SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
REVISÃO- 3 ANO

GUERRA FRIA
1. (Cesgranrio) A URSS transformou-se, após 1945, numa das potências mundiais,
tanto no campo econômico como técnico. Um dos melhores exemplos dessa
transformação é o:

a) desenvolvimento da política espacial, representada pela 1• viagem em torno da
Terra por Gagarin.

b) desenvolvimento da indústria cinematográfica e das teorias em torno da fusão
nuclear.

c) desenvolvimento da indústria automobilística e o incremento do sistema industrial
privado.

d) crescimento do mercado interno, com o desenvolvimento de novas técnicas de
cultivo agrícola e aumento de salários.

e) crescimento da produção agrícola em função do fim da intervenção do Estado no
setor e de técnicas administrativas americanas.



2. (Cesgranrio) No início da década de 60, o arsenal nuclear à disposição das grandes
potências era suficiente para destruir a humanidade, caso fosse utilizado em uma
situação de confronto. Ao assumir o governo, o Presidente Kennedy (1961-63)
defendeu a substituição da política externa norte-americana de confronto por uma de
entendimento com a URSS, cujo objetivo era o desarmamento gradual das duas
superpotências. Esse programa do governo Kennedy foi conhecido como:

a) Doutrina Drago.

b) Doutrina Monroe.

c) Corolário Roosevelt

d) Nova Fronteira.

e) Política de Boa Vizinhança.



3. (Cesgranrio) Ao final da Segunda Guerra Mundial, a ruptura do acordo que unira os
aliados vitoriosos gerou um ordenamento político internacional baseado na
bipolaridade. Nesse contexto, crises políticas e tensões sociais desencadearam um
processo de construção do socialismo em diversos países. Assinale a opção que
apresenta uma afirmativa correta sobre a construção do socialismo no mundo do pós-
guerra:

a) Na Iugoslávia (1944-45), o regime comunista implantado pelo Marechal Tito
submeteu-se à hegemonia política e econômica soviética, o que acarretou sua
expulsão do movimento dos países não alinhados.

b) Na Tchecoslováquia (1946), o socialismo reformista, baseado na descentralização e
liberalização do sistema frente ao modelo stalinista, retomado na política de Brejnev,
foi interrompido pela repressão russa, encerrando a "Primavera de Praga".

c) Na China (1949), a revolução comunista derrubou o regime imperial e expulsou os
invasores japoneses da Manchúria, reunindo os nacionalistas, os "senhores da guerra"
e os comunistas maoístas em um governo de coalizão que instituiu uma república
popular no país.

d) Na Coréia (1950-53), a intervenção militar norte-americana impediu o avanço das
forças revolucionárias comunistas que ocupavam o norte do país, reunificando as duas
Coréias sob a tutela do Conselho de Segurança da ONU.

e) Em Cuba (1959), a vitória dos revolucionários castristas foi favorecida pela
promulgação da Emenda Platt no Senado americano, que regularizou o envio de
armamentos aos guerrilheiros contrários à ditadura de Fulgêncio Batista.



4. (Cesgranrio) O fim da Guerra Fria, expresso na extinção da União Soviética, em 1991,
acarretou um novo equilíbrio e o ordenamento das relações internacionais, que se
caracteriza por um (a):

a) enfraquecimento dos movimentos nacionalistas regionais e das tendências de
globalização na Europa ocidental.

b) declínio da liderança política internacional das superpotências em virtude da
transferência do controle de seus arsenais nucleares para a Assembléia Geral da ONU.

c) revitalização das alianças militares estratégico-defensivas, conforme os pactos
políticos da Europa central e do leste.

d) formação de megablocos político-econômicos que favoreceram a
internacionalização dos fluxos de capitais, tais como a da Comunidade Européia e a do
Nafta.

e) decadência econômica dos países da bacia do Pacífico que haviam mantido uma
posição de neutralidade durante a Guerra Fria, tais como Cingapura e Malásia.
5. (Cesgranrio) Após a Segunda Guerra Mundial, consolidou-se uma ordem político-
econômica internacional que expressou o(a):

a) conflito político e ideológico entre a União Soviética e os Estados Unidos.

b) supremacia política e militar da Europa Ocidental.

c) subordinação neocolonial dos países árabes e da América Latina.

d) liderança política mundial da China Comunista através de sua participação na ONU.

e) hegemonia econômica mundial das ex-nações imperialistas, tais como a Inglaterra e
a França.



6. (Faap) Após a Segunda Guerra Mundial, a URSS estruturou um plano de cooperação
política com os países do bloco oriental, criado, em 1947:

a) o Comecom

b) o Kominform

c) o Pacto de Varsóvia

d) o Plano Marshall

e) a Otan



7. (Fatec) "É lógico que os EUA devem fazer o que lhes for possível para ajudar a
promover o retorno ao poder econômico normal no mundo, sem o que não pode
haver estabilidade política nem garantia de paz."

         (Plano Marshall 5. VI. 1947)

Esse plano

a) assegurava a penetração de capitaisnorte-americanos no continente europeu,
sobretudo em sua parte oriental.

b) garantia, aos norte-americanos, o retorno a uma política isolacionista, voltada
unicamente para os seus interesses internos.

c) pretendia deter as ameaças soviéticas sobre os países do Oriente Médio, cuja
produção de petróleo era vital para as economias ocidentais.
d) era um instrumento decisivo na luta contra o avanço do comunismo na Europa
arrasada pelo pós-guerra.

e) representava uma tomada da tradicional política da "boa vizinhança" dos EUA em
relação à América Latina.



8. (Fgv) Em junho de 1947, o governo dos EUA passou a implementar um projeto de
reconstrução da Europa denominado Plano Marshall. Qual dos tópicos a seguir NÃO é
uma causa desse plano:

a) o temor trazido pela criação do Mercado Comum Europeu (MCE);

b) o deslocamento do controle do capitalismo da Europa para os EUA e sua crescente
influência sobre os países europeus;

c) a necessidade que a Europa tinha de reunir recursos para pagar o seu principal
credor, os EUA, que lhe forneceram desde alimentos até materiais bélicos durante a II
Guerra Mundial;

d) a necessidade de se reconstruírem as cidades e de recuperarem a indústria e a
agropecuária europeia, devastadas durante a II Grande Guerra;

e) o interesse que os Estados Unidos tinham em fortalecer a ordem capitalista na
Europa Ocidental e, assim, impedir a expansão do socialismo no continente.



9. Os 45 anos que vão do lançamento das bombas atômicas até o fim da União
Soviética, não foram um período homogêneo único na história do mundo. (...) dividem-
se em duas metades, tendo como divisor de águas o início da década de 70. Apesar
disso, a história deste período foi reunida sob um padrão único pela situação
internacional peculiar que o dominou até a queda da URSS.

(HOBSBAWM, Eric J. Era dos Extremos. São Paulo: Cia das Letras,1996)



O período citado no texto e conhecido por “Guerra Fria” pode ser definido como
aquele momento histórico em que houve

a) corrida armamentista entre as potências imperialistas européias ocasionando a
Primeira Guerra Mundial.

b) domínio dos países socialistas do Sul do globo pelos países capitalistas do Norte.
c) choque ideológico entre a Alemanha Nazista / União Soviética Stalinista, durante os
anos 30.

d) disputa pela supremacia da economia mundial entre o Ocidente e as potências
orientais, como a China e o Japão.

e) constante confronto das duas superpotências que emergiram da Segunda Guerra
Mundial.



10. (Mackenzie)

I- "A OTAN, Organização do Tratado do Atlântico Norte, vai começar sua expansão para
o Leste Europeu até junho de 1997.

A afirmação foi feita à Folha (...) pelo secretário-geral da entidade (...) e se refere à
data na qual ele pretende que seja feito o convite oficial a novos membros para a
Aliança Militar (...)

Os 'parceiros' (...) sairão da Parceria para a Paz, acordo militar entre 27 países da
OTAN, Leste Europeu e Ásia, lançado em 1994. A Polônia é favorita."

         ("Folha de São Paulo")



II- "Mais de 900 militares americanos (...) foram mantidos como prisioneiros na Coréia
do Norte, após o fim da Guerra da Coréia (...) muitos dos prisioneiros foram
submetidos a experiências com drogas e depois executados.

As experiências, para determinar a ação das drogas em interrogatórios, foram
conduzidas por agentes Tchecoslovácos e Soviéticos."

         ("O Estado de São Paulo")



III- "O Vaticano não comentou ontem, alegações de que o Papa João Paulo II e o
governo dos E.U.A. (CIA), trabalhavam juntos em segredo na década de 80, para
apressar o fim do comunismo na Polônia.

A aliança informal entre os E.U.A. e o Vaticano inclui corte de verbas do Governo
Norte-Americano para programas de controle de natalidade no país e o silêncio do
Papa quanto à instalação de mísseis na Europa Ocidental."

      ("Folha de São Paulo")
Dentre os textos anteriores, relacionam-se com a Guerra Fria:

a) somente I.

b) somente I e II.

c) I, II e III.

d) somente II e III.

e) somente I e III.



11. (Puccamp) "...inspirado por razões humanitárias e pela vontade de defender uma
certa concepção de vida ameaçada pelo comunismo, constitui também o meio mais
eficaz de alargar e consolidar a influência norte-americana no mundo, um dos maiores
instrumentos de sua expansão (...) tem por conseqüência imediata consolidar os dois
blocos e aprofundar o abismo que separava o mundo comunista e o Ocidente..."



"...as partes estão de acordo em que um ataque armado contra uma ou mais delas na
Europa ou na América do Norte deve ser considerado uma agressão contra todas; e,
conseqüentemente, concordam que, se tal agressão ocorrer, cada uma delas (...)
auxiliará a parte ou as partes assim agredidas (...)"



Os textos identificam, respectivamente,

a) a Doutrina Monroe e a Organização da Nações Unidas (ONU).

b) o Plano Marshall e a organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

c) o Pacto de Varsóvia e a Comunidade Econômica Européia (CEE).

d) o Pacto do Rio de Janeiro e o Conselho de Assistência Econômica Mútua
(COMECON).

e) a Conferência do Cairo e a Organização dos Estados Americanos (OEA).



12. (Puccamp) "A bipolarização do mundo, após a Segunda Guerra Mundial, apesar de
ter se constituído na principal referência para as relações internacionais, não chegou a
garantir um verdadeiro equilíbrio mundial. Nesse contexto consolidou-se a hegemonia
internacional norte-americana". A esse respeito pode-se afirmar que na presidência
de

a) Truman (1945 - 52), encerrou-se a política macarthista, o que possibilitou o fim da
Guerra da Coréia e sua conseqüente unificação sob um protetorado norte-americano.

b) Eisenhower (1952 - 60), completou-se o sistema de segurança norte-americano,
com a formação de diversos pactos militares contra os comunistas.

c) Kennedy (1960 - 63), desenvolvendo a "Aliança para o Progresso" encerrou-se a
política de confronto com o mundo comunista, permitindo a retirada americana do
conflito vietnamita.

d) Johnson (1963 - 68), a discussão da Doutrina Monroe consolidou-se as alianças
políticas com os movimentos nacionalistas e o fim das intervenções militares na
América Latina.

e) Nixon (1968 - 1974), a aproximação com os países comunistas foi dificultada pela
negação da União Soviética em assinar o Tratado de Limitação de Armas Estratégicas,
Salt-1.



13. (Puccamp) "A construção de uma nova ordem mundial, após a Segunda Guerra
Mundial, contou com a participação da União Soviética, cuja importância estendeu-se
até sua desintegração em 1991".

Sobre o período mencionado no texto, pode-se afirmar corretamente que

a) o desaparecimento de Joseph Stálin (1953), acompanhado da ascensão de
Malenkov, conduziu a um recrudescimento da Guerra Fria, instigando a participação
soviética em disputas por áreas como a Letônia e o Vietnã.

b) o Governo de Kruschev (1955-64) correspondeu a uma época de críticas às práticas
políticas do Stalinismo e à negação, por parte da URSS, da inevitabilidade da Guerra
com os países capitalistas do Ocidente.

c) a ruptura das relações entre os Partidos Comunistas da URSS e da China (1959)
consagrou a liderança política internacional russa submetendo a China a seus
interesses e autoridades.

d) a chegada de Brejnev ao poder favoreceu o estouro de um movimento de reformas
liberalizantes, que reestruturam o Estado Soviético extinguindo a censura interna e
abrindo o país aos estrangeiros.
e) a administração de Andropov (1982-84) provocou um endurecimento do regime
com a volta das perseguições políticas, prisões em massa e a revitalização das forças
armadas russas.



14. (Puccamp) "... foi um período em que a guerra era improvável, mas a paz era
impossível. A paz era impossível porque não havia maneira de conciliar os interesses
de capitalistas e comunistas. Um sistema só poderia sobreviver à custa da destruição
total do outro. E a guerra era improvável porque os dois blocos tinham acumulado
tamanho poder de destruição, que se acontecesse um conflito generalizado seria, com
certeza, o último..."



O texto descreve uma problemática que, na história recente da humanidade,

a) identifica as tensões internacionais durante a Revolução Russa.

b) ilustra as relações americano-soviéticas durante a Guerra Fria.

c) caracteriza o panorama mundial durante a Guerra do Golfo Pérsico.

d) revela o perigo da corrida armamentista durante a Revolução Chinesa.

e) explica os movimentos pacifistas no Leste Europeu durante a Guerra do Vietnã.



