SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
2º Encontro de formação de
Professores Alfabetizadores
22/06/2013
A concepção de aprendizagem que embasa nossas ações
de formação pressupõe que o conhecimento não é
concebido como uma cópia do real e assimilado pela
relação direta do sujeito com os objetos de
conhecimento, mas produto de uma atividade mental
por parte de quem aprende, que organiza e integra
informações e novos conhecimentos aos já existentes,
construindo relações entre eles.
Em que concepção de aprendizagem nossa formação se fundamenta?
Concepções de
Aprendizagem
Inatismo, empirismo e construtivismo: três ideias
sobre a aprendizagem
Platão, Aristóteles e Jean Piaget pensaram em
diferentes concepções sobre a aquisição dos
conhecimentos
Concepção
Inatista
“FILHO DE ... O saber congênito
Inatismo
Precursor: Platão (427-347 a.C.)
Defende que as pessoas nascem com saberes
adormecidos que precisam ser organizados para
se tornar conhecimentos verdadeiros. O
professor só auxilia o aluno a acessar as
informações.
Trecho de livro comentado
"Mas o deus que vos modelou, àqueles dentre
vós que eram aptos para governar, misturou-lhes
ouro na sua composição, motivo por que são
mais preciosos; aos auxiliares, prata; ferro e
bronze aos lavradores e demais artífices."
Platão, no livro A República
Platão diz que o homem nasce com certas
características físicas e que elas justificam a
posição social de cada um. Ser apto a governar ou
trabalhar como auxiliar é resultado de uma
vontade divina. Não se considera nenhuma
possibilidade de mudança.
Mesmo que a noção de aprendizado como
reminiscência não encontre eco na ciência
contemporânea, para o bem e para o
mal, algumas ideias inatistas ainda pipocam
nas salas de aula.
Quais?
Se por um lado é interessante levar os alunos a
procurar respostas para suas inquietações com
independência crescente, por outro é lamentável
que muitos docentes sigam explicando o baixo
rendimento escolar de certos estudantes
(sobretudo os de "lares desestruturados") porque
eles "não têm habilidade para aprender".
Concepção
Empirista
a absorção do conhecimento externo
Empirismo
Precursor: Aristóteles (384-322 a.C.)
Sustenta que o conhecimento está na realidade
exterior e é absorvido por nossos sentidos. O
professor é quem detém o saber. O aprendizado é
obtido por meio da cópia, seguida de
memorização.
Trecho de livro comentado
"As virtudes, portanto, não são geradas em nós
nem através da natureza nem contra a natureza. A
natureza nos confere a capacidade de recebê-las, e
essa capacidade é aprimorada e amadurecida pelo
hábito."
Aristóteles, no livro Ética a Nicômaco
O autor critica o inatismo, chamando a
atenção para o fato de que não é a
"natureza" a responsável por nossos saberes
(no trecho, chamados de "virtudes"). Para
Aristóteles, os conhecimentos são
absorvidos como resultado da prática -
quando se tornam hábito.
Apesar dos séculos de distância, o fato
é que algumas práticas empiristas
seguem presentes no dia a dia das
escolas.
Quais?
"Até hoje, o conhecimento é visto por muitos
como um produto que pertence ao professor",
explica Becker. Os especialistas formulam outra
crítica à corrente: nem sempre ideias simples dão
elementos para compreender as mais complexas.
Dito de outra forma, não basta acumular
informações para aprender.
Construtivismo
Precursor: Jean Piaget (1896-1980)
Estabelece que a capacidade de aprender é
desenvolvida e construída nas ações do sujeito por
meio do contato ativo com o conhecimento, que é
facilitado pelo professor.
Trecho de livro comentado
"Pensar não se reduz, acreditamos, em falar,
classificar em categorias, nem mesmo abstrair.
