Diretores:Carlos Alberto C. M. FilhoAndré CarvalhoLuiz Gustavo QueirogaJuliana Mª MoreiraDaniele Pontes Bezerra
EMPRESA
ORIGEM DO PROJETO                            Businiess CaseBREVE HISTÓRICOHoje em dia, o transporte de cargas se tornou um...
1. STAKEHOLDERS1. População;2. Equipe de entrega;3. Consumidores;4. Secretaria de transporte;5. Departamento comercial;6. ...
2. REQUISITOS1. Fluxo contínuo em horários de pico;2. Diminuição do tempo de espera na rota;3. Entrega no prazo determinad...
3. RESTRIÇÕES1. Determinação do horário de piso: 15h as 19h;2. Determinação do tempo máximo de entrega;3. Cumprimento do p...
A estrutura organizacional proposta, é a Matricial Fraca. A estruturaorganizacional visa superar as principais dificuldade...
FAE´S
FAE´S - Ambiente Especifico1. Fornecedores: Podemos dividir os fornecedores do projeto em dois   tipos:1.1. Fornecedores I...
FAE´S - Ambiente Geral1. Variáveis Políticas: Decisões que o governo possa vim a tomar,   podem influenciar no andamento d...
WBS
PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS
1. COMO INICIAR1.   Definir o escopo inicial (levar em consideração as limitações     de transporte e as necessidades de c...
2. COMO PLANEJAR1.  Coletar requisitos;2.  Detalhar escopo inicial;3.  Criar a EAP;4.  Definir atividades;5.  Alinhas as a...
3. COMO EXECUTAR1.   Alinhar a equipe aos objetivos do projeto;2.   Capacitar a equipe;3.   Parametrização do sistema de r...
4. COMO MONITORAR1.   Medição/Controle de entrega;2.   Monitorar a equipe do projeto;3.   Medir nova roteirização através ...
5. COMO ENCERRAR1.   Reunião de fechamento;2.   Conclusão da fase de aquisição;3.   Lições Aprendidas; e4.   Finalizar con...
ATIVOS DE PROCESSOS                  ORGANIZACIONAIS - APOA Coca Cola não dispõe de uma base de conhecimento (InformaçõesH...
LISTA DE ATIVIDADES POR PACOTE DE TRABALH O
LISTA DE ATIVIDADES POR PACOTE DE TRABALH O
ORÇAMENTO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Recife gp11 - grupo...

911 visualizações

Publicada em

Carlos Alberto C. M. Filho, André Carvalho, Luiz Gustavo Queiroga, Juliana Mª Moreira e Daniele Pontes Bezerra.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
911
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Recife gp11 - grupo...