15. (Uel) As mudanças no panorama internacional representadas pela vitória socialista
de Mao-Tsé-tung na China, pela eclosão da Guerra da Coréia e pelas crescentes
dificuldades no relacionamento com a URSS, repercutiram na forma de tratamento
dispensada pelos Estados Unidos ao Japão. Este, de "inimigo vencido", passou a

a) atuar como o mais forte aliado da URSS naquela região.

b) ser a principal base de operações norte-americanas na Ásia.

c) competir com as forças econômicas alemãs e inglesas.

d) buscar o seu nível econômico de antes da Primeira Guerra Mundial.

e) menosprezar o "consenso" - política de participação de pessoal, que visa à
integração do trabalhador no esquema da empresa capitalista.



16. (Ufes) Em agosto de 1961, na "Conferência Econômica e Social de Punta Del Este",
o presidente John Kennedy apresentou aos países latino-americanos o projeto da
"Aliança para o Progresso", o qual previa, em linhas gerais, o aperfeiçoamento e
fortalecimento das instituições democráticas, mediante a autodeterminação dos
povos, a aceleração do desenvolvimento econômico e social dos países latino-
americanos, a erradicação do analfabetismo e a garantia aos trabalhadores de uma
justa remuneração e adequadas condições de trabalho. Situando a "Aliança para o
Progresso" no contexto das relações internacionais vigentes no Pós-Guerra,
constatamos que sua criação se deveu ao desejo do governo norte-americano de

a) bloquear a acentuada evasão de capitais latino-americanos, resultante da
importação maciça de bens de consumo japoneses e das altas taxas de juros pagas aos
países integrantes do "Pacto de Varsóvia" por conta dos empréstimos contraídos na
década de 50.


b) conter o avanço dos movimentos revolucionários na América Latina, reafirmando
assim a liderança exercida pelos EUA sobre o Continente, numa conjuntura de
acirramento da Guerra Fria por conta da Revolução Cubana.

c) desviar, para a América Latina, parte dos investimentos previstos no "Plano Global
de Descolonização Afro-Asiática", em virtude das revoluções socialistas de Angola e
Moçambique, que tornaram a posição norte-americana na África insustentável.

d) impedir que a República Federal Alemã, país de orientação socialista, firmasse
acordos com a finalidade de transplantar tecnologia nuclear para o Terceiro Mundo, a
exemplo do que havia ocorrido no Brasil sob o governo JK.

e) reabilitar os acordos diplomáticos entre os EUA e os demais países latino-
americanos, que haviam sido rompidos quando da invasão de Honduras e do Equador
pelas tropas norte-americanas, fortalecendo assim a OEA.



17. (Ufmg) Sobre a geopolítica na conjuntura imediatamente pós Segunda Guerra,
pode-se afirmar que

a) as áreas que não se envolveram, diretamente, no conflito conseguiram alcançar um
amplo desenvolvimento econômico baseado em uma política de exportação.

b) as diversas formas de dominação colonial e de exploração que caracterizavam,
historicamente, as relações entre o centro e a periferia foram mantidas.

c) os países aliados estabeleceram uma política de arrasamento dos países vencidos
inviabilizando o crescimento mundial durante décadas.
d) os países vencidos se agruparam formando o bloco dos não-alinhados viabilizando,
assim, sua recuperação uma vez que não foram levados em consideração pelos
vencedores.



18. (Unirio) Assinale a opção que apresenta corretamente um evento que NÃO se
relaciona com o processo de Distensão e Multipolaridade ocorrido nas relações
internacionais a partir do início da década de 1970:

a) Entrada da China Comunista na ONU.

b) Assinatura dos tratados de limitação de armas estratégicas entre a União Soviética e
os Estados Unidos.

c) Retirada das tropas norte-americanas do Vietnã.

d) Criação da Comunidade dos Estados Independentes.

e) Adoção da Política externa de "Coexistência Pacífica", coordenada por Henry
Kissinger.



19. (Enem) Em dezembro de 1998, um dos assuntos mais veiculados nos jornais era o
que tratava da moeda única européia. Leia a notícia destacada a seguir.



O nascimento do Euro, a moeda única a ser adotada por onze países europeus a partir
de 1 de janeiro, é possivelmente a mais importante realização deste continente nos
últimos dez anos que assistiu à derrubada do Muro de Berlim, à reunificação das
Alemanha, à libertação dos países da Cortina de Ferro e ao fim da União Soviética.
Enquanto todos esses eventos têm a ver com a desmontagem de estruturas do
passado, o Euro é uma ousada aposta no futuro e uma prova da vitalidade da
sociedade européia. A "Euroland", região abrangida por Alemanha, Áustria, Bélgica,
Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Portugal, tem um
PIB (Produto Interno Bruto) equivalente a quase 80% do americano, 289 milhões de
consumidores e responde por cerca de 20% do comércio internacional. Com este
cacife, o Euro vai disputar com o dólar a condição de moeda hegemônica.

        (Gazeta Mercantil, 30/12/1998)



A matéria refere-se 'a " desmontagem das estruturas do passado" que pode ser
entendida como
a) o fim da Guerra Fria, período de inquietação mundial que dividiu o mundo em dois
blocos ideológicos opostos.

b) a inserção de alguns países do Leste Europeu em organismos supranacionais, com o
intuito de exercer o controle ideológico no mundo.

c) a crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia levando à polarização
ideológica da antiga URSS.

d) a confrontação dos modelos socialistas e capitalista para deter o processo de
unificação das duas Alemanhas.

e) a prosperidade as economias capitalistas e socialistas, com o consequente fim da
Guerra Fria entre EUA e a URSS.



20. (Fatec) A reconstrução econômica do Japão, acelerada após 1950, é explicada
principalmente:

a) pelos progressos da agricultura, dirigida prioritariamente para a produção de
matérias primas.

b) pela maciça aplicação de capitais na produção e pela mão-de-obra numerosa e
barata.

c) pela facilidade de comércio com os países asiáticos graças à construção de
numerosa frota.

d) pela abundância de riquezas minerais.

e) pela existência de mercado consumidor interno.




SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
1. (Fgv) Em junho de 1947, o governo dos EUA passou a implementar um projeto de
reconstrução da Europa denominado Plano Marshall. Qual dos tópicos a seguir NÃO é
uma causa desse plano:

a) o temor trazido pela criação do Mercado Comum Europeu (MCE);

b) o deslocamento do controle do capitalismo da Europa para os EUA e sua crescente
influência sobre os países europeus;

c) a necessidade que a Europa tinha de reunir recursos para pagar o seu principal
credor, os EUA, que lhe forneceram desde alimentos até materiais bélicos durante a II
Guerra Mundial;

d) a necessidade de se reconstruírem as cidades e de recuperarem a indústria e a
agropecuária européia, devastadas durante a II Grande Guerra;

e) o interesse que os Estados Unidos tinham em fortalecer a ordem capitalista na
Europa Ocidental e, assim, impedir a expansão do socialismo no continente.



2. (Cesgranrio) Com o final da 2• Guerra Mundial, os países vitoriosos procuraram criar
vários mecanismos internacionais que buscassem o desenvolvimento do planeta de
forma mais harmônica. É dessa época a criação do seguinte organismo:

a) ONU- para a constituição de um exército internacional para pôr fim às guerras.

b) OTAN - para a desmilitarização dos países ocidentais e a diminuição das zonas de
conflito.

c) GATT - para a implantação de uma tarifa única sobre os produtos e serviços
internacionais.

d) UNESCO - para a melhoria da qualidade alimentar das populações miseráveis do
Terceiro Mundo.

e) FMI - para ajudar financeiramente aos países membros, quando em dificuldades.
3. (Fatec) "É lógico que os EUA devem fazer o que lhes for possível para ajudar a
promover o retorno ao poder econômico normal do mundo, sem o que não pode
haver estabilidade política nem garantia de Paz."

(Plano Marshall - 5.VI.1947)



O Plano Marshall se constituiu

a) na principal meta da política externa norte-americana, que era pacificar o Extremo
Oriente.

b) num projeto de ajuda industrial aos países da América Latina.

c) num importante instrumento de expansão do comunismo na Europa.

d) na definição da política externa isolacionista dos EUA, paralela à montagem do
complexo industrial militar.

e) num dos meios de penetração dos capitais norte-americanos nas economias
europeias.



4. (Fatec) A ocupação da Polônia marca o início da Segunda Guerra Mundial. A
tentativa de manter a paz a qualquer custo, como foi feito em Munique, se revelou
impossível. Hitler não se dava por satisfeito com a reconquista do "espaço vital",
queria mais e mais. Sobre a Segunda Guerra, é correto afirmar:

a) A Itália, aliada da Alemanha desde a assinatura do Pacto de Aço, declarou guerra à
Inglaterra e à França em junho de 1940. Em setembro do mesmo ano, a Itália atacou o
Egito e a Turquia.

b) Em 1941, tropas alemãs invadiram o território soviético e dominaram
definitivamente Leningrado e Moscou.

c) A partir dos sucessos na frente ocidental, da invasão e conquista da Bélgica, Holanda
e França e do recuo inglês para o outro lado do canal, Hitler voltou sua atenção para a
Polônia.

d) O sucesso definitivo alemão deveu-se à sua tática militar, conhecida como "guerra
relâmpago"; essa consistia no uso de forças motorizadas, tanques e aviação,
conjugados e combinados entre si, em uma ação defensiva.

e) A partir da declaração de guerra, feita por Inglaterra e França contra a Alemanha,
outros países foram entrando no conflito, de ambos os lados. A cada novo beligerante,
a relação de forças se alterava, e a guerra entrava em uma nova fase. Inicialmente uma
guerra européia, estendeu-se paulatinamente à Ásia e a África.



5. (Fei) Não pode ser considerado um fator que propiciou a eclosão da Segunda Guerra
Mundial:

a) A ascensão de regimes totalitários na Itália e na Alemanha nos anos 20 e 30.

b) Os efeitos da crise de 29 na economia européia.

c) As cláusulas punitivas do Tratado de Versalhes, imposto à Alemanha ao final da
Primeira Guerra Mundial.

d) A vitória dos republicanos na Guerra Civil Espanhola barrando o avanço do fascismo
na Espanha.

e) A união entre a Áustria e a Alemanha empreendida por Hitler.



6. (Fuvest) O Plano Marshall, aplicado pelo governo norte-americano após a Segunda
Guerra Mundial, visava à:

a) ratificação do Tratado do Atlântico Norte.

b) preservação da paz mundial com a formação da Organização das Nações Unidas
(ONU).

c) concessão de apoio político e econômico aos países do Terceiro Mundo.

d) recuperação econômica da Europa para neutralizar o expansionismo soviético.

e) formulação de princípios que impediam a intervenção dos EUA nas questões
internacionais.



7. (Fuvest-gv) "Esta guerra, de fato, é uma continuação da anterior."

                       (Winston Churchill, em discurso feito no Parlamento em 21 de
agosto de 1941).



A afirmativa acima confirma a continuidade latente de problemas não solucionados na
Primeira Guerra Mundial que contribuíram para alimentar os antagonismos e levaram
à eclosão da Segunda Guerra Mundial. Entre esses problemas identificamos:
a) crescente nacionalismo econômico, aumento da disputa por mercados
consumidores e por áreas de investimentos.

b) desenvolvimento do imperialismo chinês na Ásia, com abertura para o Ocidente.

c) os antagonismos austro-ingleses que giraram em torno da questão Alsácia-Lorena.

d) oposição ideológica que fragilizou os vínculos entre os países, enfraquecendo todo
tipo de nacionalismo.

e) a divisão da Alemanha que levou a uma política agressiva de expansão marítima.




8. Às 6 da manhã, do dia 7 de dezembro de 1941, aviões japoneses bombardearam a
base norte-americana de Pearl Harbor, no Havaí. A ofensiva iniciava o avanço japonês
que, oito meses depois, controlava parte significativa do Oceano Pacífico. Sobre os
conflitos no Pacífico, durante a Segunda Guerra Mundial, pode-se dizer que

a) demonstram a instabilidade política do Pacífico e do sudeste asiático, antes
dominados principalmente pela França e pela Inglaterra, e alvo, durante a Guerra, de
interesses norte-americanos e japoneses.

b) ilustram o combate de japoneses e norte-americanos contra chineses e soviéticos,
que tentavam estabelecer na região a hegemonia de Estados guiados pela ideologia
socialista.

c) desembocam na explosão das bombas atômicas em Hiroxima e Nagasaki,
responsáveis pela vitória final dos países Aliados sobre os países do Eixo e pela
rendição incondicional de Alemanha e Japão.

d) iniciam uma seqüência de combates aéreos e navais, dos quais participaram
ativamente todos os países envolvidos na Guerra, especialmente Alemanha e Itália,
empenhadas em defender as posições japonesas.

e) abrem espaço para a proliferação do islamismo, que acabou por conquistar, por
meio de revoluções populares, o controle de Estados como o Paquistão, a Índia ou as
Filipinas.



9. Nos anos de 1942 e 1943 as batalhas de Midway, no Pacífico, El Alamein, na África, e
Stalingrado, na Eurásia, significaram a

a) confirmação da supremacia do Eixo.
b) reversão da II Guerra Mundial com a ofensiva passando para os aliados.

c) ruptura entre os EUA e a URSS, dando origem à Guerra Fria.

d) conquista da Polônia e da Hungria pelos nazistas.

e) ascensão do poderio militar soviético.



