SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E DAS
   COLÔNIAS ESPANHOLAS




           Profª. – Fatima Ap. de Freitas
Antecedentes
• O continente americano encontrava-se
  dominado por portugueses e espanhóis.
• A sociedade colonial era formada por
  diversas classes que estavam insatisfeitas
  com a situação em que viviam.
• Apesar de numerosas rebeliões de
  índios, negros e mestiços, a
  independência só aconteceu na América
  espanhola a partir do momento em que
  os criollos engajaram no movimento de
  libertação.
• Os criollos eram os descendentes dos
  espanhóis nascidos na América.
• Observe a pirâmide social ao lado:
A ADMINISTRAÇÃO ESPANHOLA
• Até o início do século XIX, a
  monarquia espanhola mantinha o
  domínio colonial sobre vasta área
  do continente americano.
• A região foi dividida em vice-
  reinos e capitanias gerais, sendo:
 Vice-Reinos: da Nova Espanha -
  criado em 1535, do Peru (1542),
  Nova Granada (1718) e do Prata
  (1776).
 Capitanias: Cuba, Guatemala,
  Venezuela e Chile. Observe o
  mapa ao lado.
Causas da independência
• Os criollos eram impedidos de exercer cargos políticos, apesar de
  constituírem a elite econômica e cultural do continente americano.
• Grande parte das riquezas produzidas no continente ia para a
  metrópole na forma de altos impostos ou para a Inglaterra ( via
  indireta).
• Restringia o desenvolvimento de manufaturas que concorressem com
  a metrópole.
• Muitos criollos haviam estudado na Europa, onde assimilaram as idéias
  da Revolução Francesa e do Iluminismo, e pretendiam aplicá-las nos
  movimentos de libertação das colônias.
• A contradição entre a política do livre comércio dos criollos e a dos
  defensores do monopólio das metrópoles.
• Debilidade do governo espanhol com a invasão de Napoleão à Espanha
  em 1808, quando o trono foi ocupado por José Bonaparte, observou-
  se o enfraquecimento administrativo, e a elite colonial aproveitando
  desse momento, iniciou as lutas pela independência.
Toussaint
              Louverture




Rebelião de
escravos
• Ilha da América Central, colônia francesa desde 1697, e
  produtora de cana-de-açúcar e rum.
• A independência foi liderada por escravos e ex-escravos.
• O movimento teve início em plena Revolução Francesa, em
  1791, sob o comando de Toussaint Louverture e Dessalines.
• Os senhores de terra e as tropas francesas lutaram contra os
  escravos durante vários anos, e em 1802, Louverture foi preso
  e levado para a França, onde faleceu em 1803 de penumonia,
  mas o movimento continuou.
• Em 1825, o país sob o comando de um ex-escravo Jean
  Jacques Dessalines, conseguiu o reconhecimento de sua
  independência em 1804, e a escravidão foi abolida.
• A economia estava arrasada e a maior parte da produção foi
  destruída no conflito, os escravos demonstraram que para
  eles, independência era sinônimo de liberdade social.
PADRE
   HIDALGO




