A Espiritualidade pelo Caminho

601 visualizações

Publicada em

O Homem e o Fenômeno Religioso - Irmã Carmelita - A Espiritualidade Pelo Caminho do Ocidente

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Espiritualidade pelo Caminho

  1. 1. A ESPIRITUALIDADEA ESPIRITUALIDADEPELO CAMINHO DOPELO CAMINHO DOOCIDENTEOCIDENTEL. BoffL. Boff
  2. 2. Espiritualidade: umEspiritualidade: umcaminhocaminhode transformaçãode transformação
  3. 3. Espiritualidade,Espiritualidade,-- caminhos percorridos pelacaminhos percorridos pelahumanidade,humanidade,** OrienteOriente** Ocidente.Ocidente.-- caminhos espirituais grandiososcaminhos espirituais grandiososem sua riqueza interior, diferentes,em sua riqueza interior, diferentes,complementares.complementares.
  4. 4. A partir desses dois tipos deA partir desses dois tipos deexperiência se erigiramexperiência se erigirammajestosos edifíciosmajestosos edifíciosinstitucionais e religiões deinstitucionais e religiões degrande força de atração,grande força de atração,freqüentadas pela grandefreqüentadas pela grandemaioria da humanidade.maioria da humanidade.
  5. 5. AFIRMAÇÕES BÁSICAS:AFIRMAÇÕES BÁSICAS: Existe o caminho da comunhãoExiste o caminho da comunhãocom Deus que inclui o todo.com Deus que inclui o todo. Existe o caminho da comunhãoExiste o caminho da comunhãocom o todo que inclui Deus.com o todo que inclui Deus.
  6. 6. O Oriente e o Ocidente se abraçamO Oriente e o Ocidente se abraçame nos entregam a possibilidade de umae nos entregam a possibilidade de umaexperiência compreensiva eexperiência compreensiva etotalizadora de - Deus,totalizadora de - Deus,- Divino,- Divino,- Mistério.- Mistério.
  7. 7. SANTIDADE, QUAL É A MELHOR RELIGIÃO?SANTIDADE, QUAL É A MELHOR RELIGIÃO?Esperava que dissesse:Esperava que dissesse:““É o budismo tibetano” ou “São as religiõesÉ o budismo tibetano” ou “São as religiõesorientais, muito antigas do que o cristianismo”.orientais, muito antigas do que o cristianismo”.O Dalai-Lama fez uma pausa, deu um sorriso,O Dalai-Lama fez uma pausa, deu um sorriso,me olhou bem nos olhos afirmou:me olhou bem nos olhos afirmou:““A melhor religião é aquela que te faz melhor.”A melhor religião é aquela que te faz melhor.”
  8. 8. Para sair da perplexidade diantePara sair da perplexidade diantede tão sábia resposta, perguntei:de tão sábia resposta, perguntei:““O que me faz melhor?”O que me faz melhor?”E ele respondeu:E ele respondeu:““Aquilo que te faz mais compassivo,Aquilo que te faz mais compassivo,aquilo que te faz mais sensível, maisaquilo que te faz mais sensível, maisdesapegado, mais amoroso, maisdesapegado, mais amoroso, maishumanitário, mais responsável... Ahumanitário, mais responsável... Areligião que conseguir fazer isso de tireligião que conseguir fazer isso de tié a melhor religião.”é a melhor religião.”
  9. 9. Todo o oceano divinoTodo o oceano divinonão cabe no nossonão cabe no nossorecipiente e toda arecipiente e toda agrandiosidade de Deusgrandiosidade de Deusnão se exaure nos nossosnão se exaure nos nossosdiscursos.discursos.
  10. 10. .. “Qual é o meu caminho?”“Qual é o meu caminho?”. “Onde é que desabrocha melhor. “Onde é que desabrocha melhorminha humanidade?”minha humanidade?”. “. “Onde posso ter um encontroOnde posso ter um encontromais radical com Deus e dar a Ele omais radical com Deus e dar a Ele onome da minha reverência?nome da minha reverência?””
  11. 11. ““Onde posso tornar-me um serOnde posso tornar-me um serde irradiação, capaz, junto comde irradiação, capaz, junto comoutros, de crescer em maisoutros, de crescer em maishumanidade, em mais perdão, emhumanidade, em mais perdão, emmais capacidade de inclusão demais capacidade de inclusão detodos, para que ninguém fiquetodos, para que ninguém fiqueexcluído da nossa comunidade e doexcluído da nossa comunidade e donosso amor?”nosso amor?”
  12. 12. ““O caminho do Ocidente foiO caminho do Ocidente foifundamentalmente marcado pelafundamentalmente marcado pelaexperiência judaico-cristã. Ela éexperiência judaico-cristã. Ela écentrada no encontro com Deus, umcentrada no encontro com Deus, umDeus que se revela, dizendo seuDeus que se revela, dizendo seunome, Javé, que significa:nome, Javé, que significa:““Eu sou aquele que estáEu sou aquele que estáplenamente aí, que caminha contigo,plenamente aí, que caminha contigo,te acompanha e com o qual tute acompanha e com o qual tuestabeleces um diálogo.”estabeleces um diálogo.”
