Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz

590 visualizações

Publicada em

Palestra sobre sindromes, transtornos e deficiências.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Sídromes trastornos-deficiencias-katiaqueiroz

  1. 1. Prof:Katia Queiroz Mestranda em educação Especialista em Educação e sustentabilidade ambiental Graduada em Ciências Biológicas Graduanda em Direito Contatos: Katialsq@gmail.com Facebook:Katia Queiroz Blog:: www.biomaiskatiaqueiroz.blogspot.com Deficiências, transtornos ou síndromes?
  2. 2. Deficiência Segundo a Organização Mundial de Saúde, deficiência é o substantivo atribuído a toda a perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica. Refere-se, portanto, à biologia do ser humano.
  3. 3. Deficiência É designado “deficiente” todo aquele que tem um ou mais problemas de funcionamento ou falta de parte anatómica, embargando com isto dificuldades a vários níveis: de locomoção, percepção, pensamento ou relação social. Até bem recentemente, o termo “deficiente” era vulgarmente aplicado a pessoas portadoras de deficiência(s).
  4. 4. Porém, esta expressão embarga consigo uma forte carga negativa depreciativa da pessoa, pelo que foi, ao longo dos anos, cada vez mais rejeitada pelos especialistas da área e, em especial, pelos próprios portadores. Actualmente, a palavra é considerada como inadequada e estimuladora do preconceito a respeito do valor integral da pessoa. Deste modo, a substitui-la surge a expressão: “pessoa especial”. Deficiência - IMPEDIMENTO
  5. 5. Por que não somos todos iguais? 1. Causas:  Físicas ou Biológicas,  Decorrentes e  Ocasionadas por acidentes
  6. 6. Tipos de deficiência física:motora Paraplegia, Tetraplegia, Hemiplegia, Monoplagia, Amputação
  7. 7. Deficiência motora
  8. 8. TETRAPLEGIA Paralisia total ou parcial dos membros inferiores, comprometendo a função das pernas, tronco e outras funções fisiológicas.
  9. 9. PARAPLEGIA Paralisia total ou parcial do corpo, comprometendo a função dos braços e das pernas.
  10. 10. HEMIPLAGIA: Paralisia total ou parcial das funções de um lado do corpo como conseqüência de lesões cerebrais.
  11. 11. Deficiência mental Inteligência... Definição de inteligência: “capacidade para aprender, capacidade para pensar abstratamente, capacidade de adaptação a novas situações” e “conjunto de processos como memória, categorização, aprendizagem e solução de problemas, capacidade linguística ou de comunicação, conhecimento social…”(Sainz e Mayor).
  12. 12. Deficiência mental Deficiência Mental Conceito: Deficiência mental é a designação que caracteriza os problemas que ocorrem no cérebro e levam a um baixo rendimento, mas que não afetam outras regiões ou áreas cerebrais.
  13. 13. Deficiência mental Quem pode ser considerado deficiente mental? Deficiente mental são “todas as pessoas que tenham um QI abaixo de 70 e cujos sintomas tenham aparecido antes dos dezoito anos considera-se que têm deficiência mental.” - Paula Romana. .
  14. 14. Deficiência mental Segundo a vertente pedagógica, o deficiente mental será o indivíduo que tem uma maior ou menor dificuldade em seguir o processo regular de aprendizagem e que por isso tem necessidades educativas especiais, ou seja, necessita de apoios e adaptações curriculares que lhe permitam seguir o processo regular de ensino
  15. 15. Deficiência mental O conceito de QI foi introduzido por Stern e é o resultado da multiplicação por cem do quociente obtido pela divisão da IM (idade mental) pela IC (idade cronológica).Segundo a OMS, a deficiência divide-se:
  16. 16. Deficiência mental Profunda: • Grandes problemas sensorio-motores e de comunicação,bem como de comunicação com o meio; • São dependentes dos outros em quase todas as funções e atividades, pois os seus handicaps físicos e intelectuais são gravíssimos; • Excepcionalmente terão autonomia para se deslocar e responder a treinos simples de auto-ajuda.
  17. 17. Deficiência mental Grave/severa: • Necessitam de proteção e ajuda, pois o seu nível de autonomia é muito pobre; • Apresentam muitos problemas psicomotores; • A sua linguagem verbal é muito deficitária – comunicação primária; • Podem ser treinados em algumas atividades de vida diária básicas e em aprendizagens pré- tecnológicas simples
  18. 18. Paralisia cerebral: Usado para designar um grupo de limitações psicomotoras resultantes de uma lesão no sistema nervoso central.
  19. 19. Paralisia cerebral: Paralisia cerebral não quer dizer deficiência intelectual. Devido a alguma lesão, o cérebro envia informações em desordem para a realização de movimentos físicos.
