força que está atualmente compondo as manifestações é o partido político
Svoboda (que significa “liberdade”), liderado por Oleh Tyahnybok e que possui caráter
nacionalista, sendo frequentemente acusado de possuir um caráter fascista. Além dessas
frentes, ainda existem grupos de esquerda e até anarquistas que buscam ganhar espaço
com as manifestações. Esse grupo, minoritário, não objetiva defender o tratado com a
União Europeia, causa maior das manifestações, mas lutar por melhores condições
sociais e atenuação dos índices de pobreza e desigualdade na Ucrânia. Mas, sem
dúvidas, a frente de oposição mais influente sob o ponto de vista internacional é o
Pátria, segundo maior partido do país (atrás somente da frente governista), liderado por
Arseniy Yatsenyuk, um militante extremamente próximo a Yulia Tymoshenko, exprimeira-ministra do país.
A Ucrânia é um país de regime semipresidencialista, ou seja, o gabinete e as funções
executivas nacionais são divididos entre o presidente (com mandato de cinco anos) e o
primeiro-ministro, além de uma influência mais destacada do parlamento. O deposto
presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, é uma personalidade polêmica no país em
virtude de sua posição pró- Rússia o que o torna inimigo de uma poderosa e influente
oposição “pró-ocidente”, a mesma que lidera boa parte das manifestações no país. Com
a resistência do governo ucraniano em não aderir à causa das manifestações de assinar o
acordo de livre-comércio com a União Europeia, os militantes passaram a exigir a
renúncia do presidente e do primeiro-ministro do país, apontados como os principais
responsáveis pela influência russa nas decisões nacionais.

1
Sob a alegação de que os manifestantes utilizavam formas ilegais e violência exagerada
durante os protestos, o parlamento aprovou uma série de leis para reprimi-los
duramente, principalmente através do uso da força policial. O auge da tensão do país
iniciou-se no dia 23 de Janeiro de 2014, quando cinco manifestantes morreram em
confronto com a polícia, além dos inúmeros feridos. No mesmo dia, negociações foram
realizadas sem sucesso, o que proporcionou a invasão de várias sedes do governo em
diversas regiões do país. As medidas repressivas foram seriamente criticadas pela
comunidade internacional, sobretudo após a morte de manifestantes em janeiro de 2014.
Em 28 de Janeiro, com o objetivo de diminuir o ímpeto das manifestações, o primeiroministro Mykola Arazov pediu sua demissão. No entanto, esta estratégia não surtiu
efeito porque os opositores continuaram em protestos exigindo a renúncia também do
presidente Yanukovich que diante de sua incapacidade de garantir a estabilidade política
do país foi deposto pelo parlamento e substituído por Oleksander Turchinov como
presidente interino até a realização das eleições em maio. Além disso, o parlamento
ucraniano aguarda a localização de Yanukovich, que é alvo de uma ordem de prisão por
"assassinato em massa de civis". Antes de desaparecer, Yanukovich afirmou que não
houve revolução na Ucrânia, mas sim um golpe de Estado.
O cenário mais provável para o desfecho da crise política na Ucrânia é a divisão do país,
com a Crimeia sendo incorporada à Rússia e a aliança da União Europeia e Estados
Unidos com a Ucrânia que passaria a representar uma ameaça concreta aos interesses
russos na região. Desta forma, estaria sendo inaugurada provavelmente uma nova
Guerra Fria de consequências imprevisíveis para o futuro da humanidade. O conflito
político na Ucrânia gerou também uma crise geopolítica em que os interesses de
grandes potências estão em jogo. É chegada a hora de a humanidade se dotar o mais
urgentemente possível de instrumentos necessários ao controle de seu destino e colocar
em prática um governo democrático do mundo capaz de impedir a ocorrência de guerras
e assegurar a sobrevivência da espécie humana. Se tudo continuar como está nenhuma
estrutura, nem mesmo a ONU, que funciona, na prática, a serviço dos interesses das
grandes potências, especialmente dos Estados Unidos, será capaz de governar o mundo.
Este é o pior cenário porque nenhum país por mais poderoso que seja ou um grupo de
países não poderá solucionar os problemas econômicos, políticos, sociais e ambientais
globais nem muito menos exercer a governabilidade sobre o planeta Terra. Nenhum
deles teria legitimidade para exercer o poder mundial.
Marcos Troyjo, graduado em ciência política e economia pela Universidade de São
Paulo (USP), doutor em sociologia das relações internacionais pela USP e diplomata,
publicou o artigo Crimeia e a "ilha-mundo" no jornal Folha de S. Paulo (ver o website
<http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marcostroyjo/2014/03/1421858-crimeia-e-ailha-mundo.shtml>). Segundo Troyo, a crise política na Ucrânia se trata de um “jogo de
soma zero -- expressão utilizada em relações internacionais para demonstrar que,
quando um país perde com determinada ação, outro necessariamente ganha. Como no
basquete, não há empate, só vencedores e vencidos. A vertiginosa crise na Ucrânia foge
a essa regra. O cabo de guerra entre Rússia e Ocidente é um jogo em que ninguém
ganha. Perde a Ucrânia porque ronda o espectro de desmembramento maior do que
apenas a própria Crimeia e aflora o ódio subcutâneo entre ucranianos do Oeste e russos,
farta matéria-prima para novos conflitos”.

