Capitulo 11 - Escolhas

233 visualizações

Publicada em

11º Capitulo da Obra Escolhas para uma vida

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
233
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capitulo 11 - Escolhas

  1. 1. Capítulo 11 Escolhas... Dia 15 de novembro de 2012. Alguns dias desde a viagem que a turma fizera para Miami. Sarah ainda acreditava que teria sido Eren que a salvou no mar antes que se afogasse. Marco tentava levar tudo como se estivesse normal, mas ao olhar para Sarah se lembrava das palavras que a menina dissera e sentia algo em seu peito. O rapaz, confuso, não sabia o que fazer. Queria e não queria que Sarah estivesse sentindo aquilo por Eren, não por ele. Marco não entendia essa mudança repentina de sentimento. Por que ela foi se apaixonar por mim? E o Eren? Por que eu me sinto contente e triste ao mesmo tempo? Eram perguntas que importunavam a cabeça do rapaz. Marco não comentara mais nenhuma vez sobre o acontecimento, para não surgirem mais perguntas de como tudo ocorreu. Não sabia se conversava com Sarah sobre o que acontecera ou se ainda tentava ajudar nos planos dela com Eren, apesar de serem raros nos últimos meses. O garoto decidiu levar a rotina normalmente até que acontecesse alguma coisa e, por enquanto, tudo ia bem. Muita coisa aconteceu da data do desastre na praia até a de hoje. Jéssica conseguiu passar em seu teste de voz e já estava virando uma cantora profissional. Até iria realizar uma apresentação no Brasil no final de dezembro na passagem de ano no Rio de Janeiro. Eren estava estudando cada vez mais, pois os vestibulares, enfim, estavam chegando. Apesar de já ter sido aprovado em outras duas universidades. Samanta iria embora do País e voltaria para o Brasil. Ela, esperta como era, já aproveitou e pediu para Jéssica trazê-la junto quando for realizar o show no final de ano. Sarah estava normal, pois não se lembrava de muita coisa do acidente. Estava se preparando para o vestibular. Marco também se preparava, embora sua cabeça ficasse o importunando com diversas dúvidas que não poderiam ser solucionadas sem falar a verdade para Sarah. No intervalo, como fora o ano inteiro, os amigos estavam reunidos sob a imensa árvore do pátio que já estava sem folhas, pois o inverno chegara. A neve ainda não caia. Parecia hesitar ou aguardar uma melhor hora. Eren estava eufórico e não parava de falar no campeonato que disputavam, afinal de contas estavam na final do torneio, que aconteceria na próxima semana.
  2. 2. -Eu não ainda não acredito que estamos na final! – Dizia Eren, animado. -Eren... Você já disse isso mais de cinquenta vezes! – Disse Marco. -É lógico, Marco! Temos que fixar bem a ideia! Não foi o que você disse quando ficava falando de andarmos de quadriciclo nas férias de verão? – Disse Eren, sorrindo para o amigo. -Droga... Você se lembra disso ainda? – Respondeu Marco, suspirando. -Aquelas férias foram divertidas! Foram as melhores! – Disse Jéssica, sorrindo. Enquanto relembravam as férias, Marco percebeu que Sarah abaixou a cabeça assim que começaram a falar. A garota apertou firmemente as suas mãos que estavam juntas, como se estivesse sentindo algo ruim ou que não gostaria mais de sentir. Marco estava atento à colega e bem discretamente perguntou: -Está tudo bem, Sarah? -O QUE? – Gritou a garota, assustada – É lógico que estou bem, Marco. I-Isso é só frio... O vento esta ficando gelado, não é, gente? – Terminou perguntando sem graça. -Sim! Eu percebi também, Sarah. O vento está ficando cada vez mais gelado. – Respondeu Eren, olhando para o céu nublado. -Será que logo iremos receber nossa amiga branquinha? – Perguntou Jéssica. -Jéssica... Eu já disse para não botar nomes esquisitos nas coisas! Fale neve e pronto! – Disse Sarah, dando bronca na amiga. -Hey! Não sei por que você está tão de mau humor! Chata! Só porque você não gosta de frio! – Respondeu Jéssica. Antes de as duas começarem a discutir, soou o sinal e todos tiveram que voltar para a classe, e assim o dia correu normalmente. Na parte da tarde, todos ficaram conversando pela internet e acabaram resolvendo sair à noite. Ficou decidido que