GESTÃORisco na medidacerta                          O mercado sinaliza a necessidade                          de estrutura...
é apoiada pelos resultados da recente     cobrir todas as frentes de exposição da     gerente sênior da KPMG no Brasil nap...
GESTÃOo quanto a corporação pode se expor.             Ainda assim, na maioria das empresas                       e alinha...
processos operacionais estabelecidos.       Geração de valor                                 “Há uma clara mudança da perc...
GESTÃOmercados mais maduros. As grandes                          proteção e reforço da capacidade da                 maior...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Risco na medida certa - by KPMG

767 visualizações

Publicada em

O mercado sinaliza a necessidade

de estruturas mais robustas de

gerenciamento dos fatores que

podem ameaçar a estratégia

das corporações

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
767
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Risco na medida certa - by KPMG

  1. 1. GESTÃORisco na medidacerta O mercado sinaliza a necessidade de estruturas mais robustas de gerenciamento dos fatores queAndré Coutinho,sócio da KPMG no podem ameaçar a estratégiaBrasil na área de Risk& Compliance das corporações Assim como abre janelas de posicione essa prática como um dos oportunidades, o desenvolvimento pilares da estratégia da empresa. também potencializa riscos para as corporações, tanto do ponto de vista “Os novos desafios do cenário nacional do crescimento orgânico dos negócios enfatizam a percepção de que o como pela entrada de capital estrangeiro gerenciamento adequado dos riscos no Brasil. Esse não é um tema novo no confere uma vantagem competitiva, à ambiente corporativo brasileiro, mas o medida que preserva a geração de valor dinamismo da economia nacional e o e contribui para a concretização dosGuilherme Dultra, grau de interdependência dos mercados objetivos da corporação” opina André ,gerente sênior da globalizados acentuam a relevância Coutinho, sócio da KPMG no BrasilKPMG no Brasil na de uma abordagem mais complexa na área de Risk & Compliance. Essaárea de Enterprise Risk e integrada da gestão de riscos, que transição de modelos de gestão de riscosManagement32 Gestão
  2. 2. é apoiada pelos resultados da recente cobrir todas as frentes de exposição da gerente sênior da KPMG no Brasil napesquisa Enterprise Risk Management, corporação – operacionais, de crédito, de área de Enterprise Risk Management.realizada pela KPMG no Brasil. mercado ou legal. O compliance é muito importante,O estudo indica uma maior demanda dos “No Brasil, a partir da Lei Sarbanes- mas as corporações devem voltar aconselhos de administração e comitês Oxley, que foi promulgada nos EUA em entendê-lo como uma das ferramentasde auditoria para que o gerenciamento 2002, houve uma mudança de rota na de apoio da gestão de riscos comoevolua para uma condição além do forma como as corporações vêem o um todo. O gerenciamento de riscoscompliance. Isso não significa menor gerenciamento de riscos. O compliance deve ser um instrumento de controlepreocupação com o compliance, mas, assumiu um papel de muito destaque, de toda a organização, de modo quesim, a adoção de uma filosofia que em detrimento de outros pontos de o administrador tenha a visão geral docompreenda a gestão de riscos de atenção, que agora voltam à agenda das ambiente de negócios ao planejar suamaneira integral e integrada, de modo a empresas” analisa Guilherme Dultra, , estratégia e possa dosar corretamente Gestão 33
  3. 3. GESTÃOo quanto a corporação pode se expor. Ainda assim, na maioria das empresas e alinhamento da gestão de riscos“As corporações devem fazer uma (54%), ou o gerenciamento de riscos com o planejamento e a execução daassociação mais clara entre planejamento não foi implementado (16%) ou a estratégia corporativa (15%).estratégico e gestão de risco corporativo” , empresa adota apenas ações isoladasacrescenta Coutinho. sobre riscos (38%). Quanto à eficácia Outro dado relevante enfatiza a falta do ambiente de controles internos, de gerenciamento contínuo dasEm transição os entrevistados avaliam que ainda há exposições: 69% dos entrevistadosOs resultados da pesquisa Enterprise espaço para algumas (38%) ou muitas avaliam que a alta administração nãoRisk Management indicam que os (47%) melhorias. demonstra preocupação contínuaexecutivos ouvidos têm a gestão de com o gerenciamento de riscosriscos na conta de uma prática muito Os três itens considerados mais corporativos (20%) ou ainda deixaimportante, mesmo admitindo que importantes para o sucesso do margens para melhorias (49%). “Issosua corporação ainda não desenvolveu gerenciamento de riscos nas empresas quer dizer que, de alguma forma,processos nem implantou mecanismos, são cultura forte e sensibilização de alguém na corporação se preocupanormas e procedimentos específicos riscos em toda a organização (23%), com o tema, mas não se trata depara esse gerenciamento integral. apoio da alta administração (17%) uma ação estruturada. Não existemCom qual efetividade você considera que sua empresa gerencia os seguintes aspectos deriscos?50%45%40%35%30%25%20%15%10%5%0% Estratégicos Riscos de Mercado Imagem/ Políticos Regulatórios TI Operacionais Fiscais Meio Trabalhistas crédito reputacionais ambiente Muito alta Alta Média Baixa Muito baixa Não aplicável/Não sabe34 Gestão
