II Encontro Bibliotecas Sem Fronteiras – Campo Maior 2011.Leitur@sTeresa Pombo, DGIDC, ERTE
Leitur@s           © Teresa Pombo, 2011
“O verbo ler não suporta o imperativo”  (p.11) E “digitar” suporta?             Fonte
5 milhões de                                         resultados!!http://fabio10i.blogspot.com/2009_07_01_archive.html
Estamos mais preocupados com a leitura            na era digital?        lugares?
Como professora de uma área        estruturante,como membro da equipa da BE…qual a minha responsabilidade?
Santos, Mª de Lourdes Lima dos (Coord.)        A Leitura em Portugal, GEPE, 2007.
TIC e novos contextos e dispositivos digitais..
Biblioteca escolar.
Exploração de recursos físicos e digitais(existentes na BE, no Portal da Escola, naweb…).
Utilização integradora de dispositivos ouequipamentos que permitam o acesso eprodução de informação.Literacias implicadas....
Processos de pesquisa de conhecimento.
Construção de uma escola promotora deliteracias e competente no uso dosrecursos de informação.
Avaliação.Ferramentas para o processo formativo.
Em pleno século XXI, o que torna o ensino e a aprendizagem diferentes?
novas formas de aprender?
Mas que novas formas de aprender são essas?O que é que muda na Educação?Qual o papel do Professor? Do livro? Do responsáve...
Antes…
Agora…
…proporciona uma enorme diversidade de formas de apropriação de conhecimento       Espaço virtual = mais rico, mais vasto ...
Ensinar a pensar…                                                             Ensinar a escrever…                         ...
À medida que cada vez mais recursos estão presentes na web, quer alunos querprofessores precisam de novas competências ao ...
Segundo o “ Guia para ambientes de aprendizagem digitais” 1, quer alunos, querprofessores, precisam de novas competências ...
1. Ler os endereços de url para obter informação;          2. Procurar informação sobre o autor;           3. A secção "So...
“2010 Kids & Family Reading Report:                                               Turning the page in the Digital Age”,   ...
“2010 Kids & Family Reading Report:                     Turning the page in the Digital Age”,                             ...
“2010 Kids & Family Reading Report:                    Turning the page in the Digital Age”,                              ...
pesquisa online     plataformas                                      narrativas digitais e podcasting                     ...
Pesquisa online    O Google é um dos motores de pesquisa mais poderosos.    O domínio de algumas estratégias de pesquisa, ...
Plataformas    De uma forma geral, têm-se generalizado, quer no Ensino Superior, quer no    Básico, plataformas de gestão ...
Blogues e wikis    Os blogues são páginas web de fácil edição que adoptam um conceito    cronológico. As wikis são ferrame...
Marcadores sociais    Trata-se da possibilidade de criar e gerir um sistema de marcadores ou    favoritos disponíveis onli...
Aplicações Google    As aplicações Google dizem não apenas respeito aos Google Docs (edição de    texto, folhas de cálculo...
Narrativas digitais e podcasting     Podemos dizer que a narrativa digital é uma evolução natural da arte de contar     hi...
Partilha     Há diversas ferramentas que permitem disponibilizar apresentações powerpoint     de forma automática ou, em a...
Catalogação social     Este tipo de serviços (LibraryThing, Shelfari, …) permite construir uma rede     social em torno de...
Redes sociais    Nos últimos anos, redes sociais como o Twitter e o Facebook têm-se afirmado    como verdadeiros espaços d...
Quadro Interactivo Multimédia(e software ActivInspire)      Nos últimos anos, as nossas escolas têm sido dotadas de divers...
Google Earth   O Google Earth é, sem dúvida, uma das aplicações Google mais poderosas.   Permite sobrevoar qualquer parte ...
Edição de Imagem e Animação  Hoje em dia é possível também recorrer a uma série de ferramentas online ou  de software livr...
Organização de fontes  O Zotero é uma das ferramentas mais poderosas para a organização de fontes  e citações. Funciona co...
Produção de livros electrónicos  Além de ferramentas como o issuu, o yudu , o myebook e o calameo que  permitem o carregam...