  1. 1. Diretores:Carlos Alberto C. M. FilhoAndré CarvalhoLuiz Gustavo QueirogaJuliana Mª MoreiraDaniele Pontes Bezerra
  2. 2. EMPRESA
  3. 3. ORIGEM DO PROJETO Businiess CaseBREVE HISTÓRICOHoje em dia, o transporte de cargas se tornou um grande problema dentrodas cidades. Além de causar muito incômodo com seus altíssimos níveis deruídos, causam intensa poluição atmosférica, e acima de tudo, grandestranstornos ao centros urbanos, tais como, congestionamentos, áreas paraestacionar entre outros.Em função dos problemas listados acima, a Secretaria de Transporte dePernambuco, a partir do dia 16/11/2011, vai restringir as entregas emalgumas vias urbanas em horários de pico. Em função da restrição, algumasalternativas serão criadas para manter os padrões de entrega sem afetar asatisfação do cliente.PRODUTO Nova regra para distribuição de produtos em vias urbanas.
  4. 4. 1. STAKEHOLDERS1. População;2. Equipe de entrega;3. Consumidores;4. Secretaria de transporte;5. Departamento comercial;6. Departamento financeiro; e7. Concessionárias (fornecedores).
  5. 5. 2. REQUISITOS1. Fluxo contínuo em horários de pico;2. Diminuição do tempo de espera na rota;3. Entrega no prazo determinado;4. Adequação para novas diretrizes;5. Aumento no volume de vendas;6. Diminuição do juros referente; e7. Inovação no modelo de veículos.
  6. 6. 3. RESTRIÇÕES1. Determinação do horário de piso: 15h as 19h;2. Determinação do tempo máximo de entrega;3. Cumprimento do plano de roteirização;4. Adequação das vias públicas para área de descarga;5. Alinhamento das vendas com a capacidade de operação;6. Prioridade das entregas horários estabelecidos; e7. Adaptação de fornecedores de frota.
  7. 7. A estrutura organizacional proposta, é a Matricial Fraca. A estruturaorganizacional visa superar as principais dificuldades encontradas pelotransporte de cargas em perímetros urbanos que afetam as vias, trazendodesconforto ao trânsito, segundo as exigências da Secretaria deTransporte, sem afetar a performance de entrega.FUNÇÃO ADOTADA PELO PMODesenvolver projetos internos na planta (Guararapes) que fica situada emprazeres.
  8. 8. FAE´S
  9. 9. FAE´S - Ambiente Especifico1. Fornecedores: Podemos dividir os fornecedores do projeto em dois tipos:1.1. Fornecedores Internos: Os colaboradores da Coca Cola de outrossetores que destinarão uma parte do seu esforço diário para realizar oprojeto SinalVerde.1.2. Fornecedores Externos: Podemos enquadrar como fornecedoresexternos as concessionaria de caminhões e equipamentos.2. Clientes: São constituídos pelos bares, supermercados, restaurantes,eventos esportivos, etc.3. Concorrentes: A disputa pelo cliente.4. Agentes Controladores: A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano(CTTU) é quem ira realizar o monitoramento dos caminhões nas áreascentrais da cidade.
  10. 10. FAE´S - Ambiente Geral1. Variáveis Políticas: Decisões que o governo possa vim a tomar, podem influenciar no andamento do projeto.2. Variáveis Tecnológicas: Novos sistemas podem ser desenvolvidos para ajudar a Coca Cola no planejamento da distribuição de seus produtos.3. Variáveis Sociais: Hoje a sociedade que trafega pelas áreas centrais do Recife são diretamente afetas com trafego dos caminhões da empresa. A tendência é que o congestionamento diminua com esse novo projeto de circulação de caminhões.4. Variáveis Econômicas: A tendência é que com essa nova política de tráfego, a Coca Cola sofra um aumento nos custos logísticos para realizar a mesma quantidade de entregas. Para que a Coca Cola não arque com esse prejuízo, a tendência é que o preço de seus produtos (Coca Cola, Água, Energéticos, etc.) sejam reajustados, afetando assim a economia local.
  11. 11. WBS
  12. 12. PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS
  13. 13. 1. COMO INICIAR1. Definir o escopo inicial (levar em consideração as limitações de transporte e as necessidades de clientes);2. Identificar os Stakeholders;3. Verificar a necessidade dos stakeholders ;4. Apresentar o TAP (termo de abertura de projeto) ao Sponsor ;5. Definir GP; e6. Integração dos stakeholds.
  14. 14. 2. COMO PLANEJAR1. Coletar requisitos;2. Detalhar escopo inicial;3. Criar a EAP;4. Definir atividades;5. Alinhas as atividades; CRONOGRAMA6. Definir caminho crítico;7. Definir as ações emergências (caminho crítico);8. Estimar custos;9. Alocação de equipe de projetos;10. Definir sistemática de comunicação;11. Plano de gerenciamento de risco; e12. Aquisição infra estrutura.
  15. 15. 3. COMO EXECUTAR1. Alinhar a equipe aos objetivos do projeto;2. Capacitar a equipe;3. Parametrização do sistema de roteirização;4. Autorização a equipe para implementar o projeto; e5. Divulgar informação do projeto aos Stakeholders.
  16. 16. 4. COMO MONITORAR1. Medição/Controle de entrega;2. Monitorar a equipe do projeto;3. Medir nova roteirização através do GPS; e4. Termo de aceite assinado pela equipe /cliente.
  17. 17. 5. COMO ENCERRAR1. Reunião de fechamento;2. Conclusão da fase de aquisição;3. Lições Aprendidas; e4. Finalizar contratos.
  18. 18. ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - APOA Coca Cola não dispõe de uma base de conhecimento (InformaçõesHistóricas e Lições Aprendidas) para o projeto SivalVerde.Os Ativos de Processos Organizacionais do projeto são baseadosapenas nos processos e procedimentos da empresa.
  19. 19. LISTA DE ATIVIDADES POR PACOTE DE TRABALH O
  20. 20. LISTA DE ATIVIDADES POR PACOTE DE TRABALH O
  21. 21. ORÇAMENTO

×