PREFEITURA DE

' VALINHOS

Ofício n° 174I2015-DTLISAJlIP

Valinhos,  em 17 de março de 2015.

Ref. : Requerimento n° 218/2...
PREFEITURA DE

e VALINHOS

Resposta:  Consoante informações da Secretaria de Transportes e Trânsito,  em

 

casos extremo...
-" n

o? 

  

    

. rsmiz-. .íQ_eia-e_âá_

 

(l .  r
CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVO  ' 'i
Lei n° 2506/1992...
l
v

contrato,  evitando assim um colapso no sistema.  Desta forma,  restou aprovado o

aumento da tarifa.  Em seguida.  f...
-N. 

a; 

 

Ata da reunião extraordinária do Conselho Municipal de Transportes Coletivo, 
realizada aos treze dias do mê...
'i-n"" . ..-1. h . À~'1ÍH-- u . .- .  7-
iãlroc.  FE*í. -'. -'. no(.    

. ... ... .._. ... ..m. .m. ... ~.-ua

 

" CONS...
't

   
 

CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVÕ 
Le¡ n° 2.50611 992 : e
Decreto n° 8720/2014

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA...
J 

iPrizc.  N" _›". -"-_. '?C

L¡_. ... .__. ... -;. . .  .-. 

CONSELHO MUNlClPAL DE TRANSPORTES COLETIVO
Lei n° 2506/19...
l l

 

 

Lei n° 2.50611 992 c. .
Decreto n° 8720/2014

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA . ç
1010212015 

ATA _, 

. U

quanto às c...
PREFEITURA DE   “

 

Divisão de Transportes Públicos

Reunião do Conselho Municipal de Transporte Coletivo

Data:  10/02/...
RAPIDO LUXO CAMPINAS ' ' ' . W
SISTEMA DE TRANSPORTES DE VALINHOS - PLANILHA DE CUSTOS - DEZEMBRO/ M
DADOS OPERACIONAIS E ...
«RUBRIC

 

Lubrificantes
Coet.  de consumo equivalente em combustível (Iikm) 0.05

Peça e Acessórios

Coet' de consumo de...
i
. 
l

 

2. - ROTEIRO DE DADOS OPERACIONAIS

2,1, .  COMPOSI Ào DA FROTA

 

    

 
 

  
 

RuanieA A '

 
 
 
 

 
  ...
_ . ._1s__. ..__. ._. __
1",  1'¡ . I.
.  .4_. .5-_. 

 

2.4. - PASSAGEIROS TRANSPDRTADOS E EQUIVALENTES - MÉDIA DO PERÍO...
3. - CUSTOS VARIÁVEIS 1

 

3.1.- DESPESAS com COMBUSTÍVEL

1321115313143?"

 
   
    
         
   

van DF #DIV/ OI
Mic...
5'¡

»v1.1 1h

 
   

/  ,
>

4. - CUSTOS FIXOS

4.1,- DESPESAS COM PESSOAL

 

 
   

0,00

 
 

0,00

 
   
       
    ...
O
 . ..
ri
- 1'
e
u» _w

 

4.2. - DESPESAS ADMINISTRATIVAS _' n

 

4.2.1. - DESPESAS GERAIS

35 025 00

Total de Des - 4...
.V

4.3. - CUSTOS DE CAPITAL

     

      

    

 Van DF

- Valor Resídual " 0.00% 20.00%
- Taxa Anual de Remunera o 0.0...
.l -
n¡ ; um g¡

_c
_.  .'. 

 

4 u . ..  .  ^ " Z '
IProc. Tv'“, ./. II1:1 3x1 0 I X

 

4.3.3. ~ DEPRECIA ÃO DE MÁQUINA...
TOTAL DE CUSTOS VARIÁVEIS 599.11 8,43 1,7521 15.362,01 44,41 V; 

       

  

750.065,15 2.1936 19.232,44

TOTAL DE CUSTO...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resposta ao req. nº 218 2015 (informações sobre contrapartidas deliberadas pelo cmtc)

148 visualizações

Publicada em

Resposta

Publicada em: Governo e ONGs
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Resposta ao req. nº 218 2015 (informações sobre contrapartidas deliberadas pelo cmtc)

