SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO AO
RECÉM-NASCIDO
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
• Incidentes Relacionados a Medicamentos (IRM) estão entre os mais
comuns nos serviços de saúde e podem acarretar prejuízos ao paciente
e seus familiares nos aspectos da saúde física, mental e social.
• Falhas na terapia com medicamento podem, ainda, comprometer a
imagem e a confiabilidade das instituições de saúde, implicando seus
gestores e profissionais em processos e ações ético-moral-legais.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
Objetivos dessa apresentação:
• Fornecer aos profissionais de Enfermagem uma visão geral sobre uso
seguro de medicamentos
• Apresentar estratégias voltadas para a melhoria da segurança no uso de
medicamentos nos serviços de saúde
• Incentivar a incorporação de práticas que ampliem a segurança no uso
de medicamentos, especialmente durante o preparo e a administração
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• O processo de administração de medicamentos a pacientes muitas vezes envolve vários
profissionais de saúde e falhas de comunicação podem levar a lacunas na continuidade do
processo e gerar Incidentes Relacionados a Medicamentos (IRM).
• Evento adverso ocorre quando o IRM gera dano ao paciente.
• A complexidade do uso de medicamentos para o tratamento e prevenção de doenças traz
riscos que, se não controlados, podem levar a ocorrência eventos adversos e estes, por
consequência, podem provocar morbidades adicionais e aumentar o tempo de
hospitalização, implicando na elevação do gasto financeiro na prestação do cuidado à
saúde.
Introdução
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Estima-se que de cada seis a oito internações em UTI neonatal, uma (15%) seja
acompanhada de erro médico com drogas.
• Pesquisas mostram que 69% dos erros são interceptados pela equipe de enfermagem:
reconhecer, interpretar, corrigir antes da realização do medicamento ao paciente
✓ Incidência média de reações adversas a medicamentos em pediatria: 10,1% -
Reações graves: 4,4% a 27,9%
✓ 6% relacionadas a drogas sem registro ou indicações não aprovadas (off label) e
3,9% de drogas com registro
✓ São a causa de 0,6% a 4,3% das internações pediátricas
Introdução
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Preparo de medicamentos
Consiste na técnica de manipulação dos medicamentos para administrar ao paciente, de
acordo com a prescrição e dispensação, e envolve:
• Amplo conhecimento prévio sobre a droga (ações e reações)
• A conferência da prescrição com o medicamento a ser preparado
• A realização de cálculos, diluições e rediluições
• A completa identificação e a escolha de materiais e equipamentos apropriados para a
administração
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• É um processo interdisciplinar que exige conhecimento técnico e prática
• São necessários conhecimentos sobre Anatomia, Farmacologia, Fisiologia, Microbiologia e
Bioquímica
• É a última barreira para evitar um erro de medicação (derivado dos processos de
prescrição e dispensação) e exige grande responsabilidade do profissional que os
administra
• Todo profissional de saúde, ao administrar um medicamento, deve sempre checar os
“nove certos”: paciente certo, medicamento certo, dose certa, via certa, horário certo,
registro certo, ação certa, forma certa e resposta certa.
• Já existem referências a 13 certos para a administração de medicamentos
Administração de medicamentos
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• A Prescrição Médica (PM) deve ser legível, preferencialmente emitida a partir de um
sistema informatizado, evitando o “copia e cola”. Evitar prescrições manuscritas!!!
• A PM deve conter data e identificação do prescritor com carimbo e assinatura
• A PM deve conter as informações necessárias dos medicamentos, tais como, nome,
dosagem, via, horário, frequência e velocidade de infusão
• As siglas e abreviaturas adotadas na PM devem ser divulgadas na instituição
• As normas seguras para identificação do paciente devem ser conhecidas e aplicadas por
todos os profissionais
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• A PM deve conter identificação completa e legível do paciente com no mínimo dois
identificadores, como nome completo e data de nascimento e pode ser acrescida com o
número do prontuário ou registro do atendimento, conforme norma institucional
• A PM deve ser válida por 24h
• Ter e divulgar a política institucional para uso seguro de novos medicamentos
• Ter e divulgar um Manual Padronizado de Diluição, Administração e Interação
• Ter Protocolos e Procedimentos Operacionais Padronizados (POP) para a administração
segura de medicamentos estabelecidos
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Dispensar o maior número de medicamentos prontos para uso, ou seja, em doses unitárias
• Diariamente recolher sobras de medicamentos, não permitindo estoques nos setores em
caixas ou gavetas
• Fornecer bombas de infusão contínuas para a administração de medicamentos e que
requerem alta precisão, como as drogas vasoativas, analgésicas, nutrição parenteral, entre
outras
• Disponibilizar local específico de leitura e preparo de medicamento a ser administrado.
Manter boas condições de higiene, limpeza, iluminação, ventilação, baixo nível de ruído,
sem fonte de distração e interrupção
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Promover a cultura da segurança quanto à “Redução de interrupções do trabalho da
equipe de Enfermagem” e educação em serviço
• Possuir conhecimento da lei do exercício profissional
• Saber calcular a dose exata prescrita e a unidade de medida do sistema métrico
• Saber calcular com precisão a velocidade de gotejamento e ou programar os
