SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
O abortamento representa um grave problema
de saúde pública, com maior incidência em
países em desenvolvimento, sendo uma das
principais causas de mortalidade materna no
mundo, inclusive no Brasil.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Objetivos dessa apresentação
• Apresentar a nomenclatura atual sobre a gestação inicial
• Apresentar os critérios diagnósticos da gestação viável
• Diagnosticar as diferentes formas de complicações no
primeiro trimestre da gestação
• Definir as formas clínicas de abortamento
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Introdução
• Trata-se como abortamento a interrupção da gestação até 20 semanas ou
até o feto atingir 500g de peso.
• O abortamento espontâneo ocorre em aproximadamente 10 a 15% das
gestações e envolve sensações de perda, culpa pela impossibilidade de levar
a gestação a termo, além de trazer complicações para o sistema reprodutivo,
requerendo uma atenção técnica adequada, segura e humanizada.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Introdução
Frente a dificuldades diagnósticas da gestação inicial é importante
preservarmos uma gestação viável quando a mulher é oligossintomática, e
não deixar de prestar assistência plena e humanizada nas situações
emergenciais.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Etiologia da dor ou do sangramento no 1º trimestre
Abortamento (ameaça, inevitável, incompleto, completo)
Gestação ectópica
Implantação da gestação
Patologia cervical, vaginal ou uterina (pólipos, inflamação/infecção,
doença trofoblástica)
Campion, 2013
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Propedêutica
Anamnese e
exame físico
Ultrassonografia
transvaginal
Dosagem de
Beta-HCG
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Benefícios e armadilhas
USTV + Beta-HCG: Diagnósticos mais precoces
Menor complicação materna
principalmente em relação à
ectópica
Mal uso dos exames
Erros de interpretação
Má prática
Causa importante de litígio
Campion, 2013
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Terminologia e testes diagnósticos utilizados na gestação inicial
Gestação viável A gestação é viável se ela potencialmente capaz de gerar uma recém-nato
vivo
Gestação não viável A gestação é não viável se ela não pode resultar em um RN vivo. A gestação
ectópica e a gestação intrauterina interrompida são inviáveis
Gestação intrauterina de
viabilidade indeterminada
Se o us transvaginal mostrar saco gestacional intrauterino sem batimento
cardíaco embrionário (sem achados de certeza de interrupção da gestação )
Gestação de localização
desconhecida
Exame de urina ou de sangue demonstrando gestação sem imagem de
gestação intrauterina ou ectópica vista no US transvaginal.
Campion, 2013
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Principais problemas
Classificar erroneamente uma gestação como não viável
Classificar uma gestação como de localização
desconhecida
Diagnóstico da gestação ectópica
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Gestação Interrompida - CRITÉRIOS
CCN > 07 mm sem BCF
Diâmetro médio do SG > 25 mm sem embrião
Ausência de embrião com BCE > 02 semanas após ultrassom com saco
gestacional sem vesícula vitelina identificável
Ausência de embrião com BCE > 11 dias (02 semanas?) após ultrassom
com saco gestacional com vesícula vitelina identificável
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Suspeita de gestação interrompida - CRITÉRIOS
CCN < 07 mm sem BCF
Diâmetro médio do SG 16-24 mm sem embrião
Ausência de embrião com BCE < 02 semanas após ultrassom com saco gestacional sem vesícula
vitelina identificável
Ausência de embrião com BCE < 11 dias (02 semanas?) após ultrassom com saco gestacional com
vesícula vitelina identificável
Ausência de embrião > 06 semanas de atraso menstrual
Vesícula vitelina > 7 mm
SG pequeno se comparado ao tamanho do embrião (<5mm de diferença entre o CCN e o DM do SG)
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Formas clínicas de abortamento
