O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Sustentabilidade e Internacionalização de Periódicos Científicos

119 visualizações

Publicada em

Apresentação feita por Benedito Barraviera no V Ciclo de Debates Periódicos UFSC realizado no dia 31 de maio de 2017 na Biblioteca Central da UFSC.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Sustentabilidade e Internacionalização de Periódicos Científicos

  1. 1. “Sustentabilidade e Internacionalização de Periódicos Científicos“
  2. 2. “Qualificação do corpo editorial e gestão do fluxo editorial com foco na sustentabilidade e internacionalização”
  3. 3. 2003 2015 https://www.youtube.com/watch?v=lhdP3P4BrRU The Journal of Venomous Animals and Toxins – ISSN 0104-7930, a primeira revista eletrônica do Brasil, é editada ininterruptamente pelo Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos da UNESP (CEVAP) desde 1995. Um case de sucesso? 1995 2013
  4. 4. Reunião do Conselho Editorial em 2012 Constatações: 1-O JVATiTD está classificado na área de Medicina II da CAPES; 2-Há 17 anos o estrato era B3 e baseado apenas no Fator de Impacto; Discussão: 1-Encerrar as atividades do periódico depois de 17 anos? 2-Como melhorar o estrato junto a CAPES? 3-Como internacionalizar o corpo editorial e captar trabalhos de impacto? 4-Mudar os paradigmas? Quais?
  5. 5. Fator de impacto (FI) de um periódico científico é a relação existente entre as citações que os artigos publicados recebem da comunidade científica e o número de artigos publicados pela revista em determinado período de tempo. O Fator de impacto publicado em junho de 2016, na verdade é o Fator de impacto calculado em 2015. FATOR DE IMPACTO by Thomson Reuters®
  6. 6. Estabilidade do Fator de Impacto entre 2007 e 2012 – O que fazer?
  7. 7. Reunião do Conselho Editorial em 2012 Problemas: os publishers são pagos! 1-Qual risco seria menor? -Pagar pela assinatura da revista? (acesso fechado) -ou Pagar pela publicação do artigo? (acesso aberto) Decisão: vamos correr riscos! 1-Escolher e migrar para um publisher internacional de renome que mantivesse o acesso aberto (Open Access) e contribuísse com a melhoria na qualidade do periódico.
  8. 8. Reunião do Conselho Editorial em 2012 Escolha: -Optamos na época pela BioMed Central - Springer Condições exigidas e metas: 1-Indexação imediata no PubMed e PubMed Central; 2-APCs (article-processing charges) livres para os pesquisadores da UNESP 3-Reestruturar o corpo editorial convidando novos pesquisadores, de preferência estrangeiros; 4-Aumentar o Fator de Impacto para 2.0 em cinco anos.
  9. 9. DECIDIMOS MIGRAR PARA UM PUBLISHER DE ACESSO ABERTO
  10. 10. 1st Meeting JVATiTD and BMC BioMed Central Team Deborah Kahn Mariana Biojone Todd Hummel JVATiTD Team Benedito Barraviera Juliana Siani Simionato Carneiro Lucilene Delazari dos Santos Pâmela Carvalho Rui Seabra Ferreira Junior Selma de Lourdes Pires Martins
  11. 11. Estratégias adotadas a partir de 2013 pelo Journal of Venomous Animals and Toxins including Tropical Diseases para aumentar o Fator de Impacto (JCR®) Questões a responder... -Onde queremos chegar em cinco anos? -Quais indexações seriam prioritárias? -Que corpo editorial queremos? -Como internacionalizar a publicação? -Como manter a sustentabilidade? -Como aumentar o Fator de Impacto? Respostas imediatas possíveis... -Podemos crescer – há espaço para isso. Como? -PubMed Central – era um sonho! Já tínhamos tentado antes... -A parceria com a BioMed Central parecia promissora. Como viabilizá-la? -O acesso aberto (open access) deveria ser prioritário. Como mantê-lo? -Os recursos públicos são indispensáveis. Como não perdê-los?
  12. 12. 1-Fluxo contínuo O periódico era trimestral, apesar de ser uma publicação eletrônica. Decidimos torná-lo eletrônico de fato, transformando-o em fluxo contínuo. Isto significa que artigo finalizado é artigo publicado! Isto deu velocidade à publicação. AÇÕES 2-Indexadores estratégicos A indexação no PubMed e PubMed Central ocorreu no início de 2013. Trata-se de uma base de dados estratégica para nossa área. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/journals/2145/ SCOPUS (SJR) (SCImago Journal & Country Rank) http://www.scimagojr.com/journalsearch.php?q=4000152107&tip=sid&clean=0 SciELO http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=1678- 9199&lng=en&nrm=iso
