PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA<br />Um Projecto para a Internacionalização do Sector<br />Associação Empresarial de Portu...
Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas...
Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas...
Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas...
Este é o ponto de partida:<br />Existe um grande potencial para reforçar a internacionalização<br />de toda a cadeia de va...
Quais as tendências à escala global?<br />1<br />
A Presidência Alemã da UE<br />promoveu em 2007 um estudo para caracterizar omercado global do ambiente e tendências evolu...
Gestão da Água<br />PT tem tradição, excelência<br />tecnológica e já alguma expe-<br />riência de internacionalização<br ...
Gestão da água<br />Problema global com soluções locais<br />De 1900 a 2000 a utilização da água no mundo aumentou 10 veze...
Para alcançar os ODM<br />Aumento significativo da escassez<br />(disponibilidade per capita)<br />59%<br />25%<br />19%<b...
A escassez potencial em 2030 é susceptível de afectar todos os sectores<br /> IFC/ McKinsey report, Charting Our Water Fut...
Evolução do mercado global<br />relativo à gestão sustentável da água:<br />Crescimento de 6 % ao ano<br />Cerca de 361 bi...
Vários estudos fazem a desagregação deste mercado por sub-sectores<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A C...
Vários estudos fazem a desagregação deste mercado por regiões<br />(Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Internacionalização d...
Portugal adquiriu e desenvolveu<br />experiência significativa:<br />Planeamento e gestão dos recursos hídricos<br />Abast...
Um crescimento muito acentuado<br />nos níveis de atendimento<br />Evolução do sector entre 1993 e 2008 e objectivos actua...
2010<br />Objectivo<br />Percentagem de água para consumo humano<br />que é controlada e apresenta boa qualidade<br />Exig...
Que papel pode desempenhar a PPA?<br />2<br />
Antecedentes<br />Portugal é um país aberto ao mundo desde há muitos séculos<br />Globalização é uma palavra que se “escre...
Visão<br />Abordar os temas da água nas sociedades de hoje requer:<br />Uma compreensão clara de que enfrentamos basicamen...
Exemplo<br />Projecto e consultoria<br />4 Continentes<br />31 Países !<br />
Exemplo<br />Fornecimento de equipamentos<br />4 Continentes<br />65 Países !<br />(Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Inter...
Exemplo<br />Construção<br />4 Continentes<br />17 Países !<br />
Exemplo<br />Investigação e Desenvolvimento<br />Tecnológico<br />4 Continentes<br />40 Países !<br />
Cadeia de valor do sector da água<br />Planeamento e Gestão de<br />Recursos Hídricos<br />Empreendimentos Hidráulicos<br ...
Sistemas de informação geográfica
Planeamento estratégico
Participação pública
Integração das componentes económica, ambiental e social
Planos directores (recursos hídricos, hidroelectricidade, água e saneamento) </li></ul>Sistemas de abastecimento de água<b...
Regulamentação e Normalização técnicas
Sistemas de avaliação de desempenho
Assessoria à implementação de projectos
Supervisão e acompanhamento de contratos
Preparação e gestão de processos de financiamento</li></ul>Sistemas de saneamento de águas residuais<br />Barragens e obra...
Selecção de novas tecnologias
Termos de referência e especificações técnicas
Simulação 3D das obras projectadas
Conformidade ambiental dos projectos
Telegestão e automação
Sistemas de apoio à decisão
Gestão integral dos serviços
Sistemas automáticos de operação
Gestão patrimonial de infra-estruturas
Monitorização e análises laboratoriais</li></ul>Aproveitamentos hidroagrícolas<br />Obras de protecção e requalificação do...
