SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Visões de Ciências e sobre
cientista entre estudantes
do Ensino Médio
Luis Kosminsky
Marcelo Giordan
Definições no dicionário
Ciência, s.f. Conjunto de conhecimentos
socialmente adquiridos ou produzidos,
historicamente acumulados, dotados de
universalidade e objetividade que permitem
sua transmissão, e estruturados com
métodos, teorias e linguagens próprias, que
visam compreender e, poss., orientar a
natureza e as atividades humanas.
(Ferreira, 1986).
Definições no dicionário
Cientista, s.m. Pessoa que cultiva
particularmente alguma ciência;
especialista numa ciência, ou em
ciências.
(Ferreira, 1986).
Definições no dicionário
 Os dicionários tendem a apresentar as palavras
dominantes e os seus significados como únicos,
já que fazem parte do aparato de padronização e
codificação de línguas (apud Leith, 1983) e são
mais ou menos comprometidos com uma visão
unitária e normativa da língua de uma
comunidade e de seu vocabulário. (Fairclough,
2011, p. 236)
 Contêm características próprias e conceitos (ou
preconceitos) do autor
 Uma vez definidos, tornam-se divisores entre o
que é e o que não é Ciência
Introdução
 As visões de mundo dos estudantes
também devem ser influenciadas
pelo pensamento científico e pelas
expressões de sua cultura, cujos
traços são parcialmente divulgados
na mídia
Introdução
 Mas, no contexto de atividades
realizadas em sala de aula, os
estudantes podem constituir
significados apropriando-se de
elementos da linguagem científica e
de seus procedimentos, dando valor
às formas de pensar e agir do
cientista
Introdução
 Importância do estudante “vivenciar”
os elementos da cultura científica
para confrontar com outras formas
de pensar e agir, típicas de outras
culturas e que também estão
presentes na sala de aula
Justificativas para vivenciar a
cultura científica
 Pensar e agir cientificamente contribuem
para entender-se no mundo e com o
mundo
 Pensar e agir cientificamente sustentam
decisões socialmente responsáveis
 Pensar e agir cientificamente constituem-
se em ações educacionais significativas
Concepções de Ciências dos
estudantes
Por que é importante de se
conhecer as concepções dos
estudantes sobre os conceitos
e temas que vamos ensinar?
Concepções de Ciências dos
estudantes
 Levantamento das concepções:
– Textos escritos
– Desenhos
Ideias formais sobre Ciências e
seu funcionamento
 Empirismo positivista (Comte, sec. XIX):
– O conhecimento científico é proposição
demonstrável e demonstrada de leis que se
originam na experiência
– Tal conhecimento se obtém pelo aprimoramento
do senso comum, lançando-se mão de um
método único para todas as ciências
– O método positivo é estabelecido com base na
observação e na experiência, no acúmulo de
evidências e na formulação de hipóteses, no
encadeamento de ideias e é ele que deve instruir
o pensamento positivo na elaboração do
conhecimento científico
Críticas ao positivismo
 Racionalistas: Bachelard e Popper
 Bachelard:
– Racionalismo dialético: encontra lugar para a
dúvida científica, questionando o conhecimento
verdadeiro (positivismo)
 Popper:
– Falseacionismo: o cientista busca, através da
experimentação, obter fatos que contestem
teorias vigentes; a teoria é melhor quanto mais
vezes tiver sido colocada à prova e resistir às
refutações
Críticas ao positivismo
 Lakatos:
– Preserva a ideia de objetividade e racionalidade da
ciência
– As teorias não são abandonadas mesmo quando são
refutadas por enunciados de teste
– Modificações nas hipóteses auxiliares, mas há um núcleo
duro nas teorias científicas que resiste à refutações
(Alves-Mazzotti e Gewandsznajder, 2006, p. 34)
 Kuhn:
– Visão consensualista sobre o conhecimento científico
– Ciência Normal e Ciência revolucionária
– Paradigmas e Rupturas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
 Escola privada em SP
 15 a 18 anos
 Perguntas: “Vocês acreditam que há, de
fato, diferença entre as Ciências
desenvolvidas por pessoas de vivências
diferentes (como partido político e estado
civil)?”
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
 “Para que servem as expressões
numéricas e as fórmulas usadas em
Ciências?”
 “A natureza obedece às leis das
Ciências?”
 “O que é Ciências?”
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
 Desenhos das ações do cientista em
diferentes dias ou horários,
escrevendo no verso de cada folha o
que desejavam representar.
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
 Não houve menção à comunidade
científica
 Predominaram visões reducionistas e
escolarizadas nos registros dos
alunos
 Enfoque adotado pela maioria dos
livros didáticos e mídia
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
 Representações de cientista do sexo
masculino, solitário e interagindo
somente com seu mundo
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Ideias dos estudantes sobre
Ciências e o fazer dos cientistas
Contribuições para o ensino de Ciências
 Qual é a necessidade de se
desenvolverem noções sobre os
processos de construção de
conhecimento da cultura científica
em atividades de ensino de Ciências,
tendo em vista as demandas atuais
da educação básica?
 O conhecimento sobre a natureza
das Ciências sustenta a
aprendizagem em Ciências, contribui
para a utilização do conhecimento
científico ao longo da vida e aguça
nos estudantes a percepção sobre
Ciências como atividade humana
(Driver et al, 1997)
Contribuições para o ensino de Ciências
 O desconhecimento sobre como pensam e
agem os cientistas impede a aproximação
dos alunos da cultura
científica.
 Conseqüência imediata desse impedimento
é a tentativa de transferência acrítica dos
valores prezados pela cultura científica
para os estudantes
Contribuições para o ensino de Ciências
Contribuições para o ensino de Ciências
 Para compreender os fenômenos em
sua complexidade, é necessário
admitir que eles são forjados em
meio a um caldo cultural, onde
valores éticos, econômicos, políticos
e científicos são muitas vezes
conflitantes
 A sala de aula de Ciências deve
considerar esses conflitos, mas não
pode ser esvaziada das práticas
inspiradas na cultura científica, pois
são elas que nos qualificam como
profissionais da Educação a dialogar
com nossos estudantes, por meio de
ferramentas culturais próprias da
Ciência
Contribuições para o ensino de Ciências
 Dificuldades de compreensão dos
fenômenos científicos ou ausência de
motivação para estudá-los pode ter a
ver com o desconhecimento das
teorias sobre o funcionamento da
Ciência por parte dos professores
e/ou dos alunos
Contribuições para o ensino de Ciências