iriam até a casa de Sarah e pediriam um lanche e assistiriam TV. Entretanto, Marco não confirmou a presença, pois teria que ajudar a sua avó na limpeza da casa. Todos queriam que Marco fosse, mas depois te tanto tentarem e não obterem nenhum resultado, desistiram de chamar o amigo. Após alguns dias, depois da reunião na casa de Sarah, a garota começou a agir estranhamente. Isso intrigou Marco de uma maneira indescritível. Sarah começou a parar de sair no intervalo e as conversas com Marco se tornavam menos frequentes. Marco não comentava sobre Sarah para Eren e Jéssica para não relembrar tudo àquilo que aconteceu, pois a brincadeira de que o Marco e Sarah estariam apaixonados entre si, começaria novamente. Assim, os dias foram passando. Sarah mal olhava para Marco na sala de aula e muito menos quando iam conversar frente a frente. Dois dias antes da final do campeonato, Marco foi tentar falar com Sarah, que estava
  3. 3. sozinha na classe durante o intervalo. -O que aconteceu? – Perguntou sério, Marco. -Nada... – Respondeu a menina de cabeça baixa. -Você estava normal até esses dias... O que houve? – Perguntou novamente. -Eu já disse que você não precisa se preocupar... Eu me viro bem sozinha! – Respondeu a garota começando a ficar nervosa. -Pare de ser besta! Eu já disse que você não est – Nesse momento Sarah foi tentar dar um soco no rosto de Marco, como de costume, para fazê-lo calar a boca. Entretanto, o rapaz segurou firme a mão da garota e os dois ficaram frente à frente, com os olhares cruzados. Os dois jovens pararam por alguns segundos, admirando, um o olhar do outro. A sensação que ambos sentiam era diferente da antiga. Algo os tocava no fundo. Algo frio e quente ao mesmo tempo. Doce e salgado. Um sentimento confuso, que algum tempo após se encararem, desviaram seus olhares. -E-Eu já disse que você não está sozinha... – Disse Marco com o rosto vermelho e se afastando de Sarah. -Seu idiota! Você não tem noção das coisas que você fala... Eu me viro sozinha daqui para frente... Não se preocupe comigo. – Disse Sarah de cabeça baixa, levantando-se e saindo da sala. Marco ficou parado sem saber para onde ir. O que fazer ou o que dizer. Era o momento mais confuso de sua vida. Alguma coisa o empurrava para ir atrás de Sarah e contar toda a verdade sobre a praia, mas outra coisa queria continuar acreditando nela e no Eren juntos. -Hey, Marco! O que você está fazendo aqui hoje? Por que não saiu? – Perguntou Eren voltando à sala. -Não estou fazendo nada, Eren... Só estou pensando um pouco na minha vida... E a saudade que esse ano vai me trazer... – Disse Marco pensativo. -Ora, Marco! Ânimo! Temos a final depois de amanhã! Você terá tempo para se lamentar mais para frente. Agora, vamos focar no jogo! – Disse Eren, sorrindo. -Sim! Você está certo! – Respondeu Marco voltando a se animar, mas ainda com a cabeça em Sarah. Assim correu mais um dia tranquilamente, mas cada vez com o clima mais frio. Logo a neve iria cair e algumas verdades viriam à tona. Enfim no tão esperado dia do campeonato, todo aquele alvoroço novamente para a preparação para a grande final. Neste dia, Sarah saiu da sala e sentou-se junto com os amigos sob a árvore. Eren, estava quase sofrendo um ataque do coração de tanta alegria e ansiedade ao
  4. 4. mesmo tempo. -É hoje! É hoje! É H-O-J-E! – Eren não parava de repetir. -Nós já entendemos, Eren, que a final é hoje... Então já chega, não é? – Disse Jéssica. -É que eu não consigo parar de pensar no jogo! Me desculpem, pessoal! – Respondeu Eren suspirando. -Acho que você está certo, Eren. Temos que ficar animados, pois é uma grande chance! Eu não posso desanimar também! – Disse Marco, animado para o jogo. -Vocês irão vir, não é? – Perguntou Eren. -Lógico! – Respondeu Jéssica animada. -Lógico que eu venho acompanhar você, querido! – Disse Samanta pulando no meio da conversa. Marco olhou para Sarah que não ficou irritada pela primeira vez com Samanta. -E você, Sarah? Você irá vir? – Perguntou Marco. -Sim... – Respondeu rapidamente e desviou o olhar. -Todos nós estamos querendo ver nossa escola ser campeã no torneio. Então, podem contar com todos