SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
TRABALHO INTERDISCIPLINAR
NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
A assistência prestada pela enfermagem
obstétrica é uma solução vital para os desafios
de fornecer cuidados maternos-neonatais de
alta qualidade para todas as mulheres e recém-
nascidos, em todos os países.
RENFREW et al., 2014
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Objetivos dessa apresentação
 Apresentar as evidências científicas relativas a inserção
de enfermeiras obstétricas e obstetrizes na assistência ao
parto e nascimento
 Refletir sobre a importância do trabalho interdisciplinar
para a qualificação do cuidado obstétrico
 Estimular uma postura crítica e reflexiva em relação ao
trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e
nascimento
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Atenção ao parto e nascimento no Brasil
 O modelo de atenção obstétrica do Brasil é reconhecido como extremamente intervencionista e a maior expressão
disso são as elevadas taxas de intervenções e de cesárea, a segunda maior do mundo.
 Dados divulgados pelo Ministério da Saúde (2015) mostram que a taxa de operação cesariana chega a 56% na
população geral.
 Cenário de intensa medicalização do processo do nascimento:
• 98% dos partos são realizados em hospitais, com persistência de altas taxas de morbimortalidade materna,
natimortalidade e mortalidade neonatal;
• O nascimento é compreendido como uma questão médica; a gestação como um processo potencialmente
patológico.
• O corpo da mulher é encarado como uma máquina complexa, imperfeita, que necessita de tecnologias para
funcionar;
• Nesse cenário a mulher perde o protagonismo do seu processo de parturição e atores são excluídos da cena do
parto, dentre eles o enfermeiro, familiares/acompanhantes, doula e outros profissionais.
ANDRADE e LIMA, 2014; LEAL et al., 2014; DINIZ, 2009.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Também há excesso de intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e o parto,
tendo em vista os resultados da pesquisa Nascer no Brasil que apontaram que apenas 5,6%
das parturientes de risco habitual deram à luz sem sofrer qualquer tipo de intervenção na
fisiologia do trabalho de parto.
• A episiotomia foi observada em mais de 50% das mulheres;
• Posição de litotomia em mais de 90% dos partos;
• Infusão de ocitocina e ruptura artificial da membrana amniótica em
cerca de 40% das parturientes;
• Realização da manobra de Kristeller em 37% dos partos vaginais;
LEAL et al., 2014
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Além disso, existem
importantes desafios que
ainda persistem na saúde de
mães e crianças no Brasil.
VICTORA et al., 2011
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
O emprego de Políticas de incentivo à humanização busca promover a fisiologia do trabalho de
parto e parto e incentivar praticas baseadas em evidências, consideradas como mais adequadas à
fisiologia do parto.
O movimento de humanização e de “desmedicalização” do parto se faz presente em vários países,
incluindo o Brasil, há aproximadamente três décadas.
MORATÓRIO, 2015
Desde 1990, os 21 países que foram mais bem sucedidos em
reduzir as taxas de mortalidade materna, em pelo menos 2 a 5% ao ano,
fizeram isso facilitando o parto através do emprego de
enfermeiras obstétricas e obstetrizes.
RENFREW et al., 2014
A enfermagem tem papel fundamental nesta mudança!
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
O Ministério da Saúde recomenda que “a assistência ao parto e nascimento de baixo risco que se
mantenha dentro dos limites da normalidade pode ser realizada tanto por médico obstetra quanto por
enfermeira obstétrica e obstetriz”.
As tecnologias de cuidado de enfermagem empregadas por enfermeiras obstétricas e obstetrizes
contribuem para o resgate de um trabalho de parto mais fisiológico e menos traumático para a mulher e
bebê.
O modelo no qual a enfermagem obstétrica tem a responsabilidade do cuidado tem o pressuposto da
gestação e do parto como um evento saudável da vida das mulheres e por esta razão podem ter uma
experiência de parto com intervenções mínimas.
BRASIL, 2016
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
O profissional de enfermagem tem o direito de exercer a Enfermagem com liberdade, segurança
técnica, científica e ambiental, autonomia, e ser tratado sem discriminação de qualquer natureza,
segundo os princípios e pressupostos legais, éticos e dos direitos humanos.
COFEN, 2017
São várias as legislações que garantem o respaldo legal para a atuação da Enfermagem Obstétrica no
Brasil:
• Constituição Federal Brasileira de 1988;
• Lei 7.498/86 e Decreto 94.406/87 que regulamenta a Lei nº 7.498;
• Resoluções do Conselho Federal de Enfermagem – COFEN;
• Resoluções e Portarias do Ministério da Saúde e órgãos afins.
ABENFO, 2018
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Lei nº 7.498/86 e Decreto nº 94.406/87
Ao enfermeiro, como integrante da equipe de saúde, incumbe:
• prescrição de medicamentos previamente estabelecidos em programas de saúde
pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde;
• prestação de assistência de enfermagem à gestante, parturiente, puérpera e ao
recém-nascido;
• participação nos programas e nas atividades de assistência integral à saúde individual
e de grupos específicos, particularmente daqueles prioritários e de alto risco;
• acompanhamento da evolução e do trabalho de parto;
• execução e assistência obstétrica em situação de emergência e execução do parto sem
distócia.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Lei nº 7.498/86 e Decreto nº 94.406/87
Às profissionais titulares de diploma ou certificados de Obstetriz ou de Enfermeira
Obstétrica, além das atividades anteriores, incumbe:
• prestação de assistência à parturiente e ao parto normal;
• identificação das distócias obstétricas e tomada de
providências até a chegada do médico;
• realização de episiotomia e episiorrafia com aplicação de
anestesia local, quando necessária.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Enfermeiras obstétricas e Obstetrizes trabalhando efetivamente com médicos e
outros profissionais associa-se a uma rápida e sustentada diminuição da mortalidade
materna e neonatal e com melhoria da qualidade dos cuidados.
• Existe um crescente consenso entre os profissionais de saúde pública que a assistência
prestada por enfermeiras obstétricas e obstetrizes tem uma contribuição essencial nos
cuidados de alta qualidade na assistência materno-neonatal.
• Esse consenso decorre de evidências originadas de ensaios clínicos randomizados em
cenários de alta renda e da prática clínica e mostram que:
RENFREW et al., 2014
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