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar ReciclarReduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar Reciclar
lidia76
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambiental
becresforte
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
Renato De Souza Abelha
 
Cartilha - Representante de Turma
Cartilha - Representante de TurmaCartilha - Representante de Turma
Cartilha - Representante de Turma
claudia
 

Mais procurados (20)

Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
Direitos humanos Concurso SEE/MG
Direitos humanos Concurso SEE/MGDireitos humanos Concurso SEE/MG
Direitos humanos Concurso SEE/MG
 
Multiculturalismo
MulticulturalismoMulticulturalismo
Multiculturalismo
 
Juventude e Educação do Campo - por Marcos Marques
Juventude e Educação do Campo - por Marcos MarquesJuventude e Educação do Campo - por Marcos Marques
Juventude e Educação do Campo - por Marcos Marques
 
Educação Ambiental Infantil
Educação Ambiental InfantilEducação Ambiental Infantil
Educação Ambiental Infantil
 
Reduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar ReciclarReduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar Reciclar
 
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambiental
 
Lixo
LixoLixo
Lixo
 
O lixo urbano
O lixo urbanoO lixo urbano
O lixo urbano
 
Étnico racial
Étnico racialÉtnico racial
Étnico racial
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
 
Guia de-implantacao-do-novo-ensino-medio
Guia de-implantacao-do-novo-ensino-medioGuia de-implantacao-do-novo-ensino-medio
Guia de-implantacao-do-novo-ensino-medio
 
