Estudo da Literatura     Brasileira   Prof. Francisco L. Cosso
Contexto Século .XIX.   • ROMANCE REALISTA • ROMANCE NATURALISTA   • SIMBOLISMO
Cruz e Souza (1861 – 1898)
Cárcere das AlmasAh! Toda a alma num cárcere anda presa,   Soluçando nas trevas, entre as grades    Do calabouço, olhando ...
Comparando…
PARNASIANISMO“O Parnasianismo foi outra vítima da Inteligência do século XIX. Foi  essa Inteligência que construiu a prisã...
• Características          “Assim procedo. Minha pena                Segue esta norma.           Por te servir, Deusa Sere...
Alberto de Oliveira              VASO GREGO     Está, de áureos relevos, trabalhada   De divas mãos, brilhante copa, um di...
Romains de la décadence (1847) – Thomas Couture
Pré-modernismo• É o Pré-modernismo uma escola literária?• Momento Histórico         Cenário Mundial      Cenário Interno –...
Prosperidade              Fortes Contrastes• Agitações sociais no Nordeste        Revolta de                              ...
Características• Ruptura com o passado: Augustos dos Anjos  (cuspe, vômito, escarro, vermes).• Críticas ao parnasianismo: ...
Euclides da Cunha (1866 – 1909)• Os Sertões – 1902 – (Vida do nordeste “Sertão  Baiano” – campanha de canudos)• Denúncia d...
José Pereira da Graça Aranha (1868 – 931)• Formado em direito• Espíritu Santo – recolhe material para o  romance Canaã (19...
O Primeiro Tempo Modernista
O Primeiro Tempo Modernista•   Tentativa de definir e marcar posições•   Situação econômica mundial – Crise do ano 30•   Q...
CARACTERÍSTICAS• “...se alastrou pelo Brasil o espírito destruidor  do movimento modernista. Isto é, o seu  sentido verdad...
Características•   Procura do moderno•   A Liberdade Formal•   Procura de uma LÍNGUA BRASILEIRA•   As paródias•   A ideia ...
As Revistas e os ManifestosKlaxon sabe que o progresso existe. Por isso, sem renegar o passado,            caminha para di...
Manifestos•   Manifesto da Poesia Pau – Brasil•   Verde – Amarelismo•   Manifesto regionalista de 1926•   Revista de Antro...
Representantes: Mário de Andrade• Paulista• Papa do Moderno• Paulíceia Desvairada: marca o seu início no  modernismo• Máxi...
Oswald de Andrade•   Débâcle do café: desmoralização•   Homem bem particular•   Vida: irmã gêmea de sua obra•   Poema Pílu...
Manuel Bandeira• Recife              “Criou-me desde menino,               Para arquiteto meu pai,               Foi-se um...
“OS SAPOS”• chama de sapos os poetas parnasianos que somente  aceitavam a poesia rimada, formal• o uso do poema-piada visa...
Segundo Momento Modernista• Crise do Ano 30• Fim da república velha.Revolução dos 30: a chegada de Getúlio  Vargas ao pode...
Terceiro Momento Modernista ou Pos-           Modernismo•   Fim da Guerra Mundial•   Era Atômica•   Criação da ONU•   Fim ...
Características• Literatura Intimista, sondagem psicológica,  introspectiva• Fim da poesia piada• Restabelecimento da form...
CLARICE LISPECTOR• “Não tem pessoas que cosem para fora? Eu  coso para dentro”
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estudo da Literatura, História e Arte Brasileira

2.379 visualizações

Publicada em

Com o material "Literatura, História e Arte Brasileira", procura-se mostrar um pouco sobre as verdadeiras riquezas que o Brasil tem. Tomara gostem!