  4. 4. processos operacionais estabelecidos. Geração de valor “Há uma clara mudança da percepção.O tema pode ser mencionado em uma A transição nos modelos de gestão Os executivos entendem que gerenciarreunião de diretoria ou do conselho de de riscos também é percebida na riscos auxilia na prevenção de perdas.administração, mas a corporação não forma como os executivos avaliam as Mas, acima de tudo, começam atem uma rotina de gerenciamento” , múltiplas finalidades desta prática. perceber que o mapeamento e oexplica Coutinho. Para a maioria dos entrevistados, o controle de ameaças contribuem para a gerenciamento das ameaças potenciais execução da estratégia organizacional” ,A gestão de riscos só deixará de é, principalmente, um elemento capaz analisa Guilherme Dultra.ser segmentada e descentralizada de proteger e reforçar a capacidade decom a implantação de processos, geração de valor da organização (19%), Apesar de a governança corporativaformatação de relatórios e adoção de para apoiar o alcance dos objetivos no Brasil estar estruturada de maneirauma cultura organizacional específica, estratégicos da corporação (17%) e diferente do que acontece nos Estadospreferencialmente com um executivo prevenir perdas (16%). Unidos, por exemplo, a transiçãoexclusivo ou muito dedicado ao tema. de modelos em gestão de riscos acompanha o que predomina emO que sua empresa considera serem os objetivos e benefícios mais importantes dogerenciamento de riscos? Escolha até três itens: 2% 4% 5% Proteger e reforçar a capacidade de geração de valor da organização 19% Apoiar a organização no atingimento de seus objetivos estratégicos 9% Prevenção a perdas Assegurar conformidade com questões regulatórias Proteger e reforçar a reputação da organização 13% Assegurar alocação eficiente de recursos e capital 17% Transparência e relatórios claros aos investidores Maximizar a lucratividade das unidades de negócio 15% Minimizar a volatilidade dos ganhos 16% Gestão 35
  5. 5. GESTÃOmercados mais maduros. As grandes proteção e reforço da capacidade da maior interesse dos conselheiros, dacorporações brasileiras ainda têm, em organização em gerar valor, por conta de alta administração e dos executivossua maioria, um grupo controlador, conselheiros e membros de comitês de das corporações também estámuitas vezes familiar. Cada vez mais auditoria. A pesquisa mostra que esses direcionando as expectativas deestes grupos percebem a importância profissionais estão sintonizados com investimentos em gestão de riscos,de ampliar o debate sobre os riscos o novo momento da gestão de riscos: com ênfase no desenvolvimento dedo negócio, tanto interna quanto 38% dos respondentes informaram que processos, implantação de normasexternamente, aumentando assim o há mais de dois integrantes do conselho e procedimentos, e estruturação denível de confiabilidade de sua gestão de administração com conhecimento relatórios e formas de monitoramento.e a transparência do processo. “ As prático de gerenciamento de riscos;corporações precisam relatar seus riscos 12% relataram a existência de dois A pesquisa Enterprise Riskpara o mercado e para os acionistas” , integrantes e 23%, de um membro. Management, realizada pela KPMGcomplementa André Coutinho. Eles estão em cargos de supervisão, no Brasil, contou com a participação sabem se o risco está sendo bem de executivos seniores de empresasO progressivo aumento nos processos administrado na corporação e entendem e membros de conselhos dede abertura de capitais das empresas que desempenharão melhor suas administração e de comitês de auditoria.brasileiras em Bolsa também eleva atribuições se puderem contar com A íntegra do estudo pode ser acessadaa demanda por maiores níveis de processos estabelecidos para isso. O em www.kpmg.com.br.Com qual sucesso você considera que a avaliação de riscos em sua organização adicionavalor aos seguintes itens?50%45%40%35%30%25%20%15%10%5%0% Melhora o Melhora a relação Aumenta o valor Melhora a Melhora a Reduz a Melhora o Melhora o relacionamento com com os investidores para os acionistas rentabilidade reputação volatilidade de processo relacionamento órgãos regulatórios e das unidades de corporativa ganhos de tomada com clientes agências de ratings negócios de decisões estratégicas Muito alta Alta Média Baixa Muito baixa Não aplicável/Não sabe36 Gestão

×