O que apontam as evidências?
As evidências mostram vantagens de um modelo de cuidados
promovidos por enfermeiras obstétricas ou obstetrizes. Revisão
sistemática da Biblioteca Cochrane (2016), envolvendo 17.674
mulheres em 15 estudos, demonstrou que para as mulheres que
receberam cuidados em modelos liderados por enfermeiras
obstétricas ou obstetrizes, em relação aos outros modelos
comparativos, houve redução de intervenções obstétricas, além de
aumento da satisfação com os cuidados recebidos, sem aumento nos
resultados adversos.
SANDALL et al., 2016
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Os resultados mostram que mulheres que receberam cuidados ofertados por
enfermeiras obstétricas ou obstetrizes foram menos propensas a:
• analgesia regional (n: 17.674);
• parto vaginal instrumental (fórceps/vácuo extrator) (n: 17.501);
• partos prematuros (n: 13.238);
• amniotomia (n: 3.253);
• episiotomia (n: 17.674);
• perda fetal inferior a 24 semanas e morte neonatal (n: 15.645).
SANDALL et al., 2016
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Estas mulheres, ainda, tiveram maior
chance de parto vaginal espontâneo,
maior sensação de controle da
experiência do parto e de serem
atendidas por enfermeiras obstétricas
ou obstetrizes anteriormente
conhecidas.
SANDALL et al., 2016
Fig. 1 – Assistência ao parto e nascimento prestada por equipe interdisciplinar e a
participação da família. Fonte: Blog Maternar, 2015.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Em outros aspectos, os resultados são semelhantes, como:
• morte neonatal (n: 17.561);
• laceração perineal com necessidade de sutura (n: 15.104);
• hemorragia puerperal (n: 14.214);
• apgar de 5º minuto menor ou igual a 7 (n: 12.546);
• necessidade de cuidados especiais para o recém-nascido ou admissão em
unidade de tratamento intensivo neonatal (n: 17.561).
SANDALL et al., 2016
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
O potencial das enfermeiras obstétricas e obstetrizes para melhorar a qualidade do cuidado, demonstrado
em diversos estudos, é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
• 83% de todas as mortes maternas, óbitos fetais e neonatais podem ser evitados com cuidados integrais
de enfermagem obstétrica, incluindo o planejamento familiar;
• 62% das práticas efetivas no âmbito da enfermagem obstétrica mostram a importância de otimizar os
processos normais de parto e início da vida e capacitar as mulheres a cuidar de si e de suas famílias;
• Redução de 82% na probabilidade de mortalidade materna com cobertura universal de cuidados
prestados por enfermeiras obstétricas e obstetrizes;
• A atuação da enfermagem obstétrica está associada a um uso mais eficiente dos recursos e a melhores
resultados;
• Está associada ainda à redução da morbidade materna e neonatal, redução das intervenções no trabalho
de parto, resultados psicossociais aprimorados e aumento do espaçamento entre os nascimentos e uso
de anticoncepcionais.
SANDALL et al., 2016; HOMER et al., 2014; RENFREW et al., 2014; UNFPA ICM and WHO, 2014
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Uma cobertura efetiva do cuidado da saúde reprodutiva, materna e
neonatal, se baseia em três pilares: facilitar o acesso das mulheres
aos cuidados de enfermeiras obstétricas e obstetrizes, ações que
busquem atender às suas necessidades e expectativas e melhorar a
qualidade dos cuidados que elas e os recém-nascidos recebem.
Promover a saúde dos bebês significa apoiar, respeitar e proteger a
mãe através de cuidados de alta qualidade, ou seja, seguro, eficaz,
acessível, apropriado, equitativo, eficiente e centrado na mulher. O
fortalecimento das capacidades da mãe é essencial para a
sobrevivência a longo prazo e bem-estar para a criança.
THE LANCET, 2014
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Diante destas evidências, o Ministério da
Saúde recomenda que “os gestores de
saúde proporcionem condições para a
implementação do modelo de assistência
que inclua a enfermeira obstétrica e
obstetriz na assistência ao parto de baixo
risco”. BRASIL, 2016
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Mesmo diante de evidências de alta qualidade da importância da Enfermagem Obstétrica, a Associação
Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras – ABENFO Nacional aponta desafios a serem vencidos pelos
profissionais no Brasil:
• Aumentar o quantitativo de Enfermeiras Obstétricas e Obstetrizes formadas com qualidade;
• Fortalecer a aliança com os movimentos de mulheres que apoiam o parto normal;
• Fortalecer a posição da Enfermagem Obstétrica no sistema de saúde público e privado;
• Melhorar a atuação da Enfermagem Obstétrica no pré-natal, com educação para a saúde/informação objetiva sobre
parto normal e empoderamento das mulheres;
• Atuar na gestão, no sentido de mudança do modelo assistencial;
• Criar novos campos de atuação;
• Trabalhar em equipe, com autonomia;
• Engajar-se, no sentido de uma ação ético-política;
• Fortalecer seu quê-fazer (saber-fazer): distinguir-se e integrar-se!
SOUZA, 2017
Protagonismo da
mulher
Práticas baseadas
em evidências
Trabalho em
equipe
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
SANDALL et al., 2016; FILBY et al., 2014
A qualidade dos cuidados ofertados pela
enfermagem obstétrica são fundamentais
para alcançar as prioridades nacionais e
globais na saúde materno-neonatal e
garantir os direitos das mulheres e
recém-nascidos.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
• O potencial das enfermeiras obstétricas e obstetrizes para melhorar a qualidade do cuidado têm
sido amplamente demonstrado em diversos estudos e é reconhecido pela Organização Mundial da
Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde.
• No entanto, persistem barreiras que devem ser superadas para que estas profissionais possam
praticar todo o seu potencial de proporcionar uma excelente qualidade de cuidados, centrados nas
mulheres.
• No Brasil, os serviços que integram estas profissionais na assistência ao parto e nascimento são
reconhecidos pelos bons resultados em seus indicadores e são unânimes quanto a melhor custo-
efetividade.
• O trabalho interdisciplinar entre médicos e enfermeiras na assistência ao parto e nascimento, com
adoção de práticas de cuidados baseadas em evidências e com centralidade na mulher, se configura
como um dos passos mais importantes para a efetiva qualificação da/na atenção obstétrica
brasileira.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Referências
• ABENFO Nacional. Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras. Publicações. Rio de Janeiro: 2018. Disponível em:
<http://abenfo.wixsite.com/meusite/biblioteca> Acesso em 11 mai 2018.
