O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA

4.808 visualizações

Publicada em

Palestra Apresentada no ciclo de atividades Pedagógicas do Colégio Damas Recife,tendo como o publico alvo Treinadores e Professores de Educação Física

Publicada em: Esportes

BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A ED.FISICA

  1. 1. Edilson Porfírio – Técnico Natação Graduado - FASNE Treinador Natação – Colégio Damas Treinador Natação - AABB – Recife Técnico da Seleção Pernambucana – JEBS – PR Técnico da Seleção Brasileira – Sul-americano - SE Especializações e Cursos: -Especialização em Natação para o Alto Rendimento – Richard Powers –USA -Especialização em Hidro para o Fitnnes e Grupos Especiais – Steve Brossman - USA -Especialização em Fisiologia do Exercício – UGF -Especialização em Metodologia e Planificação para o Condicionamento e Aptidão Aeróbia- Universidade de Córdoba - ARG
  2. 2. A BIOMECANICA APLICADA AO TREINAMENTO E A EDUCAÇÃO FISICA • Analise dos Fundamentos Básicos • Aplicabilidade • Ferramentas E. Porfirio -Técnico Natação Colégio Damas
  3. 3. FUNDAMENTOS BASICOS DA BIOMECANICA A Biomecânica enquanto area de conhecimeto surge como Disciplina derivada das ciencias Humanas e sua atuação se da na analise das forças que atuam sobre e dentro de uma estrutura Biologica e os efeitos produzidos por tais forças
  4. 4. FUNDAMENTOS BASICOS DA BIOMECÂNICA DEFINIÇÃO
  5. 5. A Biomecânica se consolida principalmente com a necessidade do Esporte de Alto Rendimento em alcançar padrões de gestos o mais próximo possível de Ótimas realizações. Antigamente tais padrões eram estabelecidos através da analise de campeões olímpicos e isto basicamente resumia o melhor padrão de movimento para determinado desporto. Fundamentos Básicos da Biomecânica
  6. 6. TREINADOR O PROFISSIONAL MULTIFACETAR
  7. 7. PERFIL DOS ATLETAS As variáveis em torno das caracteristicas Morfo-Fisiologicas esta sempre em evolução nas olimpiadas de 1992 em Barcelona a diferença media na Modalidade Natação era de 2 centesimo de Segundo entre a medalha de Ouro e de Prata e 13 anos após a mesma diferença em centesimos separou o 1° do 8° Colocado. No volei feminino na mesma olimpiada a media de altura da seleção feminina era de 1,70m em media e em londres 2012 a media da mesma Seleçao era de 1,86m,um aumento de 16cm em 13 anos . Na modalidade Natação atletas masculinos com altura inferior 1,90m e envergadura menor que 2,05m na categoria Junior já os coloca fora da curva de Desempenho Olímpico
  8. 8. E COMO DESCOBRIR NOVOS TALENTOS ????? Alguém já ouviu falar da estratégia... “Z” A estratégia “Z” foi um método desenvolvido pelo Celafiscs (Centro de Estudos do Laboratório de aptidão Física de São Caetano do Sul) o publico alvo era Crianças e Adolescentes,mais de 5.200 foram avaliados e o objetivo era determinar a posição em relação a media populacional em unidades de desvio padrão para encontrar indivíduos acima da Media,sendo .... Z = x – u Ou Z = x* – u µ µ
  9. 9. ESTRATEGIA “Z”
  10. 10. Exemplo : Se uma Garota de 13 anos que salta-se 32cm no teste de impulsão vertical ; sendo a media esperada para a sua idade 28cm e um desvio padrão igual a 4cm ; o índice Z seria Z = x – u Ou Z = 32– 28 Z= 1 µ 4 Z = 1 Coloca esta garota a 84,13% acima das garotas da sua idade,espera-se que atletas demonstrem resultados acima de 4 unidades de Z,o que expressaria um resultado maior 99,999% acima da População. ESTRATEGIA “Z”
  11. 11. ESTRATEGIA "Z " CURIOSIDADES Ela era uma garota franzina,extremamente habilidosa com as mãos adorava marcar gols em partidas de Handebol e não se via em outro esporte,ate que pesquisadores identificaram uma potencia fora do comum em suas pernas, e depois de muita insistência de uma Técnica Desportiva de sua escola que era uma das maiores jogadora da Seleção Brasileira,aquela garota franzina aceitou o desafio e se tornou a maior Jogadora de todos os tempos no nosso pais seu Nome ?????? A chance de encontrar outra garota com a potencia das pernas de Hortência e de 0,00000001 % Magic Paula - Basquete Vera Mossa - Voleibol Aurelio Miguel – Judô ****
  12. 12. PREVENÇÃO DE LESÕES “Todas as lesões deixam dor na memória... Leonardo da Vinci.
