Coordenadores ceu

202 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
202
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Coordenadores ceu

  1. 1. Qual o sentidoQual o sentido do CEU?do CEU? CEERJ 30 de maio de 2009 Fórum de Coordenadores de CEU
  2. 2. Reflexão aoReflexão ao longo do estudolongo do estudo • O que nos irmana? e • Por que estamos aqui?
  3. 3. AtividadeAtividade anônimaanônima Escreva em poucas linhas (1) o que leva você a trabalhar no CEU e (2) qual o maior problema para a efetivação do CEU Dobre o papel. Reserve-o.
  4. 4. Cenários possíveis para a CECenários possíveis para a CE Cenário 1 = dos espíritas flutuantes • Visitamos a casa espírita de tempos em tempos. • Lembramos de participar de momento de reflexão quando as dificuldades surgem. • Não estamos ligados a tarefas ou casas.
  5. 5. Cenários possíveis para a CECenários possíveis para a CE Cenário 2 = dos espíritas estáveis • Freqüentamos a casa espírita sistematicamente. • Somos ouvintes assíduos dos ensinamentos espíritas. • Não estamos dispostos a fazer nada além de ouvirmos e nos emocionarmos com o ensinamento espírita. • Podemos ser associados da casa espírita
  6. 6. Cenários possíveis para a CECenários possíveis para a CE Cenário 3 = dos espíritas trabalhadores • Passamos pelas duas etapas anteriores. • Freqüentarmos a casa, passamos a contribuir com as atividades. • Desejamos retribuir o conhecimento adquirido. • Abrimos espaço na nossa agenda para a atividade espírita. • Somos associados da Casa Espírita
  7. 7. Cenários possíveis para a CECenários possíveis para a CE Cenário 4 = dos espíritas na liderança • Cumprimos as três etapas anteriores. • Dispomo-nos a contribuir com um pouco mais de nosso tempo, de nossa experiência, etc. • Organizamos as ações diversas da casa espírita e preparamos o caminho para aqueles que estão no cenários anteriores.
  8. 8. Cenários possíveisCenários possíveis para o CEUpara o CEU
  9. 9. Questões para refletir 1Questões para refletir 1 • Por que não estudamos o Espiritismo somente em nossas casas? • Por que não aproveitarmos a tranqüilidade de nosso próprio espaço para estudarmos mais e melhor? • O que o CEU pode fazer que a casa isoladamente não pode?
  10. 10. Questões paraQuestões para refletir 2refletir 2 • Por que precisamos das outras casas? • Não podemos estruturar nossas atividades e atender aqueles que nos procuram isoladamente? • As outras casas possuem histórias muito diferentes da nossa e isso nos faz diferentes e não iguais. Por que devemos considerar essas diferenças?
  11. 11. Questões paraQuestões para refletir 3refletir 3 • Qual a diferença da dinâmica espírita das atividades desenvolvidas: 1. no meu próprio lar 2. na minha casa espírita 3. na região próxima 4. na região mais ampliada 5. no Brasil
  12. 12. Qual o sentido do CEU?Qual o sentido do CEU? Respostas possíveis dentre outrasRespostas possíveis dentre outras • Divulgação do Espiritismo • Troca e aprendizado mútuo • Capacidade de intervenção na sociedade (pena de morte, aborto, etc) • Ações que tratam do coletivo e não de aspectos pontuais • Ações que atendam as “lacunas”
  13. 13. Por que as dificuldades dePor que as dificuldades de efetivação dos CEUS?efetivação dos CEUS? Possíveis causas objetivas:Possíveis causas objetivas: • Pouco tempo disponível • Poucos trabalhadores • Prioridades diferentes • Tendemos a optar pelo nosso espaço mais afetivo (nossa comunidade = pacto de associação) • Temos dificuldade de optar pelas relações racionalmente estruturadas (nossa sociedade = pacto de submissão)
  14. 14. Por que as dificuldades dePor que as dificuldades de efetivação dos CEUS?efetivação dos CEUS? Possíveis causas subjetivas:Possíveis causas subjetivas: • Necessidade de conquistar espaços no CEU • Conflitos por conta das diferenças • Conflitos de legitimidade • Conflitos de tempo escasso
  15. 15. Como mudar?Como mudar? • Considerando verdadeiro que trabalhamos para a divulgação doutrinária para grandes grupos, o que devemos fazer para difundir a idéia do CEU como um espaço que atua como facilitador da Casa Espírita e como realizador de ações que não concorrem com a instituição espírita?
  16. 16. O sentido ...O sentido ... • Todos nós sabemos o sentido de existir do CEU? • Por que servimos? • Como servimos? • A quem servimos? Afinal, o que fazer?Afinal, o que fazer?
  17. 17. • Retome seu papel e proponha umaRetome seu papel e proponha uma solução efetiva para o problemasolução efetiva para o problema que você indicou.que você indicou. Os gafanhotos não têm rei; e, contudo, todos saem e em bandos se repartem. Provérbios 30:27
  18. 18. Reunamo-nos todos, com freqüência, a fim de dirimirmos dificuldades e incompreensões, em encontros de ação cristã, debatendo os nossos serviços e permutando experiências adquiridas no campo da própria realização, com que nos resguardaremos da prepotência do eu e da vaidade de obreiros que se não permitam enganar. A palavra de cada irmão é moeda de valor, que nos merece consideração, a seu turno necessitada de debate e discussão salutar. Não será fácil. Nada é fácil. O fácil de hoje foi o difícil de ontem, será o complexo de amanhã. Quanto adiemos agora, aparecerá, depois, complicado, sob acúmulo dos juros que se capitalizam ao valor não resgatado. Aclimatados à atmosfera do Evangelho, respiremos o ideal da crença... ... E unidos uns aos outros, entre encarnados e com os desencarnados, sigamos. Jesus espera: avancemos! Joanna de Ângelis Os Novos Obreiros do Senhor (Labor em Equipe) in Após a Tempestade, 1974.

×