SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
ÍNDICE                                      1




CAPÍTULO 6º ____________________________________________________________ 2



AGRONEGÓCIO _________________________________________________________ 2



6.1 – Agronegócio _______________________________________________________ 2



6.2 - Índices de Uberaba __________________________________________________ 9




 Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                    AGRONEGÓCIO                                               2

                                           CAPÍTULO 6º
                                          AGRONEGÓCIO
6.1 – Agronegócio

O Brasil é o 5º maior mercado consumidor do mundo, com população superior a 185 milhões de
habitantes. Este fato evidencia o papel e a responsabilidade do agronegócio, na produção de
alimentos, geração de emprego, melhoria e qualidade de vida dos Brasileiros. As lavouras de café,
cana-de-açúcar, citros, milho, soja, arroz, feijão, trigo e outras ocupam 51 milhões de hectares e a
área destinada a pecuária é de 220 milhões de hectares.
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais - EMATER-MG
presta serviços de assistência técnica e extensão rural aos agricultores do Estado de Minas
Gerais, sendo seu público prioritário o agricultor familiar. Atua em parceria com as prefeituras e
outras instituições, nos aspectos de tecnologia de produção, agregação de valor, comercialização,
reabilitação e preservação ambiental e organização comunitária, com foco no desenvolvimento
rural sustentável. Atua em 801municípios do Estado de Minas Gerais sendo que a Unidade
Regional de Uberaba compreende 24 municípios e está presente em 94% do território mineiro.

                                    EPAMIG – Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas
                                    Gerais, empresa pública de direito privado, vinculada à
                                    Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
                                    de Minas Gerais.
                                    Uberaba é sede do Centro Tecnológico do Triângulo e Alto
                                    Paranaíba, unidade da EPAMIG, que há mais de 30 anos vem
                                    desenvolvendo tecnologia para a agropecuária do cerrado,
                                    sendo uma das responsáveis pela transformação desta região
                     EPAMIG         em um celeiro de produção de alimentos.
                                    Criada em 6/8/74, tem como missão “Apresentar soluções e
                                    inovações tecnológicas para o desenvolvimento sustentável do
                                    agronegócio em beneficio da sociedade”.
                                    Constitui a EPAMIG Triângulo e Alto Paranaíba, a Fazenda
                                    Experimental Getulio Vargas de Uberaba, Fazenda
                                    experimental de Uberlândia, Fazenda Experimental de
                                    Patrocínio e Fazenda Experimental Sertãozinho de Patos de
                                    Minas.
                     EPAMIG
                                    Tem como principais atividades e produtos: Pesquisa: arroz,
                                    café, feijão, fruticultura, gado F1, gir leiteiro, milho, soja,
pastagens, oleaginosas para biosiesel e trigo; Sementes: arroz, café, feijão e soja; Matrizes e
reprodutores: Gir Leiteiro; Prestação serviços: beneficiamento de sementes, germinação in vitro
de orquídeas, análises laboratoriais de solos, sementes, fitopatológias e nematológicas; Outros:
eventos técnicos e científicos, palestras, revistas, boletins e publicações.
Conta com uma equipe de 24 cientistas além de infraestrutura de laboratórios para pesquisa e
prestação de serviços nas áreas correlatas.
Realizou importantes pesquisas para melhoramento de pastagens como a braquiária e a
introdução e adaptação da cultura da soja no cerrado e consequentemente viabilizando a
agricultura neste ecossistema, sendo que a variedade de soja mais plantada no cerrado brasileiro
foi aqui desenvolvida com uma área de mais de 4 milhões de hectares. Desta forma, os trabalhos
associados à mecanização das extensas áreas planas e aos investimentos em tecnologia no
sistema de manejo dos solos, pelos empresários rurais, tornaram Uberaba o maior produtor de
milho e de soja do Estado de Minas Gerais, produtos estes essenciais para a avicultura,
bovinocultura e a suinocultura.

Também são significativos os resultados obtidos na produção e produtividade de outras culturas
como a arroz, feijão, flores, frutas, milho e oleaginosas para produção de biodiesel.
Fonte: EPAMIG




   Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                          AGRONEGÓCIO                                                       3


      Plantação de milho

                                   Colheita de milho


                                                             Bovinocultura de leite


                                                                                            Soja em grãos

   Uberaba polariza uma região produtora de 4 milhões de toneladas de grãos.
   Produção total de grãos do Município: 701.000 toneladas - Safra 2007/2008
   Em 2008 Uberaba ocupou o 1º lugar na produção de milho e 2º na produção soja no estado
    de Minas Gerais e o 5º lugar no Brasil (milho) - Fonte: IEA
   Segunda maior produtora de soja do Estado de Minas Gerais – 89.000 ha plantados na safra
    2008/2009 – produção 267.000 toneladas - produtividade de 3.000kg/ha/ano.
   Maior produtora de milho do Estado de Minas Gerais – 50.000 ha plantados na safra
    2008/2009 - produção 345.500 toneladas – produtividade de 6.000 kg/ha/ano.
   Uberaba é o 2º maior produtor de cana de Minas Gerais – 54.500 ha na safra 2008/2009 -
    produção de 3.910.500 t
   Primeiro maior município em exportação avícola de Minas Gerais (Oriente Médio).
   Parque Agroindustrial responsável por 30% da produção nacional de fertilizantes e primeiro
    produtor de adubos fosfatado da América Latina.
   A Piscicultura em Uberaba está ganhando destaque como um novo pólo de desenvolvimento
    do setor de agronegócios. O município possui uma superfície de lâmina d’água de 650 ha, e
    capacidade produtiva de 1.6 ton/ha/ano de Tilápia (peixe de fácil manejo e de grande
    aceitação no mercado nacional e internacional), demonstrando seu potencial no mercado.
Fonte: SAGRI - Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Junho 2009

Pecuária & Agronegócios
Desde suas origens a economia de Uberaba esteve associada à sua aptidão pecuária e agrícola.
Conhecida como a Capital Mundial do Zebu deve à zebuínocultura duas etapas marcantes de seu
desenvolvimento no fim do século XIX e meados do século XX.
Atualmente mais de 80% do rebanho nacional tem presença de sangue zebuíno e o sêmen de
bovinos zebu, representa ¾ da produção nacional.
A produção de embriões bovinos faz de Uberaba o maior centro de produção deste setor de
biotecnologia no País. Merece destaque ter sido aqui formado o gado girolando, a primeira raça
leiteira brasileira e que marca presença em todo o território nacional.
Uberaba é sede da maior feira de pecuária, tecnologia e genética zebuína do mundo, a Expozebu,
promovida pela ABCZ - Associação Brasileira de Criadores de Zebu desde 1934, no Parque
Fernando Costa.
                                    No período de 28/4 a 10/5/2009 aconteceu a 75a ExpoZebu -
                                    Exposição Internacional das Raças Zebuínas, evento
                                    tradicional no Brasil, tornando Uberaba o centro financeiro da
                                    pecuária brasileira, tendo como objetivo principal mostrar os
                                    níveis de seleção e melhoramento genético no âmbito nacional
                                    e internacional. Os 12 dias de ExpoZebu foram marcados,
                                    ainda, por importantes discussões políticas, sanitárias e
                                    apresentação de pesquisas na área de meio ambiente. Com o
                                    tema "Zebu: Pecuária Sustentável", uma das novidades da
                                    exposição este ano foi o Projeto de Sustentabilidade,
desenvolvido em parceria com diversas entidades. A iniciativa englobou desde a compostagem
dos resíduos do gado, o uso racional de água para lavagem dos animais, a coleta seletiva até a
divulgação de novos estudos nessa área. Por dia, a coleta de recicláveis durante a feira chegou a
cerca de 500 quilos e o total de óleo de cozinha coletado nos restaurantes e barracas de
alimentação foi superior a 600 litros.




    Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                    AGRONEGÓCIO                                             4

Em parceria com a Prefeitura de Uberaba, a ExpoZebu 2009 ofereceu aos tratadores,
gratuitamente, serviços na área de saúde, tais como tratamento dentário e exames de sangue, e
de beleza (corte de cabelo). Várias outras ações sociais ocorreram durante a feira. Entre elas os
projetos: "Zebu na Escola" e "Zebu UAI", que mobilizaram 10 mil pessoas, entre crianças, jovens e
idosos.
O que há de melhor da pecuária zebuína no mundo está na
Expozebu: os melhores animais, a melhor genética para produzir
o “boi ecológico”, a melhor produtividade e os melhores criadores.
A feira teve entrada gratuita e shows regionais. No dia 9 de maio,
a ABCZ registrou o maior público desta edição da feira: 49.163
pessoas passaram pelo parque para prestigiar os julgamentos,
shows regionais, bares, boate e demais eventos.
Julgamentos: A grande novidade dos julgamentos da ExpoZebu
2009 foi a atuação de três jurados nas raças com mais de 250
animais inscritos. O número de animais que competiram nos
Julgamentos, no Concurso Leiteiro e no campeonato Matriz Modelo chegou a 3.039, das raças
nelore (1033), gir aptidão leiteira (666), brahman (433), guzerá (356), tabapuã (255), sindi (89),
nelore mocho (78), gir dupla aptidão (60), indubrasil (35) e gir mocha (34). Confira os Grandes
Campeões de cada raça:
Museu do Zebu: O Museu do Zebu trouxe a mostra “Marco de uma nova era”, que retrata a
história do Parque Fernando Costa. Já o projeto Zebu na Escola levou 9.300 estudantes dos
ensinos fundamental, médio, técnico e universitário para o Parque Fernando Costa. Eles
conheceram todo o processo de produção da carne e do leite, desde o pasto até o prato. A versão
do projeto para a terceira idade, o Zebu UAI, teve a participação de 818 idosos de Uberaba.

                               ExpoZebu/2009
                                Público: 355.279 mil pessoas;
                                N.° de visitantes estrangeiros: 450 estrangeiros de 27 países;
                                N.º raças zebuínas participantes: 09 - nelore, nelore mocha, gir
                                  (dupla aptidão e aptidão leiteira), tabapuã, guzerá, brahman,
                                  indubrasil e sindi.


