COMO PUBLICAR UM ARTIGO      CIENTÍFICO?        Paolo Salvalaggio      São Paulo, 16 de março de 2013
• Idéia• Experimento• Escrita• Submissão• Aceitação• publicação
“Maioria dos profissionais da saúde são curiosos quando sedeparam com problemas diários,    mas nem todos serão ou   preci...
-profissionais da saúde:       RESPOSTA      -cientistas:      PERGUNTA
DISCLOSURE• Não vamos ensinar a fazer pesquisa ou  formar pesquisadores em poucos minutos• Processo de treinamento de  cie...
AGENDA• Idéia, início, etapas da pesquisa e escrita• Escolha revista• Normas e submissão• Peer review process• Correspondê...
DA IDÉIA AO INÍCIO DA PESQUISA(Planejamento e projeto de pesquisa)• Observa fenômeno• Revisão da literatura (RL)• Qual PER...
Observação• curiosidade• impressão• Acaso• Confrontar com conhecimento existente
Pergunta• Dividir o problema• Foco• Permitir isolar todas as outras variáveis quepodem influenciar esta pergunta• PARTE CR...
Pergunta4 Partes de uma pergunta•P –Paciente e problema•I –Intervenção (tratamento, teste,prognóstico, etiologia, etc.)•C ...
Elaboração da hipótese• Possível resposta a sua pergunta• Não precisa estar certo• A ser testado através da experimentação...
Verificação da hipótese• experimento controlado• Comparar com algo (grupo controle)• Procura resposta a uma (ou poucas)  p...
O MÉTODO E PARTES DE UM TRABALHOINTRODUÇÃO- Revisão da literatura- Racional ou justificativa- objetivosMATERIAIS E MÉTODOS...
ANTIGAMENTE RL…
PUBMED
• Revisões de experts• Atualizadas• “curtas”• Medicina Geral
Partes do trabalho Científico• Título• Resumo/Abstract• Introdução• Métodos• Resultados• Discussão• Referências bibliográf...
A primeira página• Título• Autores, titulação e afiliações• Autor para correspondência• Palavras-chave e contagem de palav...
A proposal to grade the severity of early allograft dysfunctionafter liver transplantationAuthors: Paolo R. Salvalaggio, M...
Título• Estilos variados• Curto, claro e chamativo!!!• TODO MUNDO LÊ (as vezes só lêem isto!!!)• Tem que ter tema• O que s...
Resumo• Claro e dentro das normas• Tem que ler, entender e ficar interessado• As vezes só lê até aqui!!!• Introdução/Racio...
Introdução (O que)• geral para o específico: 1-2 PGS• O que se sabe e não se sabe?Define o problema=REVISÃO DA  LITERATURA...
Introdução (O que)• Por que é importante que se responda?  RACIONAL OU JUSTIFICATIVA• QUAL A HIPÓTESE A SER TESTADA?• Qual...
Objetivo=Pergunta• O QUE VOCE QUER FAZER?• O QUE QUER TESTAR?• O QUE QUER RESPONDER?PRECISA SER RESPONDIDODESEJA OBTER RES...
Método (COMO?)• Material e métodos ou pacientes e  métodos: 1-3pgs• Normas que se seguiram e  aprovações comites• Document...
Método (COMO?)• Tipo de estudo• Onde e quando se fez estudo?• Como se obtiveram os dados?• Materiais e maquinários:  “ingr...
Método (DESENHO EXPERIMENTAL)• Grupos e controles (números)• População (inclusão e exclusão)• Variáveis (chave ou principa...
Resultados• O que foi achado?• Contar uma história ao descrever as  figuras• Provar o mesmo ponto mais de uma vez• Sequenc...
QUALIDADE DE TRABALHO• Método rigoroso• Pergunta relevante, inovadora, importante• Resultados convincentes
Discussão• 3-4 pgs: mais longa, complexa• Reitera o racional e a pergunta• Discute os achados do trabalho:  INTERPRETAR OS...
Discussão• Um parágrafo para cada achado  importante• Do mais importante para o menos• Quais seriam os próximos estudos?• ...
Conclusão• Separada ou parte da discussão• RESPONDE OBJETIVO• O que o leitor tem que gravar!!!• “Take home message”• Semel...
