Bactériasaula raquel

904 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
904
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bactériasaula raquel

  1. 1. Bactérias Reino Monera Bactérias, cianobactérias e arqueobactérias Professora Raquel Freiry
  2. 2. Dois grandes grupos: • Arqueobactérias – poucas espécies, vivem em locais restritos, como fontes termais, água salgada, pântanos e regiões vulcânicas. • eubactérias:MAIORIA • inclui as bacterias e cianobactérias que possuem pigmentos fotossintetizantes.
  3. 3. Características gerais • Procariontes • Unicelulares Não existe núcleo, nem Organelas ( apenas os ribossomos)
  4. 4. Estrutura de uma bactéria
  5. 5. Estruturas e funções • Cápsula: resistência a bactéria • Flagelo: locomoção • Cílios: locomoção e ponte citoplasmática • Parede celular - proteção • Nucleoide: local onde está o DNA ( não tem núcleo) • Plasmídio: pedaço de DNA da bactéria que serve para trocar com outras bactérias. Genes que dão resistência ao antibiótico ( troca de plasmídios entre bactérias) • Organelas: apenas os ribossomos • Mesossomos: evagionações da membrana plasmática
  6. 6. Características gerais • Reino mais primitivo dentro da biologia São encontradas em todos os ambientes da Terra. • Obtenção de energia: • Autotrófico: fotossíntese ou quimiossíntese A quimiossíntese é uma reação que produz energia química, convertida da energia de ligação dos compostos inorgânicos oxidados.
  7. 7. Características gerais Heterotróficas: • Bactérias decompositoras: reciclagem dos compostos orgânicos • Parasitas: obtêm alimentos prejudicando o hospedeiro • Simbiose/ mutualismo: obtêm alimento sem prejudicar o hospedeiro: ex. vacas e bactérias que digerem a celulose.
  8. 8. Bactérias no nosso corpo
  9. 9. Gram-positivas e Gram-negativas
  10. 10. Diagrama simplificado do envelope celular de bactéria Gram positiva e Gram negativa
  11. 11. Nutrição bacteriana • Autrotróficas: fazem fotossíntese. menos comuns. • Heterotróficas: obtêm seu alimento de fontes orgânicas.
  12. 12. A importância das bactérias • Ação decompositora: decompositoras ou saprófitas, decompõem organismos mortos. Ex.: folhas, frutos caídos, fezes, pele, etc. Matéria orgânica morta Matéria inorgânica simples Aproveitada por outros seres vivos Fundamentais para a manutenção do equilíbrio biológico em todos os ecossistemas da terra.
  13. 13. • Fertilização do solo: além da ação decompositora.... Rhizobium Vivem associadas a raízes de leguminosas Fixam o gás nitrogênio Sais nitrogenados Assimilados pelas Plantas Estabelecem uma relação de mutualismo: um depende do outro – ambos são beneficiados. As plantas cedem substâncias orgânicas as bactérias.
  14. 14. • Digestão da celulose: bactérias que vivem no estômago de ruminantes. • Outro exemplo de mutualismo As bactérias digerem a celulose auxiliando na nutrição destes animais... Bactérias ganham abrigo e alimento.
  15. 15. • Controle biológico: • Combate a espécies daninhas na agricultura. Bacillus thuringiensis A bactéria produz cristais protéicos que vão para o intestino da larva Rompe a parede intestinal. A bactéria invade toda a lagarta e mata.
  16. 16. Formas das Bactérias De acordo com a forma que apresentam, as bactérias são classificadas em: • ESPIRILO: tem forma de espiral; • COCO: tem forma arredondada; • VIBRIÃO: tem forma de vírgula; • BACILO: tem forma de bastão.
  17. 17. COCOS – Chlamydia trachomatis Diplococos
  18. 18. Reprodução das bactérias • Assexuada • Divisão simples ou cissiparidade.
  19. 19. Brotamento
  20. 20. Transformação • Naa transformação, a bactéria absorve moléculas de DNA dispersas no meio e são incorporados à cromatina. Esse DNA pode ser proveniente, por exemplo, de bactérias mortas. Esse processo ocorre espontaneamente na natureza.
  21. 21. Conjugação
  22. 22. Transdução Fago O DNA de um fago penetra na célula de uma bactéria. O DNA do fago integra-se ao DNA da bactéria como um profago. Quando o profago inicia o ciclo lítico, o DNA da bactéria é degradado e novos fagos podem conter algum trecho do DNA da bactéria. A célula bacteriana se rompe e libera muitos fagos, que podem infectar outras células. O fago infecta nova bactéria. Genes de outra bactéria são introduzidos e integrados ao DNA da bactéria hospedeira. DNA do fago com genes da bactéria
  23. 23. O que é a esporulação bacteriana?
  24. 24. • Ação patogênica: Pathos: sofrimento. Podem causar doenças aos seres humanos e em outros seres vivos.
  25. 25. CÓLERA • AGENTE: Vibrio cholerae; • VETOR: homem; • TRANSMISSÃO: V. cholerae penetra no organismo humano por ingestão de água e alimentos contaminados (transmissão fecal-oral). • PREVENÇÃO: higienização dos alimentos, ingerir água tratada, lavar corretamente as mãos etc... • TRATAMENTO: antibióticos e soro enriquecido com sais minerais.
  26. 26. DOENÇAS BACTERIANAS Botulismo • AGENTE ETIOLÓGICO: Clostridium botulinum • TRANSMISSÃO: enlatados, conservas e embalados a vácuo são os mais vulneráveis pois a bactérias se desenvolve em ambientes sem oxigênio; • SINTOMAS: dificuldade para articular palavras ,vômitos e secura na boca e garganta disfagia, dificuldade para engolir ,paralisia respiratória que pode levar à morte,constipação intestinal,retenção de urina e debilidade motora; • TRATAMENTO: Consiste na manutenção das funções vitais e uso de soro antibotulínico. O soro impede que a toxina circulante no sangue se instale no sistema nervoso.
  27. 27. Meningite • Neisseria meningitidis - Infecção das membranas que envolvem o cérebro. • VETOR: Homem • TRANSMISSÃO: se dá pelo contato da saliva ou gotículas de saliva da pessoa doente com os órgãos respiratórios de um indivíduo saudável, levando a bactéria para o sistema circulatório aproximadamente cinco dias após o contágio. Como crianças de até 6 anos de idade ainda não têm seus sistemas imunológicos completamente consolidados, são elas as mais vulneráveis. Idosos e imunodeprimidos também fazem parte do grupo de maior suscetibilidade. • SINTOMAS: Febre alta, fortes dores de cabeça, vômitos, rigidez no pescoço, moleza, irritação, fraqueza e manchas vermelhas na pele .
  28. 28. Leptospirose
  29. 29. Sintomas
  30. 30. Contágio
  31. 31. Tétano
  32. 32. Sintomas e contágio
  33. 33. Doenças sexualmente transmissíveis • Gonorréia
  34. 34. Sífilis Tratamento: antibióticos Possui três períodos: 1 2 3 Complicações Lesões SNC Paralisia Cegueira

×