2
Troyo acrescenta que “perde a União Europeia que em meio à frágil recuperação
econômica, é forçada a se mostrar presente nos países do Leste. Perde a OTAN porque
em um tabuleiro em que o antagonista porta armas nucleares na cintura, não pode dar-se
ao luxo de cogitar o emprego de forças convencionais, como fez nas crises dos Balcãs
nos anos 1990. Perde a ONU, dado o poder de veto da Rússia, seu palco privilegiado -o Conselho de Segurança – porque não adotará resoluções para remediar a crise. Esta,
ao contrário da diplomacia multilateral, convida à costura de alianças pontuais -- a
"Balança de Poder" -- típica do teatro europeu do século 19”.
Marcos Troyjo diz que “perdem os Estados Unidos que terão de reverter tendência à
retração de sua política exterior, além de revisar para cima o Orçamento de defesa.
Tensões como a Crimeia exigem custosa diplomacia e poder de dissuasão, não aviões
(drones) confortavelmente pilotados por controle remoto. Perdem Rússia e seus aliados.
Além do isolamento político, caso o impasse se prolongue, a Rússia experimentará
deterioração como economia emergente e flertará com o derretimento de sua bolsa.
Perdem os nostálgicos da Guerra Fria. A União Soviética não como alternativa. A
Rússia não busca reedição de um império. Vela apenas para que a OTAN não finque pé
em seu entorno, o chamado "Near Abroad". Moscou tem projeto para si, não uma
cosmovisão.”.
*Fernando Alcoforado, 74, engenheiro e doutor em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional
pela Universidade de Barcelona, professor universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico,
planejamento empresarial, planejamento regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos
livros Globalização (Editora Nobel, São Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem
Mundial (Editora Nobel, São Paulo, 1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000),
Os condicionantes do desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de
Barcelona, http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento
(Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos
Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the
Economic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller
Aktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe
Planetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e
combate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011) e
Os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012), entre
outros.

3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssA guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssEuna Machado
 
A crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeuA crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeuProfessor Marcelo
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaFernanda Lopes
 
Dutraevargas 140313041520-phpapp02
Dutraevargas 140313041520-phpapp02Dutraevargas 140313041520-phpapp02
Dutraevargas 140313041520-phpapp02maida marciano
 
Politica brasileira 1946 a 1954
Politica brasileira 1946 a 1954Politica brasileira 1946 a 1954
Politica brasileira 1946 a 1954maida marciano
 
Os focos de guerra no mundo e suas perspectivas
Os focos de guerra no mundo e suas perspectivasOs focos de guerra no mundo e suas perspectivas
Os focos de guerra no mundo e suas perspectivasFernando Alcoforado
 