  20. 20. Paralisia cerebral: Uma pessoa com PC, pode apresentar expressões estranhas no rosto, dificuldades na fala, gestos involuntários e dificuldades de locomoção, mas não se intimide com isso.
  21. 21. As pessoas com PC, mantêm a inteligência absolutamente intacta. Raciocinam como nós, precisamos de paciência para ouví- las, compreendê-las e acompanhar o seu ritmo.
  22. 22. nanismo Os anões são pessoas com estatura reduzida. Por conta disso, têm sérias dificuldades de locomoção. Sofrem muito com o preconceito.
  23. 23. Deficiência visual: Cegos, Deficiência visual e Baixa visão
  24. 24. Cegos: Perda total da visão. Há necessidade do uso do braille, para a comunicação na leitura e escrita. Muitos cegos usam o reglete, para escrever o braille; o Sorobã, é uma caixinha que ajuda na execução de cálculos matemáticos; a bengala ou cão-guia para sua locomoção e mobilidade.
  25. 25. Deficiência visual: Algumas pessoas vêem apenas o que está diretamente na sua frente e nada do que está ao lado. Outras enxergam os objetos como um quebra-cabeças em que faltasse uma ou duas peças.
  26. 26. Visão subnormal: Não deve ser confundida com a cegueira. As pessoas portadoras de baixa-visão, têm a diminuição da capacidade visual e pode vir acompanhada também de alteração do campo visual. Pedagogicamente, diz-se que uma pessoa tem visão subnormal quando ela lê tipos impressos ampliados ou com auxílio de potentes recursos ópticos.
  27. 27. Deficiência auditiva: É a redução ou ausência da capacidade de ouvir determinados sons, em diferentes graus de intensidade. O uso da LIBRAS na comunicação é muito importante mas a comunicação facial é fundamental para a comunicação com a pessoa surda.
  28. 28. Deficiência intelectual: Existe uma diferença entre Deficiência Mental e Deficiência Intelectual. A doença mental configura-se pela alteração da percepção individual e da realidade, o que nem sempre, acontece com pessoas com déficit intelectual, as quais não apresentam sintomas patológicos verificados nas doenças mentais como as neuroses graves, psicoses agudas ou casos de demência.
  29. 29. Deficiência intelectual: As pessoas com deficiência intelectual levam mais tempo para aprender e compreender solicitações. Há necessidade de explicar tantas quantas vezes forem necessárias, para que ela entender o que está sendo solicitado.
  30. 30. Deficiência múltipla: É a associação de duas ou mais deficiências, podendo ser: > Deficiência intelectual associada à deficiência física; > Deficiência auditiva associada à deficiência intelectual e deficiência física e > Deficiência visual associada à paralisa cerebral.
  31. 31. Surdocegueira: É uma deficiência única que apresenta a perda da audição e da visão concomitantemente em diferentes graus, o que leva a pessoa surdocega a desenvolver diferentes formas de comunicação para entender e interagir com pessoas e meio ambiente.
  32. 32. Ataxia: É a perda da coordenação dos movimentos musculares voluntários do corpo. Apesar de causar deficiência no indivíduo que a tem, ela não é considerada, em si, uma deficiência. A Ataxia abrange diversas doenças do sistema nervoso, causando desordens neurológicas. A Ataxia é um sintoma e não uma doença específica ou um diagnóstico.
  33. 33. O que fazer ? O ideal é que ofereça toda a autonomia possível aos indivíduos que têm Ataxia. Por exemplo, disponibilizando equipamentos adaptados que permitam ao indivíduo ter o máximo de independência na execução de tarefas do dia- a-dia. Esses dispositivos podem ser bengalas, muletas, andadores, cadeiras de rodas, equipamentos para auxílio na escrita, da alimentação e dos cuidados pessoais e ainda outros aparelhos para facilitar a comunicação com dificuldade na fala.
  34. 34. Autismo é um transtorno global do desenvolvimento marcado por três características fundamentais: * Inabilidade para interagir socialmente; * Dificuldade no domínio da linguagem para comunicar-se ou lidar com jogos simbólicos; * Padrão de comportamento restritivo e repetitivo.
  35. 35. O grau de comprometimento é de intensidade variável: vai desde quadros mais leves, como a síndrome de Asperger (na qual não há comprometimento da fala e da inteligência), até formas graves em que o paciente se mostra incapaz de manter qualquer tipo de contato interpessoal e é portador de comportamento agressivo e retardo mental.
  36. 36. Autismo: O autismo é uma inadequacidade no desenvolvimento, que aparece nos 3 primeiros anos da criança e se manifesta de maneira grave por toda a vida. Acomete cerca de 1 entre cada 150 nascidos e é quatro vezes mais comum no sexo masculino do que no feminino.