Lixo
LixoLixo
Lixo
 
éTica ambiental
éTica ambientaléTica ambiental
éTica ambiental
 
Destinação de Residuos Solidos
Destinação de Residuos SolidosDestinação de Residuos Solidos
Destinação de Residuos Solidos
 
Aula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADEAula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADE
 
Educação para as Relações Étnico-Raciais
Educação para as Relações Étnico-RaciaisEducação para as Relações Étnico-Raciais
Educação para as Relações Étnico-Raciais
 
Cartilha - Representante de Turma
Cartilha - Representante de TurmaCartilha - Representante de Turma
Cartilha - Representante de Turma
 
Apresentação Sobre Lixo e Reciclagem
Apresentação Sobre Lixo e ReciclagemApresentação Sobre Lixo e Reciclagem
Apresentação Sobre Lixo e Reciclagem
 

Semelhante a Aula Visões de ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médio

Desenvolver projetos e_organizar
Desenvolver projetos e_organizarDesenvolver projetos e_organizar
Desenvolver projetos e_organizar
UEM
 
Pcn cincias-130902130158-phpapp02
Pcn cincias-130902130158-phpapp02Pcn cincias-130902130158-phpapp02
Pcn cincias-130902130158-phpapp02
Fernanda Ciandrini
 
O que é natureza da ciência e qual sua relação com
O que é natureza da ciência e qual sua relação comO que é natureza da ciência e qual sua relação com
O que é natureza da ciência e qual sua relação com
Walmir Jun
 
Iii secam apresentação hebert
Iii secam apresentação hebertIii secam apresentação hebert
Iii secam apresentação hebert
Hebert Balieiro
 
HISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptx
HISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptxHISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptx
HISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptx
RonaldoAlves153492
 

Semelhante a Aula Visões de ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médio (20)

Visao cienc
Visao ciencVisao cienc
Visao cienc
 
A.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.PpointA.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.Ppoint
 
Transdisciplinaridade no Curso Intercultural da UFG
Transdisciplinaridade no Curso Intercultural da UFGTransdisciplinaridade no Curso Intercultural da UFG
Transdisciplinaridade no Curso Intercultural da UFG
 
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos IniciaisTrabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
 
Desenvolver projetos e_organizar
Desenvolver projetos e_organizarDesenvolver projetos e_organizar
Desenvolver projetos e_organizar
 
Pcn ciências
Pcn   ciênciasPcn   ciências
Pcn ciências
 
Pcn cincias-130902130158-phpapp02
Pcn cincias-130902130158-phpapp02Pcn cincias-130902130158-phpapp02
Pcn cincias-130902130158-phpapp02
 
O que é natureza da ciência e qual sua relação com
O que é natureza da ciência e qual sua relação comO que é natureza da ciência e qual sua relação com
O que é natureza da ciência e qual sua relação com
 
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização CientíficaMPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
 
Iii secam apresentação hebert
Iii secam apresentação hebertIii secam apresentação hebert
Iii secam apresentação hebert
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Temas controversos 1
Temas controversos 1Temas controversos 1
Temas controversos 1
 
INTERDISCIPLINARIDADE
INTERDISCIPLINARIDADEINTERDISCIPLINARIDADE
INTERDISCIPLINARIDADE
 
O ensino das ciencias de base cognitiva cp9
O ensino das ciencias de base cognitiva cp9O ensino das ciencias de base cognitiva cp9
O ensino das ciencias de base cognitiva cp9
 
Cientistas dialogam com a escola básica
Cientistas dialogam com a escola básicaCientistas dialogam com a escola básica
Cientistas dialogam com a escola básica
 
Baptista costa neto_429 433 bsea 47 completo-57
Baptista costa neto_429 433 bsea 47 completo-57Baptista costa neto_429 433 bsea 47 completo-57
Baptista costa neto_429 433 bsea 47 completo-57
 