Gestão do risco
Fiscalização
Construção civil
Fabrico, fornecimento e montagem de equipamentos
Instalações eléctricas, telegestão e automação</li></ul>Obras marítimas e portuárias<br />
Uma Parceria… para quê?<br /><ul><li>Promover umamaiorinternacionalizaçãodestesectorde 	actividade
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação da PPA - Parceria Portuguesa para a Água

480 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
480
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação da PPA - Parceria Portuguesa para a Água

  1. 1. PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA<br />Um Projecto para a Internacionalização do Sector<br />Associação Empresarial de Portugal, Leça da Palmeira, 26 de Janeiro de 2011<br />Francisco Nunes Correia<br />
  2. 2. Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas instituições desenvolvem actividade<br />ou têm já contactos noutros países<br />Associadas numa<br />Parceria Portuguesa para a Água<br />podem ser desenvolvidas sinergias<br />e maximizado o potencial!<br />
  3. 3. Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas instituições desenvolvem actividade<br />ou têm já contactos noutros países<br />Associadas numa<br />Parceria Portuguesa para a Água<br />podem ser desenvolvidas sinergias<br />e maximizado o potencial<br />
  4. 4. Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas instituições desenvolvem actividade<br />ou têm já contactos noutros países<br />Associadas numa<br />Parceria Portuguesa para a Água<br />podem ser desenvolvidas sinergias<br />e maximizado o potencial !<br />
  5. 5. Este é o ponto de partida:<br />Existe um grande potencial para reforçar a internacionalização<br />de toda a cadeia de valor portuguesa dedicada ao sector da água<br />Tópicos desta apresentação:<br />Quais as tendências à escala global?<br />1<br />Que papel pode desempenhar a PPA?<br />2<br />3<br />Quais as oportunidades para Portugal?<br />
  6. 6. Quais as tendências à escala global?<br />1<br />
  7. 7. A Presidência Alemã da UE<br />promoveu em 2007 um estudo para caracterizar omercado global do ambiente e tendências evolutivas<br />Crescimento de 6,5% ao ano<br />Cerca de 1 650 biliões € em 2007<br />3 100 biliões € em 2020<br />
  8. 8. Gestão da Água<br />PT tem tradição, excelência<br />tecnológica e já alguma expe-<br />riência de internacionalização<br />Como se desagrega pelos 6 principais sectores?<br />Gestão da Água<br />PT tem tradição, excelência<br />tecnológica e já alguma expe-<br />riência de internacionalização<br />Energias Renováveis<br />PT tem condições excepcionais <br />e está a desenvolver um cluster<br />Industrial muito dinâmico<br />
  9. 9. Gestão da água<br />Problema global com soluções locais<br />De 1900 a 2000 a utilização da água no mundo aumentou 10 vezes<br />®O aumento da população<br />6,5 mil milhões em 2010 / 10 mil milhões em 2050 / 12 a 15 mil milhões em 2100<br />® Uma maior concentração em meio urbano<br />Em 2010 pela primeira vez mais de 50% vive em aglomerados urbanos<br />1.1 mil milhões não tem água potável<br /> 2.4 mil milhões não tem saneamento<br />® Aumento da incerteza causada pelas alterações climáticas<br />Maior irregularidade e agravamento da escassez e seca<br />® Crescente relevância como prioridade política global<br />Importância destacada nos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM)<br /> Reconhecimento como um Direito Fundamental (AG ONU 28 Julho 2010)<br />
  10. 10. Para alcançar os ODM<br />Aumento significativo da escassez<br />(disponibilidade per capita)<br />59%<br />25%<br />19%<br />
  11. 11. A escassez potencial em 2030 é susceptível de afectar todos os sectores<br /> IFC/ McKinsey report, Charting Our Water Future. <br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal,<br />Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  12. 12. Evolução do mercado global<br />relativo à gestão sustentável da água:<br />Crescimento de 6 % ao ano<br />Cerca de 361 biliões € em 2007<br />805 biliões € em 2020<br />(Fonte:GermanGovernment 2008 – GreenTechmadeinGermany 2.0,<br />EnvironmentalTechnology Atlas for Geermany, VerlagVahlen, München)<br />
  13. 13. Vários estudos fazem a desagregação deste mercado por sub-sectores<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal,<br />Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  14. 14. Vários estudos fazem a desagregação deste mercado por regiões<br />(Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Internacionalização do Sector da Água,<br />Oportunidades e Dificuldades, Seminário APEMETA sobre o Sector da Água, Lisboa)<br />
