Acess Easy

613 visualizações

Publicada em

Titulo: Acess Easy
Alunos:Rodrigo Augusto,Daniel Moura,Lívia Cunha da Silveira,Fabiana Godinho e Silva,
Cidade: Goiânia
Disciplina: Aquisições
Turma: GP19
Data:24-08-2012
Hora:23:57
Comentarios:Prezado Professor, segue em anexo trabalho de Gerenciamento de Aquisições GP 19 Goiânia.
Publico até ápos a correção

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
613
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acess Easy

  1. 1. Gerenciamento de Aquisições em Projetos Goiânia - GP- 19
  2. 2. Conhecendo a Empresa e nosso Projeto TRANS FÁCIL LTDA PROJETO: ACESS EASY
  3. 3. A Empresa A Trans Fácil é uma empresa de prestação de serviços,onde desenvolvemos projetos e fazemos consultorias para omelhoramento do tráfego, disponibilizando soluções para osprincipais problemas de circulação de pedestres nas principaisvias de trânsito rápido na cidade de Goiânia.
  4. 4. Equipe do ProjetoIntegrantes:Daniel Moura Sales de OliveiraLívia Cunha da Silveira Moura SalesRodrigo Augusto Robl FerreiraFabiana Godinho e Silva
  5. 5. Objetivo O projeto Acess Easy destina-se a implantação de passarelas deacesso rápido para atendimento aos pedestres da cidade de Goiânia. Aimplantação será feita nos pontos críticos da cidade, facilitando otrânsito nas principais rodovias e vias de trânsito rápido, além defornecer condições onde houve a separação do fluxo de pedestres eveículos e eliminar os conflitos causados por estes. As passarelas de acesso serão construídas para facilitar a travessiae dar absoluta segurança aos pedestres no cruzamento das vias. Alémde beneficiar a comunidade, estudantes e trabalhadores, tambémserão úteis para portadores de deficiências, crianças e idosos, além deoutros que possuam limitações quanto à mobilidade.
  6. 6. EAP – Estrutura Analítica do Projeto “Make” or “Buy”GESTÃO DE PROJETOS LEVANTAMENTO ARQUITETURA DESENVOLVIMENTO ORIENTAÇÃO VOLUME DE PROJETO MÃO DE OBRA DIVULGAÇÃO CUSTOS (M) PASSANTES (M) BÁSICO (M) (B) (B) ORIENTAÇÃO POSSÍVEIS PROJETO CONTRATAÇÃOTÉ AQUISIÇÕES (M) USUÁRIOS (M) CNICOS (M) PARA O USO EXECUTIVO (M) (M) ROTAS RECURSOS PONTOS CRITICOS ILUMINAÇÃO IMPLANTAÇÃO (M) ALTERNATIVAS HUMANOS (M) (B) (M) (M) ESTRUTURA COMERCIAL (M) METÁLICA (B) MARKETING (M) MAQUETE (B) LOCALIZAÇÃO (M)
  7. 7. Critérios Make or Buy adotados tado para implantação do projeto;Restrições de prazo: Prazo restrito, considerando a necessidade de atender oprazo previsto em contrato;
  8. 8. Mapa de Aquisições Item a ser Referência VendorNr Orçamento Prazo contratado EAP List1 Iluminação 2.2 Celg 2.000,00 2 Meses2 Mão de obra 3.3 Bilenge 10.000,00 3 Meses Metalúrgica3 Estrutura 2.1 20.000,00 2 Meses JP TV4 Divulgação 4.1 50.000,00 1 Mês Anhanguera
  9. 9. EAP revisada (Pacotes Buy)ARQUITETURA DESENVOLVIMENTO ORIENTAÇÃO ILUMINAÇÃO MÃO DE DIVULGAÇÃO (B) OBRA (B) (B) ESTRUTURA METÁLICA (B) MAQUETE (B)
  10. 10. Registro de RiscosEvento do risco Resposta ao risco Momento da resposta ao riscoAtraso na entrega Contratação de um novo ESP, CONT, PQdo serviço fornecedor após atingir limite critico da entregaDefeitos na Garantia de serviço para ESP, ADM, CONTestrutura metálica eventuais defeitosAtraso na entrega Multa contratual e ADM, CONT, PQdas estruturas possível troca demetálicas fornecedorMao de obra não Troca do funcionário ESP, SELqualificada desqualificado
  11. 11. Critérios Eliminatórios1.Analisar a Capacidade Financeira da Empresa;2.Apresentação de Atestado de Capacidade Técnica que comprove aexecução de serviços semelhantes ao objeto em questão, em 70%,emitido por empresa;3.Apresentação de Atestado de Capacidade Técnica do ResponsávelTécnico da Empresa, registrado no CREA;4.Apresentação de Atestado de Capacidade Técnica da Empresa,devidamente registrado no CREA;5.Apresentação de cópia de documentos que comprovem aRegularidade Fiscal da Empresa;6.Garantia estendida;7.Condições de Pagamento;8.Tecnologias agregadas a estrutura.
  12. 12. Critérios Classificatórios1. Menor valor;2. Menor prazo para executar o serviço;3. Qualidade técnica da empresa;4. Garantia de serviço executado;5. Atendimento ao pré-requisito estabelecido.
