Disturbios alimentares

2.558 visualizações

Publicada em

Distúrbios alimentares: Anorexia, Bulimia e Obesidade
Trabalho de Área de Projecto 2010/2011
8º E grupo Nham Nham

Publicada em: Educação, Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.558
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Disturbios alimentares

  1. 1. Anorexia, Bulimia e Obesidade<br />Distúrbios Alimentares<br />
  2. 2. O que é a Anorexia?<br />É uma disfunção alimentar, caracterizada por uma rígida e insuficiente dieta alimentar devido à obsessão demagreza e ao medo de ganhar peso. Tem elementos psicológicos e sociais, sendo uma doença muito complexa.<br />Uma pessoa com anorexia é chamada de anoréxica. Uma pessoa anoréxica pode ser também bulímica. <br />A anorexia afecta principalmente adolescentes do sexo feminino e jovens mulheresdo Hemisfério Ocidental, mas também algunsrapazes. <br />No caso dos jovens adolescentes de ambos os sexos, poderá estar ligada a problemas de auto-estima, discriminação, ou de bullying. <br />A taxa de mortalidadeé de aproximadamente 10%, uma das maiores entre qualquer transtorno psicológico.<br />
  3. 3. Peso corporal menorque o nível normal; Distorção da imagem corporal. <br />Prática excessiva de desporto. <br />Ausência de menstruações(danos no sistemareprodutor feminino).<br />Diminuição/ausência da líbido; disfunção eréctile dificuldade em atingir a maturação sexual completa(nos rapazes). <br />Crescimento retardadoou paragem do mesmo. <br />Depressão. <br />Tendências suicidas. <br />Bulimia, que pode desenvolver-se posteriormente em pessoas anoréxicas. <br />Obstipação. <br />Morte por ataque cardíaco, devido à falta de potássio ou sódio (que controlam o coração). Pode ser causada por distúrbio da auto-estima.<br />Sintomas:<br />
  4. 4. A anorexia afecta pessoas jovens, principalmente raparigas. Tem sido notado o destaque da media para o desenvolvimento da anorexia e bulimia, para promover beleza com padrões físicos de magreza acentuada. <br />Características sociopsíquicas de anoréxicas:<br />Muitos transtornos de ansiedade e de humor. <br />Níveis exageradamente elevados de perfeccionismo. Alguns estudos sugerem que anoréxicas possuem níveis mais altosde desempenho escolar.<br />Inflexibilidade, forte adesão a regras estabelecidas, observação dos padrões mantidos por autoridades, etc. <br />Características das Anoréxicas:<br />
  5. 5. Há duas vertentes, a não-farmacológica e a farmacológica.<br />Dependendo do estado geral do paciente pode-se :<br />Ir para reabilitação. <br />Ter um plano alimentar bem definido. <br />Tomar antidepressivos.<br />Ter uma terapia cognitivo-comportamental e psicoterapia individual. Dessa forma, é importante o apoio da famíliae aderência do paciente.<br />Ter um acompanhamento profissional por grandes períodos, para evitar recaídas.<br />Tratamento:<br />
  6. 6. Problemas<br />de<br />uma<br />Anoréxica<br />
  7. 7. É uma disfunção alimentar. Tem incidência maior a partir da adolescência. Cerca de 90% dos casos ocorre em mulheres. <br />A vítima, tem períodos em que se alimenta em excesso, seguidos pelo sentimento de culpa e tentativas para evitar o ganho de peso com jejuns, exercícios, vómitosauto-induzidos, laxantes, diuréticos e/ou enemas. Esses episódios devem ocorrer pelo menos duas vezespor semana. <br />Tal como na anorexia, o bulímico também acha que tem peso onde não existe.<br />O que é a Bulimia?<br />
  8. 8. As vítimas podem ainda jejuar por um diaou entrar num ciclo de intensa restrição alimentarcomfarras culposas. <br />A própria restrição alimentar excessiva pode ser desencadear os episódios compulsivos. O bulímico geralmente encontra-se com peso normal, levemente aumentando ou diminuindo (não chegando à magreza da anorexia). Essa aparência de normalidade muitas vezes dificulta que se identifique o problema, o que muitas vezes demora a procurar ajuda.<br />(Continuação:)<br />
  9. 9. Pacientes bulímicos costumam envergonhar-se dos seus problemas alimentarese ocultam os seus sintomas. Dessa forma, os problemas ocorrem sem o conhecimento dos pais, amigos ou pessoas próximas.<br />Em casos após a bulimia ter durado por algum tempo, os pacientes afirmam que os seus episódios compulsivos caracterizam-se por dificuldades a resistir em comer em excesso ou dificuldades para parar um episódio compulsivo, uma vez iniciado.<br />Sintomas:<br />
