SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Introdução 
• Princípio derivado da autonomia; 
• Confidencialidade das suas informações; 
• Profissionais e administradores; 
• “Ser” autônomo; 
• Dever ético e legal; 
• Sigilo médico.
Juramento de Hipócrates 
• Mais respeitados dos documentos ( 460 a.C); 
• Ampla proteção ao segredo médico; 
[...] Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão 
e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não 
seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto.” 
• Preceitos que permanecem até hoje.
• No Brasil  Código penal de 1890; 
Histórico 
Art. 192. Revelar qualquer pessoa o segredo de que tiver 
notícia ou conhecimento, em razão de officio (sic), emprego ou 
profissão: Penas – de prisão cellular (sic) por um a três mezes 
(sic), e suspensão do officio (sic), emprego ou profissão, por 
seis meses a um anno (sic). 
• Século XIX  Primeiros códigos deontológicos 
• Século XX  mantido código anterior; 
• Declaração dos direitos humanos;
Segredo Profissional 
“ Dever ético que impede a revelação de assuntos profissionais 
confidenciais ligados à profissão.” 
• Informações transmitidas pelos responsáveis; 
• Profissionais envolvidos em práticas sanitárias; 
• Obrigação ético-legal; 
• Confidencialidade como pressuposto da relação clínica. 
( Aurélio, 2006)
Segredo Profissional 
EQUIPE MULTIDISCIPLINAR 
• Utilização de locais coletivos; 
• Diferentes profissionais; 
• Informações compartilhadas; 
• Nova abordagem de segredo profissional; 
• Compartilhar apenas informações necessárias; 
• Sigilo estudantil.
Segredo Profissional 
SEGREDO E ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇO DE SAÚDE 
• Obrigação da administração dos serviços; 
• Confidencialidade das informações dos Serviços de Arquivos Médico e 
Estatística (SAMEs); 
• Cópia de prontuários; 
• Auditores e peritos; 
• Consulta no próprio estabelecimento; 
• Entrega de prontuários ao poder judiciário; 
• Uso do Codificação da Classificação Internacional de Doenças (CID).
Código de Ética Odontológico 
Capítulo VI – Do Sigilo Profissional 
Art. 10 Constitui infração ética: 
I- revelar, sem justa causa, fato sigiloso de que tenha conhecimento em razão do 
exercício de sua profissão; 
II- negligenciar na orientação de seus colaboradores quanto ao sigilo profissional; 
III- fazer referência a casos clínicos identificáveis, exibir pacientes ou seus retratos em 
anúncios profissionais ou na divulgação de assuntos odontológicos em programas de 
rádio, televisão ou cinema, e em artigos, entrevistas ou reportagens em jornais, revistas 
ou outras publicações legais, salvo se autorizado pelo paciente ou responsável.
Ruptura da confidencialidade: 
• Teoria principialista: 
- Não-maleficência; 
- Beneficência; 
- Autonomia; 
- Justiça. 
(Schidermayer, 1991)
Ruptura da confidencialidade: 
Capítulo VI – Do Sigilo Profissional 
§ 1° compreendem-se como justa causa, principalmente: 
a) Notificação compulsória de doença; 
b) colaboração com a justiça nos casos previstos em lei; 
c) perícia odontológica nos seus exatos limites; 
d) estrita defesa de interesse legítimo dos profissionais inscritos; 
e) revelação de fato sigiloso ao responsável pelo incapaz. 
§ 2° Não constitui quebra de sigilo profissional a declinação do 
tratamento empreendido, na cobrança judicial de honorários profissionais.
Violação do Segredo como Infração legal 
• Infração à ordem social, sancionada pela norma penal; 
• Art. 154 do Código Penal Brasileiro: 
“revelar alguém, sem justa causa, segredo, de que tem ciência 
em razão de função, ofício ou profissão, e cuja revelação 
possa produzir dano a outrem”. 
• Comprovação do delito doloso; 
• Detenção de três meses a um ano, ou multa.
Violação do Segredo como Infração legal 
• Profissionais de saúde não são obrigados a depor em juízo; 
• Art. 207 do Código de Processo Penal: 
“São proibidas de depor as pessoas que, em razão de função, 
ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo 
se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu 
testemunho”. 
• Lei de Contravenções Penais, art. 66 II. 