Leilões – ExpoZebu/09
 Leilões realizados: 48;
 Faturamento dos Leilões: R$56.784.330,00;
 Média geral por lote: R$ 42.824,00;
 Animal mais caro: R$1.498 milhão a fêmea nelore Elegance
    VI da Unimar.
Além dos pregões, os pecuaristas puderam adquirir animais em 12 shoppings de zebuínos, uma
modalidade que tem sido bastante difundida entre os criadores.

Biotecnologia
Uberaba consolida-se cada vez mais como o principal centro mundial de negócios de
biotecnologia público e privado, nas áreas de melhoramento genético, de alimentos em geral,
zebuíno e de ovinocultura.
O Município reúne as principais centrais de inseminação do país e os resultados mostram o
crescente interesse e investimentos em melhoramento genético em todos os setores.

ABS Pecplan
Missão: “Satisfazer nossos clientes com produtos e serviços de
qualidade, assegurando os melhores resultados e mantendo a
liderança absoluta no mercado de genética”
Objetivo: Contribuir para o melhoramento genético do rebanho
brasileiro. Para isso, oferece ao mercado o que há de mais
moderno       em      inseminação    artificial, acasalamento
computadorizado, cruzamento entre raças, cursos de formação de




   Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                         AGRONEGÓCIO                                          5

inseminadores, orientação ao produtor e segurança sanitária.
Em Uberaba está localizada a Central de Excelência e Tecnologia da ABS Pecplan. Inaugurada
em 1974, dispõe de 250 hectares destinados a abrigar touros de diversas raças, laboratórios e
escritórios. A localização privilegiada da central, ao lado da Rodovia BR 050, otimiza o trabalho da
empresa que oferece aos mercados nacional e internacional a melhor genética bovina existente,
assim como outros produtos e serviços que contribuem para o sucesso da atividade agropecuária.
O quarentenário da ABS Pecplan é o único no Brasil aprovação do USDA (Departamento de
Agricultura dos EUA) que garante o cumprimento do mais rígido protocolo sanitário para o de
sêmen do Brasil enviado a diversos países, entre eles mercados no Oriente Médio, América do
Sul, América Central e Ásia.
                         O Sistema de Manejo Genético (GMS) é o maior programa de manejo
                         genético da pecuária leiteira mundial e a ABS Pecplan é a terceira maior
                         no mundo na aplicação do GMS. É um programa que possibilita a
                         planificação do cruzamento das vacas com os touros que melhor se
                         adaptam às características desejadas pelos criadores, baseando-se
                         exclusivamente nas qualidades de mais de 150.000 touros já testados em
                         todo o mundo, a ABS Pecplan pode oferecer as alternativas mais
                         indicadas para cada necessidade. Atualmente, o GMS pode recomendar
                         mais de 150 milhões de opções e, ano após ano, recebe dados de novos
                         touros, ampliando periodicamente o número de possibilidades.
                          Fonte: www.abspecplan.com.br

Alta Genetics
Missão: "Auxiliar o produtor a atingir o lucro máximo através da
melhor genética, com a melhor orientação técnica e prestação de
serviços."
Objetivo: Prover a mais avançada genética disponível, em
qualquer parte do mundo, para melhorar a produção de carne e
leite.
A Alta Genetics é uma das maiores empresas de inseminação
artificial do mundo, distribuindo sêmen e tecnologia nos cinco
continentes.
A Alta Genetics conduz o mais avançado programa privativo de pesquisas em tecnologia
reprodutiva em suas centrais, tendo introduzido diversas técnicas avançadas neste setor.
No Brasil, a matriz está localizada na cidade de Uberaba/MG e possui quase 50 escritórios
regionais em todo o país, com técnicos treinados e capacitados a prestar os melhores serviços, de
forma a auxiliar o produtor a ter sucesso na atividade pecuária.
Fonte: www.altagenetics.com.br/empresa

Geneal – Genética e Biotecnologia Animal




A biotecnologia é, hoje, ferramenta indispensável para garantir a competitividade da agropecuária.
Pensando assim é que as Fazendas Mata Velha e Vergel Agropecuária se uniram para criar a
GENEAL, empresa especializada em biotecnologia animal. Com sede em Uberaba, está
estruturando um laboratório de última geração, além de um corpo técnico-científico altamente
qualificado com larga experiência nas técnicas FIV, Genotipagem e Clonagem.
Fertilização in vitro – FIV de embriões bovinos, consiste em:
     Proporcionar o maior número de descendentes de animais geneticamente superiores em
         um mesmo período de tempo, maximizando a rentabilidade por animal;
     Reduzir intervalo de gerações;
     Ser aplicada em diversas fases reprodutivas da fêmea bovina: novilhas pré-púberes,
         vacas gestantes (até 100 dias), pós-parto, cíclicas e senis;




    Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                     AGRONEGÓCIO                                            6


       Dispensar o uso intensivo de hormônios;
       Aproveitar animais pouco responsivos à super ovulação;
       Otimizar o uso de sêmen e o planejamento de acasalamentos;
       Apresentar a melhor relação custo x benefício quando comparada com as demais técnicas
        existentes.
Genotipagem: Com o avanço da genética molecular e da tecnologia do DNA, hoje é possível
                                    enxergar em um animal as informações de interesse para a
                                    seleção. A informação contida nos genes do animal pode ser
                                    conhecida no momento do nascimento, ou mesmo antes, na
                                    fase embrionária. Assim fica mais fácil, objetivo e seguro
                                    programar acasalamentos. Programas de seleção e
                                    melhoramento genético são acelerados, com economia de
                                    tempo e dinheiro. A genotipagem agrega valor de mercado
                                    aos animais, suas características hereditárias deixam de ser
                                    uma mera questão de probabilidades. O primeiro serviço a
                                    ser ofertado neste segmento é o exame de paternidade.
Clonagem: representa um dos maiores avanços obtidos até hoje no campo da biotecnologia
animal. A técnica de transferência nuclear (TN), utilizada na clonagem animal, tem diversas
aplicações em diferentes setores estratégicos, sejam científicos ou produtivos. No setor produtivo
a transferência nuclear pode ser aplicada para potencializar ainda mais os programas de
melhoramento genético e regeneração de animais acidentados ou já mortos.

Nova Índia Genética
 Tecnologia 100% brasileira ao nível das melhores do
   mundo.
 Famosos Programas de melhoramento genético que
   são "bulas" do gado brasileiro.
 Alta qualidade reconhecida. Segurança para criador.
   Confiança para o rebanho brasileiro.
É uma Empresa da Nova Consciência. A Nova Índia teve a
oportunidade de poder contar com a existência da nova
tecnologia do século 21 para ser planejada e construída. O
trabalho da Nova Índia tem se voltado exclusivamente para as raças tropicais. Além das suas
contribuições em pesquisas, os embriões que produz tem excelente valorização nos leilões por
apresentarem um alto nível de fertilidade.
                         Programa T.E. - Ajudando a introduzir a moderna tecnologia.
                         A Transferência de Embriões é uma das mais modernas técnicas de
                         melhoramento rápido da qualidade do rebanho. Graças a ela, uma fêmea
                         que produzia aproximadamente 12 filhos em toda sua vida útil, passa a
                         produzir cerca de 30 filhos por ano. Com este Programa, a Nova Índia
                         obteve índices de prenhezes com embriões de 87%, 15% acima dos
                         melhores índices do mundo.
                         Programa Touros Jovens.
                         Ajuda a enriquecer a "bula" do gado zebu, valorizando suas
                         possibilidades de aumento de peso e precocidade, ligados ao valor
                         genético.
                         Programa Método Shiva de Treinamento de Inseminadores.
                         Utiliza simuladores de vacas em plástico, ao invés de vacas vivas. Esse
                         Método revolucionou o ensino, sendo utilizado hoje em todo o País, e
                         está intimamente ligado ao desenvolvimento da tecnologia de reprodução
                         do País, para Inseminação Artificial e Embriologia.
                         Programa Gir 2000
Usa a tecnologia que já possui, para produzir embriões de vacas Gir tornando nosso rebanho
mestiço, em um maravilhoso rebanho de gado Gir, com características de uma raça de leite
especial para os trópicos.
Fonte: www.novaindia.com.br




    Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                     AGRONEGÓCIO                                          7


Ovinogen
Nasce em Uberaba uma das mais modernas empresas de inseminação
artificial do Brasil.
Localizada às margens da Rodovia BR 050, km 183, a Ovinogen surge como
um valioso aliado e um parceiro de ouro na seleção genética de ovinos. Com
objetivo de contribuir para o melhoramento genético a ovinocultura, a ovinogen
oferece a seus clientes e parceiros, o que há de mais moderno em
instalações, laboratórios e central de vendas.
Com instalações modernas e baias específicas para ovinos, as 300 matrizes e
os 30 reprodutores em coleta, tem acompanhamento de zootecnistas e
veterinários altamente qualificados.
A Ovinogen conta ainda, com um centro de convenções com capacidade para
300 pessoas. O recinto está preparado para receber congressos, cursos,
palestras e leilões. O centro administrativo abriga a gerência, o departamento
de vendas, de marketing, uma central de telemarketing e a grande ferramenta
para vendas de sêmen, embriões e prenhezes da Ovinogen, o stúdio de TV,
onde será produzido o programa Ovinogen TV.
Ovinogen Tecnologia em reprodução multiplicando resultados.
Fonte: www.ovinogen.com.br/empresa

Vitrogen - 10 anos de Biotenologias de Reprodução Animal no Brasil
Empresa 100% brasileira, especializada em desenvolver e aplicar biotecnologias da reprodução
bovina. Fundada em 1999, a Vitrogen já atende mais de 400 pecuaristas em todo Brasil e é líder
mundial na produção de embriões in vitro e pioneira em aspiração folicular e fecundação OPU/FIV.
OPU/FIV - Melhoramento genético
2008 é um marco na história das biotecnologias de reprodução animal. Neste ano os primeiros
animais produzidos comercialmente no Brasil por Aspiração Folicular e Fecundação in vitro
(OPU/FIV) completaram 10 anos. Ou seja, há uma década a Vitrogen vem revolucionando,
pioneiramente, a reprodução de plantéis no Brasil e em outros países. Neste período, a empresa
formou dezenas de profissionais, aprimorou as técnicas e desenvolveu novas tecnologias, investiu
em pesquisas e abriu novos horizontes para os empresários do campo.
                        As tecnologias aplicadas pela Vitrogen são:
                        ASPIRAÇÃO FOLICULAR (OPU)
                        É a coleta das células reprodutivas diretamente dos ovários da fêmea
                        sem a utilização de hormônios. Os oócitos (óvulos imaturos) são levados
                        ao laboratório Vitrogen mais próximo para garantir a qualidade dos
                        embriões que serão produzidos.
                        FECUNDAÇÃO IN VITRO
As células são maturadas e fecundadas com sêmen escolhido pelo
criador. Uma única dose de sêmen pode ser utilizada para fecundar os
óvulos de diferentes doadoras. Sete dias depois são entregues embriões
de qualidade garantida (sexados ou não), prontos para transferência nas
receptoras.
                          ANÁLISES DE DNA
                          A análise do DNA Mitocondrial é um exame realizado para certificação
                          da pureza racial (indicus e taurus).
                          -Testes de paternidade de bovinos, ovinos, equinos e avestruz,
                          também conhecido como teste de vínculo genético.
                          -Genestar são testes que analisam quatro regiões do DNA bovino para
                          dizer se um animal terá carne mais macia e marmorizada.