Pensar é agir sobre o objeto e transformá-lo."
Jean Piaget, no livro Problemas de Psicologia
Genética
Citando características do pensamento científico
clássico (enunciação, classificação e
abstração), Piaget afirma que o aprendizado
necessita também da ação de quem aprende
(formulando hipóteses para entender o objeto de
conhecimento, por exemplo).
Construtivismo:
presença ativa do sujeito diante
do conteúdo
É preciso "agir sobre o objeto e transformá-lo", como
diz Jean Piaget (1896-1980). Foi o cientista suíço
quem cunhou o termo construtivismo, comparando a
construção de conhecimento à de uma casa, que deve
ter materiais próprios e a ação de pessoas para que
seja erguida.
Seus estudos não foram feitos para
aplicação em sala de aula - por
isso, é um equívoco falar em
"método construtivista de ensino" .
Suas teorias inspiraram as obras sobre Educação
popular de Paulo Freire (1921-1997), sobre
Matemática de Constance Kamii e sobre a
psicogênese da língua escrita de Emilia
Ferreiro e Ana Teberosky.
Ao pesquisar a maneira como a criança pensa, Piaget
chamou a atenção para o papel da interação para
explicar como o conhecimento se origina e se
desenvolve. Por essa via, aproximou-se também de
pesquisadores como Lev Vygotsky (1896-1934) e Henri
Wallon (1879-1962).
Nas últimas três décadas, as pesquisas
de Piaget também têm influenciado
investigações nas chamadas didáticas
específicas de cada disciplina.
Pela concepção construtivista, o professor deve criar
contextos, conceber ações e desafiar os alunos para que
a aprendizagem ocorra. "O conhecimento não é
incorporado diretamente pelo sujeito: pressupõe uma
atividade, por parte de quem aprende, que organize e
integre os novos conhecimentos aos já existentes",
escreve Teresa Mauri em O Construtivismo na Sala de
Aula.
Entre os mal-entendidos, um dos
mais comuns é considerar que o
professor construtivista não
apresenta conteúdos nem orienta
seus alunos.
"Professor que não ensina não é construtivista", afirma
Becker. Para que haja o avanço dos alunos, o docente
precisa tomar muitas decisões: considerar as demandas
da turma, propor questões e desafios e pensar formas
de promover ações que gerem aprendizado. "O
educador deve dominar sua área e conhecer os
processos pelos quais o aluno aprende os mais
diferentes conteúdos", diz.
Tendo como base o que retomamos sobre as concepções
de aprendizagem, responda:
Como a criança aprende?
Como garantir uma boa situação de
aprendizagem?
Após as discussões nos grupos, um representante de cada
grupo fará a exposição de suas conclusões.
4 princípios didáticos que
definem uma boa situação de
aprendizagem
(Telma Weisz In O diálogo entre o ensino e aprendizagem. São
(Telma Weisz In O diálogo entre o ensino e
aprendizagem. São Paulo, Ática, 2000.)
Os alunos precisam por em
jogo tudo o que sabem e
pensam sobre o conteúdo
em torno do qual o
professor organizou a tarefa
4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem
Os alunos têm problemas
a resolver e decisões a
tomar em função do que se
propõem a produzir
4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem
O conteúdo trabalhado
mantém as suas
características de objeto
sociocultural real
4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem
A organização da tarefa
garante a máxima circulação
de informação possível entre
os alunos por isso as
situações propostas devem
prever o intercâmbio, a
interação entre eles
4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusiva100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusivaAdrianoAbreu AldaIris
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemnormaquilino
 
As teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humanoAs teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humanoBruno Gurué
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialDirce Cristiane Camilotti
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaSoares Junior
 
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmannAvaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmannDocência "in loco"
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemDébora Silveira
 
Desenvolvimento de competências socioemocionais
Desenvolvimento de competências socioemocionaisDesenvolvimento de competências socioemocionais
Desenvolvimento de competências socioemocionaisGrasiela Dourado
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilLucas Silva
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Joao Balbi
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialVera Zacharias
 
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...LD35
 
Diagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoDiagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoSinara Duarte
 
Função e Atuação do Gestor Escolar
Função e Atuação do Gestor EscolarFunção e Atuação do Gestor Escolar
Função e Atuação do Gestor Escolarwr1996
 
Avaliacao na educacao slide
Avaliacao na educacao slideAvaliacao na educacao slide
Avaliacao na educacao slideSoares Junior
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamentofamiliaestagio
 

Mais procurados (20)

100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusiva100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
As teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humanoAs teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humano
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmannAvaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmann
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Desenvolvimento de competências socioemocionais
Desenvolvimento de competências socioemocionaisDesenvolvimento de competências socioemocionais
Desenvolvimento de competências socioemocionais
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação Infantil
 
Tendência Pedagógica
Tendência PedagógicaTendência Pedagógica
Tendência Pedagógica
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2
 
Fundamentos da psicopedagogia-i
Fundamentos da psicopedagogia-iFundamentos da psicopedagogia-i
Fundamentos da psicopedagogia-i
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação Especial
 
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
Quadro comparativo das concepções de aprendizagem entre os teóricos piaget, v...
 
Diagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoDiagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogico
 
Indicadores da Qualidade na Educação Infantil
Indicadores da Qualidade na Educação InfantilIndicadores da Qualidade na Educação Infantil
Indicadores da Qualidade na Educação Infantil
 
Função e Atuação do Gestor Escolar
Função e Atuação do Gestor EscolarFunção e Atuação do Gestor Escolar
Função e Atuação do Gestor Escolar
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
Avaliacao na educacao slide
Avaliacao na educacao slideAvaliacao na educacao slide
Avaliacao na educacao slide
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamento
 

Destaque

3ª pauta 17 de agosto
3ª pauta 17 de agosto3ª pauta 17 de agosto
3ª pauta 17 de agostopnaicdertsis
 
Foram muitos os professores
Foram muitos os professoresForam muitos os professores
Foram muitos os professorespnaicdertsis
 
Pauta formativa pnaic 4º encontro
Pauta formativa pnaic   4º encontroPauta formativa pnaic   4º encontro
Pauta formativa pnaic 4º encontropnaicdertsis
 
2 portfólio
2 portfólio2 portfólio
2 portfóliotaboao
 
Rotina 1º ano
Rotina 1º anoRotina 1º ano
Rotina 1º anotaboao
 
Análise de atividade
Análise de atividadeAnálise de atividade
Análise de atividadepnaicdertsis
 
Direitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º ano
Direitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º anoDireitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º ano
Direitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º anopnaicdertsis
 
Pauta formativa pnaic 5º encontro
Pauta formativa pnaic   5º encontroPauta formativa pnaic   5º encontro
Pauta formativa pnaic 5º encontropnaicdertsis
 
1 doce de tereza
1 doce de tereza1 doce de tereza
1 doce de terezataboao
 
Avaliacao nacional alfabetizacao documento básico
Avaliacao nacional alfabetizacao documento básicoAvaliacao nacional alfabetizacao documento básico
Avaliacao nacional alfabetizacao documento básicotaboao
 
2 reflexões sobre projetos didáticos
2 reflexões sobre projetos didáticos2 reflexões sobre projetos didáticos
2 reflexões sobre projetos didáticostaboao
 
O tempo psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...
O tempo   psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...O tempo   psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...
O tempo psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...Rosemary Batista
 
Rotina 2º ano
Rotina 2º anoRotina 2º ano
Rotina 2º anotaboao
 
Ppt modalidades
Ppt modalidadesPpt modalidades
Ppt modalidadestaboao
 
4 apresentação planejando a alfabetização unidade 6
4 apresentação planejando  a alfabetização   unidade 64 apresentação planejando  a alfabetização   unidade 6
4 apresentação planejando a alfabetização unidade 6taboao
 
Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013
Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013
Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013Rosemary Batista
 
Pauta formativa pnaic 6º encontro
Pauta formativa pnaic   6º encontroPauta formativa pnaic   6º encontro
Pauta formativa pnaic 6º encontrotaboao
 
Avaliacao nacional da_alfabetizacao
Avaliacao nacional da_alfabetizacaoAvaliacao nacional da_alfabetizacao
Avaliacao nacional da_alfabetizacaotaboao
 