Padre
MORELLOS
• Na região do México (Vice-Reino da Nova Espanha), desde 1810, os padres
  Miguel Hidalgo (1810) e, posteriormente, José Morellos (1813) lideraram
  tropas formadas por muitos camponeses pobres (índios, brancos e
  mestiços).
• Lutavam pela independência e por uma mudança das condições sociais:
  terra para os pobres, fim da escravidão, igualdade de direitos, etc.
• As tropas espanholas apoiadas pela elite local, derrotaram os grupos
  populares, pondo fim à rebelião, Hidalgo em 1811 e Morellos (1815)
  foram julgados pelo Tribunal de Inquisição e fuzilados.
• Em 1813, Morellos proclamou a independência do México e, em 1814, foi
  elaborada a 1ª. Constituição do país, o governo espanhol não reconheceu
  a independência, nem a Constituição.
• Somente em 1821 ocorreria a independência do México, num movimento
  liderado pelo general Agostinho Itúrbide, militar criollo que aliado à elite
  criolla, fez um acordo com os líderes rebeldes e novamente proclamou a
  independência do México em 16 de setembro de 1821.
• Itúrbide traiu o governo espanhol e se proclamou imperador com o nome
  de Estados Unidos Mexicanos até 1823, quando seu governo foi
  derrubado e instalou-se a República.
• Do México, a luta pela independência espalhou-se pela
  América Central.
• A antiga Capitania Geral da Guatemala anexou-se ao México
  em 1822 e separou em 1823.
• As colônias centrais formaram a Confederação das Províncias
  Unidas da América Central em 1823.
• Em 1838, a Confederação se desmembrou em cinco
  repúblicas: Nicarágua, Guatemala, Honduras, El Salvador e
  Costa Rica.
• A República Dominicana tornou-se independente em 1844.
• Cuba obteve sua emancipação só no final do século XIX.
José de San Martín e as
                         independências no Vice-
                         Reino do Prata e do Peru
• O criollo San Martín (argentino) e criado na Europa, liderou os
  movimentos pela independência na Argentina, Chile e Peru.
• Ele planejava criar Estados independentes na América, governado
  conforme os interesses da população.
• Começou a liderar as lutas na Argentina em 1813, consolidando
  em 1816 com a proclamação da república das Províncias unidas do
  rio da Prata.
• O Paraguai emancipou-se em 1811, sob a liderança dos
  republicanos Yegros e José Francia que se tornou presidente do
  país até 1.840.
• O Uruguai, que na época pertencia ao Brasil
  com o nome de Província Cisplatina, teve sua
  independência proclamada em 1823, ao
  término da Guerra da Cisplatina contra o
  Brasil.
• No comando do exército dos Andes, San
  Martín, cruzou as montanhas andinas e, com
  o auxílio de soldados chilenos, conquistou a
  independência do Chile em 1818.
• Depois partiu com suas tropas para o Peru,
  libertando-o em 1824.
Simón Bolívar e a paz
                        continental
• Nasceu em Caracas, descendente de espanhóis, viveu na Europa
  entre 1803 e 1805, onde pôde sentir o fervor revolucionário das
  idéias iluministas.
• Admirava Napoleão, cujo poder se fundava no sucesso e na
  glória da nação, como não há glória sem independência, em
  1805 jurou libertar a América do jugo espanhol.
• Ao norte do continente, o militar Bolívar comandou as tropas
  que lutaram e conquistaram a independência da Grã-Colômbia
  composta pela Venezuela, Equador e Colômbia, e Panamá.
• Bolívar defendia a centralização do poder, acreditava na
  necessidade de um poder forte e único formado por países
  independentes, mas solidários entre si, e que formassem uma
  confederação.
• Ele queria constituir uma grande
  nação latino-americana, incluindo a
  República da Grã-Colômbia e o resto
  da América Espanhola.
• Em 1826, organizou o Congresso do
  Panamá, embrião para que a
  América de origem espanhola se
  transformasse em um único país, o
  projeto porém não se concretizou.
• Chegou a ser presidente da Grã-
  Colômbia (Colômbia e Venezuela),
  mas com o esfacelamento do seu
  sonho de união latino-americana,
  renunciou ao poder, morrendo em
  1830.
CESPEDES




MARTÍ
• Cuba era grande produtora de açúcar desde o final do século
  XVIII e utilizava a mão-de-obra escrava africana.
• A elite cubana mantinha a população escrava sob rígido controle
  , pois temia o “haitianismo” na ilha.
• Como tinham certa autonomia comercial, pois vendiam açúcar
  para os EUA desde o século XIX, boa parte da elite não tinha
  interesses separatistas, daí o retardamento da independência.
• A 1ª. guerra de independência ocorreu entre 1868 e 1878, sob o
  comando de Carlos Manuel Cáspedes, dono de engenho que
  libertou seus escravos para lutarem pela independência.
• A maioria dos fazendeiros não aderiu à luta, e a revolta foi
  esmagada pelo exército espanhol.
• A 2ª. Guerra ocorreu entre 1895 e 1898, onde os revoltosos
  estavam insatisfeitos com o aumento dos impostos cobrados
  pela Espanha e os altos custos na manutenção do exército na
  ilha.
• O movimento separatista iniciado pelos partidários de Martí
  (político e escritor criollo), ganhou força e derrotou o outro grupo
  da elite cubana, contrário à independência.
• Em 1898, quando a independência era iminente, os EUA,
  invadiram a ilha e declararam guerra à Espanha.
• O interesse norte-americano era motivado pela exportação de
  produtos como açúcar, tabaco, ferro e manganês para os EUA.
• Em 1901, O Congresso dos EUA aprovou a Emenda Platt, onde foi
  incluía na Constituição de Cuba e estabelecia o direito norte-
  americano de intervir na ilha sempre que seus interesses fossem
  ameaçados, transformando Cuba num “protetorado” e
  obrigando-a a ceder territórios para a instalação de bases
  militares.
• Após vários conflitos, os espanhóis reconheceram a
  independência de Cuba em 1901, quando o país passou a ser
  administrado por um governo provisório norte-americano.
• Em 1902 tomou posse Tomás
  Estrada Palma, o primeiro
  presidente cubano, após um
  tratado entre os dois países no
  qual parte da baía de Gantánamo
  passou a ser território norte-
  americano, onde os EUA criou uma
  base naval.
• Embora Cuba tenha rompido
  relações diplomáticas com os EUA
  em 1961 devido à “Revolução
  Socialista Cubana”, essa base
  continua em poder norte-
  americano, apesar de protestos
  cubanos e de pessoas de outros
  países.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 História Global – Gilberto Cotrim
História Novo Olhar – Marco Pelegrini
História e Vida – Nelson e Claudino Piletti
Caderno de Revisão – Editora Moderna

