06 aula - Efeitos biológicos das radiações ionizantes

1.531 visualizações

Publicada em

06 aula - Efeitos biológicos das radiações ionizantes

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.531
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
85
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

06 aula - Efeitos biológicos das radiações ionizantes

  1. 1. Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes Prof. Esp. Gustavo Pires
  2. 2. Introdução – Radiação Cósmica
  3. 3. Radiação Cósmica A distribuição da dose de radiação cósmica ao nível do mar é da ordem de 0,26 mSv/ano. Esta pode aumentar com a latitude e altitude.
  4. 4. A Crosta da Terra – Materiais Radioativos A dose de radiação das rochas e solo, representa uma média anual de 0,07 mSv/ano. urânio tório
  5. 5. Exposição as radiações naturais Gas radioativo dispersado na atmosfera, responsável por uma dose anual de 0,20 mSv/ano.
  6. 6. Potássio - 40 Responsável por uma dose média anual de 0,40 mSv/ano.
  7. 7. Indústria nuclear Libera pequenas quantidades de uma larga variedades de materiais radioativos sob a forma de líquidos e gases. Responsáveis por uma dose anual de 0,008 mSv/ano.
  8. 8. Chernobyl – catástrofe nuclear Na madrugada de 26 de abril de 1986 Causa a morte de 31 pessoas diretamente ligadas a explosão do reator nuclear da unidade 4, que operava com 180 ton. de óxido de urânio por falha no sistema de refrigeração causada por erro humano.
  9. 9. Chernobyl – vítimas Foram afetados 203 funcionários. Milhares de pessoas foram contaminadas e perderão suas casas.
  10. 10. Vitimas do Acidente de Chernobyl
  11. 11. Distribuição da Dose Anual de radiação Cósmica em Função da Altitude
  12. 12. Classificação dos efeitos das radiações sobre o ser humano • São aqueles que podem ocorrer com qualquer nível de dose sem nenhum limiar • Ex. efeitos hereditários estocástico • São aqueles que ocorrem a partir de um limiar de dose. • Ex. catarata, danos celulares ... não- estocástico
  13. 13. Por tanto fique atento as regras de segurança! O uso das radiações ionizantes exigem regras básicas de segurança que devem ser observadas.
  14. 14. Efeito das radiações sobre as células As radiações interagem com as células produzindo ionização e excitação dos átomos que constituem as mesmas. Essa interação pode ser por efeito direto ou indireto.
  15. 15. O que acontece com a célula ao ser irradiada? Ocorre radiólise (decomposição da molécula de água por ação da radiação) produzindo água oxigenada (tóxico), e radicais livres.
  16. 16. Efeitos diretos sobre as células A radiação pode provocar mudanças na estrutura química da membrana celular provocando alteração na sua capacidade de permeabilidade seletiva (síndrome prodrômica).
  17. 17. Efeitos diretos sobre as células A interação da radiação pode provocar alteração na divisão celular e mutações genéticas.
  18. 18. Efeitos somáticos (não-estocásticos) Surgem do dano nas células do corpo e o efeito aparece na própria pessoa irradiada.
  19. 19. Irradiação de Partes do Corpo Radiodermite – limiar de dose acima de 3 Gy. A cicatrização se efetua pela multiplicação celular nas regiões vizinhas não irradiadas.
  20. 20. Necrose celular Doses acima de 20 Gy podem causar necrose (morte celular).
  21. 21. Tecidos Hematopoiéticos (medula óssea) O limiar da síndrome nesses tecidos é estimado em 1 Gy, aparecendo sintomas de febre, leucopenia em 2 a 3 semanas.
  22. 22. Sistema Vascular As irradiações produzem lesões nos vasos sanguíneos, surgindo hemorragias.
  23. 23. Sistema gastrointestinal (intestinos) O limiar da síndrome gastrointestinal é aproximadamente 3 Gy, com período de latência de 3 a 5 dias, ocasionando sintomas como vômitos, diarreia, desidratação, anorexia.
  24. 24. Sistema Reprodutor Masculino A irradiação pode provocar esterilidade temporária (doses da ordem de 3 Gy) ou esterilidade permanente (doses da ordem de 6 Gy).
