Implantação de PMO
em LISARB
Gerenciamento de Portfólio e PMO
FGV Paulista GEEP | T38
19/02/2015
A Empresa
2
A UNION CONSULTING é uma empresa de consultoria com 14 anos de
experiência em gerenciamento de projetos e port...
Objetivo
3
A consultoria tem como objetivo entender o cenário atual e
necessidades de LISARB, identificando o seu nível de...
Os Consultores
 Anderson Silva é graduado em
Sistemas de Informação pela
Universidade Mackenzie,
certificado ITIL e espec...
LISARB
 LISARB está em um momento de
transição política, econômica e de
qualidade de vida, com crescentes
investimentos e...
LISARB
1. Aliança por
um LISARB
justo
2. Política
cidadã baseada
em princípios e
valores
3. Educação
para a
Sociedade do
C...
Maturidade
Linguagem
Comun
Processos
Comuns
Metodologia
ünica
Benchmarking
Melhoria
contínua
Nível 1
Nível 2
Nível 3
Nível...
Benefícios PMO LISARB
 Diagnóstico da situação real do país;
 Visão Sistêmica;
 Capacidade de priorização e análise de ...
Nível Hierárquico
1. Controle de
Projetos
2. Unidade de
Negócio
3. Nível
Estratégico
Presidência
LISARB
Governos
Estaduais...
Funções do PMO
Métodos e
Procedimentos
•Processos do
ciclo de vida e
do governo
•Metodologia
•Comunicação e
reporte
•Gerên...
Modelo do PMO
 O modelo adotado para LISARB será o tipo Estação
Meteorológica combinada com o Pool de Recursos, pois o PM...
Métricas de Sucesso
•Índice de entregáveis em atraso;
•Índice de alterações (% do número de alterações em relação ao
númer...
Etapas de Implementação
Go no go
•Diagnóstico
•Avaliação de viabilidade
Político
•Identificar Sponsor
•Identificar funções...
Projetos Identificados
Comunique e
Aplique
Protect Senior Viva + Justiça Cega
Liga da Paz
LISARB
Valoriza
Lava Jato Societ...
Categorização dos
Projetos
15
SOCIAL
•Protect Senior
• Viva +
• LISARB Valoriza
• Linha Direta
Cidadão
• “Cooltura”
LISARB...
Avaliação
dos Projetos
16
Avaliação
dos Projetos
17
Seleção
dos Projetos
P09
P11
P01
18
O time de liderança do projeto , com o suporte técnico da UNION
CONSULTING, definiu 5,...
Seleção
dos Projetos
19
20
Priorização dos Projetos
A priorização foi definida pela Nota Total. Nos caso de empate, adotamos o
critério de menor t...
Balanceamento
21
Iteração com demais
processos
22
1. Após avaliação dos projetos, criamos o critério “nota de corte maior a 5.30”,
onde pro...
Balanceamento
23
Resultado da Priorização
24
Após o balanceamento, a priorização ficou estabelecida conforme quadro
abaixo:
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Implantação de PMO em Lisarb

330 visualizações

Publicada em

Titulo: Implantação de PMO em Lisarb
Alunos:Ana Carolina Nemer Comprido,Anderson de Araújo Silva,Darlan Firmato Reis Nunes,Eliana Marques Reis Lisboa,Karla Auler,LUIS ALBERTO,
Cidade: Paulista
Disciplina: PMO
Turma: GEEP38
Data:19-02-2015
Hora:22:59
Comentarios:
Publico até ápos a correção

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
330
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Implantação de PMO em Lisarb

