Fluid landscapes tirana station

638 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
638
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fluid landscapes tirana station

  1. 1. PROJETO E ESTUDOS DE CASOSESTAÇÕES INTERMODAIS
  2. 2. FLUID LANDSCAPESTIRANA MULTIMODAL STATION
  3. 3. • Ficha técnica• Local: Tirana, Albânia.• Equipe: Luciano Laffranchini, Paolo Porporato e Monica Naso.• Segundo colocado no concurso “New Intermodal Train Station in Tirana”
  4. 4. • A locação da área de intervenção é feita no eixo entre a nova área de crescimento da cidade e a área mais antiga.• Na implantação é demonstrado os principais acessos da cidade e consequentemente da área de intervenção.
  5. 5. Área de Intervenção: Tirana, Albânia.Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=89348591
  6. 6. • O centro antigo e também o eixo de crescimento da cidade tem característica um tanto quanto caótica e desordenada.• O desenho da cidade torna-se pesado e complexo por causa desta desordem.
  7. 7. Área de Intervenção: Tirana, Albânia.Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=89348591
  8. 8. • A zona de expansão tem seu crescimento motivado por uma das vias principais de acesso.• O crescimento na área procura ser mais ordenado e menos caótico.
  9. 9. Área de Intervenção: Tirana, Albânia.Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=89348591
  10. 10. • O local do projeto se encontra na interligação da malha ferroviária e entre duas vias de acesso rodoviário com a cidade.
  11. 11. Área de Intervenção: Tirana, Albânia.Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=89348591
  12. 12. • A locação desta nova estação permite a utilização da malha férrea existente, assim como a malha rodoviária presente no cruzamento de duas vias importantes de acesso.• O local tende a se tornar um novo eixo, por conta do crescimento que a cidade apresenta e por causa do encontro de importantes vias de acesso.
  13. 13. Área de Intervenção: Tirana, Albânia.Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=89348591
  14. 14. • A cidade torna-se densa em seu crescimento ao longo das principais vias de acesso e isto é atribuído também aos dois rios que estreitam a área de crescimento.
  15. 15. Área de Intervenção: Tirana, Albânia.Fonte: Google maps
  16. 16. • Devido à barreiras formadas pela ferrovia e as rodovias na nova área de expansão, a cidade se tornou desconexa.
  17. 17. Área de Intervenção: Tirana, Albânia.Fonte: Google maps
  18. 18. • Uma das propostas do projeto é interligar as áreas da cidade e dar maior fluidez nos acessos e conexões da região urbana com a rural e industrial.• Outra forma de interligação é através das propostas de serviço e comércio atribuídas no projeto, assim como de entretenimento e lazer.
  19. 19. ImplantaçãoFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  20. 20. ImplantaçãoFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  21. 21. ETAPAS DO PROJETOProposta do projetoFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  22. 22. PRIMEIRA ETAPA• Reinterligar a zona de periferia com o centro, anteriormente separados por duas linhas de forças(malha férrea e rodovia).
  23. 23. SEGUNDA ETAPA• Criar o novo trajeto da malha férrea e cruza esta nova forma de acesso com as novas vias de acesso e as antigas vias de acesso.
  24. 24. TERCEIRA ETAPA• É criado novas áreas de construções com uso do subsolo e utilização de serviços.
  25. 25. QUARTA ETAPA• É adicionado e distribuído pela área de intervenção o volume que corresponde aos setores de comércio, serviço, esporte, entretenimento, hotel e estação intermodal.
  26. 26. QUINTA ETAPA• As novas instalações possuem um traçado simples e organizado de forma que a área de intervenção dê esta nova visão para a cidade que se apresenta de maneira caótica e desorganizada.
  27. 27. SEXTA ETAPA• Nas novas interligações criadas é proposto um caminho “verde” e permeável, trazendo a tona a antiga área rural que era presente na cidade.
  28. 28. PROPOSTA FINAL• O projeto cria novas vias de acesso principais, assim como a interligação dos acessos antigos com os novos, conectando a cidade que estava separada devido as linhas de força assim como a nova zona de expansão periférica e o centro existente da cidade.
  29. 29. Proposta do projetoFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  30. 30. SetorizaçãoFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  31. 31. CorteFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  32. 32. CorteFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  33. 33. CorteFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  34. 34. CorteFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  35. 35. • O projeto proporciona diversas técnicas para o melhor conforto ambiental da estação e suas instalações. Uma das técnicas é a ventilação cruzada que permite a renovação do ar dos edifícios, assim como amenizar a temperatura interna. Também utiliza de iluminação zenital, brises e sistemas de troca de calor, assim como ampla vegetação para amenizar a temperatura e a acústica oriunda das atividades provindas das propostas de uso na área de intervenção.
  36. 36. PerspectivaFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  37. 37. PerspectivaFonte: http://www.archdaily.com/277773/mobilicity-tirana-multimodal-station-proposal-morfearch/3-779/
  38. 38. Conceito• O projeto tem como conceito a leveza e simplicidade adjunta da funcionalidade tanto em questão de acessos e de uso, por se tratar de uma “nova zona central”, assim como de interligação da cidade. Esta leveza e simplicidade também é um discurso contrário a imagem da cidade que é caótica e desordenada.
  39. 39. Análise de SWOT• FORÇAS (STRENGTHS)Por se tratar de um eixo comum de várias atividades da cidade, a estação intermodal com comércio e serviço será amplamente utilizada, abrangendo não somente a cidade como as proximidades que são interligadas pela malha férrea e rodoviária. Além de se tornar um polo de comércio, serviço e lazer.
  40. 40. Análise de SWOT• FRAQUEZAS (WEAKNESSES)O projeto não utiliza as potencialidades e benefícios do uso de uma ampla área verde, como um parque ou uma praça. As áreas verdes simplesmente são um local de passagem.
  41. 41. Análise de SWOT• OPORTUNIDADES (OPPORTUNITIES)O local permite, até certo ponto, a expansão e utilização de dois rios próximos da área de intervenção, assim como a ampliação de uma área de comércio e serviço arquitetados no projetos, aliados também aos muitos locais de acesso da estação.
  42. 42. Análise de SWOT• AMEAÇAS (THREATS) Por ser um eixo de interligação de acesso da cidade e ser um polo comercial e de serviço, a estação poderá ter seu uso muito massivo e intenso, com isso tornar a cidade altamente populosa e aliado a isto atrapalhar em algumas questões urbanísticas como no trânsito e na necessidade do crescimento direto da cidade para atender a estação.

×