Ausência de espírito críticoRedução da imaginação e criatividadeAlterações nas relações pessoaisPlágioQuestões éticas...
Literacia digitalEsta expressão pretende designar o uso eficazdos computadores, redes, telemóveis, etc e com ainformação a...
Literacia tecnológicaEste tipo de literacia dirá respeito aosconhecimentos e competências básicas (bemcomo atitudes positi...
Literacia e TIC
Neste domínio, acredita-se que o conhecimento que se tem do funcionamento dedeterminados equipamentos como o computador, o...
À escola, aos educadores, à BE também cabe o papelde ajudar a compreender a tecnologia e avaliá-la demodo a que do seu uso...
www.profteresa.net© Teresa Pombo, 2011 ~teresa.pombo@dgidc.min-edu.pt
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras

1.062 visualizações

Publicada em

Participação no Encontro Bibliotecas sem fronteiras

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.062
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresent_enc_bibliotecas sem fronteiras

  1. 1. II Encontro Bibliotecas Sem Fronteiras – Campo Maior 2011.Leitur@sTeresa Pombo, DGIDC, ERTE
  2. 2. Leitur@s © Teresa Pombo, 2011
  3. 3. “O verbo ler não suporta o imperativo” (p.11) E “digitar” suporta? Fonte
  4. 4. 5 milhões de resultados!!http://fabio10i.blogspot.com/2009_07_01_archive.html
  5. 5. Estamos mais preocupados com a leitura na era digital? lugares?
  6. 6. Como professora de uma área estruturante,como membro da equipa da BE…qual a minha responsabilidade?
  7. 7. Santos, Mª de Lourdes Lima dos (Coord.) A Leitura em Portugal, GEPE, 2007.
  8. 8. TIC e novos contextos e dispositivos digitais..
  9. 9. Biblioteca escolar.
  10. 10. Exploração de recursos físicos e digitais(existentes na BE, no Portal da Escola, naweb…).
  11. 11. Utilização integradora de dispositivos ouequipamentos que permitam o acesso eprodução de informação.Literacias implicadas. Definição deconceitos.
  12. 12. Processos de pesquisa de conhecimento.
  13. 13. Construção de uma escola promotora deliteracias e competente no uso dosrecursos de informação.
  14. 14. Avaliação.Ferramentas para o processo formativo.
  15. 15. Em pleno século XXI, o que torna o ensino e a aprendizagem diferentes?
  16. 16. novas formas de aprender?
  17. 17. Mas que novas formas de aprender são essas?O que é que muda na Educação?Qual o papel do Professor? Do livro? Do responsável pela Biblioteca?Na era digital haverá ainda lugarpara as formas de ensinar e aprenderque foram válidas para as gerações anteriores?
  18. 18. Antes…
  19. 19. Agora…
  20. 20. …proporciona uma enorme diversidade de formas de apropriação de conhecimento Espaço virtual = mais rico, mais vasto que o de qualquer escola Inúmeras possibilidades… …simular a realidade … interagir com pessoas em muitas partes do globo … aceder a múltiplas formas de texto, som, imagem e vídeo… Amplia-se o espaço do individuo dando-lhe a oportunidade de interagir com o maior número depessoas em situações diferentes.
  21. 21. Ensinar a pensar… Ensinar a escrever… Ensinar a dominar a linguagem oral… Ensinar a inovar e a ser criativo… Ensinar a trabalhar em equipa.Ajudar o aluno a relacionar os conhecimentos e aplicá-los em situações reais.Hoje em dia, para isso, o professor dispõe de variadíssimos recursos que estãodisponíveis em qualquer lugar.
  22. 22. À medida que cada vez mais recursos estão presentes na web, quer alunos querprofessores precisam de novas competências ao nível da literacia digital. in Guia para ambientes de aprendizagem digitais (http://guide2digitallearning.com/tools_technologies/tips_web_literacy)
  23. 23. Segundo o “ Guia para ambientes de aprendizagem digitais” 1, quer alunos, querprofessores, precisam de novas competências ao nível da literacia digital à medidaque cada vez mais recursos estão presentes na web.