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisAula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisProfMario De Mori
 
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundialGuerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundialJoaquim C S Barbosa
 

Mais procurados (15)

A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssA guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
 
A crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeuA crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeu
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
 
Como eliminar a guerra no mundo
Como eliminar a guerra no mundoComo eliminar a guerra no mundo
Como eliminar a guerra no mundo
 
Revisão 3 ano
Revisão   3 anoRevisão   3 ano
Revisão 3 ano
 
Texto 1- 2ºbimestre
Texto 1- 2ºbimestreTexto 1- 2ºbimestre
Texto 1- 2ºbimestre
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Dutraevargas 140313041520-phpapp02
Dutraevargas 140313041520-phpapp02Dutraevargas 140313041520-phpapp02
Dutraevargas 140313041520-phpapp02
 
Politica brasileira 1946 a 1954
Politica brasileira 1946 a 1954Politica brasileira 1946 a 1954
Politica brasileira 1946 a 1954
 
Guerra Fria 2º ano
Guerra Fria 2º anoGuerra Fria 2º ano
Guerra Fria 2º ano
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
 
Atualidades e vestibular aula 1
Atualidades e vestibular aula 1Atualidades e vestibular aula 1
Atualidades e vestibular aula 1
 
Os focos de guerra no mundo e suas perspectivas
Os focos de guerra no mundo e suas perspectivasOs focos de guerra no mundo e suas perspectivas
Os focos de guerra no mundo e suas perspectivas
 
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisAula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
 
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundialGuerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
 

Semelhante a Ucrânia em ebulição e suas consequências

A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...
A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...
A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...Unipessoal
 
A desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundoA desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundoRoberto Rabat Chame
 
A desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundoA desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundoFernando Alcoforado
 
Guerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdfGuerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdfEmmanuel Noimann
 
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...Escola E.B.2,3 de Jovim Gondomar
 
_ União soviética na Guerra Fria.pdf
_ União soviética na Guerra Fria.pdf_ União soviética na Guerra Fria.pdf
_ União soviética na Guerra Fria.pdffelipescherner
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra friagdfsabc
 
1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)
1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)
1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)Marcia Valeria
 
Aspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAna Paula Alves
 
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...Faga1939
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra FriaJanaína Bindá
 
Resumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoResumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoMaria Rebelo
 
Analise análisedeconjuntura marco.2014
Analise análisedeconjuntura marco.2014Analise análisedeconjuntura marco.2014
Analise análisedeconjuntura marco.2014Roberto Rabat Chame
 
Resumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºanoResumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºanoMaria Rebelo
 
Geopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneoGeopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneoRoberto Costa
 
Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
 Geografia Guerra Fria e Fim da URSS Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
Geografia Guerra Fria e Fim da URSSDelziene Jesus
 
Crise da ucrânia 2013 2014
Crise da ucrânia 2013 2014Crise da ucrânia 2013 2014
Crise da ucrânia 2013 2014Ternuma
 
A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)Janayna Lira
 

Semelhante a Ucrânia em ebulição e suas consequências (20)

Últimos artigos do Blog do Ambientalismo
Últimos artigos do Blog do AmbientalismoÚltimos artigos do Blog do Ambientalismo
Últimos artigos do Blog do Ambientalismo
 
A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...
A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...
A invasão da Ucrânia de Trump a Putin-contributos para uma teoria da conspira...
 
A desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundoA desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundo
 
A desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundoA desobediência civil no brasil e no mundo
A desobediência civil no brasil e no mundo
 
Guerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdfGuerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdf
 
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
 
_ União soviética na Guerra Fria.pdf
_ União soviética na Guerra Fria.pdf_ União soviética na Guerra Fria.pdf
_ União soviética na Guerra Fria.pdf
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)
1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)
1178 la atu_con_01e_001_021_003_002_005 (1)
 
Aspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerra
 
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA PAZ MUNDIAL PARA EVITAR A ECLOSÃO DA 3ª GUE...
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
 
Resumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoResumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºano
 
Ascensão e queda da urss marcos
Ascensão e queda da urss marcosAscensão e queda da urss marcos
Ascensão e queda da urss marcos
 
Analise análisedeconjuntura marco.2014
Analise análisedeconjuntura marco.2014Analise análisedeconjuntura marco.2014
Analise análisedeconjuntura marco.2014
 
Resumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºanoResumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºano
 
Geopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneoGeopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneo
 
Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
 Geografia Guerra Fria e Fim da URSS Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
 
Crise da ucrânia 2013 2014
Crise da ucrânia 2013 2014Crise da ucrânia 2013 2014
Crise da ucrânia 2013 2014
 
A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)
 

Mais de Roberto Rabat Chame

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017Roberto Rabat Chame
 
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus PintoCaso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus PintoRoberto Rabat Chame
 
Simpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em JuazeiroSimpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em JuazeiroRoberto Rabat Chame
 
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão OrdináriaBAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão OrdináriaRoberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017Roberto Rabat Chame
 
Projeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do MaçomProjeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do MaçomRoberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017Roberto Rabat Chame
 
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de DirigirDETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de DirigirRoberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017Roberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017Roberto Rabat Chame
 
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017Roberto Rabat Chame
 
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidadeSALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidadeRoberto Rabat Chame
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017Roberto Rabat Chame
 
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplacGovernador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplacRoberto Rabat Chame
 
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro BaBaile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro BaRoberto Rabat Chame
 

Mais de Roberto Rabat Chame (20)

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 635 an 29 agosto_2017
 
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus PintoCaso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
Caso SAMU - médico plantão - Dr Marcus Pinto
 
Simpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em JuazeiroSimpósio Espírita 25º em Juazeiro
Simpósio Espírita 25º em Juazeiro
 
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão OrdináriaBAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
BAHIA / PODEROSA ASSEMBLEIA ESTADUAL LEGISLATIVA (PAEL) Sessão Ordinária
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - 634 an 22 agosto_2017
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 633 an 15 agosto_2017
 
Projeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do MaçomProjeto de Lei Câmara Dia do Maçom
Projeto de Lei Câmara Dia do Maçom
 
Manifesto CGTB
Manifesto CGTBManifesto CGTB
Manifesto CGTB
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 632 an 08 agosto_2017
 
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de DirigirDETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
DETRAN-BAHIA _ Notificação Suspensão do Direito de Dirigir
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº631 an 01 agosto_2017
 
37 CIPM
37 CIPM37 CIPM
37 CIPM
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 630 an 25 julho_2017
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 629 an 18 julho_2017
 
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017Hospital são josé   nota de esclarecimento em 11.07.2017
Hospital são josé nota de esclarecimento em 11.07.2017
 
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidadeSALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
SALVADOR / 37ªCIPM Queda de criminalidade
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 628 an 11 julho_2017
 
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplacGovernador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
Governador da bahia lanca programa bahia produtiva na ceplac
 
O Dois de Julho
O Dois de JulhoO Dois de Julho
O Dois de Julho
 
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro BaBaile da Saudade /  Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
Baile da Saudade / Loja Maçônica Segredo, Força e União de Juazeiro Ba
 