Destaque (20)

3ª pauta 17 de agosto
3ª pauta 17 de agosto3ª pauta 17 de agosto
3ª pauta 17 de agosto
 
Foram muitos os professores
Foram muitos os professoresForam muitos os professores
Foram muitos os professores
 
Pauta formativa.doc pnaic 22 06 13
Pauta formativa.doc pnaic 22 06 13Pauta formativa.doc pnaic 22 06 13
Pauta formativa.doc pnaic 22 06 13
 
Pauta formativa pnaic 4º encontro
Pauta formativa pnaic   4º encontroPauta formativa pnaic   4º encontro
Pauta formativa pnaic 4º encontro
 
2 portfólio
2 portfólio2 portfólio
2 portfólio
 
Rotina 1º ano
Rotina 1º anoRotina 1º ano
Rotina 1º ano
 
Apresentação pacto brasil
Apresentação pacto brasilApresentação pacto brasil
Apresentação pacto brasil
 
Análise de atividade
Análise de atividadeAnálise de atividade
Análise de atividade
 
Direitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º ano
Direitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º anoDireitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º ano
Direitos de aprendizagem de língua portuguesa 1º ao 3º ano
 
Pauta formativa pnaic 5º encontro
Pauta formativa pnaic   5º encontroPauta formativa pnaic   5º encontro
Pauta formativa pnaic 5º encontro
 
1 doce de tereza
1 doce de tereza1 doce de tereza
1 doce de tereza
 
Avaliacao nacional alfabetizacao documento básico
Avaliacao nacional alfabetizacao documento básicoAvaliacao nacional alfabetizacao documento básico
Avaliacao nacional alfabetizacao documento básico
 
2 reflexões sobre projetos didáticos
2 reflexões sobre projetos didáticos2 reflexões sobre projetos didáticos
2 reflexões sobre projetos didáticos
 
O tempo psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...
O tempo   psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...O tempo   psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...
O tempo psicólogo gilson vardoso da secretaria municipal da educação de mar...
 
Rotina 2º ano
Rotina 2º anoRotina 2º ano
Rotina 2º ano
 
Ppt modalidades
Ppt modalidadesPpt modalidades
Ppt modalidades
 
4 apresentação planejando a alfabetização unidade 6
4 apresentação planejando  a alfabetização   unidade 64 apresentação planejando  a alfabetização   unidade 6
4 apresentação planejando a alfabetização unidade 6
 
Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013
Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013
Boas situações de_aprendizagem pnaic 2013
 
Pauta formativa pnaic 6º encontro
Pauta formativa pnaic   6º encontroPauta formativa pnaic   6º encontro
Pauta formativa pnaic 6º encontro
 
Avaliacao nacional da_alfabetizacao
Avaliacao nacional da_alfabetizacaoAvaliacao nacional da_alfabetizacao
Avaliacao nacional da_alfabetizacao
 

Semelhante a Concepções de aprendizagem 22 junho

Concepções aprendizagem
Concepções aprendizagemConcepções aprendizagem
Concepções aprendizagemUNICEP
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimentomarcaocampos
 
Teorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseTeorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseEduardo Lopes
 
Concepções do Conhecimento
Concepções do ConhecimentoConcepções do Conhecimento
Concepções do Conhecimentokarinaabreu
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemAline Pereira
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemAna Medeiros
 
Caso 1 - Aprendizagem
Caso 1 - AprendizagemCaso 1 - Aprendizagem
Caso 1 - AprendizagemJulio Mendes
 
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunosneliane frança
 
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01Jhosyrene Oliveira
 
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreireBruno Carrasco
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemAlcione Santos
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...Jordano Santos Cerqueira
 
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rsMárcio Emílio
 
Conectivismo[siemens]
Conectivismo[siemens]Conectivismo[siemens]
Conectivismo[siemens]Maria Flores
 

Semelhante a Concepções de aprendizagem 22 junho (20)