  1. 1. PREFEITURA DE ' VALINHOS Ofício n° 174I2015-DTLISAJlIP Valinhos, em 17 de março de 2015. Ref. : Requerimento n° 218/2015-CMV Vereadores Israel Scupenaro e Rodrigo Fagnan¡ Popó Processo administrativo n° 4.460I2015-PMV 1""" IíÍ r _ ymúr* "Í 1 i, __, _ n. .., I. ; 3 _ _ 'L AWÂ' uam 'Tu/ á Íwrwí >ÍÍ ~. Y'¡. )i ! miar , . = ' ~ Excelentissimo Senhor Presidentezw w “mw 's . kgk_ r . s '~ 'm. .--~""Lw-~*~%““1¡ s. p . m» L - wrfxwir Í¡': , ) v' «Em _f_ m. .. x. __ m; f* E_ 2, " . .ii m): s , gaagrirfz ' “* W “wi t -raitisêêêêi É? liiãzgiçãêgliiiãi-szezx” M_ p_ , , f_ à solicitação contida _írglofrequgrimento supra . I . ~r~ . i . ~ Ni** . :'~ ' . . epigrafadogde'autoria. ;dosevéyreadores Israel ScupenaroaeiíRodngcrFagnanl Popo, r o: f “ . l Win1774” . . x t tíêíêí " . . consultada aoareakcompetente da Municipalidade§rencaminhoea Vossa Excelencia os . WC-E a¡ '. iii '. c : :: é m' '*- - a ÊÊÍ 41,3" esclarecimentos aosjquesItos-formulados, como seguem: $351 . 'N' . r alii” ; o Quais são as contrapartidas deliberadas pelosGMTC, nas reunioes que tiveram por _ to j, ._i 3,3/ age: mp* , z , objeto o aumentodartarifa (2014 e.201_5)? ' › u. f*'a~»i? "~_°rt. s~sm3l , z . , . . , . Resposta: segundgrlipformaçoes da Secretarrawde 'Transportes , e Transito, as _ _ . . I . *là/ ix ui' , contrapartidas deliberadaíkêjpramzyyt* -. ' ; f s "Ux : :Wmu N . .- _Lw . .. _ ____ . *- a. a incluíantõhe. mais? quatroxveiculosmfna frota 'dosistemadetransporte urbano "S. 'z 'x 13:5* x' e' N. . . .Mbx, x wmm. , awmaow . Í . n. gm supstrtuiçao a_¡§elÊLI¡§5aÇ9,m“malS edez anâã ggklfaibricaçaorx x . .'. ~.T““~›~: . “EIN” Pá? ” ' i e. . . w . ,.~*". “'““ «x . b. a disponibilizaçaâídê umfposêt? de recharâamâecrédrtomo Interior do terminal w 4:/ 5,. ; c. a implantação do programa de integração temporal; rodoviário; d. a manutenção dos abrigos de concreto do Município. Existe Prazo para implementação das contrapartidas? Resposta: Não foi estipulado um prazo limite para a implementação das contrapartidas supra mencionadas. No caso de não cumprimento, quais as consequências? - PAÇO MUNICIPAL - PALÁCIO INDEPENDÊNCIA - Rua Antonio Carlos. 301 - Centro - Valinhos - SP - CEP: 13270-005 Fone: (19) 384943000 - e-mail: imprensa@va| inhos. sp. gov. br - Home Page: www. valinhos. sp. gov. br
  2. 2. PREFEITURA DE e VALINHOS Resposta: Consoante informações da Secretaria de Transportes e Trânsito, em casos extremos, existe a possibilidade de revogação do Decreto que reajustou a tarifa de transporte público coletivo municipal de passageiros. Foram implantadas novas linhas? Se sim, quais e quando? Resposta: Sim, foi implementada a linha n° 518 - Terminal / Jardim Nova Suíça (Peixe Frito), que entrou em operação em 29 de novembro pp. Enviar cópia das atas das reuniões de 2013-2014 e 2015. "I 1"' I. .. - m; "IMI LM. . -. , '>. Enviar cópia da planilha qüeIgFerou o aumento em 20j5.: /? m <; 2 'r I ; , i *r s. : _ __ Resposta: Seguemíma fomaLdo-«Lane§%, ~~os. doçwiinjfntos>~disponibilizados pela ~- › ir* r"? *gr* ~ ' m, Secretari eTr “ j* . ' "TJ "' ', * v ~ 4'* a d anspoírt/ es 'Frajfisitolu : j: _ I_ f, ç (É: i. . ; g ; _ ~ . ... .. .mma . -. .n ossa 'Excielênciábvs protestos de 1 rm f' ¡ sejo, reitera* a o ¡ , 'E i ' h 73.3) w - w minha elelyadaãpnsigeíãigãogegjáIpatenteado resp f . I 'Í 1*' ill” . ¡ . I ¡já! ,l f¡ f' 1. ix M1¡ . ..m1 . r ' ' (z _ çfqí *im . ivv-; AK 1 A " o” ÁÉi-IADÕÍ 41:' . . Í_ / .1 If; KC ' r *v . , . E2/ »- v/ J c, , J Anexo: 21 folhas. ç '_ _ s' j ' ,4/ A “ 2:” a '” ' *t A _ CÂMRRR HUNICIPFIL DE . . ln Sua Excelencia, o senhor ã . - Õ SHDMAR RoDmGo TOLO¡ É' N Ruinria: CLAYTON IIOBEIIIO FIIICHIIDO *N presIdente da Egrégia Câmara MUnICIPaI ' É Ç assunto: lnfamçm sem : entraparildas Ilallbaradas pula tansallin vaünhos a m nunltipal ele Transporte Coletivo. I z O Õ PAÇO MUNICIPAL - PALÁCIO INDEPENDÊNCIA - Rua Antonio Carlos. 301 - Centro - Valinhos - SP - CEP: 13270-005 Fone: (19) 3849-8000 - e-mail: imprensa@valinhos. sp. gov. br - Home Page: www. valinhos. sp. gov. br
  3. 3. -" n o? . rsmiz-. .íQ_eia-e_âá_ (l . r CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVO ' 'i Lei n° 2506/1992, O Decreto n° 8.375/2013 › '“ f' i REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA ; i . e 02.05.2013 j¡ ATA "a Aos dois dias do mês de maio de dois mil e treze, às dez horas e quinze minutos, na sala de reuniões Ivan Fleury Meirelles, localizada no Paço Municipal, realizou se a Reunião extraordinária do Conselho Municipal de Transportes ColetivçsqA reunião foi presidida pelo senhor Secretário de Transportes e Trânsito e membro do Conselho José Almeida Sobrinho. secretariada por mim Rosana Ramos_ da Silva Santos, Diretora da Divisão de Transporte Público e contou com a presença dos senhores Conselheiros. Antonio