Ucrânia em ebulição e suas consequências

  • 1. UCRÂNIA EM EBULIÇÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS Fernando Alcoforado* A ocorrência da crise política na Ucrânia, com a intensificação dos protestos, é o estopim de uma instabilidade política que marca a região há vários anos. A extinta União Soviética da qual o território ucraniano era ligado industrializou-se por meio de uma integração estrutural envolvendo todas as suas repúblicas, com o objetivo de garantir uma maior estabilidade territorial. Após a queda do Muro de Berlim em 1989, os países do leste europeu encontravam-se muito interdependentes, fato este que se mantém ainda hoje em muitos aspectos. Atualmente, a Ucrânia depende comercial e economicamente da Rússia, sobretudo por esta lhe fornecer gás natural, fonte de energia primordial ao país, e por ser o principal comprador de inúmeras matérias-primas produzidas pela economia ucraniana. Quando a União Europeia propôs à Ucrânia assinar um tratado de livre-comércio, a Rússia, em contrapartida, ofereceu melhor acordo econômico e que, segundo algumas versões não confirmadas oficialmente, se o governo ucraniano não o aceitasse, ameaçou cortar o fornecimento de gás natural e a compra dos produtos ucranianos, além de impor restrições alfandegárias. Esse episódio acirrou ainda mais as diferenças entre os dois principais grupos políticos ucranianos: os pró-ocidente e os pró- Rússia. A decisão do governo ucraniano de não assinar o tratado de livre-comércio com a União Europeia foi o estopim que deu origem às violentas manifestações que ainda estão longe de acabar. O principal líder e organizador dos protestos é Vitali Klitschko que lidera o movimento denominado Udar (“soco”, em tradução livre), que vem mostrando uma ampla frente de mobilização. Outra força que está atualmente compondo as manifestações é o partido político Svoboda (que significa “liberdade”), liderado por Oleh Tyahnybok e que possui caráter nacionalista, sendo frequentemente acusado de possuir um caráter fascista. Além dessas frentes, ainda existem grupos de esquerda e até anarquistas que buscam ganhar espaço com as manifestações. Esse grupo, minoritário, não objetiva defender o tratado com a União Europeia, causa maior das manifestações, mas lutar por melhores condições sociais e atenuação dos índices de pobreza e desigualdade na Ucrânia. Mas, sem dúvidas, a frente de oposição mais influente sob o ponto de vista internacional é o Pátria, segundo maior partido do país (atrás somente da frente governista), liderado por Arseniy Yatsenyuk, um militante extremamente próximo a Yulia Tymoshenko, exprimeira-ministra do país. A Ucrânia é um país de regime semipresidencialista, ou seja, o gabinete e as funções executivas nacionais são divididos entre o presidente (com mandato de cinco anos) e o primeiro-ministro, além de uma influência mais destacada do parlamento. O deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, é uma personalidade polêmica no país em virtude de sua posição pró- Rússia o que o torna inimigo de uma poderosa e influente oposição “pró-ocidente”, a mesma que lidera boa parte das manifestações no país. Com a resistência do governo ucraniano em não aderir à causa das manifestações de assinar o acordo de livre-comércio com a União Europeia, os militantes passaram a exigir a renúncia do presidente e do primeiro-ministro do país, apontados como os principais responsáveis pela influência russa nas decisões nacionais. 1
  • 2. Sob a alegação de que os manifestantes utilizavam formas ilegais e violência exagerada durante os protestos, o parlamento aprovou uma série de leis para reprimi-los duramente, principalmente através do uso da força policial. O auge da tensão do país iniciou-se no dia 23 de Janeiro de 2014, quando cinco manifestantes morreram em confronto com a polícia, além dos inúmeros feridos. No mesmo dia, negociações foram realizadas sem sucesso, o que proporcionou a invasão de várias sedes do governo em diversas regiões do país. As medidas repressivas foram seriamente criticadas pela comunidade internacional, sobretudo após a morte de manifestantes em janeiro de 2014. Em 28 de Janeiro, com o objetivo de diminuir o ímpeto das manifestações, o primeiroministro Mykola Arazov pediu sua demissão. No entanto, esta estratégia não surtiu efeito porque os opositores continuaram em protestos exigindo a renúncia também do presidente Yanukovich que diante de sua incapacidade de garantir a estabilidade política do país foi deposto pelo parlamento e substituído por Oleksander Turchinov como presidente interino até a realização das eleições em maio. Além disso, o parlamento ucraniano aguarda a localização de Yanukovich, que é alvo de uma ordem de prisão por "assassinato em massa de civis". Antes de