• ANDRADE, M.A.C.; LIMA, J.B.M.C. (2014). O modelo obstétrico e neonatal que defendemos e com o qual trabalhamos. In: Cadernos Humaniza SUS - Volume 4: Humanização do
parto e nascimento (pp. 19-46). Brasília, DF: UECE/Ministério da Saúde.
• DINIZ, S.G. (2009). Gênero, saúde materna e o paradoxo perinatal. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 19(2), 313-326.
• BRASIL. Ministério da Saúde. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal: relatório de recomendação [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência,
Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2016. 381 p.
• BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Diretrizes de Atenção à
Gestante: a operação cesariana [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de
Tecnologias em Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2015. 115 p.
• BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292 p. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm> Acesso em 11 mai 2018
• BRASIL. Decreto nº 94.406, de 08 de junho de 1987. Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências.
Diário Oficial, Brasília, DF, 09 jun. 1987. Seção 1, fls. 8.853 a 8.855. Disponível em: <http://www.cofen.gov.br/decreto-n-9440687_4173.html> Acesso em 11 mai 2018
• BRASIL. Lei nº 7.498/86, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, DF, 26 jun. 1986.
Seção 1, fls. 9.273 a 9.2758. Disponível em: <http://www.cofen.gov.br/lei-n-749886-de-25-de-junho-de-1986_4161.html> Acesso em 11 mai 2018
• CARDOSO, M. Após projeto, hospitais elevam taxa de parto normal e reduzem a de cesárea. Folha de S. Paulo - São Paulo - 28 out 2015. Blog Maternar. Disponível em:
<http://maternar.blogfolha.uol.com.br/2015/10/28/apos-projeto-hospitais-elevam-taxa-de-parto-normal-e-reduzem-a-de-cesarea/> Acesso em 11 mai 2018.
• COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 564. Aprova o novo Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Diário Oficial, Brasília, DF, 06 nov. 2017. Seção 1, fl.
157. Disponível em: <http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-5642017_59145.html> Acesso em 11 mai 2018
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Referências
• FILBY A, MCCONVILLE F, PORTELA A. What Prevents Quality Midwifery Care? A Systematic Mapping of Barriers in Low and Middle Income Countries from the Provider Perspective.
Kumar S, ed. PLoS ONE. 2016;11(5):e0153391. doi:10.1371/journal.pone.0153391.
• HOMER CS, FRIBERG IK, DIAS MA, TEN HOOPE-BENDER P, SANDALL J, SPECIALE AM, BARTLETT LA. The projected effect of scaling up midwifery. Lancet. 2014 Sep 20;384(9948):1146-
57. doi: 10.1016/S0140-6736(14)60790-X. Epub 2014 Jun 22. Review. Erratum in: Lancet. 2014 Sep 20;384(9948):1098. PubMed PMID: 24965814.
• THE LANCET. Midwifery: An Executive Summary for The Lancet’s Series. 2014.
• LEAL, M.C.; PEREIRA, A.P.; DOMINGUES, R. M. et al. (2014). Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cadernos de Saúde
Pública, 30 (Supl. 1), S17-S32.
• MORATÓRIO, M.B. Trabalho de parto e parto: compreensão de mulheres e des-velamento da solicitude como possibilidade assistencial. 2015. 88f. Dissertação de Mestrado –
Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2015.
• RENFREW, M.J.; McFADDEN, A.; BASTOS, M.H. et al. Midwifery and quality care: findings from a new evidence-informed framework for maternal and newborn care. The Lancet. 2014;
384:1129–45.
• SANDALL, J.; SOLTANI, H.; GATES, S. et al. Midwife-led continuity models versus other models of care for childbearing women. Cochrane Database of Systematic Reviews 2016, Issue 4.
Art. No.: CD004667. DOI:10.1002/14651858.CD004667.pub5.
• SOUZA, K. V. Interface entre o parto e o nascimento: a enfermagem e a melhoria do cuidado. In: Seminário Nacional de Pesquisa em Enfermagem Neonatal, 2., 2017, Teresina. II
Seminário Nacional de Pesquisa em Enfermagem Neonatal. Brasília: SENPEN, 2017.
• UNFPA; ICM; WHO. The state of the world’s midwifery 2014: A universal pathway. A women's right to health. 2014, New York: United Nations Population Fund.
• VICTORA, C.G.; AQUINO, E.M., LEAL, M.C. et al. Saúde de mães e crianças no Brasil: progressos e desafios. The Lancet, London, p. 32-46, May, 2011.
• WHO. World Health Organization. Maternal, newborn, child and adolescent health. The case for midwifery. Disponível em:
<http://www.who.int/maternal_child_adolescent/topics/quality-of-care/midwifery/case-for-midwifery/en/> Acesso em 11 mai 2018
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
Outras referências consultadas
• BOHREN, M.A.; HOFMEYR, G.J.; SAKALA, C. et al. Continuous support for women during childbirth. Cochrane Database of Systematic Reviews 2017, Issue 7. Art. No.: CD003766.
DOI: 10.1002/14651858.CD003766.pub6.
• COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 516. Normatiza a atuação e a responsabilidade do Enfermeiro, Enfermeiro Obstetra e Obstetriz na assistência às gestantes,
parturientes, puérperas e recém-nascidos nos Serviços de Obstetrícia, Centros de Parto Normal e/ou Casas de Parto e outros locais onde ocorra essa assistência; estabelece critérios
para registro de títulos de Enfermeiro Obstetra e Obstetriz no âmbito do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem, e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, DF, 27
jun. 2016. Seção 1, fls. 92 e 93.
• GAMA, S.G.N.; VIELLAS, E.F.; TORRES, J.A. et al. Labor and birth care by nurse with midwifery skills in Brazil. Reproductive Health2016 13 (Suppl 3):123.
• SOUSA, A.M.M. et al. Práticas na assistência ao parto em maternidades com inserção de enfermeiras obstétricas, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Esc. Anna Nery [online]. 2016,
vol.20, n.2, pp.324-331. ISSN 1414-8145. http://dx.doi.org/10.5935/ 1414-8145.20160044.
• VOGT, S.E.; SILVA, K.S.; DIAS, M.A.B. Comparação de modelos de assistência ao parto em hospitais públicos. Rev Saúde Pública 2014;48(2):304-313. DOI:10.1590/S0034-
8910.2014048004633.
• WHO. World Health Organization. WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Geneva: World Health Organization; 2018. Licence: CC BY-NC-
SA 3.0 IGO.
• WHO. World Health Organization. WHO recommendations on antenatal care for a positive pregnancy experience. Geneva: World Health Organization, 2016. ISBN 978 92 4 154991
2.
• ZANARDO, G.L.P. et al. Violência obstétrica no Brasil: uma revisão narrativa. Psicol. Soc. vol.29 Belo Horizonte 2017 Epub July 10, 2017.
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 11 de maio de 2018
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção às Mulheres
Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal.
TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO:
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemjusantos_
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAmanda Corrêa
 