  13. 13. Reduzir as possibilidades de lesão e facilitar o tratamento e a recuperação dos atletas,exige uma abordagem interdisciplinar que inclui considerações dos aspectos Anatômicos,Fisiológicos, Clínicos ,Psicológicos e Mecânicos e de seus ambientes de competição. MECANISMOS DAS LESÕES  Anatômicos : Pisada Neutra (Pe-Chato),Genu Valgum,Genu Varum  Fisiológicos : Esgotamento de Mecanismo Contráctil (Fadiga Excessiva)  Clínicos : Quadros Infecciosos de alto risco como por ex; Infecção Dentaria  Psicológicos : Lesões reincidentes ; Tendinopatia,Contraturas ,Distensões,etc  Mecânicos : Técnica de Execução de Movimentos;Lançar, Arremessar ,Aterrissar,etc  Ambientes de Competição ;Pisos Anti Impacto,Tatames,Gramados
  14. 14. LESÃO MUSCULAR ???? Antes de examinarmos os mecanismos de Lesões Musculoesqueléticas dois termos exigem definição para melhor compreensão. 1.Lesão – definida como dano (causado por trauma físico) sofrido pelos tecidos do corpo 2.Mecanismo - que é o responsável fundamental do processo físico para uma dada ação,reação ou Resultado (Whiting & Zernicke 1998)
  15. 15. LESÃO MUSCULAR A maioria da lesões tem uma causa mecânica,quase sempre ocasionadas por gestos incorretos,utilização inadequada de um determinado equipamento,piso inapropriado e sobrecarga mal empregada. Os atletas repetem movimentos milhares de vezes durante os periodos de treinamento e competição assim como acontece com simples corredores as lesões por sobre uso são uma constante.
  16. 16. Modelo Biomecânico para analise de lesões desportivas Em situações de causa de lesão Sete Fatores se combinam para determinar a natureza da lesão,do tecido lesionado e a severidade da lesão :
  17. 17. LESÕES MAIS COMUNS EM EXTREMIDADES SUPERIORES Lesões nos ombros A articulação do ombro (Glenoumeral) e a articulação que influencia a maioria dos movimentos distais do membro e que é responsável pelas habilidades de Arremesso e levantamento dependendo obviamente para um bom desempenho de uma boa amplitude da articulação e de uma boa coordenação muscular,portanto mais factível de lesões. A lesão no ombro na impede apenas o seu próprio movimento normal mais também os das articulações do cotovelo e do punho
  18. 18. CAUSAS MAIS COMUNS DAS LESÕES NOS OMBROS Luxação Glenoumeral - traumas ocasionadas por esportes de contato. -Basquete após uma queda em desequilíbrio para trás -Vôlei após uma técnica mal executada no “Peixinho” -Handebol após uma Pressão do adversário em sentido oposto ao do arremesso -Natação – Execução Incorreta das técnicas de braçadas nos nados crawl,costas e Borboleta
  19. 19. MECANISMOS DE LESÃO APLICADOS NO ESPORTE Analisaremos umas das principais áreas de atuação da biomecânica que é a Cinemática. Cinemática - é um conjunto de métodos que busca medir os parâmetros cinemáticos do movimento, isto é, posição, orientação, velocidade e aceleração.