desaparecer, Yanukovich afirmou que não houve revolução na Ucrânia, mas sim um golpe de Estado. O cenário mais provável para o desfecho da crise política na Ucrânia é a divisão do país, com a Crimeia sendo incorporada à Rússia e a aliança da União Europeia e Estados Unidos com a Ucrânia que passaria a representar uma ameaça concreta aos interesses russos na região. Desta forma, estaria sendo inaugurada provavelmente uma nova Guerra Fria de consequências imprevisíveis para o futuro da humanidade. O conflito político na Ucrânia gerou também uma crise geopolítica em que os interesses de grandes potências estão em jogo. É chegada a hora de a humanidade se dotar o mais urgentemente possível de instrumentos necessários ao controle de seu destino e colocar em prática um governo democrático do mundo capaz de impedir a ocorrência de guerras e assegurar a sobrevivência da espécie humana. Se tudo continuar como está nenhuma estrutura, nem mesmo a ONU, que funciona, na prática, a serviço dos interesses das grandes potências, especialmente dos Estados Unidos, será capaz de governar o mundo. Este é o pior cenário porque nenhum país por mais poderoso que seja ou um grupo de países não poderá solucionar os problemas econômicos, políticos, sociais e ambientais globais nem muito menos exercer a governabilidade sobre o planeta Terra. Nenhum deles teria legitimidade para exercer o poder mundial. Marcos Troyjo, graduado em ciência política e economia pela Universidade de São Paulo (USP), doutor em sociologia das relações internacionais pela USP e diplomata, publicou o artigo Crimeia e a "ilha-mundo" no jornal Folha de S. Paulo (ver o website <http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marcostroyjo/2014/03/1421858-crimeia-e-ailha-mundo.shtml>). Segundo Troyo, a crise política na Ucrânia se trata de um “jogo de soma zero -- expressão utilizada em relações internacionais para demonstrar que, quando um país perde com determinada ação, outro necessariamente ganha. Como no basquete, não há empate, só vencedores e vencidos. A vertiginosa crise na Ucrânia foge a essa regra. O cabo de guerra entre Rússia e Ocidente é um jogo em que ninguém ganha. Perde a Ucrânia porque ronda o espectro de desmembramento maior do que apenas a própria Crimeia e aflora o ódio subcutâneo entre ucranianos do Oeste e russos, farta matéria-prima para novos conflitos”. 2
  • 3. Troyo acrescenta que “perde a União Europeia que em meio à frágil recuperação econômica, é forçada a se mostrar presente nos países do Leste. Perde a OTAN porque em um tabuleiro em que o antagonista porta armas nucleares na cintura, não pode dar-se ao luxo de cogitar o emprego de forças convencionais, como fez nas crises dos Balcãs nos anos 1990. Perde a ONU, dado o poder de veto da Rússia, seu palco privilegiado -o Conselho de Segurança – porque não adotará resoluções para remediar a crise. Esta, ao contrário da diplomacia multilateral, convida à costura de alianças pontuais -- a "Balança de Poder" -- típica do teatro europeu do século 19”. Marcos Troyjo diz que “perdem os Estados Unidos que terão de reverter tendência à retração de sua política exterior, além de revisar para cima o Orçamento de defesa. Tensões como a Crimeia exigem custosa diplomacia e poder de dissuasão, não aviões (drones) confortavelmente pilotados por controle remoto. Perdem Rússia e seus aliados. Além do isolamento político, caso o impasse se prolongue, a Rússia experimentará deterioração como economia emergente e flertará com o derretimento de sua bolsa. Perdem os nostálgicos da Guerra Fria. A União Soviética não como alternativa. A Rússia não busca reedição de um império. Vela apenas para que a OTAN não finque pé em seu entorno, o chamado "Near Abroad". Moscou tem projeto para si, não uma cosmovisão.”. *Fernando Alcoforado, 74, engenheiro e doutor em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona, professor universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico, planejamento empresarial, planejamento regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos livros Globalização (Editora Nobel, São Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem Mundial (Editora Nobel, São Paulo, 1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000), Os condicionantes do desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de Barcelona, http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento (Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the Economic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller Aktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe Planetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e combate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011) e Os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012), entre outros. 3