CLONAGEM
O trabalho de clonagem é feito em parceria com a USP/Pirassununga. O
investimento nesta tecnologia varia de acordo com a quantidade de
animais nascidos sadios aos 30 dias de vida. O prazo de entrega dos
clones é de 18 meses.




    Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                     AGRONEGÓCIO                                             8


ESTOCAGEM DE CÉLULA E DNA
                 A estocagem de células e DNA é uma garantia para o criador que quer
                 preservar a genética de animais superiores. Um pequeno pedaço da pele
                 é coletado, as células são colocadas em cultivo e criopreservado por
                 tempo indeterminado em nitrogênio líquido.

                         1A E TE EM OVINOS
                         Atendendo o recente reaquecimento da
ovinocultura no Brasil, a Vitrogen disponibilizou a 1A e TE também em
ovinos.

Central para ovinos
Os criadores de ovinos que investem em biotecnologias de reprodução para acelerar o
melhoramento genético dos rebanhos podem contar com um novo serviço especializado: a central
de doadoras e receptoras Vitrogen e Agropecuária Dubom.
Localizada na Fazenda Boa Esperança, a 47 km de Uberaba/MG, essa central é a primeira
exclusiva para ovinos da raça Santa Inês. Entre os principais serviços oferecidos estão: a
aplicação das técnicas de coleta (oócitos e embriões), transferência de embriões, inseminação
artificial, fecundação in vitro, diagnósticos de gestação, congelamento e descongelamento de
embriões, além da coleta de células e clonagem.
Atualmente, estão hospedadas na Central Dubom doadoras de destaque dos principais plantéis da
raça no país. Com uma ampla estrutura física e alta tecnologia para doadoras de embriões, a
Central também abriga um seleto rebanho de receptoras, animais selecionados rigorosamente,
garantindo a segurança e agilidade na aplicação das técnicas de reprodução. A equipe da central
também faz coleta e transferência de embriões nas fazendas dos clientes.
Outra vantagem, segundo o proprietário da fazenda, Flávio Paiva, a central está estrategicamente
localizada entre os principais pólos da criação de ovinos Santa Inês. “Uberaba é a melhor logística
do país. Estamos entre os principais estados consumidores em um raio de 500 km, além de ser o
pólo da agropecuária brasileira”, afirma o criador. Fonte: www.vitrogen.com.br

Agronegócio em Minas Gerais – 2007

   Minas Gerais possui 308.000 Km² de cerrados que representam 53% da área total de Minas
    Gerais e 17% do cerrado do Brasil.
   Número de estabelecimentos rurais: 523.535 sendo 84% agricultores familiares com área
    inferior a 100 hectares.
   Número de produtores: 704.000 incluindo meeiros e arrendatários.
   Pessoal ocupado em atividades agrícolas: 2 milhões de pessoas (censo 1996).
   Minas possui 2.800,9 mil hectares plantados em grãos.
   Produtividade de 3.633 kg/ha.
   Produção de grãos: Produção recorde de 10,1 milhões de toneladas.
   Principais culturas de grãos: Milho com 6.5 milhões de toneladas e Soja com 2,6 milhões de
    toneladas (safra 2008/2009).
   Participação da agropecuária no PIB: 9,14%, sendo em torno de 30% quando se considera o
    agronegócio.
   Composição da agropecuária no PIB dos municípios: Em 19% dos municípios é o setor mais
    importante e em 54,3% é o segundo setor mais importante.
   Representatividade nacional: Minas Gerais ocupa o primeiro lugar, no país, em produção de
    café em coco (com 52% da produção nacional), leite (28,4% da produção nacional), queijo
    artesanal, alho, abacaxi, batata, produção de própolis e reflorestamento; o segundo lugar em
    milho, feijão, tomate, olerícolas e ovos; o terceiro lugar em carne bovina, carne de frango,
    algodão e cana-de-açúcar; o quarto lugar em laranja, banana e carne suína.
   Colheita da safra recorde de 9,6 milhões de toneladas de grãos em 2,9 milhões de hectares.
   Principais culturas de grãos: Milho com 6,1 milhões de toneladas e soja com 2,5 milhões de
    toneladas.




    Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                        AGRONEGÓCIO                                             9


                                       Produção de Grãos - 2009
                                   Uberaba X Estado de Minas Gerais

                                                    Produção              Produção    Uberaba /
                         Cultura
                                                   Minas Gerais           Uberaba    Minas em %
      Milho (1000 t)                                   6.466                  345        5,34
      Soja (1000 t)                                    2.595                  267       10,29
      Laranja (t)                                       597                    36        6,06
      Cana de Açúcar (t)                              44.120                 3.910       8,86
      Rebanho Bovino (1000 Cab)                       22.575                  210        0,93
      Produção de Leite (1000 l)                     6.899.170              98.850       1,43
      Plantel Avícola (1000 cab)                      93.584                 4.000       4,27
      Produção de Ovos (Cx./30dz)                    6.262.500              53.478       0,85
           Fonte: CONAB (2009); EMATER (2009)



Agronegócio do Triângulo Mineiro em 2009:
     Número de produtores: 29.930
     Participação no PIB: a agropecuária representa 9,14% do PIB de Minas Gerais
     Ocupação de mão-de-obra: ocupa 110.000 pessoas diretamente no setor, correspondendo a
      20% das ocupações da região.
     PIB: o Triângulo Mineiro concentra 1,7% do PIB de Minas Gerais, Uberaba lidera o ranking
      na agropecuária do estado.
Fonte: IBRAM – 2009 (EMATER)



6.2 - Índices de Uberaba


População urbana: 94%
População rural: 6%
Número de propriedades rurais do Município (2007):               2.857
Número de produtores rurais do Município (2007):                 2.803

                                   Número de Propriedades Rurais – 2007

                                    Intervalo de
                                                     Quantidade           (%)
                                      Área (ha)
                                          <1               11             0,39
                                        1a<2               85             2,98
                                        2a<5              153             5,36
                                       5 a < 10           165             5,78
                                      10 a < 20           336             11,76
                                      20 a < 50           643             22,51
                                      50 a < 100          445             15,58
                                     100 a < 200          405             14,18
                                     200 a < 500          405             14,18
                                    500 a < 1000          154             5,38
                                        > 1000             55             1,90
                                         Total           2.857           100,00
    Fonte: EMATER 2007




      Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                     AGRONEGÓCIO                                                        10


                                         Propriedades Rurais por intervalo de
                                               0,39%    área
                                     1,90%           2,98%
                                                             5,36%          <1
                                                                            1a<2
                                  5,38%                                     2a<5
                                                             5,78%
                                                                            5 a < 10
                                 14,18%                                     10 a < 20
                                                                11,76%      20 a < 50
                                                                            50 a < 100
                                                                            100 a < 200
                                14,18%                                      200 a < 500
                                                                            500 a < 1000
                                                              22,51%        > 1000
                                   15,58%




                                 Classificação da Propriedade

                     Discriminação                           Quantidade                    % Relativa
           Mini Propriedade                                           850                    28,33
           Pequena Propriedade                                       1104                    36,81
           Media Propriedade                                          705                    23,50
           Grande Propriedade                                         331                    11,03
           Propriedade não Classificada                                10                    0,33
           Total                                                 3.000                      100,00
              Fonte: INCRA-DC. Compilação: SAGRI - Junho/2009



                             Número de Propriedades Rurais – 2007

                               Intervalo de
                                                     Quantidade                 (%)
                                 Área (ha)
                                     <1                    11                  0,39
                                   1a<2                    85                  2,98
                                   2a<5                   153                  5,36
                                  5 a < 10                165                  5,78
                                 10 a < 20                336                  11,76
                                 20 a < 50                643                  22,51
                                 50 a < 100               445                  15,58
                                100 a < 200               405                  14,18
                                200 a < 500               405                  14,18
                               500 a < 1000               154                  5,38
                                   > 1000                  55                  1,90
                                    Total                2.857                100,00
Fonte: EMATER 2007



                                 Classificação da Propriedade

                     Discriminação                           Quantidade                    % Relativa
           Mini Propriedade                                           850                    28,33
           Pequena Propriedade                                       1104                    36,81
           Media Propriedade                                          705                    23,50
           Grande Propriedade                                         331                    11,03
           Propriedade não Classificada                                10                    0,33
           Total                                                 3.000                      100,00
              Fonte: INCRA-DC. Compilação: SAGRI - Junho/2009




  Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                    AGRONEGÓCIO                                            11

                            Distribuição do Uso do Solo Rural
                           Discriminação                 Área Ocupada (ha)
                  Culturas anuais                             142.002
                  Culturas semi-perenes                        48.948
                  Culturas permanentes                          2.638
                  Pastagem natural                             41.062
                  Pastagem formada                            167.022
                  Terras produtivas não utilizadas               350
                  Floresta natural                             30.833
                  Floresta formada                             16.100
                  Total                                     448.955,00
                     Fonte: EMATER