  10. 10. A bulimia costuma causar sofrimento psíquico e afecta diversas áreas da vítima. O bulímico vê-se afectado nas suas relações sociais - uma vez que festas envolvem alimentação. Ele vê-se atormentado por uma questão que lhe é quotidiana (alimentação) e que não pode ser evitada. Isso demonstra a dificuldade de se lidar com o transtorno alimentar.<br />Este é caracterizado por episódios comuns de "orgias alimentares", no qual o paciente come num curto espaço de tempo uma grande quantidade de comida como se estivesse com muita fome. Ele perde o controlo sobre si mesmo e vomita o que comeu, com a finalidade de não ganhar peso.<br />Problemaspsicológicos:<br />
  11. 11. O tratamento envolve abordagemmultiprofissional:<br />Psicoterapia, aconselhamento nutricional e medicamentos são as principais vertentes. Em certos casos, interna-se o paciente.<br />Tratamento:<br />
  12. 12. Problemas<br />de<br />uma<br />Bulímica<br />
  13. 13. É uma doença crónica, na qual a reserva natural de gorduraaumenta até que passa a estar associada a problemas de saúde. Isto acontece porque a ingestão alimentar é superior ao gasto energético.<br />Apesar de se tratar de uma condição clínica individual, é vista cada vez mais como um grave problema de saúde pública, visto que esta doença antecipa uma série de doenças, como a diabetes.<br />O que é a Obesidade?<br />
  14. 14. Em análises clínicas, médicos levam em consideração raça, massa muscular, idade, sexo e outros factores que podem influenciar o IMC. Este sobrestima a gordura corporal em indivíduos muito musculados e pode subestimá-la naqueles que tiveram perda de massa corporal. Para crianças e adolescentes, também se utiliza o IMC. <br />(continuação:)<br />
  15. 15. Classificação do IMC:<br /><18.5 - Abaixo do peso normal<br />18.5–24.9 - Peso normal<br />25.0–29.9 – Sobrepeso<br />30.0–34.9 - Obesidade grau I<br />35.0–39.9 - Obesidade grau II<br />≥ 40.0 - Obesidade grau III  <br />Peso normal<br />Sobrepeso<br />Obesidade<br />
  16. 16. A obesidade é avaliada em termos absolutos e relativos. Também é avaliada usando o IMC (índice de massa corporal). É um método simples e bastante conhecido de se medir a gordura corporal. A medida foi desenvolvida na Bélgica. A equação para o calcular é:<br />IMC = kg / m2<br />(Kg é o peso do indivíduo em quilos)<br />(m é a sua altura em metros).<br />Avaliação da Obesidade:<br />
  17. 17. Outrasformas de determinar<br />a Obesidade:<br />A circunferência absoluta(>102 cm – homens; >88 cm - mulheres)<br />Índice cintura-quadril (>0.9– homens; >0.85 - mulheres)<br />Medira percentagem de gordura corporal (>25% - homens; >30% - mulheres)<br />Pesagemdo indivíduo debaixo d'água<br />Tomografia computadorizada<br />Ressonância magnética<br />
  18. 18. Oaumento da obesidade em sociedades ocidentais nos últimos25 anos teve como principais causas:<br />O consumo excessivo de nutrientes e alimentos<br />O sedentarismo<br />O consumo médio de calorias(quadruplicou entre 1977 e 1995)<br />O stress da vida moderna <br />Sono insuficiente<br />Genética<br />Outras doenças<br />Causas e Mecanismos:<br />
  19. 19. Pessoas com IMC >30 devem ser iniciadas num programa de dieta de redução calórica e exercício.<br />Terapia farmacêutica – se a 1ª opção não resultar.<br />Pessoas com IMC >40 que não alcançam os seus objectivos de perda de peso (com ou sem medicamentos), fazem cirurgias.<br />Tratamento:<br />
  20. 20. Segundo um estudo realizado pela OMS, cerca de 300 milhões de pessoas actualmente são obesas. <br />O país com mais obesos no mundo é Nauru, na Oceânia (80% de sua população é obesa)<br />O país com mais fome é a Somália (75,02% da população passa fome). <br />Países como Barbados, EUA, Brasil também sofrem de sérios problemas com uma população acima do peso. <br />Nos últimos 20 anos, a América Latina tem atravessado uma transição epidemiológica, demográfica e nutricional, reflectindo-se em mudanças relacionadas à nutrição. Devido a vários levantamentos, sabe-se que a população passa de um extremo para outro.<br />Estudos:<br />
  21. 21. <ul><li>Beatriz Santos – nº 4
  22. 22. Catarina Guerra – nº 6
  23. 23. InêsJordão – nº 10
  24. 24. Luís Carreira – nº 14
  25. 25. Patrícia Almeida – nº 19</li></ul>Trabalho realizado por:<br />8º E<br />

×