Implantação de PMO em LISARB

221 visualizações

Publicada em

Titulo: Implantação de PMO em LISARB
Alunos:Daniel Gustavo Guardia,Edson Almeida,João Roberto Marquesin,Martin Lietz,Rodolfo Cordioli Azzi,Wesley Silva,
Cidade: Jundiaí
Disciplina: PMO
Turma: GP21
Data:24-04-2015
Hora:12:01
Comentarios:
Publico até ápos a correção

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
221
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Implantação de PMO em LISARB

  1. 1. Engesix Management Consulting Gerenciamento de Portfólio e PMO Professor Marco Antonio Coghi Turma PROJ_21 - 2015 Jundiaí, São Paulo Implantação de PMO em LISARB
  2. 2. Empresa • Engesix é uma empresa de consultoria com sólida experiência no mercado “mundial”, implantando Escritórios de Projetos ( PMO ) com expertise por mais de 25 anos em cerca de 48 países, sendo 100% de sua equipe formados pela internacionalmente reconhecida unidade de ensino FGV ( Fundação Getulio Vargas ). • Principais Cases: – Implantação de PMO na Nasa; – Implantação de PMO na Sede das Nações Unidas; – Implantação de PMO no Governo Americano.
  3. 3. Equipe de Implantação • Daniel Guardia • Edson Almeida • João Marquesin • Rodolfo Cordioli • Wesley Silva • Martin Lietz
  4. 4. Nível de Maturidade de LISARB • Baseado no modelo de medição de Kerzner – PMMM ( Project Management Maturity Model ), o resultado da pesquisa de maturidade de LISARB explicita-se no nível 1, ou seja, o Sr. Presidente e seus Assessores sentem a necessidade de adotar uma formalização na maneira de como gerencia os projetos. 1 – Linguagem Comum 2 – Processos Comuns 3 – Metodologia Singular 4 – Benchmarking 5 – Melhoria Contínua Conhecimento Básico Processos Definidos Processos Controlados Processos Aprimorados LISARB
  5. 5. Benefícios – Aumento do controle nos projetos, traduzindo em economia; – Aumento da credibilidade / confiabilidade de LISARB perante seus clientes; – Fortalecimento das bases de planejamento do país; – Crescimento sustentável mediante obtenção de sucesso nos projetos à serem implantados.
  6. 6. Hierarquia • Baseado no baixo nível de maturidade diagnosticado através da pesquisa realizada, a hierarquia sugerida é H3, ou seja, PMO “estratégico” , implantando-se subsequentemente as hierarquias 1 e 2.
  7. 7. Função • Integração com o Negócio, isso devido a natureza estratégia H3, estruturando de forma organizada as hierarquias subsequentes que serão implantadas.
  8. 8. Modelo • Torre de Controle, considerando-se a sugestão de implantação de um PMO com hierarquia 3, visamos desempenhar estratégias e padrões estruturados e coordenados de maneira Top Down.
  9. 9. Arquitetura do Modelo Presidente PMO Categoria 3 Governadores PMO Categoria 2 Governadores PMO Categoria 2 Prefeitos e Vereadores PMO Categoria 1 Prefeitos e Vereadores PMO Categoria 1 Pool de recursos
  10. 10. Métricas de Sucesso • Indicador EVM; • Indicador de performance de tempo; • Indicador de performance de custo; • Indicador de satisfação dos clientes; • Indicador de avaliação de fornecedores. • Através destas métricas será possível monitorar / controlar os Projetos de forma a realizar mudanças necessárias até se atingir o resultado esperado.
