O ILUMINISMO           Prof. Janainaze/2012
CONCEITOMovimento de renovação filosófica eintelectual, que atingiu maturidade naFrança, conhecido pelo nome Ilustração en...
ORIGEMA partir da segunda metade do século XVIII,a crise do Antigo Regime se intensificou. Aburguesia , apoiada pelo campe...
FUNDAMENTOEsses pensadores acreditavam na Razão e noProgresso. Combatiam o misticismo, aignorância, o absolutismo, a Igrej...
Filósofos e Políticos:John Locke (1632-1704)Autor da obra: Segundo Tratado do Governo Civil publicada em1690.Defende a ide...
François Marie Aronet,Voltaire (1694-1778)♦ Polemista vigoroso, crítico do clero e da monarquiaAbsolutista, escreveu vária...
Charles Louis de Secondat, barão deMontesquieu (1689-1755)Principal obra: O Espírito das Leis.“As leis, escritas ou não, q...
Jean Jacques Rousseau(1712-1778) Popular, radical, suíço foi um personagem polêmico, amado por muitos e odiado por tantos ...
Economistas da EscolaClássica:            Adam Smith (1723-1790)            Principais obras: As riquezas das Nações e    ...
David Ricardo (1772-1823)             Obra: Princípios de Economia Política             e Tributária                      ...
John Stuart Mill (1806 -1873)Princípios de EconomiaPolítica e Lógica Racional eIndutiva.Difere dos outroseconomistas cláss...
Thomas Robert Malthus (1766-1843)Princípios de Economia Política eEnsaio sobre a PopulaçãoCausas da miséria: a populaçãoau...
Escola Fisiocrata:  François Quesnay (1694-1774)• Passou a questionar omercantilismo.• Eram contrários à intervenção doest...
RESUMINDO
Déspotas EsclarecidosAlguns monarcas europeus tentaramcolocar em prática algumas ideias dospensadores iluministas, fizeram...
DesdobramentosO Iluminismo espalhou-se pela Europa, provocandopolêmica e alterando comportamentos.Nem todos os filósofos e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Iluminismo 2012

1.078 visualizações

Publicada em

Revolução no pensamento que visava romper com a sociedade do Antigo Regime bem como o controle que a Igreja Católica ainda exercia sobre a estrutura politica e econômica.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.078
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Iluminismo 2012

