Tecido conjuntivo 1 parte 2015

1.451 visualizações

Publicada em

Estudo de tecido Conjuntivo Humano - 1 Parte

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.451
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecido conjuntivo 1 parte 2015

  1. 1. TECIDO CONJUNTIVO 2015 PROF. MSC. CLOVIS ROBERTO GURSKI PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  2. 2. Características gerais São responsáveis pelo estabelecimento e manutenção da forma do corpo. Do ponto de vista estrutural, seus componentes podem ser divididos em três classes: células, fibras e substância fundamental. Seu principal constituinte é matriz extracelular. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  3. 3. Principais funções PREENCHIMENTO SUSTENTAÇÃO TRANSPORTE RESERVA DEFESA PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  4. 4. TECIDO CONJUNTIVO – Origem oOs tecidos conjuntivos se originam do mesênquima, que é um tecido embrionário formado por células alongadas, apresentam núcleo oval, com cromatina fina e nucléolo proeminente. oO mesênquima se origina principalmente a partir do folheto mesoderma. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  5. 5. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  6. 6. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  7. 7. TECIDO CONJUNTIVO – Origem Podem se originar a partir de células multipotente (célula-tronco) da medula óssea vermelha. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  8. 8. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  9. 9. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  10. 10. ALGUNS TIPOS DE TECIDOS CONJUNTIVOS PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  11. 11. TECIDOS CONJUNTIVOS – Classificação As classificação dos tecidos conjuntivos baseia-se na proporção relativa entre os elementos da matriz extracelular e na composição de células. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  12. 12. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  13. 13. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  14. 14. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS FIBROBLASTOS Responsáveis pela produção de fibras e substância fundamental (estrutural). Forma: fusiforme com núcleo achatado. BLASTO: célula jovem capaz de formar algo PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  15. 15. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  16. 16. •Os fibroblastos são as células mais comuns do tecido conjuntivo, são capazes de modular sua capacidade metabólica, a qual vai refletir na sua morfologia. •As células com intensa atividade de síntese são denominadas fibroblastos, enquanto as células metabolicamente quiescentes são conhecidas como fibrócitos. •CITO: células adulta, sem capacidade de síntese. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  17. 17. FIBROBLASTOS PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  18. 18. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  19. 19. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  20. 20. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS MACRÓFAGOS Célula originada de um tipo de leucócito presente no sangue denominado monócito. Atua no combate a elementos estranhos ao corpo, na eliminação de restos celulares e em processos naturais de involução de certar estruturas. FAGO: Comer PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  21. 21. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS MACRÓFAGOS São células do tecido conjuntivo, envolvidos nos mecanismos de defesa dos fenômenos de fagocitose e pinocitose. Tipos: 1) Fixos = Histiócitos – são os macrófagos fixos com menor atividade fagocitária, 2) Livres = Macrófagos dotados de movimentos ameboides com superfície irregular. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  22. 22. MACRÓFAGO PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  23. 23. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  24. 24. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  25. 25. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  26. 26. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  27. 27. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  28. 28. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  29. 29. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  30. 30. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS MASTÓCITOS oCélula globulosa ou ovóide, com citoplasma rico em grânulos que armazenam principalmente heparina, um anticoagulante e histamina, que é liberado em reações alérgicas e inflamatórias, promovendo dilatação e aumento da permeabilidade dos vasos sanguíneos. Atuante nos fenômenos de anafilaxia. oCITO: Célula adulta PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  31. 31. MASTÓCITOS PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  32. 32. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  33. 33. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  34. 34. