SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Lentes Esféricas Delgadas
Definição


            É        feita     a
            nomenclatura     das
            lentes para indicar
            as    espécies    de
            dioptros associados,
            citando assim o
            nome da face que
            possui maior raio de
            curvatura.
            Quando há uma
            face plana, cita-se
            sempre o seu nome
            primeiro, pelo fato
            do raio de curvatura
            da face plana tender
            para o infinito.
Comportamento óptico
 Divergente                         Convergente




 O comportamento óptico depende do índice de refração da lente em
 relação ao índice de refração do meio. Geralmente nL > nmeio
Representações




Fi - foco imagem
Ai - ponto antiprincipal imagem (2x Fi)
Fo - foco objeto
Ao - ponto antiprincipal objeto (2x Fo)
O - centro óptico da lente
Raios de luz notáveis


 1º. Todo raio de luz que
 passe pelo foco objeto
 (F0) de uma lente esférica
 é refratado paralelo ao
 eixo principal.
Raios de luz notáveis



 2º. Todo raio de luz
 incidente paralelo ao eixo
 principal é refratado
 passando (ou seu
 prolongamento) pelo
 foco imagem (Fi).
Raios de luz notáveis


 3º. Todo raio de luz
 incidente, numa lente
 esférica delgada
 passando sobre o centro
 óptico da lente não sofre
 desvio ao ser refratado.
Raios de luz notáveis
 4º. Todo raio de luz
 incidente numa lente
 esférica que passe (ou
 seu alongamento) pelo
 ponto antiprincipal
 objeto (2F0) se refrata,
 passando (ou seu
 prolongamento) pelo
 ponto antiprincipal
 imagem (2Fi).
Construção geométrica das imagens
                   Lente convergente


                   Objeto antes do ponto
                   antiprincipal objeto

                   Imagem real
                   (convergência dos raios
                   que partem do sistema
                   óptico) invertida e menor
Construção geométrica das imagens


                   Lente convergente


                   Objeto sobre o ponto
                   antiprincipal objeto.

                   Imagem real, invertida e
                   igual.
Construção geométrica das imagens


                   Lente convergente


                   Objeto entre o ponto
                   antiprincipal objeto e o
                   foco objeto.

                   Imagem real, invertida e
                   maior.
Construção geométrica das imagens

 Lente convergente


 Objeto sobre o foco objeto.


 Imagem imprópria.
Construção geométrica das imagens


                   Lente convergente


                   Objeto entre o foco
                   objeto e o centro óptico

                   Imagem virtual, direita e
                   maior
Construção geométrica das imagens
         lente divergente



                   Na lente divergente a
                    imagem sempre será
                    virtual, direita e menor
                    quando o objeto for real.
Problemas de visão
Lentes esféricas delgadas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Refração da luz
Refração da luzRefração da luz
Refração da luz
fisicaatual
 
Espectros
EspectrosEspectros
Espectros
Ruben21
 
Slide Pêndulo Simples
Slide Pêndulo SimplesSlide Pêndulo Simples
Slide Pêndulo Simples
Eduardo Tuba
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
laizdiniz
 

Mais procurados (20)

Refração
 Refração Refração
Refração
 
Defeitos da visão humana
Defeitos da visão humanaDefeitos da visão humana
Defeitos da visão humana
 
Lentes
LentesLentes
Lentes
 
Refração da luz
Refração da luzRefração da luz
Refração da luz
 
O olho humano
O olho humanoO olho humano
O olho humano
 
Espectros
EspectrosEspectros
Espectros
 
A incomensurabilidade dos paradigmas
A incomensurabilidade dos paradigmasA incomensurabilidade dos paradigmas
A incomensurabilidade dos paradigmas
 
Luz
LuzLuz
Luz
 
Libertismo
Libertismo Libertismo
Libertismo
 
Slide Pêndulo Simples
Slide Pêndulo SimplesSlide Pêndulo Simples
Slide Pêndulo Simples
 
Espectros
EspectrosEspectros
Espectros
 
Óptica Geométrica - Princípios Fundamentais
Óptica Geométrica - Princípios FundamentaisÓptica Geométrica - Princípios Fundamentais
Óptica Geométrica - Princípios Fundamentais
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Óptica da Visão e Lentes
Óptica da Visão e LentesÓptica da Visão e Lentes
Óptica da Visão e Lentes
 
Instrumentos Ópticos
Instrumentos ÓpticosInstrumentos Ópticos
Instrumentos Ópticos
 
Óptica introdução
Óptica introduçãoÓptica introdução
Óptica introdução
 
olho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visaoolho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visao
 