Aula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricasAula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricasSUELLEN SILVA
 
Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...
Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...
Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...Caroline Reis Gonçalves
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalGustavo Henrique
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroJuliana Maciel
 

Mais procurados (20)

Alojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagensAlojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagens
 
Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no segundo período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no segundo períodoCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no segundo período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no segundo período
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
 
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método CanguruGarantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
 
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à práticaSegurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
 
Alojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagensAlojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagens
 
Complicações na gestação
Complicações na gestaçãoComplicações na gestação
Complicações na gestação
 
Promovendo o Aleitamento Materno Exclusivo: desafios do início da Amamentação
Promovendo o Aleitamento Materno Exclusivo: desafios do início da AmamentaçãoPromovendo o Aleitamento Materno Exclusivo: desafios do início da Amamentação
Promovendo o Aleitamento Materno Exclusivo: desafios do início da Amamentação
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
 
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.
 
Parto humanizado
Parto humanizadoParto humanizado
Parto humanizado
 
Aula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricasAula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricas
 
Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...
Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...
Atendimento pré hospitalar de urgências obstétricas - Treinamento SAMU BH e D...
 
ATENÇÃO HUMANIZADA AO ABORTAMENTO
ATENÇÃO HUMANIZADA AO ABORTAMENTOATENÇÃO HUMANIZADA AO ABORTAMENTO
ATENÇÃO HUMANIZADA AO ABORTAMENTO
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
 

Semelhante a Trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento: a atuação da enfermagem obstétrica

PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)Ivanilson Gomes
 
Obstetricia e alojamento conjunto
Obstetricia e alojamento conjuntoObstetricia e alojamento conjunto
Obstetricia e alojamento conjuntoRenata Nobre
 
A formação de Obstetrizes no Brasil
A formação de Obstetrizes no Brasil A formação de Obstetrizes no Brasil
A formação de Obstetrizes no Brasil jbrigagao
 
Humanização na Assistência Obstétrica
Humanização na Assistência ObstétricaHumanização na Assistência Obstétrica
Humanização na Assistência ObstétricaProfessor Robson
 