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.379
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo da Literatura, História e Arte Brasileira

  1. 1. Estudo da Literatura Brasileira Prof. Francisco L. Cosso
  2. 2. Contexto Século .XIX. • ROMANCE REALISTA • ROMANCE NATURALISTA • SIMBOLISMO
  3. 3. Cruz e Souza (1861 – 1898)
  4. 4. Cárcere das AlmasAh! Toda a alma num cárcere anda presa, Soluçando nas trevas, entre as grades Do calabouço, olhando imensidades, Mares, estrelas, tardes, natureza. Tu se veste de uma igual grandezaQuando a alma entre grilhões as liberdades Sonha e, sonhando, as imortalidades Rasga no etéreo Espaço da Pureza. Ó almas presas, mudas e fechadas Nas prisões colossais e abandonadas, Da Dor no calabouço, atroz, funéreo! Nesses silêncios solitários, graves, Que chaveiro do Céu possui as chaves Para abrir-vos as portas do Mistério?! • Cruz e Sousa
  5. 5. Comparando…
  6. 6. PARNASIANISMO“O Parnasianismo foi outra vítima da Inteligência do século XIX. Foi essa Inteligência que construiu a prisão onde quis encarcerar o poeta. Preso, o poeta era obrigado a esmagar seus sentimentossublimes, a deformar suas ideias, a cortar, diminuir, fazer o que nãoqueria, porque à porta vigiavam carcereiros terríveis com pencas de chave de ouro à cintura. Coitado de quem dizia o que queria, ecomo queria! Era preciso medir as ideias como se medem fazendas nas lojas de turco.” Rubens Borba de Morais, em 1922
  7. 7. • Características “Assim procedo. Minha pena Segue esta norma. Por te servir, Deusa Serena, Serena Forma.” Olavo Bilac
  8. 8. Alberto de Oliveira VASO GREGO Está, de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhante copa, um dia, Já de aos deuses servir como cansada Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. Quartetos Era o poeta de Teos que a suspendia Então, e, ora repleta ora esvazada, A taça amiga aos dedos seus tinia, Toda de roxas pétalas colmada. Depois... Mas o lavor da taça admira,Toca-a, e, do ouvido aproximando-a, às bordas Finas hás de lhe ouvir, canora e doce, Tercetos Ignota voz, qual se da antiga lira Fosse a encantada música das cordas, Qual se essa voz de Anacreonte fosse.
  9. 9. Romains de la décadence (1847) – Thomas Couture
  10. 10. Pré-modernismo• É o Pré-modernismo uma escola literária?• Momento Histórico Cenário Mundial Cenário Interno – Novo período: história republicana“República da espada” – “República do café-com-leite”
  11. 11. Prosperidade Fortes Contrastes• Agitações sociais no Nordeste Revolta de Canudos Ceará. Pai Cícero• São Paulo – Greve por condições de trabalho• Rio de Janeiro – Revolta da vacina
  12. 12. Características• Ruptura com o passado: Augustos dos Anjos (cuspe, vômito, escarro, vermes).• Críticas ao parnasianismo: “Quanto mais incompreensível é ela (a linguagem), mais admirado é o escritor que a escreve, por todos que não lhe entenderam o escrito”. Os bruzundangas – Lima Barreto.-• Denúncia da realidade brasileira• Tipos humanos marginalizados• Ligação com fatos políticos, econômicos e sociais contemporâneos
  13. 13. Euclides da Cunha (1866 – 1909)• Os Sertões – 1902 – (Vida do nordeste “Sertão Baiano” – campanha de canudos)• Denúncia de extermínio• Obra – Dividida em 3 partes: 1) A terra; 2) O homem; 3) A luta.• “Canudos não se rendeu”.
  14. 14. José Pereira da Graça Aranha (1868 – 931)• Formado em direito• Espíritu Santo – recolhe material para o romance Canaã (1902) –• Milkau – acredita na humanidade e pensa encontrar a terra prometida (Canaã) – Lentz – não se adapta a realidade brasileira, voltado que era para a lei do mais forte.