equipamentos e bombas de infusão, para administrar de forma segura o medicamento
• Observar os mecanismos de segurança das bombas de infusão como alarme, keep vein
open (KVO) que corresponde à função de “manter via aberta ou pérvia”
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Atentar quanto às taxas de IRM que, comumente, são mais altas em unidades de cuidados
intensivos neonatal. Recém-nascidos apresentam menor capacidade de tolerar
fisiologicamente um erro de medicação devido às suas funções renais, imunológicas e
hepáticas estarem em desenvolvimento
• Valorizar a importância de manter equipe especializada em cuidados neonatais
• Higienizar as mãos adequadamente
• Ter habilidade para aspirar medicamentos em seringas de variados tamanhos e volumes,
reconhecendo a graduação dos diversos tipos disponíveis
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Realizar a desinfecção das ampolas, flaconetes e demais frascos
• Conferir os dados da pulseira de identificação do paciente com a prescrição e
identificação do leito
• Proceder à conferência dos nove certos, do uso seguro de medicamentos, ou os adotados
como padrão no serviço. O ideal é fazer a conferência antes de administrar
• Rastrear visualmente o cateter ou sonda, do conector ao seu ponto de origem, antes de
administrar o medicamento no paciente, em cada conexão ou infusão.
• Realizar a desinfecção das conexões instaladas para administração de medicamentos,
utilizar soluções contendo álcool
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Verificar e manter a permeabilidade do cateter e proceder a infusão
• O volume mínimo da solução para realizar a infusão deve ser pelo menos duas vezes o
volume da capacidade do cateter
• Controlar o fluxo de velocidade de administração do medicamento em qualquer via
• Administrar separadamente cada medicamento e avaliar o paciente após a sua
administração, para observação do efeito esperado ou reações adversas
• Registrar na anotação de enfermagem as informações dos medicamentos administrados
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Compreender e valorizar a supervisão educativa como estratégia de segurança ao paciente
e ao profissional
• Responsabilizar-se sempre sobre a eventualidade de um incidente ter ocorrido
• Promover cultura da comunicação aberta e efetiva no ambiente de trabalho
• Utilizar seringas específicas para medicamentos orais, de cores e formatos diferentes das
seringas tradicionais
• Ter padronização de concentração de drogas a ser administradas
• Monitorar temperatura de geladeiras
Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo,
administração e monitoramento de medicamentos.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
• Consiste em observar continuadamente o paciente tanto a curto, médio quanto longo
prazo
• O monitoramento abrange os aspectos técnico e clínico
• O técnico está relacionado às vias, acessos, características das infusões entre outros. O
aspecto clínico está relacionado à resposta esperada ou inesperada da ação do
medicamento
• A atividade de monitoramento deve ser também documentada, assim como todos os
outros passos do processo de medicação
Monitoramento
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
• É fundamental que os profissionais de saúde saibam que os
Incidentes Relacionados a Medicamentos geram danos aos
pacientes, que poderiam ser evitados, pois são previsíveis e
preveníveis.
• O primeiro passo é conhecer os riscos associados e aprender
o que pode ser feito para tornar a terapia com medicação
mais segura.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
• World Health Organization (WHO). Multi-professional Patient Safety Curriculum Guide. Geneva (Switzerland); 2011.
• Institute of Medicine (US) Committee on Quality of Health Care in America; Kohn LT, Corrigan JM, Donaldson MS, editors. To
Err is Human: Building a Safer Health System. Washington (DC): National Academies Press (US); 2000.
• Institute of Medicine. Preventing medication errors: report brief. Washington, DC: National Academies Press; 2006.
• Jordão MM, Silva MF, Santos SV, Salum NC, Barbosa SFF. Tecnologias utilizadas pela enfermagem na prevenção de erros de
medicação em pediatria, 2012.
• Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Protocolo de Segurança na Prescrição, uso e
Administração de Medicamentos. Protocolo coordenado pelo Ministério da Saúde e ANVISA em parceria com FIOCRUZ e
FHEMIG. 2013
• Conselho Regional de Enfermagem (Coren). Uso seguro de medicamentos: Guia de Preparo, Administração,
Monitoramento. São Paulo. 2017.
• Institute of Medicine. Preventing medication errors: quality chasm series. Washington (DC): Nacional Academy Press; 2006.
Referências
ATENÇÃO AO
RECÉM-NASCIDO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 25 de janeiro de 2020
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção ao Recém-nascido
Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal.
USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA:
PREPARO E ADMINISTRAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemjusantos_
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Aline Bandeira
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroJuliana Maciel
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Primeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricasPrimeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricasCaroline Reis Gonçalves
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAmanda Corrêa
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Will Nunes
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoEnayad
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerJesiele Spindler
 
Cuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalizaçãoCuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalizaçãoHIAGO SANTOS
 
PARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da Saúde
PARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da SaúdePARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da Saúde
PARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da SaúdeProf. Marcus Renato de Carvalho
 
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALNUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALElyda Santos
 
Medicações e diluições em neonatologia
Medicações e diluições em neonatologiaMedicações e diluições em neonatologia
Medicações e diluições em neonatologiaLetícia Spina Tapia
 

Mais procurados (20)

Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Primeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricasPrimeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricas
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
 
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-Nascido
 
Balanco hidrico
Balanco hidricoBalanco hidrico
Balanco hidrico
 
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
 
Cuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalizaçãoCuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalização
 
Segurança do paciente na assistência obstétrica e neonatal
Segurança do paciente na assistência obstétrica e neonatalSegurança do paciente na assistência obstétrica e neonatal
Segurança do paciente na assistência obstétrica e neonatal
 
Mortalidade Materna
Mortalidade MaternaMortalidade Materna
Mortalidade Materna
 
PARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da Saúde
PARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da SaúdePARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da Saúde
PARTO NORMAL: Diretrizes nacionais de assistência - Ministério da Saúde
 
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALNUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
 
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
 
Medicações e diluições em neonatologia
Medicações e diluições em neonatologiaMedicações e diluições em neonatologia
Medicações e diluições em neonatologia
 

Semelhante a Uso Seguro de Medicamentos em Neonatologia: Preparo e Administração

prescrição Hospitalar
prescrição Hospitalarprescrição Hospitalar
prescrição HospitalarRenato Abdoral
 
Segurança na Cadeia Medicamentosa
Segurança na Cadeia MedicamentosaSegurança na Cadeia Medicamentosa
Segurança na Cadeia MedicamentosaMarco Lamim
 
FARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.ppt
FARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.pptFARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.ppt
FARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.pptMadelon Novato
 
Protocolo de prescrição de Medicamentos
Protocolo de  prescrição de MedicamentosProtocolo de  prescrição de Medicamentos
Protocolo de prescrição de MedicamentosSocorro Carneiro
 
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)Elizeu Ferro
 
Controle de qualidade no preparo e administração de medicamentos
Controle de qualidade no preparo e administração de medicamentosControle de qualidade no preparo e administração de medicamentos
Controle de qualidade no preparo e administração de medicamentosGlegson
 
REDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕES
REDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕESREDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕES
REDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕESYuri Assis
 
Administração-de-medicamentos.pptx enffermagem
Administração-de-medicamentos.pptx enffermagemAdministração-de-medicamentos.pptx enffermagem
Administração-de-medicamentos.pptx enffermagemLuanMiguelCosta
 
aula 03 PNSP.pptx
aula 03 PNSP.pptxaula 03 PNSP.pptx
aula 03 PNSP.pptxKelengomez
 
Erros de medicação
Erros de medicaçãoErros de medicação
Erros de medicaçãoenfanhanguera
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaFarmacêutico Digital
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de JesusGilberto de Jesus
 