Sequencia de escrita• Método (Desenho do experimento)• Introdução• Figuras: Tabelas/Gráficos• Discussão e conclusões• Resu...
ERROS MAIS COMUNS• Sem planejamento=projeto de pesquisa• Objetivo sem racional• Pergunta não relevante• Método- tipo de es...
ERROS MAIS COMUNS- Método- sem controle- sem estatística• Resultados não respondem a pergunta: má  interpretação• Conclusã...
AGENDA• Idéia, início, etapas da pesquisa e escrita• Escolha revista• Normas e submissão• Peer review process• Correspondê...
ESCOLHA DA REVISTA• Língua inglesa• Contatos internos• resultados• Tipo de artigo que publicam• Fator de impacto
ESCOLHA DA REVISTATipo de artigo que publicam•Ler missão revista•Dar uma olhada no que se publicou sobresuas palavras-chav...
Fator de impacto• Instituto americano• Ranking anual por especialidade• QTO>FI …. Melhor!!!• Leva em conta:- Consequente r...
Fator de impacto• CAPES/CNPQ, FI>1• Revista Einstein• Clinics=2.5• Ranking de Cirurgia=Ann Surg, AJT, Neuros• Ranking de T...
Escolhi revistas alvo e agora?• Lista para escolha autores e público – foco  no FI• Prepare carta de rosto• Colha assinatu...
Escolhi revistas alvo e agora?• Crie log in e senha• Check-list• Site: ver normas e edite seu texto de  acordo• Revise fig...
Para que servem as normas?•    “para que haja um padrão entre os    trabalhos, que facilite revisão, comparação    e publi...
… A preocupação em seguir asnormas não deve suplantar oconteúdo do trabalho…
…Trabalho mau feito dentro dasnormas ainda é ruim….Trabalho bem feito fora das normasé facilmente ajustávelQUALIDADE DE PE...
Erros Comuns…• Diz que não sabe escrever pq não  conhece as normas• Evitar uso de software, editor de  texto e serviços es...
ABNT- CITAÇÕES• NBR 10520• Menção no corpo do texto de informação  extraída de outra fonte• AUTOR-DATA: refs em ordem alfa...
Vancouver•   elaborado pelo CMT internacional de    editores de revistas médicas (ICMJE) e    baseado no padrão da US Nati...
TRANSPLANTATION    normas
PEER REVIEW PROCESS• Como funciona corpo editorial da revista• Editor pode descartar já de cara pelo tema,  relevancia ou ...
PEER REVIEW PROCESS• Qdo numero de revisores acertado-tempo  habil pra revisar: semanas• Qdo revisores entregam pareceres,...
SUBMISSÃO• Maioria online• Preencher campos• Upload documentos e texto• Escolher palavras-chave: determinar  revisores• Su...
TRANSPLANTATION    submissão
CORRESPONDÊNCIA• Durante peer review process autores podem  (e devem) acompanhar andamento do  processo• Podem corresponde...
CARTA RESPOSTA• ACEITO• REJEITO• ACEITO, MAS COM MODIFICAÇÕES
TRANSPLANTATION      cartas
APOS CARTA: RE-SUBMISSÃO• Carta de rosto e resposta ponto-a-ponto  com as modificações• Re-submete para outra revista apro...
POS-ACEITAÇÃO: PROOF• Escritorio da revista manda artigo  diagramado e editado• Corrigir ingles, referencias, tabelas,  le...
PUBLICAÇÃO• Pesquisa nunca está acabado• Novas perguntas• Novas hipóteses• Novo trabalho• Re-começa todo processo até nova...
