HISTÓRIA MEDIEVAL
476 d.C 1453 d.C
-Alta Idade Média – séc. V ao X (consolidação do poder da
Igreja, ruralização da socied...
campo, à procura de trabalho e sobrevivência).
•Colonato (plebeus e escravos passam a trabalhar nas terras dos
grandes pro...
Séc. III e IV – penetraram pacificamente no Império Romano.
Ocuparam terras cedidas pelo Imperador, e trabalhavam como
cam...
Anglos e Saxões - Inglaterra
Borgúndios – sul da França
Hunos – Gália (França) – 451 d.C Átila foi derrotado
Francos - Gál...
IMPÉRIO FRANCO – foi muito importante para a formação do
Feudalismo
DINASTIRAMEROVÍNGEA (481-751)
Organizada por descenden...
•Após o governo de Dagoberto, o poder dos reis merovíngeos
começou a enfraquecer.
•Os últimos reis merovíngeos se afastara...
- Saiu vitorioso e concedeu ao papado os territórios ao
redor de Roma (Patrimônio de São Pedro), formando os
Estados da Ig...
- ordenou a tradução de diversas obras gregas, garantindo a
sua preservação.
Luís, o Piedoso
- preocupou-se mais com probl...
Dinastia Carolíngea substituída pela Capetíngea. (na França
Ocidental, atual França).
DINASTIA CAPETÍNGEA
•Feudos hereditá...
IMPÉRIO BIZANTINO
•Corresponde ao Império Romano do Oriente criado pelo
imperador Teodósio (395d.C)
•Capital Constantinopl...
•Construiu inúmeras obras púbicas: hospitais, aquedutos, obras
militares (fortalezas e muralhas), pontes, estradas, igreja...
O Cisma do Oriente: a Igreja Ortodoxa (1054)
•O papa não aceitava a grande autoridade exercida pelo imperador
sobre a Igre...
Pintura – mosaicos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História medieval francos, bizantinos

886 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
886
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História medieval francos, bizantinos

