Anim2 Aula11 Preço_Custo

592 visualizações

Publicada em

Animação - Preço, Custo de Produção

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
592
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anim2 Aula11 Preço_Custo

  1. 1. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 1 Como determinar o preço de uma animação?
  2. 2. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 2 Fatores que influenciam a formação do preço de uma animação •Tempo; •Complexidade do projeto em termos de design e implementação; •Qualificação técnica do profissional.
  3. 3. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 3 Tempo •Quanto tempo é necessário para a execução do projeto? •Em quanto tempo o cliente precisa do projeto? (menor tempo => maior o preço) Tópicos para verificação: •Disponibilidade de equipe para a execução do projeto. •Briefing e características do projeto. Características do projeto: •Softwares (interação); •Técnicas (2D, 3D, stop motion); •Detalhamentos (estilo, texturas, cores e etc.)
  4. 4. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 4 Complexidade do material •Quais os elementos necessários para o projeto? Tópicos para verificação: •Briefing; •Profissionais que precisam ser recrutados (especialista em áudio, modelador, intervalador, especialista em limpar desenhos, pintor, diretor de arte, etc); •Ambientes (locações) que precisam ser considerados; •Equipamentos necessários; •Detalhamento do material; •Necessidades específicas do público alvo.
  5. 5. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 5 Qualificação técnica do professional •Quais as habilidades exigidas do profissional executor do projeto? Tópicos para verificação: •Grau de experiência com projetos; •Portfólio; •Habilidade no uso dos softwares requeridos; •Diferencial no mercado (grife).
  6. 6. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 6 Conforme etapas do processo •Roteiro •Definições •Storyboard inicial •Personagem Desenvolvimento •Animação •Intervalação •Arte final •Colorização •Cenários •Bíblia •Storyboard •Personagem •Animatic •Áudio Pré-Produção Produção •Edição de Imagem •Edição de áudio •Efeitos –correções •Saída Pós-Produção
  7. 7. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 7 Desenvolvimento
  8. 8. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 8 http://www.ar.art.br/index.php/docs-da-ar/150-tabela-de-ar-valores-2013 Tabela de preços Associação dos roteiristas SERVIÇOS PARA CINEMA CURTA MÉDIA LONGA Argumento/sinopse 7,472.31 Roteiro Ficção Original* 8,881.38 17,773.43 32,024.19 Tratamento de Roteiro (a partir do terceiro tratamento) 7,397.59 Roteiro Adaptado 5,924.48 16,012.10 32,024.19 Roteiro Documentário* 8,881.38 17,773.43 32,024.19 Scrip Doctoring 7,472.31 Parecer 4,451.36
  9. 9. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 9 http://www.ar.art.br/index.php/docs-da-ar/150-tabela-de-ar-valores-2013 Tabela de preços Associação dos roteiristas Valores a serem negociados em contrato: •Participação em bilheteria (2%); •5% do orçamento final do filme; •Definição de número de tratamentos de roteiros (até 3); •Escalonamento de prazos de entrega de material (sinopse, escaleta, primeira versão de roteiro) e pagamentos
  10. 10. LAI-DI | DESIGN | UFPR • Matheus Cezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30 | 10 Pré-Produção
  11. 11. LAI-DI | DESIGN | UFPR • Matheus Cezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço Tabela de preços 30 | 11 Personagens conforme associação de ilustradores Valor inicial Valor médio Personagem micro empresa R$ 2,500.00 R$ 3,000.00 Personagem pequena empresa R$ 3,500.00 R$ 5,000.00 Personagem média empresa R$ 4,500.00 R$ 7,500.00 Personagem grande empresa R$ 8,000.00 R$ 20,000.00 Personagem para jogo multimídia R$ 2,000.00 R$ 3,000.00 Personagem produto R$ 3,000.00 R$ 6,000.00 http://www.marciomorais.com.br/referencia/referencia_valores_ilustracoes.pdf
  12. 12. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 12 Tabela de preços Conforme associação de ilustradores http://www.marciomorais.com.br/referencia/referencia_valores_ilustracoes.pdf Tabela feito em 2007que conta com preços médios pesquisados nos seguintes sites: http://www.hqmix.com.br/ http://www.sib.org.br/ http://acape.org.br/tabela‐de‐precos/ http://adegraf.blogspot.com/ http://www.sinaproce.com.br/tabela.php/ http://www.montalvomachado.com.br/ http://www.ampro.com.br/servicos/tabela_precos/ http://www.abemd.org.br/diretrizes/
  13. 13. LAI-DI | DESIGN | UFPR • Matheus Cezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço Produção 30 | 13
  14. 14. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 14 Sindcineé o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de: •São Paulo, •Paraná, •Santa Catarina, •Rio Grande do Sul, •Mato Grosso, •Mato Grosso do Sul, •Goiás, •Tocantins e •Distrito Federal. Tabela de preços | Sindcine