Administração de-medicamentos
Administração de-medicamentosAdministração de-medicamentos
Administração de-medicamentosMadja Figueiredo
 
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalarAtenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalarRodrigo Xavier
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxProfYasminBlanco
 
Farmácia social prescrição farmacêutica
Farmácia social prescrição farmacêutica Farmácia social prescrição farmacêutica
Farmácia social prescrição farmacêutica Renato Abdoral
 

Semelhante a Uso Seguro de Medicamentos em Neonatologia: Preparo e Administração (20)

prescrição Hospitalar
prescrição Hospitalarprescrição Hospitalar
prescrição Hospitalar
 
Uso Seguro de Medicamentos em Neonatologia: Prescrição
Uso Seguro de Medicamentos em Neonatologia: PrescriçãoUso Seguro de Medicamentos em Neonatologia: Prescrição
Uso Seguro de Medicamentos em Neonatologia: Prescrição
 
Segurança na Cadeia Medicamentosa
Segurança na Cadeia MedicamentosaSegurança na Cadeia Medicamentosa
Segurança na Cadeia Medicamentosa
 
FARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.ppt
FARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.pptFARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.ppt
FARMACOTECNICA_Sistema de distribuição de medicamentos_23_05_23.ppt
 
Protocolo de prescrição de Medicamentos
Protocolo de  prescrição de MedicamentosProtocolo de  prescrição de Medicamentos
Protocolo de prescrição de Medicamentos
 
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
 
Controle de qualidade no preparo e administração de medicamentos
Controle de qualidade no preparo e administração de medicamentosControle de qualidade no preparo e administração de medicamentos
Controle de qualidade no preparo e administração de medicamentos
 
REDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕES
REDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕESREDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕES
REDUZINDO O RISCO DE CONTAMINAÇÃO DE INFUSÕES
 
Administração-de-medicamentos.pptx enffermagem
Administração-de-medicamentos.pptx enffermagemAdministração-de-medicamentos.pptx enffermagem
Administração-de-medicamentos.pptx enffermagem
 
aula 03 PNSP.pptx
aula 03 PNSP.pptxaula 03 PNSP.pptx
aula 03 PNSP.pptx
 
Segurança do Paciente em Pediatria
Segurança do Paciente em PediatriaSegurança do Paciente em Pediatria
Segurança do Paciente em Pediatria
 
Erros de medicação
Erros de medicaçãoErros de medicação
Erros de medicação
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na Prática
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 
Administração de-medicamentos
Administração de-medicamentosAdministração de-medicamentos
Administração de-medicamentos
 
Injetáveis.pptx
Injetáveis.pptxInjetáveis.pptx
Injetáveis.pptx
 
V4N3.pdf
V4N3.pdfV4N3.pdf
V4N3.pdf
 
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalarAtenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
 
Farmácia social prescrição farmacêutica
Farmácia social prescrição farmacêutica Farmácia social prescrição farmacêutica
Farmácia social prescrição farmacêutica
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Último

AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxmikashopassos123
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfvejic16888
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfTabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfqualidadediagnostico
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfivana Sobrenome
 
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMayaraStefanydaSilva1
 

Último (6)

AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfTabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
 