10. (Mackenzie) Sobre fatos antecedentes à Segunda Guerra Mundial, assinale a
alternativa incorreta.

a) Os E.U.A. cortaram o envio de ferro, aço, petróleo e borracha e bloquearam capitais
japoneses na América do Norte por causa da invasão da Manchúria pelo Japão.

b) Passando por cima das disposições dos tratados do pós-guerra, em 1938, Hitler, com
o apoio de fascistas austríacos, ordenou a ocupação da Áustria.

c) Em 1936, um grupo de generais, chefiados por Franco, iniciou uma revolta contra o
governo de esquerda, legalmente constituído, na Espanha.

d) A euforia econômica decorrente da valorização da Bolsa de Nova Iorque em 1929
favoreceu a recuperação econômica e a consolidação das democracias na Europa.

e) Em 1939, Stálin conseguiu se aproximar da Alemanha através do Pacto Germano-
Soviético, negociado por Ribbentrop e Molotov.



11. (Mackenzie) A Guerra da Bósnia-Herzegovina provocou cerca de 250 mil mortos e
milhares de refugiados. Acerca do conflito uma jovem sérvia refugiada na Croácia
escreveu:

"Nós somos o único povo justo e bom, mas a injustiça furiosamente persegue a nossa
inocente nação sérvia".

(Gordanalgric, LE MONDE DIPLOMATIQUE)

Assinale a alternativa que apresenta as origens deste conflito.

a) A fragmentação da Iugoslávia integrante da extinta URSS e o sentimento
nacionalista russo que se opôs à criação da "Grande Sérvia".

b) O nacionalismo eslavo que desejou ocupar os territórios outrora pertencentes às
Repúblicas Bálticas, governadas pelo Marechal Tito.

c) O colapso da Iugoslávia, fragmentada pelos nacionalismos étnicos de cinco grupos
rivais e três religiões, iniciado após a morte de JosipBroz Tito.
d) As tensões nacionalistas provocadas pelos protestantes croatas em oposição à
política de tolerância e pluralidade étnica, defendida pelos sérvios e curdos.

e) As diferenças étnicas entre curdos, sérvios, tchetchenos e croatas, acirradas pela
partilha do território do Império Austro-Húngaro.



12. (Mackenzie) A batalha que aconteceu em Stalingrado, durante a II Guerra Mundial,
marcou:

a) a consolidação das posições alemãs na Rússia, decorrente da expansão fulminante
das potências do Eixo (Itália-Alemanha-Japão).

b) a neutralização do exército de Stálin, obrigando-o a assinar o Pacto Germano-
Soviético de não agressão e neutralidade.

c) a inversão da situação militar da II Guerra, dando início ao recuo nazista na Europa
Oriental e à decadência do Terceiro Reich.

d) a vitória da Blitzkrieg - guerra relâmpago que consistia em ataques maciços, com o
uso de carros blindados, aviões e navios.

e) o desembarque aliado nas praias da Normandia - o Dia D, que conteve a ofensiva
alemã, destruindo pela primeira vez o mito da invencibilidade da Wehrmacht.



13. (Ufpe) Em 24 de outubro próximo passado, chefes de Estados, reunidos em Nova
Iorque, comemoraram 50 anos de aniversário da Organização das Nações Unidas -
ONU. O que representa esta organização?

a) A organização dos países do Ocidente para o enfrentamento com os países do
Oriente.

b) A vitória da Liga das Nações, vigente durante a Primeira e a Segunda Guerras
Mundiais.

c) O fim da guerra fria entre o mundo capitalista e o mundo comunista.

d) A descolonização da América e da África e os respectivos engajamentos políticos dos
dois continentes.

e) Uma força internacional acima das nações, na defesa da paz mundial, dos direitos
do homem e da igualdade dos povos.
14. (Unitau) O fato concreto que desencadeou a Segunda Guerra Mundial foi:

a) a saída dos invasores alemães do território dos Sudetos na Tchecoslováquia.

b) a tomada do "corredor polonês" que desembocava na cidade livre de Dantzig (atual
Gdansk) pelos italianos.

c) a invasão da Polônia por tropas nazistas e a ação da Inglaterra e da França em
socorro dos seus aliados, declarando guerra ao Terceiro Reich.

d) a efetivação de "Anschluss", que desmembrava a Áustria da Alemanha.

e) a invasão da Petrônia por tropas alemãs, quebrando o Pacto Germânico-Soviético.



15. (Uel) A economia japonesa do pós-guerra apresentou um dos maiores índices de
crescimento da renda nacional de todo o mundo, tornando o Japão o segundo país em
importância dentro do capitalismo, devido, dentre outros aspectos,

a) ao crescimento da indústria de bens de consumo duráveis, à vocação agrícola e ao
controle dos capitais internacionais oriundos dos planos de recuperação pós - 1945.

b) à estabilidade da moeda, ao crescimento populacional e à grande quantidade de
mão-de-obra barata com baixo grau de exigência salarial.

c) ao excelente nível de produtividade agrária, à exportação de matérias-primas
baratas - fio de seda, minério de ferro, etc. - e à importação de tecnologia.

d) ao excesso de produtos essenciais - petróleo, gás natural, etc. - à alta taxa de
escolaridade e o crescimento do mercado consumidor interno.

e) à importação em larga escala, ao desenvolvimento da indústria pesada - siderurgia,
produtos químicos, automóveis, etc. - e ao alto índice de exportação.




NAZISMO E FASCISMO



1. (Cesgranrio) A solução americana para a crise de 1929 caracteriza-se como:

a) o processo de busca de alternativas socialistas para a crise do capitalismo com a
mudança de regime político.
b) o resultado das pressões comunistas sobre o governo americano, que acaba
assumindo, como política, a eliminação dos interesses privados na economia.

c) o resultado da insatisfação da sociedade americana com relação aos princípios
liberais assumidos pelos partidos de esquerda que se vinculavam ao governo.

d) a introdução, na cultura americana, de valores europeus através da incorporação de
tecnologia à economia americana e de alternativas de seguridade total.

e) uma saída nacional que acentua o papel dirigente do Estado em determinados
setores econômicos, conhecida como "New Deal".



2. (FUVEST) Da Grande Depressão, ocorrida no mundo capitalista com a crise
econômica de 1929, resultou:

a) o desemprego, o reforço do liberalismo e a modernização do setor industrial.

b) a arte expressionista, um avanço dos movimentos anarquistas e o Nazi-Fascismo.

c) o intervencionismo estatal, múltiplos problemas sociais e nova corrida
armamentista.

d) o surgimento do neoliberalismo, o fim da hegemonia europeia e a popularidade das
correntes culturais existencialistas.

e) o sucesso dos partidos socialistas ocidentais, o recuo do desemprego e o início de
uma aproximação com a União Soviética.



3. (FUVEST) "A crise atingiu o mundo inteiro. O operário metalúrgico de Pittsburgo, o
plantador de café brasileiro, o artesão de Paris e o banqueiro de Londres, todos foram
atingidos".

             (Paul Raynaud - LA FRANCE A SAUVÉ L'EUROPE, T. I. Flamarion).



O autor se refere à crise mundial de 1929, iniciada nos Estados Unidos, da qual
resultou:

a) o abalo do liberalismo econômico e a tendência para a prática da intervenção do
Estado na economia.

b) o aumento do número das sociedades acionárias e da especulação financeira.

c) a expansão do sistema de crédito e do financiamento ao consumidor.
d) a imediata valorização dos preços da produção industrial e fim da acumulação de
estoques.

e) o crescimento acelerado das atividades de empresas industriais e comerciais, e o
pleno emprego.



4. (FUVEST) Sobre a crise do capitalismo, na década de 1930, e o colapso do socialismo,
na década de 1980, pode-se afirmar que:

a) a primeira reforçou a concepção de que não se podia deixar uma economia ao sabor
do mercado, e o segundo a de que, uma economia não funciona sem mercado.

b) ambos levaram à descrença sobre a capacidade do Estado resolver os problemas
colocados pelo desemprego em massa.

c) assim como a primeira, também o segundo está provocando uma polarização
ideológica que ameaça o Estado de Bem-estar Social.

d) ambos, provocando desemprego e frustração, fizeram aparecer agitações fascistas e
terroristas contando com amplo respaldo popular.

e) enquanto a primeira reforçou a convicção dos defensores do capitalismo, o segundo
fez desaparecer a convicção dos defensores do socialismo.



5. (Puccamp) "Para Keynes (...) para criar demanda, as pessoas deveriam obter meios
para gastar. Uma conclusão daí decorrente é que os salários de desemprego não
deveriam ser considerados simplesmente como débito do orçamento, um meio por
intermédio do qual a demanda poderia aumentar e estimular a oferta. Além do mais,
uma demanda reduzida significava que não haveria investimento suficiente para
produzir a quantidade de mercadorias necessárias para assegurar o pleno emprego. Os
governos deveriam, portanto, encorajar mais investimentos, baixando as taxas de
juros (...), bem como criar um extenso programa de obras públicas, que proporcionaria
emprego e geraria uma demanda maior de produtos industriais”.



O texto refere-se a uma teoria cujos princípios estiveram presentes

a) no "New Deal", planejamento econômico baseado na intervenção do Estado,
elaborado devido à crise de 1929.

b) na obra MEIN KAMPF, que desenvolveu os fundamentos do nazismo: ideia da
existência da raça ariana.
c) no Plano Marshall, cujo objetivo era recuperar a economia europeia através de
maciços investimentos.

d) na criação da Comunidade Econômica Europeia, organização que visa o livre
comércio entre os países.

e) no livro O CAPITAL, onde se encontram os princípios básicos que fundamentam o
socialismo marxista.



6. (Ufg) A crise de 1929 abalou os Estados Unidos. Em 1933, Franklin Delano Roosevelt
foi eleito com o objetivo de recuperar o país por meio do programa conhecido como
New Deal, que propunha

a) a defesa do isolacionismo e do planejamento econômico, por meio dos quais os
Estados Unidos abdicavam do engajamento em questões internacionais.

b) a mudança do centro das decisões econômicas de Nova York, símbolo do poder dos
grandes banqueiros, para Washington, sede do poder federal.

c) a redução das importações estadunidenses que afetaram os países dependentes de
seu mercado, repatriando capitais norte-americanos.

d) a intervenção e o planejamento do Estado na economia, em quatro setores:
agricultura, trabalho, segurança social e administração.

e) o conservadorismo em questões econômicas e na política externa, ampliando a
"missão civilizadora" dos Estados Unidos.



7. (UFMG) "(...) Há neste momento nos Estados Unidos cerca de 14 milhões de
desempregados, e, como muitos deles têm família, 20 a 30 milhões de homens e
mulheres vivem de esmolas, privadas ou públicas (...). O espetáculo de uma grande
nação de que um quarto se encontra reduzido à impotência produz emoções bem mais
fortes do que uma estatística em preto e branco. Desde que põe pé neste país, o
estrangeiro compreende de repente que em nenhum momento a Europa imaginou a
dolorosa intensidade da depressão dos Estados Unidos".

                        (MAUROIS, André, ESTALEIROS AMERICANOS. 1933)



A recuperação econômica dos EUA, após a Crise de 1929, ocorreu através do NEW
DEAL (1933-1938).
Todas as alternativas apresentam instrumentos de ação do NEW DEAL, EXCETO:

a) A administração de Reassentamento, que transferiu famílias que ocupavam terras
de qualidade inferior.

b) A Lei Antitruste, que proibia o controle de 60% do mercado por uma empresa ou
associação de empresas.

c) A Lei da Cerveja e do Vinho e da Vigésima Primeira Emenda, que pôs fim à Lei Seca.

d) A Lei de Assistência Civil à Conservação e ao Reflorestamento, que criava frentes de
trabalho para os jovens e desempregados.

e) A Lei do Ajustamento Agrícola, que subsidiava os fazendeiros que reduzissem a sua
produção.



8. (UFPE) Sobre a crise econômica de 1929 e sua relação com o liberalismo, assinale a
alternativa correta.

a) A crise de 1929 foi provocada, sobretudo, pelo alto grau de desenvolvimento
tecnológico, combinado à política liberal com base na ociosidade de capitais europeus
do pós-guerra.

b) Baseados em uma política liberal, os empresários norte-americanos mantiveram o
ritmo de produção que vinha sendo adotado durante a Primeira Guerra e o mercado
internacional não respondeu às ofertas.

c) Para enfrentar a crise econômica de 1929, foi adotada a política liberal de
empréstimos através da qual os países europeus mais ricos passaram a dar crédito aos
Estados Unidos.

d) Com a crise de 1929, a política econômica liberal passou a ser desacreditada pelos
empresários norte-americanos que passaram a apoiar uma política estatal
intervencionista.

e) A política liberal adotada no período do pós-guerra dos EUA proibiu os empréstimos
a juros e as especulações com ações, numa tentativa de frear a crise econômica, então,
já prevista.