• Ameaça de aborto: gestação tópica com BCE – viável
• Inevitável: com critérios de gestação interrompida – não viável. Normalmente com
dor/sangramento.
• Completo: sem evidência de gestação
• Incompleto: com critérios de gestação interrompida – não viável. Normalmente com
eliminação parcial do conteúdo uterino.
• Infectado: gestação não viável com infecção clínica
• Retido: gestação não viável – gestação visível ao US no útero.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
SINAIS AMEAÇA INEVITÁVEL COMPLETO INCOMPLETO INFECTADO RETIDO
SANGRAMENTO DISCRETO OU
AUSENTE
PRESENTE E
ABUNDANTE
DISCRETO OU
AUSENTE
PRESENTE E
ABUNDANTE
VARIÁVEL AUSENTE
DOR DISCRETA OU
AUSENTE
CÓLICAS
PRESENTES
AUSENTE CÓLICAS
SEMPRE´PRESENTES
SINAIS DE
PERITONITE
AUSENTE
FEBRE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE PRESENTE AUSENTE
ÚTERO COMPATÍVEL COM
IG
COMPATÍVEL CONTRAÍDO E
MENOR QUE IG
MENOR QUE IG AMOLEICIDO E
DOLOROSO
MENOR QUE IG
OI COLO FECHADO ENTREABERTO FECHADO ENTREABERTO ENTREABERTO FECHADO
BHCG POSITIVO POSITIVO NEGATIVO NEGATIVO NEGATIVO NEGATIVO
ULTRASSOM NORMAL OVO DEFORMADO ÚTERO VAZIO RESTOS OVULARES RESTOS OVULARES FETO OU
EMBRIÃO
AUSENTE
Diagnóstico diferencial do abortamento
Brasil, 2014
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Fluxograma 1: Avaliação básica
Anamnese/ ex clínico/ USTV/
BHCG
Hemodinamicamente
estável
Fluxograma 2
Hemodinamicamente
instável
Cirurgia
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Fluxograma 2: Pacientes estáveis
Dor/sangramento no 1º
trimestre
BHCG - / US -
Ausência de
gestação
Ginecologia
BHCG +/ US GT
BCE +
Gestação viável
Pré-natal
BHCG +/ US GT
BCE -
Critérios de
gestação não
viável
Aborto
Viabilidade
indeterminada
Reavaliar em 15
dias
*GT: gestação tópica
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
Fluxograma 2: Pacientes estáveis
Dor/sangramento no 1º
trimestre
BHCG +/ US sem
imagem
Localização
desconhecida
Reavaliar em 48
horas (US e
BHCG)
BHCG +/ US
Anexo +
Gestação
ectópica
Laparoscopia
BHCG +/ US GT +
GE
Gestação
heterotópica
Tto da GE e
tentar preservar
a GT
*GT: gestação tópica
GE: gestação ectópica
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
• Quando a mulher está assintomática cuidado redobrado com o
diagnóstico de gestação não viável – SEMPRE questionar se existe chance
de uma gravidez viável.
• Frente a uma situação duvidosa sugira uma forma de acompanhamento –
EVITE intervenções desnecessárias.
• No caso da mulher sintomática (dor/sangramento) e com instabilidade
hemodinâmica não hesite! Indique o procedimento cirúrgico apropriado.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS
COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
• Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção
humanizada ao abortamento: norma técnica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Área Técnica de Saúde
da Mulher. – 2. ed., 2. reimp – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. 60 p.: il. – (Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos;
Caderno no 4).
• Doubilet PM, Benson CB, Bourne T, Blaivas M; Society of Radiologists in Ultrasound Multispecialty Panel on Early First
Trimester Diagnosis of Miscarriage and Exclusion of a Viable Intrauterine Pregnancy, Barnhart KT, Benacerraf BR, Brown DL,
Filly RA, Fox JC, Goldstein SR, Kendall JL, Lyons EA, Porter MB, Pretorius DH, Timor-Tritsch IE Diagnostic criteria for nonviable
pregnancy early in the first trimester. N Engl J Med. 2013 Oct 10;369(15):1443-51. doi: 10.1056/NEJMra1302417. Review.
PubMed PMID: 24106937.
• Organização Mundial de Saúde (OMS). Abortamento seguro: Orientação técnica e de políticas para sistemas de saúde. 2ª
edição.2011.
Referências bibliográficas
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 24 de julho de 2018
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção às Mulheres
Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal.
DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básicamarianagusmao39
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Riscochirlei ferreira
 