Deixar de comunicar à autoridade competente: 
II- Crime de ação pública, de que teve conhecimento no 
exercício da medicina ou de outra profissão sanitária, 
desde que a ação penal não dependa de representação 
e a comunicação não exponha o cliente a 
procedimento criminal.
Violação do Segredo como Infração legal 
• Código Civil Brasileiro: 
“ Art.144. Ninguém pode ser obrigado a depor de fatos, a cujo 
respeito, por estado ou profissão, deva guardar segredo.” 
• Código de Processo Civil: 
“ Art.406. 
A testemunha não é obrigado a depor de fatos: 
II- a cujo respeito, por estado ou profissão, deva guardar 
sigilo.”
O que fazer? 
• Sua irmã está para se casar, você atende o futuro marido dela e 
descobre na anamnese que ele está com Aids. O que você faz? 
A) Conta para sua irmã sobre a doença dele. 
B) Conta para seus pais. 
C) Não conta nada, uma vez que você estaria quebrando o sigilo 
profissional.
O que fazer? 
• Uma menor vai sozinha ao seu consultório para tratamento de 
urgência e na anamnese se diz usuária de drogas pesadas e pede que 
você não conte aos seus pais. Na próxima consulta a mãe da menor a 
acompanha. Nessa ocasião, você: 
A) Conta para mãe que a menor é usuária de drogas; 
B) Não fala nada sobre as drogas, mas dar o prontuário para mãe 
assinar; 
C) Não dá o prontuário para mãe assinar e nem conta sobre as 
drogas.
O que fazer? 
• Você é intimado para depor sobre seu paciente que está sendo acusado 
de roubo seguido de assassinato. Ele se diz usuário de drogas e alega 
que estava sob efeito de drogas no momento do crime. No depoimento, 
você: 
A) Confirma sua situação de usuário de drogas, conforme ele alegou 
na anamnese; 
B) Nega que ele seja usuário de drogas; 
C) Alega sigilo profissional.
O que fazer? 
• Um paciente lhe pede para discriminar no recibo o tratamento 
realizado, uma vez que ele será pago pelo patrão. 
A) Você fornece o recibo com a informação sobre o tratamento 
realizado; 
B) Não fornece o recibo como ele pediu, alegando quebra de sigilo 
profissional; 
C) Não dá nenhum recibo.
O que fazer? 
• Uma mulher te procura dizendo ser a mãe da menor em que você 
realizou tratamento de urgência e te pede o prontuário da menor. 
Você: 
A) Entrega o prontuário para suposta mãe, uma vez que ela é 
responsável pela menor e tem esse direito; 
B) Não entrega o prontuário; 
C) Entrega o prontuário para suposta mãe assinar, depois de 
confirmar que ela é mesmo a mãe.
O que fazer? 
• Você atende um indivíduo com um pedido de exame bucal como 
sendo indispensável para sua admissão no exército. 
A) Você alega sigilo profissional e não fornece a informação; 
B) Você atesta sua excelente condição bucal; 
C) Você atesta que o paciente possui condições bucais adequadas.
Referências 
• FORTES, Paulo Antonio de Carvalho. Ética e Saúde.: questões éticas, deontológicas e legais, tomada de 
decisões , autonomia e direitos do paciente, estudo de casos/ São Paulo : EPU, 1998. 
• FRANÇA, Genival Veloso. O Segredo Médico e a Nova Ordem Bioética. Disponível em: 
http://pbnet.com.br/openline/gvfrana/artigo_20.htm, acesso em 07 de novembro de 2006. 
• JUNIOR, Oswaldo Crivello , RAMOS, Dalton Luiz de Paula. Bioética e ética profissional. – Rio de 
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. il. – (Fundamentos de Odontologia 
• MARCOLINO, José Álvaro Marques., Sigilo Profissional e assistência ao Adolescente: Uma Relação de 
Confiança. Revista Assoc. Med . Bras. 2007; 53(3): 189-207. 
• PERES, S.H.C.S., et al, Sigilo Profissional e Valores éticos. Revista RFO, v. 13, n.1, p. 7-13, janeiro/abril 
2008. 
• SPIRI, Wilza Carla, et al., Os Princípios bioéticos e os direitos dos usuários de serviços de saúde. 
Revista O Mundo a Saúde – São Paulo, ano 30 v. 30 n. 3 jul/set. 2006.
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ética e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemÉtica e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemluzienne moraes
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCentro Universitário Ages
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemfnanda
 