  13. 13. 3-Editores associados e corpo editorial O corpo editorial foi totalmente reavaliado convidando-se cientistas de renome nacional e internacional. Além disso, adotou-se a estratégia da BioMed Central, ou seja: todo colaborador do periódico necessita publicar pelo menos um artigo de impacto por ano na revista! Isto além de aumentar o número de submissões ainda contribuiu para dar mais qualidade à publicação. Os Editores associados terão um papel relevante na revista (serão trocados a cada 2 anos). Além de colaborar na submissão de papers ainda deverão ajudar o Editor-chefe no convite a novos colaboradores e na confecção das séries especiais e temáticas. Brasil = 14, Exterior = 16 [Cuba (1), Egito (1), China (1), Venezuela (1), Argentina (1), Algéria (1), Nigéria (1), Reino Unido (1), França (3), México (1), Turquia (1), Polônia (1), Tailândia (1) e Bélgica (1)] AÇÕES
  14. 14. 4-Priorizar qualidade Para se priorizar qualidade há necessidade de uma avaliação rigorosa na “porta de entrada”, ou seja, quando o manuscrito chega à secretaria do periódico o Editor-chefe deve avaliar se vale a pena publicar ou não. As perguntas estratégicas são: este artigo está no escopo da revista? Está dentro das normas? Será citado? É inovador? É atual? Onde estão as “coisas novas”? Se uma destas perguntas for negativa, o manuscrito deve ser rejeitado da porta. Com isso, você terá poucos artigos para publicar e menos serviço para os seus colaboradores. Neste momento você precisa ter coragem, ser cruel e priorizar a qualidade. Esqueça os amigos e foque nas suas metas - caso contrário você não as atingirá!!! AÇÕES
  15. 15. Detalhe: Nós desobedecemos as “ordens” SciELO. Desde 2013 não publicamos mais os números mínimos anuais exigidos! AÇÕES
  16. 16. 5-Cortar supérfluos “Cortar na carne” editoriais, cartas e artigos de pouco interesse. Se você é daqueles que a todo novo número escreve um editorial – esqueça! Você estará aumentando o denominador da equação e, portanto, contribuindo para diminuir o Fator de Impacto. Seja comedido, escreva menos, publique apenas o necessário e o suficiente! 6-Multimídia Estimule os autores a incluir papers com vídeos e áudios. Isto dará maior visibilidade, interesse e citação. https://www.youtube.com/watch?v=1ais69H0li8 Toda publicação é dita eletrônica porque tem estes “suportes”. AÇÕES
  17. 17. 7-Banco de dados Mantenha um Banco de dados com todo conteúdo publicado na revista desde o seu início. Este banco deve ser consultado toda vez que entrar um artigo novo. Já publicamos algo semelhante? Este assunto deve ser publicado novamente? Existe chance de citar algum artigo já publicado? http://www.jvat.org.br/full/jvat_full.htm 8-Eventos Participe dos eventos relacionados ao escopo do periódico. Contate o presidente do Congresso e ofereça a oportunidade de premiar os melhores trabalhos. Sugira que os 3 ou 5 primeiros serão publicados gratuitamente na revista. Insira flyers da sua revista na pasta dos congressistas. Visite a sessão de posters e converse com os autores. Convide palestrantes para submeter papers. Construa uma “network” ! AÇÕES
  18. 18. 9-Pesquisa Participe de um grupo produtivo de pesquisa. Neste caso você deve “vigiar” as publicações dos colegas e se possível citar artigos da sua revista em outra revista. Este tipo de “citação cruzada” certamente irá aumentar o fator de impacto. Veja o exemplo: http://www.hindawi.com/journals/np/2016/9028126/ 10-Seja um “peer review” de revistas indexadas Faça a revisão dos artigos das outras revistas e cite os artigos publicados na sua. Use sempre o bom-senso! Não exagere! AÇÕES
  19. 19. 11-Séries temáticas e especiais As séries temáticas e especiais são um conjunto de publicações coordenadas por um “Guest Editor” de renome internacional, da mais elevada competência acadêmica, e a convite do Editor-chefe. Este especialista irá prospectar autores mundo afora para escrever papers de elevada qualidade dentro de uma temática previamente definida. Nestes últimos anos o JVATiTD finalizou e publicou cinco séries, com trabalhos na fronteira do conhecimento, e sobretudo citáveis por outros autores. Vejam o exemplo: http://www.biomedcentral.com/collections/seriesarthropods AÇÕES
  20. 20. RESULTADOS PRELIMINARES (*)O Fator de Impacto publicado pelo Journal Citation Reports® praticamente quadruplicou entre 2013 e 2015.
  21. 21. Em 2015 alcançamos o patamar de 1.446 citations per document (Cites/Doc). De acordo com a Base Scopus: “Evolution of Citations per Document to a journal's published documents during the two, three and four previous years. The two years line is equivalent to Journal Impact Factor ™ (Thomson Reuters) metric. http://www.scimagojr.com/jou rnalsearch.php?q=40001521 07&tip=sid&clean=0. RESULTADOS PRELIMINARES
  22. 22. Ranking das revistas brasileiras 2016