  15. 15. Portugal adquiriu e desenvolveu<br />experiência significativa:<br />Planeamento e gestão dos recursos hídricos<br />Abastecimento, saneamento e regulação<br />Empreendimentos hidráulicos<br />Planeamento e gestão da zona costeira<br />Instituições para a gestão da água e governância<br />
  16. 16. Um crescimento muito acentuado<br />nos níveis de atendimento<br />Evolução do sector entre 1993 e 2008 e objectivos actuais:<br />Percentagem da população com acesso a sistemas públicos<br />de abastecimento de água<br />80%<br />91%<br />95%<br />População com acesso a sistemas públicos de águas residuais com tratamento adequado<br />30%<br />76%<br />90%<br />
  17. 17. 2010<br />Objectivo<br />Percentagem de água para consumo humano<br />que é controlada e apresenta boa qualidade<br />Exigência Comunitária<br />98%<br />99%<br />“The Portuguese miracle…” <br />Paul Reiter, Director Executivo da International Water Association<br />
  18. 18. Que papel pode desempenhar a PPA?<br />2<br />
  19. 19. Antecedentes<br />Portugal é um país aberto ao mundo desde há muitos séculos<br />Globalização é uma palavra que se “escreveu” pela primeira vez em português no século XVI<br />Portugal tem uma grande abertura e motivação para lidar com povos e nações de todos os continentes, independentemente das suas tradições, culturas e crenças<br />
  20. 20. Visão<br />Abordar os temas da água nas sociedades de hoje requer:<br />Uma compreensão clara de que enfrentamos basicamente os mesmos problemas <br />com abordagens que foram moldadas diferentemente através da história<br />Um fórum de referência no sector da Água<br />… mas essas abordagens diferentes visam o mesmo resultado:<br />disponibilizar água para todos os usos, <br />de forma sustentável, <br />a preço razoável, <br /> gerida por um sistema de governância socialmente justo.<br />
  21. 21. Exemplo<br />Projecto e consultoria<br />4 Continentes<br />31 Países !<br />
  22. 22. Exemplo<br />Fornecimento de equipamentos<br />4 Continentes<br />65 Países !<br />(Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Internacionalização do Sector da Água, Oportunidades e Dificuldades,<br />Seminário APEMETA sobre o Sector da Água – Gestão e Eficiência, Lisboa)<br />
  23. 23. Exemplo<br />Construção<br />4 Continentes<br />17 Países !<br />
  24. 24. Exemplo<br />Investigação e Desenvolvimento<br />Tecnológico<br />4 Continentes<br />40 Países !<br />
  25. 25. Cadeia de valor do sector da água<br />Planeamento e Gestão de<br />Recursos Hídricos<br />Empreendimentos Hidráulicos<br />Gestão de Zonas Costeiras<br />Serviços de Águas<br />Governância<br /><ul><li>Sistemas de previsão e modelação computacional
  26. 26. Sistemas de informação geográfica
  27. 27. Planeamento estratégico
  28. 28. Participação pública
  29. 29. Integração das componentes económica, ambiental e social
  30. 30. Planos directores (recursos hídricos, hidroelectricidade, água e saneamento) </li></ul>Sistemas de abastecimento de água<br /><ul><li>Formação em áreas específicas
  31. 31. Regulamentação e Normalização técnicas
  32. 32. Sistemas de avaliação de desempenho
  33. 33. Assessoria à implementação de projectos
  34. 34. Supervisão e acompanhamento de contratos
  35. 35. Preparação e gestão de processos de financiamento</li></ul>Sistemas de saneamento de águas residuais<br />Barragens e obras de regularização fluvial<br />Regulação ambiental e dos serviços de águas<br />Investigação , Desenvolvimento e Inovação<br />Controlo da poluição e valorização dos ecossistemas<br />Centrais hidroeléctricas<br /><ul><li>Dimensionamento de sistemas
  36. 36. Selecção de novas tecnologias
  37. 37. Termos de referência e especificações técnicas
  38. 38. Simulação 3D das obras projectadas
  39. 39. Conformidade ambiental dos projectos
  40. 40. Telegestão e automação
  41. 41. Sistemas de apoio à decisão
  42. 42. Gestão integral dos serviços
  43. 43. Sistemas automáticos de operação
  44. 44. Gestão patrimonial de infra-estruturas
  45. 45. Monitorização e análises laboratoriais</li></ul>Aproveitamentos hidroagrícolas<br />Obras de protecção e requalificação do litoral<br /><ul><li>Gestão de projectos
  46. 46. Gestão do risco
  47. 47. Fiscalização
  48. 48. Construção civil
  49. 49. Fabrico, fornecimento e montagem de equipamentos
