SlideShare uma empresa Scribd logo

Memória1

1 de 2
Baixar para ler offline
Disciplina: Psicologia Ensino Profissional Professora: Isaura Silva
A Memória
O caso de S., o homem que lembrava demais
"Em (1920) veio ao meu laboratório um homem pedindo-me que
testasse sua memória" escreveu Alexander Luria, o eminente médico-psicólogo russo. Naquela época, o
homem (que chamaremos S.) era um repórter de jornal que viera ao meu laboratório por sugestão do redactor-
chefe do jornal. Todas as manhãs o redactor-chefe reunia-se com sua equipa e distribuía incumbências para
todo o dia... A lista de endereços e instruções era em geral bastante longa, e o redactor-chefe notou, com alguma
surpresa, que S. nunca tomava notas. Estava para censurar o repórter pela sua desatenção quando, por ordem
sua, S. repetiu integralmente as instruções palavra por palavra. Curioso para saber melhor como o homem
funcionava, o redactor-chefe começou a interrogar S. a respeito de sua memória. Mas S. retorquia
simplesmente com surpresa. Havia mesmo qualquer coisa de extraordinário no facto de se lembrar de tudo o
que lhe tinha sido dito?"
Luria estudou a memória de S. durante trinta anos e não conseguiu encontrar os seus limites. "As experiências
indicaram que S... não tinha dificuldade em reproduzir longas séries de palavras, quaisquer que fossem, mesmo
que estas lhe tivessem sido originalmente apresentadas uma semana, um mês, um ano ou mesmo muitos anos
antes. Na realidade, algumas dessas experiências que tinham por fim testar sua retenção foram realizados (sem
avisá-lo antes) .quinze ou dezasseis anos após a sessão na qual ele tinha originalmente recordado as
palavras. Mesmo assim, elas
sempre estavam certas..."
Como S. formou tal memória permanente? S. relatou que transformava automaticamente as palavras em
imagens nítidas e estáveis que ele podia ver e, em alguns casos, também degustar, cheirar ou tocar. Nas
palavras de S.: "Geralmente experimento o gosto e o peso de uma palavra, e não tenho de fazer qualquer
esforço para lembrar-me dela — a palavra parece lembrar-se a si mesma... O que sinto é alguma coisa oleosa
escorregando pela minha mão... ou tomo consciência de uma ligeira comichão na minha mão esquerda causada
por uma massa de pontinhos miúdos e leves".
S. não podia "desligar" esse processo de transformação de palavras, e tê-lo "ligado" era, às vezes uma
verdadeira provação. Durante a leitura, as palavras produziam imagens que se amontoavam uma sobre a
outra, camuflando o significado do material. A poderosa memória de S. interferia também com o seu
pensamento. Como sua mente tendia a pular de uma imagem a outra, era muito difícil captar o sentido de
relações complicadas e ideias abstractas. Em última análise, a soberba memória de S. causava tantos
problemas quanto resolvia.
O caso de S. levanta muitas questões sobre a natureza da memória:
Como funciona a memória?
Por que a maioria das pessoa esquece noções triviais que S. recordava?
Qual a causa do esquecimento?
Existem tipos diferentes de armazenamento?
Os seres humanos comuns podem aumentar sua retenção?
Tenta responder às seguintes questões:
1 Identifica o autor do teu manual de Português.
2 Diz qual é a capital do Japão.
3 Indica o nome do teu (tua) professor(a) do 1. ° Ciclo.
4 Diz o que jantaste ontem.
5 Descreve uma situação que te tenha provocado medo.
6 Diz o título do primeiro filme que viste no cinema.
Para responder a este questionário, tiveste que viver as situações, adquirir informações,
conhecimentos, armazená-los e recordá-los.
Em todos os actos da memória estão implicadas três fases ou estádios:
 Aquisição – para recordarmos, é preciso primeiro ter aprendido (pode ir de uma simples
percepção até actividades mais complexas, como escrever). Semaprendizagemnãohá memória.
 Retenção ou armazenamento – a informação é conservada, retida, por períodos mais ou menos
longos, para poder ser utilizada, quando necessário.
 Recordação ou activação – quando precisamos, procuramos recuperar, actualizar a informação
armazenada, para a utilizar na experiência presente.
Podemos definir a memória como um processo cognitivo que compreende a retenção e a recuperação da
informação.
É um sistema aberto em que a informação entra (aquisição), é armazenada (retenção) podendo depois ser
recuperada (recordação).
Recorrendo ao modelo informático, poderíamos apresentar estas três fases como uma sequência:
Saída
(output)
Armazenamento /
Processamento
Entrada
(input)
Voltemos ao questionário inicial: se não respondeste a alguma questão, tenta identificar o motivo. Ou não
adquiriste informação, ou esta não ficou retida, ou o problema é de recuperação, de recordação.
É de notar que, no questionário, reportámo-nos apenas à memória de acontecimentos vividos por ti, ou de
conhecimentos gerais que aprendeste. Contudo, há uma memória do saber-fazer que se refere ao conhecimento
do funcionamento dos objectos: abriste o caderno, aguçaste o lápis, usaste a borracha para apagar uma resposta,
etc.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Teste formativo 2 de psicologia B
Teste formativo 2 de psicologia BTeste formativo 2 de psicologia B
Teste formativo 2 de psicologia BSilvia Revez
 