Carlos Rodrigues (representante da Associação de Moradores) e Gerson Rossi (representante da Associação_ das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas). Dando início aos trabalhos, o Secretário de Transportes e Trânsito e membro do Conselho José Almeida Sobrinho informou sobre a impossibilidade de manifestação do público presente para assistir a reunião. Em seguida, fez a leitura da ata da reunião anterior que foi aprovada e assinada pelos conselheiros e apresentou a pauta da reunião: apresentação da proposta de reajuste da tarifa do sistema urbano, apresentação da planilha elaborada pela empresa permissionária que solicitou o reajuste e também planilha elaborada pelos técnicos da Secretaria de Transportes e Trânsito. Após esclarecimentos e debates, colocou-se em votação a necessidade do reajuste: o conselheiro Antonio Carlos votou pelo não aumento, uma vez que não está havendo a participação do representante dos motoristas. Em seguida, o conselheiro Gerson votou pelo aumento, tendo em vista principalmente o aumento do diesel. O conselheiro José Almeida Sobrinho votou pelo aumento, explicando ainda sobre a necessidade do reajuste a fim de manter o equilíbrio financeiro do
  4. 4. l v contrato, evitando assim um colapso no sistema. Desta forma, restou aprovado o aumento da tarifa. Em seguida. foi iniciada a votação para o valor do reajuste: a l rejeitada. tendo como voto a favor apenas do conselheiro Gerson. Apresentada a planilha elaborada pelos técnicos da Secretaria de Transportes e Trânsito com o valor proposto de três reais e trinta centavos, houve voto desfavorável do conselheiro Antonio Carlos, tendo sido o reajuste aprovado pelos demais a membros presentes do Conselho para o ano de 2013. Por unanimidade- dos I conselheiros, será encaminhado documento ao Sindicato dos Trabalhadores- em I planilha da empresa com proposta de três reais e cinquenta e sete centav9s_. .t_oi Transportes Rodoviários e Anexos de Campinas e Região solicitanñdo a' Trabalhadores em Transportes Rodoviários e Anexos de Campinas e Região) pela ausência nas reuniões do Conselho. Nada mais tendo a tratar, a reunião foi encerrada as onze *horas e trinta minutos. Eu, Rosana Ramos da Silva Santos, Diretora da Divisão de Transporte Público, encerro a presente ata qu: : na z substituição do sr. Ravail Teodoro Alves (representante do Sindicato dos J concordância, deverá ser assinada pelos senhores membros do conselho. Õ "VÉVUI/ rvw Rosana Ramos da Silva Santos JosTé"'Ãlmeida Sobrinho
  5. 5. -N. a; Ata da reunião extraordinária do Conselho Municipal de Transportes Coletivo, realizada aos treze dias do mês de agosto de dois mil e quatorze, às nove horas ? e trinta minutos na sala de reuniões da Secretaría de Transportes e Trânsito. A reunião foi presidida pelo Senhor Secretário de Transportes e Trânsito e membro do conselho doutor José Almeida Sobrinho, secretaríada por mim Rosana Ramos da Silva Santos 'e contou com a presença dos senhores Conselheiros, Antonio Carlos Rodrigues j, Gerson Rossi e Osvaldo Santos Bemardes de Moraes. Dando inicio aos trabalhos “e Senhor José Almeida apresentou a pauta da reunião: apresentação da proposta de reajuste da tarifa do sistema urbano, apresentação da planilha elaborada pela empresa que solicitou o reajuste e também planilha elaborada pelos técnicos da Secretaria de ' Transportes e Trânsito. Em seguida é apresentado 0 Sr. Aparecido Serafim que comÕ técnico em transportes da secretaria de transportes e trânsito apresenta aos presentes à planilha elaborada por ele com o valor ñnal de R$3,33 (três reais e trinta e três . j centavos). Iniciada a votação para o reajuste na tarifa no valor de R$ 3,30 (três reaísiê trinta centavos) o conselheiro Antonio Carlos, votou a favor do aumento, e propõe que se apresente uma proposta de subsídio para o sistema, e que se faça reuniões periódicas desse Conselho a ñm de se discutir assuntos relacionado ao sistemas de transporte, o Í conselheiro Gerson Rossi votou a favor do aumento, o conselheiro Osvaldo votou a* favor do aumento e pediu que se crie meios para que haja requalificação dos cobradoresK. . quee deixarão de fazer parte do sistema, o conselheiro José Almeida votou a favor do _ Í ' aumento, explicou ainda sobre a necessidade do reajuste a fim de manter o equilíbrio# financeiro do sistema , sendo assim tica aprovado o aumento da tarifa em R$ 3,30 (três reais e trinta centavos) e em contra partida, ñcou também estabelecido nesta reunião a inclusão de 4 (quatro) ônibus no sistema urbano, a substituição de todos os ônibus com idade superior a estabelecida (10 anos), um ponto de recarga no terminal rodoviário, a integração temporal e solicitado pelo conselheiro Antonio Carlos, a manutenção em todos os abrigos de concreto da cidade, haja visto o acúmulo de _ água em seus telhados e também estudos para que o desembarque dos usuários seja J feito pela porta dianteira nos ônibus municipais. Nada mais tendo a tratar a reunião 0' foi encerrada às dez horas e trinta minutos. eu Rosana encerro a presente ata que na concordância, deverá ser assinada pelos senhores me bros do conselho. -z de Moraes sé Almeida Sobrinho mos da Silva Santos Rosana R