Pré parto
Pré parto Pré parto
Pré parto tvf
 
Redução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagem
Redução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagemRedução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagem
Redução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagemEstephane ingrid Souza Pessoa
 
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptxKellyMilhomem
 
Parto aborto puerperio
Parto aborto puerperioParto aborto puerperio
Parto aborto puerperiokarol_ribeiro
 
A Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No BrasilA Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No BrasilIsabella Oliveira
 
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptxKellyMilhomem
 
distocias.pptx
distocias.pptxdistocias.pptx
distocias.pptxDokiNorkis
 

Semelhante a Trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento: a atuação da enfermagem obstétrica (20)

PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
 
PESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASILPESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASIL
 
Obstetricia e alojamento conjunto
Obstetricia e alojamento conjuntoObstetricia e alojamento conjunto
Obstetricia e alojamento conjunto
 
A formação de Obstetrizes no Brasil
A formação de Obstetrizes no Brasil A formação de Obstetrizes no Brasil
A formação de Obstetrizes no Brasil
 
DIU de cobre nas maternidades
DIU de cobre nas maternidadesDIU de cobre nas maternidades
DIU de cobre nas maternidades
 
Humanização na Assistência Obstétrica
Humanização na Assistência ObstétricaHumanização na Assistência Obstétrica
Humanização na Assistência Obstétrica
 
Pré parto
Pré parto Pré parto
Pré parto
 
Redução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagem
Redução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagemRedução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagem
Redução da Violência obstétrica através da assistência de enfermagem
 
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
 
Parto aborto puerperio
Parto aborto puerperioParto aborto puerperio
Parto aborto puerperio
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Manual de parto
Manual de partoManual de parto
Manual de parto
 
cuidadornpar
cuidadornparcuidadornpar
cuidadornpar
 
AULA 1 CLINICA OBSTÉTRICA.pptx
AULA 1 CLINICA OBSTÉTRICA.pptxAULA 1 CLINICA OBSTÉTRICA.pptx
AULA 1 CLINICA OBSTÉTRICA.pptx
 
A Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No BrasilA Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No Brasil
 
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de CesáreaIndução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
 
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
 
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
 
distocias.pptx
distocias.pptxdistocias.pptx
distocias.pptx
 
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à SaúdeA Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento: a atuação da enfermagem obstétrica