  1. 1. Implantação de PMO em LISARB Gerenciamento de Portfólio e PMO FGV Paulista GEEP | T38 19/02/2015
  2. 2. A Empresa 2 A UNION CONSULTING é uma empresa de consultoria com 14 anos de experiência em gerenciamento de projetos e portfólio atendendo empresas privadas e órgãos governamentais. •Transformar ideias em resultados efetivos através do uso das melhores práticas de gerenciamento de projetos e portfólio. MISSÃO •Ser referência no segmento de consultoria de gerenciamento de projetos e portfólio.VISÃO • Cultura de gerenciamento de projetos e portfólio. • Transparência e ética nas relações. • Inovação e pró-atividade. • Foco nos resultados. VALORES UNION Consulting
  3. 3. Objetivo 3 A consultoria tem como objetivo entender o cenário atual e necessidades de LISARB, identificando o seu nível de maturidade em Gerenciamento de Projetos, para sugerir e implantar projetos aderentes aos objetivos estratégicos e sua capacidade de execução de projetos.
  4. 4. Os Consultores  Anderson Silva é graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Mackenzie, certificado ITIL e especialista em desenvolvimento de softwares. Atuará no projeto no desenvolvimento e implantação do PMIS para LISARB.  Darlan Firmato é arquiteto, graduado pela Universidade Federal da Bahia e especialista em projetos de inovação. Atuará no projeto como facilitador do processo de inovação e solução de problemas através do Design Thinking.  Eliana Lisboa é graduada em Farmácia e Bioquímica pela Unimar, sendo especialista em projetos na área da saúde. Atuará no projeto como facilitadora dos projetos nas áreas de saúde e qualidade de vida.  Karla Auler é graduada em Ciências Sociais pela PUCRS, certificada Black Belt e especialista em projetos educacionais. Atuará no projeto como facilitadora dos projetos nas áreas educacional, social e cultural.  Luis Blanco é graduado em Direto pela Universidade Católica do Peru e especialista em projetos na área jurídica. Atuará no projeto como facilitador dos projetos nas áreas jurídica e econômica.  Ana Carolina Nemer é graduada em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie com ampla experiência em projetos nacionais e internacionais. Atuará como facilitadora da metodologia de implantação de PMO. 4
  5. 5. LISARB  LISARB está em um momento de transição política, econômica e de qualidade de vida, com crescentes investimentos em infraestrutura e políticas sociais.  Com o objetivo de gerar resultados efetivos a partir do seus objetivos estratégicos, LISARB contratou a UNION CONSULTING para atuar no Projeto Implementação de PMO em LISARB.  O presidente de LISARB forneceu para a UNION CONSULTING a pesquisa de maturidade em Gerenciamento de Projetos de seu Ministério do Planejamento, assim os Objetivos Estratégicos do país.  País em desenvolvimento econômico;  População: 200,4 milhão;  PIB per capta: 11.208,08 USD (2013);  Expectativa de vida: 82,1 anos (2012);  Moeda: L$ - LAER. 5
  6. 6. LISARB 1. Aliança por um LISARB justo 2. Política cidadã baseada em princípios e valores 3. Educação para a Sociedade do Conhecimento 4. Economia para uma sociedade sustentável 5. Proteção Social 6. Qualidade de vida e segurança para todos 7. Cultura e fortalecimento da diversidade 8. Política externa para séc. XXI 9. Combate à Corrupção Objetivos Estratégicos LISARB 6
  7. 7. Maturidade Linguagem Comun Processos Comuns Metodologia ünica Benchmarking Melhoria contínua Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Nível 5 Conhecimento Básico Definição dos Processos Controle dos Processos Melhoria Contínua Após aplicação da Pesquisa de Maturidade em GP foi identificado que LISARB encontra-se no Nível 2:  Reconhecimento da necessidade de processos / metodologias;  Há iniciativas isoladas de padronização de procedimentos;  Processos para projetos são muitas vezes reativos. 7
  8. 8. Benefícios PMO LISARB  Diagnóstico da situação real do país;  Visão Sistêmica;  Capacidade de priorização e análise de viabilidade dos projetos;  Gerenciamento e controle dos projetos;  Maior Eficiência na condução da tríplice restrição (Escopo, Tempo e Custo);  Alinhamento Estratégico como objetivos;  Padronização de Processos;  Divulgação das Melhores Práticas de Gerenciamento de Projetos;  Minimização dos riscos. 8
  9. 9. Nível Hierárquico 1. Controle de Projetos 2. Unidade de Negócio 3. Nível Estratégico Presidência LISARB Governos Estaduais Secretarias Estaduais Municípios Ministérios Autarquias A implementação do PMO iniciará com nível hierárquico 1, visando projetos e/ou programas individualmente, em função do baixo nível de maturidade em GP identificado em LISARB. Após implantação e em acordo com os resultados, serão destacados recursos humanos para avançar de forma gradativa na implementação dos níveis 2 e 3.  Reduzir o escopo inicial de implementação mitigando a resistência a novos processos.  Implementação inicial mais simples e com resultados imediatos. Programas e Projetos 9