  15. 15. O Primeiro Tempo Modernista
  16. 16. O Primeiro Tempo Modernista• Tentativa de definir e marcar posições• Situação econômica mundial – Crise do ano 30• Queda da bolsa de Nova Iorque?• Cenário Interno:Revolta no forte de Copacabana, culminando com a ascensão de Getúlio Vargas.• Eleições de 1922: Artur Bernardes/Nilo Peçanha• Processo revolucionário do forte de Copacabana “Os 18 do Forte”• Governo marcado por constante ESTADO DE SÍTIO – CENSURA - INTERVENÇÕES .• 1924 - Revolução dos Militares em São Paulo
  17. 17. CARACTERÍSTICAS• “...se alastrou pelo Brasil o espírito destruidor do movimento modernista. Isto é, o seu sentido verdadeiramente específico. Porque, embora lançando inúmeros processos e idéias novas, o movimento modernista foi essencialmente destruidor. (...) Mário de Andrade.
  18. 18. Características• Procura do moderno• A Liberdade Formal• Procura de uma LÍNGUA BRASILEIRA• As paródias• A ideia de repensar a História Brasileira• Valorização do Índio Brasileiro• É o tempo do Manifesto
  19. 19. As Revistas e os ManifestosKlaxon sabe que o progresso existe. Por isso, sem renegar o passado, caminha para diante, sempre, sempre. (...)
  20. 20. Manifestos• Manifesto da Poesia Pau – Brasil• Verde – Amarelismo• Manifesto regionalista de 1926• Revista de Antropofagia.
  21. 21. Representantes: Mário de Andrade• Paulista• Papa do Moderno• Paulíceia Desvairada: marca o seu início no modernismo• Máxima importância: os brasileirismos e o folclore
  22. 22. Oswald de Andrade• Débâcle do café: desmoralização• Homem bem particular• Vida: irmã gêmea de sua obra• Poema Pílula• Características da sua obra
  23. 23. Manuel Bandeira• Recife “Criou-me desde menino, Para arquiteto meu pai, Foi-se um dia a saúde... Fiz-me arquiteto? Não pude! Sou poeta menor, perdoai!” Manuel Bandeira – no poema “Testamento”.• Grandes temas: A família, a morte, a infância• Por outro lado: a observação constante da rua
  24. 24. “OS SAPOS”• chama de sapos os poetas parnasianos que somente aceitavam a poesia rimada, formal• o uso do poema-piada visando desmoralizar o academismo• preciosismo vocabular• métrica rigorosa e a rima rica ou rara• mostra algumas das regras que eles seguiam: comer hiatos, nunca rimar cognatos, dar importância à forma. A cada um dos poetas reclamadores importantes ele denomina diferente: sapo-boi, sapo tanoeiro e aos menores chama de saparia.
  25. 25. Segundo Momento Modernista• Crise do Ano 30• Fim da república velha.Revolução dos 30: a chegada de Getúlio Vargas ao poder.• Características:• Amadurecimento ou aprofundamento das conquistas da geração de 1922• Continuam na pesquisa estética: verso livre ou poesia sintética• Tentativa de explorar e de interpretar o estar no mundo• Surgimento de correntes mais voltadas para o espiritualismo e o intimismo• Denúncia dos fatos sociais• Regionalismo
  26. 26. Terceiro Momento Modernista ou Pos- Modernismo• Fim da Guerra Mundial• Era Atômica• Criação da ONU• Fim da ditadura de Getúlio Vargas• Início da redemocratização brasileira
  27. 27. Características• Literatura Intimista, sondagem psicológica, introspectiva• Fim da poesia piada• Restabelecimento da forma artística e bela• Duas personagens destacadas:• Guimarães Rosa: recria os costumes e a fala sertaneja. Nova perspectiva para o regionalismo.
  28. 28. CLARICE LISPECTOR• “Não tem pessoas que cosem para fora? Eu coso para dentro”

×