21/04/2014
1
Curso de formação
em Gestão de obras
Disciplina: Materiais de construção
Prof. Nicodemos
12/04/14
Aula 3 e 4 ...
21/04/2014
2
Pag. 108 Pag. 108
3.2.2. CLASSIFICAÇÃO QUANTO À DIMENSÃO DOS GRÃOS
Agregados Graudos Agregados Miudo
A indica...
21/04/2014
3
Anote os dados dos próximos slides, para realização dos
cálculos das porcentagens retidas e acumuladas
Granul...
21/04/2014
4
21/04/2014
5
2ª DETERMINAÇÃO
21/04/2014
6
8,4 g
8,4 g
15,1 g
28,9 g 147.7 g
21/04/2014
7
242,9 g 63,4 g
18,4 g
% Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100%
0-------- X
% Retida = regra de 3 Total:...
21/04/2014
8
% Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100%
9,6-------- X
% Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100%
1...
21/04/2014
9
% Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100%
23,6------- X
Módulo de finura da areia
3.2.2. CLASSIFICAÇÃO Q...
21/04/2014
10
 MASSA ESPECÍFICA REAL:
De acordo com a massa específica aparente os agregados podem
ser: leves (argila exp...
21/04/2014
11
 MASSA ESPECÍFICA REAL:
De acordo com a massa específica aparente os agregados podem
ser: leves (argila exp...
21/04/2014
12
Cimento = Aglomerante
Material ligante que tem por objetivo promover a união entre os
grãos dos agregados.
A...
21/04/2014
13
As escórias de alto-forno são obtidas durante
a produção de ferro-gusa
nas indústrias siderúrgicas e se asse...
21/04/2014
14
A adição de material carbonático, serve também
para tornar os concretos e as argamassas mais
trabalháveis,
p...
21/04/2014
15
• Cimento Portland CP II (NBR 11578)
– É uma espécie de cimento comum modificado
– Gera calor em uma velocid...
21/04/2014
16
• Cimento Portland Branco (CPB) – (NBR 12989)
–Classificado em dois subtipos:
•Estrutural: aplicado em concr...
21/04/2014
17
O ensaio para determinar a classe de resistência do
cimento é descrito em detalhes na NBR 7215 e de
forma re...
21/04/2014
18
21/04/2014
19
• Sacos
– Galpões fechados
– Estrados de madeira a 10cm do solo e a 10cm das paredes
– Empilhamento máximo: ...
21/04/2014
20
v
E o que é o Slump teste?
É o ensaio de abatimento, realizado com uma
amostra do concreto fresco para garan...
21/04/2014
21
Slump 80 10mm
CONCRETO
ALTO
ADENSÁVEL
200 30 mm
(C. Alto Adensável)
A principal característica do concreto f...
21/04/2014
22
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

3º e 4 aula agregados e concreto

1.974 visualizações

Publicada em

curso gestor de obras aulas 3º e 4º

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.974
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
137
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3º e 4 aula agregados e concreto