Processos cognitivos a inteligência
Processos cognitivos  a inteligênciaProcessos cognitivos  a inteligência
Processos cognitivos a inteligênciapsicologiaazambuja
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974Jorge Almeida
 
Processos cognitivos o pensamento
Processos cognitivos  o pensamentoProcessos cognitivos  o pensamento
Processos cognitivos o pensamentopsicologiaazambuja
 
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionaisInteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionaisCatarinaNeivas
 
Processos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoProcessos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoJorge Barbosa
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974Jorge Almeida
 
O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974diuguitofelgas
 

Destaque (12)

Life span piaget
Life span piagetLife span piaget
Life span piaget
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Teste formativo 2 de psicologia B
Teste formativo 2 de psicologia BTeste formativo 2 de psicologia B
Teste formativo 2 de psicologia B
 
Processos cognitivos a inteligência
Processos cognitivos  a inteligênciaProcessos cognitivos  a inteligência
Processos cognitivos a inteligência
 
Desenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescênciaDesenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescência
 
A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974
 
Processos cognitivos o pensamento
Processos cognitivos  o pensamentoProcessos cognitivos  o pensamento
Processos cognitivos o pensamento
 
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionaisInteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
 
Processos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoProcessos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - Resumo
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974
 
O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974
 

Semelhante a Memória1

Tipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoriaTipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoriaMarcelo Anjos
 
Txt 1 enigmas e verossimilhanca
Txt 1 enigmas e verossimilhancaTxt 1 enigmas e verossimilhanca
Txt 1 enigmas e verossimilhancaAndré Peron
 
04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdf
04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdf04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdf
04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdfGraziellyMartins4
 
Neuro pp. slides 6. 1 dificuldades na linguagem
Neuro pp. slides  6. 1 dificuldades na linguagemNeuro pp. slides  6. 1 dificuldades na linguagem
Neuro pp. slides 6. 1 dificuldades na linguagemRosane Jeronymo
 
A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010
A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010
A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010Smar Brasil
 
História, Arte e Criatividade
História, Arte e CriatividadeHistória, Arte e Criatividade
História, Arte e CriatividadeJoão Lima
 
Pilates para o cérebro
Pilates para o cérebroPilates para o cérebro
Pilates para o cérebroluci96
 
Mensagem de um mestre john mc donald
Mensagem de um mestre   john mc donaldMensagem de um mestre   john mc donald
Mensagem de um mestre john mc donaldCarlos Junior
 
Beume março14
Beume março14Beume março14
Beume março14Ume Maria
 
Beume março14
Beume março14Beume março14
Beume março14Ume Maria
 
Beume março14
Beume março14Beume março14
Beume março14Ume Maria
 
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2Gladis Nunes
 

Semelhante a Memória1 (20)

Tipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoriaTipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoria
 
ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)
 
A memoria
A memoriaA memoria
A memoria
 
LEITURA
LEITURALEITURA
LEITURA
 
Txt 1 enigmas e verossimilhanca
Txt 1 enigmas e verossimilhancaTxt 1 enigmas e verossimilhanca
Txt 1 enigmas e verossimilhanca
 
Pilates
PilatesPilates
Pilates
 
Texto para reflexão
Texto para reflexãoTexto para reflexão
Texto para reflexão
 
04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdf
04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdf04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdf
04_03_2013_13.15.34.1eb3c31ae2821cdc87add10ade19440a (1).pdf
 
Neuro pp. slides 6. 1 dificuldades na linguagem
Neuro pp. slides  6. 1 dificuldades na linguagemNeuro pp. slides  6. 1 dificuldades na linguagem
Neuro pp. slides 6. 1 dificuldades na linguagem
 
A ultima resposta
A ultima respostaA ultima resposta
A ultima resposta
 
O jogo do cérebro
O jogo do cérebroO jogo do cérebro
O jogo do cérebro
 
A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010
A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010
A Arte de Ler (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Futuro 2010
 
História, Arte e Criatividade
História, Arte e CriatividadeHistória, Arte e Criatividade
História, Arte e Criatividade
 
Curso de memorizacao
Curso de memorizacaoCurso de memorizacao
Curso de memorizacao
 
Pilates para o cérebro
Pilates para o cérebroPilates para o cérebro
Pilates para o cérebro
 
Mensagem de um mestre john mc donald
Mensagem de um mestre   john mc donaldMensagem de um mestre   john mc donald
Mensagem de um mestre john mc donald
 
Beume março14
Beume março14Beume março14
Beume março14
 
Beume março14
Beume março14Beume março14
Beume março14
 
Beume março14
Beume março14Beume março14
Beume março14
 
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
 

Mais de psicologiaazambuja

Mais de psicologiaazambuja (15)

O esquecimento
O esquecimentoO esquecimento
O esquecimento
 
A memória
A memóriaA memória
A memória
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
 
Desenvolvimento velhice
Desenvolvimento velhiceDesenvolvimento velhice
Desenvolvimento velhice
 
Desenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adultaDesenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adulta
 
Desenvolvimento infância
Desenvolvimento infânciaDesenvolvimento infância
Desenvolvimento infância
 
Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
 
Donald super e o desenvolvimento profissional
Donald super e o desenvolvimento profissionalDonald super e o desenvolvimento profissional
Donald super e o desenvolvimento profissional
 
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialErikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
 
Freud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimentoFreud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimento
 
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
 
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamentoIntegração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
 
Resgate do conceito de mente
Resgate do conceito de menteResgate do conceito de mente
Resgate do conceito de mente
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
O que é a psicologia
O que é a psicologiaO que é a psicologia
O que é a psicologia
 

Último

Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024excellenceeducaciona
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 