                                          Uso do Solo

                   Discriminação                  Área (ha)               ( % ) Relativa
            Área Urbana                             10.000                      2,20%
            Áreas Nativas                           14.405                      3,17%
            Culturas Cereais                       170.000                     37,43%
            Culturas Temporárias                     5.000                      1,10%
            Culturas Perenes                         1.000                      0,22%
            Laranja                                  1.500                      0,33%
            Cana de açúcar                          75.750                     16,68%
            Olericultura                             2.500                      0,55%
            Pastagens                              155.396                     34,22%
            Reflorestamento                         18.500                      4,10%
            Total                                 454.051                     100,00%
                Fonte: INCRA/SIAGRU – Compilação SAGRI/SAI Rural - Junho/2009



                                      Uso do Solo
                            2,20%
                                            3,17%
                                                              Área Urbana
                        4,07%
                                                              Áreas Nativas
                  34,22%                            37,44%    Culturas Cereais
                                                              Culturas Temporárias
                                                              Culturas Perenes
                                                              Laranja
                                                    1,10%     Cana de açúcar
                   0,55%                                      Olericultura
                                                              Pastagens
                                                    0,22%     Reflorestamento
                            16,68%        0,33%




                         Produção de Corretivos e Fertilizantes

                                     Produto                       Produção(t)
                  Calcário Agrícola                                             74.859
                  Gesso                                                      1.200.000
                  Fertilizantes Formulados NPK                               2.000.000
                  Silicato                                                      50.000
                  Fonte: SAGRI




Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                           AGRONEGÓCIO                                                             12

                                         Capacidade de Estocagem
                                    Produto                                   Capacidade            Unidade
          Grãos (inclui armazenagem em propriedades)                             450.000                  t
          Peixe                                                                     120                   t
          Carne Bovina                                                              150                   t
          Carne de Aves                                                             300                   t
          Leite e Derivados                                                         360                   t
          Álcool                                                                30.000.000                l
          Fonte: SAGRI / SIA Rural – Junho/2009

                                                  Produção Agrícola
                                  Safra 2007 / 2008                                        Safra 2008 / 2009
     Produto               Área     Produção                                    Área          Produção         Rend.
                                                 Rend. Médio
                         plantada   esperada                                  plantada      esperada ou        Médio
                                                    kg/ha
                           (ha)    ou obtida (t)                                (ha)          obtida (t)       kg/ha
Abacate
Algodão                                                                          300              825           2.750
Alho                                                                              80             1.040         13.000
Amendoim                    300              600              2.000             2.100            4.200         2.000
Arroz irrigado               8                40              5.000               8                40          5.000
Arroz (sequeiro)            600             1.080             1.800              600             1.080         1.800
Arroz (várzea)
Banana                       50              600              12.000             86               1.032        1.200
Batata (1ª safra)          1.210            7.260             30.000            1.210            36.300        30.000
Batata (2ª safra)
Batata (3ª safra)                                                                150             5.250         3.500
Beterraba                   150            6.000              40.000
Café (beneficiado)          900            1.080               1.200            900               1.080         1.200
Cana-de-Açúcar            75.750         5.467.500            90.000           75.750           5.467.500      90.000
Cebola                      370            18.500             50.000            520              26.000        50.000
Cenoura                    1.000          32.000              32.000
Coco-da-bahia                12             400                3.200              12              384          32.000
Crotalaria
Feijão (1ª safra)          1.471            1.765             1.200             1.471            1.327          900
Feijão (2ª safra)                                                                600             1.620         2.700
Feijão irrigado             800            1.920               2.400
Girassol                    150             300                2.000
Laranja                    1.500          30.000              20.000            1.500            30.000        20.000
Limão                        7              112               16.000
Mamão                        8               80               10.000
Maracujá                     5               90               18.000
Mandioca                   1.500          30.000              20.000            300              5.400         18.000
Milho                     58.000          377.000              6.500           59.296           409.142         6.900
Milho - Safrinha                                                                 36               108            300
Painço                     120              180                1.500
Soja                      85.854          244.684              2.850           91.174           273.522         300
Sorgo (1ª safra)          1.362             548                4.000            1.730            4.152         2.400
Sorgo - safrinha          2.000            4.000              2.000
Tangerina                   30             1.440              48.000
Tomate - mesa              255            22.950              90.000             255             22.950        90.000
Trigo                      165              825                5.000             55               264           4.800
Uva                          2               40               20.000              2                40          20.000
    Fonte: SAGRI - Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Junho/2009




 Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
CAPÍTULO 6º
                                         AGRONEGÓCIO                                                  13


                                         Produção Animal – 2009

                                  Produto                               Produção            Unidade
           População Bovina                                               228.000              cab.
           População Bovina Confinada                                       1600               cab.
           Carne Bovina                                                    10.000                t
           Vacas de Ordenha                                                38.476              cab.
           Leite                                                        76.777.990               l
           Sêmen Bovino                                                  2.500.000            doses
           Embriões Bovinos                                                 5.000               un
           Leilões Bovinos                                                157.996              cab.
           Suínos                                                          80.080              cab.
           Carne Suína                                                      3.600                t
           Matrizes         ( Mil un ) Aves de corte                         204                un
           Ovos Incubados ( Mil un )                                       59.000               un
           Pintos de um dia ( Mil un )                                     47.200               un
           Frango de Corte                                              19.024.178             cab.
           Carne de Frango                                                 48.018                t
           Aves de Postura                                                104.375              cab.
           Ovos                                                         2.505.000               dz
           Áreas de Represas para Piscicultura                                63                ha
           Carne de Peixe (Capacidade de Produção)                           440                 t
           Colmeias                                                        14.436               un
           Produção de Mel                                                   360                 t
           Fonte: SAGRI - Secretaria Mun. de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Junho/2009

A CEASA – Central de Abastecimento S/A de Uberaba é administrada pela Prefeitura Municipal
de Uberaba através da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. É através dela que
produtores, atacadistas e varejistas praticam o comércio de produtos hortigranjeiros a nível de
atacado, proporcionando a redução de intermediações e o custo de transporte, além de promover
uma formação de preços mais justa para o produtor.

Volume comercializado na CEASA

                    Total
    Ano
                 (Toneladas)
    2000            38,91
    2001            39,42
    2002            54,00
    2003            60,00
    2004            60,00
    2005            69,31
    2006          29.513,67
    2007          70.316,48
    2008          103.900,00
Fonte: SAGRI / CEASA


O aumento da comercialização deve-se ao processo de revitalização da unidade da Ceasa em
Uberaba, promovida pela atual administração, além do trabalho executado pela SAGRI para se
promover o plantio em escala dos principais produtos hortigranjeiros.
Hoje o processo atacadista está concentrado na Ceasa e mediante uma fiscalização rígida entre
produtores, atacadistas e compradores o resultado foi surpreendente, mostrando o consumo
médio real de frutas e verduras em Uberaba.




    Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula3 Prof. Fernanda
Aula3 Prof. FernandaAula3 Prof. Fernanda
Aula3 Prof. FernandaMatheus Yuri
 
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste BrasileiroEconomia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste BrasileiroVitor Morais
 
abelhas meliponeas do nordeste
abelhas meliponeas do nordesteabelhas meliponeas do nordeste
abelhas meliponeas do nordesteLenildo Araujo
 
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.Fagner Aquino
 
IAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigoIAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigoAgricultura Sao Paulo
 
Pará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de InvestimentosPará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de InvestimentosHerbert Machado
 
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194Lela Gomes
 
Projeto açaí vida verde implantação itapuã 2016
Projeto açaí vida verde   implantação itapuã 2016Projeto açaí vida verde   implantação itapuã 2016
Projeto açaí vida verde implantação itapuã 2016Leonardo Pool
 
A Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor AgrícolaA Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor AgrícolaJosevani Tocchetto
 
Projeto integrado ii exportação de acai
Projeto integrado ii exportação de acaiProjeto integrado ii exportação de acai
Projeto integrado ii exportação de acaiJ. Barbato
 
Gestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradores
Gestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradoresGestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradores
Gestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradoresÉrlei José de Araújo
 
Espaço agrícola brasileiro.
Espaço agrícola brasileiro.Espaço agrícola brasileiro.
Espaço agrícola brasileiro.Camila Brito
 
Cadeia de valor da mandioca reunião nacional
Cadeia de valor da mandioca   reunião nacionalCadeia de valor da mandioca   reunião nacional
Cadeia de valor da mandioca reunião nacionalSostino Mocumbe
 
Mic, apresentacao estrategia mandioca. austral
Mic, apresentacao estrategia mandioca. australMic, apresentacao estrategia mandioca. austral
Mic, apresentacao estrategia mandioca. australSostino Mocumbe
 
Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros
Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros
Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros Leandro Almeida
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...cbsaf
 
Degradação de pastagens em Goiás
Degradação de pastagens em GoiásDegradação de pastagens em Goiás
Degradação de pastagens em GoiásMarília Gomes
 

Mais procurados (20)

Epamig braquiaria
Epamig braquiariaEpamig braquiaria
Epamig braquiaria
 
Aula3 Prof. Fernanda
Aula3 Prof. FernandaAula3 Prof. Fernanda
Aula3 Prof. Fernanda
 
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste BrasileiroEconomia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
Economia do Umbu nas Pequenas Comunidades do Nordeste Brasileiro
 
abelhas meliponeas do nordeste
abelhas meliponeas do nordesteabelhas meliponeas do nordeste
abelhas meliponeas do nordeste
 
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
 
IAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigoIAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigo
 
Pará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de InvestimentosPará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
 
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
 
Projeto açaí vida verde implantação itapuã 2016
Projeto açaí vida verde   implantação itapuã 2016Projeto açaí vida verde   implantação itapuã 2016
Projeto açaí vida verde implantação itapuã 2016
 
A Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor AgrícolaA Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor Agrícola
 
Projeto integrado ii exportação de acai
Projeto integrado ii exportação de acaiProjeto integrado ii exportação de acai
Projeto integrado ii exportação de acai
 
Gestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradores
Gestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradoresGestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradores
Gestão do agronegócio - a hora e a vez dos administradores
 
Espaço agrícola brasileiro.
Espaço agrícola brasileiro.Espaço agrícola brasileiro.
Espaço agrícola brasileiro.
 