• Idéia• Experimento• Escrita• Submissão• Aceitação• publicação
CONCLUSÔES• Ideia, inicio, etapas da pesquisa e escrita• Escolha revista: FI• Normas e submissão-conhecer o processo• Peer...
salvalaggio@einstein.br    (11) 96665-6620    (11) 98546-6620
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Aulaposdoaçâoetx16 mar2013
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aulaposdoaçâoetx16 mar2013

234 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
234
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Overall center follow-up reporting often inadequate -> reliance on select reports Single center studies - limited by power, bias from subject loss-to-follow-up
  • Aulaposdoaçâoetx16 mar2013

    1. 1. COMO PUBLICAR UM ARTIGO CIENTÍFICO? Paolo Salvalaggio São Paulo, 16 de março de 2013
    2. 2. • Idéia• Experimento• Escrita• Submissão• Aceitação• publicação
    3. 3. “Maioria dos profissionais da saúde são curiosos quando sedeparam com problemas diários, mas nem todos serão ou precisam ser cientistas…”
    4. 4. -profissionais da saúde: RESPOSTA -cientistas: PERGUNTA
    5. 5. DISCLOSURE• Não vamos ensinar a fazer pesquisa ou formar pesquisadores em poucos minutos• Processo de treinamento de cientista=formação de doutores (teórico- prático)• Aprende fazendo…
    6. 6. AGENDA• Idéia, início, etapas da pesquisa e escrita• Escolha revista• Normas e submissão• Peer review process• Correspondência• Aceitação e re-submissão• publicação
    7. 7. DA IDÉIA AO INÍCIO DA PESQUISA(Planejamento e projeto de pesquisa)• Observa fenômeno• Revisão da literatura (RL)• Qual PERGUNTA RELEVANTE ainda não foi totalmente respondida?• Baseado no conhecimento vigente e na observação: HIPÓTESE• Testar hípótese: Desenho da pesquisa
    8. 8. Observação• curiosidade• impressão• Acaso• Confrontar com conhecimento existente
    9. 9. Pergunta• Dividir o problema• Foco• Permitir isolar todas as outras variáveis quepodem influenciar esta pergunta• PARTE CRUCIAL DO TRABALHO CIENTÍFICO
    10. 10. Pergunta4 Partes de uma pergunta•P –Paciente e problema•I –Intervenção (tratamento, teste,prognóstico, etiologia, etc.)•C –Comparação•O –Outcome (desfecho ou resultado)
    11. 11. Elaboração da hipótese• Possível resposta a sua pergunta• Não precisa estar certo• A ser testado através da experimentação proposta• Baseado no conhecimento e observação
    12. 12. Verificação da hipótese• experimento controlado• Comparar com algo (grupo controle)• Procura resposta a uma (ou poucas) perguntas
    13. 13. O MÉTODO E PARTES DE UM TRABALHOINTRODUÇÃO- Revisão da literatura- Racional ou justificativa- objetivosMATERIAIS E MÉTODOSRESULTADOSDISCUSSÃOCONCLUSÕES
    14. 14. ANTIGAMENTE RL…
    15. 15. PUBMED
    16. 16. • Revisões de experts• Atualizadas• “curtas”• Medicina Geral
    17. 17. Partes do trabalho Científico• Título• Resumo/Abstract• Introdução• Métodos• Resultados• Discussão• Referências bibliográficas
    18. 18. A primeira página• Título• Autores, titulação e afiliações• Autor para correspondência• Palavras-chave e contagem de palavras• abreviações
    19. 19. A proposal to grade the severity of early allograft dysfunctionafter liver transplantationAuthors: Paolo R. Salvalaggio, MD, PhD1; Guilherme E. Felga, MD1; Rogerio C. Afonso,MD1; Ben-Hur Ferraz-Neto, MD, PhD1.Affiliations: 1Liver Transplantation Unit, Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo,Brazil.Keywords: early allograft dysfunction, complications, re-transplantation, survival, livertransplantation.Word-count: Text: 2994 words (24 pages, 3 tables, 2 Figures-not colored.). Abstract: 237 words.Corresponding author and contact for information:Paolo Salvalaggio, MD, PhDLiver Transplant UnitAv Albert Einstein, 627, room 401, building A1São Paulo, SP, Brazil, 05652-900phone: 55-11-2151-1381email: salvalaggio@einstein.br
    20. 20. Título• Estilos variados• Curto, claro e chamativo!!!• TODO MUNDO LÊ (as vezes só lêem isto!!!)• Tem que ter tema• O que se propõe: ou pergunta ou resposta• Pista sobre tipo de estudo
    21. 21. Resumo• Claro e dentro das normas• Tem que ler, entender e ficar interessado• As vezes só lê até aqui!!!• Introdução/Racional; objetivos, método, resultados e conclusões• Principal parte: RESULTADOS