Uso Seguro de Medicamentos em Neonatologia: Preparo e Administração

  • 1. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ATENÇÃO AO RECÉM-NASCIDO USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO
  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO • Incidentes Relacionados a Medicamentos (IRM) estão entre os mais comuns nos serviços de saúde e podem acarretar prejuízos ao paciente e seus familiares nos aspectos da saúde física, mental e social. • Falhas na terapia com medicamento podem, ainda, comprometer a imagem e a confiabilidade das instituições de saúde, implicando seus gestores e profissionais em processos e ações ético-moral-legais.
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO Objetivos dessa apresentação: • Fornecer aos profissionais de Enfermagem uma visão geral sobre uso seguro de medicamentos • Apresentar estratégias voltadas para a melhoria da segurança no uso de medicamentos nos serviços de saúde • Incentivar a incorporação de práticas que ampliem a segurança no uso de medicamentos, especialmente durante o preparo e a administração
  • 4. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • O processo de administração de medicamentos a pacientes muitas vezes envolve vários profissionais de saúde e falhas de comunicação podem levar a lacunas na continuidade do processo e gerar Incidentes Relacionados a Medicamentos (IRM). • Evento adverso ocorre quando o IRM gera dano ao paciente. • A complexidade do uso de medicamentos para o tratamento e prevenção de doenças traz riscos que, se não controlados, podem levar a ocorrência eventos adversos e estes, por consequência, podem provocar morbidades adicionais e aumentar o tempo de hospitalização, implicando na elevação do gasto financeiro na prestação do cuidado à saúde. Introdução
  • 5. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Estima-se que de cada seis a oito internações em UTI neonatal, uma (15%) seja acompanhada de erro médico com drogas. • Pesquisas mostram que 69% dos erros são interceptados pela equipe de enfermagem: reconhecer, interpretar, corrigir antes da realização do medicamento ao paciente ✓ Incidência média de reações adversas a medicamentos em pediatria: 10,1% - Reações graves: 4,4% a 27,9% ✓ 6% relacionadas a drogas sem registro ou indicações não aprovadas (off label) e 3,9% de drogas com registro ✓ São a causa de 0,6% a 4,3% das internações pediátricas Introdução
  • 6. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Preparo de medicamentos Consiste na técnica de manipulação dos medicamentos para administrar ao paciente, de acordo com a prescrição e dispensação, e envolve: • Amplo conhecimento prévio sobre a droga (ações e reações) • A conferência da prescrição com o medicamento a ser preparado • A realização de cálculos, diluições e rediluições • A completa identificação e a escolha de materiais e equipamentos apropriados para a administração
  • 7. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • É um processo interdisciplinar que exige conhecimento técnico e prática • São necessários conhecimentos sobre Anatomia, Farmacologia, Fisiologia, Microbiologia e Bioquímica • É a última barreira para evitar um erro de medicação (derivado dos processos de prescrição e dispensação) e exige grande responsabilidade do profissional que os administra • Todo profissional de saúde, ao administrar um medicamento, deve sempre checar os “nove certos”: paciente certo, medicamento certo, dose certa, via certa, horário certo, registro certo, ação certa, forma certa e resposta certa. • Já existem referências a 13 certos para a administração de medicamentos Administração de medicamentos
  • 8. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • A Prescrição Médica (PM) deve ser legível, preferencialmente emitida a partir de um sistema informatizado, evitando o “copia e cola”. Evitar prescrições manuscritas!!! • A PM deve conter data e identificação do prescritor com carimbo e assinatura • A PM deve conter as informações necessárias dos medicamentos, tais como, nome, dosagem, via, horário, frequência e velocidade de infusão • As siglas e abreviaturas adotadas na PM devem ser divulgadas na instituição • As normas seguras para identificação do paciente devem ser conhecidas e aplicadas por todos os profissionais Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 9. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • A PM deve conter identificação completa e legível do paciente com no mínimo dois identificadores, como nome completo e data de nascimento e pode ser acrescida com o número do prontuário ou registro do atendimento, conforme norma institucional • A PM deve ser válida por 24h • Ter e divulgar a política institucional para uso seguro de novos medicamentos • Ter e divulgar um Manual Padronizado de Diluição, Administração e Interação • Ter Protocolos e Procedimentos Operacionais Padronizados (POP) para a administração segura de medicamentos estabelecidos Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 10. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Dispensar o maior número de medicamentos prontos para uso, ou seja, em doses unitárias • Diariamente recolher sobras de medicamentos, não permitindo estoques nos setores em caixas ou gavetas • Fornecer bombas de infusão contínuas para a administração de medicamentos e que requerem alta precisão, como as drogas vasoativas, analgésicas, nutrição parenteral, entre outras • Disponibilizar local específico de leitura e preparo de medicamento a ser administrado. Manter boas condições de higiene, limpeza, iluminação, ventilação, baixo nível de ruído, sem fonte de distração e interrupção Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 11. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Promover a cultura da segurança quanto à “Redução de interrupções do trabalho da equipe de Enfermagem” e educação em serviço • Possuir conhecimento da lei do exercício profissional • Saber calcular a dose exata prescrita e a unidade de medida do sistema métrico • Saber calcular com precisão a velocidade de gotejamento e ou programar os equipamentos e bombas de infusão, para administrar de forma segura o medicamento • Observar os mecanismos de segurança das bombas de infusão como alarme, keep vein open (KVO) que corresponde à função de “manter via aberta ou pérvia” Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 12. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Atentar quanto às taxas de IRM que, comumente, são mais altas em unidades de cuidados intensivos neonatal. Recém-nascidos apresentam menor capacidade de tolerar fisiologicamente um erro de medicação devido às suas funções renais, imunológicas e hepáticas estarem em desenvolvimento • Valorizar a importância de manter equipe especializada em cuidados neonatais • Higienizar as mãos adequadamente • Ter habilidade para aspirar medicamentos em seringas de variados tamanhos e volumes, reconhecendo a graduação dos diversos tipos disponíveis Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 13. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Realizar a desinfecção das ampolas, flaconetes e demais frascos • Conferir os dados da pulseira de identificação do paciente com a prescrição e identificação do leito • Proceder à conferência dos nove certos, do uso seguro de medicamentos, ou os adotados como padrão no serviço. O ideal é fazer a conferência antes de administrar • Rastrear visualmente o cateter ou sonda, do conector ao seu ponto de origem, antes de administrar o medicamento no paciente, em cada conexão ou infusão. • Realizar a desinfecção das conexões instaladas para administração de medicamentos, utilizar soluções contendo álcool Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 14. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Verificar e manter a permeabilidade do cateter e proceder a infusão • O volume mínimo da solução para realizar a infusão deve ser pelo menos duas vezes o volume da capacidade do cateter • Controlar o fluxo de velocidade de administração do medicamento em qualquer via • Administrar separadamente cada medicamento e avaliar o paciente após a sua administração, para observação do efeito esperado ou reações adversas • Registrar na anotação de enfermagem as informações dos medicamentos administrados Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 15. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Compreender e valorizar a supervisão educativa como estratégia de segurança ao paciente e ao profissional • Responsabilizar-se sempre sobre a eventualidade de um incidente ter ocorrido • Promover cultura da comunicação aberta e efetiva no ambiente de trabalho • Utilizar seringas específicas para medicamentos orais, de cores e formatos diferentes das seringas tradicionais • Ter padronização de concentração de drogas a ser administradas • Monitorar temperatura de geladeiras Estratégias e barreiras relacionadas à segurança no preparo, administração e monitoramento de medicamentos.
  • 16. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br • Consiste em observar continuadamente o paciente tanto a curto, médio quanto longo prazo • O monitoramento abrange os aspectos técnico e clínico • O técnico está relacionado às vias, acessos, características das infusões entre outros. O aspecto clínico está relacionado à resposta esperada ou inesperada da ação do medicamento • A atividade de monitoramento deve ser também documentada, assim como todos os outros passos do processo de medicação Monitoramento
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO • É fundamental que os profissionais de saúde saibam que os Incidentes Relacionados a Medicamentos geram danos aos pacientes, que poderiam ser evitados, pois são previsíveis e preveníveis. • O primeiro passo é conhecer os riscos associados e aprender o que pode ser feito para tornar a terapia com medicação mais segura.
  • 18. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO • World Health Organization (WHO). Multi-professional Patient Safety Curriculum Guide. Geneva (Switzerland); 2011. • Institute of Medicine (US) Committee on Quality of Health Care in America; Kohn LT, Corrigan JM, Donaldson MS, editors. To Err is Human: Building a Safer Health System. Washington (DC): National Academies Press (US); 2000. • Institute of Medicine. Preventing medication errors: report brief. Washington, DC: National Academies Press; 2006. • Jordão MM, Silva MF, Santos SV, Salum NC, Barbosa SFF. Tecnologias utilizadas pela enfermagem na prevenção de erros de medicação em pediatria, 2012. • Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Protocolo de Segurança na Prescrição, uso e Administração de Medicamentos. Protocolo coordenado pelo Ministério da Saúde e ANVISA em parceria com FIOCRUZ e FHEMIG. 2013 • Conselho Regional de Enfermagem (Coren). Uso seguro de medicamentos: Guia de Preparo, Administração, Monitoramento. São Paulo. 2017. • Institute of Medicine. Preventing medication errors: quality chasm series. Washington (DC): Nacional Academy Press; 2006. Referências
  • 19. ATENÇÃO AO RECÉM-NASCIDO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 25 de janeiro de 2020 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção ao Recém-nascido Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. USO SEGURO DE MEDICAMENTOS EM NEONATOLOGIA: PREPARO E ADMINISTRAÇÃO