      SUGESTÃO DE FILME:
 O Guerreiro do Sol – Frederico Garcia,Peru,
 1974, 109 min.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaEdenilson Morais
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América EspanholaAulas de História
 
A independência da américa latina
A independência da américa latinaA independência da américa latina
A independência da américa latinaIsaquel Silva
 
2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na América2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na AméricaDaniel Alves Bronstrup
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptxProfessor de História
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América EspanholaClaudenilson da Silva
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilGeová da Silva
 
Unificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanhaUnificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanhaIsabel Aguiar
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraNívia Sales
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América EspanholaLuciano Emanuel Silva
 

Mais procurados (20)

Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
A independência da américa latina
A independência da américa latinaA independência da américa latina
A independência da américa latina
 
2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na América2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na América
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
 
8 2º reinado
8  2º reinado8  2º reinado
8 2º reinado
 
Doutrinas sociais do séc xix
Doutrinas  sociais do séc xix Doutrinas  sociais do séc xix
Doutrinas sociais do séc xix
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Unificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanhaUnificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanha
 
A guerra do paraguai
A guerra do paraguaiA guerra do paraguai
A guerra do paraguai
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 

Destaque

A revolução haitiana
A revolução haitiana A revolução haitiana
A revolução haitiana DeaaSouza
 
Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia Eduardo Mendes
 
Independência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanholaIndependência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanholaDaniele Lopes
 
Independência das colônias espanholas e haiti
Independência das colônias espanholas e haitiIndependência das colônias espanholas e haiti
Independência das colônias espanholas e haitiNaiani Fenalti
 
Independência das Colônias Espanholas
Independência das Colônias EspanholasIndependência das Colônias Espanholas
Independência das Colônias EspanholasGmsantos23
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haitihistoriando
 
8º ano - America espanhola apresentação
8º ano - America espanhola apresentação 8º ano - America espanhola apresentação
8º ano - America espanhola apresentação Janaína Bindá
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasilMarco Santos
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaMarcos Oliveira
 
A conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américaA conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américaFernando Fagundes
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALIsabel Aguiar
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXIsabel Aguiar
 

Destaque (20)

A revolução haitiana
A revolução haitiana A revolução haitiana
A revolução haitiana
 
Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia Fontes de energia geografia
Fontes de energia geografia
 
Independência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanholaIndependência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanhola
 
Independência das colônias espanholas e haiti
Independência das colônias espanholas e haitiIndependência das colônias espanholas e haiti
Independência das colônias espanholas e haiti
 
Independência das Colônias Espanholas
Independência das Colônias EspanholasIndependência das Colônias Espanholas
Independência das Colônias Espanholas
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti
 
8º ano - America espanhola apresentação
8º ano - America espanhola apresentação 8º ano - America espanhola apresentação
8º ano - America espanhola apresentação
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
Simón Bolívar
Simón BolívarSimón Bolívar
Simón Bolívar
 
A Espanha e a América nos séculos XVI e XVII - Elliott J. H.
A Espanha e a América nos séculos XVI e XVII - Elliott J. H. A Espanha e a América nos séculos XVI e XVII - Elliott J. H.
A Espanha e a América nos séculos XVI e XVII - Elliott J. H.
 