nós! – Disse Jéssica, sorrindo. Enquanto a conversa continuava, Marco ainda prestava a atenção em Sarah que ficava olhando para o chão com um olhar vago. Parecia estar pensativa e receosa ao mesmo tempo. Alguma coisa a atormentava e isso preocupava Marco. Após toda a conversa no intervalo, soou o sinal e todos voltaram para a sala, prosseguindo assim a aula, tranquilamente. Até que às 18:30, Marco e Eren chegaram em frente à escola para disputar a tão esperada final. -Você está preparado, Marco? – Perguntou Eren, sério. -Sim. – Respondeu firme Marco. -Você sabe que se ganharmos esse jogo, várias faculdades poderão nos querer, não é? – Perguntou Eren. -Sim... É uma oportunidade única. Essa noite será a qual decidiremos nossa vida! – Disse Marco. -Sim! É hoje! – Respondeu Eren. -E minha avó também virá para nos assistir! – Disse Marco sorrindo e olhando para Eren. -Marco... Você sabe que quebrou todo o clima tenso com o que você acabou de dizer, não é? – Perguntou Eren, suspirando. -Temos que descontrair, por que se não, o jogo ficara difícil! Mas, que a minha avó virá, isso é certeza! – Disse Marco, dando risada.
  5. 5. Após as várias risadas e brincadeiras, os dois amigos adentraram a escola. Antes de entrarem no vestiário, encontraram Sarah e Jéssica. -Boa sorte no jogo, rapazes! – Disse Jéssica, sorrindo e balançando a bandeirinha que tinha na mão. -Pode deixar! Vamos jogar muito hoje. Pode ter certeza disto! – Respondeu Eren. -Boa sorte, meninos! Ganhem este jogo! – Disse Sarah sem olhar para Marco. -Iremos! – Respondeu Eren, animado. Assim que Eren e Jéssica começaram a ir para seus lugares Marco puxou Sarah rapidamente e perguntou: -Hey! Você está brava comigo por eu me preocupar? Por isso nem está olhando mais para mim? – Perguntou Marco, indignado com o comportamento da amiga. -Não é isso, Marco! Pare de pensar besteiras e de se preocupar comigo! – Disse a garota sem olhar nos olhos do rapaz. -Mas então o que – Foi interrompido por Sarah que se soltou e correu com Jéssica no meio da multidão dizendo: -Não se importe comigo... Somente se divirta e ganhe esse jogo! Marco ficou parado, com uma incrível vontade de ir atrás de Sarah e por um ponto final em tudo, mas será que seria o certo a fazer? Pensava o rapaz. Eren, ao perceber que o amigo não tinha entrado no vestiário, voltou e o chamou para se apressar, pois o jogo começaria em breve. Enquanto os dois amigos se trocavam, Marco ficava de cabeça baixa pensando em Sarah. A preocupação era algo que o consumia. Eren, ao ver o amigo com o rosto daquele jeito, puxou conversa. -Marco... Você está pensando nela, não está? – Perguntou Eren. -O-O que? Não estou pensando em ninguém – Respondeu Marco, sem jeito. -Você não me engana, amigo... Você quer saber por que a Sarah está desse jeito, não é? Te tratando como um desconhecido após tudo o que vocês passaram... -Não, Eren... Nada disso... Só estava pensando na vida... Só isso... – Respondeu Marco, sem olhar para o amigo. -Acho que tenho parte nessa mudança dela... – Disse Eren, pensativo. -O que? – Perguntou Marco, parando de se trocar. -Ela não te contou? – perguntou Eren. -Ela não me contou o que? – Perguntou Marco, angustiado. -Naquele dia que você não pode sair com a gente para ajudar sua avó... Nós estávamos na casa de Sarah... E não só eu, mas Jéssica também percebeu o quanto você estava tentando agir
  6. 6. naturalmente. Mas, sua preocupação e tristeza de tê-la enganado sobre o que aconteceu na praia, não nos deixava tranquilos... Então, resolvemos contar o que aconteceu realmente na praia... No mesmo momento em que terminamos de falar, ela se lembrou de tudo o que acontecera e nos mandou embora de sua casa. Marco estava pasmo. Não saia nenhuma palavra de sua boca. Apenas os olhos estalados diziam tudo o que sentia. -Acho que eu e Jéssica pensamos que se trabalhássemos juntos e contássemos a verdade para ela, iríamos conseguir juntar vocês dois... – Disse Eren, sorrindo levemente. -M-Mas por quê? Por que vocês fizeram isso? Eren, a Sarah era apaixonada por você! Co – Foi interrompido por Eren. -Eu sei que ela era... – Respondeu Eren. -O que? Vo-Você sabia? – Disse