Sao paulo gp08-po&nm-men- in_ black_ consulters

636 visualizações

Publicada em

MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Projetos
Turma 8 Berrini – São Paulo
Disciplina: Project Office e Nível de Maturidade
Prof: Marco Antonio Coghi
Integrantes:
Camila Sales Lapa
Esteban Jorge Fuentes
Evandro Re Tsutsui
Marcos De Paula Ferreira
Mario Flavio Guimaraes

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Introdução: ok;
    Objetivo do trabalho: ok;
    Identificação: ok;
    Categorização: ok;
    Avaliação: ok;
    Seleção: ok;
    Priorização: ok;
    Balanceamento: sugere-se que o gráfico de bolhas contemple 4 variáveis;
    Rebalanceamento: ok;
    Benefícios do PMO: ok;
    Foco de implementação: ok;
    Função do PMO: ok;
    Modelo de PMO: ok;
    Nível hierárquico: ok;
    Profissionais: ok;
    Etapas de implementação: sugere-se justificar as etapas de implementação;
    Métricas: ok;
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
636
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
186
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sao paulo gp08-po&nm-men- in_ black_ consulters

  1. 1. MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Projetos Turma 8 Berrini – São Paulo Disciplina: Project Office e Nível de Maturidade Prof: Marco Antonio Coghi 6 De Julho de 2012
  2. 2. Introdução e Objetivo do trabalho LISARB, país integrante do mundo da FGV Management, tem como visão crescer e se desenvolver para ser um dos países líderes da região. O seu Presidente, o Professor Marco Antonio Coghi, contatou- se com para a elaboração de uma proposta de colaboração que permita a LISARB atingir os seus objetivos estratégicos. , é uma empresa com ampla experiência em Gerenciamento Profissional de Portfólio em países emergentes e possui uma basta carteira sucedida de projetos de Implementação de PMO, e com certeza, com esta proposta poderá assistir a LISARB para que atinja com a totalidade dos seus objetivos estratégicos.
  3. 3. Objetivos Estratégicos de LISARB  Aliança por um LISARB mais justo  Política cidadã baseada em princípios e valores  Educação para a sociedade do conhecimento  Economia para uma sociedade sustentável  Proteção social  Qualidade de vida e segurança para todos os Lisarbeanos  Cultura e fortalecimento da diversidade  Política externa para o século 21  Combate à corrupção
  4. 4. Os Consultores
  5. 5. Gerenciamento Profissional de Portfólio de LISARBIntrodução ao Gerenciamento de PortfólioIdentificação de Projetos CandidatosCategorização dos ProjetosAvaliação e Seleção dos ProjetosPriorização dos ProjetosBalanceamento do PortfólioIteração
  6. 6. Introdução ao Gerenciamento Profissionaldo Portfólio O Gerenciamento Profissional de Portfólio é o gerenciamento centralizado de todos os projetos eprogramas que conformam o portfólio da organização, visando atingir os seus objetivos estratégicos. Essa responsabilidade recai no Escritório de Projetos(PMO), que concentra as tarefas de planejar o portfólio(P), executar os projetos (D), checar os resultados (C) e agir (A) sobre as não-conformidades.
  7. 7. Introdução ao Gerenciamento Profissionaldo PortfólioAs tarefas que inclui o GerenciamentoProfissional de Portfólio são: Identificar Categorizar Avaliar Selecionar Priorizar Balancear Autoriz ar
  8. 8. Identificação dos Projetos Candidatos Educação para Criminalidade 100% legal todos zero Drogas tô fora Mundo sem Burocracia conflitos Lisarb seguro Formando zero cidadão Crescendo Analfabetismo Igualmente verde zero diferentes Lisarb Um país mais Água é vida sustentável justo Política sem Life limites Transparência Mercado Fazendo a Ficha limpa Mundial Chegando coisa certa mais longeA partir dos objetivos estratégicos foram identificados os projetos candidatos a formar partedo portfólio de Lisarb. Por cada projeto foi feita uma ficha com uma descrição do projeto,que objetivos atende, uma estimação do prazo e dos recursos necessários, os resultadosesperados, os possíveis riscos , os principais stakeholders, o sponsor e os clientes.