  25. 25. Sistema Reprodutor Feminino Os ovários são mais sensíveis às radiações, podem sofrer esterilidade com doses de 1,7 Gy que aparece aos 90 dias, perdurando 1 a 3 anos. Doses acima de 3 Gy, esterilidade permanente.
  26. 26. Irradiação de Corpo Inteiro Doses acima de 0,25 Gy, podem provocar (SAR) Síndrome Aguda da Radiação. Causando: Anorexia, náusea, vômito, diarreia, conjuntivite, eritema, desorientação, coma e morte.
  27. 27. SAR – Síndrome Aguda da Radiação Onde os efeitos físicos provocados pela exposição, se processa. É a fase em que as reações químicas, provocadas pela exposição é processada. É a fase onde o indivíduo apresenta a sintomatologia dos efeitos da exposição.
  28. 28. É importante enfatizar! “Nenhuma enfermidade é caracterizada como doença da radiação” O que se verifica é a probabilidade do aparecimento de doenças já conhecidas e existentes.
  29. 29. Irradiação de Corpo Inteiro Os efeitos somáticos devido a uma dose aguda de radiação, ocorrem a partir de um limiar de 0,25 Gy. Os efeitos genéticos podem ocorrer a partir de qualquer valor de dose absorvida, variando de forma linear.
  30. 30. Nível de Exposição onde os Efeitos na Saúde em Adultos podem ocorrer
  31. 31. Síndrome Aguda da Radiação no Corpo Inteiro
  32. 32. Aula News! “Acidente ocorrido em São Salvador, em 05/02/89 onde numa firma de esterilização de produtos médicos, um operador notou que a fonte de Co-60 com 180.000 Ci estava fora da exposição de trabalho. Resolvendo chamar dois outros funcionários de limpeza para ajuda-lo a colocar a fonte no lugar (fonte: Circular CNEN).”
  33. 33. Resultado Vítimas 03 Paciente A – dose absorvida 8,19 Gy, com sintomas de náuseas, vômitos, eritema após 3 dias, tendo de amputar a perna direita, vindo a falecer em 197 dias após. Paciente B – dose absorvida 3,58 Gy, com dor nos pés após 9 dias, tendo de amputar a perna esquerda, teve alta com 202 dias após. Paciente C – dose absorvida 2,96 Gy, com sintomas de náusea e vômito em 2 dias, voltando ao trabalho após 199 dias.
  34. 34. Efeitos da Exposição Aguda à Radiação dos Ovários em Mulheres
  35. 35. Efeitos da Irradiação Fracionada dos Testículos sobre o Esperma
  36. 36. Efeitos Genéticos (estocásticos) Podem ocorrer com qualquer nível de dose, seja ela crônica ou aguda, pois não há um limiar para que se iniciem as alterações genéticas, a exemplo como ocorrem nos efeitos somáticos.
  37. 37. Reorganizando as Ideias  Efeito não estocástico ou determinístico Sua Frequência e Gravidade dependem da D.  Dose Limiar: quantidade de radiação necessária para provocar um efeito em pelo menos 1 a 5 % dos indivíduos expostos.  Dose de Tolerância: máxima quantidade de radiação que um tecido pode suportar sim desenvolver em nível clínico um efeito não estocástico.  Período de latência: tempo necessário para que um efeito determinístico seja observável. – Efeitos imediatos: horas, dias ou semanas. – Efeitos tardios (não malignos): meses ou anos.  Gravidade do efeito: depende do número de células danificadas, da Dose, energia da radiação e área exposta.
  38. 38. Reorganizando as Ideias Efeitos somáticos: Surgem do dano nas células do corpo e o efeito aparece na própria pessoa irradiada. Efeitos genéticos ou hereditários: são efeitos que surgem no descendente da pessoa irradiada, como resultado do dano produzido pela radiação em células dos órgãos reprodutores, as gônadas. Efeitos imediatos e tardios: os primeiros efeitos biológicos causados pela radiação, que ocorrem num período de poucas horas até algumas semanas após a exposição, são denominados de efeitos imediatos, como por exemplo, a radiodermite. Os que aparecem depois de anos ou mesmo décadas, são chamados de efeitos retardados ou tardios, como por exemplo o câncer.
  39. 39. Obrigado!

×