Síndromes Hipertensivas da Gestação.pptx
Síndromes Hipertensivas da Gestação.pptxSíndromes Hipertensivas da Gestação.pptx
Síndromes Hipertensivas da Gestação.pptxRassaC
 
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...Caroline Reis Gonçalves
 
Alterações físicas da gravidez
Alterações físicas da gravidezAlterações físicas da gravidez
Alterações físicas da gravidezmarianagusmao39
 
Pré parto
Pré parto Pré parto
Pré parto tvf
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Riscochirlei ferreira
 

Mais procurados (20)

Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
 
Infecção do Trato Urinário durante a Gestação
Infecção do Trato Urinário durante a GestaçãoInfecção do Trato Urinário durante a Gestação
Infecção do Trato Urinário durante a Gestação
 
Mecanismo do-parto
Mecanismo do-partoMecanismo do-parto
Mecanismo do-parto
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro períodoCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
Parto humanizado
Parto humanizadoParto humanizado
Parto humanizado
 
Parto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizadoParto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizado
 
Síndromes Hipertensivas da Gestação.pptx
Síndromes Hipertensivas da Gestação.pptxSíndromes Hipertensivas da Gestação.pptx
Síndromes Hipertensivas da Gestação.pptx
 
Sangramento no Primeiro Trimestre
Sangramento no Primeiro TrimestreSangramento no Primeiro Trimestre
Sangramento no Primeiro Trimestre
 
Hemorragia pós-parto
Hemorragia pós-partoHemorragia pós-parto
Hemorragia pós-parto
 
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
 
Exames de Rotina do Pré-Natal
Exames de Rotina do Pré-NatalExames de Rotina do Pré-Natal
Exames de Rotina do Pré-Natal
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Alterações físicas da gravidez
Alterações físicas da gravidezAlterações físicas da gravidez
Alterações físicas da gravidez
 
Avaliação do bem-estar fetal intraparto
Avaliação do bem-estar fetal intrapartoAvaliação do bem-estar fetal intraparto
Avaliação do bem-estar fetal intraparto
 
Pré parto
Pré parto Pré parto
Pré parto
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
Puerpério
PuerpérioPuerpério
Puerpério
 
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à SaúdeA Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
 
Posições da Mulher durante o Trabalho de Parto e Parto: benefícios da livre m...
Posições da Mulher durante o Trabalho de Parto e Parto: benefícios da livre m...Posições da Mulher durante o Trabalho de Parto e Parto: benefícios da livre m...
Posições da Mulher durante o Trabalho de Parto e Parto: benefícios da livre m...
 

Semelhante a Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial

Abdomen Agudo GinecolóGico
Abdomen Agudo GinecolóGicoAbdomen Agudo GinecolóGico
Abdomen Agudo GinecolóGicochirlei ferreira
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptxNatasha Louise
 
Papel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidadePapel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidadeitpack
 
Hemorragias na gestação
Hemorragias na gestaçãoHemorragias na gestação
Hemorragias na gestaçãotvf
 
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpérioDiretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpérioraquelwleal
 
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdfSlide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdfarymurilo123
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Auro Gonçalves
 
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProtocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProfessor Robson
 
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.pptslide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.pptFrancielttonsantos
 

Semelhante a Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial (20)

Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
 
PNBR 2016
PNBR 2016PNBR 2016
PNBR 2016
 
Abdomen Agudo GinecolóGico
Abdomen Agudo GinecolóGicoAbdomen Agudo GinecolóGico
Abdomen Agudo GinecolóGico
 
PESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASILPESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASIL
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
Papel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidadePapel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidade
 
AULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdfAULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdf
 
Hemorragias na gestação
Hemorragias na gestaçãoHemorragias na gestação
Hemorragias na gestação
 
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpérioDiretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
 
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdfSlide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
 
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProtocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
 
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.pptslide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
 
Pré-Natal
Pré-NatalPré-Natal
Pré-Natal
 
Hemorragias na gestação
Hemorragias na gestaçãoHemorragias na gestação
Hemorragias na gestação
 
Cesariana e Parto vaginal
Cesariana e Parto vaginalCesariana e Parto vaginal
Cesariana e Parto vaginal
 
Descolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a Conduta
Descolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a CondutaDescolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a Conduta
Descolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a Conduta
 
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de CesáreaIndução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
 
Trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento: a atuação da ...
Trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento: a atuação da ...Trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento: a atuação da ...
Trabalho interdisciplinar na assistência ao parto e nascimento: a atuação da ...
 
