Variação linguística 2

1.915 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.915
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
611
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Variação linguística 2

  1. 1. FALA E ESCRITA Variações linguísticas
  2. 2. ASSALTO À LÍNGUA PORTUGUESA OS MELHORES DO MUNDO http://www.youtube.com/watch?v=XWxAltA1J14 2
  3. 3. A ESCRITA apresenta as seguintes características: Presença de um leitor, sem, necessariamente, a presença física do autor, e mais, entre o momento da escrita e o tempo da leitura pode acontecer distância no tempo e no espaço; Produção reflexiva - Deve-se ter um plano de escrita, visto que, de acordo com a comunicação estrutura desejada, construímos um projeto do que vamos escrever e podemos recorrer a outros textos a fim de fundamentar as ideias. Revisão do texto - As reescritas serão marcas propostas pelo próprio produtor do texto. Texto à disposição do leitor - Depois de considerado pronto pelo autor e publicado, o texto fica à disposição do leitor, sem que o autor tenha domínio sobre as consequências. Possibilidade de escritas e reescritas - Muitas vezes, as escritas e reescritas são dependentes da autocrítica ou de posições do leitor; aliás, o segredo de bem escrever é reescrever até que o autor se sinta satisfeito. 3
  4. 4. EVOLUÇÃO DA LÍNGUA?! https://www.youtube.com/watch?v=FjZcfg9b8MY 4
  5. 5. A FALA apresenta as seguintes características: Pressuposição de um ouvinte - A comunicação é imediata, logo, na linguagem oral, há um falante e um ouvinte. Até mesmo naquele caso em que o falante diz que “fala com seus botões”, para dizer que está falando sozinho, há necessidade de um ouvinte. Rapidez na enunciação - Pensa-se e logo se enuncia, não há elaboração vocabular. Quando há diálogo, a fala acontece com naturalidade. Comunicação em que não há fontes para pesquisa - Fala-se o que se sabe ou se tem em mente, o que se diz é fruto de um saber e, se houver dúvida, o próprio interlocutor, no caso, o ouvinte, esclarece no momento da fala. Possibilidade de explicações, em caso de turnos de fala - Os pontos que tiverem ficado obscuros podem ser explicados. Por turnos de fala entende-se que, num diálogo, ou conversa de grupo, cada locutor fala e dá espaço para que outro falante tome a palavra. Retomadas, repetições e explicações, ainda em turnos de fala - O interlocutor retoma, repete e explica conforme o seu desejo. 5
  6. 6. VARIEDADES LINGUÍSTICAS Entendemos por variedades as diversas linguagens que usamos conforme a situação. Veremos as variedades sincrônicas, as que são usadas no tempo presente, por isso se diz num mesmo plano temporal; as variações diacrônicas, mudanças que acontecem em tempos diferentes, por exemplo, a linguagem de nossos avós é diferente da nossa. 6
  7. 7. Variedades Diacrônicas simultâneas, observáveis num mesmo plano temporal Trata-se das variedades dispostas em vários planos de uma só tradição histórica.). Pesquisa e observa as variações ocorridas em diferentes períodos históricos. Por exemplo, a variação de uma palavra no português medieval, depois no período dos oitocentos e na modernidade. Vamos a um exemplo usando a palavra “embora” numa visão diacrônica. No século XIX, dizia-se “em boa hora”; modernamente, usa-se “embora”, mas, na fala de jovens, hoje, pode-se ouvir “bora” ou até “bó”. 7
  8. 8. Variedades Sincrônicas simultâneas, observáveis num mesmo plano temporal Fatores geográficos - dialetos, ou falares próprios em uma região, vila ou aldeia. Será que se fala a mesma linguagem no Rio Grande do Sul e no Rio Grande do Norte? Veremos que há termos que são diferentes para designar a mesma situação. Fatores socioculturais - família, classe, padrão cultural, atividades habituais. Classes sociais diferentes apresentam formas diferentes de comunicação; por outro lado, conforme a profissão que o indivíduo exerce, pode trazer palavras do trabalho para a linguagem cotidiana. Fatores estilísticos – Trata-se da forma como cada indivíduo constrói sua comunicação para ficar adequado à situação de fala. Por exemplo, em uma 8
  9. 9. Variações Socioculturais • Idade - Refere-se à linguagem jovem, linguagem infantil e linguagem adulta. São realizadas análises com intuito de identificar o que uma difere de outras linguagens, como e quando é usada. • Sexo - Diz respeito à oposição entre a linguagem do homem e a da mulher. Estudos mostram de que forma a linguagem revela o preconceito de gênero numa sociedade e como os meios de comunicação de massa expressam certos tabus em relação ao feminismo e machismo. • Raça (ou cultura) - Corresponde às variações que são fruto de fatores etnológicos. No Brasil, por exemplo, as variações em regiões de maior imigração negra, ou de maior imigração europeia. 9
  10. 10. • Profissão: Diz respeito à linguagem técnica em que o locutor utiliza vocábulos referentes à atividade que exercem. É rica a variação entre vendedores ambulantes, jogadores e comentaristas de futebol, entre outros profissionais. • Posição social: O status do locutor determina a linguagem que vai usar. Um político tem uma expressão, um dirigente industrial ou um servente de pedreiro também, isto é, a linguagem varia de acordo com a cultura, posição social e instrução. • Grau de escolaridade: Uma simples frase falada ou escrita já revela a capacidade de reflexão, de escolha de variações mais cultas, conforme o grau de instrução do locutor. 10

×