  24. 24. 1. Ler os endereços de url para obter informação; 2. Procurar informação sobre o autor; 3. A secção "Sobre" de um sítio web; 4. Ler cuidadosamente os sítios web;5. Ler cuidadosamente as mensagens de correio electrónico; 6. Reconhecer publicidade; 7. Procurar datas; 8. Fazer triangulação; 9. Ser céptico.
  25. 25. “2010 Kids & Family Reading Report: Turning the page in the Digital Age”, desenvolvido pela ScholasticAs principais conclusões desta pesquisa são:• Os pais acreditam que o uso das tecnologias afecta de forma negativa o tempo que ascrianças passam a ler livros, a fazer actividades físicas, e a conviver com a família.• Entre os 6 e os 17 anos de idade, o tempo que as crianças passam a ler diminui,aumentando proporcionalmente o tempo que passam na Internet ou a utilizar o telemóvel.
  26. 26. “2010 Kids & Family Reading Report: Turning the page in the Digital Age”, desenvolvido pela Scholastic• A televisão, os jogos de vídeo e os telemóveis seriam os dispositivos que os paismais gostariam de ver, temporariamente, fora da vida dos seus filhos.• Enquanto que a atracção por livros em formato papel diminui nas crianças,aumenta a propensão para a leitura em formatos digitais.
  27. 27. “2010 Kids & Family Reading Report: Turning the page in the Digital Age”, desenvolvido pela Scholastic• No que respeita à importância da leitura lúdica, tanto pais como crianças destacama capacidade de potenciar a imaginação.• As hipóteses de uma criança terminar ou “agarrar” uma leitura são maiores se foresta a escolher o livro e o mesmo não lhe for imposto. Conclusões apresentadas por Carlos Vaz num Fórum da Comunidade Interactic 2.0.
  28. 28. pesquisa online plataformas narrativas digitais e podcasting blogues e wikis marcadores sociais Partilha aplicações Google redes sociais catalogação social Quadros interactivos multimedia Edição de imagem e animação Google Earth Organização de fontes Produção de livros electrónicos
  29. 29. Pesquisa online O Google é um dos motores de pesquisa mais poderosos. O domínio de algumas estratégias de pesquisa, bem como o recurso a guiões potenciam a produtividade. Ver também iniciativa Microsoft “Critical Thinking in the Classroom”. Para saber mais …
  30. 30. Plataformas De uma forma geral, têm-se generalizado, quer no Ensino Superior, quer no Básico, plataformas de gestão da aprendizagem que permitem, de forma mais ou menos acessível, a disponibilização de conteúdos e actividades aos alunos e, frequentemente, a colaboração. Ver exemplo. Para saber mais …
  31. 31. Blogues e wikis Os blogues são páginas web de fácil edição que adoptam um conceito cronológico. As wikis são ferramentas de edição colaborativa, rápida e fácil de documentos. Para saber mais …
  32. 32. Marcadores sociais Trata-se da possibilidade de criar e gerir um sistema de marcadores ou favoritos disponíveis online de forma gratuita, pública ou privada,. Os favoritos podem – e devem – ser classificados através de um sistema de etiquetas. Ver exemplo. Para saber mais …
  33. 33. Aplicações Google As aplicações Google dizem não apenas respeito aos Google Docs (edição de texto, folhas de cálculo/formulários e apresentações) mas também ao Calendário, Google Talk, Google Sites, entre várias outras que permitem desenvolver trabalho colaborativo de forma fácil a quem tiver uma conta Gmail. Para saber mais …
  34. 34. Narrativas digitais e podcasting Podemos dizer que a narrativa digital é uma evolução natural da arte de contar histórias que recorre às ferramentas tecnológicas da idade digital. O podcasting é uma forma de publicação de arquivos de media digital (áudio, vídeo, foto, PPS, etc…) pela Internet, através de um feed RSS, que permite aos utilizadores acompanhar a sua actualização. Exemplo (1) Para saber mais …