Marco desacreditado. -Foi nas férias... Você se lembra quando ela foi tomar o remédio no meu quarto? Quando terminei de dar o medicamento, ela ficou frente a mim e falou que era apaixonada incondicionalmente pela minha pessoa. Marco parou completamente. Respirava ofegante. -Eu disse que não era a pessoa certa para ela. Disse que ela era bonita, inteligente e tudo mais. Mas, falei que aquilo que ela estava dizendo era um meio de ela não deixar se apaixonar por você, que sempre esteve ao lado dela... Aquela confissão era uma fuga dos sentimentos dela por você... Eu percebia o quanto ela gostava e odiava estar perto de você. Então para tentar não se apaixonar... Ela viu a confissão para mim como uma válvula de escape. -Vo-Você está falando sério, E-Eren? – Perguntou Marco, com as mãos na cabeça e seu coração batendo cada vez mais forte. -Sim! Espera... Ela não te contou que tinha se confessado para mim? – Perguntou Eren, sem entender a reação de Marco. -NÃO! – Gritou o rapaz se culpando pelo jeito que agira com Sarah todo esse tempo. Se culpando por não ter conseguido entender o que ela sentia. -Marco! Vamos lá, cara! Se recomponha! Ergue essa cabeça! – Disse Eren, levantando o amigo que parecia traumatizado. Marco parecia não estar mais entre as pessoas. Parecia estar preso em seus pensamentos e culpas. Até que Eren deu um soco no rosto de Marco, que logo em seguida voltou para o mundo. -Então é assim que vai terminar, Marco? Você se culpando enquanto ela está lá fora? – Gritou Eren, fazendo todos no vestiário pararem e ficarem em silencio. Marco olhava Eren e não acreditava que o colega estava daquele jeito.
  7. 7. -Tudo bem, Marco. Foram muitas verdades de uma vez? Foram sim! Mas não se entregue! Você chegou tão longe para deixar aquela garota sozinha? Vai abandonar ela e nós agora no jogo? Jogue por ela e por nós, Marco! Faça hoje valer à pena... Escreva o seu futuro! Termine esse jogo como campeão e ganhe o outro jogo na sua vida! Vamos! – Disse Eren, sorrindo e estendendo a mão para o amigo que estava sentado encostado na parede após ter recebido o soco. Marco abaixou a cabeça por alguns segundos. Pensou em tudo o que ouvira e o que acontecera até agora. Tudo agora só dependia unicamente dele para dar um rumo em sua vida. -VAMOS GANHAR ESSE JOGO, EREN! – Disse Marco, pegando a mão do colega e se levantando. Eren, pela primeira vez, ficou intimidado com a vontade e determinação de Marco. Outra pessoa parecia ter entrado no lugar de seu amigo, pensava Eren. Assim, após toda essa conversa, todos foram para o campo em busca da vitória. Marco após entrar em campo procurou Sarah na torcida, mas o número de pessoas era tão gritante que não conseguia localizar ninguém que quisesse. Enfim, começou o jogo. Marco teve poucas chances e Eren trabalhou muito bem defendendo. O jogo estava acirrado. Muitas faltas eram feitas para parar o contra ataque inimigo. O primeiro tempo terminou zero à zero com todos os jogadores, inclusive Marco, exaustos. No segundo tempo, o jogo foi acirrado novamente. Entretanto, aos 43 minutos do segundo tempo, Marco saiu no contra ataque e, ao ficar marcado por dois jogadores, viu Frank passando sozinho nas costas da zaga. Então, Marco conseguiu fazer o lançamento, deixando Frank sozinho e que, com toda a frieza, encobriu o goleiro que saiu para defender. Fazendo assim, o gol da vitória do time na final do campeonato. Assim que o juiz apitou o final da partida, o grito enfim foi solto. O time então era campeão do torneio entre as escolas. Todos pulavam juntos no campo. A torcida adentrou também à festa e foram abraçar os jogadores. Marco, após comemorar com os colegas, rapidamente correu no meio da multidão em busca de Sarah. Eren, ao ver o amigo correr, foi atrás para ver o que iria acontecer. Após alguns minutos de procura, Marco encontrou Jéssica sozinha, que estava desesperada procurando-o também. -MARCO! – Gritou Jéssica. -O que foi, Jéssica? Que cara é essa? – Perguntou Marco sem entender a amiga. -Jéssica, cadê a Sarah? – Perguntou Eren. -Marco... Eren... E-Ela foi embora! – Disse Jéssica, indignada. -O quê? – Gritaram os dois amigos.