  23. 23. 1-Convidar pesquisadores para participar do corpo editorial sem conhece-los pessoalmente; 2-Convidar pesquisadores para participar como Editor Associado “figurativo”; 3-Convidar pesquisadores para submeter artigos sem conhece-los pessoalmente; 4-Manter editores associados e membros do corpo editorial “figurativos”; 5-Não exigir dos membros da revista a contribuição anual na forma de revisão e na publicação de bons artigos; 6-Aceitar artigos apenas porque os autores são seus amigos; 7-Aceitar artigos apenas porque estão pagando ou patrocinando coisas de interesse; 8-Aceitar artigos com conteúdo regional; 9-Ficar passivo esperando submissões; 10-Não ser proativo....
  24. 24. Abril 2017, ano 18, no.254, p.8-9 Anna Olga Szust – jovem professora do Instituto de Filosofia da Universidade Adam Mickiewicz da Polônia – “enviou email” para 360 revistas. No email se propunha a ser do corpo editorial das publicações.
  25. 25. Abril 2017, ano 18, no.254, p.8-9 A personagem foi criada por pesquisadores da Polônia, Alemanha e Reino Unido. O convite foi enviado para 360 revistas de acesso aberto. Os resultados foram os seguintes: 48 publicações predatórias aceitaram a oferta; 4 convidaram para Editora chefe “sem responsabilidades” (figurativa); 1 convite foi feito para criar uma nova revista; Nenhuma revista indexada no JCR aceitou o convite; 8 revistas DOAJ aceitaram a proposta !
  26. 26. A comunidade acadêmica está sob pressão para publicar e enfrenta taxas elevadas de rejeição. A tendência atual das revistas é convidar pesquisadores a submeter manuscritos. Muitos acham esses convites irritantes e inseguros. Recolhemos entre 1º de abril de 2014 e 31 de março de 2015, 311 convites eletrônicos para submissão de manuscritos vindos de 204 revistas, a maioria delas inseridas na lista de possíveis revistas predatórias de Beall (n = 244, 79%). Cerca de metade dos convites eram de revistas biomédicas (n = 179). Os autores discutem estratégias de como pesquisadores e instituições podem fazer para reduzir o número de convites recebidos e como lidar com eles quando chegam à caixa de entrada dos destinatários.
  27. 27. Jeffrey Beall publica lista de 2017 e mostra o “trash Science” em franco crescimento Veja mais em: https://blogdopedlows ki.com/2017/01/05/jef frey-beall-publica-lista- de-2017-e-mostra-o- trash-science-em- franco-crescimento/
  28. 28. SUSTENTABILIDADE.... Ou quem vai pagar a conta.... -Internacional – financiamento privado 100% Publishers -Vendem as revistas (pacotes) -Cobram por paper publicado -Brasil – financiamento público e privado 0% Publishers -Agências de fomento apoiam (CAPES, CNPq, FAPs) -Instituições privadas independentes (Associações, Fundações, etc...) -Algumas revistas cobram por paper publicado Dúvida: O pagamento por paper “vai pegar”? Há 20 anos atrás alguém acreditava nas publicações eletrônicas? Portanto,........
  29. 29. GESTÃO COMPATILHADA DO SEU PERIÓDICO EDITORES CHEFES -FORMA -CONTEÚDO 1-Editor chefe de FORMA -Desenvolver a arte e o design do PDF -Checar a produção (OJS) -Incluir e checar o DOI number -Preparar indexação em Bases de dados -Divulgar nas redes sociais -Verificar o fluxo de produção -Checar o PDF final -Converter arquivos para XML -Corrigir os idiomas -Inserir key words 2-Editor chefe de CONTEÚDO -Prospectar trabalhos -Fazer uma network de colaboradores -Prospectar editores associados e corpo editorial -Criar oportunidades de séries especiais e temáticas -Administrar o trabalho e o parecer dos revisores -Dar parecer no seu e nas demais revistas -Aceitar e rejeitar trabalhos da “porta”
  30. 30. Outro case de sucesso? Gratidão.....
  31. 31. Sigmar de Mello Rode Presidente 2012 - 2015 Rui Seabra Ferreira Jr Presidente 2016 - 2017 Internacionalização..... 2008-2011
  32. 32. São Beda, o Venerável Século VIII - Inglaterra “Há três caminhos para o fracasso: não ensinar o que se sabe; não praticar o que se ensina; não perguntar o que se ignora” 1-ensinar o que se sabe – repartir competências, demonstrar falta de ganância, demonstrar permeabilidade, compartilhar; 2-praticar o que se ensina – coerência de postura, equilíbrio entre o dito e o feito, disposição de assumir com segurança aquilo que se acha correto; 3-perguntar o que se ignora – demonstrar permanente estado de atenção, assumir a humildade de compreender e aprender sempre! O Venerável Beda traduzindo o Evangelho de João em seu leito de morte.
  33. 33. ...Vista a camisa na equipe e ela fará a diferença ..... .... A continuidade da vida.....
  34. 34. Pela atenção, Muito obrigado !!! Benedito Barraviera Professor Titular de Infectologia da UNESP bbviera@gnosis.com.br bbviera@jvat.org.br

×