Gêneros textuais

3.722 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.722
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
99
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gêneros textuais

  1. 1. GÊNEROS TEXTUAIS<br />ÉPICO<br />DRAMÁTICO<br />
  2. 2. Gêneros aristotélicos<br />ÉPICO<br />LÍRICO<br />DRAMÁTICO<br />Gênero é a forma de organização da arte literária<br />ARISTÓTELES<br />
  3. 3. Gênero épico<br />Presença de um narrador <br />distante do assunto narrado, <br />contando histórias de outras personagens.<br />Narram feitos de heróis, histórias de um povo ou de uma nação. <br />Referência a deuses ou elementos da natureza que garantiam aos guerreiros sua força e tenacidade.<br />Exaltação das personagens e de seus comportamentos nas batalhas ou aventuras.<br />Os poemas épicos são chamados de epopeias<br />
  4. 4. Narrativas modernas<br />Predominância da prosa.<br />Descompromisso com o caráter laudatório.<br />Apresenta-se como fábula, <br />conto, novela, romance ou crônica.<br />
  5. 5. FÁBULA<br />Narrativa curta.<br />Geralmente um diálogo.<br />Personagens são geralmente animais.<br />Função didática.<br />Enunciação de uma moral.<br />
  6. 6. CONTO<br />Unidade dramática.<br />Unidade espacial.<br />Unidade temporal.<br />Número reduzido de personagens.<br />Único episódio.<br />
  7. 7. NOVELA<br />Pluralidade dramática<br />Sucessividade dramática<br />Personagem principal <br />Liberdade espacial<br />
  8. 8. ROMANCE<br />Pluralidade drmática<br />Simultaneidade dramática<br />Número ilimitado de personagens<br />Liberdade de espaço<br />Liberdade de tempo<br />
  9. 9. CRÔNICA<br />Do grego "cronos" – tempo<br />Narrativa curta<br />Espaço e tempo limitados<br />Fatos do cotidiano<br />Visão periférica e subjetiva da realidade<br />Intenção crítica, ensejo à reflexão, humanizar fatos ou satirizar situações<br />
  10. 10. Elementos da narrativa<br />Enredo<br />Personagens<br />Tempo<br />Espaço<br />Narrador<br />
  11. 11. ENREDO<br />Apresentação<br />Conflito<br />Complicação<br />Clímax<br />Desfecho<br />
  12. 12. PERSONAGENS<br />Caracterização física<br />Caracterização psicológica<br />Protagonista<br />Antagonista<br />Necessidade dramática<br />
  13. 13. TEMPO<br />Linearidade<br />Flash back<br />Flash foward<br />Tempo cronológico<br />Tempo psicológico<br />
  14. 14. ESPAÇO<br />Cenário<br />Relação necessária com o enredo<br />Ambiente social<br />
  15. 15. NARRADOR<br />Foco narrativo<br />Narrador-personagem (1ª pessoa)<br />Subjetividade<br />Limitação espaço-temporal<br />Narrador-observador (3ª pessoa)<br />Objetividade<br />Limitação espaço-temporal<br />Narrador-onisciente (3ª pessoa)<br />Liberdade narrativa<br />
  16. 16. TIPOS DE DISCURSO<br />Diversidade de vozes<br />Graus de participação do narrador<br />Liberdade ou subordinação de personagens<br />Marcas gramaticais<br />
  17. 17. DISCURSO DIRETO<br />Livre expressão da personagem<br />Reprodução fiel das palavras proferidas <br />No plano formal<br />o discurso direto é marcado, geralmente, pela presença de verbos do tipo dizer, afirmar, ponderar, sugerir, perguntar, indagar, responder e sinônimos, que podem introduzi-lo, fechá-lo ou nele se inserir.<br />pontuação específica e recursos gráficos ­ tais como dois pontos, aspas, travessão e a mudança de linha ­ a função de indicar as falas das personagens.<br />No plano expressivo<br />capacidade de atualizar o episódio<br />Vivacidade das personagens <br />exclamações, interrogações, interjeições, vocativos e imperativos<br />
  18. 18. DISCURSO INDIRETO<br />Incorporação do discurso da personagem ao discurso do narrador.<br />Foco na transmissão do conteúdo.<br /> No plano formal<br />Introdução por verbo declarativo (dizer, afirmar, ponderar, confessar, responder etc.)<br />Falas como oração subordinada substantiva, em geral desenvolvida.<br />No plano expressivo<br />Relato de caráter predominantemente informativo<br />O narrador subordina a si a personagem<br />Foco no pensamento, na essência significativa do enunciado reproduzido.<br />
  19. 19. INDIRETO LIVRE<br />Aproximação entre narrador e personagem<br />Fusão entre discursos<br />No plano formal<br />O emprego desse estilo pressupõe duas condições: a absoluta liberdade sintática do escritor (fator gramatical) e a sua completa adesão à vida da personagem (fator estético).<br />O discurso aparece liberado de qualquer fator subordinativo, embora mantenha as transposições características do discurso indireto.<br />Conserva as interrogações, exclamações, palavras e as frases das personagens na forma em que teriam sido ditas.<br />No plano expressivo<br />Narrativa mais fluente, de ritmo e tom mais artisticamente elaborados.<br />Nem sempre aparece isolado em meio a uma narração. Sua riqueza aumenta quando relacionado aos outros discursos<br />
  20. 20. Gênero dramático<br />Drama - em grego, significa "ação"<br />Texto para ser encenado<br />Alternância nas falas<br />Ausência de narrador<br />Rubricas de interpretação<br />Marcas de cenário e figurino<br />

×