Comunicação eficaz parte 3

354 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
354
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
44
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comunicação eficaz parte 3

  1. 1. "Mesmo votar em favor do direito não é fazer coisa alguma porele. As coisas não mudam; nós é que mudamos."Henry David ThoreauParte 3
  2. 2. Janela de JOHARI Técnica de avaliação de como nos expressamos frenteaos outros e como somos avaliados por eles. Análise de abertura e feedback Auto-conhecimento
  3. 3. Aguçando a percepção Níveis de Aprendizado: DesconhecimentoinconscienteNão sabe que não sabe Desconhecimento conscienteSabe que não sabe Conhecimento conscienteSabe que sabe (habilidade) Conhecimento inconscienteSabe mas sem precisar selembrar que sabe (domínio)
  4. 4. Aguçando a percepção Habilidade <Conhecimento<Domínio Prática = Repetição + sistemática Nuances = Habilidade + Percepção Competências Hard versus Competências Soft Domínio é a habilidade inconsciente
  5. 5. Expressões faciais I
  6. 6. Expressões faciais II
  7. 7. Lógica É o estudo das formas de argumentação válidas. É chamada lógica formal quando: Preocupa-se com a correção formal do pensamentoExemplo:SePremissa 1: Todos os brasileiros são europeuse se,Premissa 2: Pedro é brasileirologo,Conclusão: Pedro é europeu
  8. 8. Lógica É chamada lógica material quando: Preocupa-se com a aplicação do pensamento a realidade.Exemplo:SePremissa 1: há uma força que puxa todas as coisas para a terrae sePremissa 2 : essa força age independente da massalogo,Conclusão: objetos de pesos diferentes caem com a mesmaaceleração.
  9. 9. Como o ser humano raciocina:Três são as principais operações do intelecto humano: a simples apreensão, os juízos e oraciocínio. A simples apreensão consiste na captação direta (através dos sentidos, da intuiçãoracional, da imaginação etc) de uma realidade sobre a qual forma-se uma idéia ouconceito (p. ex., de um objeto material, ideal, sobrenatural etc) que, por sua vez, recebeuma denominação (as palavras ou termos, p. ex.: “mesa”, “três” e “arcanjo”). O juízo é ato pelo qual os conceitos ou idéias são ligadas ou separadas dando origem àemissão de um “julgamento” (falso ou verdadeiro) sobre a realidade, medianteproposições orais ou escritas. Por exemplo: “Há três arcanjos sobre a mesa da sala” O raciocínio, por fim, consiste no “arranjo” intelectual dos juízos ouproposições, ordenando adequadamente os conteúdos da consciência. Noraciocínio, parte-se de premissas para se chegar a conclusões que devem ser adequadas.Procedendo dessa forma, adquirem-se conhecimentos novos e defende-se ou aprofunda-se o que já se conhece. Para tanto, a cada passo, é preciso preencher os requisitos dacoerência e do rigor. Por exemplo: “Se os três arcanjos estão sobre a mesa da sala, nãoestão sobre a mesa da varanda”
  10. 10. Argumentação Tese Premissas Hipóteses Conclusão Analise FOFA Pontos Fortes Oportunidades (novas premissas e conclusões) Pontos Fracos Ameaças (derrubada de premissas e conclusões – invalidar)
  11. 11. Testando sua percepção
  12. 12. Negociação Contexto (Cenário) Geral Objetivos próprios x Objetivos do outro Objeto Custo x Benefício Ganha x Perde Ganha x Ganha Perde x Perde Feedback
  13. 13. VamospraticarVocêconsegue secomunicar demodo eficaz?

×