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS PLASMÓCITO: Célula grandes e ovoides pouco numerosas do tecido conjuntivo normal. Aparecem nos processos inflamatórios e também em locais sujeitos à invasão bacteriana, como na mucosa intestinal, mucosa do sistema respiratório. Derivada dos linfócitos B do sangue e que são responsáveis pela síntese de anticorpos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  35. 35. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  36. 36. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  37. 37. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  38. 38. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS CÉLULAS ADIPOSAS OU ADIPÓCITO:  Célula arredondada que armazena grande quantidade de gorduras neutras (triglicerídeos). PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  39. 39. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS Leucócitos ou glóbulos brancos: Os leucócitos ou glóbulos brancos são constituintes normais dos tecidos conjuntivos, vindos do sangue por migração (diapedese) através da parede de capilares e vênulas. A diapedese aumenta muito durante as invasões locais de microrganismos, uma vez que os leucócitos são células especializadas em defesa. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  40. 40. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS CÉLULAS Leucócitos ou glóbulos brancos: Os leucócitos não retornam ao sangue depois de terem residido no tecido conjuntivo, com exceção dos linfócitos que circulam continuamente em vários compartimentos do corpo. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  41. 41. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  42. 42. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS FIBRAS As fibras de tecido conjuntivo são formadas por proteínas que se polimerizam formando estruturas muito alongadas. Os três tipos principais de fibras são: as fibras Colágenas, as Reticulares e as Elásticas. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  43. 43. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS FIBRAS PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  44. 44. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  45. 45. ++++++++++++++++++++++++++++++++ +++++++++++++++++++++++++++ PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  46. 46. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS FIBRAS Fibras elásticas:são formadas por proteínas fibrosas associadas à elastina e recebem esse nome em função da boa elasticidade que apresentam. Essas fibras cedem facilmente a pressões, voltando ao estado normal quando as pressões terminam. Podem ser encontradas nas artérias, septos alveolares e cartilagem auricular. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  47. 47. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  48. 48. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  49. 49. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS FIBRAS Fibras colágenas: são formadas pela proteína colágeno, a mais abundante do corpo humano. As fibras resistentes à tração, podem formar feixes espessos. Ocorrem em grande número nos tendões, estruturas que ligam as extremidades dos músculos esqueléticos aos ossos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  50. 50. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  51. 51. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  52. 52. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  53. 53. 1.TECIDOS CONJUNTIVOS PROPRIAMENTE DITOS – PRINCIPAIS FIBRAS Fibras reticulares: também formadas por colágeno, mas são fibras finas que podem se ramificar. Elas recebem esse nome pois se entrelaçam formando um retículo. Ocorrem em grande número nos órgãos hemocitopoéticos, como o baço, linfonodos e medula óssea vermelha. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  54. 54. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO FIBRAS RETICULARES08/08/2015
  55. 55. Aplicação dos conhecimentos de histologia ESTRIAS e FLACIDEZ PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  56. 56. Estrias As estrias caracterizam-se por um rompimento das fibras elásticas que sustentam a camada intermediária da pele, formada por colágeno e elastina (responsáveis pela sua elasticidade e tonicidade). 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  57. 57. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  58. 58. As estrias são atrofias lineares formadas pelo rompimento das fibras elásticas e comprometimento do colágeno resultantes de um estresse mecânico (estiramento) ou estresse fisiológico (estímulo hormonal). 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  59. 59. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  60. 60. Quais as causas das estrias? São inúmeras as causas que levam a formação das estrias, sendo eles obesidade, qualidade do tecido conjuntivo, crescimento repentino, hereditariedade, alterações hormonais e gravidez. Com o tempo as estrias começam a alongar-se e tornam-se arroxeadas. Neste estágio a chance de sucesso no tratamento diminui, mas ainda é significativa. Quando as estrias assumem um tom branco-nacarado elas já estão mais largas, têm de 2mm a 4 mm. São as mais difíceis de tratar. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  61. 61. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  62. 62. Prevenção oO primeiro cuidado que precisamos ter para prevenir o surgimento de estrias refere-se ao hábito de hidratar a pele diariamente. Se você tem uma tendência a ter estrias é necessário que este hábito se transforme em um ritual diário. oUtilizar bons cremes com bases hidratantes, ricos em colágeno, elastina, óleos vegetais e outros agentes hidratadores é essencial à saúde da pele e certamente lhe garantirá excelentes resultados. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  63. 63. Flacidez oÉ o enfraquecimento das fibras de sustentação dos tecidos. Tanto poderá acometer a pele ou a musculatura esquelética. Com o passar dos anos as fibras destes tecidos vão diminuindo sua sustentação com o envelhecimento das estruturas de colágeno e elastina. oA flacidez corporal pode ser dividida em 2 tipos: a muscular, que é profunda, e a dérmica que é superficial. Podem ocorrer isoladamente ou associadas. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  64. 64. Vários fatores contribuem para acelerar este processo: fumo, sedentarismo, gravidez, distúrbios hormonais, obesidade, emagrecimento importante em curto espaço de tempo, entre outros que levam aos diversos graus de flacidez. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  65. 65. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  66. 66. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  67. 67. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  68. 68. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  69. 69. TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO FROUXO OU AREOLAR Neste tecido não há predominância de nenhum elemento embora as células mais comuns sejam os fibroblastos e os macrófagos; Suporta normalmente estruturas sujeitas a pressão e atritos pequenos. É um tecido conjuntivo muito comum que preenche espaços entre os grupos de células musculares, suporta células epiteliais e forma camadas em torno dos vasos sanguíneos. É também encontrado nas papilas da derme, na hipoderme, nas membranas serosas que reveste as cavidades peritoneais e pleuras e nas glândulas. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  70. 70. TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO FROUXO OU AREOLAR Exerce funções como preenchimento de espaços, nutrição de células epiteliais, defesa contra infecções e cicatrização. Envolve nervos, músculos, vasos sanguíneos e linfáticos e faz parte da estrutura de muitos órgãos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  71. 71. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  72. 72. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  73. 73. TECIDO CONJUNTIVO FROUXO PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  74. 74. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  75. 75. TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DENSO MODELADO É adaptado para oferecer resistência e proteção aos tecidos. É formado pelos mesmos componentes encontrados no tecido conjuntivo frouxo, entretanto, existem menos células e uma clara predominância de fibras colágenas. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  76. 76. TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DENSO MODELADO Apresenta feixes colágenos paralelos uns aos outros e alinhados com os fibroblastos. Os tendões representam o exemplo típico. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  77. 77. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO DENSO MODELADO DO TENDÃO 08/08/2015
  78. 78. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  79. 79. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  80. 80. TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DENSO NÃO MODELADO oQuando as fibras colágenas são organizadas em feixes sem uma orientação definida, formando uma trama tridimensional. oÉ encontrado, por exemplo, na derme profunda da pele. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  81. 81. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO DENSO NÃO MODELADO 08/08/2015
  82. 82. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  83. 83. TECIDO CONJUNTIVO ELÁSTICO Constituído por feixes espessos e paralelos de fibras elásticas. O espaço entre as fibras é ocupado por fibras delgadas de colágeno e fibroblastos achatados. O tecido elástico não é muito frequente no organismo e está presente nos ligamentos amarelos da coluna vertebral e no ligamento suspensor do pênis. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  84. 84. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  85. 85. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  86. 