Bulimia e Anorexia- 1B

344 visualizações

Publicada em

Trabalho de biologia
@ BIO 2015

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
344
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bulimia e Anorexia- 1B

  1. 1. E.E. Profº Luiz Gonzaga Righini Bulimia e Anorexia
  2. 2. Bulimia e Anorexia Objetivos:  Entender e compreender o que é Bulimia e Anorexia.  Sintomas  Consequências  Causas  Tratamento
  3. 3. Bulimia A bulimia é um distúrbio alimentar no qual uma pessoa oscila entre a ingestão exagerada de alimentos, com um sentimento de perda de controle sobre a alimentação, e episódios de vômitos ou abusos de laxantes para impedir o ganho de peso. Pessoas com bulimia estão sempre preocupadas com a aparência, principalmente com o peso.
  4. 4. Sintomas  Os sintomas mais comuns da bulimia são:  Preocupação excessiva com o peso e com a silhueta  Ter medo de ganhar peso  Perder o controle sobre o que come  Comer em excesso até sentir desconforto ou dor  Ir ao banheiro imediatamente após as refeições  Forçar o vômito após comer  Fazer uso de diuréticos e laxantes após comer  Usar suplementos diários de perda de peso
  5. 5. Consequências • As consequências da bulimia são variadas e graves e podem causar lesões irreversíveis ou de difícil tratamento. Alguns exemplos: depressão, fadiga, arritmia cardíaca, irregularidade menstrual, ossos e dentes frágeis, vasos sanguíneos dilatados na pele do rosto e problemas de estômago e esôfago). A pessoa bulímica chega a ingerir numa hora, em calorias, o que deveria consumir durante um dia inteiro. Ao sentir-se culpada pelo excessivo consumo de alimentos e para perder peso (ou para não ganhá-lo), a doente provoca o vômito, usa laxantes e pratica exercício físico em excesso. O continuar deste tipo de ações permite a manutenção do peso em níveis normais ou um pouco acima e, ainda, apresentar uma imagem aparentemente saudável. • Esta imagem "saudável" ilude a pessoa em relação ao seu problema e dificulta, aos outros, a percepção do mesmo. Por esta razão, a bulimia é uma doença que tende a prolongar-se no tempo. Os jovens, particularmente do sexo feminino, a partir da entrada na adolescência são o principal grupo de risco em relação a esta doença. A doente bulímica apresenta comportamentos típicos, tais como: . comer às escondidas; . ingerir compulsivamente alimentos excessivamente calóricos; . fazer grandes jejuns; . usar laxantes e diuréticos; . induzir o vômito; . praticar obsessivamente exercício físico.
  6. 6. Causas  A causa exata da bulimia ainda é desconhecida. Trata-se de um transtorno de alimentação e, por isso, muitos fatores podem estar envolvidos nos motivos que levam à sua ocorrência.  A influência exercida pela mídia sobre o comportamento e o padrão de beleza das pessoas também pode estar entre as possíveis causas da bulimia. O culto ao corpo magro e o desprezo às pessoas acima do peso pregado pela indústria da beleza e da moda, aparentemente, levam milhões de pessoas em todo o mundo a apresentar quadros de bulimia.  Dessa forma, a bulimia é um distúrbio de imagem, no qual o paciente não consegue aceitar seu corpo da forma como ele é, ou tem a impressão de que está acima do peso em níveis acima da realidade. Isso pode levar a um quadro de ansiedade, que faz a pessoa buscar maneiras bruscas de perder peso rapidamente, ao mesmo tempo em que busca conforto na comida.
  7. 7. Tratamentos  Pessoas com bulimia raramente vão ao hospital, exceto quando os ciclos de comportamento bulímico acarretam também em anorexia ou quando forem necessários medicamentos para ajudar a interromper a purgação e, também, em casos em que depressão profunda estiver presente.  Com mais frequência, uma abordagem passo a passo é usada para pacientes com bulimia. O tratamento depende da gravidade da bulimia, assim como a resposta da pessoa aos tratamentos. Veja exemplos:  Grupos de apoio podem ser úteis para pacientes em condições estáveis, que não têm nenhum problema de saúde  A terapia cognitivo-comportamental (TCC) e a terapia nutricional são os melhores tratamentos para a bulimia que não responde a grupos de apoio  Antidepressivos geralmente são usados para bulimia.  Os pacientes com bulimia podem desistir dos programas se tiverem esperanças não realistas de serem "curados" somente com terapia. Antes do início de um programa, deve-se esclarecer o seguinte:  Várias terapias provavelmente serão experimentadas até que o paciente possa superar esse distúrbio grave  É comum a bulimia retornar (recaída), mas isso não é motivo para desespero  O processo é doloroso e exige um trabalho árduo da parte do paciente e de sua família.
  8. 8. Anorexia • A anorexia é um distúrbio alimentar que provoca uma perda de peso acima do que é considerado saudável para a idade e altura. Pessoas com anorexia podem ter um medo intenso de ganhar peso, mesmo quando estão abaixo do peso normal. Elas podem abusar de dietas ou exercícios, ou usar outros métodos para emagrecer.