  37. 37. Autismo: > Dificuldade em comunicação, que eventualmente gera auto-agressões e homoagressões, como forma primitiva de comunicação. Dificuldade na interação social e na imaginação. Déficit na Teoria da Mente e Coerência Central.
  38. 38. Segundo Cid-10: O autismo pode ser dividido em: > Autismo infantil: caracterizado pelo desenvolvimento anormal ou alterado, desenvolvido antes dos três anos de idade, que apresenta perturbação característica para interações sociais, comunicação e comportamento.
  39. 39. Segundo Cid-10: > Autismo atípico: quando os sintomas não conferem com os do autismo infantil. O autismo atípico ocorre, normalmente, em crianças com retardo mental profundo ou com transtorno no desenvolvimento de linguagem.
  40. 40. Segundo Cid-10: Síndrome de Rett: acontece só em meninas. Inicialmente, o desenvolvimento é normal, seguido da perda de linguagem, da marcha e do uso da mãos, associado a um retardo do desenvolvimento craniano.
  41. 41. Segundo Cid-10: Síndrome de Asperger: apresenta transtornos semelhantes ao autismo. Diferencia-se, essencialmente, por não apresentar retardo, deficiência de linguagem ou no desenvolvimento cognitivo.
  42. 42. Questões importantes: O autista tem expectativa de vida completamente normal. O autismo não tem cura, porém, é importante que a família busque um diagnóstico precoce, pois ajuda muito no desenvolvimento do indivíduo. Não existe medicação ou tratamentos específicos para o autismo.
  43. 43. TRANSTORNOS O termo transtorno abrange diferentes acepções. Pode fazer referência a uma ligeira alteração da saúde ou a um estado de incapacidade mental, por exemplo. Transtorno é, por outro lado, a ação e o efeito de trastornar (inverter a ordem regular de algo ou perturbar o comportamento de alguém)
  44. 44. TRANSTORNOS Algo que provoca um desarranjo, uma desordem na área psíquica do indivíduo, são distúrbios relacionados a uma resposta de medo ou ansiedade, ativada em uma situação em que não é necessária, ou durante um período mais prolongado do que o necessário
  45. 45. TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE Esquizóde - Transtorno da personalidade caracterizado por um retraimento dos contatos sociais, afetivos ou outros, preferindo a fantasia, atividades solitárias e a reserva introspectiva; apresentando uma incapacidade de expressar seus sentimentos e a experimentar prazer.
  46. 46. TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE Borderline:Transtorno de personalidade caracterizado pela tendência nítida em agir de modo imprevisível, sem consideração pelas consequências, com humor imprevisível e caprichoso, tendência a acessos de cólera e uma incapacidade de controlar os comportamentos impulsivos, tendência a adotar um comportamento briguento e a entrar em conflito com os outros principalmente quando os atos impulsivos são contrariados ou censurados.
  47. 47. O indivíduo apresenta também perturbações da autoimagem, uma sensação crônica de vacuidade, relações interpessoais intensas e instáveis e uma tendência a adotar um comportamento autodestrutivo, compreendendo tentativas de suicídio ou gestos suicidas.
  48. 48. TRANSTORNOS DELIRANTES Esquizofrenia:A esquizofrenia é um distúrbio mental grave, caracterizado pela perda do contato com a realidade (psicose), alucinações, delírios (crenças falsas), pensamentos anormais e alteração do funcionamento laborativo e social.
  49. 49. A dificuldade de processamento das informações, a incapacidade de concentração, a dificuldade de comportar-se de forma socialmente aceitável e a incapacidade de lidar com os problemas em geral podem indicar vulnerabilidade
  50. 50. TRANSTORNO DISSOCIATIVO Personalidade múltipla:É caracterizado por duas ou mais personalidades distintas num mesmo indivíduo, se alternando uma de cada vez.
  51. 51. Cada personalidade é completa, com suas próprias memórias, comportamento e gostos, de forma bastante elaborada e complexa. Podem ter sexos, idades, raças ou comportamentos diferentes (uma sendo sexualmente promíscua e outra recatada
  52. 52. TRANSTORNOS DE ANSIEDADE TOC -É caracterizado essencialmente por ideias obsessivas e comportamentos compulsivos recorrentes. As ideias obsessivas são pensamentos, representações ou impulsos que se intrometem na consciência do sujeito de modo repetitivo e estereotipado. Ele tem consciência desses pensamentos, e tenta de todas as maneiras evitá-los,
  53. 53. SINTOMAS OBCESSIVOS  Medo de contaminação por germes, sujeiras etc.  Imaginar que tenha ferido ou ofendido outras pessoas.  Imaginar-se perdendo o controle, realizando violentas agressões ou até assassinatos.  Pensamentos sexuais urgentes e intrusivos.  Dúvidas morais e religiosas.  Pensamentos proibidos
  54. 54. SINTOMAS COMPULSIVOS  Sintomas compulsivos mais comuns  Lavar as mãos para eliminar germes, bactérias, etc.  Repetir determinados gestos  Verificar se as coisas estão como deveriam, porta trancada, gás desligado, etc.  Tocar objetos  Contar objetos  Ordenar ou arrumar os objetos de uma determinada maneira  Rezar
  55. 55. TRANSTORNOS EMOCIONAIS  Depressão:Nos episódios típicos de cada um dos três graus de depressão (leve, moderado ou grave), o paciente apresenta um rebaixamento do humor, redução da energia e diminuição da atividade. Existe alteração da capacidade de experimentar o prazer, perda de interesse, diminuição da capacidade de concentração associadas em geral à fadiga, mesmo após um esforço mínimo.