86. TECIDO CONJUNTIVO RETICULAR •O tecido reticular é muito delicado e forma uma rede tridimensional que suporta as células de alguns órgãos. É constituído por fibras reticulares intimamente associadas com fibroblastos especializados de chamados de células reticulares. •Esta disposto criando um ambiente especial para os órgãos linfoides e hematopoiéticos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  87. 87. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  88. 88. TECIDO CONJUNTIVO RETICULAR PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  89. 89. TECIDO CONJUNTIVO MUCOSO Neste tecido há predomínio de matriz extracelular amorfa. As principais células deste tecido são os fibroblastos. O tecido mucoso é o principal componente do cordão umbilical, onde ele é referido como geléia de Wharton. Encontra-se também na polpa jovem dos dentes. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  90. 90. Tecido conjuntivo mucoso de um embrião PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  91. 91. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  92. 92. TECIDO CONJUNTIVO ADIPOSO oÉ um tipo especial de tecido conjuntivo onde se observa predominância de células adiposas (adipócitos); oPodem ser encontradas isoladas ou em pequenos grupos no tecido conjuntivo comum, porem a maioria delas forma grandes agregados, constituindo o tecido adiposo espalhado pelo corpo. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  93. 93. TECIDO CONJUNTIVO ADIPOSO Corresponde a 20-25% do peso corporal da mulher e 15- 20% no homem; É o maior depósito corporal de energia, sob a forma de triglicerídeos; É muito influenciado por estímulos nervosos e hormonais; PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  94. 94. TECIDO CONJUNTIVO ADIPOSO Localizando-se embaixo da pele, modela a superfície, sendo em parte responsável pelas diferenças de contorno entre o corpo do homem e da mulher; Absorventes de choques, principalmente na planta dos pés e na palma das mãos; Contribui para o isolamento térmico do organismo; Preenche os espaços entre os tecidos, Auxilia a manter certos órgãos em suas posições normais. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  95. 95. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  96. 96. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO HISTOGÊNESE DAS CÉLULAS ADIPOSAS 08/08/2015
  97. 97. TECIDO CONJUNTIVO ADIPOSO Existem duas variedades de tecido adiposo: Unilocular e Multilocular Unilocular: as células apresentam uma só gota de lipídio que pressiona o núcleo para a periferia da célula. É relativamente bem vascularizado e, entre outros locais, é encontrado na hipoderme e ao redor de alguns órgãos como os rins e coração. Exerce função de reserva de energia, proteção contra choques mecânicos e isolamento térmico. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  98. 98. Varia entre o branco e o amarelo-escuro; Apresenta acúmulo de carotenos dissolvidos nas gotículas de gordura, Seu acumulo em certos locais é influenciado pelo sexo e idade da pessoa, essa disposição é regulada principalmente pelos hormônios sexuais e pelos hormônios produzidos pela glândula adrenal. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  99. 99. Tecido adiposo Unilocular de um mamífero jovem PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  100. 100. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  101. 101. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  102. 102. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  103. 103. TECIDO CONJUNTIVO ADIPOSO Multilocular: o núcleo das células é esférico e central e o citoplasma apresenta numerosas gotas de lipídios, É característico dos animais que hibernam. No homem, predomina no período fetal. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  104. 104. Tecido conjuntivo adiposo multilocular PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  105. 105. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  106. 106. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  107. 107. TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGINOSO Têm consistência rígida; Desempenha a função de suporte de tecidos moles, reveste superfície articulares, onde absorve choques, e facilita o deslizamento dos ossos nas articulações; É essencial para a formação e o crescimento dos ossos longos, na vida intra-uterina e depois do nascimento, Totalmente avascularizado, por isso, metabolismo baixo, sendo nutrido pelos capilares do conjuntivo envolvente (Pericôndrio). PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  108. 108. TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGINOSO oA cartilagem começa a se formara partir do 5º mês do desenvolvimento tendo origem nas células mesenquimosas, oApresenta-se formada por substância intercelular denominada matriz cartilaginosa e por células, os condroblastos, quando em intensa atividade metabólica, e em pouca atividade metabólica ficam em lacunas na matriz cartilaginosas os Condrócitos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  109. 109. o PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO Condrócitos Pericôndrio Pericôndrio 08/08/2015
