Já tentei ser feliz… mas não consigo. Será que já tentou mesmo? Era bom que fosse possível ir a uma farmácia    capacidade...
Muitas pessoas dizem-me “Eu quero ser feliz,             Se pretender continuar a viver, a fazer e acomo faço? Como sorrir...
2. Adaptação criativa a uma vida plenaComo é que vamos fazer para melhorar qualidades edefeitos? Como é que vamos manter a...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Já tentei ser feliz

309 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Já tentei ser feliz

  1. 1. Já tentei ser feliz… mas não consigo. Será que já tentou mesmo? Era bom que fosse possível ir a uma farmácia capacidades de cada um para superarcomprar um xarope ou uma pílula qualquer que adversidades e procurar fazer sempre, ounos desse felicidade – mas há um problema: quase sempre, um enquadramento positivo,simplesmente não existe tal coisa. Algumas mesmo daquilo que a priori parece ser negativopessoas ainda crêem que sim; e procuram a ou infeliz.todo o custo que lhes sejam prescritosantidepressivos, anti-ansolíticos ou outros Agora, é provável que me diga ou pense: “fáciltantos fármacos que a psiquiatria tornou moda de falar, mas fazer ou conseguir…”e continua a publi citar como a “solução” para Claro. Concordo. Notodos os problemas entanto, só com essede desequilíbrio comentário já está amental. invalidar, ainda que deSim, porque não ser forma inconsciente, afeliz, causa-nos possibilidade de ser feliz…desequilíbrio mental e essa é uma das razõese isto vê-se com pelas quais as pessoasmaior ou menor dizem que é difícil, ou nos casos mais graves,intensidade naspessoas, consoante a impossível ser-se feliz.sua personalidade, contexto de vida, estatuto Também é claro que a infelicidade e asocioeconómico, experiência, estilo de coping… felicidade fazem parte da vida. Ninguém viveExistem inúmeras razões para uns serem mais ou pode viver num mundo cor-de-rosa, perfeito, imaculado, por muito tempo – eresistentes do que outros, assim como existemoutras tantas que justificam o facto de alguns acredito piamente que tal nem existe. A felicidade é mais uma questão de atitudeserem mais (ou menos) felizes do que outros.Uma coisa é verdade: todos podemos alcançar perante a vida, do que um evento eterno. Mas sabotar a própria felicidade, dizendo que éa felicidade. No entanto, descobrir o “caminhopessoal” para lá chegar já não é tão comum difícil, autocriticando-se, vendo só aquilo que é uma fatalidade e tudo mais que é negativo naassim. sua vida, no mundo,… é impedir e obstruir oFalo de “caminho pessoal ” porque ser feliz é caminho para lá chegar.ser, sobretudo, capaz de gerir e usar as
  2. 2. Muitas pessoas dizem-me “Eu quero ser feliz, Se pretender continuar a viver, a fazer e acomo faço? Como sorrir mesmo quando tudo sentir-se da mesma forma, eu posso respondercorre mal?”. Sim, corre mal… mas o que tem por si, porque só há uma resposta possívelfeito para correr bem? Ruminar naquilo que nesse contexto: NÃO. Mas se quer ternão funciona não ajuda muito, a não ser que resultados diferentes na forma como pensa,pense também numa solução. Pensar que sente e se comporta, então… a resposta é SIM equalquer sorriso seu é forçado e sem valor, nesse caso dou-lhe todo o apoio e força moralporque na verdade se sente triste e infeliz, que precisar. Contudo, há que tornar essatambém não ajuda e além disso está a ser vontade real e permanente!egoísta: sorrir, ajuda a criar emoções positivasno outro – e é esse outro, ou o resultado do Se já reflectiu e decidiu mudar, fazer aseu sorriso no(s) outro(s), que o ajudará a diferença POR SI, aconselho-o a fazer o luto dasentir-se melhor, mais positivo, mais alegre… sua forma de viver anterior e que até agora nãomais cheio de vida! lhe trouxe nada de bom, de novo, de entusiasmante, de significativo! Pode fazê-lo,Agora, eu faço-lhe uma pergunta. E não seguindo três passos:pretendo que me responda com sinceridade,mas antes que reflicta e seja sincero consigomesmo. Quer realmente ser feliz? 1. Aceitação e compreensão Sejamos realistas: se não se sente pleno com a sua vida, se não consegue projectar um “eu feliz”, então é porque o modo como tem vivido ou vive não lhe tem dado bons frutos. Que sementes andou a plantar? Optimismo ou pessimismo? Alegria ou descontentamento? Resiliência ou desistência? Encare o passado como um objecto de aprendizagens e aceite-o. Compreenda os seus contextos e as razões por ter feito as escolhas que fez. Certamente que aprendeu algo de bom:mantenha isso na memória e recorde com frequência. Tudo o resto que lhe traz dor, tristeza,insatisfação… perdoe e reserve num baú, refundido na sua cabeça. Escolha quais são as relações amanter e a desvincular. Quais são as qualidades a preservar e os defeitos a melhorar. Veja a sua a vida“antes” e desenhe a sua vida no “depois”.Já está?
  3. 3. 2. Adaptação criativa a uma vida plenaComo é que vamos fazer para melhorar qualidades edefeitos? Como é que vamos manter as boas relações?Que relações novas poderá ter? Como é que vive umapessoa feliz? Ou melhor… como é que você vive na vidaque desenhou no “depois”? Quais são as novasaprendizagens no seu horizonte? Quais são os seus“óptimos” valores? Como é que vai florescer? Como éque se vai adaptar? Anote tudo! Só você é que poderádar resposta a estas perguntas. 3. Aquisição de significadoQuando perceber como as “pessoas felizes” vivem, o que sentem e como encaram a vida (e esta é a tarefa mais complexa, mas não impossível), terá um novo significado para dar à vida. Viverá de acordo com as qualidades, os valores, os comportamentos, as vivências, as crenças e tudo mais que seleccionou no exercício anterior. Verá o mundo com outros olhos – ou melhor, sob diferentes perspectivas, porque irá crescer tanto que terá uma vista mais integrada e abrangente do mundo onde vive, das pessoas com quem lida, das coisas que pretende. Se isto não acontecer, é porque algo neste processo ficou em branco.No caso de algo ter ficado em branco e no caso num bom caminho, pois é sinal que aprendeude terminar o processo a pensar que “é que uma “pessoa feliz” vai à luta e não desisteimpossível ser feliz”, então é porque realmente daquilo que é importante para si.algo lhe pode ter escapado à atenção, “Be as you wish to seem.”precisamente no primeiro passo – mas nãodesespere: se resolver tentar outra vez, está Socrates Texto por Vanessa Dias* *Coach, Técnica de Psicologia, Animadora de Psicologia Positiva, Líder de Yoga do Riso e Educadora

×