Divisão Celular (Power Point)

41.204 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
6 comentários
49 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
41.204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.978
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3.200
Comentários
6
Gostaram
49
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Divisão Celular (Power Point)

  1. 1. Interfase Divisão celular
  2. 2. <ul><li>Período que vai desde a formação de uma célula, após uma divisão, até a divisão dessa célula. </li></ul><ul><li>Interfase </li></ul><ul><li>Divisão celular </li></ul><ul><ul><li>Mitose </li></ul></ul><ul><ul><li>Meiose </li></ul></ul>
  3. 3. <ul><li>I – DEFINIÇÃO: </li></ul><ul><li>Período do ciclo celular em que uma célula não está se dividindo </li></ul><ul><li>II – Características: </li></ul><ul><li>É o intervalo entre duas divisões sucessivas </li></ul><ul><li>É o período de maior atividade metabólica de uma célula </li></ul><ul><li>É o período mais extenso do ciclo celular </li></ul><ul><li>É quando as células realizam toda preparação para uma eventual divisão </li></ul>
  4. 4. <ul><li>III – FASES DA INTÉRFASE: </li></ul><ul><li>Período G1: </li></ul><ul><ul><li>Período que antecede a duplicação do citoplasma </li></ul></ul><ul><ul><li>É o período mais extenso do ciclo da interfase </li></ul></ul><ul><ul><li>Caracteriza-se por grande síntese de RNA e proteínas </li></ul></ul><ul><li>Período S: </li></ul><ul><ul><li>Período de ocorrência da duplicação do DNA </li></ul></ul><ul><ul><li>Obs.: Ocorre também a duplicação dos centríolos e do centrossomo nesse período. </li></ul></ul><ul><li>Período G2: </li></ul><ul><ul><li>Posterior a duplicação do DNA </li></ul></ul><ul><ul><li>Onde ocorrem os preparativos finais para divisão </li></ul></ul>
  5. 6. IV – REPRESENTAÇÃO GRÁFICA
  6. 8. <ul><li>I – DEFINIÇÃO: </li></ul><ul><li>Tipo de divisão celular em que uma célula dá origem a duas novas células com a mesma constituição cromossômica da célula inicial </li></ul>
  7. 9. <ul><li>II – IMPORTÂNCIAS: </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do organismo após a fecundação </li></ul><ul><li>Formação de partes corpóreas </li></ul><ul><li>Regeneração tecidual após lesões </li></ul><ul><li>Crescimento do organismo </li></ul><ul><li>Proporciona a reprodução assexuada </li></ul><ul><li>Formação de gametas em seres haplóides </li></ul>
  8. 10. <ul><li>III – FASES </li></ul><ul><li>Prófase </li></ul><ul><li>Metáfase </li></ul><ul><li>Anáfase </li></ul><ul><li>Telófase </li></ul><ul><ul><li>Obs.: Alguns autores adotam uma fase entre a prófase e a metáfase denominada prometáfase </li></ul></ul>
  9. 11. <ul><li>III – MECANISMO: </li></ul><ul><li>Prófase </li></ul><ul><ul><li>Na prófase os cromossomos condensam, </li></ul></ul><ul><ul><li>Cada cromossomo é constituído por duas cromátides unidas pelo centrômero. </li></ul></ul><ul><ul><li>Centrossomos deslocam-se para pólos opostos da célula </li></ul></ul><ul><ul><li>Inicia-se, entre os centrossomos, a formação do fuso acromático. </li></ul></ul><ul><ul><li>Formação de áster ao redor dos centríolos no centrossomo </li></ul></ul><ul><ul><li>A carioteca desorganiza-se </li></ul></ul><ul><ul><li>Nucléolo desaparece. </li></ul></ul>
  10. 14. <ul><li>Metáfase </li></ul><ul><ul><li>Ligação dos centrômeros </li></ul></ul><ul><li>às fibras do fuso. </li></ul><ul><ul><li>Deslocamento e </li></ul></ul><ul><li>disposição linear dos </li></ul><ul><li>cromossomos na placa </li></ul><ul><li>equatorial (metafásica) </li></ul><ul><li>da célula. </li></ul><ul><ul><li>Fase de máxima </li></ul></ul><ul><li>condensação dos </li></ul><ul><li>cromossomos </li></ul>
  11. 17. <ul><li>Anáfase </li></ul><ul><li>Encurtamento das fibras do </li></ul><ul><li>fuso acromático </li></ul><ul><li>Duplicação dos centrômeros e </li></ul><ul><li>separação das cromátides irmãs, </li></ul><ul><li>formando cromossomos irmãos </li></ul><ul><li>que migram aos pólos opostos da </li></ul><ul><li>célula </li></ul><ul><li>Inicia-se a descondensação </li></ul><ul><li>cromossômica </li></ul>
  12. 20. <ul><li>Telófase </li></ul><ul><ul><li>Reaparece carioteca e nucléolo </li></ul></ul><ul><ul><li>Desaparece áster </li></ul></ul><ul><ul><li>Desaparece fuso acromático </li></ul></ul><ul><ul><li>Descondesação total dos cromossomos </li></ul></ul><ul><ul><li>Citocinese – divisão do citoplasma. </li></ul></ul>
  13. 25. Variação da quantidade de DNA no curso do ciclo celular até o término da mitose:
  14. 26. <ul><li>I – Definição: </li></ul><ul><li>Tipo de divisão celular em que uma célula, após duas divisões citoplasmáticas sucessivas, dá origem a quatro novas células com a metade do número cromossômico da célula inicial. </li></ul>
  15. 27. II – Representação:
  16. 29. <ul><li>III – Importância: </li></ul><ul><li>Formação de células reprodutoras: </li></ul><ul><ul><li>Gametas </li></ul></ul><ul><ul><li>Esporos </li></ul></ul><ul><li>IV – Ocorrência: </li></ul><ul><li>Células germinativas </li></ul>
  17. 30. <ul><li>V – Fases: </li></ul><ul><li>Meiose I – Fase reducional, dividindo-se em: </li></ul><ul><ul><li>Prófase I – subdivide-se em: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Leptóteno </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Zigóteno </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Paquíteno </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Diplóteno </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Diacinese </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Metáfase I </li></ul></ul><ul><ul><li>Anáfase I </li></ul></ul><ul><ul><li>Telófase I </li></ul></ul>
  18. 31. <ul><li>Meiose II – Fase equacional em que os acontecimentos são os mesmos da mitose </li></ul><ul><ul><li>Prófase II </li></ul></ul><ul><ul><li>Metáfase II </li></ul></ul><ul><ul><li>Anáfase II </li></ul></ul><ul><ul><li>Telófase II </li></ul></ul>
  19. 32. <ul><li>VI - Mecanismo: </li></ul><ul><li>Meiose I </li></ul><ul><li>Prófase I : </li></ul><ul><li>Leptóteno </li></ul><ul><ul><li>Início da condensação cromossômica, que ocorre de forma irregular, e, por isso, evidenciam-se os cromômeros. </li></ul></ul>
  20. 33. <ul><li>Zigóteno </li></ul><ul><ul><li>Pareamento dos cromossomos homólogos, sendo esse denominado de sinapse; </li></ul></ul>
  21. 34. <ul><li>Paquíteno </li></ul><ul><ul><li>os braços curtos e longos ficam mais evidentes e definidos </li></ul></ul><ul><ul><li>dois desses braços, em respectivos homólogos, se ligam formando estruturas denominadas bivalentes ou tétrades </li></ul></ul><ul><ul><li>momento em que ocorre o crosing-over, isto é, troca de segmentos (permutação de genes) entre cromossomos homólogos; </li></ul></ul>
  22. 35. <ul><li>CROSSING-OVER OU PERMUTAÇÃO </li></ul><ul><li>Troca de segmentos entre cromátides não irmãs de cromossomos homólogos. </li></ul><ul><li>Permite a elevação da variabilidade genética </li></ul>
  23. 36. <ul><li>Diplóteno </li></ul><ul><ul><li>começo da separação dos homólogos </li></ul></ul><ul><ul><li>configurado de regiões quiasmas (ponto de intercessão existente entre os braços entrecruzados, portadores de características similares); </li></ul></ul>
  24. 38. <ul><li>Diacinese </li></ul><ul><ul><li>finalização da prófase I, com separação definitiva dos homólogos, já com segmentos trocados. </li></ul></ul><ul><ul><li>a carioteca (envoltório membranoso nuclear) desaparece temporariamente. </li></ul></ul>
  25. 40. <ul><li>B) Metáfase I: </li></ul><ul><li>Os cromossomos homólogos ficam agrupados na região equatorial da célula, associados às fibras do fuso; </li></ul>
  26. 41. <ul><li>C) Anáfase I </li></ul><ul><li>Encurtamento das fibras do fuso, deslocando os cromossomos homólogos para os pólos da célula. </li></ul><ul><li>Nessa fase não há separação do centrômero (ponto de ligação das cromátides irmãs em um cromossomo). </li></ul>
  27. 42. <ul><li>D) Telófase I </li></ul><ul><li>Desespiralização dos cromossomos, retornando ao aspecto filamentoso, havendo também o reaparecimento do nucléolo bem como da carioteca e divisão do citoplasma (citocinese), originando duas células haplóides. </li></ul>
  28. 43. <ul><li>OBS.: Intercinese </li></ul><ul><li>Entre a meiose I e a meiose II, existe um intervalo breve, que não é uma nova interfase (não há duplicação do material genético), denominado intercinese. </li></ul>
  29. 44. <ul><li>Meiose II: </li></ul><ul><li>As duas células haplóides (n) formadas durante a primeira etapa (meiose I) dão continuidade à divisão, dando origem, cada uma delas, a mais duas células também haplóides (n) o que dará, no fim das 2 etapas, um total de quatro células haplóides (n). </li></ul><ul><li>A meiose II é denominada divisão equacional (E!), pois as células ao se dividem formam células-filha com o mesmo número de cromossomos </li></ul>
  30. 45. <ul><li>Etapas da meiose II: </li></ul><ul><li>Prófase II: </li></ul><ul><li>os cromossomos voltam a se condensar </li></ul><ul><li>o nucléolo e a carioteca desaparecem novamente </li></ul><ul><li>os centríolos se dirigem para os pólos, </li></ul><ul><li>formação do fuso acromático. </li></ul><ul><li>Metáfase II </li></ul><ul><li>os cromossomos se organizam no plano equatorial, com suas cromátides ainda unidas pelo centrômero, ligando-se às fibras do fuso. </li></ul><ul><li>Anáfase II </li></ul><ul><li>separação das cromátides irmãs, puxadas pelas fibras em direção a pólos opostos. </li></ul><ul><li>Telófase II </li></ul><ul><li>aparecimento da carioteca </li></ul><ul><li>reorganização do nucléolo </li></ul><ul><li>divisão do citoplasma completando a divisão meiótica, totalizando 4 células filhas haplóides. </li></ul>
  31. 46. Prófase II
  32. 47. Metáfase II
  33. 48. Anáfase II
  34. 49. Telófase II

×