  8. 8. -Ela disse que não iria ficar para ver o final, porque ela não queria estragar a alegria de vocês! -Estragar? Por quê? – Perguntou sério Marco. -Ela não tinha contado nem pra mim. Eu não estava sabendo de nada, mas ela vai embora para morar junto com os pais novamente! – Disse Jéssica, começando a chorar. -N-Não pode ser... – Disse Marco, ficando abalado. -Aquele dia que os pais dela foram visitar ela... Eles tiveram uma conversa a sós enquanto nós ficamos na cozinha. Lembram? Naquela hora, eles fizeram uma proposta para que ela voltasse a morar junto deles e que eles estavam com saudades... – Disse Jéssica, soluçando. -Mas, por que ela foi embora agora? – Perguntou Marco sem entender. -Ela disse algo sobre esperar um tempo para ver como as coisas iriam ficar. Só que tudo deu errado e ela não queria estragar a vida de mais ninguém... Eu também não entendi o que ela quis dizer com estragar a vida de alguém! – Respondeu Jéssica. -Não... Você não vai... Você não pode... – Murmurava Marco, enquanto pensava no que fazer para impedir Sarah. -Jéssica, há quanto tempo ela saiu daqui? – Disse Eren sério. -Faz pouco tempo... Acho que cinco minutos... Ela foi para casa arrumar as malas... – Respondeu a garota, com os olhos cheios de lágrimas. -Marco, se você sair atrás ago – Foi interrompido por Marco. -Eu sei! – Disse firme Marco, levantando a cabeça e correndo em direção à casa de Sarah. Marco, como um relâmpago, saiu correndo atrás de Sarah. Passou como o ar entre a multidão que adentrava no campo e conseguiu chegar à saída da escola se pondo a correr em direção à casa de Sarah. Você não vai atrapalhar! Você não está sozinha, droga! Sarah, você não vai me deixar assim! Depois de tudo? Não, não vai! Eram pensamentos que gritavam na cabeça de Marco enquanto corria feito um louco. A neve começou a cair vagarosamente. O ar estava gelado. Marco só com o uniforme do time e sua mochila. Até que, após ter corrido algum tempo, ele se lembrou que seu celular estava em um dos compartimentos de sua bolsa. Assim que pegou o aparelho, notou que tinham oito chamadas perdidas de um número desconhecido. Marco, sem saber o que era, retornou a ligação. -Alô? – Disse uma voz fina do outro lado. -Você ligou para esse número! Quem é que está falando? – Disse Marco. -O senhor é o Marco? – Perguntou a voz fina. -Sim! Por quê? – Perguntou Marco sem entender. -Marco... Sou enfermeira do hospital da cidade e estávamos tentando entrar em contato
  9. 9. com o senhor para avisar que sua avó sofreu um infarto enquanto caminhava para a sua escola. Marco ficou paralisado ao ouvir. Isso só podia ser mentira. Tudo aquilo acontecendo em apenas uma noite só podia ser brincadeira. -Mas, fique tranqüilo ela já está passando bem. Acho que seria uma boa idéia o senhor vir visitá-la. Ela gostaria de falar com você. – Disse a enfermeira. -Estou indo! – Disse Marco, desligando o telefone. Marco parou e pensou. Resolveu passar rapidamente para ver como sua avó estava, já que o hospital ficava a algumas quadras da casa de Sarah. Assim que chegou ao hospital e entrou no quarto, viu sua avó deitada na cama e logo após a senhora virou o rosto e viu seu neto. -Vovó... Me desculpe, eu não pu – Foi interrompido pela avó. -Mas, já esta aqui por quê? A moça não acabou de te ligar? – Perguntou a senhora, dando bronca em Marco. -O quê? – Perguntou Marco sem entender a reação de sua avó. -Você está me dizendo que resolveu passar primeiro aqui ao invés de ir atrás de sua namorada? – Perguntou a senhora. -Vo-Vovó, o que a