  20. 20. A cinemática na sua aplicabilidade é o método mais simples de analise Biomecânica ,pois para o seu emprego se torna apenas necessário uma Filmadora,Maquina Fotográfica. O uso da tecnologia desmitifica a tese de que a a analise do gesto esportivo e demasiado cara por conta de seus equipamentos . ANALISE CINEMATICA
  21. 21. A FUNÇÃO DO OMBRO NO GESTO DE ATAQUE NO VOLEIBOL Através da analise cinemática foi possível observar os Grupos Musculares envolvidos no movimento de ataque no voleibol que descreveremos a seguir: 1. Fase Preparatória – (Wind-up) sua ação se dá com o ultimo passo da corrida e a perda de contato com o solo.Atividade Muscular de pico; Deltoide Anterior/Infraespinhoso/Supraespinhoso 2. Fase de Aceleração – fase caracterizada por uma importante rotação interna,extensão e adução Horizontal do Ombro. Atividade Muscular de pico;Redondo maior/Subescapular/Peitoral maior/Dorsal. 3. Fase de desaceleração – (Follow through) esta fase requer uma forte contração muscular excêntrica. Apesar do termo desaceleração devemos aqui lembrar que atua sobre de maneira intensa a Lei da Ação e Reação de Newton exatamente quando a mão contacta a bola fazendo a mesma gerar uma força igual e oposta
  22. 22. As investigações sugerem que os fatores de risco para as lesões de ombro(Lesões preexistentes,erros técnicos,nivel de treinamento de força,condição física e estrutura anatômica) são similares ao Tenis e Beisebol, Esportes que utilizam o braço por cima da cabeça ,os valores da dinamica do ataque são substancialmente menores mais ambas as modalidades possuem similaridade por utilizar uma grande abdução do ombro e adução horizontal no momento de contacto com a bola podendo incidir no risco de lesão de Pinçamento do tendão Subacromial. RESULTADOS DO ESTUDO
  23. 23. Quem aqui já ouviu falar de “Epicondilite” -Inicia-se com Microtraumas ocasionados por quedas, uso acentuado ou posição inadequada de tal articulação. -Evoluindo para separação e infiltração das fibras de colágeno e ligações cruzadas anormais das fibras A Carga continua acentua o dano ao tecido e leva a inflamação sintomática,falta de Flexibilidade e fraqueza tecidual. LESÕES NOS COTOVELOS
  24. 24. LESÕES POR FRATURAS Fraturas – São lesões agudas ocasionadas quase sempre pela aplicação de forças grandes O cotovelo é uma das primeiras articulações a receber as forças de compreensão ocasionadas por trauma. Principais tipos de Fraturas: •Fratura do Umero – ocorre em qualquer parte do osso já que a compressão aplicada no osso e proporcional em toda a sua extensão •Fratura da
  25. 25. Fraturas mais comuns •Fratura do Úmero – ocorre em qualquer parte do osso já que a compressão aplicada no osso e proporcional em toda a sua extensão •Fraturas Ulnares – podem ser ocasionadas por traumas violentos indiretamente decorrentes de quedas LESÕES POR FRATURAS
  26. 26. LESÕES POR FRATURAS Fraturas por Stress As Fraturas por stress são ocasionadas por distúrbios Musculoesqueléticos que Geralmente tem sua origem por esforços repetitivos,desgaste osseo (Osteoartrite) e principalmente por “Fadiga Generalizada”. As Fraturas por Stress utilizam o termo Carga Dinamica como indicador de intensidade em que é imposta a dada a articulação as forças de compreesão que resultam em “MicroTraumas”. A Carga Dinamica atua de diferentes maneiras e a principal é imposta pela superficie de contato
  27. 27. FRATURAS POR STRESS Superfícies de Contato Três tipos de Superfície foram utilizadas em um estudo que visava obter a informação sobre qual delas será mais incidente sobre a carga Dinâmica: • Grama • Asfalto • Pista de Corrida
  28. 28. FRATURAS POR STRESS E a Superfície mais Nociva é ????? GRAMA !!!! Grama – É uma superfície desnivelada ,portanto mais suscetível ao aumento da carga Dinâmica,a Grama altera o perfil da carga dinâmica drasticamente. *****
  29. 29. LESÕES DE JOELHOS EM ATLETAS DO SEXO FEMININO
  30. 30. “ O Joelho da mulher desportista tem sido causa de inúmeras lesões e hoje é valorizada como uma articulação que inspira muitos cuidados e que possuem seus próprios Biomecanismos” Hammond,1997 Acero,1999 LESÕES DE JOELHOS EM ATLETAS DO SEXO FEMININO O numero de mulheres Jovens e Adultas que participam em todos os niveis de praticas esportiva cresceu significativamente, os Desporto praticado pela mulher a pouco tempo atrás era classificado como defensivo e lento e agora o mesmo e classificado como Preciso,Potente e extremamente Veloz. Tais modificações levaram as mulheres ao topo de maior numero de lesões em relação aos homens particularmente em : Basquete,Voleibol,Futebol e Ginástica
  31. 31. LESÕES DE JOELHOS EM ATLETAS DO SEXO FEMININO (Ferreti,et. Al,1992 y Natri et. Al,1995,Arendt,1997,Garricke Griffin,199 y The American Academy of Orthopedic Surgeons,1999) dedicaram estudos ao Joelho da Mulher desportista e indicaram que o LCA (Ligamento Cruzado Anterior é o ligamento mais lesionado em combinação com os Traumas ligamentares e Meniscos.