Refração da luz
Refração da luzRefração da luz
Refração da luz
 
Evolução sobre os modelos atómicos
Evolução sobre os modelos atómicosEvolução sobre os modelos atómicos
Evolução sobre os modelos atómicos
 

Destaque (20)

Anfíbios
AnfíbiosAnfíbios
Anfíbios
 
Filo echinodermata
Filo echinodermataFilo echinodermata
Filo echinodermata
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Fruto
FrutoFruto
Fruto
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações
 
Divisão celular 03
Divisão celular  03Divisão celular  03
Divisão celular 03
 
Composição química celular continuação
Composição química celular continuaçãoComposição química celular continuação
Composição química celular continuação
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Flor – morfologia e anatomia
Flor – morfologia e anatomiaFlor – morfologia e anatomia
Flor – morfologia e anatomia
 
Tecidos de condução de seiva novo
Tecidos de condução de seiva novoTecidos de condução de seiva novo
Tecidos de condução de seiva novo
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
áCidos nucléicos parcial
áCidos nucléicos parcialáCidos nucléicos parcial
áCidos nucléicos parcial
 
Peixes
PeixesPeixes
Peixes
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Composição química das células
Composição química das célulasComposição química das células
Composição química das células
 
Filo chordata
Filo chordataFilo chordata
Filo chordata
 
Introdução à biologia celular
Introdução à biologia celularIntrodução à biologia celular
Introdução à biologia celular
 
Histologia
HistologiaHistologia
Histologia
 
Tecido epitelial
Tecido epitelialTecido epitelial
Tecido epitelial
 

Semelhante a Lentes esféricas delgadas

Espelhos e
Espelhos eEspelhos e
Espelhos e
Ph Neves
 
Espelhos Esféricos
Espelhos EsféricosEspelhos Esféricos
Espelhos Esféricos
Ph Neves
 
Optica geométrica (espelhos esféricos) sem ppt
Optica geométrica (espelhos esféricos) sem pptOptica geométrica (espelhos esféricos) sem ppt
Optica geométrica (espelhos esféricos) sem ppt
Isabella Silva
 
Espelhos esféricos
Espelhos esféricosEspelhos esféricos
Espelhos esféricos
tiowans
 
Optica geométrica (espelhos esféricos) marista
Optica geométrica (espelhos esféricos) maristaOptica geométrica (espelhos esféricos) marista
Optica geométrica (espelhos esféricos) marista
Isabella Silva
 
17 Espelhos
17 Espelhos17 Espelhos
17 Espelhos
Eletrons
 
c3b3ptica-geomc3a9trica.ppt
c3b3ptica-geomc3a9trica.pptc3b3ptica-geomc3a9trica.ppt
c3b3ptica-geomc3a9trica.ppt
Huang76142
 

Semelhante a Lentes esféricas delgadas (20)

Espelhos esféricos I
Espelhos esféricos IEspelhos esféricos I
Espelhos esféricos I
 
Trabalho 2 fisica 4
Trabalho 2   fisica 4 Trabalho 2   fisica 4
Trabalho 2 fisica 4
 
Óptica geométrica
Óptica geométricaÓptica geométrica
Óptica geométrica
 
Espelhos esféricos
Espelhos esféricosEspelhos esféricos
Espelhos esféricos
 
Prova 2° ano
Prova 2° anoProva 2° ano
Prova 2° ano
 
Espelhos
EspelhosEspelhos
Espelhos
 
Espelhos e
Espelhos eEspelhos e
Espelhos e
 
Espelhos Esféricos
Espelhos EsféricosEspelhos Esféricos
Espelhos Esféricos
 
Optica geométrica (espelhos esféricos) sem ppt
Optica geométrica (espelhos esféricos) sem pptOptica geométrica (espelhos esféricos) sem ppt
Optica geométrica (espelhos esféricos) sem ppt
 
Espelho Esférico
Espelho EsféricoEspelho Esférico
Espelho Esférico
 
Aula 18 refração da luz
Aula 18   refração da luzAula 18   refração da luz
Aula 18 refração da luz
 
Ondas - Reflexão Luminosa - EP & EE.pptx
Ondas - Reflexão Luminosa - EP & EE.pptxOndas - Reflexão Luminosa - EP & EE.pptx
Ondas - Reflexão Luminosa - EP & EE.pptx
 
Espelhos esfericos resumo
Espelhos esfericos   resumoEspelhos esfericos   resumo
Espelhos esfericos resumo
 
Espelhos esféricos
Espelhos esféricosEspelhos esféricos
Espelhos esféricos
 
Optica geométrica (espelhos esféricos) marista
Optica geométrica (espelhos esféricos) maristaOptica geométrica (espelhos esféricos) marista
Optica geométrica (espelhos esféricos) marista
 