Ministério da Agricultura
Ministério da AgriculturaMinistério da Agricultura
Ministério da Agricultura
 
Cadeia de valor da mandioca reunião nacional
Cadeia de valor da mandioca   reunião nacionalCadeia de valor da mandioca   reunião nacional
Cadeia de valor da mandioca reunião nacional
 
Mic, apresentacao estrategia mandioca. austral
Mic, apresentacao estrategia mandioca. australMic, apresentacao estrategia mandioca. austral
Mic, apresentacao estrategia mandioca. austral
 
Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros
Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros
Geoestatistica para analise da viabilidade espacial de micros
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Expansão do açaí em monocu...
 
Degradação de pastagens em Goiás
Degradação de pastagens em GoiásDegradação de pastagens em Goiás
Degradação de pastagens em Goiás
 
Clipping cnc 26012016 versão de impressão
Clipping cnc 26012016   versão de impressãoClipping cnc 26012016   versão de impressão
Clipping cnc 26012016 versão de impressão
 

Destaque

Comercio internacional regular 7 instituições intervenientes no comércio ex...
Comercio internacional regular 7   instituições intervenientes no comércio ex...Comercio internacional regular 7   instituições intervenientes no comércio ex...
Comercio internacional regular 7 instituições intervenientes no comércio ex...Felipe Leo
 

Destaque (6)

Uberaba em Dados - 4/7 - Informações Econômicas
Uberaba em Dados - 4/7 - Informações EconômicasUberaba em Dados - 4/7 - Informações Econômicas
Uberaba em Dados - 4/7 - Informações Econômicas
 
Uberaba em Dados - 3/7 - Indicadores Sociais
Uberaba em Dados - 3/7 - Indicadores SociaisUberaba em Dados - 3/7 - Indicadores Sociais
Uberaba em Dados - 3/7 - Indicadores Sociais
 
Uberaba em Dados - 2/7 - Infraestrutura
Uberaba em Dados - 2/7 - InfraestruturaUberaba em Dados - 2/7 - Infraestrutura
Uberaba em Dados - 2/7 - Infraestrutura
 
Uberaba em Dados - 1/7 - Caracterização do Município
Uberaba em Dados - 1/7 - Caracterização do MunicípioUberaba em Dados - 1/7 - Caracterização do Município
Uberaba em Dados - 1/7 - Caracterização do Município
 
Uberaba em Dados - 5/7 - Desenvolvimento Empresarial
Uberaba em Dados - 5/7 - Desenvolvimento EmpresarialUberaba em Dados - 5/7 - Desenvolvimento Empresarial
Uberaba em Dados - 5/7 - Desenvolvimento Empresarial
 
Comercio internacional regular 7 instituições intervenientes no comércio ex...
Comercio internacional regular 7   instituições intervenientes no comércio ex...Comercio internacional regular 7   instituições intervenientes no comércio ex...
Comercio internacional regular 7 instituições intervenientes no comércio ex...
 

Semelhante a Agronegócio em Uberaba e a ExpoZebu

Sorgo: Comercialização e Logística
Sorgo:  Comercialização e LogísticaSorgo:  Comercialização e Logística
Sorgo: Comercialização e LogísticaGeagra UFG
 
Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1MalinkaNav
 
235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdf
235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdf235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdf
235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdfAgneloDouglas
 
Cr mais milho ativação dourados canal rural pdf
Cr mais milho ativação dourados canal rural pdfCr mais milho ativação dourados canal rural pdf
Cr mais milho ativação dourados canal rural pdfMeio & Mensagem
 
Xv agrocafé 2014 joão ramalho ebda
Xv agrocafé 2014 joão ramalho   ebdaXv agrocafé 2014 joão ramalho   ebda
Xv agrocafé 2014 joão ramalho ebdaRevista Cafeicultura
 
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte
Boas praticas agropecuarias bovinos de corteBoas praticas agropecuarias bovinos de corte
Boas praticas agropecuarias bovinos de corteLarissa Campos
 
Manual de seguranca_apis
Manual de seguranca_apisManual de seguranca_apis
Manual de seguranca_apisIPA
 
Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)
Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)
Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)Talicia Marinho
 
Informe Rural - 05/05/2014
Informe Rural - 05/05/2014Informe Rural - 05/05/2014
Informe Rural - 05/05/2014Informe Rural
 
São carlos (sp) prog
São carlos (sp)   progSão carlos (sp)   prog
São carlos (sp) progcomredesan
 
Informe Rural - 06/06/2013
Informe Rural - 06/06/2013Informe Rural - 06/06/2013
Informe Rural - 06/06/2013Informe Rural
 
Subsídio mel manual de segurança e qualidade para apicultura
Subsídio mel   manual de segurança e qualidade para apiculturaSubsídio mel   manual de segurança e qualidade para apicultura
Subsídio mel manual de segurança e qualidade para apiculturaInez Auad
 
Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)
Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)
Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)Bonsucro1
 

Semelhante a Agronegócio em Uberaba e a ExpoZebu (20)

Sorgo: Comercialização e Logística
Sorgo:  Comercialização e LogísticaSorgo:  Comercialização e Logística
Sorgo: Comercialização e Logística
 
Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1
 
235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdf
235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdf235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdf
235-Bovincultura_NOVO_2022-06-03-142852_yjmr.pdf
 
Canal rural milho
Canal rural milhoCanal rural milho
Canal rural milho
 
JornApis nº5
JornApis nº5JornApis nº5
JornApis nº5
 
Cr mais milho ativação dourados canal rural pdf
Cr mais milho ativação dourados canal rural pdfCr mais milho ativação dourados canal rural pdf
Cr mais milho ativação dourados canal rural pdf
 
Xv agrocafé 2014 joão ramalho ebda
Xv agrocafé 2014 joão ramalho   ebdaXv agrocafé 2014 joão ramalho   ebda
Xv agrocafé 2014 joão ramalho ebda
 
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte
Boas praticas agropecuarias bovinos de corteBoas praticas agropecuarias bovinos de corte
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte
 
01 manual sq apicultura - completo - 28-03-2008-final
01   manual sq apicultura - completo - 28-03-2008-final01   manual sq apicultura - completo - 28-03-2008-final
01 manual sq apicultura - completo - 28-03-2008-final
 
Manual de seguranca_apis
Manual de seguranca_apisManual de seguranca_apis
Manual de seguranca_apis
 
Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)
Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)
Jorn apis no-5(out-dez_2012) (1)
 
Agricultura Urbana e Periurbana
Agricultura Urbana e PeriurbanaAgricultura Urbana e Periurbana
Agricultura Urbana e Periurbana
 
Dia de Campo - Itabirito, MG
Dia de Campo - Itabirito, MGDia de Campo - Itabirito, MG
Dia de Campo - Itabirito, MG
 
Informe Rural - 05/05/2014
Informe Rural - 05/05/2014Informe Rural - 05/05/2014
Informe Rural - 05/05/2014
 
cadeia produtiva.pdf
cadeia produtiva.pdfcadeia produtiva.pdf
cadeia produtiva.pdf
 
São carlos (sp) prog
São carlos (sp)   progSão carlos (sp)   prog
São carlos (sp) prog
 
Informe Rural - 06/06/2013
Informe Rural - 06/06/2013Informe Rural - 06/06/2013
Informe Rural - 06/06/2013
 
Subsídio mel manual de segurança e qualidade para apicultura
Subsídio mel   manual de segurança e qualidade para apiculturaSubsídio mel   manual de segurança e qualidade para apicultura
Subsídio mel manual de segurança e qualidade para apicultura
 
Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)
Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)
Bonsucro Global Week 2022 - Roberto Hollanda Filho (National Sugar Energy Forum)
 