  • 1. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ATENÇÃO ÀS MULHERES TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA A assistência prestada pela enfermagem obstétrica é uma solução vital para os desafios de fornecer cuidados maternos-neonatais de alta qualidade para todas as mulheres e recém- nascidos, em todos os países. RENFREW et al., 2014
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Objetivos dessa apresentação  Apresentar as evidências científicas relativas a inserção de enfermeiras obstétricas e obstetrizes na assistência ao parto e nascimento  Refletir sobre a importância do trabalho interdisciplinar para a qualificação do cuidado obstétrico  Estimular uma postura crítica e reflexiva em relação ao trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento
  • 4. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Atenção ao parto e nascimento no Brasil  O modelo de atenção obstétrica do Brasil é reconhecido como extremamente intervencionista e a maior expressão disso são as elevadas taxas de intervenções e de cesárea, a segunda maior do mundo.  Dados divulgados pelo Ministério da Saúde (2015) mostram que a taxa de operação cesariana chega a 56% na população geral.  Cenário de intensa medicalização do processo do nascimento: • 98% dos partos são realizados em hospitais, com persistência de altas taxas de morbimortalidade materna, natimortalidade e mortalidade neonatal; • O nascimento é compreendido como uma questão médica; a gestação como um processo potencialmente patológico. • O corpo da mulher é encarado como uma máquina complexa, imperfeita, que necessita de tecnologias para funcionar; • Nesse cenário a mulher perde o protagonismo do seu processo de parturição e atores são excluídos da cena do parto, dentre eles o enfermeiro, familiares/acompanhantes, doula e outros profissionais. ANDRADE e LIMA, 2014; LEAL et al., 2014; DINIZ, 2009.
  • 5. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Também há excesso de intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e o parto, tendo em vista os resultados da pesquisa Nascer no Brasil que apontaram que apenas 5,6% das parturientes de risco habitual deram à luz sem sofrer qualquer tipo de intervenção na fisiologia do trabalho de parto. • A episiotomia foi observada em mais de 50% das mulheres; • Posição de litotomia em mais de 90% dos partos; • Infusão de ocitocina e ruptura artificial da membrana amniótica em cerca de 40% das parturientes; • Realização da manobra de Kristeller em 37% dos partos vaginais; LEAL et al., 2014
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Além disso, existem importantes desafios que ainda persistem na saúde de mães e crianças no Brasil. VICTORA et al., 2011
  • 7. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA O emprego de Políticas de incentivo à humanização busca promover a fisiologia do trabalho de parto e parto e incentivar praticas baseadas em evidências, consideradas como mais adequadas à fisiologia do parto. O movimento de humanização e de “desmedicalização” do parto se faz presente em vários países, incluindo o Brasil, há aproximadamente três décadas. MORATÓRIO, 2015 Desde 1990, os 21 países que foram mais bem sucedidos em reduzir as taxas de mortalidade materna, em pelo menos 2 a 5% ao ano, fizeram isso facilitando o parto através do emprego de enfermeiras obstétricas e obstetrizes. RENFREW et al., 2014 A enfermagem tem papel fundamental nesta mudança!
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA O Ministério da Saúde recomenda que “a assistência ao parto e nascimento de baixo risco que se mantenha dentro dos limites da normalidade pode ser realizada tanto por médico obstetra quanto por enfermeira obstétrica e obstetriz”. As tecnologias de cuidado de enfermagem empregadas por enfermeiras obstétricas e obstetrizes contribuem para o resgate de um trabalho de parto mais fisiológico e menos traumático para a mulher e bebê. O modelo no qual a enfermagem obstétrica tem a responsabilidade do cuidado tem o pressuposto da gestação e do parto como um evento saudável da vida das mulheres e por esta razão podem ter uma experiência de parto com intervenções mínimas. BRASIL, 2016
  • 9. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA O profissional de enfermagem tem o direito de exercer a Enfermagem com liberdade, segurança técnica, científica e ambiental, autonomia, e ser tratado sem discriminação de qualquer natureza, segundo os princípios e pressupostos legais, éticos e dos direitos humanos. COFEN, 2017 São várias as legislações que garantem o respaldo legal para a atuação da Enfermagem Obstétrica no Brasil: • Constituição Federal Brasileira de 1988; • Lei 7.498/86 e Decreto 94.406/87 que regulamenta a Lei nº 7.498; • Resoluções do Conselho Federal de Enfermagem – COFEN; • Resoluções e Portarias do Ministério da Saúde e órgãos afins. ABENFO, 2018
  • 10. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Lei nº 7.498/86 e Decreto nº 94.406/87 Ao enfermeiro, como integrante da equipe de saúde, incumbe: • prescrição de medicamentos previamente estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde; • prestação de assistência de enfermagem à gestante, parturiente, puérpera e ao recém-nascido; • participação nos programas e nas atividades de assistência integral à saúde individual e de grupos específicos, particularmente daqueles prioritários e de alto risco; • acompanhamento da evolução e do trabalho de parto; • execução e assistência obstétrica em situação de emergência e execução do parto sem distócia.
  • 11. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Lei nº 7.498/86 e Decreto nº 94.406/87 Às profissionais titulares de diploma ou certificados de Obstetriz ou de Enfermeira Obstétrica, além das atividades anteriores, incumbe: • prestação de assistência à parturiente e ao parto normal; • identificação das distócias obstétricas e tomada de providências até a chegada do médico; • realização de episiotomia e episiorrafia com aplicação de anestesia local, quando necessária.
  • 12. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Enfermeiras obstétricas e Obstetrizes trabalhando efetivamente com médicos e outros profissionais associa-se a uma rápida e sustentada diminuição da mortalidade materna e neonatal e com melhoria da qualidade dos cuidados. • Existe um crescente consenso entre os profissionais de saúde pública que a assistência prestada por enfermeiras obstétricas e obstetrizes tem uma contribuição essencial nos cuidados de alta qualidade na assistência materno-neonatal. • Esse consenso decorre de evidências originadas de ensaios clínicos randomizados em cenários de alta renda e da prática clínica e mostram que: RENFREW et al., 2014