  6. 6. 'i-n"" . ..-1. h . À~'1ÍH-- u . .- . 7- iãlroc. FE*í. -'. -'. no(. . ... ... .._. ... ..m. .m. ... ~.-ua " CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVO Lei n° 2.505/1992 _ Decreto n° 8.720/2014 f? l , REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA . sa ; l 10/02/2015 ”' ATA z 1, Ata da reunião extraordinária do Conselho Municipal de Transportes Coletivo; realizada aos dez días do mês de fevereiro de dois mil e quinze, às dez horas, na salade reuniões da Secretaria de Transportes e Trânsito. A reunião foi presidida pelo Sertlíõi Secretário de Transportes e Trânsito e membro do conselho doutor José Almeida Sobrinho, secretariada por mim Márcia Helena Toyoda Crivellari e contou comia o. presença dos senhores Conselheiros: Antonio Carlos Rodrigues, Gerson Rossi e l Osvaldo Santos Bemardes de Moraes. Estiveram presentes também, o vereador Israel Scupenaro, a presidente do PSDC Dra. Vilma de Albuquerque e o assessor do vereador Popó, Sr. Ulisses Porto. Dando início aos trabalhos o Senhor José Almeida apresentou a pauta da reunião: pedido de reajuste da tarifa do sistema urbano, proposto pela empresa Rápido Luxo Campinas e protocolado em nove de janeiro de dois mil e quinze com apresentação da planilha de custos elaborada pela empresa. O doutor Jose Almeida l solicitou a mim, Márcia Helena Toyoda Crivellari, a leitura da ata da reunião anterior, para ciência e aprovação dos membros do conselho. Após a leiturago doutor Jose' Almeida explicou que das contrapartidas por ocasião do reajuste r constantes na ata da reunião anterior, foram atendidos a implantação do ponto de recarga no terminal rodoviário e a inclusão de um veículo para atender ao bairro Parque Nova Suiça (peixe frito). Dando continuidade à reunião, passou a palavraao i conselheiro Antonio Carlos que declarou-se contrário ao reajuste, considerandoLa insatisfação dos munícipes, através de manifestações via redes sociais e reuniões com a associação, e que estão dispostos a fazer uma manifestação caso ocorra o 0T reajuste; também apresentou fotos do ônibus que atende a linha 5.02 do São Bento, com peças danificadas e que em dias de chuva, chove também dentro do ônibus. Falou que em treze de outubro, teve aumento da tarifa e cinco meses depois, a empresa não cumpriu com as contrapartidas da reunião anterior, solicita aos membros, voto contrário ao aumento da tarifa, alegando que o valor justo da tarifa para Valinhos é de três reais; ressaltou que o momento é de união junto à empresa, para divisão dos lucros; que a planilha apresentada não esclarece o lucro da empresa, apenas os custos. Pede encarecidamente para se reaver os valores, pois como líder comunitário e representante da sociedade civil, demonstra preocupação com. o repasse do aumento para a população. O doutor José Almeida solicitou ao conselheiro Gerson para justificar o não atendimento das demais reivindicações solicitadas anteriormente. O senhor Gerson explicou que a substituição dos ônibus não ocorreu devido a empresa estar aguardando financiando através do BNDS, que | encontra-se suspenso, que é de interesse da empresa a substituição dos ônibus ao l | ' »pm-w a
  7. 7. 't CONSELHO MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVÕ Le¡ n° 2.50611 992 : e Decreto n° 8720/2014 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA “Ts ' 10/02/2015 'r ATA . o invés de efetuar a manutenção dos mesmos; explicou que os preços estão sendo majorados mais do que a inflação anunciada pelo governo, exemplificando «. o aumento do combustível, dos insumos onde se inclui pneus, peças e energia, ou seja; os insumos sobem mais do que o índice de inflação apresentado, além do govemo federal não se posicionar em relação ao financiamento através do FINAME, não se tem ainda uma definição de quanto será a liberação do financiamento, se de cinquenta ou setenta por cento. Falou ainda sobre os valores dos equipamentos como. catraca, componentes para modemização do sistema, ressaltando que a carga de_ aumento dos insumos dentro da empresa é muito alto. O doutor Jose Almeida informou que já foram feitos os estudos para a integração temporal e que já se tem_ condições de se decidir pela implantação. Disse ainda que entende que foram justificadas o não atendimento das solicitações propostas na reunião anterior. Quanto ao subsídio solicitado pelo conselheiro