  11. 11. Etapas de Implementação do PMO 1 - Preparar o Terreno; 2 - Começar com metas de curto prazo; 3 – Caminhar com as soluções de longo prazo; 4 – Manter e aprimorar. Seguir as etapas significa minimizar problemas tais como: Diminuição do entusiasmo da Gerência; Questionamento do Valor do PMO; Equívocos na escolhas de membros importantes do Staff ( gerência ), etc.
  12. 12. WBS ( Estrutura analítica do Projeto )
  13. 13. Objetivos do Planejamento Estratégico de LISARB 1 – Aliança por um Lisarb mais justo; 2 – Política cidadã baseada em princípios e valores; 3 – Educação para a sociedade do conhecimento; 4 – Economia para uma sociedade sustentável; 5 – Proteção social; 6 – Qualidade de vida e segurança para todos os Lisarbeanos; 7 – Cultura e fortalecimento da diversidade; 8 – Política externa para o século 21; 9 – Combate à corrupção.
  14. 14. Gerenciamento de Portfólio para LISARB 1 - Identificar Projetos / Programas; 2 - Categorizar; 3 - Avaliar; 4 - Selecionar; 5 - Priorizar; 6 - Balancear ( se não estiver balanceado, voltar em 1 ); 7 - Autorizar portfólio.
  15. 15. Identificar Projetos / Programas e Categorização • Neste processo de Categorização, cada Projeto / Programa ficará abaixo da sua Categoria intimamente relacionada.
  16. 16. Avaliação Criterios Pesos Legenda para notas 0.0 5.0 10.0 Atendimento 30% 0% 10% >20% Duração do projeto 10% >2 anos Até 2 anos Até 1 ano Budget do projeto/Budget total 15% > 5% Até 5% < 3% IDH 20% Sem alter. 15% alteração > 49% Expectativa de sucesso 25% Nenhuma 50% 100% • No processo de avaliação podemos observar que para cada critério haverá um peso, isso devido ao grau de relevância do critério.
  17. 17. Seleção • Para Seleção dos Projetos, foi considerado os seguintes critérios: • Budget do Projeto deve menor que 3% do valor do Budget Total; • Duração do Projeto até 1 ano.
  18. 18. Priorização CRITÉRIO PASQUALE ABC POLÍCIA 24 HORAS OPERAÇÃO SÉRGIO MORO 100% JUSTIÇA TODOS CONTRA A DENGUE CIDADE ELETRÔNICA ENERGIA LIMPA PESO NOTA MÉDIA NOTA MÉDIA NOTA MÉDIA NOTA MÉDIA NOTA MÉDIA NOTA MÉDIA NOTA MÉDIA NOTA MÉDIA POPULAÇÃO 30% 5 1,5 5 1,5 10 3 10 1 10 3 5 Q,5 5 1,5 10 9 EXPECTATIVA 25% 10 2,5 10 2,5 5 1,25 10 2,5 5 1,25 5 1,5 10 2,5 10 2,5 IDH 20% 10 2,5 10 2 10 2 5 1 10 2 10 2 5 1 5 1 BUDGET 15% 5 0,75 5 0,75 5 0,75 10 1,5 10 1,5 10 1,5 10 1,5 5 0,75 DURAÇÃO 10% 5 0,5 5 0,5 5 0,5 10 1 5 0,5 10 1 5 0,5 10 1 RESULTADO 7,25 7,25 7,5 8,25 8,25 7,25 7 8,25
  19. 19. Balancear 9 8 7 6 5 4 3 2 1 EDUCAÇÃO SEGURANÇA GOVERNO JUSTIÇA SAÚDE TECNOLOGIA SUSTENTABILIDADE CATEGORIAS OBJ.ESTRATÉGICOS ORÇAMENTO PRAZO 0 5 10
  20. 20. RODAR O PDCA P.E ID CAT AVAL SEL PRI BAL AUT P DC A A P DC PORT. APROV. PORTFÓLIO GER. DE PROJ. / PROG. PRODUTO OPERAÇÃO MONITORAR INDICADORES MUDANÇAS ESTRATÉGICAS
  21. 21. CONCLUSÃO Visto o gráfico não ter ficado balanceado, voltamos ao processo de identificação seguindo o ciclo novamente, onde alguns projetos que foram deixados de lado, voltaram a fazer parte do portfólio, até que se balanceou. Para que houvesse o balanceamento foi alterado o critério de eliminação de Projetos / Programas.

×