Conhecimento científico, seu ensino e aprendizagem
Conhecimento científico, seu ensino e aprendizagemConhecimento científico, seu ensino e aprendizagem
Conhecimento científico, seu ensino e aprendizagem
 
Conhecimento científico, seu ensino e aprendizagem
Conhecimento científico, seu ensino e aprendizagemConhecimento científico, seu ensino e aprendizagem
Conhecimento científico, seu ensino e aprendizagem
 
HISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptx
HISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptxHISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptx
HISTÓRIA_DA_CIÊNCIA_aula_inicial-ca67902e9c27492ba25471ed239ffd9a.pptx
 
Texto 2
Texto 2Texto 2
Texto 2
 

Mais de Leonardo Kaplan

Aula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino MoneraAula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino Monera
Leonardo Kaplan
 
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Leonardo Kaplan
 
Aula 7º ano - Origem da vida na Terra
Aula 7º ano - Origem da vida na TerraAula 7º ano - Origem da vida na Terra
Aula 7º ano - Origem da vida na Terra
Leonardo Kaplan
 
Aula 6º ano - O Universo e o Sistema Solar
Aula 6º ano - O Universo e o Sistema SolarAula 6º ano - O Universo e o Sistema Solar
Aula 6º ano - O Universo e o Sistema Solar
Leonardo Kaplan
 
Aula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervosoAula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervoso
Leonardo Kaplan
 
Aula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrinoAula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrino
Leonardo Kaplan
 
Aula 8º ano - Saúde mental e drogas
Aula 8º ano - Saúde mental e drogasAula 8º ano - Saúde mental e drogas
Aula 8º ano - Saúde mental e drogas
Leonardo Kaplan
 
Aula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervosoAula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervoso
Leonardo Kaplan
 

Mais de Leonardo Kaplan (20)

Aula O debate contemporâneo sobre os paradigmas
Aula O debate contemporâneo sobre os paradigmasAula O debate contemporâneo sobre os paradigmas
Aula O debate contemporâneo sobre os paradigmas
 
Aula O método nas Ciências Sociais
Aula O método nas Ciências SociaisAula O método nas Ciências Sociais
Aula O método nas Ciências Sociais
 
A "sociedade" no enfoque CTS - ressignificações sobre as atividades científic...
A "sociedade" no enfoque CTS - ressignificações sobre as atividades científic...A "sociedade" no enfoque CTS - ressignificações sobre as atividades científic...
A "sociedade" no enfoque CTS - ressignificações sobre as atividades científic...
 
Aula a constituição da disciplina escolar ciências
Aula a constituição da disciplina escolar ciênciasAula a constituição da disciplina escolar ciências
Aula a constituição da disciplina escolar ciências
 
Apresentação CESPEB Ensino de Ciências 2016 - Educação Ambiental Aula 3
Apresentação CESPEB Ensino de Ciências 2016 - Educação Ambiental Aula 3Apresentação CESPEB Ensino de Ciências 2016 - Educação Ambiental Aula 3
Apresentação CESPEB Ensino de Ciências 2016 - Educação Ambiental Aula 3
 
Apresentação cespeb 2016 - A inserção da EA nas escolas e a tensão público-pr...
Apresentação cespeb 2016 - A inserção da EA nas escolas e a tensão público-pr...Apresentação cespeb 2016 - A inserção da EA nas escolas e a tensão público-pr...
Apresentação cespeb 2016 - A inserção da EA nas escolas e a tensão público-pr...
 
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
 
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 1
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 1Ciência e conhecimento cotidiano - parte 1
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 1
 
Ciência natural: os pressupostos filosóficos
Ciência natural: os pressupostos filosóficosCiência natural: os pressupostos filosóficos
Ciência natural: os pressupostos filosóficos
 
Aula 1 CESPEB 2016 - As macrotendências político-pedagógicas da educação ambi...
Aula 1 CESPEB 2016 - As macrotendências político-pedagógicas da educação ambi...Aula 1 CESPEB 2016 - As macrotendências político-pedagógicas da educação ambi...
Aula 1 CESPEB 2016 - As macrotendências político-pedagógicas da educação ambi...
 