  32. 32. Anatomia Básica e Funcional do LCA 1.Restringe o deslocamento anterior da Tíbia 2.Previne a Hiperextensão do Joelho 3.Atua como um segundo estabilizador contra Strees do Valgus reforçando o ligamento Medial Colateral 4. Controla a Rotação da Tíbia sobre o Fêmur em extensões Femurais de 0-30º LESÕES DE JOELHOS EM ATLETAS DO SEXO FEMININO
  33. 33. Amplitude Articular – Estudos realizados determinaram que o recrutamento muscular para a estabilização do Joelho varia entre os Gêneros. Nos Homens o Processo começa pelos Isquiotibiais (60 a 70% )e Termina no Quadríceps possibilitando mais estabilidade Articular. Nas Mulheres a participação dos Isquiotibiais ficam em torno de (45 a 55%) deixando toda a estabilização a cargo do Quadríceps,facilitando assim uma maior Instabilidade provocando uma maior sobrecarga no LCA. Alterações Hormonais – Os investigadores encontraram evidencias que comprovam que as mulheres sofrem 4 x mais possibilidades de lesões nos Joelhos durante a Ovulação exatamente quando os níveis de estrógeno estão mais altos. O estrógeno que surge dentro do ciclo menstrual “Reduz” o processo que estabiliza e fortalece as fibras do LCA. O American Journal of Sports concluiu em 1998 um estudo aonde cerca de 30% das mulheres sofreram lesões de Joelho durante 5 dias de Ovulação TEORIAS ETIMOLOGICAS DA RUPTURA DO LCA EM MULHERES
  34. 34. E QUAIS AS SOLUÇÕES PREVENTIVAS ? Em 1998 o Dr Hewett do Centro Ortopedico e de Medicina Desportiva e Biomecanico de Cincinnati –USA ,elaborou um metodo denominado (ENM). O Programa consistia em trabalhos Planificados em 6 semanas aonde existia tres etapas distintas: I.TECNICA : Demonstrações e aprendizagens de técnicas apropriadas de salto II.FUDAMENTOS: Uso da técnica adequada para construir uma Base de Força,Potencia e Agilidade III.RENDIMENTO: Pico Maximo de altura vertical do salto dentro desta etapa a técnica e determinada pelas seguintes tarefas: •Postura Correta e alinhamento corporal •Salto Vertical sem muitos desequilíbrios no plano Frontal e sagital •Aterrissagem suaves desde a linha media do metatarso ate o tornozelo com flexão das pernas •Recuperação instantânea para o seguinte Salto
  35. 35. APLICABILIDADE É COMO UTILIZAR TAIS CONHECIMENTOS NAS AULAS DE ED. FISICA...???
  36. 36. INSERINDO A BIOMECANICA NAS AULAS DE EDUCAÇÃO. FISICA Considerando a forte ligação da Biomecânica com o esporte,entende-se a tendência de observar seus conceitos quando a área de aplicabilidade é o Esporte,muito desta tendência surge dentro do próprio curso de Educação Física quando o simplesmente o professor não consegue abandonar a teoria e a despreza na pratica,fazendo com que os futuros professores não enxerguem campo tão amplo de estudo e de observação. Desta maneira aumentando o distancia do contexto escolar.Freitas e Costa¹² deixando de entender que a inclusão do conteúdo Biomecânica proporcionaria um conjunto de vivencias motoras que podem ser aproveitados para a assimilação de conceitos abstratos acerca do movimento humano.
  37. 37. A BIOMECÂNICA NA EDUCAÇÃO FISICA Segundo Piceda e Corrêa²¹ a biomecânica se torna uma disciplina indispensável nas aulas de Ed. Física tanto no aspecto didático- pedagógico de ensino,quanto no aspecto da pesquisa,no que se refere ao desenvolvimento motor e cognitivo da criança analisaram formas de estimular o desenvolvimento do equilíbrio corporal na educação física infantil.
  38. 38. E COMO FAZER ISSO NA PRATICA ? Utilizando aulas informativas contribuindo não so para o interesse dos estudantes mas também para a formação intelectual,já que conceitos da Biomecânica possuem interface com a Matemática,Fisica e Biologia
  39. 39. CONCEITOS INTE-RELACIONADOS  ...Como ocorre a produção de Força no corpo ? ...Como as alavancas corporais funcionam ? .Por que diferentes calçados possuem diferentes características ? ...Porque devemos flexionar os joelhos para obter uma melhor impulsão ? ...Porque o grau de flexão dos cotovelos no nado crawl e fundamental para um nado econômico ?
  40. 40. ATIVIDADES TEORICO-PRATICAS O objetivo das praticas descritas e acreditar que e possivel atingir a valorização buscada em nossas aulas podendo assim atingir os alunos e outros professores mostrando que a Biomecânica é uma disciplina que correlata ao aprendizado de diversos conceitos. VAMOS A UM EXEMPLO !!!!!