    22. 22. Introdução (O que)• geral para o específico: 1-2 PGS• O que se sabe e não se sabe?Define o problema=REVISÃO DA LITERATURA• QUAL A OBSERVAÇÃO QUE GEROU A PERGUNTA
    23. 23. Introdução (O que)• Por que é importante que se responda? RACIONAL OU JUSTIFICATIVA• QUAL A HIPÓTESE A SER TESTADA?• Qual a pergunta a ser respondida? =OBJETIVO (última linha, sentença ou parágrafo)
    24. 24. Objetivo=Pergunta• O QUE VOCE QUER FAZER?• O QUE QUER TESTAR?• O QUE QUER RESPONDER?PRECISA SER RESPONDIDODESEJA OBTER RESPOSTANOVO, CRIATIVO, IMPORTANTE, RELEVANTEADICIONA AO CONHECIMENTO VIGENTE
    25. 25. Método (COMO?)• Material e métodos ou pacientes e métodos: 1-3pgs• Normas que se seguiram e aprovações comites• Documentos e consentimentos
    26. 26. Método (COMO?)• Tipo de estudo• Onde e quando se fez estudo?• Como se obtiveram os dados?• Materiais e maquinários: “ingredientes”
    27. 27. Método (DESENHO EXPERIMENTAL)• Grupos e controles (números)• População (inclusão e exclusão)• Variáveis (chave ou principal e secundárias)• estatística
    28. 28. Resultados• O que foi achado?• Contar uma história ao descrever as figuras• Provar o mesmo ponto mais de uma vez• Sequencia lógica de achados de um experimento que gerou nova pergunta e outros achados
    29. 29. QUALIDADE DE TRABALHO• Método rigoroso• Pergunta relevante, inovadora, importante• Resultados convincentes
    30. 30. Discussão• 3-4 pgs: mais longa, complexa• Reitera o racional e a pergunta• Discute os achados do trabalho: INTERPRETAR OS DADOS!!!
    31. 31. Discussão• Um parágrafo para cada achado importante• Do mais importante para o menos• Quais seriam os próximos estudos?• Quais as deficiência/limitações?• Qual aplicabilidade?
    32. 32. Conclusão• Separada ou parte da discussão• RESPONDE OBJETIVO• O que o leitor tem que gravar!!!• “Take home message”• Semelhante as conclusões do resumo
    33. 33. Sequencia de escrita• Método (Desenho do experimento)• Introdução• Figuras: Tabelas/Gráficos• Discussão e conclusões• Resultados (revisa figuras e discussão)• Resumo e primeira página• Título
    34. 34. ERROS MAIS COMUNS• Sem planejamento=projeto de pesquisa• Objetivo sem racional• Pergunta não relevante• Método- tipo de estudo errado pra responder pergunta- n errado
    35. 35. ERROS MAIS COMUNS- Método- sem controle- sem estatística• Resultados não respondem a pergunta: má interpretação• Conclusão diferente dos resultados ou do objetivo
    36. 36. AGENDA• Idéia, início, etapas da pesquisa e escrita• Escolha revista• Normas e submissão• Peer review process• Correspondência• Aceitação e re-submissão• publicação
    37. 37. ESCOLHA DA REVISTA• Língua inglesa• Contatos internos• resultados• Tipo de artigo que publicam• Fator de impacto
    38. 38. ESCOLHA DA REVISTATipo de artigo que publicam•Ler missão revista•Dar uma olhada no que se publicou sobresuas palavras-chave•Que grupos publicam ali?•Cuidar com revistas de sociedades•Procurar genéricas e de váriasespecialidades
    39. 39. Fator de impacto• Instituto americano• Ranking anual por especialidade• QTO>FI …. Melhor!!!• Leva em conta:- Consequente rigor da revista/dificuldade- Citações- Numero de tiragem/leitores
    40. 40. Fator de impacto• CAPES/CNPQ, FI>1• Revista Einstein• Clinics=2.5• Ranking de Cirurgia=Ann Surg, AJT, Neuros• Ranking de Tx=AJT, LT, Transplantation• Ciencia basica: Cell, Nature, Science• Ciencias clinicas: JAMA, NEJM, Lancet
    41. 41. Escolhi revistas alvo e agora?• Lista para escolha autores e público – foco no FI• Prepare carta de rosto• Colha assinaturas dos autores• Preencha documentos
    42. 42. Escolhi revistas alvo e agora?• Crie log in e senha• Check-list• Site: ver normas e edite seu texto de acordo• Revise figuras/legendas/referencias para normas
    43. 43. Para que servem as normas?• “para que haja um padrão entre os trabalhos, que facilite revisão, comparação e publicação dos trabalhos…”• Para boa apresentação e leitura
    44. 44. … A preocupação em seguir asnormas não deve suplantar oconteúdo do trabalho…
    45. 45. …Trabalho mau feito dentro dasnormas ainda é ruim….Trabalho bem feito fora das normasé facilmente ajustávelQUALIDADE DE PESQUISAINDEPENDE DAS NORMAS….