Antonio Carlos na reunião anteriorga prefeitura no momento não possui verba para atendimento, mas é possivel coloca-lo como uma possibilidade, ou seja, uma meta, porém não momentaneamente. Quanto à solicitação do conselheiro Antonio Carlos sobre o acesso dos usuários pela porta dianteira, esse assunto poderia ser abordado em reunião exclusiva para esse fim. Ao senhor Aparecido Serafim coube informar a análise técnica realizada pela Secretaria de Transportes e Trânsito: a planilha apresentada pela empresa foi analisada e após efetuados os recálculos, concluiu-se que o valor proposto representa o aumento de custo, além de coincidir com os valores tarifários já praticados pelos municípios próximos, pertencentes à região metropolitana de Campinas, e também considerando a integração feita pelos usuários do transporte metropolitano cuja tarifa é superior ao do sistema urbano, embora haja integração no terminal rodoviário mantendo-se o valor do transporte urbano. Em seguida, passou-se a palavra ao conselheiro Oswaldo que considera não haver outra saida para se evitar o reajuste, pois já houve uma perda de mil e quinhentos cobradores entre Valinhos e Campinas e considerando-se a família de cada um, aproximadamente seis mil pessoas foram atingidas pelo desemprego. Pede para que a empresa apresente na planilha além dos custos, o lucro. Diz ainda, que trabalha no sistema há vinte e cinco anos e nunca viu uma crise tão grande. Se diz contrário ao desembarque pela porta da frente, para evitar o risco de atropelamentos dos usuários que com essa alteração, passariam a atravessar na frente do ônibus. Havendo uma leve alteração nos ânimos entre o conselheiro Antonio Carlos e o conselheiro senhor Oswaldo, o senhor José Almeida pede calma, para não fugir do foco. O conselheiro Oswaldo lamenta a necessidade do reajuste, mas que o mesmo e' necessário, a fim de garantir o salário 2
  8. 8. J iPrizc. N" _›". -"-_. '?C L¡_. ... .__. ... -;. . . .-. CONSELHO MUNlClPAL DE TRANSPORTES COLETIVO Lei n° 2506/1992 a». Decreto n° 3.720/2014 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA .10 10/02/2015 5°' O ATA _m 5o. dos funcionários. O conselheiro Gerson argumenta que a empresa está apenas fazendo um realinhamento dos preços que foram passados, e que a substituição da frota depende de linha de crédito. O senhor José Almeida finaliza a primeira fase da reunião, explicando da necessidade do reajuste para se manter o equilíbrio econômico e social e também para garantir o serviço essencial à população e que não se trata apenas em votar o valor da tarifa, mas que medidas compensatórias poderão ser adotadas. O senhor Aparecido Serafim informa que poderão ser iniciadas as ações para implantação do bilhete único, além de se preparar. a população para a integração temporal e que isso acabará por baixar o custo da empresa com funcionários. O conselheiro Gerson afirma que com a implantação do cartão, se tira o dinheiro de circulação. O doutor José Almeida citou o exemplo de Campinas na implantação do cartão e da dificuldade dos usuários eventuais do transporte coletivo não poderem embarcar no ônibus sem a posse do cartão. 1.0 conselheiro Antonio Carlos mencionou que ainda existem bairros sem nenhum abrigo de ponto de ônibus. O doutor José Almeida informa que com a licitação prevista para novembro, haverá uma troca considerável de abrigos, incluindo . os bairros periféricos, modemizando o sistema atual, com inclusão de rede wi-fi. 1D senhor Aparecido Serafim informa que a partir da criação do bilhete e a abertura do terminal, o usuário em sua maioria vai adquirir o cartão. O conselheiro Antonio Carlos, propõe auxílio da associação de bairro para implantação do cartão, sem ônus para a empresa. O conselheiro Oswaldo pede acessibilidade nos pontos de ônibus eso doutor José Almeida informou que tais medidas estão previstas. Após explanação do senhor Oswaldo, passa-se a palavra ao senhor Aparecido Serafim, que explica que a planilha apresentada pela empresa tem o mesmo conceito da planilha desenvolvida pelo Ministério dos Transportes, que considera como razoável uma taxa de retomo de doze por cento ao ano, essa taxa está embutida no valor da tarifa. O conselheiro Antonio Carlos pede a contrapartida, pois tem o dever de defender o interesse da população, pois no bairro onde mora o ônibus está sempre lotado, desde às cinco horas da manhã, permanecendo o dia todo. Então o senhor Aparecido Serafim explica que o ônibus é aferido pelo INMETRO quanto à sua capacidade de lotação, onde se considera cinco passageiros por metro quadrado no espaço interno livre, compreende-se como capacidade máxima de lotação do veiculo a soma do total de assentos mais cinco passageiros por metro quadrado na área interna livre, que dependendo do cumprimento do veiculo, pode chegar até oitenta e cinco passageiros, ou seja, o ônibus pode circular com a capacidade de até oitenta e cinco passageiros. O conselheiro Oswaldo pede ao senhor José Almeida providências w