  13. 13. . A relação com Deus é pessoal e. A relação com Deus é pessoal edialogal.dialogal.. É um encontro eu-tu, encontro. É um encontro eu-tu, encontroentre desiguais, que pela abertura, aentre desiguais, que pela abertura, aamizade e o amor estabelecemamizade e o amor estabelecemcomunhão.comunhão.
  14. 14.  É no diálogo eu-tu que se forma a identidadeÉ no diálogo eu-tu que se forma a identidadehumana.humana. É a partir do tu que descobrimos nossoÉ a partir do tu que descobrimos nossopróprio eu.próprio eu. É uma experiência amorosa - - - nosÉ uma experiência amorosa - - - nossentimos envolvidos pela realidade divina.sentimos envolvidos pela realidade divina.
  15. 15.  É um encontro na sua totalidade,É um encontro na sua totalidade,porque move a nossa interioridade,porque move a nossa interioridade,levando-nos a cair de joelhos comolevando-nos a cair de joelhos comoMoisés,Moisés, Pedro a chorar,Pedro a chorar, Davi a dançar...Davi a dançar...
  16. 16.  Dialogamos amorosamente comDialogamos amorosamente comDeus e queremos conhecê-lo mais,Deus e queremos conhecê-lo mais,num autêntico processo denum autêntico processo deenamoramento.enamoramento.
  17. 17. Quando nos enamoramos deQuando nos enamoramos deuma pessoa, tudo dela se tornauma pessoa, tudo dela se tornainteressante: * onde nasceu,interessante: * onde nasceu,* como é sua família,* como é sua família,* quem são seus amigos,* quem são seus amigos,* onde estudou, do que gosta.* onde estudou, do que gosta.Cada detalhe adquireCada detalhe adquireimportância e se tornaimportância e se torna sacramental.sacramental.
  18. 18. Por que é nesse encontro quePor que é nesse encontro quecrescemos, nos extasiamos e fazemoscrescemos, nos extasiamos e fazemosa experiência da nossa mais radicala experiência da nossa mais radicalabertura ao outro, a ponto de quererabertura ao outro, a ponto de querersacrificar tudo para estar com ele,sacrificar tudo para estar com ele,unir nosso destino.unir nosso destino.
  19. 19. Por querer unir-nos à pessoaPor querer unir-nos à pessoaamada, trocamos nossos hábitos,amada, trocamos nossos hábitos,aceitamos mil renúncias, nãoaceitamos mil renúncias, nãocontamos o tempo nem medimoscontamos o tempo nem medimosdificuldades, contanto que adificuldades, contanto que aencontremos.encontremos.
  20. 20. Nessa experiência nós nosNessa experiência nós nossentimos radicalmente humanos, esentimos radicalmente humanos, enão conseguimos pensar a felicidadenão conseguimos pensar a felicidadee a eternidade senão comoe a eternidade senão comoprolongamento, de forma infinita,prolongamento, de forma infinita,dessa experiência plena de sentido.dessa experiência plena de sentido.
  21. 21. Só quem tem um encontroSó quem tem um encontroradical de amor com Deusradical de amor com Deusseria capaz de escrever comoseria capaz de escrever comoJoão da Cruz.João da Cruz.““Mostra tua face, tua presença!.”Mostra tua face, tua presença!.”
  22. 22. Tais expressões somente sãoTais expressões somente sãopossíveis numa relação mística depossíveis numa relação mística deeu-tu, onde, por mais que seeu-tu, onde, por mais que seconheça e se ame a pessoa, nuncaconheça e se ame a pessoa, nuncaseu mistério é desvendadoseu mistério é desvendadototalmente.totalmente.
  23. 23. Como tudo está ligado aComo tudo está ligado aDeus, é a partir de Deus queDeus, é a partir de Deus queencontramos o todo.encontramos o todo.
  24. 24.  Deus se espelha noDeus se espelha nouniverso e penetra no coração deuniverso e penetra no coração decada coisa.cada coisa.O universo e cada coisa seO universo e cada coisa seencontram em Deus.encontram em Deus.
  25. 25. Deus e mundo guardam suaDeus e mundo guardam suadiferença, pois um é Criador e o outro édiferença, pois um é Criador e o outro écriatura. Mas eles se inter-penetram ecriatura. Mas eles se inter-penetram ese fazem presentes um ao outro.se fazem presentes um ao outro.
  26. 26. Deus presente em todas as coisasDeus presente em todas as coisase vice-versa, sem nenhumae vice-versa, sem nenhumadistância. Ele está na profundidadedistância. Ele está na profundidadede nosso coração. *de nosso coração. * Nele nósNele nósvivemos,vivemos,* Nele nos movemos,* Nele nos movemos,* Nele nós somos.* Nele nós somos.
  27. 27.  Estamos Nele como dentro do arEstamos Nele como dentro do arque respiramos.que respiramos. E Ele está em nós como nossosE Ele está em nós como nossospulmões vivificados de ar.pulmões vivificados de ar.