Concepções aprendizagem
Concepções aprendizagemConcepções aprendizagem
Concepções aprendizagem
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
 
Teorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseTeorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sintese
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teorias de Ensino
Teorias de EnsinoTeorias de Ensino
Teorias de Ensino
 
Concepções do Conhecimento
Concepções do ConhecimentoConcepções do Conhecimento
Concepções do Conhecimento
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Caso 1 - Aprendizagem
Caso 1 - AprendizagemCaso 1 - Aprendizagem
Caso 1 - Aprendizagem
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
 
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
 
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
 
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
 
Jean piaget
Jean piagetJean piaget
Jean piaget
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
 
14484 71346-1-pb (3)
14484 71346-1-pb (3)14484 71346-1-pb (3)
14484 71346-1-pb (3)
 
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
 
Conectivismo[siemens]
Conectivismo[siemens]Conectivismo[siemens]
Conectivismo[siemens]
 

Concepções de aprendizagem 22 junho

  • 1. 2º Encontro de formação de Professores Alfabetizadores 22/06/2013
  • 2. A concepção de aprendizagem que embasa nossas ações de formação pressupõe que o conhecimento não é concebido como uma cópia do real e assimilado pela relação direta do sujeito com os objetos de conhecimento, mas produto de uma atividade mental por parte de quem aprende, que organiza e integra informações e novos conhecimentos aos já existentes, construindo relações entre eles. Em que concepção de aprendizagem nossa formação se fundamenta?
  • 3. Concepções de Aprendizagem Inatismo, empirismo e construtivismo: três ideias sobre a aprendizagem Platão, Aristóteles e Jean Piaget pensaram em diferentes concepções sobre a aquisição dos conhecimentos
  • 5. Inatismo Precursor: Platão (427-347 a.C.) Defende que as pessoas nascem com saberes adormecidos que precisam ser organizados para se tornar conhecimentos verdadeiros. O professor só auxilia o aluno a acessar as informações.
  • 6. Trecho de livro comentado "Mas o deus que vos modelou, àqueles dentre vós que eram aptos para governar, misturou-lhes ouro na sua composição, motivo por que são mais preciosos; aos auxiliares, prata; ferro e bronze aos lavradores e demais artífices." Platão, no livro A República
  • 7. Platão diz que o homem nasce com certas características físicas e que elas justificam a posição social de cada um. Ser apto a governar ou trabalhar como auxiliar é resultado de uma vontade divina. Não se considera nenhuma possibilidade de mudança.
  • 8. Mesmo que a noção de aprendizado como reminiscência não encontre eco na ciência contemporânea, para o bem e para o mal, algumas ideias inatistas ainda pipocam nas salas de aula. Quais?
  • 9. Se por um lado é interessante levar os alunos a procurar respostas para suas inquietações com independência crescente, por outro é lamentável que muitos docentes sigam explicando o baixo rendimento escolar de certos estudantes (sobretudo os de "lares desestruturados") porque eles "não têm habilidade para aprender".
  • 11. Empirismo Precursor: Aristóteles (384-322 a.C.) Sustenta que o conhecimento está na realidade exterior e é absorvido por nossos sentidos. O professor é quem detém o saber. O aprendizado é obtido por meio da cópia, seguida de memorização.
  • 12. Trecho de livro comentado "As virtudes, portanto, não são geradas em nós nem através da natureza nem contra a natureza. A natureza nos confere a capacidade de recebê-las, e essa capacidade é aprimorada e amadurecida pelo hábito." Aristóteles, no livro Ética a Nicômaco
  • 13. O autor critica o inatismo, chamando a atenção para o fato de que não é a "natureza" a responsável por nossos saberes (no trecho, chamados de "virtudes"). Para Aristóteles, os conhecimentos são absorvidos como resultado da prática - quando se tornam hábito.
  • 14. Apesar dos séculos de distância, o fato é que algumas práticas empiristas seguem presentes no dia a dia das escolas. Quais?