senhora está dizendo? – Marco estava sem entender. -Seus amigos me contaram sobre os planos deles de juntar você e aquela sua amiga revoltadinha hoje à noite e você me deixa ela sozinha e vem atrás de uma velha como eu? Marco ficou pasmo ao escutar aquilo de sua avó. -Marco, meu neto, tome vergonha nessa sua cara e vá ficar com sua mocinha! Eu estou bem... É só a idade batendo na porta... Não se preocupe. Já passei por coisas piores. Agora, vá! – Disse a velha, balançando a mão incentivando o neto a sair do quarto. Marco abaixou a cabeça e deu um leve sorriso. Balançou a cabeça com um sinal de positivo e assim que estava saindo do quarto sua avó disse: -Ah! Mais uma coisa, meu neto! Passe de casa mais tarde, pois deixei um cartão com grande quantidade de dinheiro na conta... Era pra eu te entregar hoje, mas esqueci e aconteceu tudo isso. São despesas que economizei para quando esta hora chegasse... Seja qual for sua escolha... Estarei te apoiando, meu querido! Mas, nunca troque quem você mais ama pelo dinheiro. Somente lembre-se disso! Agora, vá! Você já demorou demais! Marco não sabia o que falar. Uma vontade de abraçar sua avó veio consumindo seu interior, mas não podia mais se atrasar. Agradeceu a velhinha que estava deitada e correu em direção à casa de Sarah. Enquanto tudo aquilo acontecia, Sarah estava saindo de sua casa. Ela tremia, mas não
  10. 10. sabia por que. Trancou a porta e ficou parada de cabeça baixa por um instante pensando no que estava fazendo. Uma dor incrível consumia a garota por dentro. O táxi a estava esperando na rua. -Me desculpe... – Murmurou Sarah, lembrando-se de Marco. Assim que Sarah se virou e começou a caminhar em direção ao carro, escutou um grito chamando seu nome. A garota se assustou e, ao olhar para a esquina, surgiu Marco que virou correndo. -SARAH! SARAH! – Gritava Marco, enquanto corria. Sarah ficou travada. Não se movia. Não acreditava no que estava vendo. Marco naquele frio somente com o uniforme do time de futebol e gritando seu nome. Até que o garoto parou frente a ela, mas não conseguia falar devido à falta de ar. -O que você está fazendo aqui, seu idiota? Você vai pegar um res – Foi interrompido pelo grito de Marco. -Case-se comigo, Sarah! – Disse o rapaz, suspirando fundo devido ao cansaço. Sarah estalou os olhos, não acreditando no que ouvira. -O-O que você disse? – Perguntou a garota, começando a ficar vermelha. -EU DISSE: CASE-SE COMIGO, SARAH! – Gritou Marco. A garota parou completamente. Sentiu algo incrível em seu peito e não entendia por que seus olhos começaram a lacrimejar. -Você se lembra Sarah, quando você me perguntou o que eu queria da minha vida? – Parou, respirou um pouco e voltou a falar – Eu quero você! Eu quero que você seja a minha vida. Por favor, não fale que vá embora, porque senão você estará me deixando completamente sem motivo para viver! Sarah não pôde conter as lágrimas que escorreram em seu rosto. -Idiota... Você sabe o que você está falando? – Disse a garota, chorando e completamente com vergonha. -Sarah... Eu nunca estive com tanta certeza como nesta que estou dizendo agora. Você não está sozinha. Pare de tentar viver assim. Eu já disse que quero ficar ao seu lado e vou ficar até morrer! Sarah não sabia o que fazer. Era uma alegria imensa que lhe consumia. Não acreditava no que estava acontecendo. -Me desculpe por não ter percebido antes... Eu não queria te fazer sofrer deste jeito. Deixe-me agora te fazer feliz! Fuja e case-se comigo! Nós já somos maiores e somos capazes de conseguir tudo sozinhos! -Mas, Marco... Nossas famílias... – Disse Sarah, envergonhada e preocupada ao mesmo