9. (Ufv) O 'crash' da Bolsa de Nova York em 1929 afetou a economia mundial. Os
Estados Unidos, sob o comando do Presidente Franklin Delano Roosevelt, adotaram o
'New Deal', como saída para a crise que o país atravessava. São características do 'New
Deal':




I. a intervenção deliberada do Estado na economia, contrapondo-se à tradição liberal
americana.

II. a criação de um amplo plano de obras públicas, como barragens e autoestradas,
para gerar novos empregos.

III. o incentivo ao aumento da produção para alimentar a população desempregada.

IV. a criação de um fundo monetário destinado a financiar os países europeus em crise.

V. a adoção de medidas visando ao equilíbrio entre o custo da produção e o valor final
das mercadorias.



Das alternativas abaixo, assinale aquela que apresenta apenas as características
CORRETAS:

a) I, II e V.

b) I, III e IV.

c) I, IV e V.

d) II, III e IV.

e) II, III e V.



10. (Cesgranrio) Entre Mussolini e Hitler, há em seus programas, pontos em comum,
como a:

a) mobilização contínua das massas através de apelos nacionalistas e a manutenção de
uma política de apoio aos socialistas.

b) ideia de centralização administrativa e o fortalecimento dos mercados de troca,
principalmente ingleses.

c) organização militar da juventude e a não-intervenção do Estado na vida econômica e
política.

d) necessidade de fortalecimento do Estado e a adoção do corporativismo como base
da reestruturação das relações sociais.
e) produção de um ideal bélico que acentuasse o gênio militar dos fascistas e a
incorporação das minorias étnicas ao Estado com plena liberdade.



11. (Cesgranrio) Em relação ao período compreendido entre as duas guerras mundiais
(de 1919 a 39), caracterizado pela crise do Estado e da sociedade liberal, assinale a
afirmativa correta:

a) O nazismo consolidou uma política interna de miscigenação racial e social visando a
preparar a Alemanha para a expansão territorial.

b) O fascismo encontrou dificuldades sucessivas para implantar o corporativismo, pois
sofreu uma violenta oposição dos setores conservadores da burguesia e da classe
média italiana.

c) A ausência de uma política de autossuficiência obrigou os regimes nazifascistas a
compensar suas deficiências econômicas com o expansionismo militar.

d) A expansão da doutrina comunista na Europa, com a consolidação da Revolução
Russa, favoreceu a Aliança com os comunistas italianos e alemães, cujo apoio
propiciou a ascensão nazifascista.

e) Nazismo e fascismo são doutrinas baseadas no nacionalismo e no totalitarismo, cuja
política intervencionista buscava a estabilidade do Estado.



12. (FUVEST) Em seu famoso painel "Guernica", Picasso registrou a trágica destruição
dessa cidade basca por:

a) ataque de tropas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

b) republicanos espanhóis apoiados pela União Soviética durante a Guerra Civil.

c) forças do exército francês durante a Primeira Guerra Mundial.

d) tropas do governo espanhol para sufocar a revolta dos separatistas bascos.

e) bombardeio da aviação alemã em apoio ao General Franco contra os republicanos.



13. (FUVEST) O período entre as duas guerras mundiais (1919-1939) foi marcado por:

a) crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre
fascismo e comunismo.
b) sucesso do capitalismo, do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre
fascismo e comunismo.

c) estagnação das economias socialista e capitalista e aliança entre os E.U.A. e a
U.R.S.S. para deter o avanço fascista na Europa.

d) prosperidade das economias capitalista e socialista e aparecimento da guerra fria
entre os E.U.A e a U.R.S.S.

e) coexistência pacífica entre os blocos americano e soviético e surgimento do
capitalismo monopolista.



14. (Puccamp) "O Fascismo italiano e o Nazismo alemão conquistaram o respaldo de
muitos setores da população, conseguindo um financiamento junto à alta burguesia.
Assim puderam resolver a crise do capitalismo, com a instalação de ditaduras de
direita que garantiram a ordem do sistema, os lucros e as propriedades."

Servindo de exemplo a muitos países também atingidos pelos efeitos da Grande
Depressão, o totalitarismo

a) reforçou o desenvolvimento armamentista, preparando o terreno para a eclosão da
Segunda Guerra Mundial.

b) transformou a Alemanha no país mais rico e poderoso da Europa, ameaçada em sua
supremacia apenas pela Dinamarca.

c) organizou e contribuiu para a evolução do bloco capitalista, sob o controle dos
Estados Unidos.

d) desenvolveu a tendência de cooperação entre os Estados.

e) reacendeu as velhas disputas nacionalistas existentes, desde o século XIX, entre a
Grécia e a Turquia.



15. (UFES) A Guerra Civil Espanhola (1936-1939), em que perderam a vida mais de 1
milhão de pessoas, terminou com a derrota dos Republicanos e com a subida ao poder
de Francisco Franco, militar espanhol.

O Estado Espanhol, após a vitória de Franco, caracterizou-se como:

a) Democrático com tendências capitalistas.

b) Democrático com tendências socialistas.
c) Populista de esquerda.

d) Totalitário de direita.

e) Totalitário de esquerda.



16. (UFMG) A experiência nazista alemã inaugurou uma nova modalidade na política:
as grandes manifestações de massa.

Todas as alternativas apresentam afirmações que contêm estratégias utilizadas na
mobilização das massas no período nazista, EXCETO:

a) O 'Fuhrer' estimulou o uso do uniforme para dissimular as diferenças sociais e
projetar a imagem dos alemães como uma nação coesa.

b) O governo alemão atribuía enorme importância à política de rua pela capacidade de
ela transmitir sensação de conforto e encorajamento à multidão.

c) O governo nazista musicou, filmou e teatralizou os assuntos políticos para atrair a
multidão aos eventos públicos.

d) O governo alemão estimulou linchamentos e execuções em praça pública visando
ao incitamento ideológico e à difusão do ódio racial contra os muçulmanos.

e) Os nazistas organizaram paradas, desfiles e concentrações de rua como grandes
espetáculos, com a intenção de emocionar e contagiar a multidão.



17. (Ufrs)

"Os verdadeiros chefes não têm nenhuma necessidade de cultura e ciência".

(H. Goering)



"Quando ouço a palavra cultura, ponho a mão no revólver."

(J. Goebbels)



"Os intelectuais são como as rainhas que vivem das abelhas trabalhadoras."

(A. Hitler)
"Sem espírito militar a escola alemã não poderá existir. Um professor pacifista é um
palhaço ou um criminoso. Deve ser exterminado."

(Ministro Schewemm - Bavária)



"Professores alemães... nenhum menino e nenhuma menina da escola devem sair de
vossas aulas sem o sagrado propósito de ser um inimigo mortal do bolchevismo judeu,
na vida e na morte."

(F. Weachter)



Contextualizando historicamente as declarações anteriores, de lideranças nazistas na
Alemanha, pode-se afirmar que

a) o nazismo não tinha nenhum projeto para as áreas de educação e cultura, pois
dentro da perspectiva do culto ao corpo e da obediência sem questionamentos,
aquelas lhes eram completamente indiferentes.

b) ao contrário da produção cultural, à qual eram refratários, os nazistas permitiram a
permanência das diretrizes educacionais da República de Weimar.

c) tanto a educação como a cultura foram áreas enquadradas dentro dos pressupostos
básicos do regime transformando-se em instrumentos ideológicos de controle e
propaganda.

d) o Estado nazista interveio fortemente somente nas escolas frequentadas por alunos
não-arianos e filhos de pais bolcheviques.

e) educação e militarização da sociedade eram projetos excludentes dentro do projeto
nazista de dominação.



18. (Unitau) O Nazismo e o Fascismo surgiram:

a) do desenvolvimento de partidos nacionalistas, com pregações em favor de um
Executivo forte, totalitário, com o objetivo de solucionar crises generalizadas diante da
desorganização, após a Primeira Guerra Mundial.

b) da esperança de conseguir estabilidade na união das "doutrinas liberais" de
tendências individualistas.

c) com a instituição do parlamentarismo da Itália e na Alemanha, agregando partidos
populares.
d) com o enfraquecimento da alta burguesia e o apoio do governo às camadas
lideradas pelos sindicatos e socialistas.

e) do coletivismo pregado pelos marxistas.



19. (FUVEST) Os Tratados de Paz assinados ao fim da Primeira Guerra Mundial
"aglutinaram vários povos num só Estado, outorgaram a alguns o status de 'povos
estatais' e lhes confiaram o governo, supuseram silenciosamente que os outros povos
nacionalmente compactos (como os eslovacos na Tchecoslováquia ou os croatas e
eslovenos na Iugoslávia) chegassem a ser parceiros no governo, o que naturalmente
não aconteceu e, com igual arbitrariedade, criaram com os povos que sobraram um
terceiro grupo de nacionalidades chamadas minorias, acrescentando assim aos muitos
encargos dos novos Estados o problema de observar regulamentos especiais, impostos
de fora, para uma parte de sua população. (...) Os Estados recém-criados, por sua vez,
que haviam recebido a independência com a promessa de plena soberania nacional,
acatada em igualdade de condições com as nações ocidentais, olhavam os Tratados
das Minorias como óbvia quebra de promessa e como prova de discriminação."

                 (Hannah Arendt, AS ORIGENS DO TOTALITARISMO)



A alternativa mais condizente com o texto é:

a) após a Primeira Guerra, os Tratados de Paz estabelecidos solaparam a soberania e
estabeleceram condicionamentos aos novos Estados do Leste europeu através dos
Tratados das Minorias, o que criou condições de conflitos entre diferentes povos
reunidos em um mesmo Estado.

b) o surgimento de novos Estados-nações se fez respeitando as tradições e instituições
dos povos antes reunidos nos impérios que desapareceram com a Primeira Guerra
Mundial.

c) os Tratados de Paz e os Tratados das Minorias restabeleceram, no mundo
contemporâneo, o sistema de dominação característico da Idade Média.

d) apesar dos Tratados de Paz estabelecidos depois da Primeira Guerra terem tido
algumas características arbitrárias em relação aos novos Estados-nações do Leste
europeu, o desenvolvimento histórico destas regiões demonstra que foi possível uma
convivência harmoniosa e gradativamente ocorreu a integração entre as minorias e as
maiorias nacionais.
e) os Tratados de Paz depois da Primeira Guerra conseguiram satisfazer os vários
povos do Leste europeu. O que perturbou a convivência harmoniosa foi o movimento
de refugiados das revoluções comunistas.



20. (UFRJ) Leia o texto a seguir, sobre o início do processo revolucionário na Alemanha,
em fins de 1918, e responda à questão a seguir.



Entre o primeiro dia de agitação das equipagens e o dia da queda do regime imperial e
da proclamação da República, passou pouco tempo. O Movimento teve início nas
cidades costeiras como Wilhelmshavem, Kiel e Hamburgo, estendendo-se depois para
o interior. Partiu dos marinheiros o brado de rebeldia contra a ordem para retornar a
guerra.

(...) Rapidamente o movimento se generalizou, com a criação de conselhos de
operários e soldados, com uma força espontânea e irresistível.

         ALMEIDA, Â. M. "A República de Weimar e a Ascensão do Nazismo". São
Paulo: Brasiliense, 1982. p.26.



A assim chamada "Revolução Alemã" de 1918/1919 pode ser relacionada a um
movimento

a) de amplo espectro político e de cunho liberal-nacionalista, que objetivava resistir à
intervenção estrangeira e às humilhantes condições impostas pelo tratado de
Versalhes.

b) que buscava realizar, num momento em que a monarquia se encontrava
particularmente fragilizada pela derrota na Guerra, os ideais liberais e democráticos de
1848.

c) político diretamente inspirado no modelo de revolução social e política seguido pelo
partido bolchevique russo, na revolução de outubro de 1917.

d) dirigido por setores da extrema direita nacionalista que, com um programa que
combatia o liberalismo e tinha traços claros de antissemitismo, prenunciava o nazismo.

e) que buscava através de uma revolução política conservadora restabelecer uma
ordem social derrubada após a derrota na Primeira Guerra Mundial: a monarquia
parlamentar.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra friaMódulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra friaangelamoliveira
 
Guerra fria - O mundo bipolar
Guerra fria - O mundo bipolar Guerra fria - O mundo bipolar
Guerra fria - O mundo bipolar Elizangela Silva
 
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundialGuerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundialJoaquim C S Barbosa
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoMaria Freitas
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Friadrvahl
 
O mundo saido da guerra
O mundo saido da guerraO mundo saido da guerra
O mundo saido da guerraJoana Ferreira
 
Resumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoResumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoMaria Rebelo
 
Resumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºanoResumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºanoMaria Rebelo
 
Aula de história – 8º ano guerra fria
Aula de história – 8º ano   guerra friaAula de história – 8º ano   guerra fria
Aula de história – 8º ano guerra friastelawstel
 

Mais procurados (20)

Módulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra friaMódulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra fria
 
HISTORIA
HISTORIAHISTORIA
HISTORIA
 
Mundo bipolar
Mundo bipolarMundo bipolar
Mundo bipolar
 
ONU.pdf
ONU.pdfONU.pdf
ONU.pdf
 
Guerra fria - O mundo bipolar
Guerra fria - O mundo bipolar Guerra fria - O mundo bipolar
Guerra fria - O mundo bipolar
 
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundialGuerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
Guerra fria foi o nome dado a um conflito após a segunda guerra mundial
 