  • 13. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA O que apontam as evidências? As evidências mostram vantagens de um modelo de cuidados promovidos por enfermeiras obstétricas ou obstetrizes. Revisão sistemática da Biblioteca Cochrane (2016), envolvendo 17.674 mulheres em 15 estudos, demonstrou que para as mulheres que receberam cuidados em modelos liderados por enfermeiras obstétricas ou obstetrizes, em relação aos outros modelos comparativos, houve redução de intervenções obstétricas, além de aumento da satisfação com os cuidados recebidos, sem aumento nos resultados adversos. SANDALL et al., 2016
  • 14. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Os resultados mostram que mulheres que receberam cuidados ofertados por enfermeiras obstétricas ou obstetrizes foram menos propensas a: • analgesia regional (n: 17.674); • parto vaginal instrumental (fórceps/vácuo extrator) (n: 17.501); • partos prematuros (n: 13.238); • amniotomia (n: 3.253); • episiotomia (n: 17.674); • perda fetal inferior a 24 semanas e morte neonatal (n: 15.645). SANDALL et al., 2016
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Estas mulheres, ainda, tiveram maior chance de parto vaginal espontâneo, maior sensação de controle da experiência do parto e de serem atendidas por enfermeiras obstétricas ou obstetrizes anteriormente conhecidas. SANDALL et al., 2016 Fig. 1 – Assistência ao parto e nascimento prestada por equipe interdisciplinar e a participação da família. Fonte: Blog Maternar, 2015.
  • 16. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Em outros aspectos, os resultados são semelhantes, como: • morte neonatal (n: 17.561); • laceração perineal com necessidade de sutura (n: 15.104); • hemorragia puerperal (n: 14.214); • apgar de 5º minuto menor ou igual a 7 (n: 12.546); • necessidade de cuidados especiais para o recém-nascido ou admissão em unidade de tratamento intensivo neonatal (n: 17.561). SANDALL et al., 2016
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA O potencial das enfermeiras obstétricas e obstetrizes para melhorar a qualidade do cuidado, demonstrado em diversos estudos, é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). • 83% de todas as mortes maternas, óbitos fetais e neonatais podem ser evitados com cuidados integrais de enfermagem obstétrica, incluindo o planejamento familiar; • 62% das práticas efetivas no âmbito da enfermagem obstétrica mostram a importância de otimizar os processos normais de parto e início da vida e capacitar as mulheres a cuidar de si e de suas famílias; • Redução de 82% na probabilidade de mortalidade materna com cobertura universal de cuidados prestados por enfermeiras obstétricas e obstetrizes; • A atuação da enfermagem obstétrica está associada a um uso mais eficiente dos recursos e a melhores resultados; • Está associada ainda à redução da morbidade materna e neonatal, redução das intervenções no trabalho de parto, resultados psicossociais aprimorados e aumento do espaçamento entre os nascimentos e uso de anticoncepcionais. SANDALL et al., 2016; HOMER et al., 2014; RENFREW et al., 2014; UNFPA ICM and WHO, 2014
  • 18. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Uma cobertura efetiva do cuidado da saúde reprodutiva, materna e neonatal, se baseia em três pilares: facilitar o acesso das mulheres aos cuidados de enfermeiras obstétricas e obstetrizes, ações que busquem atender às suas necessidades e expectativas e melhorar a qualidade dos cuidados que elas e os recém-nascidos recebem. Promover a saúde dos bebês significa apoiar, respeitar e proteger a mãe através de cuidados de alta qualidade, ou seja, seguro, eficaz, acessível, apropriado, equitativo, eficiente e centrado na mulher. O fortalecimento das capacidades da mãe é essencial para a sobrevivência a longo prazo e bem-estar para a criança. THE LANCET, 2014
  • 19. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Diante destas evidências, o Ministério da Saúde recomenda que “os gestores de saúde proporcionem condições para a implementação do modelo de assistência que inclua a enfermeira obstétrica e obstetriz na assistência ao parto de baixo risco”. BRASIL, 2016
  • 20. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Mesmo diante de evidências de alta qualidade da importância da Enfermagem Obstétrica, a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras – ABENFO Nacional aponta desafios a serem vencidos pelos profissionais no Brasil: • Aumentar o quantitativo de Enfermeiras Obstétricas e Obstetrizes formadas com qualidade; • Fortalecer a aliança com os movimentos de mulheres que apoiam o parto normal; • Fortalecer a posição da Enfermagem Obstétrica no sistema de saúde público e privado; • Melhorar a atuação da Enfermagem Obstétrica no pré-natal, com educação para a saúde/informação objetiva sobre parto normal e empoderamento das mulheres; • Atuar na gestão, no sentido de mudança do modelo assistencial; • Criar novos campos de atuação; • Trabalhar em equipe, com autonomia; • Engajar-se, no sentido de uma ação ético-política; • Fortalecer seu quê-fazer (saber-fazer): distinguir-se e integrar-se! SOUZA, 2017 Protagonismo da mulher Práticas baseadas em evidências Trabalho em equipe
  • 21. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA SANDALL et al., 2016; FILBY et al., 2014 A qualidade dos cuidados ofertados pela enfermagem obstétrica são fundamentais para alcançar as prioridades nacionais e globais na saúde materno-neonatal e garantir os direitos das mulheres e recém-nascidos.
  • 22. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA • O potencial das enfermeiras obstétricas e obstetrizes para melhorar a qualidade do cuidado têm sido amplamente demonstrado em diversos estudos e é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde. • No entanto, persistem barreiras que devem ser superadas para que estas profissionais possam praticar todo o seu potencial de proporcionar uma excelente qualidade de cuidados, centrados nas mulheres. • No Brasil, os serviços que integram estas profissionais na assistência ao parto e nascimento são reconhecidos pelos bons resultados em seus indicadores e são unânimes quanto a melhor custo- efetividade. • O trabalho interdisciplinar entre médicos e enfermeiras na assistência ao parto e nascimento, com adoção de práticas de cuidados baseadas em evidências e com centralidade na mulher, se configura como um dos passos mais importantes para a efetiva qualificação da/na atenção obstétrica brasileira.
