Em um antigoEm um antigomosteiromosteirobudista,budista,um jovem mongeum jovem mongequestiona o mestre ...questiona o mest...
Mestre, como faço para não me aborrecer?Mestre, como faço para não me aborrecer?Mestre, como faço para não me aborrecer?Me...
Algumas são indiferentes.Algumas são indiferentes.Sinto ódio das que sãoSinto ódio das que sãomentirosas.mentirosas.Sofro ...
-Pois viva como asPois viva como asflores!flores!-- advertiu o mestre.- advertiu o mestre.- Como é viver como as- Como é v...
Repare nas flores, continuou o mestre, apontandoRepare nas flores, continuou o mestre, apontandoos lírios que cresciam no ...
Elas nascem no esterco,Elas nascem no esterco,entretanto, são puras e perfumadas.entretanto, são puras e perfumadas.
Extraem do adubo malcheiroso tudo queExtraem do adubo malcheiroso tudo quelhes é útil e saudável...lhes é útil e saudável....
É justo angustiar-se com as própriasÉ justo angustiar-se com as própriasculpas,culpas,mas não é sábio permitir que os víci...
Os defeitos deles sãoOs defeitos deles sãodeles e não seus.deles e não seus.Se não são seus, não há razão para aborrecimen...
Exercite, pois,Exercite, pois,a virtude de rejeitara virtude de rejeitartodo mal que vemtodo mal que vemde fora.de fora.Is...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As Flores

480 visualizações

Publicada em

O Homem e o Fenômeno Religioso - Irmã Carmelita - As Flores

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

As Flores

  1. 1. Em um antigoEm um antigomosteiromosteirobudista,budista,um jovem mongeum jovem mongequestiona o mestre ...questiona o mestre ...
  2. 2. Mestre, como faço para não me aborrecer?Mestre, como faço para não me aborrecer?Mestre, como faço para não me aborrecer?Mestre, como faço para não me aborrecer?Algumas pessoas falam demais,Algumas pessoas falam demais,outras são ignorantes.outras são ignorantes.
  3. 3. Algumas são indiferentes.Algumas são indiferentes.Sinto ódio das que sãoSinto ódio das que sãomentirosas.mentirosas.Sofro com as que caluniam.Sofro com as que caluniam.
  4. 4. -Pois viva como asPois viva como asflores!flores!-- advertiu o mestre.- advertiu o mestre.- Como é viver como as- Como é viver como asflores? - perguntou oflores? - perguntou odiscípulo.discípulo.
  5. 5. Repare nas flores, continuou o mestre, apontandoRepare nas flores, continuou o mestre, apontandoos lírios que cresciam no jardim.os lírios que cresciam no jardim.
  6. 6. Elas nascem no esterco,Elas nascem no esterco,entretanto, são puras e perfumadas.entretanto, são puras e perfumadas.
  7. 7. Extraem do adubo malcheiroso tudo queExtraem do adubo malcheiroso tudo quelhes é útil e saudável...lhes é útil e saudável......mas não permitem que o azedume da terra...mas não permitem que o azedume da terramanche o frescor de suas pétalas.manche o frescor de suas pétalas.
  8. 8. É justo angustiar-se com as própriasÉ justo angustiar-se com as própriasculpas,culpas,mas não é sábio permitir que os víciosmas não é sábio permitir que os víciosdos outros o importunem.dos outros o importunem.
  9. 9. Os defeitos deles sãoOs defeitos deles sãodeles e não seus.deles e não seus.Se não são seus, não há razão para aborrecimento.Se não são seus, não há razão para aborrecimento.
  10. 10. Exercite, pois,Exercite, pois,a virtude de rejeitara virtude de rejeitartodo mal que vemtodo mal que vemde fora.de fora.Isso é viver comoIsso é viver comoas flores.as flores.    

×