  110. 110. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  111. 111. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  112. 112. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO HISTOGÊNESE DO TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGINOSO 08/08/2015
  113. 113. CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGINOSO Condroblastos: são semelhantes aos fibroblastos; Se localizam na periferia da cartilagem; São fusiforme com núcleo achatado, São responsáveis pela produção da matriz cartilaginosa. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  114. 114. CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGINOSO Condrócitos: Aparecem em lacunas dentro da matriz; São responsáveis para a manutenção da vitalidade da matriz cartilaginosa; Se um condrócito morre, toda a matriz que o envolve também morre; São responsáveis pela secreção de proteínas, São arredondadas e, em geral, aparecem em grupos, todos originados pela mitose de uma só célula, formando ninhos celulares ou cartilaginosos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  115. 115. CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGINOSO Os Condrócitos formam dentro da cartilagem grupos isógenos, que podem ser: 1. Axiais: se arranjam um sobre outros formando “pilhas de moedas” dentro das lacunas. Ex. cartilagem seriada dos discos epifisiários, 2. Coronários: formam uma coroa dentro das lacunas. Ex. cartilagem da traquéia. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  116. 116. GRUPO ISÓGENO CORONÁRIO GRUPO ISÓGENO AXIAL PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  117. 117. TIPOS DE CARTILAGENS De acordo com o predomínio de um dos componentes da matriz, as cartilagens são classificadas: 1. HIALINA: apresenta todos os componentes; 2. ELÁSTICA: predomina fibras elásticas, 3. FIBROSA: predomina fibra colágenas. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  118. 118. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  119. 119. CARTILAGEM HIALINA Seu nome vem do grego hylos=vidro; É o tipo mais frequentemente encontrado no corpo humano; A fresco é branco-azulada e translúcida; Forma o primeiro esqueleto do embrião, que posteriormente é substituído por esqueleto ósseo; É o responsável pelo crescimento do osso em extensão; PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  120. 120. CARTILAGEM HIALINA Sua superfície é lisa e ligeiramente elástica o que favorece os deslizamentos; No adulto, a cartilagem hialina é encontrada principalmente na parede das fossas nasais, traquéia e brônquios, na extremidade ventral das costelas e recobrindo as superfícies articulares dos ossos longos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  121. 121. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  122. 122. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGEM HIALINA 08/08/2015
  123. 123. Histogênese da cartilagem Hialina PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  124. 124. CARTILAGEM ELÁSTICA Possui poucas fibras de colágeno e muitas fibras de elastina em sua matriz; É encontrada no pavilhão auditivo, na tuba auditiva, na epiglote e em algumas partes da laringe; A presença de elastina confere a cor amarelada, quando examinada a fresco, Pode estar presente isoladamente ou formar uma peça cartilaginosa junto coma cartilagem hialina. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  125. 125. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGEM ELÁSTICA 08/08/2015
  126. 126. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  127. 127. CARTILAGEM FIBROSA É um tecido de transição entre cartilagem e tecido conjuntivo denso dos tendões; Os condrócitos formam fileiras alongadas; Não apresenta condroblastos; Cresce por proliferação dos Condrócitos centrais e, principalmente por adição de novos Condrócitos à superfície; É muito sujeita à degeneração; Quando lesadas, não se regeneram bem, É encontrado nos discos invertebrais , nos pontos em que alguns tendões e ligamentos se inserem nos ossos e na sínfise pubiana. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  128. 128. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGEM FIBROSA 08/08/2015
  129. 129. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  130. 130. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  131. 131. TECIDO CONJUNTIVO CARTILAGINOSO PERICÔNDRIO Envolve todas as cartilagens hialinas, exceto as cartilagens articulares; É uma fonte de novos Condrócitos para o crescimento, É responsável pela nutrição, oxigenação e eliminação dos refugos metabólicos da cartilagem. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  132. 132. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  133. 133. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  134. 134. TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO É um dos mais resistentes e rígidos tecidos do corpo humano; Principal constituinte do esqueleto; Serve de suporte para as partes moles e protege órgãos vitais, como os contidos nas caixas cranianas e torácica e no canal raquidiano; Aloja e protege a medula óssea, formadoras das células do sangue, Proporciona apoio aos músculos esqueléticos, transformando suas contrações em movimentos úteis. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  135. 135. TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO Constitui um sistema de alavancas que amplia as forças geradas na contração muscular; Funcionam como depósito de cálcio, fósforo e outros íons; Armazenamento de lipídios na medula óssea amarela (tutano) dos ossos longos, Todos os ossos são revestidos em suas superfícies externas e internas por membranas conjuntivas, o periósteo e o endósteo. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  136. 136. TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO oNos tecidos ósseos de um adulto, a matriz óssea é formada por aproximadamente 50% de matéria inorgânica e 50% de orgânicos; oDentre os materiais inorgânicos, os mais abundantes são fosfato e cálcio, oDentre os orgânicos, 95% correspondem as fibras colágenas. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  137. 137. TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO É formado por células e material extracelular calcificado, a matriz óssea; As células são: osteócitos, que se situam em cavidades ou lacunas no interior da matriz; os osteoblastos, produtores da parte orgânica da matriz e os osteoclastos, que são células gigantes que absorvem a matriz óssea, participando dos processos de remodelação dos ossos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  138. 138. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  139. 139. CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO OSTEOBLASTOS são células que constroem o tecido ósseo; pois produzem os componentes orgânicos da substância intercelular; Transforma-se em osteócitos; Surgem de células osteogênicas encontradas no endósteo e periósteo; Dispõem-se sempre nas superfícies ósseas, lado a lado, num arranjo que lembra um epitélio simples, Podem se apresentar com forma cubóide ou achatada, conforme a intensidade da atividade. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  140. 140. CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO OSTEÓCITOS São encontradas presas na matriz óssea, ocupando lacunas das quais partem canalículos que permitem as ligações celulares, Existe um só osteócito em cada lacuna; São células achatadas em forma de amêndoas, apresentando núcleo com cromatina condensada e citoplasma pobre em organóides. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  141. 141. CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO OSTEOCLASTOS São células móveis, gigantes, extensamente ramificadas irregulares com forma e espessura variáveis, polinucleadas, que contêm 6 a 50 ou mais núcleos. Encontrada habitualmente na borda do tecido ósseo (superfícies de reabsorção óssea). PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  142. 142. CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO Os osteoclastos são encarregados de absorção da matriz óssea desgastada, Derivam dos monócitos do sangue circulante, após atravessar a parede dos capilares dos ossos, os monócitos fundem-se para formar osteoclastos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  143. 143. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  144. 144. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  145. 145. TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  146. 146. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  147. 147. A FORMAÇÃO DOS OSSOS De acordo com a origem embriológica, há dois processos básicos da formação dos ossos: 1. Ossificação intramembranosa 2. Ossificação endocondral PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  148. 148. OSSIFICAÇÃO INTRAMEMBRANOSA Ocorre a partir de uma membrana do tecido conjuntivo embrionário, formador de ossos frontal, parietal e de partes do occipital, do temporal e dos maxilares superior e inferior; ossos curtos e para o crescimento em espessura dos ossos longos, Nessa membrana conjuntiva surgem centros de ossificação caracterizados pela transformação de células mesenquimatosas em osteoblastos, que produzem grande quantidade de fibras colágenas. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  149. 149. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  150. 150. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  151. 151. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  152. 152. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  153. 153. OSSIFICAÇÃO ENDOCONDRAL •É o processo mais comum de formação dos ossos; •Se caracteriza pela substituição de cartilagem hialina por osso, •Um exemplo desse tipo de ossificação é a formação do fêmur, a ossificação começa no centro e ao redor do molde cartilaginoso e dirige-se para as extremidades. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  154. 154. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  155. 155. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  156. 156. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  157. 157. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  158. 158. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  159. 159. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  160. 160. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  161. 161. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  162. 162. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  163. 163. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  164. 164. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  165. 165. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  166. 166. TIPOS DE TECIDO ÓSSEO ANATOMICAMENTE O OSSO É CLASSIFICADO 1. COMPACTO: sem cavidades visíveis,ex. diáfise. 2. ESPONJOSO: com muitas cavidades intercomunicastes, ex. epífise. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  167. 167. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  168. 168. TIPOS DE TECIDO ÓSSEO QUANTO A MORFOLOGIA • LONGOS: osso compacto na diáfise (corpo), osso esponjoso nas epífises (extremidade); • CURTOS: compacto na periferia, esponjoso no centro, • CHATOS: duas camadas compactas, uma externa e uma interna. Entre as camadas compactas aparece osso esponjoso.. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  169. 169. TIPOS DE TECIDOS ÓSSEOS PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  170. 170. TIPOS DE TECIDO ÓSSEO HISTOLOGICAMENTE EXISTEM DOIS TIPOS DE TECIDO ÓSSEO 1. IMATURO OU PRIMÁRIO 2. LAMELAR OU SECUNDÁRIO PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  171. 171. TECIDO ÓSSEO PRIMÁRIO É o primeiro tecido ósseo a ser formado e é substituído pelo tecido ósseo secundário; É pouco frequente no adulto e persiste apenas próximo as saturas dos ossos do crânio, nos alvéolos dentários e em alguns pontos de inserção dos tendões, Apresenta fibras colágenas sem organização definida, tem menor quantidade de minerais e relativamente maior número de osteócitos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  172. 172. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  173. 173. TECIDO ÓSSEO SECUNDÁRIO É o tipo geralmente encontrado no adulto; É formado pelos mesmos componentes do tecido ósseo imaturo; Difere por apresentar fibras colágenas organizadas em lamelas de 3 a 7 µm de espessura, orientadas paralelamente umas as outras. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  174. 174. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  175. 175. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  176. 176. A ESTRUTURA DOS OSSOS Quando as fibras colágenas dispõem-se em lamelas paralelas entre si ou em conjuntos de lamelas formam um sistema, chamado de sistema de Havers, tendo no centro um canal central ou interno, chamado de canal de Havers; Os canais centrais são revestidos por endósteo e percorrem o osso longitudinalmente; Em cada canal há vasos sanguíneos e nervos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  177. 177. A ESTRUTURA DOS OSSOS Em cortes transversais de osso compacto, pode-se observar ao redor de cada canal central várias lamelas e osteócitos que ficam entre uma lamela e outra; Os canais centrais comunicam-se entre si, com a cavidade medular e com a superfície externa do osso por meio de canais transversais ou oblíquos, chamados canais perfurantes ou canais de Volkmann, tendo em seu interior nervos e vasos. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  178. 178. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  179. 179. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO
  180. 180. INTERIOR DOS OSSOS No interior dos ossos está a medula óssea: 1. Vermelha: formadora de células do sangue; 2. Amarela: constituída por tecido adiposo e que não produz células do sangue. Obs.: no recém-nascido, toda a medula óssea é vermelha, já no adulto, a medula vermelha fica restrita ao esterno, vértebras, costelas, ossos do crânio e epífises do fêmur e do úmero. Com o passar dos anos, a medula óssea vermelha presente no fêmur e no úmero transforma-se em amarela. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  181. 181. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  182. 182. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  183. 183. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  184. 184. PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO Doação por AFÉRESE (Braço) Doação por Punção Direta (Bacia) 08/08/2015
  185. 185. BIBLIOGRAFIAS UTILIZADAS: Histologia Básica, Junqueira & Carneiro Atlas de Histologia, Shu-Xin-Zhang Biologia Celular e Molecular, Alberts e outros Fisiologia Humana, Guyton & Hall PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO08/08/2015
  186. 186. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO EDUCAR É SER UM ARTESÃO DA PERSONALIDADE, UM POETA DA INTELIGÊNCIA, UM SEMEADOR DE IDÉIAS. BOM ESTUDOS!
  187. 187. 08/08/2015 PROF. MSC. CLOVIS GURSKI - HISTOLOGIA HUMANA - TECIDO CONJUNTIVO PRÓXIMA AULA LABORATÓRIO! LAMINÁRIO DO TECIDO CONJUNTIVO, HEHEHE

×