Renascimento e Classicismo

1.077 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre as principais características do Renascimento e do Classicismo.


Pode baixar e utilizar em suas aulas, ou em blog. Mas, por gentileza, preserve os créditos do autor da apresentação.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.077
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
111
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Renascimento e Classicismo

  1. 1. RENASCIMENTO O que você deverá saber ao final deste estudo. 1 2 O que foi o Renascimento. ► Quais são as características do projeto literário do Classicismo. Como se caracterizou o Classicismo Português. ► Quais são os elementos mais marcantes da épica e da lírica de Luís de Camões.
  2. 2. RENASCIMENTO Desejo de promover uma renovação filosófica, artística, econômica e política, de modo a recriar, na Europa, uma sociedade organizada a partir dos princípios da Antiguidade Clássica. ► Abandono da perspectiva teocêntrica medieval. ► Retomada dos ensinamentos e modelos da Grécia e de Roma.
  3. 3. RENASCIMENTO Os artistas renascentistas defendiam a ideia de que a arte na Grécia e Roma antigas tinha um valor estético e cultural muito maior do que na Idade Média. Por isso, que uma escultura renascentista, por exemplo, possui uma grande semelhança como as esculturas da Grécia Antiga.
  4. 4. RENASCIMENTO Pensadores e artistas tinham a visão de que o homem é o principal e decisivo elemento na condução da história da humanidade. Essa visão é conhecida como antropocentrismo ("homem no centro") e fez oposição à visão teocêntrica ("Deus no centro") da Idade Média.
  5. 5. RENASCIMENTO Os renascentistas defendiam a ideia de que há explicação científica para a maioria das coisas. Portanto, desprezavam as explicações elaboradas pela Igreja Católica ou por outras fontes que não fossem científicas. Este período da história foi muito significativo no tocante ao desenvolvimento das experiências científicas e do pensamento racional e lógico.
  6. 6. RENASCIMENTO Os renascentistas buscavam entender o mundo através do estudo de várias ciências (Biologia, Matemática, Física, Astronomia, Botânica, Anatomia, Química, etc.). Um ótimo exemplo desta visão de mundo foi Leonardo da Vinci que, além de ser pintor, também desenvolveu trabalhos e estudos em várias áreas do conhecimento.
  7. 7. RENASCIMENTO Compare agora o medieval com a proposta artística Renascimento. estilo nova do
  8. 8. Estilo medieval Estilo renascentista
  9. 9. RENASCIMENTO Veja agora como esta pintura, “A Santa Ceia”, de Leonardo Da Vinci, inspirou diversos artistas e outras pessoas pelo mundo.
  10. 10. AH, ENTENDI! O RENASCIMENTO FOI A PROMOÇÃO DE UMA RENOVAÇÃO FILOSÓFICA, ARTÍSTICA, ECONÔMICA E POLÍTICA, DE MODO A RECRIAR, NA EUROPA, UMA SOCIEDADE ORGANIZADA A PARTIR DOS PRINCÍPIOS DA ANTIGUIDADE CLÁSSICA. PRINCÍPIOS? MAS QUE PRINCÍPIOS FORAM ESSES?
  11. 11. RENASCIMENTO ► ► ► ► ► ► ► ► ► Equilíbrio, proporção e simetria. Racionalidade. Horizontalidade. Naturalismo (representação do nu). Realismo. Perspectiva - ilusão de profundidade. Temas da mitologia clássica. Temas bíblicos. Novas técnicas de pintura (“sfumato” e pintura a óleo). ► Harmonia.
  12. 12. Vamos analisar uma pintura, uma escultura e uma obra arquitetônica.
  13. 13. Proporção (volume) “Sfumato” Equilíbrio Simetria Harmonia Racionalidade Perspectiva Tema bíblico
  14. 14. Proporção (volume) “Sfumato” Equilíbrio Simetria Harmonia Racionalidade Perspectiva Tema bíblico
  15. 15. “Sfumato” Luz e sombra
  16. 16. Tema mitológico Naturalismo
  17. 17. Escultura do Século I Escultura do Século XVI
  18. 18. Proporção (volume) Equilíbrio Simetria Racionalidade Tema bíblico Realismo
  19. 19. Racionalidade Horizontalidade Equilíbrio Simetria
  20. 20. CLASSICISMO O Classicismo é a denominação da tendência artística que revitalizou a tradição clássica de afirmar a superioridade humana. O Classicismo valorizou proporções, o equilíbrio composições, a harmonia formas e a idealização realidade. as das das da
  21. 21. CLASSICISMO O projeto literário do Classicismo consistiu basicamente da retomada de modelos da Antiguidade clássica. Mas para isso, é preciso valorizar o esforço individual, que se manifesta tanto no investimento da educação como na participação social mais ativa.
  22. 22. CLASSICISMO Durante o Renascimento, os escritores investiram na recriação de temas clássicos e retomaram, em suas obras, o princípio aristotélico da mimese. Os artistas do Classicismo adotaram a razão como parâmetro de observação e interpretação da realidade.
  23. 23. CLASSICISMO Na poesia, a tentativa de conciliar razão e sentimento costuma ser apresentada por meio de uma figura de linguagem chamada paradoxo, que é a associação de ideias contraditórias. Outra figura muito utilizada para apresentar imagens ou características que se opõem é a antítese.