  35. 35. Partilha Há diversas ferramentas que permitem disponibilizar apresentações powerpoint de forma automática ou, em alternativa, realizar apresentações bastante criativas. Ver estas apresentações (1) e (2). Para saber mais …
  36. 36. Catalogação social Este tipo de serviços (LibraryThing, Shelfari, …) permite construir uma rede social em torno de livros e de leitura. Constrói-se uma prateleira virtual onde dispomos e apresentamos as nossas leituras, trocamos impressões de leitura, etc. Ver exemplo. Para saber mais …
  37. 37. Redes sociais Nos últimos anos, redes sociais como o Twitter e o Facebook têm-se afirmado como verdadeiros espaços de interacção, colaboração e partilha podendo ser usados com fins diversos. Ver exemplos (1) e (2). Exemplo de wiki agregando experiências (em Espanha). Para saber mais …
  38. 38. Quadro Interactivo Multimédia(e software ActivInspire) Nos últimos anos, as nossas escolas têm sido dotadas de diversos equipamentos, nomeadamente QIM. A marca que ganhou o mais recente concurso do ME disponibiliza não apenas uma excelente rede de conhecimento e partilha (www.prometheanplanet.com) como um dos mais completos softwares de produção de recursos. Exemplo (1) Para saber mais …
  39. 39. Google Earth O Google Earth é, sem dúvida, uma das aplicações Google mais poderosas. Permite sobrevoar qualquer parte da Terra para visualizar imagens de satélite, mapas, relevo, edifícios 3D, desde as galáxias no espaço até aos vales submarinos. Podemos ainda explorar conteúdo geográfico complexo, guardar os locais visitados e partilhá-los. Exemplo (1) Para saber mais …
  40. 40. Edição de Imagem e Animação Hoje em dia é possível também recorrer a uma série de ferramentas online ou de software livre quer para realizar edição de imagem, quer para fazer banda desenhada e animação 3d. Exemplos (1) (2) Para saber mais …
  41. 41. Organização de fontes O Zotero é uma das ferramentas mais poderosas para a organização de fontes e citações. Funciona como uma extensão do Firefox e permite a criação automáticas de bibliografias, por exemplo. Para saber mais …
  42. 42. Produção de livros electrónicos Além de ferramentas como o issuu, o yudu , o myebook e o calameo que permitem o carregamento e armazenamento de ficheiros em pdf e a criação de códigos html incorporado, o Calibre dá-n s a possibilidade de gerar ficheiros .epub. Exemplos (1) e (2) Para saber mais …
  43. 43. Ausência de espírito críticoRedução da imaginação e criatividadeAlterações nas relações pessoaisPlágioQuestões éticasDificuldades de acesso à web...Conhecer: Projecto SeguraNet.
  44. 44. Literacia digitalEsta expressão pretende designar o uso eficazdos computadores, redes, telemóveis, etc e com ainformação assim disponibilizada.
  45. 45. Literacia tecnológicaEste tipo de literacia dirá respeito aosconhecimentos e competências básicas (bemcomo atitudes positivas) relativamente àstecnologias que levam as pessoas a lidar com elasde modo confiante no dia-a-dia.
  46. 46. Literacia e TIC
  47. 47. Neste domínio, acredita-se que o conhecimento que se tem do funcionamento dedeterminados equipamentos como o computador, o telemóvel, etc., bem como a suautilização eficaz na procura e gestão de informação podem trazer ganhos enormespara a aprendizagem.Logo, também cabe à escola em geral, e à BE em particular, a promoção dessascompetências. Iniciativas como o PTE têm procurado responder a este desafio.
  48. 48. À escola, aos educadores, à BE também cabe o papelde ajudar a compreender a tecnologia e avaliá-la demodo a que do seu uso se possam tirar os maioresbenefícios.Pressupõe não só habilidades mas pensamentocrítico na selecção daqueles que serão osequipamentos e ferramentas mais eficazes para odesenvolvimento das restantes literacias.
  49. 49. www.profteresa.net© Teresa Pombo, 2011 ~teresa.pombo@dgidc.min-edu.pt

×