    46. 46. Erros Comuns…• Diz que não sabe escrever pq não conhece as normas• Evitar uso de software, editor de texto e serviços especializadosCALMA!!! Se souber metodologia o trabalho sai e as normas serão ajustadas…
    47. 47. ABNT- CITAÇÕES• NBR 10520• Menção no corpo do texto de informação extraída de outra fonte• AUTOR-DATA: refs em ordem alfabética• NUMÉRICO: refs em ordem consecutiva em parenteses ou sobretexto
    48. 48. Vancouver• elaborado pelo CMT internacional de editores de revistas médicas (ICMJE) e baseado no padrão da US National Library of Medicine (NLM)• 2009• Padrão para grande número de publicações
    49. 49. TRANSPLANTATION normas
    50. 50. PEER REVIEW PROCESS• Como funciona corpo editorial da revista• Editor pode descartar já de cara pelo tema, relevancia ou foco da revista• Editores ou editores associados convidam revisores: 2-5• Quem são os Ad-hoc reviewers• Revisores tem prazo curto pra aceitar, negar ou indicar outro para o convite
    51. 51. PEER REVIEW PROCESS• Qdo numero de revisores acertado-tempo habil pra revisar: semanas• Qdo revisores entregam pareceres, editor decide sobre destino do artigo: baseia-se nos pareceres, concorrencia, relevancia do tema e tipo/solidez dos achados• Elabora carta e envia notificação ao autor correspondente do grupo de pesquisadores• Processo 2-12 semanas até carta dependendo da revista, editor, revisores
    52. 52. SUBMISSÃO• Maioria online• Preencher campos• Upload documentos e texto• Escolher palavras-chave: determinar revisores• Sugerir revisores e quem não deve revisar
    53. 53. TRANSPLANTATION submissão
    54. 54. CORRESPONDÊNCIA• Durante peer review process autores podem (e devem) acompanhar andamento do processo• Podem corresponder com o conselho editorial da revista (Secretaria)• Isto pode abreviar o processo
    55. 55. CARTA RESPOSTA• ACEITO• REJEITO• ACEITO, MAS COM MODIFICAÇÕES
    56. 56. TRANSPLANTATION cartas
    57. 57. APOS CARTA: RE-SUBMISSÃO• Carta de rosto e resposta ponto-a-ponto com as modificações• Re-submete para outra revista aproveitando as sugestões e críticas dos revisores
    58. 58. POS-ACEITAÇÃO: PROOF• Escritorio da revista manda artigo diagramado e editado• Corrigir ingles, referencias, tabelas, legendas• incluir detalhes que forem pedidos
    59. 59. PUBLICAÇÃO• Pesquisa nunca está acabado• Novas perguntas• Novas hipóteses• Novo trabalho• Re-começa todo processo até nova publicação
    60. 60. • Idéia• Experimento• Escrita• Submissão• Aceitação• publicação
    61. 61. CONCLUSÔES• Ideia, inicio, etapas da pesquisa e escrita• Escolha revista: FI• Normas e submissão-conhecer o processo• Peer review process- como funciona e como corresponder• Aceitação e re-submissão• PUBLICAÇÃO - Fecha um artigo e começa/continua/termina o próximo
    62. 62. salvalaggio@einstein.br (11) 96665-6620 (11) 98546-6620

    ×