  1. 1. O ILUMINISMO Prof. Janainaze/2012
  2. 2. CONCEITOMovimento de renovação filosófica eintelectual, que atingiu maturidade naFrança, conhecido pelo nome Ilustração eno século XVIII, apelidado de Século dasLuzes. Sua origem está vinculada àchamada Revolução Científica do séculoXVII, que se apoiava nas teorias de GalileuGalilei, de René Descartes e de IsaacNewton. No plano político se inspiraram nasRevoluções Inglesas do século XVII.
  3. 3. ORIGEMA partir da segunda metade do século XVIII,a crise do Antigo Regime se intensificou. Aburguesia , apoiada pelo campesinato,passou a questionar os privilégios do clero eda nobreza. No campo econômico, asrelações sociais, ainda predominantementefeudais, travavam o desenvolvimento docapitalismo.
  4. 4. FUNDAMENTOEsses pensadores acreditavam na Razão e noProgresso. Combatiam o misticismo, aignorância, o absolutismo, a Igreja Católica,a intervenção do Estado na economia, enfimtodas as forças que se opunham aoprogresso e ao desenvolvimento. Segundo oadvogado Séguier (1770), esses filósofos“com uma das mãos tentaram abalar o tronoe com a outra, quiseram derrubar osaltares.”
  5. 5. Filósofos e Políticos:John Locke (1632-1704)Autor da obra: Segundo Tratado do Governo Civil publicada em1690.Defende a ideia de governo limitado justificando o monarquiaparlamentar estabelecida na Inglaterra após a RevoluçãoGloriosa.Afirma que o homem possuía direitos naturais e inalienáveiscomo à vida, a liberdade, a propriedade e a busca da felicidade.Defende a teoria da rebelião uma vez que o governante usurpeos direitos dos governados.A função do Estado é proteger os interesses particulares dosindivíduos.
  6. 6. François Marie Aronet,Voltaire (1694-1778)♦ Polemista vigoroso, crítico do clero e da monarquiaAbsolutista, escreveu várias obras como Tratado daMetafísica, Dicionário Filosófico, Cartas Inglesas.♦ Voltaire é um reformista moderado e pragmático.♦ A liberdade e a propriedade privada, uma sustentando aoutra. Ambas consideradas pilares da sua política.♦ Defensor da liberdade de opinião e expressão: “nãoconcordo com o que dizes mas defenderei até a mortevosso direito de dizê-lo.”
  7. 7. Charles Louis de Secondat, barão deMontesquieu (1689-1755)Principal obra: O Espírito das Leis.“As leis, escritas ou não, que governam os povos, não são frutos docapricho ou do arbítrio de quem legisla. Ao contrario, decorrem darealidade social e da história concreta própria ao povo considerado.”Distingue três formas de governo: República, Monarquia e Despotismo. Oprincípio da Monarquia é a honra, da República, a virtude e do Despotismo,o medo.Não era um revolucionário. Era simpático à monarquia liberal inglesa.Criador da doutrina dos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.
  8. 8. Jean Jacques Rousseau(1712-1778) Popular, radical, suíço foi um personagem polêmico, amado por muitos e odiado por tantos outros. Na obra Discurso sobre as Ciências e as Artes defendia a tese de que o progresso, ao invés de melhorar o homem, o havia, na realidade, deteriorado. Criticava a propriedade privada que considerava a raiz das infelicidades humanas. Em O Contrato Social, desenvolveu a concepção de que a soberania reside no povo, expressa pela vontade da maioria, através do voto.
  9. 9. Economistas da EscolaClássica: Adam Smith (1723-1790) Principais obras: As riquezas das Nações e Teoria dos Sentimentos Morais. Para ele o trabalho, aliado ao capital, é fator determinante de riqueza. Totalmente contrário ao intervencionismo estatal acreditava que o mercado é regulado pela lei da oferta e da procura e pela livre concorrência. Defensor da divisão técnica e Internacional do trabalho pois daí se origina o aumento da produtividade.
  10. 10. David Ricardo (1772-1823) Obra: Princípios de Economia Política e Tributária Elaborador da teoria do valor defendia a ideia que o custo da produção determina o valor dos bens; da teoria do salário natural - aquele fixado a fim de suprir as necessidades mínimas do trabalhador e a teoria da renda - o rendimento dos donos de terras tende a aumentar com o desenvolvimento populacional.
  11. 11. John Stuart Mill (1806 -1873)Princípios de EconomiaPolítica e Lógica Racional eIndutiva.Difere dos outroseconomistas clássicos porpreocupar-se com osproblemas sociais. Ointeresse pela justiça socialo coloca na transição daescola clássica para osocialismo.
  12. 12. Thomas Robert Malthus (1766-1843)Princípios de Economia Política eEnsaio sobre a PopulaçãoCausas da miséria: a populaçãoaumentava numa progressãogeométrica enquanto a produçãode alimentos aumentava numaprogressão aritmética.Defendia o aumento da contenção dapopulação, controle de natalidade.
  13. 13. Escola Fisiocrata: François Quesnay (1694-1774)• Passou a questionar omercantilismo.• Eram contrários à intervenção doestado na economia pois osfenômenos econômicos são regidospor leis próprias, impostas por Deus(laissez faire, laissez passer).• Acreditava ser a terra a únicafonte de riqueza, daí a supremacia daagricultura sobre o comércio -Agrarismo.
  14. 14. RESUMINDO
  15. 15. Déspotas EsclarecidosAlguns monarcas europeus tentaramcolocar em prática algumas ideias dospensadores iluministas, fizeramalgumas mudanças criando escolasobrigatórias, permitindo a liberdadede expressão, valorizando a arte,porem sem alterar a estrutura doestado Absolutista.• Frederico II da Prússia• Catarina II da Rússia• Marques de Pombal em Portugal
  16. 16. DesdobramentosO Iluminismo espalhou-se pela Europa, provocandopolêmica e alterando comportamentos.Nem todos os filósofos eram burgueses, bem comonão havia uniformidade de pensamento entre eles.Apesar disso, muitas das idéias desses pensadoresforam usadas pela burguesia na sua luta contra oAntigo Regime, contribuindo dessa forma para asrevoluções burguesas (Revolução Francesa, porexemplo)

×