  1. 1. 21/04/2014 1 Curso de formação em Gestão de obras Disciplina: Materiais de construção Prof. Nicodemos 12/04/14 Aula 3 e 4 – Agregados e concreto AGREGADOS PARA CONCRETO INTRODUÇÃO A NBR 9935(ABNT,1987) define agregado como o material: • Granular • Pétreo (duro, inflexible, tenaz), • Sem forma ou volume definido, • Relativamente Inerte • Origem: Natural ou Artificial 3.2. CLASSIFICAÇÃO DOS AGREGADOS 3.2.1. CLASSIFICAÇÃO QUANTO À ORIGEM Pag. 108 Os agregados naturais são aqueles encontrados em jazidas naturais ou que necessita de pequeno processamento. Areia Britada Pedra Britada Granito rocha ígnea intrusiva Gnaisse rocha metamórfica Basalto rocha ígnea eruptiva Agregados artificiais são aqueles que, após sua extração da natureza, passam por um processo de industrialização.
  2. 2. 21/04/2014 2 Pag. 108 Pag. 108 3.2.2. CLASSIFICAÇÃO QUANTO À DIMENSÃO DOS GRÃOS Agregados Graudos Agregados Miudo A indicação da peneira refere-se à abertura da malha ou ao número de malhas quadradas, por polegada linear. Granulometria por peneiramento Porcentagem retida Porcentagem Acumulada Módulo de finura Diâmetro máximo AGREGADOS Análise granulométrica - Porcentagem retida: é a porcentagem de material retido em uma determinada peneira. - Porcentagem acumulada: é a soma das porcentagens retidas em uma determinada peneira e nas outras que lhe ficam acima da numeração. - Módulo de finura: é a soma das porcentagens acumuladas em todas as peneiras da série normal, dividida por 100. Quanto maior o módulo de finura mais grosso será o agregado.
  3. 3. 21/04/2014 3 Anote os dados dos próximos slides, para realização dos cálculos das porcentagens retidas e acumuladas Granulometria 1ª DETERMINAÇÃO
  4. 4. 21/04/2014 4
  5. 5. 21/04/2014 5 2ª DETERMINAÇÃO
  6. 6. 21/04/2014 6 8,4 g 8,4 g 15,1 g 28,9 g 147.7 g
  7. 7. 21/04/2014 7 242,9 g 63,4 g 18,4 g % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 0-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 0 ------- X
  8. 8. 21/04/2014 8 % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 9,6-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 16,6------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 31,7------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 132,8-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 234,1-------- X % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 79,4------- X
  9. 9. 21/04/2014 9 % Retida = regra de 3 Total: 527,8--------100% 23,6------- X Módulo de finura da areia 3.2.2. CLASSIFICAÇÃO QUANTO À DIMENSÃO DOS GRÃOS Agregado graúdo quando pelo menos 95% de sua massa é retida na peneira de malha 4,8 mm e passa na peneira 152 mm. Os agregados podem ser divididos em graúdos e miúdos. Agregado miúdo : Os grãos passam na peneira de malha 4,8 mm e ficam retidos na de 0,075 mm. Podem ser classificados como areia fina, média e grossa.
  10. 10. 21/04/2014 10  MASSA ESPECÍFICA REAL: De acordo com a massa específica aparente os agregados podem ser: leves (argila expandida, pedra-pomes, vermiculita), normais (pedras britadas, areias, seixos), e pesados (hematita, barita, magnetita). + Cimento + Água PASTA Pag. 108 Pag. 108
  11. 11. 21/04/2014 11  MASSA ESPECÍFICA REAL: De acordo com a massa específica aparente os agregados podem ser: leves (argila expandida, pedra-pomes, vermiculita), normais (pedras britadas, areias, seixos), e pesados (hematita, barita, magnetita). • Desmontadascom explosivos, elas são transportadas, geralmente por caminhões, até a instalação de britagem, onde as pedras são reduzidas a dimensões adequadas ao processamento industrial. Calcários para a indústria de cimento CIMENTO = calcário (80% a 95% ) + argila (5% a 20%) e pequenas quantidades de minério de ferro = clinquer O calcário fornece o óxido de cálcio A argila fornece sílica, óxido de alumínio e óxido de ferro. Calcários para a indústria da cal • A cal é o resultado da calcinação de rochas calcárias quando aquecidas em fornos a temperaturas superiores a 725ºC. • Têm seu maior emprego na construção civil como aglomerante, dando-se preferência às cales magnesianas ou dolomíticas Concreto e dosagem É uma mistura de: Pedras grandes e pequenas - agregados graúdos. Areia – agregados míudos Cola – cimento O concreto é uma tentativa de reconstrução da pedra natural. As pedras e a areia(inertes) são usadas umas para ocupar os espaços deixados pelas outras e o cimento molhado aglomera tudo.