  9. 9. Projetos Candidatos Categorizados Burocracia 100% legal zero Fazendo a Crescendo Transparência Água é vida coisa certa verde Um país mais Lisarb Ficha limpa Life justo sustentável Criminalidade Chegando zero mais longe Igualmente Lisarb seguro diferentes Mundo sem Mercado Educação para Drogas tô fora conflitos Mundial todos Política sem Analfabetismo Formando zero limites cidadãoCom o auxilio das fichas feitas durante a identificação, os projetos foram agrupados em“programas” tendo em conta características em comum: recursos, clientes, objetivos queatendem.
  10. 10. Av a l i a ç ã o e S e l e ç ã o d o s P r o j e t o s - C r i t é r i o s• Para a avaliação e priorização dos projetos foi considerada uma pontuação da media ponderada dos seguintes critérios: – Urgência da necessidade (40%): Quando é necessário ter o projeto pronto? Nota 5: muito urgente (próximo ano); Nota 1: pouco urgente (5 anos ou mais) – Penetração social (30%): Quantas pessoas serão beneficiadas pelo projeto? Nota 5: mais de 5 milhões de lisarbeanos; Nota 1: menos de 500 mil lisarbeanos) – Prazo de execução (20%): O projeto atende a necessidade? Atende a urgência antecipadamente, Nota 1: atende a urgência – Custo (10%): Quanto é o custo por habitante beneficiado? Nota 5: menos de 500 R$/hab; Nota 1: mais de 5000 R$/hab.• O critério de seleção é: – Projetos com pontuação total superior a 2,5. – Todos os programas terão no mínimo um projeto (para garantir que todos os objetivos estratégicos sejam tocados)
  11. 11. Av a l i a ç ã o e S e l e ç ã o d o s P r o j e t o s Ponderação 40% 30% 20% 10% Urgência da Penetração Categorias Projetos Pontuação Prazo Custo necessidade social Educação para todos 3,90 5 4 3 1Desenvolvimento Analfabetismo zero 2,70 2 3 3 4 Humano Formando cidadão 2,70 3 3 2 2 Drogas tô fora 3,30 2 4 5 3 Life 3,90 4 5 3 2 Crescimento Lisarb sustentável 2,30 2 3 2 2 Sustentável Água é vida 2,50 2 3 3 2 Crescendo verde 3,20 3 3 4 3 Um país mais justo 3,00 1 5 3 5 100% legal 2,90 4 2 2 3 Burocracia zero 2,70 4 2 2 1 Política Interna Fazendo a coisa certa 2,10 2 2 3 1 Transparência 3,50 4 3 4 2 Ficha limpa 4,30 5 4 4 3 Igualmente diferentes 3,00 2 4 3 4 Criminalidade zero 4,20 4 5 4 3 Cidadania Chegando mais longe 2,80 4 2 2 2 Lisarb seguro 2,90 3 2 4 3 Política sem limites 3,30 4 3 3 2 Política Externa Mercado mundial 2,40 3 1 2 5 Mundo sem conflitos 3,10 2 4 5 1
  12. 12. PriorizaçãoDesenvolvimento Crescimento Política Interna Cidadania Política Externa Humano Sustentável 1-Educação 1-Criminalidade 1-Política sem 1-Life 1-Ficha Limpa para todos zero limites 2-Crescendo 2-Igualmente 2-Mundo sem 2-Drogas tô fora 2-Transparência Verde diferentes conflitos 3-Um país mais justoEntre os projetos escolhidos dentro de cada programa, a prioridade dos projetos foi dadaem função á maior “Urgência da Necessidade”, sendo os mais urgentes os mais prioritarios.
