A arte da guerra JHONATHAN FERNANDO

1.937 visualizações

Publicada em

A arte da guerra criada por sun tzu que foi um filosofo chinês estrategista que venceu muitas batalhas, ele criou a arte da guerra para contar um pouco de seus pensamentos por tudo o que vivenciou, muitos vê o titulo do livro e pensam que não da pra tirar nada de proveito , mais esta completamente enganado a arte da guerra nos mostra que pode ser utilizado atualmente em vários aspectos para alcançar objetivos e traçar meta, para aqueles que almejam trilhar e alcançar sucesso em sua vida tanto profissional como pessoal.Na obra, sun tsu ensina várias táticas e planejamentos que devem ser utilizados para se vencer uma batalha, técnicas estas que podem fazer um exército de poucos soldados vencer um exército em grande quantidade,mostrando que a quantidade não é tudo e sim um bom planejamento e saber como colo calo em pratica ou seja desde que seus ensinamentos sejam aplicados corretamente, sun tsu prova que a inteligência vence a força.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.937
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.017
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A arte da guerra JHONATHAN FERNANDO

  1. 1. ACADEMICO: JHONATHAN FERNANDO A arte da guerra criada por sun tzu que foi um filosofo chinês estrategista que venceu muitas batalhas, ele criou a arte da guerra para contar um pouco de seus pensamentos por tudo o que vivenciou, muitos vê o titulo do livro e pensam que não da pra tirar nada de proveito , mais esta completamente enganado a arte da guerra nos mostra que pode ser utilizado atualmente em vários aspectos para alcançar objetivos e traçar meta, para aqueles que almejam trilhar e alcançar sucesso em sua vida tanto profissional como pessoal.Na obra, sun tsu ensina várias táticas e planejamentos que devem ser utilizados para se vencer uma batalha, técnicas estas que podem fazer um exército de poucos soldados vencer um exército em grande quantidade,mostrando que a quantidade não é tudo e sim um bom planejamento e saber como colo calo em pratica ou seja desde que seus ensinamentos sejam aplicados corretamente, sun tsu prova que a inteligência vence a força. Tsu mostra que a lição que se tira da obra é que a primeira batalha que devemos travar é contra nós mesmos.Quando fala em meta, o autor ensina que é necessário agir em conjunto, conhecer o ambiente de ação, o obstáculo a ser vencido e, é claro, conhecer seus próprios pontos fortes e pontos fracos. A grande sabedoria é obter do adversário tudo o que desejar, transformando seus atos em benefícios. Em relação aos comandados, é preciso manter uma disciplina rígida, ser respeitado, ter prestígio e ser temido. Na obra contem 13 capítulos não muitos extensos mais que da pra compreender bem o que tsu passa para nós, que exploram diversos aspectos da estratégia militar, os treze capitulo começa falando da avaliação que nos mostra cinco coisas que devemos conhecer para prever o desfecho de uma guerra, o primeiro seria o caminho , que diz que seu povo deve estar em harmonia com seu governante , seguindo aonde for sem ter medo do perigo. O Segundo seria o tempo, que fala da mudança das estações , o terceiro é o terreno ele significa as distancias , os espaços aberto e fechados a possibilidade de sobreviver , achar um bom local para se abrigar, o quarto envolve a liderança que o líder deve conter sabedoria coragem e disciplina , e por ultimo vem a regras , mais o que significa regras? Regras significa a organização a hierarquia. Essas cinco coisas devem ser conhecidas por cada general, quem sabe as sabe , vence , quem não sabe , perde.No segundo capitulo envolve a parte do combate que destaca as conseqüências internas da guerra e coloca a ênfase na rapidez e eficiência das ações de forma a conservar a energia e os recursos e assim minimizar o desgaste causado. No terceiro capitulo fala sobre a estratégia de ataque que refere a importância de manter intacto o maior número de coisas possíveis o melhor seria mesmo vencer as batalhas mesmo sem lutar; refere ainda a importância do
  2. 2. conhecimento do inimigo e de nós próprios para vencer as batalhas, a habilidade suprema não consiste em ganhar cem batalhas , mas sim em vencer o inimigo sem combater. Quarto capitulo fala sobre a preparação ,coloca a ênfase na disposição das tropas no terreno e declara que o segredo da vitória está na adaptabilidade,quem tem poucas forças se defende , quem tem bastante ataca , a defesa é para tempos de escassez , o ataque para tempos de abundancia. O quinto capitulo fala sobre propensão é relevada a força, ou o ímpeto, a estrutura dinâmica do grupo em ação, a coordenação, a coerência da organização e são apresentados diversos métodos de ataque e defesa, se as pessoas forem levadas a luta pelo ímpeto , serão como rochas e toras que rolam do cume da montanha, isso é propensão. Sexto capitulo fala sobre o cheio e o vazio o inimigo e atraído pela oportunidade e se afasta diante do perigo, destaca a importância de conservar a própria energia e de, em simultâneo, induzir o inimigo a esgotar a sua, pontos fortes e fracos. Sétimo capitulo fala de manobras trata da organização efetiva no campo de batalha e das manobras de combate, ao mesmo tempo que refere outros assuntos de especial importância para o sucesso, quem se movimenta rápido, mas está despreparado , pode ganhar de um lado e perder de outro. Oitavo capitulo são as nove mudanças, os generais que conhecem as nove mudanças sabem como empregar suas tropas, são vista como um dos pilares da arte de guerrear , as nove mudanças são: Não acampar em terreno baixo, seja diplomático na fronteira faça aliados, não fique em terra ruim, em terra inóspita planeje,em campo da morte lute, algumas vias não devem ser percorridas,alguns exércitos não devem ser atacados , algumas cidades não devem ser citadas , alguns terrenos não devem ser disputados. Sobre a movimentação esse é o nono capitulo trata das manobras estratégicas do exército ,ao estacionar seu exercito frente ao inimigo, atravesse as montanhas e mantenha-se no vales, fique no alto a favor da luz. Décimo capitulo fala sobre o terreno às condições do terreno , são caracterizados os diversos tipos de terreno existentes e apresentadas as formas mais adequadas de atuar em cada tipo, os terrenos podem ser classificados como, acessíveis , tortuosos , indecisos, apertados ,acidentados ou distantes. Décimo primeiro capitulo fala sobre os nove territórios é novamente analisada a questão da adaptação ao terreno, que nesse capitulo são nove tipo de terreno: disperso,fronteira, chave, aberto ,interseção, perigoso, difícil,cercado e mortal.
  3. 3. Décimo segundo capitulo mostra o ataque com fogo, faz uma descrição dos cincos tipos de ataque incendiário: o primeiro é atear fogo às tropas inimigas; depois, às suas provisões; em terceiro, queimar os seus transportes; quarto, o seu arsenal e; por último as suas vias de abastecimento. E por ultimo décimo terceiro o uso de espiões ou agentes secretos é valorizada a utilização de espionagem como forma de reduzir os custos da guerra e são caracterizados os cinco tipos de espiões: espião nativo , espião interno, agente duplo , espião dispensável e o espião vivo , quando estão em atividade ninguém sabe aonde estão operando.

×