  9. 9. l l Lei n° 2.50611 992 c. . Decreto n° 8720/2014 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA . ç 1010212015 ATA _, . U quanto às condições dos ônibus, pois uma cidade moderna como Valinhos, não pode ter ônibus nas condições apresentadas como o da linha 5.02 São Bento. O conselheiro Antonio Carlos indaga sobre acessibilidade nos ônibus e e' informado pelo senhor Aparecido Serafim que dos trinta e seis ônibus, aproximadamente vinte e cinco já são acessíveis, e todos os ônibus fabricados a partir de 2011, já vem adaptados. O senhor Aparecido Serafim propõe campanha imediata para transferir-b dinheiro por cartão. O conselheiro Gerson explica que a alteração é muito simples', pois o usuário retira um formulário no ponto de venda do terminal rodoviário »e devolve preenchido no mesmo lugar, sendo que após cinco dias, o cartão eSÍáâ disposição sem nenhum custo. conselheiros em relação ao reajuste. Iniciada a votação para o reajuste da tarifa np valor de R$ 3,50 (três reais e cinquenta centavos), o conselheiro Antonio Carlos votou contra o aumento, o conselheiro Gerson Rossi votou a favor do aumento, o conselheiro' Osvaldo votou a favor do aumento, e o doutor José Almeida destacou que a reunião cumpriu o objetivo, que o comportamento do senhor Antonio Carlos é o esperado como representante da população, do senhor Oswaldo como representante dos empregados, do senhor Gerson como representante da empresa e que a secretaria tem o papel de equilibrar , e dentro das possibilidades econômicas, explicou sobre a 'necessidade do reajuste a fim de manter o equilíbrio financeiro do sistema, votando a favor do reajuste, que foi aprovado pela maioria, e se aprovado pelo chefe do executivo, passará à R$ 3,50 (três reais e cinquenta centavos). Nada mais tendo a tratar, a reunião foi encerrad à onze horas e vinte minutos, eu Márcia Helena Toyoda Crivellari, “wi hi5., i ' encerro a presente ata que na concordância, deverá ser assinada pelo senhores membros do conselho. v' r . ~ . .É , Jose' Almeida Sobrinho - P 1 7 . , 1/ Êtonio Carlos odrigues O doutor José Almeida pede a votação dos""
  10. 10. PREFEITURA DE “ Divisão de Transportes Públicos Reunião do Conselho Municipal de Transporte Coletivo Data: 10/02/2015 Lista de Presença NOME EPRESENTAÇÃO m turma «a ÚLÁc/ @c/ Erg» PAÇO MUNICIPAL - PALÁCIO INDEPENDÊNCIA - Ru Fone: (19) 3849-8000 - e-mail: imgrensa@vghnhossg. gov. br - Home Page: www. valinhostsp. gov. br a Antonio Carlos, 301 - Centro - Valinhos ~ SP -CEP 13270-005 Ve, ¡_ u N H a 3 Ê_FÍÍ. =;; ;:, .- - 5V? !
  11. 11. RAPIDO LUXO CAMPINAS ' ' ' . W SISTEMA DE TRANSPORTES DE VALINHOS - PLANILHA DE CUSTOS - DEZEMBRO/ M DADOS OPERACIONAIS E DE PREÇOS INFORMADOS PELA EMPRESA OPERADORA 1.- ROTEIRO BÁSICO PARA CÁLCULO DA TARIFA 1.2. - composição oo PERÍODO “ Dias Úteis sábados ' i Dom/ Fer. Ano Vigente ' Número de Dias do Ano 1.3. - DADOS DE INSUMOS BÁSICOS r RUBRIC . a z: i. .. Combustivel 2_ Preço de um Iilro de Óleo Diesel RS/ t 2.5054 gv" I _ . n Seguros Valor Anual de Seguro Obrigatório R$Neic. ano 415.20 Valor Anual de Seguro de Resp. Civil Facuitativo RsNeic. ano 1,440.00 IPVA e Licenciamento RsNeic. ano 0.00 "WT Billiclageul Eletrônica Compra de Equipamentos e Sistema de Birhetagem RsNeic. Mês 320.00 “" Despesas com Vendas e Distribuição de Cartões R$Neic. Mês 480,00 _yo . tegoria , _ Micrão Leve/ Pesado RUBRIÓA Material de Rodagem Preço Ponderado de um Pneu novo RS 0.00 0,00 1.100,00 1 40000 Preço de uma Recapagem/ Recauchutagem R5 0,00 0.00 460.00 580.00 Preço Ponderado de uma Câmarace-ar RS 0.00 0,00 0,00 _ug 0,00 Preço Ponderado de urn Protetor R5 0.00 0.00 0,00 0,00 Veiculo Preço Ponderado de um Veiculo novo R5 0,00 0,00 210.000,00 ' 280.000,00 Preço Ponderado de um Veiculo novo sem Rod. RS 0.00 0,00 203.400,00 27150000 4% 1,4. - COEFICIENTES, VIDA ÚTlL, SALÁRIOS E PERCENTUAIS : uma: Leve/ Pesado RUBRICA . .. , r , ',_ Colubusticl Coeficiente de consumo médio de Combustivel (ilkm) 0.0000 0.0000 0.3800 0,4400 l1:| tcrial de Rodagem Quantidade de jogos de Pneu Qtd. 0 0 1 1 Quantidade de recapagens por Pneu Qtd. 0,00 0.00 2,00 2,00 Quantidade de jogos de Cámara-de-ar (recap) Qtd. 0,00 0,00 0,00 0,00 Quantidade de jogos de Protetor (recap) Qtd. 0.00 0.00 0.00 0,00” Quantidade de Pneus por jogos Qtd. 0 0 6 6 VIDA ÚTIL TOTAL COM RECAPAGEM (lim) 0,00 0,00 105.000,00 105.000,00 Vida Útil da Frota Vida economicamente útil veículo anos O 0 10 10 Valor Rcsidini! da Frota Valor residual de veículo °Ía 0,00% 0,00% 20.00% 20.00%