  50. 50. Instalações eléctricas, telegestão e automação</li></ul>Obras marítimas e portuárias<br />
  51. 51. Uma Parceria… para quê?<br /><ul><li>Promover umamaiorinternacionalizaçãodestesectorde actividade
  52. 52. Promover uma maior internacionalização deste sector de actividade !</li></ul>- Procurar oportunidades nos mercados globais<br /><ul><li> Chamar a atenção desses mercados para as capacidades de Portugal</li></ul>- Construir no exterior uma imagem coerente e global<br />- Actuar como uma “porta de entrada” para quem quiser conhecer o sector em Portugal<br />
  53. 53. Uma Parceria… para quê?<br />- Gerar sinergias entre diferentes entidades, estabelecer objectivos estratégicos comuns e promover um desenvolvimento tecnológico consistente<br />- Dotar as empresas portuguesas de um instrumento que outros países europeus já têm (França, Holanda, Alemanha, Dinamarca, Suécia)<br />- Reforçar a cadeia de valor do sector da água !<br />
  54. 54. Artigo 1º - Constituição<br />A Parceria Portuguesa para a Água, adiante designada por PPA, é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, constituída por entidades públicas e privadas com interesses no sector da água, que funcionará por tempo indeterminado. <br />
  55. 55. Artigo 2º - Missão<br /> 1. A PPA tem por missão contribuir para a internacionalização do sector português da água, promovendo sinergias e facilitando a ligação entre pessoas e entidades de modo a projectar nos mercados internacionais as capacidades nacionais neste sector.<br /> 2. A missão da PPA focaliza-se na criação de valor para os Parceiros, ajudando-os a cumprir os seus objectivos e ao mesmo tempo contribuir para a resolução dos problemas do sector da água no Mundo. <br />
  56. 56. Artigo 2º - Missão (cont.)<br />3. A PPA tem ainda por missão contribuir para a valorização científica e tecnológica do sector da água em Portugal, nomeadamente através da partilha de conhecimento e da promoção de uma melhor articulação entre actividades e programas de investigação, desenvolvimento e inovação, de forma a melhorar a competitividade dos seus agentes e uma melhor inserção nas redes internacionais de ciência e tecnologia relevantes do sector.<br />
  57. 57. O “puzzle” da acção: <br />Rede<br />Oportunidades<br />Rede<br />Oportunidades<br />Partilha<br />Partilha<br />Inovação<br />Inovação<br />
  58. 58. Requisitos importantes a respeitar:<br /><ul><li> não é simplesmente mais uma associação:</li></ul> é transversal ao sector “água” e orientada para a internacionalização<br /><ul><li> articula-se e coopera com as associações empresariais</li></ul>AEP, AIP, CIP, Câmaras de Comércio, CPI, etc.<br />AEP<br /><ul><li> facilita a tarefa de instituições governamentais:</li></ul> AICEP, IPAD, Rede Diplomática, INAG, ERSAR, etc.<br /><ul><li> um bom desempenho do sector “em casa” é essencial</li></ul> para alcançar sucesso no mercado global<br /><ul><li> a parceria deve ter em conta que alguns dos seus membros</li></ul>são já activos e intervenientes ao nível internacional<br />
  59. 59. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Empresas de projecto e consultoria, empreiteiros de obras públicas, fornecedores de equipamento, empresas de gestão<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />Administração pública<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />
  60. 60. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades e centros de investigação<br />Administração pública<br />Empresas públicas e privadas<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />Empresas de projecto e consultoria, empreiteiros de obras públicas, fornecedores de equipamento, empresas de gestão<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />
  61. 61. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades e centros de investigação<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />Design and consultancy companies, construction contractors, equipment suppliers, management and operation companies <br />Empresas públicas e privadas<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />Administração pública<br />
  62. 62. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades e centros de investigação<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Administração pública<br />Empresas públicas e privadas<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />Empresas de projecto e consultoria, empreiteiros de obras públicas, fornecedores de equipamento, empresas de gestão<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />
  63. 63. Artigo 7º - Componentes da PPA<br />1. Para assegurar a representatividade dos principais segmentos do sector da água, os parceiros integram quatro componentes da parceria, de acordo com o seu âmbito de actividade, missão e interesses, com as seguintes denominações: <br />a) Empresarial, que integra empresas e associações empresariais.<br />b) Investigação, que integra universidades e outras instituições de investigação.<br />c) Sociedade civil, que integra associações profissionais e outras entidades da sociedade civil.<br />d) Administração, que integra administração pública central e local.<br />
  64. 64. Artigo 7º - Componentes da PPA (cont.)<br /> 2. As componentes da PPA têm como principal objectivo assegurar uma representação equilibrada na gestão da PPA dos parceiros de diversa natureza que integram o sector da água em Portugal.<br /> 3. Podem ser criados grupos de trabalho integrando parceiros de uma ou mais componentes da parceria, em torno de objectivos específicos considerados particularmente relevantes para a concretização da missão da PPA.<br />
  65. 65. Quais as oportunidades para Portugal?<br />3<br />
  66. 66. documento de trabalho<br />Oportunidades de negócio<br />Áreas geográficas mais relevantes<br />Triângulo Virtuoso (prioritário) e áreas complementares relevantes<br />Portugal<br />América Latina<br />(Brasil, Argentina, México, <br />Chile, Venezuela, etc)<br />África Lusófona<br />(PALOP)<br />Europa do Leste<br />China, India,<br />outros países asiáticos<br />Magrebe<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  67. 67. documento de trabalho<br />A PPA iniciou uma avaliação preliminar das oportunidades<br />Oportunidades de negócio nos diversos mercados prioritários<br />tendo em conta as principais necessidades desses mercados<br />e as capacidades e experiência das empresas portuguesas<br />Instituições<br />e governância<br />Planeamento de Recursos Hídricos<br />Empreendimentos hidráulicos<br />Abastecimento de Água e Saneamento<br />Zonas Costeiras<br />África lusófona<br />Magrebe<br />Mercados internacionais de eleição para o sector da água nacional<br />Europa do Leste<br />América Latina<br />Reduzidas oportunidades de negócio<br />Médias oportunidades de negócio<br />Elevadas oportunidades de negócio<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  68. 68.
  69. 69. Abastecimento de água - Níveis de serviço<br />Saneamento de Águas Residuais<br />Drenagem<br />Tratamento<br />Percentagem do tratamento de águas residuais, por bacia<br />
  70. 70. documento de trabalho<br />Oportunidades de negócio (avaliação preliminar)<br />Europa – Novos Estados-Membros ou em pré-adesão | Sérvia - Balcãs<br />Oportunidades<br />Prioridades de Intervenção<br />A Sérvia pretende aderir à União Europeia em 2014. <br />Situação actual do abastecimento de água e saneamento:<br /><ul><li>75% da população ligada a sistemas públicos de água
  71. 71. Disparidade urbano – rural: 98% em zonas urbanas vs. 60% em zonas rurais
  72. 72. Infra-estruturas degradadas (perdas de água de 30-50%)
  73. 73. 46% da população ligada a sistemas de saneamento (75% urbano – 16% rural)
  74. 74. Grandes assimetrias na qualidade do serviço prestado à população</li></ul>Lei da Água da Sérvia: políticas e estratégias correctas mas implementação muito atrasada.<br />Revisão e melhoria do quadro político actual (planeamento estratégico e revisão do quadro institucional) <br />Ligação da governância da água com aspectos relacionados com a adaptação às alterações climáticas, mitigação e gestão de riscos e catástrofes.<br />Reforço de capacidades na gestão de bacias hidrográficas e mais desenvolvimentos na cooperação transfronteiriça (Bosnia- Herzegovina, Croacia, Macedonia)<br />Revisão da Lei da Água e elaboração dos planos de gestão dos recursos hídricos<br />Planeamento estratégico do sector do abastecimento de água e saneamento<br />Desenvolvimento dos serviços de abastecimento de água e saneamento: Construção e reabilitação de sistemas, extensão das redes de distribuição, monitorização da qualidade da água; sistemas de informação, gestão comercial)<br />Desenvolvimento de Planos de Segurança da Água<br />Tem sido dada insuficiente prioridade ao investimento em tratamento de águas residuais, com as consequências previsíveis na má qualidade dos recursos hídricos. <br />Recursos hídricos e saneamento de águas residuais:<br /><ul><li>Estruturas tarifárias desajustadas ao princípio da recuperação de custos