  10. 10. Funções do PMO Métodos e Procedimentos •Processos do ciclo de vida e do governo •Metodologia •Comunicação e reporte •Gerência de Stakeholders •Gerência de Mudanças Gerência de Infraestrutura •Estrutura e Organização •Sistemas •Análises •Métricas e Padrões •Equipamentos e facilidades Gerência de Recursos •Contratação •Treinamento •Desenv. de Carreira •Avaliação de Performance •Contratação de terceiros e parceiros Gerência Técnica •Coaching •Auditoria •Suporte •Biblioteca e Arquivos •Competência técnica Integração com o Negócio •Políticas •Gerência de Portfólio •Interfaces Funcionais •Gerência de Clientes •Melhoria contínua Em acordo com a orientação da UNION CONSULTING, o PMO iniciará com as funções de implantar Métodos e Procedimentos e Gerência de Recursos. Como a implementação do PMO será iniciada com nível hierárquico 1, onde a necessidade de captação e formação de capital intelectual no governo deverá ser prioritária. A preparação de RHs deve estar associada ao desenvolvimento, implementação e manutenção de metodologias em acordo com as condições culturais de cada região do país para incorporação da melhores práticas. Isso poderá promover de forma gradativa a implementação dos níveis 2 e 3. 10
  11. 11. Modelo do PMO  O modelo adotado para LISARB será o tipo Estação Meteorológica combinada com o Pool de Recursos, pois o PMO deverá ter o importante papel de acompanhar e reportar o status dos projetos e desenvolver gestores de projetos sociais.  Neste modelo combinado, serão definidos: parâmetros, frequência, formato e ferramentas para reporte. As mesmas indicarão progresso, controle de custos, os principais problemas e riscos envolvidos. Também permite comparação e identificação de melhores práticas e perfis de profissionais adequados para cada papel. O PMO será responsável por contratar, desenvolver e reter gerentes de projetos. 11
  12. 12. Métricas de Sucesso •Índice de entregáveis em atraso; •Índice de alterações (% do número de alterações em relação ao número de projetos). Escopo •Índice de cumprimento de prazo; •Duração média dos projetos.Tempo •Índice de cumprimento de custo; •% dos projetos entregues com o orçamento previsto.Custo •% de efetivo previsto em relação ao efetivo realmente alocado; •Índice de satisfação dos colaboradores alocados. Recursos Humanos Devemos adotar as seguintes métricas básicas de sucesso no primeiro PMO, para que fiquem como benchmarking para os próximos projetos e programas, de acordo com as boas práticas de gerenciamento da Tríplice restrição de projetos: 12
  13. 13. Etapas de Implementação Go no go •Diagnóstico •Avaliação de viabilidade Político •Identificar Sponsor •Identificar funções e pessoas •Preparar Plano de Comunicação •Preparar Orçamento •Obter fundos e pessoas Técnico 1 • Avaliar a maturidade em Gerenciamento de Projetos • Desenvolver Modelo de PMO • Validar Modelo de PMO Técnico 2 • Conduzir um piloto • Partida Devemos adotar as seguintes etapas de implementação do primeiro PMO, para que fiquem como benchmarking para os próximos projetos do governo, de acordo com as boas práticas de gerenciamento. 13
  14. 14. Projetos Identificados Comunique e Aplique Protect Senior Viva + Justiça Cega Liga da Paz LISARB Valoriza Lava Jato Societech Educa + Sustentabilidade Democrática Tecno- sustentável LISARB LISARB Movimenta Linha Direta Cidadão “Cooltura” LISARB P1 P2 P3 P4 P5 P6 P7 P8 P9 P10 P11 P12 14 P13 P14
  15. 15. Categorização dos Projetos 15 SOCIAL •Protect Senior • Viva + • LISARB Valoriza • Linha Direta Cidadão • “Cooltura” LISARB CONFIANÇA NO GOVERNO • Comunique e Aplique • Justiça Cega • Liga da Paz • Lava Jato EDUCAÇÃO •Societech • Educa + SUSTENTABILIDADE •Sustentabilidade Democrática • Tecno- sustentável LISARB INFRAESTRUTURA •LISARB Movimenta 1 2 3 4 5
  16. 16. Avaliação dos Projetos 16
  17. 17. Avaliação dos Projetos 17
  18. 18. Seleção dos Projetos P09 P11 P01 18 O time de liderança do projeto , com o suporte técnico da UNION CONSULTING, definiu 5,30 como critério de corte. Ou seja, projetos com nota total maior que 5,30 são selecionados para compor o portfólio. P04 P10P0 8 P03 P12 P02 P13 P14 P05 P0 6P07
  19. 19. Seleção dos Projetos 19
  20. 20. 20 Priorização dos Projetos A priorização foi definida pela Nota Total. Nos caso de empate, adotamos o critério de menor tempo e menor orçamento, conforme planilha abaixo:
  21. 21. Balanceamento 21
  22. 22. Iteração com demais processos 22 1. Após avaliação dos projetos, criamos o critério “nota de corte maior a 5.30”, onde projetos com nota total maior que 5.30 entrariam na seleção. 2. De 14 projetos, 11 foram selecionados com este critério para apresentação no Diagrama de Bolhas. 3. Observamos que o objetivo estratégico 4 (Economia para uma sociedade sustentável) não estava atendido. Por este motivo, iteramos o processo para identificar um projeto que pudesse atingir este objetivo. A solução encontrada entre os stakeholders foi de reduzir a nota de corte de 5.30 para 5.25. Ocorre que os projetos 10 e 11 tinham a mesma nota total. Assim, foi definido que selecionaríamos o projeto com menor orçamento e tempo. Dessa forma, o projeto 10 – Sustentabilidade Democrática foi selecionado, e incluído ao balanceamento, gerando um novo diagrama de bolhas. 4. Finalmente, ficamos com o portfólio balanceado, incluindo projetos que atendem todos os objetivos estratégicos, categorias criadas, e dentro do orçamento do país, além de terem cronogramas diferenciados e equilibrados.
  23. 23. Balanceamento 23
  24. 24. Resultado da Priorização 24 Após o balanceamento, a priorização ficou estabelecida conforme quadro abaixo:

×