  13. 13. Declaração de TrabalhoPacote de Trabalho: IluminaçãoEspecificação Funcional:Execução dos Serviços: Concessionária de Energia Elétrica no Estado deGoiás – CELG, que têm por objetivo prover energia elétrica, de formasustentável, com foco no retorno para o acionista e na qualidade dosserviços;Qualidade: Por possuir conhecimentos específicos “sole source”;Prazo: Será dado o prazo de 2 (dois) meses para a entrega da iluminaçãonas passarelas;Suporte: Equipamentos, Revisão e Monitoramento dos Serviços;Treinamento: Orientar 1 (um) técnico responsável pela iluminação dolocal;
  14. 14. Declaração de TrabalhoPacote de Trabalho: Iluminação(continuação)Manutenção: Fornecer equipamentos e/ou peças em substituição, aspeças danificadas pelo uso ou condições climáticas;Garantias: Substituir peças e realizar reparos, durante o prazo degarantia;Local de entrega: Instalação de passarelas, nas áreas identificadascomo “pontos críticos”;Peso: 100%;Quantidade: Iluminação em 10 (dez) pontos da cidade;Critérios de Medição: 70% / 20% / 10%;Avanço Físico: (100%) x (10) x 100% = 100.000
  15. 15. Critério de Avaliação do Fornecedor Optamos por não divulgar este critério, pois com isso poderemosescolher o fornecedor sem que haja possíveis fraldes, além depermitir a manutenção do sigilo na tomada de decisão.
  16. 16. Sistema de PontuaçãoCRITÉRIOS DE PONTUACÃO – MÃO DE OBRA Empresa A Empresa B Empresa CCRITÉRIOS FACULTATIVOS PESO FOR. 1 Média FOR. 2 Média FOR. 3 Média Qualificação da Mão de 5 5 25 4 20 3 15 Obra Preço da Mão de Obra 3 4 12 3 9 4 12 Prazo de Entrega 1 5 5 3 3 3 3 Garantia dos Serviços 2 3 6 3 6 2 4Experiência do Fornecedor 4 5 20 5 20 4 16 Total da Média 68 58 50
  17. 17. Documentos de Aquisição adotados Em nosso pacote escolhido (mão de obra) será adotada aRFQ (Request for Quotation). Desta forma será escolhido o fornecedor que tiver o menorpreço e com o melhor escopo de trabalho definido.
  18. 18. Meio adotado para envio do Convite Os meios adotados foram divulgação por e-mail, publicaçãoem websites e jornais de grande circulação, garantindo assim atransparência do processo, agregando velocidade a ampla divulgação.
  19. 19. Contrato Formal ou Tácito O contrato em questão utilizado será o formal, devido setratar de uma obra de grande porte, devendo ser regido por umcontrato previsto em lei para possíveis desacordos com validadesjudiciais e punições previstas em leis.
  20. 20. Espécie de Contrato adotado A forma de contrato adotado será Carta Contrato, pois é umdocumento que formaliza e ratifica o acordo entre os fornecedorescom o propósito de garantir o serviço, podendo revogar direitosatribuídos em lei.
  21. 21. Tipo de Contrato O tipo de contrato será Custo por administração, pois omesmo terá combinações de prazos negociados com o fornecedor,bônus em possíveis adiantamentos, negociações nos custos equalidade garantidas pela mão de obra qualificada.
  22. 22. Concorrência PrivadaAdministração do Contrato
  23. 23. Atitudes e Fiscalizações adotadasAtitude:Respeito fiel da contratada pelo contrato firmado pelo contratante;Cumprir todas as entregas no prazo.Fiscalizações:Auditores para se fazer cumprir todas as normas estipuladas emcontrato;Avaliação das medições quanto ao controle de qualidade;Fazer reuniões com as equipes responsáveis pelo projeto emandamento.
  24. 24. Relatório para administrar as Aquisições RDO N°: Relatório Diário de Obra DATA:OBRA: Código : Contrato N°: Condições ClimáticasPrazo : Data início: Data término : Dias decorridos:Serviços executados Observações da fiscalizaçãoEquipamento Mão-de-obra Quantidade Valor Horas trabalhadass utilizados Ocupação NomeRESPONSÁVEL TÉCNICO: FISCAL:DATA :
  25. 25. Fluxograma de Encerramento do Contrato
  26. 26. Índice PGA – Plano de Gerenciamento das Aquisições1. Objetivo do plano da aquisição do projeto2. Criação da EAP3. Análise Make or Buy4. Mapa das aquisições5. Revisão da EAP destacando os pacotes Buy6. Definição do registro de riscos7. Critério classificatório8. Definição da DT (Declaração de trabalho)9. Critério para avaliação (Pontuação, documento de aquisição e envio deconvite)10. Contratos11. Conduzir as execuções12. Administrar as aquisições13. Encerramento do contrato
  27. 27. Acess Easy: Trans Fácil levando você ao futuro

×