Aula 17 espelhos
Aula 17   espelhosAula 17   espelhos
Aula 17 espelhos
 
17 Espelhos
17 Espelhos17 Espelhos
17 Espelhos
 
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
 
c3b3ptica-geomc3a9trica.ppt
c3b3ptica-geomc3a9trica.pptc3b3ptica-geomc3a9trica.ppt
c3b3ptica-geomc3a9trica.ppt
 
Lentes
LentesLentes
Lentes
 

Mais de profatatiana

Procariotos e eucariotos
Procariotos e eucariotosProcariotos e eucariotos
Procariotos e eucariotos
profatatiana
 
Sistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor feminino Sistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor feminino
profatatiana
 
Sistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médioSistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médio
profatatiana
 
áCidos nucléicos
áCidos nucléicosáCidos nucléicos
áCidos nucléicos
profatatiana
 
Morfologia e anatomia vegetal Caule
Morfologia e anatomia vegetal CauleMorfologia e anatomia vegetal Caule
Morfologia e anatomia vegetal Caule
profatatiana
 
Sistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médioSistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médio
profatatiana
 
Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-
profatatiana
 

Mais de profatatiana (13)

Tecido conjuntivo
Tecido conjuntivoTecido conjuntivo
Tecido conjuntivo
 
Procariotos e eucariotos
Procariotos e eucariotosProcariotos e eucariotos
Procariotos e eucariotos
 
Anfíbios
AnfíbiosAnfíbios
Anfíbios
 
Sistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor feminino Sistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor feminino
 
Sistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médioSistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médio
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
 
áCidos nucléicos
áCidos nucléicosáCidos nucléicos
áCidos nucléicos
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
 
Morfologia e anatomia vegetal Caule
Morfologia e anatomia vegetal CauleMorfologia e anatomia vegetal Caule
Morfologia e anatomia vegetal Caule
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriologia44
Embriologia44Embriologia44
Embriologia44
 
Sistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médioSistema reprodutor masculino ensino médio
Sistema reprodutor masculino ensino médio
 
Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-
 

Lentes esféricas delgadas

  • 2. Definição É feita a nomenclatura das lentes para indicar as espécies de dioptros associados, citando assim o nome da face que possui maior raio de curvatura. Quando há uma face plana, cita-se sempre o seu nome primeiro, pelo fato do raio de curvatura da face plana tender para o infinito.
  • 3. Comportamento óptico  Divergente  Convergente O comportamento óptico depende do índice de refração da lente em relação ao índice de refração do meio. Geralmente nL > nmeio
  • 4. Representações Fi - foco imagem Ai - ponto antiprincipal imagem (2x Fi) Fo - foco objeto Ao - ponto antiprincipal objeto (2x Fo) O - centro óptico da lente
  • 5. Raios de luz notáveis  1º. Todo raio de luz que passe pelo foco objeto (F0) de uma lente esférica é refratado paralelo ao eixo principal.
  • 6. Raios de luz notáveis  2º. Todo raio de luz incidente paralelo ao eixo principal é refratado passando (ou seu prolongamento) pelo foco imagem (Fi).
  • 7. Raios de luz notáveis  3º. Todo raio de luz incidente, numa lente esférica delgada passando sobre o centro óptico da lente não sofre desvio ao ser refratado.
  • 8. Raios de luz notáveis  4º. Todo raio de luz incidente numa lente esférica que passe (ou seu alongamento) pelo ponto antiprincipal objeto (2F0) se refrata, passando (ou seu prolongamento) pelo ponto antiprincipal imagem (2Fi).
  • 9. Construção geométrica das imagens  Lente convergente  Objeto antes do ponto antiprincipal objeto  Imagem real (convergência dos raios que partem do sistema óptico) invertida e menor
  • 10. Construção geométrica das imagens  Lente convergente  Objeto sobre o ponto antiprincipal objeto.  Imagem real, invertida e igual.
  • 11. Construção geométrica das imagens  Lente convergente  Objeto entre o ponto antiprincipal objeto e o foco objeto.  Imagem real, invertida e maior.
  • 12. Construção geométrica das imagens  Lente convergente  Objeto sobre o foco objeto.  Imagem imprópria.
  • 13. Construção geométrica das imagens  Lente convergente  Objeto entre o foco objeto e o centro óptico  Imagem virtual, direita e maior
  • 14. Construção geométrica das imagens lente divergente  Na lente divergente a imagem sempre será virtual, direita e menor quando o objeto for real.