  • 23. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Referências • ABENFO Nacional. Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras. Publicações. Rio de Janeiro: 2018. Disponível em: <http://abenfo.wixsite.com/meusite/biblioteca> Acesso em 11 mai 2018. • ANDRADE, M.A.C.; LIMA, J.B.M.C. (2014). O modelo obstétrico e neonatal que defendemos e com o qual trabalhamos. In: Cadernos Humaniza SUS - Volume 4: Humanização do parto e nascimento (pp. 19-46). Brasília, DF: UECE/Ministério da Saúde. • DINIZ, S.G. (2009). Gênero, saúde materna e o paradoxo perinatal. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 19(2), 313-326. • BRASIL. Ministério da Saúde. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal: relatório de recomendação [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2016. 381 p. • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Diretrizes de Atenção à Gestante: a operação cesariana [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2015. 115 p. • BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292 p. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm> Acesso em 11 mai 2018 • BRASIL. Decreto nº 94.406, de 08 de junho de 1987. Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, DF, 09 jun. 1987. Seção 1, fls. 8.853 a 8.855. Disponível em: <http://www.cofen.gov.br/decreto-n-9440687_4173.html> Acesso em 11 mai 2018 • BRASIL. Lei nº 7.498/86, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, DF, 26 jun. 1986. Seção 1, fls. 9.273 a 9.2758. Disponível em: <http://www.cofen.gov.br/lei-n-749886-de-25-de-junho-de-1986_4161.html> Acesso em 11 mai 2018 • CARDOSO, M. Após projeto, hospitais elevam taxa de parto normal e reduzem a de cesárea. Folha de S. Paulo - São Paulo - 28 out 2015. Blog Maternar. Disponível em: <http://maternar.blogfolha.uol.com.br/2015/10/28/apos-projeto-hospitais-elevam-taxa-de-parto-normal-e-reduzem-a-de-cesarea/> Acesso em 11 mai 2018. • COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 564. Aprova o novo Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Diário Oficial, Brasília, DF, 06 nov. 2017. Seção 1, fl. 157. Disponível em: <http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-5642017_59145.html> Acesso em 11 mai 2018
  • 24. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Referências • FILBY A, MCCONVILLE F, PORTELA A. What Prevents Quality Midwifery Care? A Systematic Mapping of Barriers in Low and Middle Income Countries from the Provider Perspective. Kumar S, ed. PLoS ONE. 2016;11(5):e0153391. doi:10.1371/journal.pone.0153391. • HOMER CS, FRIBERG IK, DIAS MA, TEN HOOPE-BENDER P, SANDALL J, SPECIALE AM, BARTLETT LA. The projected effect of scaling up midwifery. Lancet. 2014 Sep 20;384(9948):1146- 57. doi: 10.1016/S0140-6736(14)60790-X. Epub 2014 Jun 22. Review. Erratum in: Lancet. 2014 Sep 20;384(9948):1098. PubMed PMID: 24965814. • THE LANCET. Midwifery: An Executive Summary for The Lancet’s Series. 2014. • LEAL, M.C.; PEREIRA, A.P.; DOMINGUES, R. M. et al. (2014). Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cadernos de Saúde Pública, 30 (Supl. 1), S17-S32. • MORATÓRIO, M.B. Trabalho de parto e parto: compreensão de mulheres e des-velamento da solicitude como possibilidade assistencial. 2015. 88f. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2015. • RENFREW, M.J.; McFADDEN, A.; BASTOS, M.H. et al. Midwifery and quality care: findings from a new evidence-informed framework for maternal and newborn care. The Lancet. 2014; 384:1129–45. • SANDALL, J.; SOLTANI, H.; GATES, S. et al. Midwife-led continuity models versus other models of care for childbearing women. Cochrane Database of Systematic Reviews 2016, Issue 4. Art. No.: CD004667. DOI:10.1002/14651858.CD004667.pub5. • SOUZA, K. V. Interface entre o parto e o nascimento: a enfermagem e a melhoria do cuidado. In: Seminário Nacional de Pesquisa em Enfermagem Neonatal, 2., 2017, Teresina. II Seminário Nacional de Pesquisa em Enfermagem Neonatal. Brasília: SENPEN, 2017. • UNFPA; ICM; WHO. The state of the world’s midwifery 2014: A universal pathway. A women's right to health. 2014, New York: United Nations Population Fund. • VICTORA, C.G.; AQUINO, E.M., LEAL, M.C. et al. Saúde de mães e crianças no Brasil: progressos e desafios. The Lancet, London, p. 32-46, May, 2011. • WHO. World Health Organization. Maternal, newborn, child and adolescent health. The case for midwifery. Disponível em: <http://www.who.int/maternal_child_adolescent/topics/quality-of-care/midwifery/case-for-midwifery/en/> Acesso em 11 mai 2018
  • 25. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA Outras referências consultadas • BOHREN, M.A.; HOFMEYR, G.J.; SAKALA, C. et al. Continuous support for women during childbirth. Cochrane Database of Systematic Reviews 2017, Issue 7. Art. No.: CD003766. DOI: 10.1002/14651858.CD003766.pub6. • COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 516. Normatiza a atuação e a responsabilidade do Enfermeiro, Enfermeiro Obstetra e Obstetriz na assistência às gestantes, parturientes, puérperas e recém-nascidos nos Serviços de Obstetrícia, Centros de Parto Normal e/ou Casas de Parto e outros locais onde ocorra essa assistência; estabelece critérios para registro de títulos de Enfermeiro Obstetra e Obstetriz no âmbito do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem, e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, DF, 27 jun. 2016. Seção 1, fls. 92 e 93. • GAMA, S.G.N.; VIELLAS, E.F.; TORRES, J.A. et al. Labor and birth care by nurse with midwifery skills in Brazil. Reproductive Health2016 13 (Suppl 3):123. • SOUSA, A.M.M. et al. Práticas na assistência ao parto em maternidades com inserção de enfermeiras obstétricas, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Esc. Anna Nery [online]. 2016, vol.20, n.2, pp.324-331. ISSN 1414-8145. http://dx.doi.org/10.5935/ 1414-8145.20160044. • VOGT, S.E.; SILVA, K.S.; DIAS, M.A.B. Comparação de modelos de assistência ao parto em hospitais públicos. Rev Saúde Pública 2014;48(2):304-313. DOI:10.1590/S0034- 8910.2014048004633. • WHO. World Health Organization. WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Geneva: World Health Organization; 2018. Licence: CC BY-NC- SA 3.0 IGO. • WHO. World Health Organization. WHO recommendations on antenatal care for a positive pregnancy experience. Geneva: World Health Organization, 2016. ISBN 978 92 4 154991 2. • ZANARDO, G.L.P. et al. Violência obstétrica no Brasil: uma revisão narrativa. Psicol. Soc. vol.29 Belo Horizonte 2017 Epub July 10, 2017.
  • 26. ATENÇÃO ÀS MULHERES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 11 de maio de 2018 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção às Mulheres Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. TRABALHO INTERDISCIPLINAR NA ASSISTÊNCIA AO PARTO E NASCIMENTO: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM OBSTÉTRICA