Boletim 3
Boletim 3Boletim 3
Boletim 3
 

Agronegócio em Uberaba e a ExpoZebu

  • 1. ÍNDICE 1 CAPÍTULO 6º ____________________________________________________________ 2 AGRONEGÓCIO _________________________________________________________ 2 6.1 – Agronegócio _______________________________________________________ 2 6.2 - Índices de Uberaba __________________________________________________ 9 Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 2. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 2 CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 6.1 – Agronegócio O Brasil é o 5º maior mercado consumidor do mundo, com população superior a 185 milhões de habitantes. Este fato evidencia o papel e a responsabilidade do agronegócio, na produção de alimentos, geração de emprego, melhoria e qualidade de vida dos Brasileiros. As lavouras de café, cana-de-açúcar, citros, milho, soja, arroz, feijão, trigo e outras ocupam 51 milhões de hectares e a área destinada a pecuária é de 220 milhões de hectares. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais - EMATER-MG presta serviços de assistência técnica e extensão rural aos agricultores do Estado de Minas Gerais, sendo seu público prioritário o agricultor familiar. Atua em parceria com as prefeituras e outras instituições, nos aspectos de tecnologia de produção, agregação de valor, comercialização, reabilitação e preservação ambiental e organização comunitária, com foco no desenvolvimento rural sustentável. Atua em 801municípios do Estado de Minas Gerais sendo que a Unidade Regional de Uberaba compreende 24 municípios e está presente em 94% do território mineiro. EPAMIG – Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, empresa pública de direito privado, vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais. Uberaba é sede do Centro Tecnológico do Triângulo e Alto Paranaíba, unidade da EPAMIG, que há mais de 30 anos vem desenvolvendo tecnologia para a agropecuária do cerrado, sendo uma das responsáveis pela transformação desta região EPAMIG em um celeiro de produção de alimentos. Criada em 6/8/74, tem como missão “Apresentar soluções e inovações tecnológicas para o desenvolvimento sustentável do agronegócio em beneficio da sociedade”. Constitui a EPAMIG Triângulo e Alto Paranaíba, a Fazenda Experimental Getulio Vargas de Uberaba, Fazenda experimental de Uberlândia, Fazenda Experimental de Patrocínio e Fazenda Experimental Sertãozinho de Patos de Minas. EPAMIG Tem como principais atividades e produtos: Pesquisa: arroz, café, feijão, fruticultura, gado F1, gir leiteiro, milho, soja, pastagens, oleaginosas para biosiesel e trigo; Sementes: arroz, café, feijão e soja; Matrizes e reprodutores: Gir Leiteiro; Prestação serviços: beneficiamento de sementes, germinação in vitro de orquídeas, análises laboratoriais de solos, sementes, fitopatológias e nematológicas; Outros: eventos técnicos e científicos, palestras, revistas, boletins e publicações. Conta com uma equipe de 24 cientistas além de infraestrutura de laboratórios para pesquisa e prestação de serviços nas áreas correlatas. Realizou importantes pesquisas para melhoramento de pastagens como a braquiária e a introdução e adaptação da cultura da soja no cerrado e consequentemente viabilizando a agricultura neste ecossistema, sendo que a variedade de soja mais plantada no cerrado brasileiro foi aqui desenvolvida com uma área de mais de 4 milhões de hectares. Desta forma, os trabalhos associados à mecanização das extensas áreas planas e aos investimentos em tecnologia no sistema de manejo dos solos, pelos empresários rurais, tornaram Uberaba o maior produtor de milho e de soja do Estado de Minas Gerais, produtos estes essenciais para a avicultura, bovinocultura e a suinocultura. Também são significativos os resultados obtidos na produção e produtividade de outras culturas como a arroz, feijão, flores, frutas, milho e oleaginosas para produção de biodiesel. Fonte: EPAMIG Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 3. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 3 Plantação de milho Colheita de milho Bovinocultura de leite Soja em grãos  Uberaba polariza uma região produtora de 4 milhões de toneladas de grãos.  Produção total de grãos do Município: 701.000 toneladas - Safra 2007/2008  Em 2008 Uberaba ocupou o 1º lugar na produção de milho e 2º na produção soja no estado de Minas Gerais e o 5º lugar no Brasil (milho) - Fonte: IEA  Segunda maior produtora de soja do Estado de Minas Gerais – 89.000 ha plantados na safra 2008/2009 – produção 267.000 toneladas - produtividade de 3.000kg/ha/ano.  Maior produtora de milho do Estado de Minas Gerais – 50.000 ha plantados na safra 2008/2009 - produção 345.500 toneladas – produtividade de 6.000 kg/ha/ano.  Uberaba é o 2º maior produtor de cana de Minas Gerais – 54.500 ha na safra 2008/2009 - produção de 3.910.500 t  Primeiro maior município em exportação avícola de Minas Gerais (Oriente Médio).  Parque Agroindustrial responsável por 30% da produção nacional de fertilizantes e primeiro produtor de adubos fosfatado da América Latina.  A Piscicultura em Uberaba está ganhando destaque como um novo pólo de desenvolvimento do setor de agronegócios. O município possui uma superfície de lâmina d’água de 650 ha, e capacidade produtiva de 1.6 ton/ha/ano de Tilápia (peixe de fácil manejo e de grande aceitação no mercado nacional e internacional), demonstrando seu potencial no mercado. Fonte: SAGRI - Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Junho 2009 Pecuária & Agronegócios Desde suas origens a economia de Uberaba esteve associada à sua aptidão pecuária e agrícola. Conhecida como a Capital Mundial do Zebu deve à zebuínocultura duas etapas marcantes de seu desenvolvimento no fim do século XIX e meados do século XX. Atualmente mais de 80% do rebanho nacional tem presença de sangue zebuíno e o sêmen de bovinos zebu, representa ¾ da produção nacional. A produção de embriões bovinos faz de Uberaba o maior centro de produção deste setor de biotecnologia no País. Merece destaque ter sido aqui formado o gado girolando, a primeira raça leiteira brasileira e que marca presença em todo o território nacional. Uberaba é sede da maior feira de pecuária, tecnologia e genética zebuína do mundo, a Expozebu, promovida pela ABCZ - Associação Brasileira de Criadores de Zebu desde 1934, no Parque Fernando Costa. No período de 28/4 a 10/5/2009 aconteceu a 75a ExpoZebu - Exposição Internacional das Raças Zebuínas, evento tradicional no Brasil, tornando Uberaba o centro financeiro da pecuária brasileira, tendo como objetivo principal mostrar os níveis de seleção e melhoramento genético no âmbito nacional e internacional. Os 12 dias de ExpoZebu foram marcados, ainda, por importantes discussões políticas, sanitárias e apresentação de pesquisas na área de meio ambiente. Com o tema "Zebu: Pecuária Sustentável", uma das novidades da exposição este ano foi o Projeto de Sustentabilidade, desenvolvido em parceria com diversas entidades. A iniciativa englobou desde a compostagem dos resíduos do gado, o uso racional de água para lavagem dos animais, a coleta seletiva até a divulgação de novos estudos nessa área. Por dia, a coleta de recicláveis durante a feira chegou a cerca de 500 quilos e o total de óleo de cozinha coletado nos restaurantes e barracas de alimentação foi superior a 600 litros. Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 4. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 4 Em parceria com a Prefeitura de Uberaba, a ExpoZebu 2009 ofereceu aos tratadores, gratuitamente, serviços na área de saúde, tais como tratamento dentário e exames de sangue, e de beleza (corte de cabelo). Várias outras ações sociais ocorreram durante a feira. Entre elas os projetos: "Zebu na Escola" e "Zebu UAI", que mobilizaram 10 mil pessoas, entre crianças, jovens e idosos. O que há de melhor da pecuária zebuína no mundo está na Expozebu: os melhores animais, a melhor genética para produzir o “boi ecológico”, a melhor produtividade e os melhores criadores. A feira teve entrada gratuita e shows regionais. No dia 9 de maio, a ABCZ registrou o maior público desta edição da feira: 49.163 pessoas passaram pelo parque para prestigiar os julgamentos, shows regionais, bares, boate e demais eventos. Julgamentos: A grande novidade dos julgamentos da ExpoZebu 2009 foi a atuação de três jurados nas raças com mais de 250 animais inscritos. O número de animais que competiram nos Julgamentos, no Concurso Leiteiro e no campeonato Matriz Modelo chegou a 3.039, das raças nelore (1033), gir aptidão leiteira (666), brahman (433), guzerá (356), tabapuã (255), sindi (89), nelore mocho (78), gir dupla aptidão (60), indubrasil (35) e gir mocha (34). Confira os Grandes Campeões de cada raça: Museu do Zebu: O Museu do Zebu trouxe a mostra “Marco de uma nova era”, que retrata a história do Parque Fernando Costa. Já o projeto Zebu na Escola levou 9.300 estudantes dos ensinos fundamental, médio, técnico e universitário para o Parque Fernando Costa. Eles conheceram todo o processo de produção da carne e do leite, desde o pasto até o prato. A versão do projeto para a terceira idade, o Zebu UAI, teve a participação de 818 idosos de Uberaba. ExpoZebu/2009  Público: 355.279 mil pessoas;  N.° de visitantes estrangeiros: 450 estrangeiros de 27 países;  N.º raças zebuínas participantes: 09 - nelore, nelore mocha, gir (dupla aptidão e aptidão leiteira), tabapuã, guzerá, brahman, indubrasil e sindi. Leilões – ExpoZebu/09  Leilões realizados: 48;  Faturamento dos Leilões: R$56.784.330,00;  Média geral por lote: R$ 42.824,00;  Animal mais caro: R$1.498 milhão a fêmea nelore Elegance VI da Unimar. Além dos pregões, os pecuaristas puderam adquirir animais em 12 shoppings de zebuínos, uma modalidade que tem sido bastante difundida entre os criadores. Biotecnologia Uberaba consolida-se cada vez mais como o principal centro mundial de negócios de biotecnologia público e privado, nas áreas de melhoramento genético, de alimentos em geral, zebuíno e de ovinocultura. O Município reúne as principais centrais de inseminação do país e os resultados mostram o crescente interesse e investimentos em melhoramento genético em todos os setores. ABS Pecplan Missão: “Satisfazer nossos clientes com produtos e serviços de qualidade, assegurando os melhores resultados e mantendo a liderança absoluta no mercado de genética” Objetivo: Contribuir para o melhoramento genético do rebanho brasileiro. Para isso, oferece ao mercado o que há de mais moderno em inseminação artificial, acasalamento computadorizado, cruzamento entre raças, cursos de formação de Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 5. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 5 inseminadores, orientação ao produtor e segurança sanitária. Em Uberaba está localizada a Central de Excelência e Tecnologia da ABS Pecplan. Inaugurada em 1974, dispõe de 250 hectares destinados a abrigar touros de diversas raças, laboratórios e escritórios. A localização privilegiada da central, ao lado da Rodovia BR 050, otimiza o trabalho da empresa que oferece aos mercados nacional e internacional a melhor genética bovina existente, assim como outros produtos e serviços que contribuem para o sucesso da atividade agropecuária. O quarentenário da ABS Pecplan é o único no Brasil aprovação do USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) que garante o cumprimento do mais rígido protocolo sanitário para o de sêmen do Brasil enviado a diversos países, entre eles mercados no Oriente Médio, América do Sul, América Central e Ásia. O Sistema de Manejo Genético (GMS) é o maior programa de manejo genético da pecuária leiteira mundial e a ABS Pecplan é a terceira maior no mundo na aplicação do GMS. É um programa que possibilita a planificação do cruzamento das vacas com os touros que melhor se adaptam às características desejadas pelos criadores, baseando-se exclusivamente nas qualidades de mais de 150.000 touros já testados em todo o mundo, a ABS Pecplan pode oferecer as alternativas mais indicadas para cada necessidade. Atualmente, o GMS pode recomendar mais de 150 milhões de opções e, ano após ano, recebe dados de novos touros, ampliando periodicamente o número de possibilidades. Fonte: www.abspecplan.com.br Alta Genetics Missão: "Auxiliar o produtor a atingir o lucro máximo através da melhor genética, com a melhor orientação técnica e prestação de serviços." Objetivo: Prover a mais avançada genética disponível, em qualquer parte do mundo, para melhorar a produção de carne e leite. A Alta Genetics é uma das maiores empresas de inseminação artificial do mundo, distribuindo sêmen e tecnologia nos cinco continentes. A Alta Genetics conduz o mais avançado programa privativo de pesquisas em tecnologia reprodutiva em suas centrais, tendo introduzido diversas técnicas avançadas neste setor. No Brasil, a matriz está localizada na cidade de Uberaba/MG e possui quase 50 escritórios regionais em todo o país, com técnicos treinados e capacitados a prestar os melhores serviços, de forma a auxiliar o produtor a ter sucesso na atividade pecuária. Fonte: www.altagenetics.com.br/empresa Geneal – Genética e Biotecnologia Animal A biotecnologia é, hoje, ferramenta indispensável para garantir a competitividade da agropecuária. Pensando assim é que as Fazendas Mata Velha e Vergel Agropecuária se uniram para criar a GENEAL, empresa especializada em biotecnologia animal. Com sede em Uberaba, está estruturando um laboratório de última geração, além de um corpo técnico-científico altamente qualificado com larga experiência nas técnicas FIV, Genotipagem e Clonagem. Fertilização in vitro – FIV de embriões bovinos, consiste em:  Proporcionar o maior número de descendentes de animais geneticamente superiores em um mesmo período de tempo, maximizando a rentabilidade por animal;  Reduzir intervalo de gerações;  Ser aplicada em diversas fases reprodutivas da fêmea bovina: novilhas pré-púberes, vacas gestantes (até 100 dias), pós-parto, cíclicas e senis; Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 6. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 6  Dispensar o uso intensivo de hormônios;  Aproveitar animais pouco responsivos à super ovulação;  Otimizar o uso de sêmen e o planejamento de acasalamentos;  Apresentar a melhor relação custo x benefício quando comparada com as demais técnicas existentes. Genotipagem: Com o avanço da genética molecular e da tecnologia do DNA, hoje é possível enxergar em um animal as informações de interesse para a seleção. A informação contida nos genes do animal pode ser conhecida no momento do nascimento, ou mesmo antes, na fase embrionária. Assim fica mais fácil, objetivo e seguro programar acasalamentos. Programas de seleção e melhoramento genético são acelerados, com economia de tempo e dinheiro. A genotipagem agrega valor de mercado aos animais, suas características hereditárias deixam de ser uma mera questão de probabilidades. O primeiro serviço a ser ofertado neste segmento é o exame de paternidade. Clonagem: representa um dos maiores avanços obtidos até hoje no campo da biotecnologia animal. A técnica de transferência nuclear (TN), utilizada na clonagem animal, tem diversas aplicações em diferentes setores estratégicos, sejam científicos ou produtivos. No setor produtivo a transferência nuclear pode ser aplicada para potencializar ainda mais os programas de melhoramento genético e regeneração de animais acidentados ou já mortos. Nova Índia Genética  Tecnologia 100% brasileira ao nível das melhores do mundo.  Famosos Programas de melhoramento genético que são "bulas" do gado brasileiro.  Alta qualidade reconhecida. Segurança para criador. Confiança para o rebanho brasileiro. É uma Empresa da Nova Consciência. A Nova Índia teve a oportunidade de poder contar com a existência da nova tecnologia do século 21 para ser planejada e construída. O trabalho da Nova Índia tem se voltado exclusivamente para as raças tropicais. Além das suas contribuições em pesquisas, os embriões que produz tem excelente valorização nos leilões por apresentarem um alto nível de fertilidade. Programa T.E. - Ajudando a introduzir a moderna tecnologia. A Transferência de Embriões é uma das mais modernas técnicas de melhoramento rápido da qualidade do rebanho. Graças a ela, uma fêmea que produzia aproximadamente 12 filhos em toda sua vida útil, passa a produzir cerca de 30 filhos por ano. Com este Programa, a Nova Índia obteve índices de prenhezes com embriões de 87%, 15% acima dos melhores índices do mundo. Programa Touros Jovens. Ajuda a enriquecer a "bula" do gado zebu, valorizando suas possibilidades de aumento de peso e precocidade, ligados ao valor genético. Programa Método Shiva de Treinamento de Inseminadores. Utiliza simuladores de vacas em plástico, ao invés de vacas vivas. Esse Método revolucionou o ensino, sendo utilizado hoje em todo o País, e está intimamente ligado ao desenvolvimento da tecnologia de reprodução do País, para Inseminação Artificial e Embriologia. Programa Gir 2000 Usa a tecnologia que já possui, para produzir embriões de vacas Gir tornando nosso rebanho mestiço, em um maravilhoso rebanho de gado Gir, com características de uma raça de leite especial para os trópicos. Fonte: www.novaindia.com.br Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 7. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 7 Ovinogen Nasce em Uberaba uma das mais modernas empresas de inseminação artificial do Brasil. Localizada às margens da Rodovia BR 050, km 183, a Ovinogen surge como um valioso aliado e um parceiro de ouro na seleção genética de ovinos. Com objetivo de contribuir para o melhoramento genético a ovinocultura, a ovinogen oferece a seus clientes e parceiros, o que há de mais moderno em instalações, laboratórios e central de vendas. Com instalações modernas e baias específicas para ovinos, as 300 matrizes e os 30 reprodutores em coleta, tem acompanhamento de zootecnistas e veterinários altamente qualificados. A Ovinogen conta ainda, com um centro de convenções com capacidade para 300 pessoas. O recinto está preparado para receber congressos, cursos, palestras e leilões. O centro administrativo abriga a gerência, o departamento de vendas, de marketing, uma central de telemarketing e a grande ferramenta para vendas de sêmen, embriões e prenhezes da Ovinogen, o stúdio de TV, onde será produzido o programa Ovinogen TV. Ovinogen Tecnologia em reprodução multiplicando resultados. Fonte: www.ovinogen.com.br/empresa Vitrogen - 10 anos de Biotenologias de Reprodução Animal no Brasil Empresa 100% brasileira, especializada em desenvolver e aplicar biotecnologias da reprodução bovina. Fundada em 1999, a Vitrogen já atende mais de 400 pecuaristas em todo Brasil e é líder mundial na produção de embriões in vitro e pioneira em aspiração folicular e fecundação OPU/FIV. OPU/FIV - Melhoramento genético 2008 é um marco na história das biotecnologias de reprodução animal. Neste ano os primeiros animais produzidos comercialmente no Brasil por Aspiração Folicular e Fecundação in vitro (OPU/FIV) completaram 10 anos. Ou seja, há uma década a Vitrogen vem revolucionando, pioneiramente, a reprodução de plantéis no Brasil e em outros países. Neste período, a empresa formou dezenas de profissionais, aprimorou as técnicas e desenvolveu novas tecnologias, investiu em pesquisas e abriu novos horizontes para os empresários do campo. As tecnologias aplicadas pela Vitrogen são: ASPIRAÇÃO FOLICULAR (OPU) É a coleta das células reprodutivas diretamente dos ovários da fêmea sem a utilização de hormônios. Os oócitos (óvulos imaturos) são levados ao laboratório Vitrogen mais próximo para garantir a qualidade dos embriões que serão produzidos. FECUNDAÇÃO IN VITRO As células são maturadas e fecundadas com sêmen escolhido pelo criador. Uma única dose de sêmen pode ser utilizada para fecundar os óvulos de diferentes doadoras. Sete dias depois são entregues embriões de qualidade garantida (sexados ou não), prontos para transferência nas receptoras. ANÁLISES DE DNA A análise do DNA Mitocondrial é um exame realizado para certificação da pureza racial (indicus e taurus). -Testes de paternidade de bovinos, ovinos, equinos e avestruz, também conhecido como teste de vínculo genético. -Genestar são testes que analisam quatro regiões do DNA bovino para dizer se um animal terá carne mais macia e marmorizada. CLONAGEM O trabalho de clonagem é feito em parceria com a USP/Pirassununga. O investimento nesta tecnologia varia de acordo com a quantidade de animais nascidos sadios aos 30 dias de vida. O prazo de entrega dos clones é de 18 meses. Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 8. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 8 ESTOCAGEM DE CÉLULA E DNA A estocagem de células e DNA é uma garantia para o criador que quer preservar a genética de animais superiores. Um pequeno pedaço da pele é coletado, as células são colocadas em cultivo e criopreservado por tempo indeterminado em nitrogênio líquido. 