Memória1

  • 1. Disciplina: Psicologia Ensino Profissional Professora: Isaura Silva A Memória O caso de S., o homem que lembrava demais "Em (1920) veio ao meu laboratório um homem pedindo-me que testasse sua memória" escreveu Alexander Luria, o eminente médico-psicólogo russo. Naquela época, o homem (que chamaremos S.) era um repórter de jornal que viera ao meu laboratório por sugestão do redactor- chefe do jornal. Todas as manhãs o redactor-chefe reunia-se com sua equipa e distribuía incumbências para todo o dia... A lista de endereços e instruções era em geral bastante longa, e o redactor-chefe notou, com alguma surpresa, que S. nunca tomava notas. Estava para censurar o repórter pela sua desatenção quando, por ordem sua, S. repetiu integralmente as instruções palavra por palavra. Curioso para saber melhor como o homem funcionava, o redactor-chefe começou a interrogar S. a respeito de sua memória. Mas S. retorquia simplesmente com surpresa. Havia mesmo qualquer coisa de extraordinário no facto de se lembrar de tudo o que lhe tinha sido dito?" Luria estudou a memória de S. durante trinta anos e não conseguiu encontrar os seus limites. "As experiências indicaram que S... não tinha dificuldade em reproduzir longas séries de palavras, quaisquer que fossem, mesmo que estas lhe tivessem sido originalmente apresentadas uma semana, um mês, um ano ou mesmo muitos anos antes. Na realidade, algumas dessas experiências que tinham por fim testar sua retenção foram realizados (sem avisá-lo antes) .quinze ou dezasseis anos após a sessão na qual ele tinha originalmente recordado as palavras. Mesmo assim, elas sempre estavam certas..." Como S. formou tal memória permanente? S. relatou que transformava automaticamente as palavras em imagens nítidas e estáveis que ele podia ver e, em alguns casos, também degustar, cheirar ou tocar. Nas palavras de S.: "Geralmente experimento o gosto e o peso de uma palavra, e não tenho de fazer qualquer esforço para lembrar-me dela — a palavra parece lembrar-se a si mesma... O que sinto é alguma coisa oleosa escorregando pela minha mão... ou tomo consciência de uma ligeira comichão na minha mão esquerda causada por uma massa de pontinhos miúdos e leves". S. não podia "desligar" esse processo de transformação de palavras, e tê-lo "ligado" era, às vezes uma verdadeira provação. Durante a leitura, as palavras produziam imagens que se amontoavam uma sobre a outra, camuflando o significado do material. A poderosa memória de S. interferia também com o seu pensamento. Como sua mente tendia a pular de uma imagem a outra, era muito difícil captar o sentido de relações complicadas e ideias abstractas. Em última análise, a soberba memória de S. causava tantos problemas quanto resolvia. O caso de S. levanta muitas questões sobre a natureza da memória: Como funciona a memória? Por que a maioria das pessoa esquece noções triviais que S. recordava? Qual a causa do esquecimento? Existem tipos diferentes de armazenamento? Os seres humanos comuns podem aumentar sua retenção?
  • 2. Tenta responder às seguintes questões: 1 Identifica o autor do teu manual de Português. 2 Diz qual é a capital do Japão. 3 Indica o nome do teu (tua) professor(a) do 1. ° Ciclo. 4 Diz o que jantaste ontem. 5 Descreve uma situação que te tenha provocado medo. 6 Diz o título do primeiro filme que viste no cinema. Para responder a este questionário, tiveste que viver as situações, adquirir informações, conhecimentos, armazená-los e recordá-los. Em todos os actos da memória estão implicadas três fases ou estádios:  Aquisição – para recordarmos, é preciso primeiro ter aprendido (pode ir de uma simples percepção até actividades mais complexas, como escrever). Semaprendizagemnãohá memória.  Retenção ou armazenamento – a informação é conservada, retida, por períodos mais ou menos longos, para poder ser utilizada, quando necessário.  Recordação ou activação – quando precisamos, procuramos recuperar, actualizar a informação armazenada, para a utilizar na experiência presente. Podemos definir a memória como um processo cognitivo que compreende a retenção e a recuperação da informação. É um sistema aberto em que a informação entra (aquisição), é armazenada (retenção) podendo depois ser recuperada (recordação). Recorrendo ao modelo informático, poderíamos apresentar estas três fases como uma sequência: Saída (output) Armazenamento / Processamento Entrada (input) Voltemos ao questionário inicial: se não respondeste a alguma questão, tenta identificar o motivo. Ou não adquiriste informação, ou esta não ficou retida, ou o problema é de recuperação, de recordação. É de notar que, no questionário, reportámo-nos apenas à memória de acontecimentos vividos por ti, ou de conhecimentos gerais que aprendeste. Contudo, há uma memória do saber-fazer que se refere ao conhecimento do funcionamento dos objectos: abriste o caderno, aguçaste o lápis, usaste a borracha para apagar uma resposta, etc.