  13. 13. Balanceamento do Portfólio 6 Urgência da Necessidade 5 Desenvolvimento Humano 4 Crescimento Sustentável 3 Política Interna 2 Cidadania 1 Política Externa 0 ProgramaO balanceamento do portfólio procurou ter quantidades semelhantes de projetos para cadaprograma, ter projetos a curto e longo prazo (Urgência da Necessidade), e equilibrar asimportância do projetos (tamanho das bolhas), dada pela pontuação obtida na avaliação.
  14. 14. Iteração • O trabalho apresentado é o fruto de varias iterações até atingir um portfólio balanceado, ajustado às finanças do país, e orientado a atingir todos os objetivos estratégicos de LISARB. • Nas varias rodadas foram adequados os critérios de avaliação e seleção, reavaliados todos os projetos, alguns foram redesenhados, e foram incluídos novos projetos até atingir o portfólio balanceado apresentado neste trabalho.
  15. 15. Implementação de Escritório de Projetos em LISARBIntrodução à implementação de PMOPesquisa de Maturidade em GPFocoFunçãoModeloNível HierárquicoProfissionais EnvolvidosEtapas de implementaçãoMétricas de Sucesso
  16. 16. Introdução à implementação de PMO• PMO é o suporte para a melhor Utilização das Técnicas de Gerenciamento de Projetos na Organização:• Ter um PMO na organização gera benefícios a todos os stakeholders dos projetos:
  17. 17. Introdução à implementação de PMO Em resumo, um escritório de projetos (PMO) vai incrementar as chances de sucesso do plano estratégico de LISARB por meio de projetos mais previsíveis, controláveis e transparentes. E pode ajudar a LISARB para ter sucesso durante a implementação do PMO.
  18. 18. Introdução à implementação de PMODurante a implementação do Escritório de Projetos (PMO) emLISARB, recomenda considerar alguns fatores críticosque vão aumentar as chances de sucesso:• Manter a implantação o mais simples possível;• Fazer um planejamento detalhado do processo de implementação do PMO.• Compartilhar as expectativas e objetivos do processo;• Focar os principais problemas da organização;• Proporcionar auxílio aos gerentes de projeto;• Realizar testes pilotos das metodologias desenvolvidas;• Estabelecer metas incrementais;• Comunicar os sucessos atingidos pelo PMO;
  19. 19. Pesquisa de Maturidade em GP Resultado Pesquisa LISARB 40 Questões Classificação:Não Aplicável • Acima 160 Nível 5 • 121 – 160 Nível 4 • 81 – 120 Nível 3 • 41 – 80 Nível 2 • 10 – 41 Nível 1Aplicável >80% Antes de começar com a implementação é necessário saber a situação atual de LISARB respeito a gerenciamento de projetos. Isso vai permitir idear um plano de implementação de acordo as necessidades da organização. Existem vários métodos para esta pesquisa, sendo os mais conhecidos: OPM3 do PMI; PMMM; CMMI; PM3 e MMGP.
  20. 20. Foco• Benefits Tracking y Issues Tracking.A idéia é gerar um ministério de PMO que de suporte nos procedimentos nos projetos dos demais ministérios e que realize a controladoria dos projetos para informar à presidência o status e possíveis melhorias.Os GPs se concentram nos objetivos especificados de cada projeto, monitorando os benefícios e os problemas no decorrer de sua implementação, enquanto que o PMO direciona seus esforços no sentido de prover práticas que promovam alcançar os objetivos estratégicos traçados por LISARB .