  41. 41. •Conteúdo: Conceitos vetoriais e de cinemática •Objetivo: Atraves do jogo de Cabo de guerra aborda conceitos Vetoriais. •Atividade: Cabo de mudando os componentes das equipes em quantidade equilibradas e diferentes ! - Os alunos sabem porque um lado do cabo de guerra vence,mas talvez eles não saibam explicar com bases e conceitos fisicos e de Cinematica ?
  42. 42. -Alem de explicar como se da a soma dos vetores,esta atividade pode evoluir para uma discussão de porque um determinado lado venceu ? Explicar e debater sobre aspectos determinantes da produção de força muscular. -Em casos mais elaborados,pensando em alunos do ensino medio pode-se ate discutir o efeito do atrito em diferentes tipos de calçados no solo.nesse momento os conceitos de coeficiente de atrito podem ser abordados
  43. 43. AGORA O DESAFIO É PARA VOCÊS
  44. 44. A TECNOLOGIA A FAVOR DO ESPORTE
  45. 45. A TECNOLOGIA A FAVOR DO ESPORTE Em 1992 nas Olimpíadas de Barcelona podemos observar o quão era importante o uso da tecnologia e por coincidência um Brasileiro precisou dela.nesta edição da olimpíada foi inaugurada o sistema de transmissão de tempos por placares eletrônicos e tudo sai bem,ate a chegada da prova mais importante da Olimpiada os 100m Livre,nela lendas da Natação com Michael Groos (Albatroz),Matt Biondi,Alexander Popov e nosso Gustavo Borges...dada a largada Popov assume a liderança de Maneira Incontestável como no vídeo Assista a Reportagem...
  46. 46. Antropometria Biomecânica Permiti tomar dados precisos de uma estrutura corporal em termos de Longitude, Diâmetro, Profundidade, Perímetros, Massas, Momentos de Inercia e dos segmentos corporais para traduzir a qualidade do movimento do Desportista. A TECNOLOGIA A FAVOR DO ESPORTE
  47. 47. Dinamômetro para Grupos Musculares Este instrumento foi concebido de forma especifica para dar assistência tecnológica ao especialista no processo de valorização da capacidade física ou valor do estado da força expressa (Nw) de um determinado Grupo Muscular. A TECNOLOGIA A FAVOR DO ESPORTE
  48. 48. Plataformas de Pressão Sistema relacionado com a medição dos centros de Pressão sobre as bases de sustentação. São utilizadas plataformas sensiveis que medem a Quantidade e a Trajetória da pressão sobre a planta do pé durante o movimento. A TECNOLOGIA A FAVOR DO ESPORTE
  49. 49. Sistema de Analises do Movimento Entre todos apresentados é o método que apresenta o menor custo e um Feedback rápido em torno dos resultados, pode-se utilizar para a captura câmeras ,filmadoras e Smartphones. No Smartphones e crescente a quantidade de aplicativos que tornam simples filmagens em processos de analises de fácil aplicação e fácil leitura A TECNOLOGIA A FAVOR DO ESPORTE
  50. 50. tênis que possibilita 648 combinações de componentes, projetados para previnir lesões e maximizar a performance. A idéia, diz a Somnio Running, Califórnia, é oferecer um tênis que se encaixe nas características biomecânicas de cada corredor, compensando tudo, desde arco elevado até perna torta. O Modelo Power Skin da Arena revoluciona a natação com um traje com características Hidrodinâmicas nunca vistas no mercado,uma de suas principais características e a Compressão Muscular oferecida pela composição e elaboração dos seus fios facilitando um melhor transporte de O² e ajudando na diminuição das forças resistivas impostas pelo corpo Humano CURIOSIDADES EM TORNO DOS MATERIAIS ESPORTIVOS
  51. 51. A TECNOLOGIA A FAVOR DO ESPORTE AGORA VAMOS COLOCAR EM PRATICA UMA DESTAS FERRAMENTAS DE ANALISE BIOMECANICA Vamos Utilizar o Aplicativo Ubersense Coach Video Analysis Principais Caracteristicas do App: * Veja a reprodução quadro-a-quadro em 1/2, 1/4 e 1/8 velocidades em câmara lenta * Zoom e vídeos pan para acessar todos os detalhes * Use as ferramentas de desenho para medir e técnica destaque * Compare dois vídeos em empilhados ou lado a lado * Acompanhar e comparar o progresso de um atleta ao longo do tempo
  52. 52. OBRIGADO PELA ATENÇÃO DE TODOS E EM 2015 DESEJO A TODOS UM ANO LETIVO... E. Porfírio – Treinador de Natação Colégio Damas

×