O slideshow foi denunciado.

Grupo 02

824 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Grupo 02

  1. 1. Desenvolvimento tecnológico e armas de destruição em massa
  2. 2. <ul><li>&quot;Quando os ricos fazem a guerra, são sempre os pobres que morrem.&quot; </li></ul><ul><li>(Jean-Paul Sartre) </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Após a Segunda Guerra Mundial, o mundo foi dividido em dois blocos: capitalista e socialista. Gerou-se uma guerra que nunca foi declarada oficialmente, mas ameaçou acabar com a humanidade. A tensão gerada entre os dois lados acabou impulsionando a ciência e a tecnologia de forma jamais vista na sociedade. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>A guerra foi fundamental na criação da bomba atômica, do computador, da internet, relógio digital, chip de microcomputadores e até mesmo a viagem do homem à Lua. Sem a ameaça do bloco adversário, o desenvolvimento de satélites e foguetes se daria em outro ritmo, talvez nem existissem, por acharem que os aviões bombardeiros fossem a melhor condução de mísseis. Deslumbrados pelo grande poder destrutivo da bomba, os militares concentraram esforços e dinheiro, no desenvolvimento de artefatos nucleares, deixando descobertos outros setores de pesquisa. </li></ul><ul><li>O Minuteman foi o primeiro míssel balístico desenvolvido pelos EUA. (Segunda imagem) </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Os embates deram-se como uma partida de xadrez, cada movimento de um dos lados tinha uma resposta quase que imediata do outro lado. O primeiro teste nuclear foi conduzido pelos Estados Unidos em 16 de julho de 1945, durante o Projeto Manhattan, tendo recebido o nome de código Trinity. O teste teve como objectivo confirmar se o desenho de armas nucleares de tipo implosivo era praticável, e para dar aos cientistas e militares uma ideia qual o tamanho e efeitos de uma explosão nuclear antes de tais armas serem usadas em combate contra o Japão. Embora o ensaio tenha dado uma boa aproximação de muitos dos efeitos físicos da explosão, não contribuiu apreciavelmente para a compreensão das cinzas nucleares, as quais não foram compreendidas claramente pelos cientistas do Projecto até aos bombardeamentos de Hiroshima e Nagazaki. </li></ul><ul><li>Os Estados Unidos conduziram apenas seis testes antes da URSS desenvolver a sua primeira bomba atómica, de nome de código Joe 1, e testá-la a 29 de Agosto de 1949. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>• Na década de 50, a disputa ganha o espaço sideral com os soviéticos saindo na frente lançando seu primeiro míssil balístico intercontinental, o R7. Provavam assim que poderiam atingir os Estados Unidos sem decolar um único avião nem deslocar tropas de seu país. </li></ul><ul><li>• Com a mesma tecnologia já eram capazes de colocar um objeto em órbita e foi o que fizeram dois meses depois. Em outubro daquele ano, o mesmo foguete levou o Sputnik, uma esfera pouco maior que uma bola de basquete que entrou em órbita espalhando um sinal intermitente pelo espaço, tornando-se o primeiro satélite artificial do mundo. Em dezembro de 1957, os EUA responderiam com o Minuteman. </li></ul><ul><li>• Completando a primeira década da era espacial, uma das principais contribuições científicas da Guerra Fria viria em outubro de 1958 com a criação de uma das mais ilustres filhas do conflito: a NASA, a agência espacial norte-americana. Beneficiária do investimento americano na corrida espacial, a agência encabeçou os principais feitos espaciais do ocidente. Foi ela a responsável pelo projeto Apolo que levou o homem à Lua, em 1969; a resposta americana ao passeio, em 1961, de Yuri Gagarin, o primeiro homem a orbitar a Terra. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>• Os dois primeiros satélites de comunicações. À esq. o Echo 1, com capacidade para transmitir 12 ligações telefônicas simultâneas ou um canal de TV e á dir., o Telstar, que podia ampliar o sinal que recebia. </li></ul><ul><li>Muitas outras invenções foram tomando conta da disputa tecno-científica, como o primeiro satélite lançado ao espaço(ironicamente chamado Peacekeeper ), os mísses balísticos, satélite de comunicações(por trás eram de espionagem),o GPS, o micro-ondas e o forno. </li></ul>
  8. 8. Citando alguns que utilizamos muito atualmente, temos: • Os aparelhos automáticos para medir pressão arterial (encontrados nas portas das farmácias são a evolução de equipamentos desenvolvidos para astronautas, que precisavam de sistemas práticos para avaliar a saúde no espaço); • A válvula de um novo tipo de coração artificial foi inspirada em uma bomba de combustível de foguetes; • Marcapassos são monitorados graças à mesma tecnologia utilizada em satélites; • Até a Fórmula 1, famosa por ser uma grande fonte de tecnologia, copiou dos trajes espaciais os macacões anti-chamas de seus pilotos;
  9. 9. • Detectores de fumaça e de vazamento de gás, tão comuns em construções hoje em dia, vieram de pesquisas de similares que equipam veículos espaciais; • É graças ao espaço que os ortodontistas contam hoje com o Nitinol, uma liga que, por ser maleável e resistente, é muito empregada na fabricação de satélites e que agora também compõem os &quot;araminhos&quot; de muitos aparelhos ortodônticos e; • Asa-delta, invenção de um projetista da NASA
  10. 10. <ul><li>Portanto, a Guerra Fria foi a motivadora de grande parte do avanço científico e tecnológico do século XX. A mesma ciência continua desenvolvendo armas terríveis, e também beneficiando a humanidade com muitos de seus subprodutos. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Guerra Cirúrgica é a destruição de alvos estratégicos, como instalações militares governamentais ou industriais com armas sofisticadas como mísseis guiados por satélites ou bombas orientadas por laser. Isso foi permitido graças ao desenvolvimento da industria bélica, capaz de monitorar mísseis à distância. Com esse avanço tecnológico o número de &quot;inocentes&quot; mortos diminuiria, cidades não seriam devastadas, ou seja, somente o alvo, aquilo que eles (adversários) querem que seja destruído será atacado. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>&quot;Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus.” </li></ul><ul><li>(Albert Einstein) </li></ul>

×