Um mundo dividido, um país dividido
Um mundo dividido, um país divididoUm mundo dividido, um país dividido
Um mundo dividido, um país dividido
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodoObjetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
Objetivos de História - 4º Teste - 2ºPeríodo
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
O mundo bipolar
O mundo bipolarO mundo bipolar
O mundo bipolar
 
O mundo saido da guerra
O mundo saido da guerraO mundo saido da guerra
O mundo saido da guerra
 
Resumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoResumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºano
 
Resumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºanoResumos de História - 4ºteste 12ºano
Resumos de História - 4ºteste 12ºano
 
Guerra fria ppt49
Guerra fria ppt49Guerra fria ppt49
Guerra fria ppt49
 
Guerra fria
Guerra fria  Guerra fria
Guerra fria
 
Aula de história – 8º ano guerra fria
Aula de história – 8º ano   guerra friaAula de história – 8º ano   guerra fria
Aula de história – 8º ano guerra fria
 
SECULO XX - GUERRA FRIA
SECULO XX - GUERRA FRIASECULO XX - GUERRA FRIA
SECULO XX - GUERRA FRIA
 

Semelhante a Revisão 3 ano

História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábadoHistória   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábadoRafael Noronha
 
GUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundialGUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundialElvisJohnR
 
Questões guerra fria
Questões guerra friaQuestões guerra fria
Questões guerra friaIsabel Aguiar
 
Aspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAna Paula Alves
 
Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)
Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)
Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)Google
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Friacattonia
 
Geopolítica ordens mundiais.
Geopolítica ordens mundiais.Geopolítica ordens mundiais.
Geopolítica ordens mundiais.Camila Brito
 
A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)Janayna Lira
 
A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)Janayna Lira
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra FriaJanaína Bindá
 

Semelhante a Revisão 3 ano (20)

O mundo após 1945
O mundo após 1945O mundo após 1945
O mundo após 1945
 
História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábadoHistória   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
GUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundialGUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundial
 
Questões guerra fria
Questões guerra friaQuestões guerra fria
Questões guerra fria
 
A Guerra Fria I.ppt
A Guerra Fria I.pptA Guerra Fria I.ppt
A Guerra Fria I.ppt
 
Plano de estudos de geografia
Plano de estudos de geografiaPlano de estudos de geografia
Plano de estudos de geografia
 
Aspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerra
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
 
Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)
Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)
Guerrafriacompleta 120223195554-phpapp01 (1)
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
SLIDE-GUERRA-FRIA-3-ANO.pptx
SLIDE-GUERRA-FRIA-3-ANO.pptxSLIDE-GUERRA-FRIA-3-ANO.pptx
SLIDE-GUERRA-FRIA-3-ANO.pptx
 
Prova de historia 3ano 3bimestre
Prova de historia 3ano 3bimestreProva de historia 3ano 3bimestre
Prova de historia 3ano 3bimestre
 
Geopolítica ordens mundiais.
Geopolítica ordens mundiais.Geopolítica ordens mundiais.
Geopolítica ordens mundiais.
 
A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)A Guerra fria (ppt)
A Guerra fria (ppt)
 