  • 15. "Até hoje, o conhecimento é visto por muitos como um produto que pertence ao professor", explica Becker. Os especialistas formulam outra crítica à corrente: nem sempre ideias simples dão elementos para compreender as mais complexas. Dito de outra forma, não basta acumular informações para aprender.
  • 16. Construtivismo Precursor: Jean Piaget (1896-1980) Estabelece que a capacidade de aprender é desenvolvida e construída nas ações do sujeito por meio do contato ativo com o conhecimento, que é facilitado pelo professor.
  • 17. Trecho de livro comentado "Pensar não se reduz, acreditamos, em falar, classificar em categorias, nem mesmo abstrair. Pensar é agir sobre o objeto e transformá-lo." Jean Piaget, no livro Problemas de Psicologia Genética
  • 18. Citando características do pensamento científico clássico (enunciação, classificação e abstração), Piaget afirma que o aprendizado necessita também da ação de quem aprende (formulando hipóteses para entender o objeto de conhecimento, por exemplo).
  • 19. Construtivismo: presença ativa do sujeito diante do conteúdo É preciso "agir sobre o objeto e transformá-lo", como diz Jean Piaget (1896-1980). Foi o cientista suíço quem cunhou o termo construtivismo, comparando a construção de conhecimento à de uma casa, que deve ter materiais próprios e a ação de pessoas para que seja erguida.
  • 20. Seus estudos não foram feitos para aplicação em sala de aula - por isso, é um equívoco falar em "método construtivista de ensino" .
  • 21. Suas teorias inspiraram as obras sobre Educação popular de Paulo Freire (1921-1997), sobre Matemática de Constance Kamii e sobre a psicogênese da língua escrita de Emilia Ferreiro e Ana Teberosky.
  • 22. Ao pesquisar a maneira como a criança pensa, Piaget chamou a atenção para o papel da interação para explicar como o conhecimento se origina e se desenvolve. Por essa via, aproximou-se também de pesquisadores como Lev Vygotsky (1896-1934) e Henri Wallon (1879-1962).
  • 23. Nas últimas três décadas, as pesquisas de Piaget também têm influenciado investigações nas chamadas didáticas específicas de cada disciplina.
  • 24. Pela concepção construtivista, o professor deve criar contextos, conceber ações e desafiar os alunos para que a aprendizagem ocorra. "O conhecimento não é incorporado diretamente pelo sujeito: pressupõe uma atividade, por parte de quem aprende, que organize e integre os novos conhecimentos aos já existentes", escreve Teresa Mauri em O Construtivismo na Sala de Aula.
  • 25. Entre os mal-entendidos, um dos mais comuns é considerar que o professor construtivista não apresenta conteúdos nem orienta seus alunos.
  • 26. "Professor que não ensina não é construtivista", afirma Becker. Para que haja o avanço dos alunos, o docente precisa tomar muitas decisões: considerar as demandas da turma, propor questões e desafios e pensar formas de promover ações que gerem aprendizado. "O educador deve dominar sua área e conhecer os processos pelos quais o aluno aprende os mais diferentes conteúdos", diz.
  • 27. Tendo como base o que retomamos sobre as concepções de aprendizagem, responda: Como a criança aprende? Como garantir uma boa situação de aprendizagem? Após as discussões nos grupos, um representante de cada grupo fará a exposição de suas conclusões.
  • 28. 4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem (Telma Weisz In O diálogo entre o ensino e aprendizagem. São (Telma Weisz In O diálogo entre o ensino e aprendizagem. São Paulo, Ática, 2000.)
  • 29. Os alunos precisam por em jogo tudo o que sabem e pensam sobre o conteúdo em torno do qual o professor organizou a tarefa 4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem
  • 30. Os alunos têm problemas a resolver e decisões a tomar em função do que se propõem a produzir 4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem
  • 31. O conteúdo trabalhado mantém as suas características de objeto sociocultural real 4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem
  • 32. A organização da tarefa garante a máxima circulação de informação possível entre os alunos por isso as situações propostas devem prever o intercâmbio, a interação entre eles 4 princípios didáticos que definem uma boa situação de aprendizagem