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º anoAula 7º ano   revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
Aula 7º ano revisão do 6º ano-introdução ao 7º ano
 
As macrotendências político pedagógicas da educação ambiental brasileira
As macrotendências político pedagógicas da educação ambiental brasileiraAs macrotendências político pedagógicas da educação ambiental brasileira
As macrotendências político pedagógicas da educação ambiental brasileira
 
Aula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino MoneraAula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino Monera
 
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
 
Aula 7º ano - Origem da vida na Terra
Aula 7º ano - Origem da vida na TerraAula 7º ano - Origem da vida na Terra
Aula 7º ano - Origem da vida na Terra
 
Aula 6º ano - O Universo e o Sistema Solar
Aula 6º ano - O Universo e o Sistema SolarAula 6º ano - O Universo e o Sistema Solar
Aula 6º ano - O Universo e o Sistema Solar
 
Aula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervosoAula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervoso
 
Aula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrinoAula 8º ano - O sistema endócrino
Aula 8º ano - O sistema endócrino
 
Aula 8º ano - Saúde mental e drogas
Aula 8º ano - Saúde mental e drogasAula 8º ano - Saúde mental e drogas
Aula 8º ano - Saúde mental e drogas
 
Aula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervosoAula 8º ano - O sistema nervoso
Aula 8º ano - O sistema nervoso
 

Último

ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
LeandroLima265595
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 

