LEXICOGRAFIA REGIONALE GEOGRAFIA LINGÜÍSTICA            Antônio Luciano Pontes
QUE É LEXICOGRAFIA REGIONAL?   Lexicografia regional X Metalexicografia    Regional
ORIGEM A Lexicografia Regional se origina na América  como uma forma de afirmação nacional . Como é lógico supor, a prod...
QUEM FAZIA   Folcloristas, professores, médicos rurais,    engenheiros, intelectuais
QUEM DEVE FAZER   Filologos, dialetológos, lexicógrafos, linguista    aplicado, Na equipe , deve aparecer especialistas  ...
PROBLEMAS GERAIS   As falhas nos glossários regionais ( ou difenciais)    são decorrentes da péssima formação de seus    ...
OBJETO DE ESTUDO DA LEXICOGRAFIAREGIONAL A (Meta)Lexicografia Regional possui as  seguintes linhas essenciais de investig...
A) REGIONALISMOS EM DICIONÁRIOSGERAIS                    Fonte: Dicionário Aurélio Século XXI
B) VOCABULÁRIOS DIALETAIS EDICIONÁRIOS DE REGIONALISMOS                    Fonte: Vocabulário Popular Cearense
ERROS NA MACROESTRUTURA NOMENCLATURA REDUZIDA DESSAS  OBRAS, POR SEGUIR O método diferencial ou  contrastivo, no lugar do...
ERROS DE MICROESTRUTURA   Ausência, escassez ou assistematicidade nas    abreviaturas e indicaçoes que marcam as    “cond...
DISCIPLINAS AUXILIARES À LR   Fora do lugar
A DIALETOLOGIA   A Dialetologia tem como objetivo principal    recolher, sistematizar, analisar e interpretar os    traço...
ERROS DE MICROESTRUTURA Circularidade. Isso ocorre quando há duas  palavras regionais sinonimos, em que uma é  remetida p...
 Definiçoes hipoespecificas Definir a palavra local com a palavra padrao Falta de rigor na ordenação das acepçoes
O MÉTODO CARTOGRÁFICO É o método de pesquisa da Geografia Lingüística  para a confecção de atlas lingüístico. Consiste e...
ATLAS LINGÜÍSTICO O Atlas Lingüístico é um dos produtos  resultantes de uma pesquisa de natureza  geolingüística, através...
BIBLIOGRAFIA   ORTEGA OJEDA, Gonzalo. Lexicografía Regional y    Diletantismo: el caso canario.p.197-209. In: Almeida,   ...
   ALVAR EZQUERRA, M., Diccionario General ¡lustrado de la Lengua Española,   Barcelona, Biblograf, 1987.   93   —, "L...
   CASARES, J., Introducción a la lexicografía moderna, Madrid,    Anejo LII de la   RFE, CSIC, 1950.   —, "Provinciali...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lexicografia regional e geografia linguistica luciano pontes

1.182 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lexicografia regional e geografia linguistica luciano pontes