  28. 28.  Nunca saímos de Deus, nemNunca saímos de Deus, nemvamos a Deus, porque estamosvamos a Deus, porque estamossempre dentro de Deus.sempre dentro de Deus. A tarefa da fé é descobrir esseA tarefa da fé é descobrir esseDeus que está presente em todas asDeus que está presente em todas ascoisas, mas oculto sob mil sinais.coisas, mas oculto sob mil sinais.
  29. 29. * O universo é um grande* O universo é um grandesacramento. * A matéria ésacramento. * A matéria ésagrada.sagrada.* A natureza é espiritual.* A natureza é espiritual.*** Por quê?*** Por quê?Porque é templo de Deus.Porque é templo de Deus.
  30. 30.  Nosso desafio consisteNosso desafio consisteentão em descobrir comoentão em descobrir comopassar da cabeça, onde está apassar da cabeça, onde está adoutrina sobre Deus, para odoutrina sobre Deus, para ocoração, onde se encontra acoração, onde se encontra arealidade viva de Deus. Deusrealidade viva de Deus. Deusestá em nosso coração.está em nosso coração.
  31. 31. ““Aquele que nós tocamosAquele que nós tocamosque nossos olhos viramque nossos olhos viramque nossos ouvidosque nossos ouvidosouviram, esse nós vosouviram, esse nós voscomunicamos.”comunicamos.”O cristianismo ocidental fez essaO cristianismo ocidental fez essaexperiência espiritual que lheexperiência espiritual que lhepossibilitou sintetizar toda apossibilitou sintetizar toda arealidade em Deus.realidade em Deus.
  32. 32. Essa fé deve ser vigorosaEssa fé deve ser vigorosapara poder ver Deus,para poder ver Deus,realmente, em todas as coisas,realmente, em todas as coisas,mesmo nas maismesmo nas maiscontraditórias.contraditórias.
  33. 33.  Para quem experimenta Deus emPara quem experimenta Deus emtudo, até a “anti-realidade” não setudo, até a “anti-realidade” não seencontra fora de Deus, por maisencontra fora de Deus, por maisescandaloso que isso possa parecer.escandaloso que isso possa parecer.
  34. 34. Temos a ver com espiritualidadeTemos a ver com espiritualidadequandoquando mergulhamos nessamergulhamos nessaprofundidade de nós mesmosprofundidade de nós mesmos eeexperimentamos a realidade como umexperimentamos a realidade como umtodo.todo.
  35. 35. A espiritualidadeA espiritualidade* vive da gratuidade e da* vive da gratuidade e dadisponibilidade,disponibilidade,* vive da capacidade de* vive da capacidade deenternecimentoenternecimento* vive da compaixão,* vive da compaixão,* vive da honradez em face da* vive da honradez em face darealidaderealidade
  36. 36. Quebra a relação de posseQuebra a relação de possedas coisas para estabelecer umadas coisas para estabelecer umarelação de comunhão com asrelação de comunhão com ascoisas.coisas.
  37. 37. Quando estamos no RioQuando estamos no Riode Janeiro, diante do mar e dasde Janeiro, diante do mar e dasondas grandiosas, não vemosondas grandiosas, não vemosapenas o mar, vemos a majestade eapenas o mar, vemos a majestade ea imponência.a imponência.
  38. 38. Quando estamos no alto doQuando estamos no alto doCorcovado, vemos a beleza, maisCorcovado, vemos a beleza, maisdo que a pedra. A pedra, o mar, ado que a pedra. A pedra, o mar, anatureza, tudo tem mensagens,natureza, tudo tem mensagens,tudo nos fala, e nós,tudo nos fala, e nós, se formosse formosespirituais, podemos escutar,espirituais, podemos escutar,sentir esta grandiosidade.sentir esta grandiosidade.
  39. 39. Quando nos vergamos sobreQuando nos vergamos sobreum recém-nascido, nosum recém-nascido, nosenchemos de enternecimento,enchemos de enternecimento,nos deslumbramos com onos deslumbramos com oministério da vida, com o brilhoministério da vida, com o brilhode seu olhar.de seu olhar.
  40. 40. Quando encontramos umaQuando encontramos umapessoa cuja sabedoria independepessoa cuja sabedoria independeda cultura acadêmica, nosda cultura acadêmica, nosenchemos de reverência, deenchemos de reverência, derespeito, e queremos escutá-larespeito, e queremos escutá-laatentamente.atentamente.
  41. 41.  Desenvolver aDesenvolver aespiritualidade é desenvolver aespiritualidade é desenvolver anossa capacidade denossa capacidade decontemplação, de escuta dascontemplação, de escuta dasmensagens e dos valores quemensagens e dos valores queimpregnam o mundo à nossaimpregnam o mundo à nossavolta.volta.
  42. 42.  Nascimento do filhoNascimento do filho crises profundascrises profundas perda de uma pessoa queridaperda de uma pessoa querida Realização de um sonhoRealização de um sonho amizadeamizade Morte ...Morte ... ......
  43. 43.  ““Qual o significado disso tudoQual o significado disso tudopara mim?para mim? Que coisa, que caminho, queQue coisa, que caminho, quedireção essa realidade me querdireção essa realidade me quermostrar?”mostrar?”

×