  11. 11. tempo. -Nós daremos um jeito. Você verá! – Respondeu o rapaz, olhando nos olhos da garota. -Mas, Marco... E dinheiro? Moradia? Faculdade? São várias coisas que temos que – Neste momento, Marco pegou e beijou Sarah que não resistiu e abraçou o “amigo”. -Sábio jeito de me fazer calar a boca... Pela primeira vez... Gostei de sua atitude... – Disse a garota com o rosto vermelho e envergonhada pelo que acontecera. -Pode ficar tranqüila que eu sei quem poderá nos ajudar. – Disse Marco sorrindo. Após o beijo, Marco pegou o celular e ligou para Eren. Explicou toda a situação e o amigo ordenou que os dois fossem urgentemente para a casa dele. Assim foi feito. Marco e Sarah correram para a casa de Eren sob a neve que caía vagarosamente. Ao chegarem, Eren abriu a porta e viu Marco tremendo. -Ma-Marco! Você está bem, cara? – Perguntou Eren, assustado. -E-Eren... Meu amigo... Posso tomar um banho quente aqui na sua casa? O tempo aqui fora está meio geladinho, sabe... – Disse Marco, tremendo de frio. -Lógico! Corra para o banheiro! – Disse Eren, puxando e empurrando o amigo para o banheiro. Eren, assim que empurrou Marco para o banheiro, olhou para Sarah e deu um sorriso. A garota abaixou a cabeça com vergonha, mas acabou entrando na casa. Para a surpresa de Sarah, assim que chegou à sala da casa encontrou Jéssica sentada no sofá. -QUE FOFO, AMIGA! – Gritou Jéssica, pulando e abraçando Sarah. -Jéssica?! O que você está fazendo aqui? – Perguntou Sarah sem jeito. -Oras! Assim que Marco ligou para Eren, ele já me ligou e contou tudo o que tinha acontecido. Então, como sou sua amiga precisava vir aqui para te apoiar! – Disse Jéssica, sorrindo. Sarah ficou envergonhada ao escutar o que a amiga dissera e não sabia onde esconder o rosto. -Sinceramente amiga, o Marco me surpreendeu com essa atitude. Você é mesmo sortuda, sabia! Cuide bem dele! Vocês formam um lindo casal! – Disse Jéssica, abraçando novamente Sarah. Após alguns minutos, Marco saiu do banho e se reuniu com todos na sala. -Marco... Você ligou para o cara certo! – Disse Eren, sorrindo. -Mas Eren, como você vai nos ajudar? – Perguntou Sarah. -Simples, Sarah! Meus pais viajam muito e para vários países, ou seja, tem residência. Então, eu simplesmente falo com eles e pronto! Uma residência para vocês ficarem durante um
  12. 12. tempo até que as coisas se acalmem. -Sério mesmo, Eren? Isso não tem problema? – Perguntou Sarah. -Lógico que não! Bem... Amanhã eu já ligo para eles e vejo onde vocês podem ficar! Então, esta noite vocês podem passar aqui... Será melhor para vocês! – Disse Eren. -EU TAMBÉM POSSO? – Perguntou Jéssica. -Pode, Jéssica... – Disse Eren, suspirando. -Eba! Vamos conversar muito essa noite, Sarah! – Disse Jéssica, olhando para a garota. Sarah simplesmente deu um sorriso e confirmou com a cabeça. Todos começaram a rir e parabenizar os dois amigos pela atitude que tiveram. Enquanto Jéssica e Eren davam risadas, Sarah olhou para Marco que também a olhou. Pareciam perguntar um para o outro: Estamos preparados para encarar toda essa nova aventura que iria começar? Logo em seguida, Marco segurou a mão de Sarah que estava no sofá e fez um sinal de positivo com a cabeça mostrando que ele estaria lá para o que precisasse. Sarah, em seguida, sorriu e segurou ainda mais firme a mão de Marco. Agora o casal deveria se preparar para viver por si só, mas muitas coisas ainda os aguardavam no destino dos dois jovens amantes.

×