Questões para Ateus

182 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Questões para Ateus

  1. 1. Questões para ateus16E os males e dores naturais? Índice:01.09. A entrega total só pode ser mútua (8 slides) A Origem do Universo (8 slides)02.10. Filhos daque Deus se revele (10slides) pensar (8 slides) É lógico nossa cultura, continuamos a11. Deus não está “fora” do mundo (8 slides)12. Deus As expressões “antes” doque” e “sou slides) 03. não apareceu “eu creio mundo (8 da opinião que” têm o13. mesmo significado? (9 (9 slides) Criatividade e Criação slides) 04. “Deus existe”: é uma questão de fé ou de razão? (10 slides) 05. Deus está no de um Interlocutor Absoluto (8 slides) 14. A existência íntimo, e em cada detalhe (10 slides)06. Matéria e está em cada detalhe, por que há mal?slides)15. Se Deus casualidade? No mundo há mais…( 8 (9 slides)07. Porquê meter-se nadores naturais?de criar? ( 11 slides ) 16. E os males e “complicação” (10 slides)08. Ser (pessoa): amar e ser amado (10 slides)
  2. 2. Parece difícil entender os males e dores naturais 2/10 Vimos que Deus, que nos criou livres, tem que respeitar a nossa liberdade, inclusivamente quando fazemos mal. Se não, seríamos marionetas, não pessoas livres. Mas o que se passa com a dor, com a enfermidade, com os terramotos e furacões, com as malformações genéticas? ●●●
  3. 3. Parece difícil entender os males e dores naturais 3/10 ●●● Porque é que Deus fez um mundo onde isto é possível? Parece um erro incompreensível. Mais ainda quando sabemos que Ele sente na primeira pessoa as dores daqueles que, se existem, é porque Ele está a pôr o coração neles. Parece que, num mundo bem feito, não deveria existir a possibilidade destes desastres que tanto nos fazem sofrer, a nós e a Ele.
  4. 4. Deus quer-nos a ti e a mim, que somos pessoasde carne 4/10  Eu passei muitos anos desconcertado com este problema. Parece que Deus fez mal este mundo. Até que entendi que Deus não quer e cria mundos ou pessoas em geral, mas cada pessoa concreta, a ti e a mim. Tu e eu não somos anjos sem corpo: não seríamos tu ou eu. ●●●
  5. 5. Deus quer-nos a ti e a mim, que somos pessoasde carne 5/10 ●●●  O meu corpo faz parte da minha identidade pessoal. A minha liberdade é a de uma pessoa de carne, cuja alma espiritual é a forma organizadora deste meu corpo, que tem um código genético concreto. Eu não sou pessoa, nem sou eu, à margem do meu corpo. E para poder exercer a minha liberdade, a matéria do mundo há-de ter indeterminação, há-de ser flexível, não rígida.
  6. 6. A liberdade requer indeterminação nas leis da matéria 6/10 Para poder actuar com liberdade num mundo material, tanto o meu corpo como o mundo em que vivo têm que ser, digamos, moles, como “plasticina”, para permitir que eu possa decidir fazer isto ou aquilo, mover-me desta maneira ou daquela. ●●●
  7. 7. A liberdade requer indeterminação nas leis da matéria 7/10 ●●● Se o mundo fosse rígido, se o seu comportamento físico e químico estivesse exactamente determinado pelas leis na- turais, como um relógio, não haveria inde- terminação interna, não haveria flexibilidade. Não haveria “acidentes” como os furacões e os terramotos. Mas eu não poderia actuar com liberdade. Cada movimento do meu cor- po estaria determinado pelas leis da natureza, como pensa- vam muitos físicos antes de Heisenberg.
  8. 8. Os males naturais, preço da minha existência e liberdade 8/10 Quando Deus nos quer a ti ou a mim, pessoas de carne, quer um mundo material no qual possamos desenvolver a nossa liberdade. E isso exige essa flexibilidade, essa indeterminação que inclui furacões, terramotos e enfermida- des. Se me posso mover no ar é porque o ar não é rígido, porque as suas moléculas têm relações flexíveis, não rigida- mente determinadas. E por isso mesmo há furacões. ●●●
  9. 9. Os males naturais, preço da minha existência eliberdade 9/10 ●●●Se o ar fosse tão rígido como um blocode pedra não haveria furacões, mas eunão me poderia mover através dele. Éa indeterminação e flexibilidade da ma-téria que permite a minha liberdade decarne. É necessária para que eu exista, e Deus me quer a mim.É incrível, mas é assim: Deus não quer pessoas em geral, mequer a mim, quer-te a ti. E por isso quer um mundo materialcomo este. Às vezes, não nos damos tanta importância comopara pagar o preço da nossa existência, ●●●
  10. 10. Os males naturais, preço da minha existência eliberdade 10/10 ●●●Mas Deus sim, dá-nos essa importância. Deus, que sente to-das as minhas dores em primeirapessoa, pensa que lhe vale a penapagar esse preço, para que eu pos-sa existir e ser eternamente felizcom Ele no Céu. Deus toma a sérioa minha carne, e toma a sério aminha liberdade. Quer-me a mim, se a joga comigo, e assumea dor que custa a minha carne, e a dor que custa a minha liber-dade..
  11. 11. Ficha técnica 11/10 Slides  Original em português europeu - disponível em inicteol.googlepages.com

×