Assistencia de Enfermagem ao Cliente Terminal
Assistencia de Enfermagem ao Cliente TerminalAssistencia de Enfermagem ao Cliente Terminal
Assistencia de Enfermagem ao Cliente TerminalKarla Ntz
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagemuniversitária
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminalRodrigo Abreu
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalFernando Dias
 
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagemResponsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagemlidianeosantos
 
Ética Hospitalar
Ética HospitalarÉtica Hospitalar
Ética HospitalarNeida Ramos
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalanapatricialima
 
Historia da enfermagem período pré-cristão
Historia da enfermagem   período pré-cristãoHistoria da enfermagem   período pré-cristão
Historia da enfermagem período pré-cristãoGilberto de Jesus
 
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...Fabio Ferreira
 
Aula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasAula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasErivaldo Rosendo
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem universitária
 
Comunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mentalComunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mentalFrancisco Santos
 
A morte e o processo de morrer
A morte e o processo de morrerA morte e o processo de morrer
A morte e o processo de morrerEliane Santos
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoConceição Quirino
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemJardiel7
 

Mais procurados (20)

Ética e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemÉtica e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagem
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
 
Assistencia de Enfermagem ao Cliente Terminal
Assistencia de Enfermagem ao Cliente TerminalAssistencia de Enfermagem ao Cliente Terminal
Assistencia de Enfermagem ao Cliente Terminal
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
 
éTica na saúde
éTica na saúdeéTica na saúde
éTica na saúde
 
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagemResponsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
 
Ética Hospitalar
Ética HospitalarÉtica Hospitalar
Ética Hospitalar
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
 
Historia da enfermagem período pré-cristão
Historia da enfermagem   período pré-cristãoHistoria da enfermagem   período pré-cristão
Historia da enfermagem período pré-cristão
 
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
 
Aula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasAula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricas
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Comunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mentalComunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mental
 
A morte e o processo de morrer
A morte e o processo de morrerA morte e o processo de morrer
A morte e o processo de morrer
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 

Destaque

Secreto profesional
Secreto profesionalSecreto profesional
Secreto profesionalSam Silva
 
Casos reportados - Ética e moral
Casos reportados - Ética e moralCasos reportados - Ética e moral
Casos reportados - Ética e moralFernanda Clara
 
Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~
Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~
Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~Cassia Dias
 
Secreto profesional en enfermeria
Secreto profesional en enfermeriaSecreto profesional en enfermeria
Secreto profesional en enfermeriaRoxsy Sand
 
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGALAPOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGALRayssa Mendonça
 
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOSBIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOSOyara Mello
 
Codigo de Ética do Assistente social para estudos
Codigo de Ética do Assistente social para estudosCodigo de Ética do Assistente social para estudos
Codigo de Ética do Assistente social para estudosRosane Domingues
 
Humanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicas
Humanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicasHumanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicas
Humanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicasCharles Nascimento
 
Alexandre Juan Lucas
Alexandre Juan LucasAlexandre Juan Lucas
Alexandre Juan LucasABESE
 
Código de Ética profissional do Assistente Social
Código de Ética profissional do Assistente SocialCódigo de Ética profissional do Assistente Social
Código de Ética profissional do Assistente SocialSérgio Amaral
 
2 ecofis 2010_dr_david_lopes_neto
2 ecofis 2010_dr_david_lopes_neto2 ecofis 2010_dr_david_lopes_neto
2 ecofis 2010_dr_david_lopes_netoTathiane Souza
 