  1. 1. HISTÓRIA MEDIEVAL 476 d.C 1453 d.C -Alta Idade Média – séc. V ao X (consolidação do poder da Igreja, ruralização da sociedade, descentralização do poder político, desenvolvimento dos reinos bárbaros. -Baixa Idade Média – séc. XI ao XV (crises) DECLÍNIO DO IMPÉRIO ROMANO -Crise do escravismo (diminuição do número de escravos) -Queda da produtividade -Aumento dos impostos -Êxodo urbano (plebeus e escravos migram da cidade para o
  2. 2. campo, à procura de trabalho e sobrevivência). •Colonato (plebeus e escravos passam a trabalhar nas terras dos grandes proprietários). + INVASÕES BÁRBARAS OS POVOS BÁRBAROS Bárbaros = os não gregos (e não romanos); não falavam latim. Eram nômades e semi-nômades. Praticavam o pastoreio e agricultura de subsistência. Eram politeístas (deuses ligados à natureza – Thor – deus do Trovão). REINOS CRISTÃOS BÁRBAROS – fusão das instituições romanas com as dos povos bárbaros. INVASÕES BÁRBARAS Séc. II – tentativa de invasão do Império Romano foi barrada.
  3. 3. Séc. III e IV – penetraram pacificamente no Império Romano. Ocuparam terras cedidas pelo Imperador, e trabalhavam como camponeses. Séc. V – invasão dos hunos, comandados por Átila. “Flagelo de Deus”. Os outros grupos bárbaros, pressionados pelos hunos, invadiram violentamente o Império Romano, que não consegui resistir. Os hérulos (rei Odoacro) invadiu Roma. REINOS BÁRBAROS Visigodos – invadiram a Itália; depois se estabeleceram na Península Ibérica. Suevos/Alanos – Península Ibérica. Vândalos – norte da África.
  4. 4. Anglos e Saxões - Inglaterra Borgúndios – sul da França Hunos – Gália (França) – 451 d.C Átila foi derrotado Francos - Gália (França) Hérulos – Roma Ostrogodos – Itália CONSEQUÊNCIAS DAS INVASÕES BÁRBARAS •Acelerou a queda do Império Romano •Ruralização da sociedade e da economia •Igreja Católica – única instituição organizada. Aumentou gradativamente seu domínio.
  5. 5. IMPÉRIO FRANCO – foi muito importante para a formação do Feudalismo DINASTIRAMEROVÍNGEA (481-751) Organizada por descendentes de Meroveu Clóvis - realizou grandes campanhas militares - converteu-se ao cristianismo ( para poder contar com o apoio da Igreja, ampliar e centralizar seu poder) •Os sucessores de Clóvis dividiram o reino em reinos menores (costume franco de dividir o poder entre os filhos). O rei doava terras ao clero e aos nobres em troca de serviços prestados. (início da suserania e vassalagem).
  6. 6. •Após o governo de Dagoberto, o poder dos reis merovíngeos começou a enfraquecer. •Os últimos reis merovíngeos se afastaram das atividades de governo – Reis Indolentes. Eram submetidos ao poder militar dos nobres e ao clero. Não possuíam um exército próprio. •O mordomo era um administrador que exercia, de fato, o poder dos reis. •Pepino, o Breve, destronou o último rei merovíngeo e iniciou a dinastia Carolíngea. DINASTIA CAROLÍNGEA Pepino - defendeu as terras da Igreja, ameaçadas pelos lombardos.
  7. 7. - Saiu vitorioso e concedeu ao papado os territórios ao redor de Roma (Patrimônio de São Pedro), formando os Estados da Igreja). Carlos Magno - lutou contra os muçulmanos, saxões, lombardos. - recebeu a coroa dos imperadores romanos das mãos do papa Leão III. - dividiu o império em condados, marcas e ducados. - criou os missi dominici (fiscais) – verificavam se as ordens do rei estavam sendo cumpridas. - respeitava a cultura de cada povo dominado - Renascimento Carolíngeo – fundou várias escolas (dirigidas pelo clero e aberta a todos).
  8. 8. - ordenou a tradução de diversas obras gregas, garantindo a sua preservação. Luís, o Piedoso - preocupou-se mais com problemas religiosos - após sua morte, seus filhos lutaram pela sucessão da Coroa - Disputa resolvida pelo TRATADO DE VERDUN (843) – império Franco é desmembrado em 3 reinos. *França Ocidental – Carlos (França) *França Oriental – Luís (Alemanha) * França Central – Lotário A divisão do império fortaleceu o poder da nobreza local e enfraqueceu o rei.
  9. 9. Dinastia Carolíngea substituída pela Capetíngea. (na França Ocidental, atual França). DINASTIA CAPETÍNGEA •Feudos hereditários •Foram invadidos pelos normandos (vickings) e migiares (húngaros e eslavos). •Hugo Capeto •Terminou quando foi fundado o Reino Germânico.
  10. 10. IMPÉRIO BIZANTINO •Corresponde ao Império Romano do Oriente criado pelo imperador Teodósio (395d.C) •Capital Constantinopla (antiga Bizâncio; hoje, Istambul), tomada pelos turcos otomanos em 1453. •Governo Autocrático = exercido por um soberano absoluto e independente. •Cesaropapismo = dominação do Estado sobre a Igreja •Principal imperador – Justiniano O REINADO DE JUSTINIANO (527-565) •Lutou e venceu a luta contra os vândalos, ostrogodos e visigodos.
  11. 11. •Construiu inúmeras obras púbicas: hospitais, aquedutos, obras militares (fortalezas e muralhas), pontes, estradas, igrejas etc. •Construiu a Basílica de Santa Sofia •Combateu os movimentos heréticos (contra a “trindade”, por exemplo). •Realização mais importante = Recodificação das leis romanas, preservando o Direito Romano (trabalho realizado pelos melhores juristas da época, que criaram o Corpus Juris Civilis). •Após a morte de Justiniano, o Império se envolveu em sucessivos conflitos com os persas, árabes e turcos otomanos. •Tomada de Constantinopla (fuga de sábios bizantinos para a Itália) •Perda da importância econômica – novos caminhos para o Oriente.
  12. 12. O Cisma do Oriente: a Igreja Ortodoxa (1054) •O papa não aceitava a grande autoridade exercida pelo imperador sobre a Igreja em seu território. O papa não aceitava o cesaropapismo. •Surgimento de várias doutrinas heréticas. •Separação entre a Igreja Católica Romana (submetida ao papa) X Igreja Ordodoxa Grega (sem submissão ao papa) CULTURA Língua oficial – grego Artes – Igreja – planta em forma de cruz, com enorme cúpula (domo). Ex.: Arquitetura
  13. 13. Pintura – mosaicos

×