  12. 12. 21/04/2014 12 Cimento = Aglomerante Material ligante que tem por objetivo promover a união entre os grãos dos agregados. AGLOMERANTE ÁGUA CONCRETO+ =AGREGADO + Cimento . O cimento é um aglomerante hidráulico produzido a partir de uma mistura de rocha calcária e argila. A finura é uma propriedade que influencia diretamente a velocidade da reação de hidratação do cimento, pois a hidratação ocorre em função do contato do cimento com a água. Quanto maior a finura, menor será o tamanho do grão do cimento, maior será a superfície exposta e, portanto, maior a velocidade de reação. O clínquer tem como matérias-primas o calcário e a argila, ambos obtidos de jazidas em geral situadas nas proximidades das fábricas de cimento. A rocha calcária é primeiramente britada, depois moída e em seguida misturada, em proporções adequadas, com argila moída. O gesso tem como função básica controlar o tempo de pega, isto é, o início do endurecimento do clínquer moído quando este é misturado com água.
  13. 13. 21/04/2014 13 As escórias de alto-forno são obtidas durante a produção de ferro-gusa nas indústrias siderúrgicas e se assemelham aos grãos de areia. O resultado é um produto de natureza granular que finamente moído adquire propriedades cimentantes e quando adicionado ao cimento contribui na redução do calor de hidratação, da exsudação e da segregação em concretos. Os materiais pozolânicos são rochas vulcânicas ou certos tipos de argilas queimadas em elevadas temperaturas (550oC a 900oC), ligante hidráulico: A reação só vai acontecer se, além da água, os materiais pozolânicos moídos em grãos finíssimos também forem colocados em presença de mais um outro material, o clinquer. O emprego das pozolanas como adição do cimento melhora a trabalhabilidade e resistência do concreto, além de aumentar a durabilidade e diminuir a vulnerabilidade aos meios agressivos, como ambientes marítimos e expostos a sulfatos. O clínquer é justamente um desses materiais, no processo de hidratação, libera hidróxido de cálcio (cal) que reage com a pozolana. Esse é o motivo pelo qual a adição de materiais pozolânicos ao clínquer Os materiais carbonáticos são rochas moídas, que apresentam carbonato de cálcio em sua constituição tais como o próprio calcário.
  14. 14. 21/04/2014 14 A adição de material carbonático, serve também para tornar os concretos e as argamassas mais trabalháveis, porque os grãos ou partículas desses materiais moídos têm dimensões adequadas para se alojar entre os grãos ou partículas dos demais componentes do cimento, funcionando como um verdadeiro lubrificante. Quando presentes no cimento são conhecidos como fíler calcário. Materiais carbonáticos - F •De acordo com as adições: (gesso, material carbonático, escoria de alto forno e pozolana) e com a resistência à compressão mínima que atinge em 28 dias, o cimento recebe uma nomenclatura composta das seguintes partes: simples – I composto – II de alto forno –III pozolânico – IV ARI ( alta resistência) - V E: escoria Z: pozolana F: filler • Cimento Portland Comum CP I e CP I-S (NBR 5732) –Sem quaisquer adições além do gesso, é muito adequado para o uso em construções de concreto em geral quando não há exposição a sulfatos do solo ou de águas subterrâneas; Aplicações dos tipos de cimento + • Cimento Portland Comum CP I e CP I-S (NBR 5732) –É usado em serviços de construção em geral, quando não são exigidas propriedades especiais do cimento; –Também é oferecido ao mercado o Cimento Portland Comum com Adições CP I-S, com 5% de material pozolânico em massa, recomendado para construções em geral, com as mesmas características. Aplicações dos tipos de cimento + + 5% de pozolana
  15. 15. 21/04/2014 15 • Cimento Portland CP II (NBR 11578) – É uma espécie de cimento comum modificado – Gera calor em uma velocidade menor do que o gerado pelo Cimento Portland Comum; – Seu uso é mais indicado em lançamentos maciços de concreto, onde o grande volume da concretagem e a superfície relativamente pequena reduzem a capacidade de resfriamento da massa; – Apresenta melhor resistência ao ataque dos sulfatos contidos no solo; – Recomendado para obras correntes de engenharia civil sob a forma de argamassa, concreto simples, armado e protendido, elementos pré-moldados e artefatos de cimento. • Cimento Portland CP II-Z • (com adição de material pozolânico): empregado em obras civis em geral, subterrâneas, marítimas e industriais; + + Pozolana = CPII- Z • Cimento Portland Composto CP II-E • (com adição de escória granulada de alto-forno): combina com bons resultados o baixo calor de hidratação com o aumento de resistência do Cimento Portland Comum. + + Escoria = CPII- E •Cimento Portland Composto CP II-F • (com adição de material carbonático - fíller): para aplicações gerais. Pode ser usado em argamassas de assentamento, revestimento, argamassa armada, concreto simples, armado, protendido, projetado, rolado, magro, concreto-massa, elementos pré- moldados e artefatos de concreto, pisos e pavimentos de concreto, solo-cimento, dentre outros. + + Filler = CPII- F • Cimento Portland de Alto Forno CP III – (com escória - NBR 5735) • emprego das pozolanas como adição – É um tipo de cimento que apresenta maior impermeabilidade e durabilidade, baixo calor de hidratação, alta resistência à expansão - reação álcali- agregado, resistente a sulfatos; – Pode ter aplicação geral, mas é particularmente vantajoso em obras de concreto-massa, tais como barragem, peças de grandes dimensões, pilares. – Obras em ambiente agressivos, esgotos, efluente industriais, pilares de pontes, pavimentação de estradas e pistas de aeroportos • Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação (BC) - (NBR 13116) – Designado por siglas e classes de seu tipo, acrescidas de BC. Por exemplo: CP III-32 (BC) é o Cimento Portland de Alto-Forno com baixo calor de hidratação, determinado pela sua composição; – Este tipo de cimento tem a propriedade de retardar o desprendimento de calor em peças de grande massa de concreto.