A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
 

Revisão 3 ano

  • 1. REVISÃO- 3 ANO GUERRA FRIA 1. (Cesgranrio) A URSS transformou-se, após 1945, numa das potências mundiais, tanto no campo econômico como técnico. Um dos melhores exemplos dessa transformação é o: a) desenvolvimento da política espacial, representada pela 1• viagem em torno da Terra por Gagarin. b) desenvolvimento da indústria cinematográfica e das teorias em torno da fusão nuclear. c) desenvolvimento da indústria automobilística e o incremento do sistema industrial privado. d) crescimento do mercado interno, com o desenvolvimento de novas técnicas de cultivo agrícola e aumento de salários. e) crescimento da produção agrícola em função do fim da intervenção do Estado no setor e de técnicas administrativas americanas. 2. (Cesgranrio) No início da década de 60, o arsenal nuclear à disposição das grandes potências era suficiente para destruir a humanidade, caso fosse utilizado em uma situação de confronto. Ao assumir o governo, o Presidente Kennedy (1961-63) defendeu a substituição da política externa norte-americana de confronto por uma de entendimento com a URSS, cujo objetivo era o desarmamento gradual das duas superpotências. Esse programa do governo Kennedy foi conhecido como: a) Doutrina Drago. b) Doutrina Monroe. c) Corolário Roosevelt d) Nova Fronteira. e) Política de Boa Vizinhança. 3. (Cesgranrio) Ao final da Segunda Guerra Mundial, a ruptura do acordo que unira os aliados vitoriosos gerou um ordenamento político internacional baseado na bipolaridade. Nesse contexto, crises políticas e tensões sociais desencadearam um
  • 2. processo de construção do socialismo em diversos países. Assinale a opção que apresenta uma afirmativa correta sobre a construção do socialismo no mundo do pós- guerra: a) Na Iugoslávia (1944-45), o regime comunista implantado pelo Marechal Tito submeteu-se à hegemonia política e econômica soviética, o que acarretou sua expulsão do movimento dos países não alinhados. b) Na Tchecoslováquia (1946), o socialismo reformista, baseado na descentralização e liberalização do sistema frente ao modelo stalinista, retomado na política de Brejnev, foi interrompido pela repressão russa, encerrando a "Primavera de Praga". c) Na China (1949), a revolução comunista derrubou o regime imperial e expulsou os invasores japoneses da Manchúria, reunindo os nacionalistas, os "senhores da guerra" e os comunistas maoístas em um governo de coalizão que instituiu uma república popular no país. d) Na Coréia (1950-53), a intervenção militar norte-americana impediu o avanço das forças revolucionárias comunistas que ocupavam o norte do país, reunificando as duas Coréias sob a tutela do Conselho de Segurança da ONU. e) Em Cuba (1959), a vitória dos revolucionários castristas foi favorecida pela promulgação da Emenda Platt no Senado americano, que regularizou o envio de armamentos aos guerrilheiros contrários à ditadura de Fulgêncio Batista. 4. (Cesgranrio) O fim da Guerra Fria, expresso na extinção da União Soviética, em 1991, acarretou um novo equilíbrio e o ordenamento das relações internacionais, que se caracteriza por um (a): a) enfraquecimento dos movimentos nacionalistas regionais e das tendências de globalização na Europa ocidental. b) declínio da liderança política internacional das superpotências em virtude da transferência do controle de seus arsenais nucleares para a Assembléia Geral da ONU. c) revitalização das alianças militares estratégico-defensivas, conforme os pactos políticos da Europa central e do leste. d) formação de megablocos político-econômicos que favoreceram a internacionalização dos fluxos de capitais, tais como a da Comunidade Européia e a do Nafta. e) decadência econômica dos países da bacia do Pacífico que haviam mantido uma posição de neutralidade durante a Guerra Fria, tais como Cingapura e Malásia.
  • 3. 5. (Cesgranrio) Após a Segunda Guerra Mundial, consolidou-se uma ordem político- econômica internacional que expressou o(a): a) conflito político e ideológico entre a União Soviética e os Estados Unidos. b) supremacia política e militar da Europa Ocidental. c) subordinação neocolonial dos países árabes e da América Latina. d) liderança política mundial da China Comunista através de sua participação na ONU. e) hegemonia econômica mundial das ex-nações imperialistas, tais como a Inglaterra e a França. 6. (Faap) Após a Segunda Guerra Mundial, a URSS estruturou um plano de cooperação política com os países do bloco oriental, criado, em 1947: a) o Comecom b) o Kominform c) o Pacto de Varsóvia d) o Plano Marshall e) a Otan 7. (Fatec) "É lógico que os EUA devem fazer o que lhes for possível para ajudar a promover o retorno ao poder econômico normal no mundo, sem o que não pode haver estabilidade política nem garantia de paz." (Plano Marshall 5. VI. 1947) Esse plano a) assegurava a penetração de capitaisnorte-americanos no continente europeu, sobretudo em sua parte oriental. b) garantia, aos norte-americanos, o retorno a uma política isolacionista, voltada unicamente para os seus interesses internos. c) pretendia deter as ameaças soviéticas sobre os países do Oriente Médio, cuja produção de petróleo era vital para as economias ocidentais.
  • 4. d) era um instrumento decisivo na luta contra o avanço do comunismo na Europa arrasada pelo pós-guerra. e) representava uma tomada da tradicional política da "boa vizinhança" dos EUA em relação à América Latina. 8. (Fgv) Em junho de 1947, o governo dos EUA passou a implementar um projeto de reconstrução da Europa denominado Plano Marshall. Qual dos tópicos a seguir NÃO é uma causa desse plano: a) o temor trazido pela criação do Mercado Comum Europeu (MCE); b) o deslocamento do controle do capitalismo da Europa para os EUA e sua crescente influência sobre os países europeus; c) a necessidade que a Europa tinha de reunir recursos para pagar o seu principal credor, os EUA, que lhe forneceram desde alimentos até materiais bélicos durante a II Guerra Mundial; d) a necessidade de se reconstruírem as cidades e de recuperarem a indústria e a agropecuária europeia, devastadas durante a II Grande Guerra; e) o interesse que os Estados Unidos tinham em fortalecer a ordem capitalista na Europa Ocidental e, assim, impedir a expansão do socialismo no continente. 9. Os 45 anos que vão do lançamento das bombas atômicas até o fim da União Soviética, não foram um período homogêneo único na história do mundo. (...) dividem- se em duas metades, tendo como divisor de águas o início da década de 70. Apesar disso, a história deste período foi reunida sob um padrão único pela situação internacional peculiar que o dominou até a queda da URSS. (HOBSBAWM, Eric J. Era dos Extremos. São Paulo: Cia das Letras,1996) O período citado no texto e conhecido por “Guerra Fria” pode ser definido como aquele momento histórico em que houve a) corrida armamentista entre as potências imperialistas européias ocasionando a Primeira Guerra Mundial. b) domínio dos países socialistas do Sul do globo pelos países capitalistas do Norte.
  • 5. c) choque ideológico entre a Alemanha Nazista / União Soviética Stalinista, durante os anos 30. d) disputa pela supremacia da economia mundial entre o Ocidente e as potências orientais, como a China e o Japão. e) constante confronto das duas superpotências que emergiram da Segunda Guerra Mundial. 10. (Mackenzie) I- "A OTAN, Organização do Tratado do Atlântico Norte, vai começar sua expansão para o Leste Europeu até junho de 1997. A afirmação foi feita à Folha (...) pelo secretário-geral da entidade (...) e se refere à data na qual ele pretende que seja feito o convite oficial a novos membros para a Aliança Militar (...) Os 'parceiros' (...) sairão da Parceria para a Paz, acordo militar entre 27 países da OTAN, Leste Europeu e Ásia, lançado em 1994. A Polônia é favorita." ("Folha de São Paulo") II- "Mais de 900 militares americanos (...) foram mantidos como prisioneiros na Coréia do Norte, após o fim da Guerra da Coréia (...) muitos dos prisioneiros foram submetidos a experiências com drogas e depois executados. As experiências, para determinar a ação das drogas em interrogatórios, foram conduzidas por agentes Tchecoslovácos e Soviéticos." ("O Estado de São Paulo") III- "O Vaticano não comentou ontem, alegações de que o Papa João Paulo II e o governo dos E.U.A. (CIA), trabalhavam juntos em segredo na década de 80, para apressar o fim do comunismo na Polônia. A aliança informal entre os E.U.A. e o Vaticano inclui corte de verbas do Governo Norte-Americano para programas de controle de natalidade no país e o silêncio do Papa quanto à instalação de mísseis na Europa Ocidental." ("Folha de São Paulo")
  • 6. Dentre os textos anteriores, relacionam-se com a Guerra Fria: a) somente I. b) somente I e II. c) I, II e III. d) somente II e III. e) somente I e III. 11. (Puccamp) "...inspirado por razões humanitárias e pela vontade de defender uma certa concepção de vida ameaçada pelo comunismo, constitui também o meio mais eficaz de alargar e consolidar a influência norte-americana no mundo, um dos maiores instrumentos de sua expansão (...) tem por conseqüência imediata consolidar os dois blocos e aprofundar o abismo que separava o mundo comunista e o Ocidente..." "...as partes estão de acordo em que um ataque armado contra uma ou mais delas na Europa ou na América do Norte deve ser considerado uma agressão contra todas; e, conseqüentemente, concordam que, se tal agressão ocorrer, cada uma delas (...) auxiliará a parte ou as partes assim agredidas (...)" Os textos identificam, respectivamente, a) a Doutrina Monroe e a Organização da Nações Unidas (ONU). b) o Plano Marshall e a organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). c) o Pacto de Varsóvia e a Comunidade Econômica Européia (CEE). d) o Pacto do Rio de Janeiro e o Conselho de Assistência Econômica Mútua (COMECON). e) a Conferência do Cairo e a Organização dos Estados Americanos (OEA). 12. (Puccamp) "A bipolarização do mundo, após a Segunda Guerra Mundial, apesar de ter se constituído na principal referência para as relações internacionais, não chegou a garantir um verdadeiro equilíbrio mundial. Nesse contexto consolidou-se a hegemonia
  • 7. internacional norte-americana". A esse respeito pode-se afirmar que na presidência de a) Truman (1945 - 52), encerrou-se a política macarthista, o que possibilitou o fim da Guerra da Coréia e sua conseqüente unificação sob um protetorado norte-americano. b) Eisenhower (1952 - 60), completou-se o sistema de segurança norte-americano, com a formação de diversos pactos militares contra os comunistas. c) Kennedy (1960 - 63), desenvolvendo a "Aliança para o Progresso" encerrou-se a política de confronto com o mundo comunista, permitindo a retirada americana do conflito vietnamita. d) Johnson (1963 - 68), a discussão da Doutrina Monroe consolidou-se as alianças políticas com os movimentos nacionalistas e o fim das intervenções militares na América Latina. e) Nixon (1968 - 1974), a aproximação com os países comunistas foi dificultada pela negação da União Soviética em assinar o Tratado de Limitação de Armas Estratégicas, Salt-1. 13. (Puccamp) "A construção de uma nova ordem mundial, após a Segunda Guerra Mundial, contou com a participação da União Soviética, cuja importância estendeu-se até sua desintegração em 1991". Sobre o período mencionado no texto, pode-se afirmar corretamente que a) o desaparecimento de Joseph Stálin (1953), acompanhado da ascensão de Malenkov, conduziu a um recrudescimento da Guerra Fria, instigando a participação soviética em disputas por áreas como a Letônia e o Vietnã. b) o Governo de Kruschev (1955-64) correspondeu a uma época de críticas às práticas políticas do Stalinismo e à negação, por parte da URSS, da inevitabilidade da Guerra com os países capitalistas do Ocidente. c) a ruptura das relações entre os Partidos Comunistas da URSS e da China (1959) consagrou a liderança política internacional russa submetendo a China a seus interesses e autoridades. d) a chegada de Brejnev ao poder favoreceu o estouro de um movimento de reformas liberalizantes, que reestruturam o Estado Soviético extinguindo a censura interna e abrindo o país aos estrangeiros.
  • 8. e) a administração de Andropov (1982-84) provocou um endurecimento do regime com a volta das perseguições políticas, prisões em massa e a revitalização das forças armadas russas. 14. (Puccamp) "... foi um período em que a guerra era improvável, mas a paz era impossível. A paz era impossível porque não havia maneira de conciliar os interesses de capitalistas e comunistas. Um sistema só poderia sobreviver à custa da destruição total do outro. E a guerra era improvável porque os dois blocos tinham acumulado tamanho poder de destruição, que se acontecesse um conflito generalizado seria, com certeza, o último..." O texto descreve uma problemática que, na história recente da humanidade, a) identifica as tensões internacionais durante a Revolução Russa. b) ilustra as relações americano-soviéticas durante a Guerra Fria. c) caracteriza o panorama mundial durante a Guerra do Golfo Pérsico. d) revela o perigo da corrida armamentista durante a Revolução Chinesa. e) explica os movimentos pacifistas no Leste Europeu durante a Guerra do Vietnã. 15. (Uel) As mudanças no panorama internacional representadas pela vitória socialista de Mao-Tsé-tung na China, pela eclosão da Guerra da Coréia e pelas crescentes dificuldades no relacionamento com a URSS, repercutiram na forma de tratamento dispensada pelos Estados Unidos ao Japão. Este, de "inimigo vencido", passou a a) atuar como o mais forte aliado da URSS naquela região. b) ser a principal base de operações norte-americanas na Ásia. c) competir com as forças econômicas alemãs e inglesas. d) buscar o seu nível econômico de antes da Primeira Guerra Mundial. e) menosprezar o "consenso" - política de participação de pessoal, que visa à integração do trabalhador no esquema da empresa capitalista. 16. (Ufes) Em agosto de 1961, na "Conferência Econômica e Social de Punta Del Este", o presidente John Kennedy apresentou aos países latino-americanos o projeto da
  • 9. "Aliança para o Progresso", o qual previa, em linhas gerais, o aperfeiçoamento e fortalecimento das instituições democráticas, mediante a autodeterminação dos povos, a aceleração do desenvolvimento econômico e social dos países latino- americanos, a erradicação do analfabetismo e a garantia aos trabalhadores de uma justa remuneração e adequadas condições de trabalho. Situando a "Aliança para o Progresso" no contexto das relações internacionais vigentes no Pós-Guerra, constatamos que sua criação se deveu ao desejo do governo norte-americano de a) bloquear a acentuada evasão de capitais latino-americanos, resultante da importação maciça de bens de consumo japoneses e das altas taxas de juros pagas aos países integrantes do "Pacto de Varsóvia" por conta dos empréstimos contraídos na década de 50. b) conter o avanço dos movimentos revolucionários na América Latina, reafirmando assim a liderança exercida pelos EUA sobre o Continente, numa conjuntura de acirramento da Guerra Fria por conta da Revolução Cubana. c) desviar, para a América Latina, parte dos investimentos previstos no "Plano Global de Descolonização Afro-Asiática", em virtude das revoluções socialistas de Angola e Moçambique, que tornaram a posição norte-americana na África insustentável. d) impedir que a República Federal Alemã, país de orientação socialista, firmasse acordos com a finalidade de transplantar tecnologia nuclear para o Terceiro Mundo, a exemplo do que havia ocorrido no Brasil sob o governo JK. e) reabilitar os acordos diplomáticos entre os EUA e os demais países latino- americanos, que haviam sido rompidos quando da invasão de Honduras e do Equador pelas tropas norte-americanas, fortalecendo assim a OEA. 17. (Ufmg) Sobre a geopolítica na conjuntura imediatamente pós Segunda Guerra, pode-se afirmar que a) as áreas que não se envolveram, diretamente, no conflito conseguiram alcançar um amplo desenvolvimento econômico baseado em uma política de exportação. b) as diversas formas de dominação colonial e de exploração que caracterizavam, historicamente, as relações entre o centro e a periferia foram mantidas. c) os países aliados estabeleceram uma política de arrasamento dos países vencidos inviabilizando o crescimento mundial durante décadas.