  24. 24. CLASSICISMO Francesco Petrarca (1304-1374) representa, na literatura, a mais perfeita expressão dos ideais renascentistas. Os ecos de seus versos podem ser percebidos em Camões, Sá de Miranda e Shakespeare, entre outros.
  25. 25. CLASSICISMO Os sonetos de Petrarca mostram um novo modo de tratar a temática amorosa, em voga na Itália desde o século XIII e chamado de “doce estilo novo.
  26. 26. CLASSICISMO Bendito seja o dia, o mês, o ano A sazão, o lugar, a hora, o momento E o país de meu doce encantamento Aos seus olhos de lume soberano E bendito o primeiro doce afano Que tive ao ter de amor conhecimento E o arco e a seta a que devo o ferimento Aberta a chaga em fraco peito humano Bendito seja o mísero lamento Que pela terra em vão hei dispersado E o desejo e o suspiro e o sofrimento Bendito seja o canto sublimado Que a celebra e também meu pensamento Que na terra não tem outro cuidado
  27. 27. CLASSICISMO William Shakespeare (1564-1616), poeta e dramaturgo, é considerado um dos maiores escritores de todos os tempos. Conhecido principalmente pelas peças que escreveu, ele representa, na literatura inglesa, a mais perfeita expressão dos ideais renascentistas elisabetanos.
  28. 28. CLASSICISMO Além da produção teatral, Shakespeare escreveu dois poemas narrativos durante a juventude e mais de 100 sonetos, considerados os mais belos da língua inglesa.
  29. 29. CLASSICISMO Se te comparo a um dia de verão És por certo mais belo e mais ameno O vento espalha as folhas pelo chão E o tempo do verão é bem pequeno. Ás vezes brilha o Sol em demasia Outras vezes desmaia com frieza; O que é belo declina num só dia, Na terna mutação da natureza. Mas em ti o verão será eterno, E a beleza que tens não perderás; Nem chegarás da morte ao triste inverno: Nestas linhas com o tempo crescerás. E enquanto nesta terra houver um ser, Meus versos vivos te farão viver.
  30. 30. CLASSICISMO Os poemas do Classicismo giram em torno da temática amorosa (em que o eu lírico manifesta um amor puro, de absoluta devoção à mulher amada, dona de uma beleza perfeita) ou bucólica (em que a natureza é caracterizada como espaço em perfeita harmonia, a simplicidade e o equilíbrio são expressão de felicidade).
  31. 31. CLASSICISMO Luís Vaz de Camões é considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa. Em sua vasta obra, imortalizou as glórias do seu povo, registrou de modo sublime os sofrimentos amorosos, indagou sobre as inconstâncias e incertezas da vida.
  32. 32. CLASSICISMO Os sonetos são a parte mais conhecida da lírica camoniana. Essa forma poética permitia ao poeta tratar de modo mais racional alguns de seus temas preferidos: o desconcerto do mundo, as mudanças constantes, o sofrimento amoroso.
  33. 33. CLASSICISMO Alma minha gentil, que te partiste Tão cedo desta vida descontente, Repousa lá no Céu eternamente, E viva eu cá na terra sempre triste. Se lá no assento Etéreo, onde subiste, Memória desta vida se consente, Não te esqueças daquele amor ardente, Que já nos olhos meus tão puro viste. E se vires que pode merecer-te Algũa cousa a dor que me ficou Da mágoa, sem remédio, de perder-te, Roga a Deus, que teus anos encurtou, Que tão cedo de cá me leve a ver-te, Quão cedo de meus olhos te levou.
  34. 34. CLASSICISMO Sete anos de pastor Jacob servia Labão, pai de Raquel, serrana bela; Mas não servia ao pai, servia a ela, E a ela só por prêmio pretendia. Os dias, na esperança de um só dia, Passava, contentando-se com vê-la; Porém o pai, usando de cautela, Em lugar de Raquel lhe dava Lia. Vendo o triste pastor que com enganos Lhe fora assim negada a sua pastora, Como se a não tivera merecida; Começa de servir outros sete anos, Dizendo: – Mais servira, se não fora Para tão longo amor tão curta a vida!
  35. 35. CLASSICISMO Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói, e não se sente; é um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; é um andar solitário entre a gente; é nunca contentar-se de contente; é um cuidar que ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; é servir a quem vence, o vencedor; é ter com quem nos mata, lealdade. Mas como causar pode seu favor nos corações humanos amizade, se tão contrário a si é o mesmo Amor?
  36. 36. CLASSICISMO "Ah! Camões, se vivesses hoje em dia, tomavas uns antipiréticos, uns quantos analgésicos e Prozac para a depressão. Compravas um computador, consultavas a internet e descobririas que essas dores que sentias, esses calores que te abrasavam, essas mudanças de humor repentinas, esses desatinos sem nexo, não eram feridas de amor, mas somente falta de sexo!"

×