Aspectos psicoemocionais
Aspectos psicoemocionaisAspectos psicoemocionais
Aspectos psicoemocionaisCélia Costa
 
Consentimento Médico
Consentimento MédicoConsentimento Médico
Consentimento Médico342014
 

Destaque (18)

Secreto profesional
Secreto profesionalSecreto profesional
Secreto profesional
 
Privacidade e confidencialidade
Privacidade e confidencialidadePrivacidade e confidencialidade
Privacidade e confidencialidade
 
Casos reportados - Ética e moral
Casos reportados - Ética e moralCasos reportados - Ética e moral
Casos reportados - Ética e moral
 
Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~
Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~
Legislação e recomendações para o exercício profissional do(a) psicólogo(a)~
 
Secreto profesional en enfermeria
Secreto profesional en enfermeriaSecreto profesional en enfermeria
Secreto profesional en enfermeria
 
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGALAPOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
 
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOSBIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
 
Codigo de Ética do Assistente social para estudos
Codigo de Ética do Assistente social para estudosCodigo de Ética do Assistente social para estudos
Codigo de Ética do Assistente social para estudos
 
Humanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicas
Humanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicasHumanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicas
Humanização no atendimento prestado pelo profissional das técnicas radiológicas
 
Alexandre Juan Lucas
Alexandre Juan LucasAlexandre Juan Lucas
Alexandre Juan Lucas
 
Disrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefaliasDisrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefalias
 
Código de Ética profissional do Assistente Social
Código de Ética profissional do Assistente SocialCódigo de Ética profissional do Assistente Social
Código de Ética profissional do Assistente Social
 
Compromisso Com A Consciência
Compromisso Com A ConsciênciaCompromisso Com A Consciência
Compromisso Com A Consciência
 
2 ecofis 2010_dr_david_lopes_neto
2 ecofis 2010_dr_david_lopes_neto2 ecofis 2010_dr_david_lopes_neto
2 ecofis 2010_dr_david_lopes_neto
 
Congresso Andav Governança Corporativa 18072011
Congresso Andav Governança Corporativa 18072011Congresso Andav Governança Corporativa 18072011
Congresso Andav Governança Corporativa 18072011
 
Cofen
CofenCofen
Cofen
 
Aspectos psicoemocionais
Aspectos psicoemocionaisAspectos psicoemocionais
Aspectos psicoemocionais
 
Consentimento Médico
Consentimento MédicoConsentimento Médico
Consentimento Médico
 

Semelhante a Segredo profissional

Código de Ética Odontológico
Código de Ética OdontológicoCódigo de Ética Odontológico
Código de Ética OdontológicoYuriAnjos4
 
ÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
ÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
ÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxHitaloSantos7
 
tica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdf
tica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdftica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdf
tica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdfIsabelaVarjo
 
Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)
Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)
Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)mazamenos
 
Prontuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdf
Prontuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdfProntuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdf
Prontuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdfCamilaDemtriaRibeiro
 
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805Rosalia Ometto
 
Consentimento livre e esclarecido
Consentimento livre e esclarecidoConsentimento livre e esclarecido
Consentimento livre e esclarecidoFamília Cristã
 
Código de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da FonoaudiologiaCódigo de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da FonoaudiologiaSérgio Amaral
 
Código de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da FonoaudiologiaCódigo de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da FonoaudiologiaSérgio Amaral
 
Código de Ética Médica (Dr_Nelson)
Código de Ética Médica (Dr_Nelson)Código de Ética Médica (Dr_Nelson)
Código de Ética Médica (Dr_Nelson)Nelson Urio
 
Live___Bio_tica.pdf
Live___Bio_tica.pdfLive___Bio_tica.pdf
Live___Bio_tica.pdfDressaSpoty
 
Código de ética
Código de ética Código de ética
Código de ética JaqueRamos3
 
Ética e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informação
Ética e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informaçãoÉtica e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informação
Ética e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informaçãoCleanto Santos Vieira
 