  56. 56.  O humor depressivo varia pouco diariamente ou segundo as circunstâncias, e pode se acompanhar de sintomas ditos “somáticos” (por exemplo: perda de interesse ou prazer, despertar matinal precoce várias horas antes da hora habitual de despertar, agravamento matinal da depressão, lentidão psicomotora importante, agitação, perda de apetite, perda de peso e perda da libido).
  57. 57. TRANSTORNO BIPOLAR A alternância de longos períodos depressivos com manias é a tônica dessa patologia. Os indivíduos com esse transtorno apresentam durante algumas ocasiões uma elevação do humor e aumento da energia e da atividade (hipomania ou mania), e em outras, um rebaixamento do humor e de redução da energia e da atividade (depressão).
  58. 58. TRANSTORNOS ALIMENTARES Anorexia:é um transtorno de grande incidência nas mulheres (cerca de 90% dos casos), sendo caracterizado pela imposição do indivíduo em se manter com um limite de peso muito baixo (geralmente abaixo de 85% do seu índice corporal).
  59. 59. ANOREXIA  Outras características ocasionalmente associadas com a Anorexia Nervosa incluem preocupação acerca de comer em público, sentimento de inutilidade, forte necessidade de controlar o próprio ambiente, pensamento inflexível, espontaneidade social limitada, iniciativa e expressão emocional demasiadamente refreada. Nas mulheres, a anorexia pode causar ainda disfunções hormonais graves, causando até a ausência de períodos menstruais.
  60. 60. BULIMIA As características principais deste transtorno incluem bingeing (ingestão de grandes quantidades de alimentos) e purificação (eliminação dos alimentos por meios artificiais, como vômitos forçados, uso excessivo de laxantes, períodos de jejum, ou exercícios excessivos).
  61. 61. TDAH (DDA) - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade  O TDAH é uma síndrome (conjunto de sintomas) caracterizadapor distração, agitação /hiperatividade, impulsivida de, esquecimento, desorganização, adiamento crônico, entre outras. Pessoas com TDAH - Déficit de Atenção tem dificuldade em manter a concentração, costumam ser agitadas e tem problemas para fazer as coisas até o final. Encontrar este sintomas em crianças e adultos é comum. Porém, quando se trata do transtorno, as queixas são mais frequentes e os sintomas muito mais intensos. Há diagnóstico e tratamento para TDAH, que pode prevenir e aliviar muito sofrimento.
  62. 62.  O TDA deriva de um mau funcionamento neurobiológico (da bioquímica do cérebro). O dado mais informativo é que há uma alteração metabólica principalmente nas regiões pré-frontal e pré-motora do cérebro. Como a região frontal é a principal reguladora do comportamento humano, falhas na bioquímica desta região levariam às alterações encontradas no TDA (impulsos e inquietação). Devemos destacar ainda que há forte histórico familiar neste transtorno (carga genética), uma vez que é comum que várias pessoas da mesma família sejam acometidas pelo problema (pais, avós, tios, irmãos).
  63. 63. NO ADULTO  dificuldades em organizar as tarefas diárias; tendência a ser desorganizado e a perder objetos; irritação com tarefas repetitivas ou monótonas; preferência por ambientes agitados; numa conversa, começa a falar antes do fim de uma pergunta ou de uma resposta; distração e "sonhos acordados" constantes, principalmente quando está lendo ou ouvindo por obrigação; períodos de sonolência durante o dia; falhas de memória; comportamento impulsivo. Falar e agir sem medir consequências; alterações rápidas de humor; em alguns casos, envolvimento com drogas (álcool, cocaína e maconha).
  64. 64. MENSAGEM FINAL: Todo mundo tem um potencial único. Trate as pessoas com necessidades especiais, vislumbrando as capacidades que ela tem. Uma relação harmoniosa e respeitosa é capaz de transformações profundas. É importante sempre acreditar no ser humano; tenha ele alguma limitação, transtorno ou deficiência.

×