Independência da américa espanhola 2013
Independência da américa espanhola 2013Independência da américa espanhola 2013
Independência da américa espanhola 2013
 
Haití
HaitíHaití
Haití
 
HAITI
HAITIHAITI
HAITI
 
Revolução Francesa HQ
Revolução Francesa HQRevolução Francesa HQ
Revolução Francesa HQ
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
A conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américaA conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américa
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 

Semelhante a Independência das colônias espanholas

A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanholahistoriando
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaNelia Salles Nantes
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaNelia Salles Nantes
 
Historiadaamerica2185200917911
Historiadaamerica2185200917911Historiadaamerica2185200917911
Historiadaamerica2185200917911fioravanti_silvia
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaNelia Salles Nantes
 
Crise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonialCrise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonialUelder Santos
 
Processo de independência da américa espanhola
Processo de independência da américa espanholaProcesso de independência da américa espanhola
Processo de independência da américa espanholaLouise Caldart Colombo
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América EspanholaCarlos Zaranza
 
independencia da america espanhola.pptx
independencia da america espanhola.pptxindependencia da america espanhola.pptx
independencia da america espanhola.pptxDouglasPereira177705
 
America colonial espanhola.filé
America colonial espanhola.filéAmerica colonial espanhola.filé
America colonial espanhola.filémundica broda
 
Cap. 03 ind. da america espanhola
Cap. 03   ind. da america espanholaCap. 03   ind. da america espanhola
Cap. 03 ind. da america espanholaEvanildo Pitombeira
 
Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3DiedNuenf
 
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1Privada
 
Independência da América Espanhol
Independência da América EspanholIndependência da América Espanhol
Independência da América EspanholMurilo Benevides
 

Semelhante a Independência das colônias espanholas (20)

A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
 
Capitulo 08 indep da america espanhola
Capitulo 08  indep da america espanholaCapitulo 08  indep da america espanhola
Capitulo 08 indep da america espanhola
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
 
Historiadaamerica2185200917911
Historiadaamerica2185200917911Historiadaamerica2185200917911
Historiadaamerica2185200917911
 
Independências americanas
Independências americanasIndependências americanas
Independências americanas
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
 
Crise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonialCrise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonial
 
Processo de independência da américa espanhola
Processo de independência da américa espanholaProcesso de independência da américa espanhola
Processo de independência da américa espanhola
 
slideindepmxicoehaitiblog-170519011521.pdf
slideindepmxicoehaitiblog-170519011521.pdfslideindepmxicoehaitiblog-170519011521.pdf
slideindepmxicoehaitiblog-170519011521.pdf
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
independencia da america espanhola.pptx
independencia da america espanhola.pptxindependencia da america espanhola.pptx
independencia da america espanhola.pptx
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
 
America colonial espanhola.filé
America colonial espanhola.filéAmerica colonial espanhola.filé
America colonial espanhola.filé
 
Cap. 03 ind. da america espanhola
Cap. 03   ind. da america espanholaCap. 03   ind. da america espanhola
Cap. 03 ind. da america espanhola
 
Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3
 
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
 
Independência da América Espanhol
Independência da América EspanholIndependência da América Espanhol
Independência da América Espanhol
 

Mais de Fatima Freitas

Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosFatima Freitas
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresFatima Freitas
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaFatima Freitas
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilFatima Freitas
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido Fatima Freitas
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. anoFatima Freitas
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1Fatima Freitas
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos euaFatima Freitas
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaFatima Freitas
 

Mais de Fatima Freitas (20)

Mato grosso do sul
Mato grosso do sulMato grosso do sul
Mato grosso do sul
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
 
Rio + 20
Rio + 20Rio + 20
Rio + 20
 
Guerra da coreia
Guerra da coreiaGuerra da coreia
Guerra da coreia
 
Revolução chinesa
Revolução chinesaRevolução chinesa
Revolução chinesa
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planeta
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasil
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Indígenas do brasil
Indígenas do brasilIndígenas do brasil
Indígenas do brasil
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colônia
 

Último

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorCasa Ciências
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 

Último (20)

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Independência das colônias espanholas