1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Materna
1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Materna1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Materna
1O Passos do Cuidado Obstétrico para Redução da Morbimortalidade Materna
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial

  • 1. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ATENÇÃO ÀS MULHERES DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL
  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL O abortamento representa um grave problema de saúde pública, com maior incidência em países em desenvolvimento, sendo uma das principais causas de mortalidade materna no mundo, inclusive no Brasil.
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Objetivos dessa apresentação • Apresentar a nomenclatura atual sobre a gestação inicial • Apresentar os critérios diagnósticos da gestação viável • Diagnosticar as diferentes formas de complicações no primeiro trimestre da gestação • Definir as formas clínicas de abortamento
  • 4. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Introdução • Trata-se como abortamento a interrupção da gestação até 20 semanas ou até o feto atingir 500g de peso. • O abortamento espontâneo ocorre em aproximadamente 10 a 15% das gestações e envolve sensações de perda, culpa pela impossibilidade de levar a gestação a termo, além de trazer complicações para o sistema reprodutivo, requerendo uma atenção técnica adequada, segura e humanizada.
  • 5. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Introdução Frente a dificuldades diagnósticas da gestação inicial é importante preservarmos uma gestação viável quando a mulher é oligossintomática, e não deixar de prestar assistência plena e humanizada nas situações emergenciais.
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Etiologia da dor ou do sangramento no 1º trimestre Abortamento (ameaça, inevitável, incompleto, completo) Gestação ectópica Implantação da gestação Patologia cervical, vaginal ou uterina (pólipos, inflamação/infecção, doença trofoblástica) Campion, 2013
  • 7. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Propedêutica Anamnese e exame físico Ultrassonografia transvaginal Dosagem de Beta-HCG
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Benefícios e armadilhas USTV + Beta-HCG: Diagnósticos mais precoces Menor complicação materna principalmente em relação à ectópica Mal uso dos exames Erros de interpretação Má prática Causa importante de litígio Campion, 2013
  • 9. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Terminologia e testes diagnósticos utilizados na gestação inicial Gestação viável A gestação é viável se ela potencialmente capaz de gerar uma recém-nato vivo Gestação não viável A gestação é não viável se ela não pode resultar em um RN vivo. A gestação ectópica e a gestação intrauterina interrompida são inviáveis Gestação intrauterina de viabilidade indeterminada Se o us transvaginal mostrar saco gestacional intrauterino sem batimento cardíaco embrionário (sem achados de certeza de interrupção da gestação ) Gestação de localização desconhecida Exame de urina ou de sangue demonstrando gestação sem imagem de gestação intrauterina ou ectópica vista no US transvaginal. Campion, 2013
  • 10. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Principais problemas Classificar erroneamente uma gestação como não viável Classificar uma gestação como de localização desconhecida Diagnóstico da gestação ectópica
  • 11. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Gestação Interrompida - CRITÉRIOS CCN > 07 mm sem BCF Diâmetro médio do SG > 25 mm sem embrião Ausência de embrião com BCE > 02 semanas após ultrassom com saco gestacional sem vesícula vitelina identificável Ausência de embrião com BCE > 11 dias (02 semanas?) após ultrassom com saco gestacional com vesícula vitelina identificável
  • 12. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Suspeita de gestação interrompida - CRITÉRIOS CCN < 07 mm sem BCF Diâmetro médio do SG 16-24 mm sem embrião Ausência de embrião com BCE < 02 semanas após ultrassom com saco gestacional sem vesícula vitelina identificável Ausência de embrião com BCE < 11 dias (02 semanas?) após ultrassom com saco gestacional com vesícula vitelina identificável Ausência de embrião > 06 semanas de atraso menstrual Vesícula vitelina > 7 mm SG pequeno se comparado ao tamanho do embrião (<5mm de diferença entre o CCN e o DM do SG)