Gravidez Substituição
Gravidez SubstituiçãoGravidez Substituição
Gravidez SubstituiçãoAmanda Thomé
 

Semelhante a Segredo profissional (20)

Código de Ética Odontológico
Código de Ética OdontológicoCódigo de Ética Odontológico
Código de Ética Odontológico
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 
Sigilo.aasp.outubro.14
Sigilo.aasp.outubro.14Sigilo.aasp.outubro.14
Sigilo.aasp.outubro.14
 
Humanização
HumanizaçãoHumanização
Humanização
 
Apresentação etica
Apresentação eticaApresentação etica
Apresentação etica
 
ÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
ÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
ÉTICA AULA 02.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
tica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdf
tica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdftica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdf
tica-profissional-de-enfermagem-1205177623938341-3.pdf
 
Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)
Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)
Documentos med legais_dr_mario_jorge_tsuchiya (1)
 
Prontuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdf
Prontuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdfProntuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdf
Prontuários e atestado Médicos Dr.Sardinha - Pemc Atibaia 29.05.pdf
 
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
 
Consentimento livre e esclarecido
Consentimento livre e esclarecidoConsentimento livre e esclarecido
Consentimento livre e esclarecido
 
Ato medico
Ato medicoAto medico
Ato medico
 
Código de ética.pptx
Código de ética.pptxCódigo de ética.pptx
Código de ética.pptx
 
Código de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da FonoaudiologiaCódigo de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da Fonoaudiologia
 
Código de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da FonoaudiologiaCódigo de Ética Profissional da Fonoaudiologia
Código de Ética Profissional da Fonoaudiologia
 
Código de Ética Médica (Dr_Nelson)
Código de Ética Médica (Dr_Nelson)Código de Ética Médica (Dr_Nelson)
Código de Ética Médica (Dr_Nelson)
 
Live___Bio_tica.pdf
Live___Bio_tica.pdfLive___Bio_tica.pdf
Live___Bio_tica.pdf
 
Código de ética
Código de ética Código de ética
Código de ética
 
Ética e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informação
Ética e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informaçãoÉtica e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informação
Ética e bioética cap 6 aula 9 ética no direito à saúde e a informação
 
Gravidez Substituição
Gravidez SubstituiçãoGravidez Substituição
Gravidez Substituição
 

Mais de Priscila Freitas

Prótese parcial removível
Prótese parcial removívelPrótese parcial removível
Prótese parcial removívelPriscila Freitas
 
Biossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaBiossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaPriscila Freitas
 
Saúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebêSaúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebêPriscila Freitas
 
prevenção de agravos de saúde bucal em crianças
prevenção de agravos de saúde bucal em criançasprevenção de agravos de saúde bucal em crianças
prevenção de agravos de saúde bucal em criançasPriscila Freitas
 
Proteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontalProteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontalPriscila Freitas
 

Mais de Priscila Freitas (7)

Prótese parcial removível
Prótese parcial removívelPrótese parcial removível
Prótese parcial removível
 
Vascularização da face
Vascularização da faceVascularização da face
Vascularização da face
 
Biossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaBiossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomia
 
Saúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebêSaúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebê
 
prevenção de agravos de saúde bucal em crianças
prevenção de agravos de saúde bucal em criançasprevenção de agravos de saúde bucal em crianças
prevenção de agravos de saúde bucal em crianças
 
doença periodontal
doença periodontaldoença periodontal
doença periodontal
 
Proteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontalProteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontal
 

Último

Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxWenderSantos21
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 

Último (10)

Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 

Segredo profissional

  • 1.
  • 2. Introdução • Princípio derivado da autonomia; • Confidencialidade das suas informações; • Profissionais e administradores; • “Ser” autônomo; • Dever ético e legal; • Sigilo médico.
  • 3. Juramento de Hipócrates • Mais respeitados dos documentos ( 460 a.C); • Ampla proteção ao segredo médico; [...] Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto.” • Preceitos que permanecem até hoje.
  • 4. • No Brasil  Código penal de 1890; Histórico Art. 192. Revelar qualquer pessoa o segredo de que tiver notícia ou conhecimento, em razão de officio (sic), emprego ou profissão: Penas – de prisão cellular (sic) por um a três mezes (sic), e suspensão do officio (sic), emprego ou profissão, por seis meses a um anno (sic). • Século XIX  Primeiros códigos deontológicos • Século XX  mantido código anterior; • Declaração dos direitos humanos;
  • 5. Segredo Profissional “ Dever ético que impede a revelação de assuntos profissionais confidenciais ligados à profissão.” • Informações transmitidas pelos responsáveis; • Profissionais envolvidos em práticas sanitárias; • Obrigação ético-legal; • Confidencialidade como pressuposto da relação clínica. ( Aurélio, 2006)
  • 6. Segredo Profissional EQUIPE MULTIDISCIPLINAR • Utilização de locais coletivos; • Diferentes profissionais; • Informações compartilhadas; • Nova abordagem de segredo profissional; • Compartilhar apenas informações necessárias; • Sigilo estudantil.
  • 7. Segredo Profissional SEGREDO E ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇO DE SAÚDE • Obrigação da administração dos serviços; • Confidencialidade das informações dos Serviços de Arquivos Médico e Estatística (SAMEs); • Cópia de prontuários; • Auditores e peritos; • Consulta no próprio estabelecimento; • Entrega de prontuários ao poder judiciário; • Uso do Codificação da Classificação Internacional de Doenças (CID).
  • 8. Código de Ética Odontológico Capítulo VI – Do Sigilo Profissional Art. 10 Constitui infração ética: I- revelar, sem justa causa, fato sigiloso de que tenha conhecimento em razão do exercício de sua profissão; II- negligenciar na orientação de seus colaboradores quanto ao sigilo profissional; III- fazer referência a casos clínicos identificáveis, exibir pacientes ou seus retratos em anúncios profissionais ou na divulgação de assuntos odontológicos em programas de rádio, televisão ou cinema, e em artigos, entrevistas ou reportagens em jornais, revistas ou outras publicações legais, salvo se autorizado pelo paciente ou responsável.
  • 9. Ruptura da confidencialidade: • Teoria principialista: - Não-maleficência; - Beneficência; - Autonomia; - Justiça. (Schidermayer, 1991)
  • 10. Ruptura da confidencialidade: Capítulo VI – Do Sigilo Profissional § 1° compreendem-se como justa causa, principalmente: a) Notificação compulsória de doença; b) colaboração com a justiça nos casos previstos em lei; c) perícia odontológica nos seus exatos limites; d) estrita defesa de interesse legítimo dos profissionais inscritos; e) revelação de fato sigiloso ao responsável pelo incapaz. § 2° Não constitui quebra de sigilo profissional a declinação do tratamento empreendido, na cobrança judicial de honorários profissionais.
  • 11. Violação do Segredo como Infração legal • Infração à ordem social, sancionada pela norma penal; • Art. 154 do Código Penal Brasileiro: “revelar alguém, sem justa causa, segredo, de que tem ciência em razão de função, ofício ou profissão, e cuja revelação possa produzir dano a outrem”. • Comprovação do delito doloso; • Detenção de três meses a um ano, ou multa.
  • 12. Violação do Segredo como Infração legal • Profissionais de saúde não são obrigados a depor em juízo; • Art. 207 do Código de Processo Penal: “São proibidas de depor as pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”. • Lei de Contravenções Penais, art. 66 II. Deixar de comunicar à autoridade competente: II- Crime de ação pública, de que teve conhecimento no exercício da medicina ou de outra profissão sanitária, desde que a ação penal não dependa de representação e a comunicação não exponha o cliente a procedimento criminal.