  • 1. INDEPENDÊNCIA DO HAITI E DAS COLÔNIAS ESPANHOLAS Profª. – Fatima Ap. de Freitas
  • 2. Antecedentes • O continente americano encontrava-se dominado por portugueses e espanhóis. • A sociedade colonial era formada por diversas classes que estavam insatisfeitas com a situação em que viviam. • Apesar de numerosas rebeliões de índios, negros e mestiços, a independência só aconteceu na América espanhola a partir do momento em que os criollos engajaram no movimento de libertação. • Os criollos eram os descendentes dos espanhóis nascidos na América. • Observe a pirâmide social ao lado:
  • 3. A ADMINISTRAÇÃO ESPANHOLA • Até o início do século XIX, a monarquia espanhola mantinha o domínio colonial sobre vasta área do continente americano. • A região foi dividida em vice- reinos e capitanias gerais, sendo:  Vice-Reinos: da Nova Espanha - criado em 1535, do Peru (1542), Nova Granada (1718) e do Prata (1776).  Capitanias: Cuba, Guatemala, Venezuela e Chile. Observe o mapa ao lado.
  • 4. Causas da independência • Os criollos eram impedidos de exercer cargos políticos, apesar de constituírem a elite econômica e cultural do continente americano. • Grande parte das riquezas produzidas no continente ia para a metrópole na forma de altos impostos ou para a Inglaterra ( via indireta). • Restringia o desenvolvimento de manufaturas que concorressem com a metrópole. • Muitos criollos haviam estudado na Europa, onde assimilaram as idéias da Revolução Francesa e do Iluminismo, e pretendiam aplicá-las nos movimentos de libertação das colônias. • A contradição entre a política do livre comércio dos criollos e a dos defensores do monopólio das metrópoles. • Debilidade do governo espanhol com a invasão de Napoleão à Espanha em 1808, quando o trono foi ocupado por José Bonaparte, observou- se o enfraquecimento administrativo, e a elite colonial aproveitando desse momento, iniciou as lutas pela independência.
  • 5. Toussaint Louverture Rebelião de escravos
  • 6. • Ilha da América Central, colônia francesa desde 1697, e produtora de cana-de-açúcar e rum. • A independência foi liderada por escravos e ex-escravos. • O movimento teve início em plena Revolução Francesa, em 1791, sob o comando de Toussaint Louverture e Dessalines. • Os senhores de terra e as tropas francesas lutaram contra os escravos durante vários anos, e em 1802, Louverture foi preso e levado para a França, onde faleceu em 1803 de penumonia, mas o movimento continuou. • Em 1825, o país sob o comando de um ex-escravo Jean Jacques Dessalines, conseguiu o reconhecimento de sua independência em 1804, e a escravidão foi abolida. • A economia estava arrasada e a maior parte da produção foi destruída no conflito, os escravos demonstraram que para eles, independência era sinônimo de liberdade social.
  • 7. PADRE HIDALGO Padre MORELLOS
  • 8. • Na região do México (Vice-Reino da Nova Espanha), desde 1810, os padres Miguel Hidalgo (1810) e, posteriormente, José Morellos (1813) lideraram tropas formadas por muitos camponeses pobres (índios, brancos e mestiços). • Lutavam pela independência e por uma mudança das condições sociais: terra para os pobres, fim da escravidão, igualdade de direitos, etc. • As tropas espanholas apoiadas pela elite local, derrotaram os grupos populares, pondo fim à rebelião, Hidalgo em 1811 e Morellos (1815) foram julgados pelo Tribunal de Inquisição e fuzilados. • Em 1813, Morellos proclamou a independência do México e, em 1814, foi elaborada a 1ª. Constituição do país, o governo espanhol não reconheceu a independência, nem a Constituição. • Somente em 1821 ocorreria a independência do México, num movimento liderado pelo general Agostinho Itúrbide, militar criollo que aliado à elite criolla, fez um acordo com os líderes rebeldes e novamente proclamou a independência do México em 16 de setembro de 1821. • Itúrbide traiu o governo espanhol e se proclamou imperador com o nome de Estados Unidos Mexicanos até 1823, quando seu governo foi derrubado e instalou-se a República.
  • 9.
  • 10. • Do México, a luta pela independência espalhou-se pela América Central. • A antiga Capitania Geral da Guatemala anexou-se ao México em 1822 e separou em 1823. • As colônias centrais formaram a Confederação das Províncias Unidas da América Central em 1823. • Em 1838, a Confederação se desmembrou em cinco repúblicas: Nicarágua, Guatemala, Honduras, El Salvador e Costa Rica. • A República Dominicana tornou-se independente em 1844. • Cuba obteve sua emancipação só no final do século XIX.