  • 10. d) os países vencidos se agruparam formando o bloco dos não-alinhados viabilizando, assim, sua recuperação uma vez que não foram levados em consideração pelos vencedores. 18. (Unirio) Assinale a opção que apresenta corretamente um evento que NÃO se relaciona com o processo de Distensão e Multipolaridade ocorrido nas relações internacionais a partir do início da década de 1970: a) Entrada da China Comunista na ONU. b) Assinatura dos tratados de limitação de armas estratégicas entre a União Soviética e os Estados Unidos. c) Retirada das tropas norte-americanas do Vietnã. d) Criação da Comunidade dos Estados Independentes. e) Adoção da Política externa de "Coexistência Pacífica", coordenada por Henry Kissinger. 19. (Enem) Em dezembro de 1998, um dos assuntos mais veiculados nos jornais era o que tratava da moeda única européia. Leia a notícia destacada a seguir. O nascimento do Euro, a moeda única a ser adotada por onze países europeus a partir de 1 de janeiro, é possivelmente a mais importante realização deste continente nos últimos dez anos que assistiu à derrubada do Muro de Berlim, à reunificação das Alemanha, à libertação dos países da Cortina de Ferro e ao fim da União Soviética. Enquanto todos esses eventos têm a ver com a desmontagem de estruturas do passado, o Euro é uma ousada aposta no futuro e uma prova da vitalidade da sociedade européia. A "Euroland", região abrangida por Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Portugal, tem um PIB (Produto Interno Bruto) equivalente a quase 80% do americano, 289 milhões de consumidores e responde por cerca de 20% do comércio internacional. Com este cacife, o Euro vai disputar com o dólar a condição de moeda hegemônica. (Gazeta Mercantil, 30/12/1998) A matéria refere-se 'a " desmontagem das estruturas do passado" que pode ser entendida como
  • 11. a) o fim da Guerra Fria, período de inquietação mundial que dividiu o mundo em dois blocos ideológicos opostos. b) a inserção de alguns países do Leste Europeu em organismos supranacionais, com o intuito de exercer o controle ideológico no mundo. c) a crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia levando à polarização ideológica da antiga URSS. d) a confrontação dos modelos socialistas e capitalista para deter o processo de unificação das duas Alemanhas. e) a prosperidade as economias capitalistas e socialistas, com o consequente fim da Guerra Fria entre EUA e a URSS. 20. (Fatec) A reconstrução econômica do Japão, acelerada após 1950, é explicada principalmente: a) pelos progressos da agricultura, dirigida prioritariamente para a produção de matérias primas. b) pela maciça aplicação de capitais na produção e pela mão-de-obra numerosa e barata. c) pela facilidade de comércio com os países asiáticos graças à construção de numerosa frota. d) pela abundância de riquezas minerais. e) pela existência de mercado consumidor interno. SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
  • 12. 1. (Fgv) Em junho de 1947, o governo dos EUA passou a implementar um projeto de reconstrução da Europa denominado Plano Marshall. Qual dos tópicos a seguir NÃO é uma causa desse plano: a) o temor trazido pela criação do Mercado Comum Europeu (MCE); b) o deslocamento do controle do capitalismo da Europa para os EUA e sua crescente influência sobre os países europeus; c) a necessidade que a Europa tinha de reunir recursos para pagar o seu principal credor, os EUA, que lhe forneceram desde alimentos até materiais bélicos durante a II Guerra Mundial; d) a necessidade de se reconstruírem as cidades e de recuperarem a indústria e a agropecuária européia, devastadas durante a II Grande Guerra; e) o interesse que os Estados Unidos tinham em fortalecer a ordem capitalista na Europa Ocidental e, assim, impedir a expansão do socialismo no continente. 2. (Cesgranrio) Com o final da 2• Guerra Mundial, os países vitoriosos procuraram criar vários mecanismos internacionais que buscassem o desenvolvimento do planeta de forma mais harmônica. É dessa época a criação do seguinte organismo: a) ONU- para a constituição de um exército internacional para pôr fim às guerras. b) OTAN - para a desmilitarização dos países ocidentais e a diminuição das zonas de conflito. c) GATT - para a implantação de uma tarifa única sobre os produtos e serviços internacionais. d) UNESCO - para a melhoria da qualidade alimentar das populações miseráveis do Terceiro Mundo. e) FMI - para ajudar financeiramente aos países membros, quando em dificuldades.
  • 13. 3. (Fatec) "É lógico que os EUA devem fazer o que lhes for possível para ajudar a promover o retorno ao poder econômico normal do mundo, sem o que não pode haver estabilidade política nem garantia de Paz." (Plano Marshall - 5.VI.1947) O Plano Marshall se constituiu a) na principal meta da política externa norte-americana, que era pacificar o Extremo Oriente. b) num projeto de ajuda industrial aos países da América Latina. c) num importante instrumento de expansão do comunismo na Europa. d) na definição da política externa isolacionista dos EUA, paralela à montagem do complexo industrial militar. e) num dos meios de penetração dos capitais norte-americanos nas economias europeias. 4. (Fatec) A ocupação da Polônia marca o início da Segunda Guerra Mundial. A tentativa de manter a paz a qualquer custo, como foi feito em Munique, se revelou impossível. Hitler não se dava por satisfeito com a reconquista do "espaço vital", queria mais e mais. Sobre a Segunda Guerra, é correto afirmar: a) A Itália, aliada da Alemanha desde a assinatura do Pacto de Aço, declarou guerra à Inglaterra e à França em junho de 1940. Em setembro do mesmo ano, a Itália atacou o Egito e a Turquia. b) Em 1941, tropas alemãs invadiram o território soviético e dominaram definitivamente Leningrado e Moscou. c) A partir dos sucessos na frente ocidental, da invasão e conquista da Bélgica, Holanda e França e do recuo inglês para o outro lado do canal, Hitler voltou sua atenção para a Polônia. d) O sucesso definitivo alemão deveu-se à sua tática militar, conhecida como "guerra relâmpago"; essa consistia no uso de forças motorizadas, tanques e aviação, conjugados e combinados entre si, em uma ação defensiva. e) A partir da declaração de guerra, feita por Inglaterra e França contra a Alemanha, outros países foram entrando no conflito, de ambos os lados. A cada novo beligerante,
  • 14. a relação de forças se alterava, e a guerra entrava em uma nova fase. Inicialmente uma guerra européia, estendeu-se paulatinamente à Ásia e a África. 5. (Fei) Não pode ser considerado um fator que propiciou a eclosão da Segunda Guerra Mundial: a) A ascensão de regimes totalitários na Itália e na Alemanha nos anos 20 e 30. b) Os efeitos da crise de 29 na economia européia. c) As cláusulas punitivas do Tratado de Versalhes, imposto à Alemanha ao final da Primeira Guerra Mundial. d) A vitória dos republicanos na Guerra Civil Espanhola barrando o avanço do fascismo na Espanha. e) A união entre a Áustria e a Alemanha empreendida por Hitler. 6. (Fuvest) O Plano Marshall, aplicado pelo governo norte-americano após a Segunda Guerra Mundial, visava à: a) ratificação do Tratado do Atlântico Norte. b) preservação da paz mundial com a formação da Organização das Nações Unidas (ONU). c) concessão de apoio político e econômico aos países do Terceiro Mundo. d) recuperação econômica da Europa para neutralizar o expansionismo soviético. e) formulação de princípios que impediam a intervenção dos EUA nas questões internacionais. 7. (Fuvest-gv) "Esta guerra, de fato, é uma continuação da anterior." (Winston Churchill, em discurso feito no Parlamento em 21 de agosto de 1941). A afirmativa acima confirma a continuidade latente de problemas não solucionados na Primeira Guerra Mundial que contribuíram para alimentar os antagonismos e levaram à eclosão da Segunda Guerra Mundial. Entre esses problemas identificamos:
  • 15. a) crescente nacionalismo econômico, aumento da disputa por mercados consumidores e por áreas de investimentos. b) desenvolvimento do imperialismo chinês na Ásia, com abertura para o Ocidente. c) os antagonismos austro-ingleses que giraram em torno da questão Alsácia-Lorena. d) oposição ideológica que fragilizou os vínculos entre os países, enfraquecendo todo tipo de nacionalismo. e) a divisão da Alemanha que levou a uma política agressiva de expansão marítima. 8. Às 6 da manhã, do dia 7 de dezembro de 1941, aviões japoneses bombardearam a base norte-americana de Pearl Harbor, no Havaí. A ofensiva iniciava o avanço japonês que, oito meses depois, controlava parte significativa do Oceano Pacífico. Sobre os conflitos no Pacífico, durante a Segunda Guerra Mundial, pode-se dizer que a) demonstram a instabilidade política do Pacífico e do sudeste asiático, antes dominados principalmente pela França e pela Inglaterra, e alvo, durante a Guerra, de interesses norte-americanos e japoneses. b) ilustram o combate de japoneses e norte-americanos contra chineses e soviéticos, que tentavam estabelecer na região a hegemonia de Estados guiados pela ideologia socialista. c) desembocam na explosão das bombas atômicas em Hiroxima e Nagasaki, responsáveis pela vitória final dos países Aliados sobre os países do Eixo e pela rendição incondicional de Alemanha e Japão. d) iniciam uma seqüência de combates aéreos e navais, dos quais participaram ativamente todos os países envolvidos na Guerra, especialmente Alemanha e Itália, empenhadas em defender as posições japonesas. e) abrem espaço para a proliferação do islamismo, que acabou por conquistar, por meio de revoluções populares, o controle de Estados como o Paquistão, a Índia ou as Filipinas. 9. Nos anos de 1942 e 1943 as batalhas de Midway, no Pacífico, El Alamein, na África, e Stalingrado, na Eurásia, significaram a a) confirmação da supremacia do Eixo.
  • 16. b) reversão da II Guerra Mundial com a ofensiva passando para os aliados. c) ruptura entre os EUA e a URSS, dando origem à Guerra Fria. d) conquista da Polônia e da Hungria pelos nazistas. e) ascensão do poderio militar soviético. 10. (Mackenzie) Sobre fatos antecedentes à Segunda Guerra Mundial, assinale a alternativa incorreta. a) Os E.U.A. cortaram o envio de ferro, aço, petróleo e borracha e bloquearam capitais japoneses na América do Norte por causa da invasão da Manchúria pelo Japão. b) Passando por cima das disposições dos tratados do pós-guerra, em 1938, Hitler, com o apoio de fascistas austríacos, ordenou a ocupação da Áustria. c) Em 1936, um grupo de generais, chefiados por Franco, iniciou uma revolta contra o governo de esquerda, legalmente constituído, na Espanha. d) A euforia econômica decorrente da valorização da Bolsa de Nova Iorque em 1929 favoreceu a recuperação econômica e a consolidação das democracias na Europa. e) Em 1939, Stálin conseguiu se aproximar da Alemanha através do Pacto Germano- Soviético, negociado por Ribbentrop e Molotov. 11. (Mackenzie) A Guerra da Bósnia-Herzegovina provocou cerca de 250 mil mortos e milhares de refugiados. Acerca do conflito uma jovem sérvia refugiada na Croácia escreveu: "Nós somos o único povo justo e bom, mas a injustiça furiosamente persegue a nossa inocente nação sérvia". (Gordanalgric, LE MONDE DIPLOMATIQUE) Assinale a alternativa que apresenta as origens deste conflito. a) A fragmentação da Iugoslávia integrante da extinta URSS e o sentimento nacionalista russo que se opôs à criação da "Grande Sérvia". b) O nacionalismo eslavo que desejou ocupar os territórios outrora pertencentes às Repúblicas Bálticas, governadas pelo Marechal Tito. c) O colapso da Iugoslávia, fragmentada pelos nacionalismos étnicos de cinco grupos rivais e três religiões, iniciado após a morte de JosipBroz Tito.
  • 17. d) As tensões nacionalistas provocadas pelos protestantes croatas em oposição à política de tolerância e pluralidade étnica, defendida pelos sérvios e curdos. e) As diferenças étnicas entre curdos, sérvios, tchetchenos e croatas, acirradas pela partilha do território do Império Austro-Húngaro. 12. (Mackenzie) A batalha que aconteceu em Stalingrado, durante a II Guerra Mundial, marcou: a) a consolidação das posições alemãs na Rússia, decorrente da expansão fulminante das potências do Eixo (Itália-Alemanha-Japão). b) a neutralização do exército de Stálin, obrigando-o a assinar o Pacto Germano- Soviético de não agressão e neutralidade. c) a inversão da situação militar da II Guerra, dando início ao recuo nazista na Europa Oriental e à decadência do Terceiro Reich. d) a vitória da Blitzkrieg - guerra relâmpago que consistia em ataques maciços, com o uso de carros blindados, aviões e navios. e) o desembarque aliado nas praias da Normandia - o Dia D, que conteve a ofensiva alemã, destruindo pela primeira vez o mito da invencibilidade da Wehrmacht. 13. (Ufpe) Em 24 de outubro próximo passado, chefes de Estados, reunidos em Nova Iorque, comemoraram 50 anos de aniversário da Organização das Nações Unidas - ONU. O que representa esta organização? a) A organização dos países do Ocidente para o enfrentamento com os países do Oriente. b) A vitória da Liga das Nações, vigente durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais. c) O fim da guerra fria entre o mundo capitalista e o mundo comunista. d) A descolonização da América e da África e os respectivos engajamentos políticos dos dois continentes. e) Uma força internacional acima das nações, na defesa da paz mundial, dos direitos do homem e da igualdade dos povos.
  • 18. 14. (Unitau) O fato concreto que desencadeou a Segunda Guerra Mundial foi: a) a saída dos invasores alemães do território dos Sudetos na Tchecoslováquia. b) a tomada do "corredor polonês" que desembocava na cidade livre de Dantzig (atual Gdansk) pelos italianos. c) a invasão da Polônia por tropas nazistas e a ação da Inglaterra e da França em socorro dos seus aliados, declarando guerra ao Terceiro Reich. d) a efetivação de "Anschluss", que desmembrava a Áustria da Alemanha. e) a invasão da Petrônia por tropas alemãs, quebrando o Pacto Germânico-Soviético. 15. (Uel) A economia japonesa do pós-guerra apresentou um dos maiores índices de crescimento da renda nacional de todo o mundo, tornando o Japão o segundo país em importância dentro do capitalismo, devido, dentre outros aspectos, a) ao crescimento da indústria de bens de consumo duráveis, à vocação agrícola e ao controle dos capitais internacionais oriundos dos planos de recuperação pós - 1945. b) à estabilidade da moeda, ao crescimento populacional e à grande quantidade de mão-de-obra barata com baixo grau de exigência salarial. c) ao excelente nível de produtividade agrária, à exportação de matérias-primas baratas - fio de seda, minério de ferro, etc. - e à importação de tecnologia. d) ao excesso de produtos essenciais - petróleo, gás natural, etc. - à alta taxa de escolaridade e o crescimento do mercado consumidor interno. e) à importação em larga escala, ao desenvolvimento da indústria pesada - siderurgia, produtos químicos, automóveis, etc. - e ao alto índice de exportação. NAZISMO E FASCISMO 1. (Cesgranrio) A solução americana para a crise de 1929 caracteriza-se como: a) o processo de busca de alternativas socialistas para a crise do capitalismo com a mudança de regime político.
  • 19. b) o resultado das pressões comunistas sobre o governo americano, que acaba assumindo, como política, a eliminação dos interesses privados na economia. c) o resultado da insatisfação da sociedade americana com relação aos princípios liberais assumidos pelos partidos de esquerda que se vinculavam ao governo. d) a introdução, na cultura americana, de valores europeus através da incorporação de tecnologia à economia americana e de alternativas de seguridade total. e) uma saída nacional que acentua o papel dirigente do Estado em determinados setores econômicos, conhecida como "New Deal". 2. (FUVEST) Da Grande Depressão, ocorrida no mundo capitalista com a crise econômica de 1929, resultou: a) o desemprego, o reforço do liberalismo e a modernização do setor industrial. b) a arte expressionista, um avanço dos movimentos anarquistas e o Nazi-Fascismo. c) o intervencionismo estatal, múltiplos problemas sociais e nova corrida armamentista. d) o surgimento do neoliberalismo, o fim da hegemonia europeia e a popularidade das correntes culturais existencialistas. e) o sucesso dos partidos socialistas ocidentais, o recuo do desemprego e o início de uma aproximação com a União Soviética. 3. (FUVEST) "A crise atingiu o mundo inteiro. O operário metalúrgico de Pittsburgo, o plantador de café brasileiro, o artesão de Paris e o banqueiro de Londres, todos foram atingidos". (Paul Raynaud - LA FRANCE A SAUVÉ L'EUROPE, T. I. Flamarion). O autor se refere à crise mundial de 1929, iniciada nos Estados Unidos, da qual resultou: a) o abalo do liberalismo econômico e a tendência para a prática da intervenção do Estado na economia. b) o aumento do número das sociedades acionárias e da especulação financeira. c) a expansão do sistema de crédito e do financiamento ao consumidor.