  • 13. Violação do Segredo como Infração legal • Código Civil Brasileiro: “ Art.144. Ninguém pode ser obrigado a depor de fatos, a cujo respeito, por estado ou profissão, deva guardar segredo.” • Código de Processo Civil: “ Art.406. A testemunha não é obrigado a depor de fatos: II- a cujo respeito, por estado ou profissão, deva guardar sigilo.”
  • 14. O que fazer? • Sua irmã está para se casar, você atende o futuro marido dela e descobre na anamnese que ele está com Aids. O que você faz? A) Conta para sua irmã sobre a doença dele. B) Conta para seus pais. C) Não conta nada, uma vez que você estaria quebrando o sigilo profissional.
  • 15. O que fazer? • Uma menor vai sozinha ao seu consultório para tratamento de urgência e na anamnese se diz usuária de drogas pesadas e pede que você não conte aos seus pais. Na próxima consulta a mãe da menor a acompanha. Nessa ocasião, você: A) Conta para mãe que a menor é usuária de drogas; B) Não fala nada sobre as drogas, mas dar o prontuário para mãe assinar; C) Não dá o prontuário para mãe assinar e nem conta sobre as drogas.
  • 16. O que fazer? • Você é intimado para depor sobre seu paciente que está sendo acusado de roubo seguido de assassinato. Ele se diz usuário de drogas e alega que estava sob efeito de drogas no momento do crime. No depoimento, você: A) Confirma sua situação de usuário de drogas, conforme ele alegou na anamnese; B) Nega que ele seja usuário de drogas; C) Alega sigilo profissional.
  • 17. O que fazer? • Um paciente lhe pede para discriminar no recibo o tratamento realizado, uma vez que ele será pago pelo patrão. A) Você fornece o recibo com a informação sobre o tratamento realizado; B) Não fornece o recibo como ele pediu, alegando quebra de sigilo profissional; C) Não dá nenhum recibo.
  • 18. O que fazer? • Uma mulher te procura dizendo ser a mãe da menor em que você realizou tratamento de urgência e te pede o prontuário da menor. Você: A) Entrega o prontuário para suposta mãe, uma vez que ela é responsável pela menor e tem esse direito; B) Não entrega o prontuário; C) Entrega o prontuário para suposta mãe assinar, depois de confirmar que ela é mesmo a mãe.
  • 19. O que fazer? • Você atende um indivíduo com um pedido de exame bucal como sendo indispensável para sua admissão no exército. A) Você alega sigilo profissional e não fornece a informação; B) Você atesta sua excelente condição bucal; C) Você atesta que o paciente possui condições bucais adequadas.
  • 20. Referências • FORTES, Paulo Antonio de Carvalho. Ética e Saúde.: questões éticas, deontológicas e legais, tomada de decisões , autonomia e direitos do paciente, estudo de casos/ São Paulo : EPU, 1998. • FRANÇA, Genival Veloso. O Segredo Médico e a Nova Ordem Bioética. Disponível em: http://pbnet.com.br/openline/gvfrana/artigo_20.htm, acesso em 07 de novembro de 2006. • JUNIOR, Oswaldo Crivello , RAMOS, Dalton Luiz de Paula. Bioética e ética profissional. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. il. – (Fundamentos de Odontologia • MARCOLINO, José Álvaro Marques., Sigilo Profissional e assistência ao Adolescente: Uma Relação de Confiança. Revista Assoc. Med . Bras. 2007; 53(3): 189-207. • PERES, S.H.C.S., et al, Sigilo Profissional e Valores éticos. Revista RFO, v. 13, n.1, p. 7-13, janeiro/abril 2008. • SPIRI, Wilza Carla, et al., Os Princípios bioéticos e os direitos dos usuários de serviços de saúde. Revista O Mundo a Saúde – São Paulo, ano 30 v. 30 n. 3 jul/set. 2006.

Notas do Editor

  1. Século XIX  Primeiros códigos deontológicos Século XX  mantido código anterior Declaração dos direitos humanos;
  2. “revelar alguém, sem justa causa, segredo, de que tem ciência em razão de função, ofício ou profissão, e cuja revelação possa produzir dano a outrem”.
  3. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  4. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  5. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  6. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  7. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  8. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  9. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  10. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  11. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.
  12. “São proibidas de depor das pessoas que, em razão de função, ministério, ofício ou profissão, devam guardar segredo, salvo se, desobrigadas pela parte interessada, quiserem dar o seu testemunho”.