  9. 9. Sintomas • Os principais sintomas apresentados por uma pessoa com anorexia é: • Sentir medo enorme de engordar ou ficar acima do peso ideal, mesmo quando a pessoa está abaixo do peso normal • Recusar-se a manter o peso que é considerado normal ou aceitável para sua idade e altura (geralmente, pessoas com anorexia estão no mínimo 15% abaixo do peso normal) • Ter uma imagem corporal muito distorcida, ser muito focada no peso ou na forma corporal e se recusar a admitir a gravidade da perda de peso • Não menstruar por três ou mais ciclos. • As pessoas com anorexia podem limitar gravemente a quantidade de comida que ingerem e depois provocar vômitos. Outros comportamentos incluem: • Cortar a comida em pequenos pedaços ou movê-los no prato em vez de comê-los • Exercitar-se o tempo todo, mesmo quando o clima está ruim, a pessoa está machucada ou ocupada • Ir ao banheiro imediatamente após as refeições • Recusar-se a comer perto de outras pessoas • Usar comprimidos para urinar (diuréticos), evacuar (enemas e laxantes) ou reduzir o apetite (comprimidos para perda de peso). • Outros sintomas de anorexia podem incluir: • Pele manchada ou amarelada, seca e coberta por pelos finos • Pensamento confuso ou lento, junto com memória ou julgamento deficientes • Depressão • Boca seca • Extrema sensibilidade ao frio (vestir várias camadas de roupas para ficar aquecido) • Perda de resistência óssea • Desgaste dos músculos e perda de gordura corporal.
  10. 10. Consequências • Consequências físicas: • Menstruação irregular ou inexistente; • Debilidade dos órgãos; • Desenvolvimento de distúrbios associados à desnutrição; • Arritmias cardíacas*; • Perda muito rápida de peso; • Não desenvolvem os caracteres sexuais secundários. • Consequências psicológicas: • Desgaste emocional; • Preocupação excessiva pela alimentação; • Ansiedade.
  11. 11. Causas • A anorexia é um distúrbio de imagem, no qual o paciente não consegue aceitar seu corpo da forma como ele é, ou tem a impressão de que está acima do peso em níveis acima da realidade. Isso pode levar a um quadro de ansiedade, que faz a pessoa buscar maneiras bruscas de perder peso rapidamente. • A causa exata da anorexia ainda é desconhecida, mas acredita-se que fatores biológicos, psicológicos e ambientais estejam envolvidas nas causas possíveis para a doença. • Os genes e os hormônios podem desempenhar um papel no seu desenvolvimento. Atitudes sociais que promovem tipos de corpos muito magros também podem estar envolvidas. • Por muito se acreditou que conflitos familiares contribuíam para a anorexia e outros distúrbios alimentares. No entanto, essa ideia não é mais difundida.
  12. 12. Tratamento • O maior desafio no tratamento da anorexia é fazer a pessoa reconhecer que tem uma doença. A maioria das pessoas com anorexia nega que tem um distúrbio alimentar. Em geral, as pessoas somente começam um tratamento quando a doença já atingiu seu estado grave. • Geralmente, uma pessoa com anorexia precisa de vários tipos de tratamento. Os objetivos do tratamento para a anorexia são recuperar o peso corporal e os hábitos alimentares normais. Um ganho de peso de 0,5 a 1,4 kg por semana é considerado um objetivo seguro pelos médicos. • Vários programas diferentes foram desenvolvidos para tratar da anorexia. Às vezes, a pessoa pode ganhar peso: • Aumentando as atividades sociais • Reduzindo a atividade física • Usando programas para alimentação • Vários pacientes começam com uma permanência curta no hospital para acompanhamento com um programa de tratamento diário. • A permanência prolongada no hospital, no entanto, pode ser necessária se: • A pessoa tiver perdido muito peso (estar abaixo de 70% do peso corporal ideal para sua idade e altura). Em caso de subnutrição grave que coloca a vida em risco, a pessoa pode precisar ser alimentada por sonda venal ou por um tubo de alimentação no estômago • A perda de peso continuar, mesmo com o tratamento
  13. 13. Tratamento • Surgirem complicações médicas, como problemas cardíacos, confusão ou desenvolvimento de níveis baixos de potássio • A pessoa tiver depressão grave ou pensar em cometer suicídio • Em geral, o tratamento para a anorexia é bastante difícil e exige trabalho árduo dos pacientes e suas famílias. Muitas terapias podem ser tentadas até o paciente superar o distúrbio. É preciso muita paciência e persistência, pois os pacientes podem desistir dos programas se tiverem esperanças não realistas de serem "curados" somente com terapia. • Diferentes tipos de psicoterapias são usadas para tratar de pessoas com anorexia, mas tanto a terapia comportamental cognitiva individual, a terapia de grupo e a terapia familiar são bem-sucedidas neste sentido. • O objetivo da terapia é mudar os pensamentos ou o comportamento de um paciente para encorajá-lo a comer de maneira mais saudável. Esse tipo de terapia é mais útil para o tratamento de pacientes mais jovens, que não tiveram anorexia por muito tempo. Se o paciente for jovem, a terapia pode envolver toda a família. • Grupos de apoio também podem fazer parte do tratamento da anorexia. Neles, pacientes e familiares se encontram e compartilham suas experiências pelo que passam. • Medicamentos, como antidepressivos, antipsicóticos e estabilizadores de humor podem ajudar alguns pacientes, desde que usados sob a devida orientação médica.
  14. 14. Bibliografia • http://www.minhavida.com.br/saude/t emas/bulimia • http://www.minhavida.com.br/saude/t emas/anorexia
  15. 15. Ana Carolina Sousa da Silva N°:02 1°B

×