  75. 75. Baixos níveis de medição e contagem dos consumos de água
  76. 76. Inexistência de incentivos financeiros ou sistemas de penalização dos poluidores e de consumos excessivos de água
  77. 77. Papeis e responsabilidades das entidades públicas pouco claros.</li></ul>(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />43<br />
  78. 78. (Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Internacionalização do Sector da Água, Oportunidades e Dificuldades, Seminário APEMETA sobre o Sector da <br />Água – Gestão e Eficiência, Lisboa)<br />
  79. 79. documento de trabalho<br />Oportunidades de negócio (avaliação preliminar)<br />Países africanos de expressão portuguesa | Angola<br />Oportunidades<br />Prioridades de Intervenção<br />Orientações do governo angolano para o Período 2009-2012: “Agir no sentido de proporcionar à população acesso à água potável nas áreas urbanas e rurais, bem como o acesso à água pelas actividades económicas”.<br /><ul><li>Assistência técnica à gestão dos processos nas várias províncias
  80. 80. Elaboração de Planos Directores e Projectos de Abastecimento de Água e Saneamento
  81. 81. Desenvolvimento de Sistemas de Informação
  82. 82. Estudos de consultoria focada no desenvolvimento de soluções sustentáveis para os serviços de água e saneamento
  83. 83. Construção de infra-estruturas
  84. 84. Apoio à operação e manutenção
  85. 85. Reabilitação e ampliação de sistemas de abastecimento de água, tendo como finalidade alcançar uma taxa de cobertura de 100 % nas zonas urbanas e 80 % nas zonas peri-urbanas e nas zonas rurais;
  86. 86. Aumento da oferta de água de forma a proporcionar um consumo mínimo per-capita da ordem 40 L/dia em situações de abastecimento por via de fontenários e 70 L/dia em abastecimento e no meio rural um consumo mínimo per-capita da ordem 30 L/dia em situações de abastecimento por via de fontenários e 50 L/dia em abastecimento por via de ligações domiciliárias desprovida de rede interna;
  87. 87. A conclusão do Programa “Água Para Todos”, que tem como finalidade um significativo crescimento da cobertura da distribuição de água nos meios peri-urbano e rural;
  88. 88. Dotar as principais 21 Bacias Hidrográficas dos respectivos Planos Gerais de Gestão Integrada dos Recursos Hídricos e proceder a reabilitação progressiva da Rede Hidrométrica Nacional
  89. 89. Na hidroelectricidade, a construção de 46 pequenos aproveitamentos hidroeléctricos, totalizando uma capacidade a instalar de aproximadamente 180 MW</li></ul>Oportunidade importante no domínio da elaboração de estudos de planeamento de recursos hídricos, o que permitirá às empresas de engenharia portuguesas aproveitar a experiência e conhecimentos acumulados ao longo do processo de realização dos planos de gestão de recursos hídricos actualmente em curso em Portugal.<br />Oportunidade importante no domínio dos aproveitamentos hidroeléctricas, área em que a engenharia nacional tem sólidas competências. <br />45<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  90. 90. documento de trabalho<br />Caracterização da cadeia de serviços no sector da água em Portugal<br />Principais agentes e vantagens competitivas<br />46<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  91. 91. A concluir:<br />Calendário para a criação da PPA<br />Até Fevereiro 2011 – Identificação de Parceiros (associados) Fundadores<br />Até Abril 2011 – Assembleia Geral Fundadora e criação formal da Parceria <br />Até Junho 2011 – Eleição dos Órgãos Sociais<br />Novembro 2010 a Junho 2011 –<br /> Iniciativas mobilizadoras de divulgação e demonstrativas<br />
  92. 92. Comissão Instaladora<br />Francisco Nunes Correia<br />Jaime Melo Baptista<br />José Rocha Afonso<br />Alexandra Serra<br />Afonso Lobato Faria<br />Despacho n.º 6/2010, de 14 de Maio<br />Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território<br />
  93. 93. O que quer que possuamos, duplica o seu valor quando temos a oportunidade de o partilhar com outros ! <br />JEAN-NICOLAS BOUILLY (1763-1842)<br />O que quer que possuamos, duplica o seu valor quando temos a oportunidade de o partilhar com outros !<br />JEAN-NICOLAS BOUILLY (1763-1842)<br />
  94. 94. Parceria Portuguesa para a Água<br />um contributo português para o desenvolvimento do sector da Água no Mundo<br />Muito Obrigado! <br />24 de Setembro 2009<br />Whatever we possess becomes of double value when we have the opportunity of sharing it with others. BOILLY<br />

×