  1. 1. LEXICOGRAFIA REGIONALE GEOGRAFIA LINGÜÍSTICA Antônio Luciano Pontes
  2. 2. QUE É LEXICOGRAFIA REGIONAL? Lexicografia regional X Metalexicografia Regional
  3. 3. ORIGEM A Lexicografia Regional se origina na América como uma forma de afirmação nacional . Como é lógico supor, a produção lexicográfica sofre problemas relativos à seleção do corpus, a estrutura das definições e se caracteriza por ser essencialmente normativo...
  4. 4. QUEM FAZIA Folcloristas, professores, médicos rurais, engenheiros, intelectuais
  5. 5. QUEM DEVE FAZER Filologos, dialetológos, lexicógrafos, linguista aplicado, Na equipe , deve aparecer especialistas em informática, semantecistas, etc
  6. 6. PROBLEMAS GERAIS As falhas nos glossários regionais ( ou difenciais) são decorrentes da péssima formação de seus produtors; As falhas se estendem também nos dicionarios produzidos por lexicógrafos, “sérios” e por filólogos despreparados no âmbito da prática lexicográfica Cada repertório lexicografico deve ser situado em seu contexto historico. : é muito fácil criticar uma obra cem anos depois de sua elaboração. As falhas vem se multiplicando geometricamente pelo fato de que muitos dos dicionarios tomarem por base as fontes lexicográficas do passado, sem passar por uma revisão ou adaptação. Essa revisão, deverá se pautar pelas contribuiçoes da nova Lexicografia e das contribuiçoes das abordagens linguisticas atuais.
  7. 7. OBJETO DE ESTUDO DA LEXICOGRAFIAREGIONAL A (Meta)Lexicografia Regional possui as seguintes linhas essenciais de investigação:a) O regionalismo e sua presença nos dicionários gerais;b) Os regionalismos como objeto exclusivo de estudo – vocabulários dialetais ou dicionários de regionalismos.c) Os regionalismos presentes nos atlas lingüísticos.Este slide está fora do lugar
  8. 8. A) REGIONALISMOS EM DICIONÁRIOSGERAIS Fonte: Dicionário Aurélio Século XXI
  9. 9. B) VOCABULÁRIOS DIALETAIS EDICIONÁRIOS DE REGIONALISMOS Fonte: Vocabulário Popular Cearense
  10. 10. ERROS NA MACROESTRUTURA NOMENCLATURA REDUZIDA DESSAS OBRAS, POR SEGUIR O método diferencial ou contrastivo, no lugar do integral. Confusão do geral com o regional, por considerar que tudo que é informal é dialetal. Presença de nomes próprios na nomenclatura, a exemplo dos dicionários enciclopédicos. Registro insatisfatório das expressoes pluriverbais . Lembrar que nem toda expressão é popular. Erros de lematização: se elege como lema o diminutivo, o feminino de um adjetivo ou de substantivo, o gerúndio de um verbo
  11. 11. ERROS DE MICROESTRUTURA Ausência, escassez ou assistematicidade nas abreviaturas e indicaçoes que marcam as “condições normais do uso”sincronico de uma palavra ou de uma acepção ( informação fonetica e gramatical , dados diatopicos, diastraticos, de registro, informação aspectual, - sentido metaforico, , metonimico ou ironico- valor depreciativo ou não.
  12. 12. DISCIPLINAS AUXILIARES À LR Fora do lugar
  13. 13. A DIALETOLOGIA A Dialetologia tem como objetivo principal recolher, sistematizar, analisar e interpretar os traços lingüísticos dos dialetos ou falares de uma região, sendo eles cultos ou populares, urbanos ou rurais, pertencentes a regiões desenvolvidas ou subdesenvolvidas.Fora do lugarA GEOGRAFIA LINGÜÍSTICA
  14. 14. ERROS DE MICROESTRUTURA Circularidade. Isso ocorre quando há duas palavras regionais sinonimos, em que uma é remetida para outra. Não substituibilidade da definição pelo definido Enciclopedismo Pistas perdidas Emprego excessivo de palavras regionais na definição Confusao frequente entre acepção e mero uso contextual Pretensao literaria ou excesso retorica na redação das definiçoes
  15. 15.  Definiçoes hipoespecificas Definir a palavra local com a palavra padrao Falta de rigor na ordenação das acepçoes
  16. 16. O MÉTODO CARTOGRÁFICO É o método de pesquisa da Geografia Lingüística para a confecção de atlas lingüístico. Consiste em: Pesquisa in loco, Uso de um questionário padronizado nacionalmente, Nascidos e criados na cidade (de preferência), Com idade, escolaridade e sexo escolhidos de acordo com algum critério.
  17. 17. ATLAS LINGÜÍSTICO O Atlas Lingüístico é um dos produtos resultantes de uma pesquisa de natureza geolingüística, através do método cartográfico e procura dispor os dados lingüísticos em mapas. Distinguem-se os atlas lingüísticos dos atlas geográficos comuns também porque não contêm mapas de vários territórios, mas uma série de mapas do mesmo território, e precisamente um mapa para cada conceito ou para cada fonema (ou série de fonemas) cuja expressão ou cuja realização concreta tenha sido comprovada pelo investigador numa rede de pontos (localidades) previamente estabelecida. (COSERIU, 1982)
  18. 18. BIBLIOGRAFIA ORTEGA OJEDA, Gonzalo. Lexicografía Regional y Diletantismo: el caso canario.p.197-209. In: Almeida, Manuel y Dorta, Josefa [eds.]. Contribuciones al estudio de la linguística hispánica. T.2.Barcelona, Montesinos, 1997. ALVAR EZQUERRA, MANUEL. LEXICOGRAFÍA DIALECTA. E.L.U.A.. 11, 1996-97, pp: 79-108. NAVARRO CARRASCO, ANA ISABEL GEOGRAFÍA LINGÜÍSTICA Y DICCIONARIOS ) E.L.U.A.,9. 1993 pp: 73-96
  19. 19.  ALVAR EZQUERRA, M., Diccionario General ¡lustrado de la Lengua Española, Barcelona, Biblograf, 1987. 93 —, "Lexicografía", apud H. López Morales (coordinador), Introducción a la lingüística actual, Madrid, Playor, 1983, págs. 115-132. —, Lexicología y lexicografía. Guía bibliográfica, Salamanca, Almar, 1983. —, "Los prólogos del Diccionario Académico: nomenclatura específica y microestructura", en RFE, LXIII (1983), págs. 205-222. —, Proyecto de lexicografía española, Barcelona, Planeta, 1976. —, "Los regionalismos y vocabularios regionales", en M. Alvar (coord.), Lenguas peninsulares y proyección hispánica, Madrid, Fundación Friedich Ebert- Instituto de Cooperación Iberoamericana, 1986, págs. 175-197. B AZ, J. M., El habla de la tierra de Aliste, Madrid, Anejo LXXXII de la RFE, CSIC, 1967.
  20. 20.  CASARES, J., Introducción a la lexicografía moderna, Madrid, Anejo LII de la RFE, CSIC, 1950. —, "Provincialismos y americanismos" en El idioma como instrumento y el diccionario como símbolo, Madrid, 1944, págs. 47-52. —, "Los provincialismos y sus problemas", en El idioma como instrumento y el diccionario como símbolo, Madrid, 1944, págs. 41-47. CASTILLO PEÑA, C, "Del atlas lingüístico al diccionario. Experiencias lexicográficas" en Mü Á. ÁLVAREZ MARTÍNEZ (ed.), Actas del Congreso de la Sociedad Española de Lingüística. XX aniversario (Tenerife, 2-6 de abril de 1990), Madrid, Gredos, 1990, 2 tomos: tomo I, págs. 363-371.

×