  21. 21. Função• Métodos e procedimentos.Este novo ministério vai desenvolver os processos de projetos que os demais ministérios vão utilizar. Dentre estes processos destacam-se: – Desenvolvimento da Metodologia de Gerenciamento dos Projetos – Elaboração do Processo de Comunicação e Reporte – Definição da Gerência dos Stakeholders – Definição da Gerência das MudançasOs recursos para os projetos serão responsabilidade dos ministérios (Estado e/ou Prefeitura).• Integração do Negócio.O ministro de PMO vai formar parte do gabinete e ser o responsável de desenvolver o portfólio de projetos junto com todos os outros ministérios
  22. 22. Modelo• Modelo Torre de Controle O Modelo Torre de Controle será adotado pelo governo nacional da LISARB, de modo que o PMO se encarregará de padronizar os projetos de todos os ministérios, será utilizado como suporte na utilização dos padrões definidos e realizará a auditoria dos projetos para avaliar os eventuais desvios e incentivará a melhoria dos mesmos de acordo com as necessidades e características da LISARB. Será também responsável por fazer os relatórios de status dos projetos para apresentar a todo o gabinete. Nos relatórios irá comparar o status dos projetos com o portfólio planejado e propor ajustes a serem realizados para obter melhores resultados (o ciclo PDCA do gerenciamento profissional de Portfólio).
  23. 23. Nível Hierárquico Presidente de LISARB Marco Antonio Coghi Ministério de Ministério de Ministério de Ministério de Ministério de Outros PMO Fazenda Saúde Justiça Defesa Ministérios Suporte de Projetos Projetos Projetos Projetos Projetos ProjetosNíveis 2 e 3: O ministro vai participar do gerenciamento de portfólio (nível 3, estratégico) evai dar suporte nos ministérios visando processos e otimização de recursos (nível 2). O níveloperacional (Nível 1) ficará como responsabilidade de cada Ministério de acordo com cadaprojeto em questão.
  24. 24. Profissionais Envolvidos Proposta de estrutura de cargos a ser adotada no PMO • O ministro de PMO (a ser escolhido pelo presidente), será treinado pela , para que seja responsável pela Direção Executiva do Ministério de PMO. • Inicialmente, o Ministério de PMO terá 3 gerentes, 5 experts em treinamento, 5 experts em metodologias e 7 especialistas em documentação. • Cada gerente terá uma cesta de projetos dos ministérios sob sua responsabilidade, a serem definidos conforme estratégia da Direção Executiva do Ministério de PMO.
  25. 25. Profissionais Envolvidos • Os experts em treinamento serão os responsáveis por disseminar os padrões e as boas práticas a serem adotados por cada um dos ministérios em seus projetos. • Os experts em metodologias subsidiarão o Ministério de PMO com as metodologias a serem adotadas durante a condução dos projetos pelos ministérios. • Os especialistas em documentação terão a função de fornecer os templates de cada documento conforme metodologia(s) adotada(s), além de organizar e controlar a geração dos documentos referentes a cada fase dos projetos de cada ministério.
  26. 26. Etapas de Implementação• Pesquisa de Maturidade: 3 meses.• Desenvolver os processos de gerenciamento de projetos, padrões e procedimentos: 2 meses.• Desenvolver ferramentas, templates e métricas: 6 meses.• Selecionar os projetos pilotos: 1 mês.• Conduzir os projetos pilotos: 12 meses• Avaliar os projetos pilotos: 2 meses• Refinar os processos de gerenciamento de projetos: 3 meses:• Iniciar a inclusão de projetos adicionais ao novo processo de gerenciamento.
  27. 27. Métricas de Sucesso Portfólio: • Mudanças solicitadas vs aprovadas • Projetos em andamento separadas por área de conhecimento • Satisfação dos Lisarbeanos (custo, prazo, qualidade, etc.) • Quantidade de Requisições de • Riscos não mapeados; Projetos por ministério / programa • Valor agregado (EVA): SPI e CPI do Recursos: portfólio (por programa) • Desempenho dos Gerentes de Projeto; Projetos: • Evolução dos Recursos humanos; • Valor agregado (EVA): SPI e CPI dos • Necessidade de treinamento; projetosAs métricas de sucesso procuram mostrar o status dos projetos e do portfólio e outrosfatores críticos para o sucesso dos projetos. Estas métricas servem de fundamento para asdecisões do Governo de LISARB (de manter ou mudar o planejado)
  28. 28. Obrigado!!!!

×