  • 13. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Formas clínicas de abortamento • Ameaça de aborto: gestação tópica com BCE – viável • Inevitável: com critérios de gestação interrompida – não viável. Normalmente com dor/sangramento. • Completo: sem evidência de gestação • Incompleto: com critérios de gestação interrompida – não viável. Normalmente com eliminação parcial do conteúdo uterino. • Infectado: gestação não viável com infecção clínica • Retido: gestação não viável – gestação visível ao US no útero.
  • 14. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL SINAIS AMEAÇA INEVITÁVEL COMPLETO INCOMPLETO INFECTADO RETIDO SANGRAMENTO DISCRETO OU AUSENTE PRESENTE E ABUNDANTE DISCRETO OU AUSENTE PRESENTE E ABUNDANTE VARIÁVEL AUSENTE DOR DISCRETA OU AUSENTE CÓLICAS PRESENTES AUSENTE CÓLICAS SEMPRE´PRESENTES SINAIS DE PERITONITE AUSENTE FEBRE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE PRESENTE AUSENTE ÚTERO COMPATÍVEL COM IG COMPATÍVEL CONTRAÍDO E MENOR QUE IG MENOR QUE IG AMOLEICIDO E DOLOROSO MENOR QUE IG OI COLO FECHADO ENTREABERTO FECHADO ENTREABERTO ENTREABERTO FECHADO BHCG POSITIVO POSITIVO NEGATIVO NEGATIVO NEGATIVO NEGATIVO ULTRASSOM NORMAL OVO DEFORMADO ÚTERO VAZIO RESTOS OVULARES RESTOS OVULARES FETO OU EMBRIÃO AUSENTE Diagnóstico diferencial do abortamento Brasil, 2014
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Fluxograma 1: Avaliação básica Anamnese/ ex clínico/ USTV/ BHCG Hemodinamicamente estável Fluxograma 2 Hemodinamicamente instável Cirurgia
  • 16. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Fluxograma 2: Pacientes estáveis Dor/sangramento no 1º trimestre BHCG - / US - Ausência de gestação Ginecologia BHCG +/ US GT BCE + Gestação viável Pré-natal BHCG +/ US GT BCE - Critérios de gestação não viável Aborto Viabilidade indeterminada Reavaliar em 15 dias *GT: gestação tópica
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL Fluxograma 2: Pacientes estáveis Dor/sangramento no 1º trimestre BHCG +/ US sem imagem Localização desconhecida Reavaliar em 48 horas (US e BHCG) BHCG +/ US Anexo + Gestação ectópica Laparoscopia BHCG +/ US GT + GE Gestação heterotópica Tto da GE e tentar preservar a GT *GT: gestação tópica GE: gestação ectópica
  • 18. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL • Quando a mulher está assintomática cuidado redobrado com o diagnóstico de gestação não viável – SEMPRE questionar se existe chance de uma gravidez viável. • Frente a uma situação duvidosa sugira uma forma de acompanhamento – EVITE intervenções desnecessárias. • No caso da mulher sintomática (dor/sangramento) e com instabilidade hemodinâmica não hesite! Indique o procedimento cirúrgico apropriado.
  • 19. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao abortamento: norma técnica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Área Técnica de Saúde da Mulher. – 2. ed., 2. reimp – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. 60 p.: il. – (Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos; Caderno no 4). • Doubilet PM, Benson CB, Bourne T, Blaivas M; Society of Radiologists in Ultrasound Multispecialty Panel on Early First Trimester Diagnosis of Miscarriage and Exclusion of a Viable Intrauterine Pregnancy, Barnhart KT, Benacerraf BR, Brown DL, Filly RA, Fox JC, Goldstein SR, Kendall JL, Lyons EA, Porter MB, Pretorius DH, Timor-Tritsch IE Diagnostic criteria for nonviable pregnancy early in the first trimester. N Engl J Med. 2013 Oct 10;369(15):1443-51. doi: 10.1056/NEJMra1302417. Review. PubMed PMID: 24106937. • Organização Mundial de Saúde (OMS). Abortamento seguro: Orientação técnica e de políticas para sistemas de saúde. 2ª edição.2011. Referências bibliográficas
  • 20. ATENÇÃO ÀS MULHERES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 24 de julho de 2018 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção às Mulheres Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO VIÁVEL E DAS COMPLICAÇÕES DA GRAVIDEZ INICIAL