  12. 12. «RUBRIC Lubrificantes Coet. de consumo equivalente em combustível (Iikm) 0.05 Peça e Acessórios Coet' de consumo de Peças e Acessórios Coet. 0.0083 Taxa de Juros Taxa Anual de remuneração (%) 12.00% Salário Base Motorista - "veículo mícrão TC" R$ 1.542,67 Motorista - "veículo leve/ pesado" RS 2.034,67 Cobrador RS 903,48 Fiscalldespachante R$ 2.034,67 Manutenção RS 1,456.48 Administração RS 1,574.91 Encargos Sociais Motorista. Cobrador e Fiscal/ Despachante (%) 41,93°/ › Couñcicnlc Fator dc Utilização com Haras Extras Motorista Micrão F. U. 2.5300 Motorista Ônibus F u. 2.5300 Cobrador F. U, 0,9800 Fiscal/ despachante F . U. 0,3338 Manutenção F. U. 0.8283 Administração F. U. 0.3448 Fatur de Utilização › Total FU Total F. U. 4,8974 I'm-Labor: : - Diretoria valor Mensal Rs 15000.00 Bcucñcios Valor por Funcionário - mensal R5 634.00 Cocñcicnte - Despesas Gerais Despesas Gerais %/ PPVN 3.00% Ciicñcicntcs - dc Remuneração e Dcprccinçàn d: Inaalaçõcs e Equipamentos: Instalações e Equipamentos Fator de Depveciação: 0,0007 Fator de Remuneração: 0.0012 Cocücicntcs - Remuneração de ! Material dc Almuxarifado Material de Atmoraxitado Fator de Remuneração: 0.0003 Percentuais dt: Tributação PIS 'Vu 0.00% COFINS °/ . 0,00% ¡SS % 3,00% ' CPMF as 0.00% Taxa de Gerenciamento V. 2000/. Total de Tributos v. 5,00% 0.0000 6527.3500 5378.5250 4,4478 FU p/ Func 3.6552
  13. 13. i . l 2. - ROTEIRO DE DADOS OPERACIONAIS 2,1, . COMPOSI Ào DA FROTA RuanieA A ' F rola Efetiva/ Operacional Reserva Percentual da ! rota reserva técnica: 2.2. - COMPOSI ÃO DA CLASSIFICA ÃO ETÁRIA DA FROTA Categoria¡ " ~ ' Micro DF Leve/ Pesado , guarantee Frota Veiculos de 0 a 01 ano 0 0 0 " O t Veículos de 01 a 02 anos 0 0 0 15 '_ 15 Veiculos de 02 a 03 anos 0 0 0 5 . 5 l Veículos de 03 a 04 anos O 0 0 0 -0 Veículos de 04 a 05 anos 0 0 0 0 __, o Veiculos de 05 a os anos o o o 1 _. '1 - Veiculos de 06 a 07 anos 0 0 0 1 1 Veiculos de 07 a 08 anos 0 O 3 2 5 Veiculos de 0B a 09 anos 0 O 0 3 3 veículos de 09 a 10 anos 0 0 0 7 7 Veículos de cl + de 10 anos 0 0 D 2 -- --2 -- rom Éíííí 0 " 39 #DIV/ OI #DIV/ Oi Tí Idade Média de Veículos da From 2.3.- COMPOSI ÃO DA QUILOMETRAGEM MENSAL REALIZADA - MÉDIA MEI NSAL DE JAN/14 A DEZ/ N n, , _ Categoria. : -, I. : t . Leve/ Pesado 287.189,00 28.842,1 1 ç A RUBRIÇA ' Quilontetragem Programada Mensal Efetiva Ociosa 23.507,00 2.402,00 _mim 25309.00 OEM! ! 310.696,00 31.244,11 km km 341.940,11 2.3.1, - PERCURSO MÉDIO MENSAL - PMM OPERACIONAL ' ~ ' Categoria _mag Lve/ Pesado 12.954,50 9.295,03 1 . RUBRICA Percurso Medio Mensal - PMM t, , '_. « . __ #Div/ ot 9.498,34
  14. 14. _ . ._1s__. ..__. ._. __ 1", 1'¡ . I. . .4_. .5-_. 2.4. - PASSAGEIROS TRANSPDRTADOS E EQUIVALENTES - MÉDIA DO PERÍODO DE JANE| ROI14 A DEZEMBRQHI¡ ' ' tegoria Level Pesado . Passageiros Transportadas 451.592 485.582 Desconto % 0.00% 50,00% Passa ciros E univalcnics 356.694 382.187 2.4.1. - ÍNDICE DE PASSAGEIROS . Índice de Passagcirospouilnnclro - Índice dc Passageiros Equivalcnles por Quílomelro - lPKc 'Passaciros Transorlados or Veiculos/ dia - PVD
  15. 15. 3. - CUSTOS VARIÁVEIS 1 3.1.- DESPESAS com COMBUSTÍVEL 1321115313143?" van DF #DIV/ OI Micro DF _gDlV/ g! Micrão TC 24.666,72 3.222,24 Leve/ Pesado 348.385,11 i9._6_77,36 Total de Despesas de Combustivel 9. 565,43 3.2. - DESPESAS COM LUBRIFICANTES Despesa Custo/ km Custo/ veio. 0.00 0.00 Micro DF 0,00 0.00 Micrão TC 3.090,00 7.030,00 Leve/ Pesado 43.542,20 7.212,20 46.732,20 0,137 Total de Desesas de Lubrificantes 7.198,26 3.3. - DESPESAS COM MATERIAL DE RODAGEM o 11' -' . .. a! ta. : mimar: :u 541113592155991" « ; cãiãããiiàtisíàài ãàícamañàáã Píõtetorfã Bñe Van DF 0.00 0,00 0,00 0.00 0.00 Micro DF 0,00 0.00 0,00 0,00 0.00 Micrão TC 1.525,57 1.352,07 0,00 2.990,54 _99539 Leve/ Pesado 25292.49 20949.35 0,00 0,00 45.230,94 Total D. M. R. mnmlmmlnzznnxaz- I. r 2. 'r 3.4. - DESPESAS COM PEgAS E ACESSÓRIOS T, A JICatSEDrIa 0,00 Micro DF 0_oo Mkirão TC 3.390,00 1 130.00 Leve/ Pesado 96.767,00 Total de Des u - sas Pe as e Acessórios RESUMO DOS CUSTOS VARIÁVEIS " ' - custorveic. DESPESAS DE COMBUSTÍVEL 373.051,83 9.565,43 DESPESAS DE LUBRIFICANTES 46.732,20 'I 198,26 DESPESAS Cl MATERIAL DE RODAGEM 49.221,48 '1 252,09 DESPESAS c¡ PE As ACESSÓRIOS TOTAL DE CUSTOS VARIÁVEIS 100.157,00 559.162.511 O 2.550,13 14.593,91
  16. 16. 5'¡ »v1.1 1h / , > 4. - CUSTOS FIXOS 4.1,- DESPESAS COM PESSOAL 0,00 0,00 Motorista - "veiculo microônibus DF" 0.00 Motorista - "veiculo micrão TC" 11.078,93 37692.98 Motorista ~ "veiculo leve/ pesado" 248.409,17 57.900,25 Cobrador 42.725,54 "009555 Fiscal/ Despachante 34.698,97 889,72 Total de com Pessoal de Operação 336.913,61 87636.81 Custo/ km 0,100 Cuslâtveíc. T. 580,54 Pessoal de Manutenção 1.580,54 Total de Desesas c¡ Pessoal de Manuten ão _1 ' . l - 4.1.3. - DESPESAS COM PESSOAL ADMINISTRATIVO 'írgciaceaoria Custolveíc. 711.50 Total de Despesas cl Pessoal de Administrativo 4.1.4. - DESPESAS COM BENEFÍCIOS "'71. ' . Custo/ km Van DF 0,00 0,00 MIcro DF 0.00 0.00 Micrão TC 25.529,00 5.575,00 Leve/ Pesado 40.576,00 1.127,11 Total de Despesas cl Beneficios 1.723,_1§ 4.1.5. - DESPESAS COM REMUNERA ÃO DA DIRETORIA - cãLegóiia-gi " 9959553 Custo/ km Custoiveic. Pro-Labore 15 000.00 0,044 384,62 15.000,00 Total de Despesas c¡ Pro-Labore