  16. 16. 21/04/2014 16 • Cimento Portland Branco (CPB) – (NBR 12989) –Classificado em dois subtipos: •Estrutural: aplicado em concretos brancos para fins arquitetônicos, com classes de resistência 25, 32 e 40, similares às dos demais tipos de cimento •Não estrutural: não tem indicações de classe e é aplicado, por exemplo, em rejuntamento de azulejos e em aplicações não estruturais. • Cimento Portland CP IV – 32 • emprego das pozolanas como adição – Para obras correntes, sob a forma de argamassa, concreto simples, armado e protendido, elementos pré-moldados e artefatos de cimento; – É especialmente indicado em obras expostas à ação de água corrente e ambientes agressivos; – Torna o concreto mais impermeável, mais durável, apresentando resistência mecânica à compressão superior à do concreto feito com Cimento Portland Comum, a idades avançadas; – Apresenta características particulares que favorecem sua aplicação em casos de grande volume de concreto devido ao baixo calor de hidratação. • Cimento Portland CP V ARI - (Alta Resistência Inicial - NBR 5733) – Possui valores aproximados de resistência à compressão? de 26 Mpa? a 1 dia de idade e de 53 MPa aos 28 dias; – É recomendado no preparo de concreto e argamassa para produção de artefatos de cimento elementos arquitetônicos pré-moldados e pré-fabricados; – Pode ser utilizado em todas as aplicações que necessitem de resistência inicial elevada e desforma rápida. O desenvolvimento dessa propriedade é conseguido pela utilização de uma dosagem diferente de calcário e argila na produção do clínquer, e pela moagem mais fina do cimento. Um mesmo tipo de cimento pode ter diferentes classes de resistência, representada por um número correspondente à resistência em megapascais (Mpa), obtida em ensaio específico. Pascal: Pressão exercida por uma força de 1 Kg sobre uma área de 1m2, de forma distribuída. Força = N = 1Kg . m/s2 Pressão = 1N / m2 = 1Pa (1 Pascal) Mega (Mega Sena) é na casa de 1 Mega Pascal (MPa) = 1 milhão de Pascal ‘’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’ = 10,1972 Kgf/cm² 32 Mega Pascal = 32 MPa = 326,3104 Kgf/cm²
  17. 17. 21/04/2014 17 O ensaio para determinar a classe de resistência do cimento é descrito em detalhes na NBR 7215 e de forma resumida consiste em moldar amostras (também chamadas de corpos-de-prova) de uma argamassa composta por 1 medida do cimento a ser analisado e 3 medidas de areia , 1 : 3. As amostras são mantidas em condições adequadas e ensaiadas em idades de 1, 3, 7 e 28 dias. Os resultados mínimos de resistência devem ser de: A resistência mínima aos 28 dias é a classe de resistência do cimento.
  18. 18. 21/04/2014 18
  19. 19. 21/04/2014 19 • Sacos – Galpões fechados – Estrados de madeira a 10cm do solo e a 10cm das paredes – Empilhamento máximo: 10 sacos – Tempo máximo: 30 dias (canteiro) Armazenamento Armazenamento Mas, o que é FCK ? O (fck) é um sigla que significa a resistência característica do concreto aos 28 dias para efeito de dimensionamento e cálculo estrutural do (PROJETO). Ou seja, é a resistência mínima que o concreto deve atender dentro de uma análise estatística, para que garanta a estabilidade da estrutura. Mas, o que é FCK ? O (fck) é um sigla que significa a resistência característica do concreto para efeito de dimensionamento e cálculo estrutural do (PROJETO). Mas, o uqe é o Fcj? O Fcj é o cálculo da resistência média aos 28 dias de todas as amostras colhidas de do concreto. O j = 28 dias
  20. 20. 21/04/2014 20 v E o que é o Slump teste? É o ensaio de abatimento, realizado com uma amostra do concreto fresco para garantir a constância água/cimento, que garante: Consistência, Plasticidade, Trabalhabilidade. O concreto fresco é moldado em 3 camadas, iguais e adensadas, cada uma com 25 golpes Abat. Slump teste: O concreto fresco é moldado em 3 camadas, iguais e adensadas, cada uma com 25 golpes
  21. 21. 21/04/2014 21 Slump 80 10mm CONCRETO ALTO ADENSÁVEL 200 30 mm (C. Alto Adensável) A principal característica do concreto fresco é a trabalhabilidade. O que define a trabalhabilidade exigida é: 1- O tipo de Obra ( dimensões das peças) 2- O afastamento e distribuição das barras das armaduras 3- O método de lançamento, bombeável ou não 4- A facilidade o dificuldade de fazer o adensamento 5- O tipo de acabamento desejado
  22. 22. 21/04/2014 22

×