1A E TE EM OVINOS Atendendo o recente reaquecimento da ovinocultura no Brasil, a Vitrogen disponibilizou a 1A e TE também em ovinos. Central para ovinos Os criadores de ovinos que investem em biotecnologias de reprodução para acelerar o melhoramento genético dos rebanhos podem contar com um novo serviço especializado: a central de doadoras e receptoras Vitrogen e Agropecuária Dubom. Localizada na Fazenda Boa Esperança, a 47 km de Uberaba/MG, essa central é a primeira exclusiva para ovinos da raça Santa Inês. Entre os principais serviços oferecidos estão: a aplicação das técnicas de coleta (oócitos e embriões), transferência de embriões, inseminação artificial, fecundação in vitro, diagnósticos de gestação, congelamento e descongelamento de embriões, além da coleta de células e clonagem. Atualmente, estão hospedadas na Central Dubom doadoras de destaque dos principais plantéis da raça no país. Com uma ampla estrutura física e alta tecnologia para doadoras de embriões, a Central também abriga um seleto rebanho de receptoras, animais selecionados rigorosamente, garantindo a segurança e agilidade na aplicação das técnicas de reprodução. A equipe da central também faz coleta e transferência de embriões nas fazendas dos clientes. Outra vantagem, segundo o proprietário da fazenda, Flávio Paiva, a central está estrategicamente localizada entre os principais pólos da criação de ovinos Santa Inês. “Uberaba é a melhor logística do país. Estamos entre os principais estados consumidores em um raio de 500 km, além de ser o pólo da agropecuária brasileira”, afirma o criador. Fonte: www.vitrogen.com.br Agronegócio em Minas Gerais – 2007  Minas Gerais possui 308.000 Km² de cerrados que representam 53% da área total de Minas Gerais e 17% do cerrado do Brasil.  Número de estabelecimentos rurais: 523.535 sendo 84% agricultores familiares com área inferior a 100 hectares.  Número de produtores: 704.000 incluindo meeiros e arrendatários.  Pessoal ocupado em atividades agrícolas: 2 milhões de pessoas (censo 1996).  Minas possui 2.800,9 mil hectares plantados em grãos.  Produtividade de 3.633 kg/ha.  Produção de grãos: Produção recorde de 10,1 milhões de toneladas.  Principais culturas de grãos: Milho com 6.5 milhões de toneladas e Soja com 2,6 milhões de toneladas (safra 2008/2009).  Participação da agropecuária no PIB: 9,14%, sendo em torno de 30% quando se considera o agronegócio.  Composição da agropecuária no PIB dos municípios: Em 19% dos municípios é o setor mais importante e em 54,3% é o segundo setor mais importante.  Representatividade nacional: Minas Gerais ocupa o primeiro lugar, no país, em produção de café em coco (com 52% da produção nacional), leite (28,4% da produção nacional), queijo artesanal, alho, abacaxi, batata, produção de própolis e reflorestamento; o segundo lugar em milho, feijão, tomate, olerícolas e ovos; o terceiro lugar em carne bovina, carne de frango, algodão e cana-de-açúcar; o quarto lugar em laranja, banana e carne suína.  Colheita da safra recorde de 9,6 milhões de toneladas de grãos em 2,9 milhões de hectares.  Principais culturas de grãos: Milho com 6,1 milhões de toneladas e soja com 2,5 milhões de toneladas. Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 9. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 9 Produção de Grãos - 2009 Uberaba X Estado de Minas Gerais Produção Produção Uberaba / Cultura Minas Gerais Uberaba Minas em % Milho (1000 t) 6.466 345 5,34 Soja (1000 t) 2.595 267 10,29 Laranja (t) 597 36 6,06 Cana de Açúcar (t) 44.120 3.910 8,86 Rebanho Bovino (1000 Cab) 22.575 210 0,93 Produção de Leite (1000 l) 6.899.170 98.850 1,43 Plantel Avícola (1000 cab) 93.584 4.000 4,27 Produção de Ovos (Cx./30dz) 6.262.500 53.478 0,85 Fonte: CONAB (2009); EMATER (2009) Agronegócio do Triângulo Mineiro em 2009:  Número de produtores: 29.930  Participação no PIB: a agropecuária representa 9,14% do PIB de Minas Gerais  Ocupação de mão-de-obra: ocupa 110.000 pessoas diretamente no setor, correspondendo a 20% das ocupações da região.  PIB: o Triângulo Mineiro concentra 1,7% do PIB de Minas Gerais, Uberaba lidera o ranking na agropecuária do estado. Fonte: IBRAM – 2009 (EMATER) 6.2 - Índices de Uberaba População urbana: 94% População rural: 6% Número de propriedades rurais do Município (2007): 2.857 Número de produtores rurais do Município (2007): 2.803 Número de Propriedades Rurais – 2007 Intervalo de Quantidade (%) Área (ha) <1 11 0,39 1a<2 85 2,98 2a<5 153 5,36 5 a < 10 165 5,78 10 a < 20 336 11,76 20 a < 50 643 22,51 50 a < 100 445 15,58 100 a < 200 405 14,18 200 a < 500 405 14,18 500 a < 1000 154 5,38 > 1000 55 1,90 Total 2.857 100,00 Fonte: EMATER 2007 Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 10. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 10 Propriedades Rurais por intervalo de 0,39% área 1,90% 2,98% 5,36% <1 1a<2 5,38% 2a<5 5,78% 5 a < 10 14,18% 10 a < 20 11,76% 20 a < 50 50 a < 100 100 a < 200 14,18% 200 a < 500 500 a < 1000 22,51% > 1000 15,58% Classificação da Propriedade Discriminação Quantidade % Relativa Mini Propriedade 850 28,33 Pequena Propriedade 1104 36,81 Media Propriedade 705 23,50 Grande Propriedade 331 11,03 Propriedade não Classificada 10 0,33 Total 3.000 100,00 Fonte: INCRA-DC. Compilação: SAGRI - Junho/2009 Número de Propriedades Rurais – 2007 Intervalo de Quantidade (%) Área (ha) <1 11 0,39 1a<2 85 2,98 2a<5 153 5,36 5 a < 10 165 5,78 10 a < 20 336 11,76 20 a < 50 643 22,51 50 a < 100 445 15,58 100 a < 200 405 14,18 200 a < 500 405 14,18 500 a < 1000 154 5,38 > 1000 55 1,90 Total 2.857 100,00 Fonte: EMATER 2007 Classificação da Propriedade Discriminação Quantidade % Relativa Mini Propriedade 850 28,33 Pequena Propriedade 1104 36,81 Media Propriedade 705 23,50 Grande Propriedade 331 11,03 Propriedade não Classificada 10 0,33 Total 3.000 100,00 Fonte: INCRA-DC. Compilação: SAGRI - Junho/2009 Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 11. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 11 Distribuição do Uso do Solo Rural Discriminação Área Ocupada (ha) Culturas anuais 142.002 Culturas semi-perenes 48.948 Culturas permanentes 2.638 Pastagem natural 41.062 Pastagem formada 167.022 Terras produtivas não utilizadas 350 Floresta natural 30.833 Floresta formada 16.100 Total 448.955,00 Fonte: EMATER Uso do Solo Discriminação Área (ha) ( % ) Relativa Área Urbana 10.000 2,20% Áreas Nativas 14.405 3,17% Culturas Cereais 170.000 37,43% Culturas Temporárias 5.000 1,10% Culturas Perenes 1.000 0,22% Laranja 1.500 0,33% Cana de açúcar 75.750 16,68% Olericultura 2.500 0,55% Pastagens 155.396 34,22% Reflorestamento 18.500 4,10% Total 454.051 100,00% Fonte: INCRA/SIAGRU – Compilação SAGRI/SAI Rural - Junho/2009 Uso do Solo 2,20% 3,17% Área Urbana 4,07% Áreas Nativas 34,22% 37,44% Culturas Cereais Culturas Temporárias Culturas Perenes Laranja 1,10% Cana de açúcar 0,55% Olericultura Pastagens 0,22% Reflorestamento 16,68% 0,33% Produção de Corretivos e Fertilizantes Produto Produção(t) Calcário Agrícola 74.859 Gesso 1.200.000 Fertilizantes Formulados NPK 2.000.000 Silicato 50.000 Fonte: SAGRI Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 12. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 12 Capacidade de Estocagem Produto Capacidade Unidade Grãos (inclui armazenagem em propriedades) 450.000 t Peixe 120 t Carne Bovina 150 t Carne de Aves 300 t Leite e Derivados 360 t Álcool 30.000.000 l Fonte: SAGRI / SIA Rural – Junho/2009 Produção Agrícola Safra 2007 / 2008 Safra 2008 / 2009 Produto Área Produção Área Produção Rend. Rend. Médio plantada esperada plantada esperada ou Médio kg/ha (ha) ou obtida (t) (ha) obtida (t) kg/ha Abacate Algodão 300 825 2.750 Alho 80 1.040 13.000 Amendoim 300 600 2.000 2.100 4.200 2.000 Arroz irrigado 8 40 5.000 8 40 5.000 Arroz (sequeiro) 600 1.080 1.800 600 1.080 1.800 Arroz (várzea) Banana 50 600 12.000 86 1.032 1.200 Batata (1ª safra) 1.210 7.260 30.000 1.210 36.300 30.000 Batata (2ª safra) Batata (3ª safra) 150 5.250 3.500 Beterraba 150 6.000 40.000 Café (beneficiado) 900 1.080 1.200 900 1.080 1.200 Cana-de-Açúcar 75.750 5.467.500 90.000 75.750 5.467.500 90.000 Cebola 370 18.500 50.000 520 26.000 50.000 Cenoura 1.000 32.000 32.000 Coco-da-bahia 12 400 3.200 12 384 32.000 Crotalaria Feijão (1ª safra) 1.471 1.765 1.200 1.471 1.327 900 Feijão (2ª safra) 600 1.620 2.700 Feijão irrigado 800 1.920 2.400 Girassol 150 300 2.000 Laranja 1.500 30.000 20.000 1.500 30.000 20.000 Limão 7 112 16.000 Mamão 8 80 10.000 Maracujá 5 90 18.000 Mandioca 1.500 30.000 20.000 300 5.400 18.000 Milho 58.000 377.000 6.500 59.296 409.142 6.900 Milho - Safrinha 36 108 300 Painço 120 180 1.500 Soja 85.854 244.684 2.850 91.174 273.522 300 Sorgo (1ª safra) 1.362 548 4.000 1.730 4.152 2.400 Sorgo - safrinha 2.000 4.000 2.000 Tangerina 30 1.440 48.000 Tomate - mesa 255 22.950 90.000 255 22.950 90.000 Trigo 165 825 5.000 55 264 4.800 Uva 2 40 20.000 2 40 20.000 Fonte: SAGRI - Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Junho/2009 Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET
  • 13. CAPÍTULO 6º AGRONEGÓCIO 13 Produção Animal – 2009 Produto Produção Unidade População Bovina 228.000 cab. População Bovina Confinada 1600 cab. Carne Bovina 10.000 t Vacas de Ordenha 38.476 cab. Leite 76.777.990 l Sêmen Bovino 2.500.000 doses Embriões Bovinos 5.000 un Leilões Bovinos 157.996 cab. Suínos 80.080 cab. Carne Suína 3.600 t Matrizes ( Mil un ) Aves de corte 204 un Ovos Incubados ( Mil un ) 59.000 un Pintos de um dia ( Mil un ) 47.200 un Frango de Corte 19.024.178 cab. Carne de Frango 48.018 t Aves de Postura 104.375 cab. Ovos 2.505.000 dz Áreas de Represas para Piscicultura 63 ha Carne de Peixe (Capacidade de Produção) 440 t Colmeias 14.436 un Produção de Mel 360 t Fonte: SAGRI - Secretaria Mun. de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Junho/2009 A CEASA – Central de Abastecimento S/A de Uberaba é administrada pela Prefeitura Municipal de Uberaba através da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. É através dela que produtores, atacadistas e varejistas praticam o comércio de produtos hortigranjeiros a nível de atacado, proporcionando a redução de intermediações e o custo de transporte, além de promover uma formação de preços mais justa para o produtor. Volume comercializado na CEASA Total Ano (Toneladas) 2000 38,91 2001 39,42 2002 54,00 2003 60,00 2004 60,00 2005 69,31 2006 29.513,67 2007 70.316,48 2008 103.900,00 Fonte: SAGRI / CEASA O aumento da comercialização deve-se ao processo de revitalização da unidade da Ceasa em Uberaba, promovida pela atual administração, além do trabalho executado pela SAGRI para se promover o plantio em escala dos principais produtos hortigranjeiros. Hoje o processo atacadista está concentrado na Ceasa e mediante uma fiscalização rígida entre produtores, atacadistas e compradores o resultado foi surpreendente, mostrando o consumo médio real de frutas e verduras em Uberaba. Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo - SEDET