  17. 17. O . .. ri - 1' e u» _w 4.2. - DESPESAS ADMINISTRATIVAS _' n 4.2.1. - DESPESAS GERAIS 35 025 00 Total de Des - 4 sas Gerais e Administrativas 4.2.2. - DESPESAS COM SEGUROS E IPVA *Ma* ? rãhâíãkíííêfííí'Í-FÍFQOÍÍHÀÊ” N süivlnNeící/ mêsâfüff 4.2.2.1. - Seguro Obrigatório *iàãizi-'afaimeçzêãé Custo/ km Custofveíc. 1.349,40 34,60 4.2.2.2 - Seguro de Resp. Civil Facullaliva 4580.00 120,00 4.2.2.3 - IPVA e Licenciamento 0.00 0,000 0,00 6.029 40 0,018 Total de Despesas cl se uros 4.2.3. - BILH ETAGEM ELETRÔNICA Êêêêüfáífâéívfsiêtâcategória ' 4.2.3.1 - Compra de Equip. e Sistemas 4.2.3.2 - Desp. d vendas e Dislr. Cartões Total de Despesas com Bilhetaem Eletrônica Custolveic. I 'I Despesa Custo/ km 0.00 0,00 0.00 0.000 4B .00 I6.880,00 0,049 432,82 16.880,00 0,049 E
  18. 18. .V 4.3. - CUSTOS DE CAPITAL Van DF - Valor Resídual " 0.00% 20.00% - Taxa Anual de Remunera o 0.00% 12.00% Nota: Método de depreciação: Soma dos dígitos _ Remuneração: Deduzida a depreciação Categoria a2 , u QÊÉQÊÊÂ-Eãâlálifâmíâmãáàí. 4.3.1. - DEPRECIAÇÃO DE VEICULOS DA FROTA Classificação _Fa_i, x'a, Etária§J§f§§àã? ã xeçggçggaugmae DepreCiaÇãOÊFÊF' 3 @MET-HK 0 O 00 a 01 ano O O 0.00 01 a 02 anos 0 0 0 44.443,64 02 a os anos o o o 13453.43 03 a iu : anos o o o o_oo 04 a 05 anos 0 O 0 0.00 05 a 06 anos O 0 0 _ 1.646,06 06 a 07 anos O O O _ 1.316,85 07 a 08 anos 0 0 3 2.218,91 '- 1.975,27 0B a 09 anos 0 0 0 0.00 à 1.975,27 09 a 10 anos O 0 0 0,00 5 2.304,48 + de 10 anos O 0 0 0,00 0,00 Custo/ km fêeaàâzãàizicateboríàizààetzízãgíaàzaziâaiwzm Custolveic. 000 0,00 Van DF _ Micro DF 0,00 0,00 Micrão TC 2.218,91 739.64 Leve/ Pesado 66.830,06 t. , 1 856,39 Total de Derecia ão de Veiculos da Frota 1.770,49 ; C Qué Fatoñde 'Remuneração IME¡ Custos de Remuneração - _IME 0 00 Van 0,00 ma¡ 0 0 00 a 01 ano O 0 0.00 . O1 a O2 anos 0 0 0 15 0,00 0.00 32.579,82 02 a 03 anos 0 0 0 5 0,00 0,00 9.196,29 03 a 04 anos O . 0 0 0 0,00 0.00 0,00 04 a 05 anos O 0 O 0 0,00 0,00 0,00 O5 a 06 anos 0 0 0 1 0,00 0.00 1.062,89 06 a 07 anos 0 0 O 1 0.00 0,00 878,04 07 a 08 anos 0 0 3 2 0.00 1.640,44 1.460,32 08 a 09 anos O 0 0 3 0,00 0,00 1 857,74 09 a 10 anos 0 O 0 7 0,00 0,00 3.817,15 * de 10 anos 0 O 0 2 0,00 1.016,68 Custo/ veio. 0.00 0,00 0,00 1.640,44 51.868,92 1.372,03
  19. 19. .l - n¡ ; um g¡ _c _. .'. 4 u . .. . ^ " Z ' IProc. Tv'“, ./. II1:1 3x1 0 I X 4.3.3. ~ DEPRECIA ÃO DE MÁQUINAS, INSTALA ÓES E EQUIPAMENTOS im *ui Catéaoriá. A ' Despesas cl Deprec. de instal. e Equip. custo/ km 7.497,00 7 497 00 0.022 uiamenios 7.497,00 m Total de Despesas cl Deprecia áo de Instalações e E 4.3.4. - REMUNERA Ào DE MÁQUINAS, INSTALA ÓES E EQUIPAMENTOS ' ÍlurIíRelaIiÍ/ "of Custo/ km 12.552,00 12.852,00 0,038 12.852,00 0,038 I ' “ $115?? 1 i A ° t' iram Total de Despesas cl Remunera ão de Material de Almoxarifado RESUMO DOS CUSTOS FIXOS 336.913,61 11535131 DESPESAS COM PESSOAL DE MANUTENÇÃO 61.641,15 1539,54 DESPESAS COM PESSOAL ADMINISTRATIVO 27.745,41 711,50 DESPESAS COM BENEFÍCIOS 67.204,00 “1272115 DESPESAS coM REMUNERAÇÃO DA DIRETORIA 15.000,00 _, aa4,s2 DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS 35.025,00 “"e9a, os DESPESAS COM BILHETAGEM ELETRÔNICA 16.880,00 4132,52 DESPESAS COM SEGUROS E IPVA 5.029,40 -i-" 154,50 DEPRECIAÇAO DE VEICULOS DA FROTA 59.045,97 1 770,49 DEPRECIAÇÁO DE MÁQUINAS, INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS 7.497,00 192,23 REMUNERAÇÃO DE VEICULOS DA FROTA 53.509,35 1.372,03 REMUNERAÇÃO DE MÁQUINAS, INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS 329,54 82,38 18.270,82 REMUNERA AO DE MATERIAL DE ALMOXARIFADO TOTAL DE CUSTOS FIXOS RESUMO DOS CUSTOS VARIÁVEIS E FIXOS SEM TRIBUTAÇÃO *WW »Í Custolveíc. _ggzâísgjwcategorta TOTAL DE CUSTOS VARIÁVEIS 569.162,50 14.593,91 TOTAL DE CUSTOS FIXOS 712.561,89 18.270,82 TOTALIZA ÃO DE CUSTOS 1.281.724,39 32.864,73
  20. 20. TOTAL DE CUSTOS VARIÁVEIS 599.11 8,43 1,7521 15.362,01 44,41 V; 750.065,15 2.1936 19.232,44 TOTAL DE CUSTOS FIXOS 55.59% TOTALIZA ÃO DE CUSTOS 100,00% I E. : :x53 “í "ÉÇRIMINAÍCÀOL, * Í ' Rs¡ VEICULO/ MÊS VALOR/ MÊS BILHETAGEM ELETRÔNICA Valor por veiculo por més - frota total l TOTAL - IDADE MEDIA DA FROTA i Idade _Media da Frota = 5,06 anos TARIFA AJUSTADA PROJETADA COM TRIBUTOS E COM INVESTIMENTOS I " VALE TRANSPORTE 3,53 'PASSE CQMUM 3,53 PASSE ESTUDANTE 1,77 'TARIFA NECESSÁRIA

×