  15. 15. LAI-DI | DESIGN | UFPR • Matheus Cezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30 | 15 DIRETOR DE ANIMAÇÃO 2736,70 Por Semana ANIMADOR 1735,03 Por Semana ARTE-FINALISTA 1866,73 Por Semana ASSISTENTE DE DIRETOR DE ANIMAÇÃO 629,30 Por Semana ASSISTENTE DE ANIMAÇÃO 525,25 Por Semana ASSISTENTE DE ANIMADOR 497,59 Por Semana ESTAGIÁRIO 170,74 Por Semana http://filmmaker.com.br/2014/09/19/tabelas-de-piso-salarial-do-sindcine-2014-para-longa-media-curta-metragem- e-documentarios/ ATENÇÃO: As tabelas de piso são referentes a 6 horas diárias quando às filmagens forem realizadas em estúdio e de 8 horas diárias quando as filmagens forem realizadas em ambiente externo.
  16. 16. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 16 Pós-Produção
  17. 17. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 17 Custos extras que podem ser inseridos Taxas de urgência: •30% -trabalho envolvendo sábados, domingos e/ou feriados até as 18:00hs. •50% -trabalho envolvendo sábados, domingos e/ou feriados até as 00:00hs. •70% -trabalho envolvendo horas noturnas além das 00:00 hs em dias de semana. •100% -trabalho envolvendo horas noturnas além das 00:00 hs em sábados, domingos e feriados. Sketeria Estúdio<http://montalvomachado.com.br/tabela-2/>
  18. 18. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 18 O que é? “Uma base comum de ação, padrões reconhecíveis, diretrizes de comportamento para orientar a relação dos designers com seus colegas e com o mercado”. (ADG, 2002). Código de ética da ADG | honorários
  19. 19. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 19 O que diz sobre formação de preços? Artigo 11º -Os honorários profissionais devem ser fixados de acordo com as condições locais dos mercados de trabalho, atendidos os seguintes elementos: Código de ética da ADG | honorários
  20. 20. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 20 •A complexidade; •O trabalho e o tempo necessário; •A situação econômico-financeira do cliente e os benefícios que para este advirão de seu serviço; •O caráter do serviço a prestar; •O lugar da prestação de serviço; •O conceito profissional da classe; •As tabelas ou recomendações oficiais existentes, inclusive por resolução das entidades de classe. Código de ética da ADG | honorários
  21. 21. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 21 •Estabelecer o quanto cobrar talvez seja uma das maiores dificuldades dos designers; •A precificação, incluindo a margem de lucro, é que irão determinar se você (empresa) vai permanecer no mercado ou falir; •Mais do que criatividade, é a lucratividade dos seus projetos; “Precificação. Quanto valem os meus serviços?” Strunck, 2010
  22. 22. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 22 •Para o autor no cálculo dos preços, são muitas as variáveis; •A principal, o mercado e suarelação dinâmica entre quem quer vender e quem quer comprar; •Consultar colegas que já estão no mercado. Estabeleça preços médios e posicione-se neles, ou um pouco abaixo, ou acima. Strunck, 2010 “Precificação. Quanto valem os meus serviços?”
  23. 23. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 23 •O que vendemos? Nossa mercadoria são soluçõespara problemas de comunicação; •As soluções são frutos de uma árvore chamada TET. •Talento + Experiência + Tempo. Strunck, 2010 “Precificação. Quanto valem os meus serviços?”
  24. 24. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 24 TET = Talento + Experiência + Tempo •Talento: é uma qualidade nata. Não se aprende numa escola; •Experiência: ganha-se com a vida, durante os estudos e, principalmente, com nossos erros e acertos; •Tempo: é um recurso não renovável, cada minuto que vivemos é único, não volta mais. Strunck, 2010 “Precificação. Quanto valem os meus serviços?”
  25. 25. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 25 O grande desafio é transformar o TETem dinheiro. Para isso, o autor apresenta alguma dicas: •Cálculo da hora técnica; •Despesas fixas indiretas; •Política de preços. Strunck, 2010 “Precificação. Quanto valem os meus serviços?”
  26. 26. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 26 •Cálculo da hora técnica Adaptado, Strunck, 2010
  27. 27. LAI-DI | DESIGN | UFPR • Matheus Cezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30 | 27 • Despesas fixas indiretas Adaptado, Strunck, 2010
  28. 28. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 28 Política de preços •Grande exposição na mídia •Entrar em um novo mercado •Capacidade de horas esgotadas (terá que trabalhar fora do expediente) Strunck, 2010
  29. 29. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 29 Referências Strunck, 2010 AdgBrasil
  30. 30. LAI-DI | DESIGN | UFPR • MatheusCezarotto, Marcia Alves e André Battaiola Animação II | Formação de preço 30| 30 Referências

×