  • 20. d) a imediata valorização dos preços da produção industrial e fim da acumulação de estoques. e) o crescimento acelerado das atividades de empresas industriais e comerciais, e o pleno emprego. 4. (FUVEST) Sobre a crise do capitalismo, na década de 1930, e o colapso do socialismo, na década de 1980, pode-se afirmar que: a) a primeira reforçou a concepção de que não se podia deixar uma economia ao sabor do mercado, e o segundo a de que, uma economia não funciona sem mercado. b) ambos levaram à descrença sobre a capacidade do Estado resolver os problemas colocados pelo desemprego em massa. c) assim como a primeira, também o segundo está provocando uma polarização ideológica que ameaça o Estado de Bem-estar Social. d) ambos, provocando desemprego e frustração, fizeram aparecer agitações fascistas e terroristas contando com amplo respaldo popular. e) enquanto a primeira reforçou a convicção dos defensores do capitalismo, o segundo fez desaparecer a convicção dos defensores do socialismo. 5. (Puccamp) "Para Keynes (...) para criar demanda, as pessoas deveriam obter meios para gastar. Uma conclusão daí decorrente é que os salários de desemprego não deveriam ser considerados simplesmente como débito do orçamento, um meio por intermédio do qual a demanda poderia aumentar e estimular a oferta. Além do mais, uma demanda reduzida significava que não haveria investimento suficiente para produzir a quantidade de mercadorias necessárias para assegurar o pleno emprego. Os governos deveriam, portanto, encorajar mais investimentos, baixando as taxas de juros (...), bem como criar um extenso programa de obras públicas, que proporcionaria emprego e geraria uma demanda maior de produtos industriais”. O texto refere-se a uma teoria cujos princípios estiveram presentes a) no "New Deal", planejamento econômico baseado na intervenção do Estado, elaborado devido à crise de 1929. b) na obra MEIN KAMPF, que desenvolveu os fundamentos do nazismo: ideia da existência da raça ariana.
  • 21. c) no Plano Marshall, cujo objetivo era recuperar a economia europeia através de maciços investimentos. d) na criação da Comunidade Econômica Europeia, organização que visa o livre comércio entre os países. e) no livro O CAPITAL, onde se encontram os princípios básicos que fundamentam o socialismo marxista. 6. (Ufg) A crise de 1929 abalou os Estados Unidos. Em 1933, Franklin Delano Roosevelt foi eleito com o objetivo de recuperar o país por meio do programa conhecido como New Deal, que propunha a) a defesa do isolacionismo e do planejamento econômico, por meio dos quais os Estados Unidos abdicavam do engajamento em questões internacionais. b) a mudança do centro das decisões econômicas de Nova York, símbolo do poder dos grandes banqueiros, para Washington, sede do poder federal. c) a redução das importações estadunidenses que afetaram os países dependentes de seu mercado, repatriando capitais norte-americanos. d) a intervenção e o planejamento do Estado na economia, em quatro setores: agricultura, trabalho, segurança social e administração. e) o conservadorismo em questões econômicas e na política externa, ampliando a "missão civilizadora" dos Estados Unidos. 7. (UFMG) "(...) Há neste momento nos Estados Unidos cerca de 14 milhões de desempregados, e, como muitos deles têm família, 20 a 30 milhões de homens e mulheres vivem de esmolas, privadas ou públicas (...). O espetáculo de uma grande nação de que um quarto se encontra reduzido à impotência produz emoções bem mais fortes do que uma estatística em preto e branco. Desde que põe pé neste país, o estrangeiro compreende de repente que em nenhum momento a Europa imaginou a dolorosa intensidade da depressão dos Estados Unidos". (MAUROIS, André, ESTALEIROS AMERICANOS. 1933) A recuperação econômica dos EUA, após a Crise de 1929, ocorreu através do NEW DEAL (1933-1938).
  • 22. Todas as alternativas apresentam instrumentos de ação do NEW DEAL, EXCETO: a) A administração de Reassentamento, que transferiu famílias que ocupavam terras de qualidade inferior. b) A Lei Antitruste, que proibia o controle de 60% do mercado por uma empresa ou associação de empresas. c) A Lei da Cerveja e do Vinho e da Vigésima Primeira Emenda, que pôs fim à Lei Seca. d) A Lei de Assistência Civil à Conservação e ao Reflorestamento, que criava frentes de trabalho para os jovens e desempregados. e) A Lei do Ajustamento Agrícola, que subsidiava os fazendeiros que reduzissem a sua produção. 8. (UFPE) Sobre a crise econômica de 1929 e sua relação com o liberalismo, assinale a alternativa correta. a) A crise de 1929 foi provocada, sobretudo, pelo alto grau de desenvolvimento tecnológico, combinado à política liberal com base na ociosidade de capitais europeus do pós-guerra. b) Baseados em uma política liberal, os empresários norte-americanos mantiveram o ritmo de produção que vinha sendo adotado durante a Primeira Guerra e o mercado internacional não respondeu às ofertas. c) Para enfrentar a crise econômica de 1929, foi adotada a política liberal de empréstimos através da qual os países europeus mais ricos passaram a dar crédito aos Estados Unidos. d) Com a crise de 1929, a política econômica liberal passou a ser desacreditada pelos empresários norte-americanos que passaram a apoiar uma política estatal intervencionista. e) A política liberal adotada no período do pós-guerra dos EUA proibiu os empréstimos a juros e as especulações com ações, numa tentativa de frear a crise econômica, então, já prevista. 9. (Ufv) O 'crash' da Bolsa de Nova York em 1929 afetou a economia mundial. Os Estados Unidos, sob o comando do Presidente Franklin Delano Roosevelt, adotaram o 'New Deal', como saída para a crise que o país atravessava. São características do 'New
  • 23. Deal': I. a intervenção deliberada do Estado na economia, contrapondo-se à tradição liberal americana. II. a criação de um amplo plano de obras públicas, como barragens e autoestradas, para gerar novos empregos. III. o incentivo ao aumento da produção para alimentar a população desempregada. IV. a criação de um fundo monetário destinado a financiar os países europeus em crise. V. a adoção de medidas visando ao equilíbrio entre o custo da produção e o valor final das mercadorias. Das alternativas abaixo, assinale aquela que apresenta apenas as características CORRETAS: a) I, II e V. b) I, III e IV. c) I, IV e V. d) II, III e IV. e) II, III e V. 10. (Cesgranrio) Entre Mussolini e Hitler, há em seus programas, pontos em comum, como a: a) mobilização contínua das massas através de apelos nacionalistas e a manutenção de uma política de apoio aos socialistas. b) ideia de centralização administrativa e o fortalecimento dos mercados de troca, principalmente ingleses. c) organização militar da juventude e a não-intervenção do Estado na vida econômica e política. d) necessidade de fortalecimento do Estado e a adoção do corporativismo como base da reestruturação das relações sociais.
  • 24. e) produção de um ideal bélico que acentuasse o gênio militar dos fascistas e a incorporação das minorias étnicas ao Estado com plena liberdade. 11. (Cesgranrio) Em relação ao período compreendido entre as duas guerras mundiais (de 1919 a 39), caracterizado pela crise do Estado e da sociedade liberal, assinale a afirmativa correta: a) O nazismo consolidou uma política interna de miscigenação racial e social visando a preparar a Alemanha para a expansão territorial. b) O fascismo encontrou dificuldades sucessivas para implantar o corporativismo, pois sofreu uma violenta oposição dos setores conservadores da burguesia e da classe média italiana. c) A ausência de uma política de autossuficiência obrigou os regimes nazifascistas a compensar suas deficiências econômicas com o expansionismo militar. d) A expansão da doutrina comunista na Europa, com a consolidação da Revolução Russa, favoreceu a Aliança com os comunistas italianos e alemães, cujo apoio propiciou a ascensão nazifascista. e) Nazismo e fascismo são doutrinas baseadas no nacionalismo e no totalitarismo, cuja política intervencionista buscava a estabilidade do Estado. 12. (FUVEST) Em seu famoso painel "Guernica", Picasso registrou a trágica destruição dessa cidade basca por: a) ataque de tropas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. b) republicanos espanhóis apoiados pela União Soviética durante a Guerra Civil. c) forças do exército francês durante a Primeira Guerra Mundial. d) tropas do governo espanhol para sufocar a revolta dos separatistas bascos. e) bombardeio da aviação alemã em apoio ao General Franco contra os republicanos. 13. (FUVEST) O período entre as duas guerras mundiais (1919-1939) foi marcado por: a) crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre fascismo e comunismo.
  • 25. b) sucesso do capitalismo, do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre fascismo e comunismo. c) estagnação das economias socialista e capitalista e aliança entre os E.U.A. e a U.R.S.S. para deter o avanço fascista na Europa. d) prosperidade das economias capitalista e socialista e aparecimento da guerra fria entre os E.U.A e a U.R.S.S. e) coexistência pacífica entre os blocos americano e soviético e surgimento do capitalismo monopolista. 14. (Puccamp) "O Fascismo italiano e o Nazismo alemão conquistaram o respaldo de muitos setores da população, conseguindo um financiamento junto à alta burguesia. Assim puderam resolver a crise do capitalismo, com a instalação de ditaduras de direita que garantiram a ordem do sistema, os lucros e as propriedades." Servindo de exemplo a muitos países também atingidos pelos efeitos da Grande Depressão, o totalitarismo a) reforçou o desenvolvimento armamentista, preparando o terreno para a eclosão da Segunda Guerra Mundial. b) transformou a Alemanha no país mais rico e poderoso da Europa, ameaçada em sua supremacia apenas pela Dinamarca. c) organizou e contribuiu para a evolução do bloco capitalista, sob o controle dos Estados Unidos. d) desenvolveu a tendência de cooperação entre os Estados. e) reacendeu as velhas disputas nacionalistas existentes, desde o século XIX, entre a Grécia e a Turquia. 15. (UFES) A Guerra Civil Espanhola (1936-1939), em que perderam a vida mais de 1 milhão de pessoas, terminou com a derrota dos Republicanos e com a subida ao poder de Francisco Franco, militar espanhol. O Estado Espanhol, após a vitória de Franco, caracterizou-se como: a) Democrático com tendências capitalistas. b) Democrático com tendências socialistas.
  • 26. c) Populista de esquerda. d) Totalitário de direita. e) Totalitário de esquerda. 16. (UFMG) A experiência nazista alemã inaugurou uma nova modalidade na política: as grandes manifestações de massa. Todas as alternativas apresentam afirmações que contêm estratégias utilizadas na mobilização das massas no período nazista, EXCETO: a) O 'Fuhrer' estimulou o uso do uniforme para dissimular as diferenças sociais e projetar a imagem dos alemães como uma nação coesa. b) O governo alemão atribuía enorme importância à política de rua pela capacidade de ela transmitir sensação de conforto e encorajamento à multidão. c) O governo nazista musicou, filmou e teatralizou os assuntos políticos para atrair a multidão aos eventos públicos. d) O governo alemão estimulou linchamentos e execuções em praça pública visando ao incitamento ideológico e à difusão do ódio racial contra os muçulmanos. e) Os nazistas organizaram paradas, desfiles e concentrações de rua como grandes espetáculos, com a intenção de emocionar e contagiar a multidão. 17. (Ufrs) "Os verdadeiros chefes não têm nenhuma necessidade de cultura e ciência". (H. Goering) "Quando ouço a palavra cultura, ponho a mão no revólver." (J. Goebbels) "Os intelectuais são como as rainhas que vivem das abelhas trabalhadoras." (A. Hitler)
  • 27. "Sem espírito militar a escola alemã não poderá existir. Um professor pacifista é um palhaço ou um criminoso. Deve ser exterminado." (Ministro Schewemm - Bavária) "Professores alemães... nenhum menino e nenhuma menina da escola devem sair de vossas aulas sem o sagrado propósito de ser um inimigo mortal do bolchevismo judeu, na vida e na morte." (F. Weachter) Contextualizando historicamente as declarações anteriores, de lideranças nazistas na Alemanha, pode-se afirmar que a) o nazismo não tinha nenhum projeto para as áreas de educação e cultura, pois dentro da perspectiva do culto ao corpo e da obediência sem questionamentos, aquelas lhes eram completamente indiferentes. b) ao contrário da produção cultural, à qual eram refratários, os nazistas permitiram a permanência das diretrizes educacionais da República de Weimar. c) tanto a educação como a cultura foram áreas enquadradas dentro dos pressupostos básicos do regime transformando-se em instrumentos ideológicos de controle e propaganda. d) o Estado nazista interveio fortemente somente nas escolas frequentadas por alunos não-arianos e filhos de pais bolcheviques. e) educação e militarização da sociedade eram projetos excludentes dentro do projeto nazista de dominação. 18. (Unitau) O Nazismo e o Fascismo surgiram: a) do desenvolvimento de partidos nacionalistas, com pregações em favor de um Executivo forte, totalitário, com o objetivo de solucionar crises generalizadas diante da desorganização, após a Primeira Guerra Mundial. b) da esperança de conseguir estabilidade na união das "doutrinas liberais" de tendências individualistas. c) com a instituição do parlamentarismo da Itália e na Alemanha, agregando partidos populares.
  • 28. d) com o enfraquecimento da alta burguesia e o apoio do governo às camadas lideradas pelos sindicatos e socialistas. e) do coletivismo pregado pelos marxistas. 19. (FUVEST) Os Tratados de Paz assinados ao fim da Primeira Guerra Mundial "aglutinaram vários povos num só Estado, outorgaram a alguns o status de 'povos estatais' e lhes confiaram o governo, supuseram silenciosamente que os outros povos nacionalmente compactos (como os eslovacos na Tchecoslováquia ou os croatas e eslovenos na Iugoslávia) chegassem a ser parceiros no governo, o que naturalmente não aconteceu e, com igual arbitrariedade, criaram com os povos que sobraram um terceiro grupo de nacionalidades chamadas minorias, acrescentando assim aos muitos encargos dos novos Estados o problema de observar regulamentos especiais, impostos de fora, para uma parte de sua população. (...) Os Estados recém-criados, por sua vez, que haviam recebido a independência com a promessa de plena soberania nacional, acatada em igualdade de condições com as nações ocidentais, olhavam os Tratados das Minorias como óbvia quebra de promessa e como prova de discriminação." (Hannah Arendt, AS ORIGENS DO TOTALITARISMO) A alternativa mais condizente com o texto é: a) após a Primeira Guerra, os Tratados de Paz estabelecidos solaparam a soberania e estabeleceram condicionamentos aos novos Estados do Leste europeu através dos Tratados das Minorias, o que criou condições de conflitos entre diferentes povos reunidos em um mesmo Estado. b) o surgimento de novos Estados-nações se fez respeitando as tradições e instituições dos povos antes reunidos nos impérios que desapareceram com a Primeira Guerra Mundial. c) os Tratados de Paz e os Tratados das Minorias restabeleceram, no mundo contemporâneo, o sistema de dominação característico da Idade Média. d) apesar dos Tratados de Paz estabelecidos depois da Primeira Guerra terem tido algumas características arbitrárias em relação aos novos Estados-nações do Leste europeu, o desenvolvimento histórico destas regiões demonstra que foi possível uma convivência harmoniosa e gradativamente ocorreu a integração entre as minorias e as maiorias nacionais.
  • 29. e) os Tratados de Paz depois da Primeira Guerra conseguiram satisfazer os vários povos do Leste europeu. O que perturbou a convivência harmoniosa foi o movimento de refugiados das revoluções comunistas. 20. (UFRJ) Leia o texto a seguir, sobre o início do processo revolucionário na Alemanha, em fins de 1918, e responda à questão a seguir. Entre o primeiro dia de agitação das equipagens e o dia da queda do regime imperial e da proclamação da República, passou pouco tempo. O Movimento teve início nas cidades costeiras como Wilhelmshavem, Kiel e Hamburgo, estendendo-se depois para o interior. Partiu dos marinheiros o brado de rebeldia contra a ordem para retornar a guerra. (...) Rapidamente o movimento se generalizou, com a criação de conselhos de operários e soldados, com uma força espontânea e irresistível. ALMEIDA, Â. M. "A República de Weimar e a Ascensão do Nazismo". São Paulo: Brasiliense, 1982. p.26. A assim chamada "Revolução Alemã" de 1918/1919 pode ser relacionada a um movimento a) de amplo espectro político e de cunho liberal-nacionalista, que objetivava resistir à intervenção estrangeira e às humilhantes condições impostas pelo tratado de Versalhes. b) que buscava realizar, num momento em que a monarquia se encontrava particularmente fragilizada pela derrota na Guerra, os ideais liberais e democráticos de 1848. c) político diretamente inspirado no modelo de revolução social e política seguido pelo partido bolchevique russo, na revolução de outubro de 1917. d) dirigido por setores da extrema direita nacionalista que, com um programa que combatia o liberalismo e tinha traços claros de antissemitismo, prenunciava o nazismo. e) que buscava através de uma revolução política conservadora restabelecer uma ordem social derrubada após a derrota na Primeira Guerra Mundial: a monarquia parlamentar.