Aula Visões de ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médio

  • 1. Visões de Ciências e sobre cientista entre estudantes do Ensino Médio Luis Kosminsky Marcelo Giordan
  • 2. Definições no dicionário Ciência, s.f. Conjunto de conhecimentos socialmente adquiridos ou produzidos, historicamente acumulados, dotados de universalidade e objetividade que permitem sua transmissão, e estruturados com métodos, teorias e linguagens próprias, que visam compreender e, poss., orientar a natureza e as atividades humanas. (Ferreira, 1986).
  • 3. Definições no dicionário Cientista, s.m. Pessoa que cultiva particularmente alguma ciência; especialista numa ciência, ou em ciências. (Ferreira, 1986).
  • 4. Definições no dicionário  Os dicionários tendem a apresentar as palavras dominantes e os seus significados como únicos, já que fazem parte do aparato de padronização e codificação de línguas (apud Leith, 1983) e são mais ou menos comprometidos com uma visão unitária e normativa da língua de uma comunidade e de seu vocabulário. (Fairclough, 2011, p. 236)  Contêm características próprias e conceitos (ou preconceitos) do autor  Uma vez definidos, tornam-se divisores entre o que é e o que não é Ciência
  • 5. Introdução  As visões de mundo dos estudantes também devem ser influenciadas pelo pensamento científico e pelas expressões de sua cultura, cujos traços são parcialmente divulgados na mídia
  • 6. Introdução  Mas, no contexto de atividades realizadas em sala de aula, os estudantes podem constituir significados apropriando-se de elementos da linguagem científica e de seus procedimentos, dando valor às formas de pensar e agir do cientista
  • 7. Introdução  Importância do estudante “vivenciar” os elementos da cultura científica para confrontar com outras formas de pensar e agir, típicas de outras culturas e que também estão presentes na sala de aula
  • 8. Justificativas para vivenciar a cultura científica  Pensar e agir cientificamente contribuem para entender-se no mundo e com o mundo  Pensar e agir cientificamente sustentam decisões socialmente responsáveis  Pensar e agir cientificamente constituem- se em ações educacionais significativas
  • 9. Concepções de Ciências dos estudantes Por que é importante de se conhecer as concepções dos estudantes sobre os conceitos e temas que vamos ensinar?
  • 10. Concepções de Ciências dos estudantes  Levantamento das concepções: – Textos escritos – Desenhos
  • 11. Ideias formais sobre Ciências e seu funcionamento  Empirismo positivista (Comte, sec. XIX): – O conhecimento científico é proposição demonstrável e demonstrada de leis que se originam na experiência – Tal conhecimento se obtém pelo aprimoramento do senso comum, lançando-se mão de um método único para todas as ciências – O método positivo é estabelecido com base na observação e na experiência, no acúmulo de evidências e na formulação de hipóteses, no encadeamento de ideias e é ele que deve instruir o pensamento positivo na elaboração do conhecimento científico
  • 12. Críticas ao positivismo  Racionalistas: Bachelard e Popper  Bachelard: – Racionalismo dialético: encontra lugar para a dúvida científica, questionando o conhecimento verdadeiro (positivismo)  Popper: – Falseacionismo: o cientista busca, através da experimentação, obter fatos que contestem teorias vigentes; a teoria é melhor quanto mais vezes tiver sido colocada à prova e resistir às refutações
  • 13. Críticas ao positivismo  Lakatos: – Preserva a ideia de objetividade e racionalidade da ciência – As teorias não são abandonadas mesmo quando são refutadas por enunciados de teste – Modificações nas hipóteses auxiliares, mas há um núcleo duro nas teorias científicas que resiste à refutações (Alves-Mazzotti e Gewandsznajder, 2006, p. 34)  Kuhn: – Visão consensualista sobre o conhecimento científico – Ciência Normal e Ciência revolucionária – Paradigmas e Rupturas
  • 14. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas  Escola privada em SP  15 a 18 anos  Perguntas: “Vocês acreditam que há, de fato, diferença entre as Ciências desenvolvidas por pessoas de vivências diferentes (como partido político e estado civil)?”
  • 15. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas  “Para que servem as expressões numéricas e as fórmulas usadas em Ciências?”  “A natureza obedece às leis das Ciências?”  “O que é Ciências?”
  • 16. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas  Desenhos das ações do cientista em diferentes dias ou horários, escrevendo no verso de cada folha o que desejavam representar.
  • 17. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas  Não houve menção à comunidade científica  Predominaram visões reducionistas e escolarizadas nos registros dos alunos  Enfoque adotado pela maioria dos livros didáticos e mídia
  • 18. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas  Representações de cientista do sexo masculino, solitário e interagindo somente com seu mundo
  • 19. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 20. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 21. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 22. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 23. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 24. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 25. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 26. Ideias dos estudantes sobre Ciências e o fazer dos cientistas
  • 27. Contribuições para o ensino de Ciências  Qual é a necessidade de se desenvolverem noções sobre os processos de construção de conhecimento da cultura científica em atividades de ensino de Ciências, tendo em vista as demandas atuais da educação básica?
  • 28.  O conhecimento sobre a natureza das Ciências sustenta a aprendizagem em Ciências, contribui para a utilização do conhecimento científico ao longo da vida e aguça nos estudantes a percepção sobre Ciências como atividade humana (Driver et al, 1997) Contribuições para o ensino de Ciências
  • 29.  O desconhecimento sobre como pensam e agem os cientistas impede a aproximação dos alunos da cultura científica.  Conseqüência imediata desse impedimento é a tentativa de transferência acrítica dos valores prezados pela cultura científica para os estudantes Contribuições para o ensino de Ciências
  • 30. Contribuições para o ensino de Ciências  Para compreender os fenômenos em sua complexidade, é necessário admitir que eles são forjados em meio a um caldo cultural, onde valores éticos, econômicos, políticos e científicos são muitas vezes conflitantes
  • 31.  A sala de aula de Ciências deve considerar esses conflitos, mas não pode ser esvaziada das práticas inspiradas na cultura científica, pois são elas que nos qualificam como profissionais da Educação a dialogar com nossos estudantes, por meio de ferramentas culturais próprias da Ciência Contribuições para o ensino de Ciências
  • 32.  Dificuldades de compreensão dos fenômenos científicos ou ausência de motivação para estudá-los pode ter a ver com o desconhecimento das teorias sobre o funcionamento da Ciência por parte dos professores e/ou dos alunos Contribuições para o ensino de Ciências