  • 11. José de San Martín e as independências no Vice- Reino do Prata e do Peru • O criollo San Martín (argentino) e criado na Europa, liderou os movimentos pela independência na Argentina, Chile e Peru. • Ele planejava criar Estados independentes na América, governado conforme os interesses da população. • Começou a liderar as lutas na Argentina em 1813, consolidando em 1816 com a proclamação da república das Províncias unidas do rio da Prata. • O Paraguai emancipou-se em 1811, sob a liderança dos republicanos Yegros e José Francia que se tornou presidente do país até 1.840.
  • 12. • O Uruguai, que na época pertencia ao Brasil com o nome de Província Cisplatina, teve sua independência proclamada em 1823, ao término da Guerra da Cisplatina contra o Brasil. • No comando do exército dos Andes, San Martín, cruzou as montanhas andinas e, com o auxílio de soldados chilenos, conquistou a independência do Chile em 1818. • Depois partiu com suas tropas para o Peru, libertando-o em 1824.
  • 13. Simón Bolívar e a paz continental • Nasceu em Caracas, descendente de espanhóis, viveu na Europa entre 1803 e 1805, onde pôde sentir o fervor revolucionário das idéias iluministas. • Admirava Napoleão, cujo poder se fundava no sucesso e na glória da nação, como não há glória sem independência, em 1805 jurou libertar a América do jugo espanhol. • Ao norte do continente, o militar Bolívar comandou as tropas que lutaram e conquistaram a independência da Grã-Colômbia composta pela Venezuela, Equador e Colômbia, e Panamá. • Bolívar defendia a centralização do poder, acreditava na necessidade de um poder forte e único formado por países independentes, mas solidários entre si, e que formassem uma confederação.
  • 14. • Ele queria constituir uma grande nação latino-americana, incluindo a República da Grã-Colômbia e o resto da América Espanhola. • Em 1826, organizou o Congresso do Panamá, embrião para que a América de origem espanhola se transformasse em um único país, o projeto porém não se concretizou. • Chegou a ser presidente da Grã- Colômbia (Colômbia e Venezuela), mas com o esfacelamento do seu sonho de união latino-americana, renunciou ao poder, morrendo em 1830.
  • 15.
  • 17. • Cuba era grande produtora de açúcar desde o final do século XVIII e utilizava a mão-de-obra escrava africana. • A elite cubana mantinha a população escrava sob rígido controle , pois temia o “haitianismo” na ilha. • Como tinham certa autonomia comercial, pois vendiam açúcar para os EUA desde o século XIX, boa parte da elite não tinha interesses separatistas, daí o retardamento da independência. • A 1ª. guerra de independência ocorreu entre 1868 e 1878, sob o comando de Carlos Manuel Cáspedes, dono de engenho que libertou seus escravos para lutarem pela independência. • A maioria dos fazendeiros não aderiu à luta, e a revolta foi esmagada pelo exército espanhol. • A 2ª. Guerra ocorreu entre 1895 e 1898, onde os revoltosos estavam insatisfeitos com o aumento dos impostos cobrados pela Espanha e os altos custos na manutenção do exército na ilha.
  • 18. • O movimento separatista iniciado pelos partidários de Martí (político e escritor criollo), ganhou força e derrotou o outro grupo da elite cubana, contrário à independência. • Em 1898, quando a independência era iminente, os EUA, invadiram a ilha e declararam guerra à Espanha. • O interesse norte-americano era motivado pela exportação de produtos como açúcar, tabaco, ferro e manganês para os EUA. • Em 1901, O Congresso dos EUA aprovou a Emenda Platt, onde foi incluía na Constituição de Cuba e estabelecia o direito norte- americano de intervir na ilha sempre que seus interesses fossem ameaçados, transformando Cuba num “protetorado” e obrigando-a a ceder territórios para a instalação de bases militares. • Após vários conflitos, os espanhóis reconheceram a independência de Cuba em 1901, quando o país passou a ser administrado por um governo provisório norte-americano.
  • 19. • Em 1902 tomou posse Tomás Estrada Palma, o primeiro presidente cubano, após um tratado entre os dois países no qual parte da baía de Gantánamo passou a ser território norte- americano, onde os EUA criou uma base naval. • Embora Cuba tenha rompido relações diplomáticas com os EUA em 1961 devido à “Revolução Socialista Cubana”, essa base continua em poder norte- americano, apesar de protestos cubanos e de pessoas de outros países.
  • 20.
  • 21. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  História Global – Gilberto Cotrim História Novo Olhar – Marco Pelegrini História e Vida – Nelson e Claudino Piletti Caderno de Revisão – Editora Moderna SUGESTÃO DE FILME:  O Guerreiro do Sol – Frederico Garcia,Peru, 1974, 109 min.